True

True Hilary Duff




Resenhas - True: A Verdade


21 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Giuliana 08/11/2014

Final lixo de uma trilogia inovadora que tinha todo o potencial de ser mágica. Mais decepcionante que o final de Lost.
Naiane 21/02/2015minha estante
Concordo.




spoiler visualizar
comentários(0)comente



Deyvson Leandro 24/11/2013

True: A verdade é uma conclusão digna de aplausos
Quando terminei de ler o segundo livro da trilogia, Devoted, eu desejei na mesma hora poder ler o terceiro livro. Agora que finalmente foi lançado eu pude saber como termina a saga de Clea e Sage.

Em True: A verdade o Sage que Clea conhece se foi, agora a alma dele está no corpo de Nico, namorado de Reyna. E o Elixir também está fora de suas veias, fazendo dele mortal. Essa troca de corpo que ocorreu não afetou muito bem Sage, ele agora está tendo lapsos de memória e se tornando um homem agressivo. Clea sem dúvidas, decide que tem que ajudar Sage e encontrar uma cura para esse problema. Essa é a última chance dos dois poderem finalmente ser felizes juntos já que Sage quebrou a ligação espiritual que tinha com Clea.

Eu não sabia o que esperar desse livro, não tinha nenhuma noção de qual rumo a história ia levar. Em Devoted, Clea me incomodou bastante, certas atitudes dela simplesmente me irritavam. Em True foi um pouco diferente, a impressão que eu tive foi que ela voltou a ser como era em Elixir, determinada, corajosa e firme nas decisões. Mas também teve o lado chato dela, como o fato dela só pensar em Sage o tempo todo e se esquecer dos próprios sentimentos.

A aventura dessa vez foi bem além do que já tinha sido mostrado, agora ficamos sabendo mais das coisas ligadas as almas e espíritos. True não tem aquele poder de te chamar cada vez mais pra leitura como tinha Elixir e até mesmo Devoted, mas ele consegue te fazer ficar intrigado com todo o problema que está se passando com Sage, te faz perguntar: Afinal, ele vai conseguir passar por tudo isso? Clea e ele vão conseguir ser felizes?

Uma coisa inquestionável é como o amor de Clea por Sage é verdadeiro e real, eu realmente senti que ela amava ele e sabia que ela ia fazer o possível pra conseguir ficar do lado dele, custasse o que fosse. Hoje em dia é bem clichê esses romances "Teen" mas aí vem a pergunta: Qual livro hoje em dia não tem um amor desse tipo? Então na minha opinião esse romance funcionou, e provou realmente que "Nos sonhos e no amor, não há impossibilidades".

Na resenha que eu escrevi sobre Devoted eu disse que Sage me irritou bastante, nesse livro o erro continuou, a diferença dessa vez é que ele tinha um motivo. Como ele não podia controlar suas ações nem suas atitudes, eu me senti mal por ele e pela primeira vez desde que li o primeiro livro estava torcendo pra que ele conseguisse se dar bem e ser feliz.

Uma das coisas "novas" do livro foi que existiam capítulos narrados pela Rayna, que eu sempre quis que fosse a protagonista da trilogia. Rayna é realmente uma personagem cativante, a cada capítulo dela sempre tinha algo que me fazia rir, mesmo se a situação que estava se passando estivesse totalmente fora de controle. Rayna assume uma postura muito mais madura e consciente em True, o que me deixou bastante feliz porque houve um desenvolvimento, mesmo que pequeno, na minha personagem preferida.

Ben foi uma enorme decepção nesse livro, eu fiquei muito chateado com a Hilary por ter feito o que fez com um personagem tão bom. Como já disse, a Rayna teve um desenvolvimento, já no caso de Ben houve um retrocesso. Mas isso ocorreu já no final do livro, quando já estávamos vendo como as coisas iriam terminar. Quando eu pensava que ele tinha se mostrado um personagem forte e capaz de seguir em frente, ele no fim voltou todo o caminho que já tinha percorrido antes.

Teve dois pontos negativos no livro que me deixaram com a sensação de precisar de um quarto volume. O primeiro deles não é tão importante, mas mesmo assim eu queria que pelo menos a Hilary tivesse mencionado algo. Eu não entendi muito bem o que aconteceu com Os Anciões no segundo livro, esperava ter descoberto algo, já que True foi fundo no quesito de almas. Queria saber o que aconteceu com a maravilhosa Amélia, fiquei muito descontente com o "final" que ela teve.

O segundo motivo pra mim foi o que me deixou bastante frustrado. A trama de Elixir inicialmente começa com Clea querendo saber onde está o pai dela, esse é o ponto de partida de tudo. Infelizmente ficamos sem descobrir o paradeiro de Grant Raymond. Pra aliviar a minha frustração eu me forcei a acreditar que ele realmente morreu, mas eu ainda sei que a ponta solta ainda ficou lá.

Quando eu li a última página do livro eu procurei "colocar na balança" as coisas que eu tinha gostado e as que tinha detestado. No fim de tudo a minha conclusão foi que True encerrou muito bem a trilogia apesar dos erros. A última frase do livro me fez chorar e me arrepiar. Foi bom acompanhar essa épica história de amor entre Clea e Sage. E agora eu sei que quando as coisas ficarem difíceis, eu só tenho que ter: Fé, Coragem e Sabedoria.

Felipe 04/12/2013minha estante
Voce realmente disse tudo! Hilary poderia fazer + um livro e explicar o que aconteceu c/ os Anciões, Amélia, o pai dela, e dar um final digno pro Ben!


Deyvson Leandro 05/12/2013minha estante
Pois é Felipe, fiquei um pouco decepcionado com o final do Ben, era meu personagem favorito. Mas é como eu digo, foi a primeira vez que a Hilary escreveu livros, então de um modo geral a trilogia foi muito boa!


Gabi 08/12/2013minha estante
hum, onde vcs acharam esse livro?
Li Elixir e Devoted mas nao consigo encontrar esse


Deyvson Leandro 12/12/2013minha estante
Gabi, está a venda nas melhores livrarias. Da uma olhada no site da Saraiva e da Cultura, com certeza você vai encontrar ;)




Liliane 08/02/2015

Trilogia com um enredo inovador, mas com um desfecho mais decepcionante que Lost
A trilogia tinha tudo pra terminar com chave de ouro, mas infelizmente Hilary preferiu focar no romance água com açúcar do que os mistérios do enredo. Nunca vi um livro terminar com tantas pontas soltas, pqp...
O ponto de partida da série foi o desaparecimento do pai da protagonista, Grant Raymond, que sumiu sem deixar pistas após começar a investigar o Elixir da Vida. Passou o segundo livro, terminou o terceiro, e cadê o Grant? Hilary simplesmente descartou o personagem.
Idem com Amélia e a família dela. O que aconteceu com eles? Parece que só serviram de tapa buracos na história. Fora que os personagens foram totalmente estragados, peguei ódio do Sage, Ben que sempre foi meu favorito foi transformado num babaca. E como as pessoas reagiram ao fato de que Clea "estava" namorando o boy da melhor amiga? Oiiiiii????
Naiane 21/02/2015minha estante
O que mais me incomodou foi ela ter descartado Amelia e o pai da Clea, puts, final decepcionante.




Viviane 16/11/2016

Uma trilogia boa.
Só memorizei esse trecho. Estou lendo esses dias todos os livros que não li em 2015.

- Então o passado ficou para trás ? ele repetiu. - Tudo o que temos é o agora.
- Não é isso o que todo mundo tem?
comentários(0)comente



Claris Ribeiro 07/06/2017

*Esse é o terceiro livro da série, e está resenha pode conter spoilers dos primeiros livros!

Chegamos então ao final da trilogia Elixir, que conta a saga de amor eterno entre Clea e Sage. O terceiro livro inicia com Clea, Ben e Sage, agora vivendo no corpo de Nico, voltando para casa.

Clea agora precisa contar para sua melhor amiga que o namorado dela morreu, e quem ela vê no corpo de Nico é Sage, e, como se não fosse complicado o bastante, ao chegar em casa, Rayna, a melhor amiga, briga com ela quando descobre que Nico faleceu, sem deixar Clea contar o que aconteceu. Rayna fica completamente irritada e diz que tudo gira em torno de Clea, e vamos combinar, gira mesmo, e esse é um dos pontos fracos da trilogia.

True é narrado por Clea e Rayna, alternando em cada capítulo, e o foco principal agora são os problemas que Sage está tendo em seu novo corpo. Sua alma está rejeitando o corpo de Nico, o tornando um homem muito agressivo, capaz de machucar quem estiver pela frente, inclusive Clea.

Ben, que sofre por ter tirado a vida de Nico, e Clea, que quer o seu amado bem e ao seu lado para enfim viverem juntos, começam a pesquisar como resolver o novo problema de Sage.

Depois de um tempo de aceitação, Rayna volta a conversar com Clea para entender o que realmente aconteceu com Nico, e ao perceber como Sage estava, a garota, muito esperançosa, acredita que Nico ainda esteja dentro de seu corpo e que ele procura paz. Rayna então resolve ajudar seus amigos, pensando em como ajudar o seu amor.

O final da série foi um completo desastre, toda a ação e todos os mistérios criados no segundo livro foram completamente esquecidos. Clea voltou a ser uma personagem sem graça e o romance continua patético, posso dizer aqui que foi ainda pior nesse livro, já que Clea sofria com as crises de Sage e continuava como se nada tivesse acontecido.

Como se não bastasse a falha na continuação e o retrocesso dos personagens, ainda tivemos que engolir a história de que ninguém viu ou reconheceu Nico, antigo funcionário da casa que faleceu e teve até uma homenagem após sua morte, ou, que ninguém percebeu ou achou estranho o fato de Clea agora namorar o noivo de sua melhor amiga Rayna, que tinha morrido.

Eu poderia até falar aqui que não valeu a leitura, já que o segundo livro teve uma história melhor e que poderia até ter acabado ali mesmo sem dar mais explicações, até porque o terceiro livro também não deu essas explicações, mas para mim valeu só porque consegui comprar o box por R$20, então foi uma leitura rápida que compensou no meu bolso.

site: http://www.plasticodelic.com/2017/06/resenha-true.html
comentários(0)comente



Karina 02/01/2017

TRUE - VERDADE - Hilary Duff
Mais uma trilogia fascinante que chega ao fim.
Hilary Duff surpreendeu , nos mostrando mais um de seus talentos.
Personagens inesquecíveis, atrelados à uma história de tirar o fôlego.
Quem não se lembra do encantador casal, Sage e Clea?
Tantas aventuras e terror esse amor superou. Foi exatamente em um período de um ano que Clea viu sua vida virar de cabeça para baixo.
A história nos foi apresentada a partir de Elixir. Clea sempre foi uma garota determinada e que lutava pelos seus sonhos.
Apaixonada por fotografia, clicava tudo o que via em sua frente.
Foi quando percebeu que um homem misterioso estava sempre presente, lhe admirando e protegendo nas fotos.
Esse rapaz era Sage. Sua alma gêmea de todas as vidas.
Em Elixir e Devoted, já resenhado pelo Blog Casa de Livro, fomos testemunhas de todo o esforço que fizeram para ficarem juntos.
Não tiveram medo de enfrentar as forças obscuras e lutar por esse amor.
Porém "True" nos trás ainda mais revelações sobre o passado desse casal.
Quando Sage foi capturado pela maléfica Magda, Clea só pensava em uma alternativa de salvá-lo.
Sabia que Magda iria matá-lo e drenar todo o Elixir da vida que existia em seu corpo.
Mas quando Clea chegou no local, acompanhada de Nico e Ben, a briga foi ainda mais assustadora.
Magda conseguiu realmente fazer o que desejava, Sage estava morto.
Ela só não esperava que por Nico ser um corpo hospedeiro, a alma de sua vítima tivesse uma chance de sobreviver.
Clea ficou totalmente perturbada.
O homem de sua vida estava vivo. Mas respirava no corpo do namorado de sua melhor amiga, Rayna.
A garota não sabia como contar para Rayna.
Ben sentia-se culpado com o que aconteceu, mas também não tinha ideia de como consertar as coisas.
Porém esse era o menor de seus problemas.
O corpo de Nico estava rejeitando a alma de Sage.
Sage não conseguia se controlar.
Estava ficando agressivo. Perigoso. Era uma questão de tempo até que uma tragédia acontecesse.
Clea, Rayna e Ben uniram-se para tentar encontrar uma solução.
Mas cada um tinha um motivo distinto.
Clea quer salvar o amor de sua vida.
Rayna só deseja que a alma de Nico tenha paz.
E Ben, seus motivos são um pouco obscuros.
Começa então uma corrida contra o tempo para descobrir a verdade sobre os sintomas de Sage.
A agressividade do rapaz colocou a vida de todos em risco.
Mas Clea precisará ser forte e enfrentar tudo o que ainda está por vir.
A verdade será revelada?
Ben deseja ajudar ou é mais uma de suas vinganças.
Sage sobreviverá?
Um final eletrizante em uma trilogia encantadora.
Casa de Livro Recomenda.

- As coisas vão mudar. Mas eu não estou preocupada. Sabe por quê?
- Por quê?
- Porque as coisas mais importantes da vida...são eternas.

Titulo: True - A Verdade
Titulo Original: True
Autora: Hilary Duff
Ano: 2013
Páginas: 264
Editora: Modera ID

Boa Leitura
Casa de Livro
Karina Belo

Gritos. Gritos altos e estridentes. Uma menininha... torturada! E a alma, dilacerada... Era horrível, e não terminava nunca! Meu Deus, quando é que isso ia parar? Aquilo tinha que parar!

Senti que ele estava no limite. Eu não ia dizer a verdade e colocar mais peso sobre os ombros dele. O problema não era ele encontrar Rayna ou Wanda, mas sim ter um lapso de memória e fugir, sem saber como voltar para mim. Ou ter um acesso de raiva e acabar fazendo algo imprevisível. Era mais seguro ficar por ali, pois mesmo que ele tentasse fugir, o sistema de alarme me avisaria.

Eu estava com medo; de quê, eu não sabia mais. Talvez de mim mesma e dos meus próprios pensamentos. Eu não podia permitir que a alma de Nico sofresse. Ele não merecia. E Sage já tinha vivido um tempão.
Quem sabe a alma dele também precisasse descansar?

As lágrimas transbordavam dos meus olhos com mais força do que nunca, mas era um choro de alívio. Agora só nos restava esperar por Ben. E torcer para que, quando Sage acordasse, sua alma ainda estivesse ali, pronta para ser salva.

site: www.casadelivro.com.br
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



House of Chick 27/01/2014

Essa resenha não apresenta nenhum tipo de spoiler, nem dos livros anteriores, podem ler tranquilos.

Clea Raymond, uma jovem de 17 anos, filha de uma importante política com um renomado cirurgião, acabou descobrindo que tem uma alma gêmea há milhares de anos, Sage, com quem viveu diversas de suas vidas, até que algo muito trágico sempre acontecia e eles eram separados. Ela também descobriu que há um Elixir da vida, que dá vida eterna ao portador, que é pesquisado há tanto tempo quanto o amor deles existe, e que pode ser o responsável por toda a desgraça que eles passaram.

No final de Devoted (livro anterior), alguns acontecimentos inesperados surgiram, fazendo com que o rumo da trama mudasse totalmente e Sage e, consequentemente Clea, fossem afetados diretamente por isso. Esse final abriu possibilidades incríveis para True, uma pena que as autoras não souberam aproveitar nenhuma delas e tenham escolhido um caminho estranho e solto para seguir.

Confesso que fiquei bem decepcionada com o final dessa trilogia. O primeiro livro me agradou, o segundo foi uma grata surpresa, e eu adorei (inclusive entrou para os preferidos de 2012), e minhas expectativas estavam bem altas para o fechamento dessa história, mas não sei onde as autoras queriam chegar, só sei que tudo começou de um lugar (ainda lá em Elixir) e foi para lugar nenhum (aqui, em True), terminando pessimamente, com tudo mal resolvido e muita coisa sem explicação. Esse volume foi totalmente desnecessário, e, para finalizar a série assim, era melhor que tivessem parado no segundo livro.

Esse volume inteiro (!) girou em torno de como salvar Sage do problema que surgiu no volume anterior, que eu não posso dizer exatamente qual é para não soltar spoilers, só que as explicações não fizeram sentido nenhum, porque algumas coisas foram “quebradas”, mas outras continuaram iguais, o que é totalmente sem cabimento!! Além disso, essa questão e a solução para ela foram meio forçadas e nem precisavam existir dessa maneira, só resultando em coisas positivas para Clea e Sage. Ah, e esqueçam as coisas que foram ditas e explicadas nos primeiros livros, porque tudo foi esquecido e virou uma mera lembrança aqui, é como se essa fosse uma história independente.

Outra coisa que me deixou bem triste e chateada foi a finalização que a autora deu para Ben, meu personagem preferido desde Elixir. Ela mudou totalmente o jeito dele de ser nas últimas páginas do livro, transformando-o num (por falta de uma palavra melhor) monstro. Por quê? POR QUÊ?!

Agora, se tem um personagem que eu não gostei desde o primeiro volume, que piorou no segundo, e conseguiu ficar insuportável no terceiro, esse alguém foi Sage. Nossa, até agora não entendo como um personagem tão chato, babaca e tudo de ruim pode ser o par da protagonista! E ainda se dar bem em tantos momentos.

Admito que estava desgostando tanto de tudo o que estava acontecendo (já deu para perceber, né?!), que torci fortemente para que aquilo que eles buscassem não desse certo, e a história desse uma virada, o que seria bem positivo para que pelo menos a finalização fosse boa, mas, infelizmente, meu desejo não passou disso, um desejo.

Apesar de todos os momentos ruins que passei lendo o último volume de uma trilogia que eu adorava tanto (sério, que decepcionante!), pelo menos posso afirmar que a narrativa é bem fluida, e consegue prender o leitor para saber o que vai acontecer em seguida. Além disso, existe um ou outro personagem que realmente são legais, como Rayna, melhor amiga de Clea, Nico, personagem que foi importante na história, e Ben (até pouco antes da finalização desse volume).

A parte gráfica está muito bem feita. Apesar de não gostar tanto assim dessa capa, muito menos porque é bem diferente do primeiro volume, que é a minha capa preferida da trilogia, achei legal da parte da editora manter a original, apesar da versão impressa não ter nenhum diferencial, como verniz localizado. Só não curti que as lombadas de todos os três livros são diferentes, ficando esquisito na estante. A diagramação está simples e ótima, segue o padrão do livro anterior, com espaçamento grande e letras de tamanho confortável, além de contar com páginas amarelas, melhor para a leitura.

Pela minha resenha vocês já devem imaginar que eu não conseguiria recomendar a leitura desse livro nem que eu quisesse, o que é realmente uma pena, mas posso indicar, sim, os volumes anteriores, porque eles foram bem escritos e a história era ótima e original. Se Hilary escrever alguma outra história vou querer ler, só espero que ela não faça a mesma coisa que fez no final dessa.



site: Confira essa e outras resenhas no blog: www.houseofchick.com
Naiane 21/02/2015minha estante
Concordo em tudo. Bem me incomodou, Sage, o final... Sinceramente, o pior livro, uma pena, pois tinha amado os outros dois.
E a história do pai dela? Sinceramente, merecia uma explicação, né?




Debora novais 24/08/2017

True a verdade - Hilary Duff
A leitura é rápida, porém esse último livro achei um pouco decepcionante, a autora não soube encerrar uma trilogia que começou tão bem, deixou muito a desejar.
comentários(0)comente



Izabel Wagner 09/03/2015

Resenha no Estante Diagonal
Acesse o link para conferir a resenha postada no blog literário Estante Diagonal !!!

site: http://www.estantediagonal.com.br/2015/03/resenha-true-verdade.html
comentários(0)comente



Lari. 22/03/2017

ai vc compra este livro numa Feira de Livros e apos chegar na metade descobre que tem 2 antes dele pra ler kk, enfim li assim mesmo e o que dizer do livro ? QUE PORCARIA DE FINAL FOI ESSE ???? tanta coisa no livro todo pra chegar no final e me matar desse jeito, deu uma vontade de arremessar o livro longe... estava lendo durante minha aula q decepçao...
comentários(0)comente



Rafael 26/05/2017

É possível encontrar o amor perdido?
Depois do grande plot twist deixado em Devoted, estava mais do que ansioso para ler esse terceiro volume, tanto que comecei logo após concluir o segundo. Inicialmente, mesmo antes de ler o livro já havia ficado receoso pela quantidade de páginas - 264 -, já que é a conclusão da trilogia mas, ainda assim, o menor livro. E infelizmente, meu medo se confirmou e a trilogia terminou da pior maneira possível.

Todos os mistérios iniciados nos livros anteriores, incluindo o que moveu o início da história, foram simplesmente esquecidos. Não há a menor explicação para eles, parece até que nunca estiveram na história. Ao invés disso, True foca-se nos problemas que o novo corpo de Sage traz para seu relacionamento com Clea e a primeira parte até chega a ser interessante, com os surtor agressivos do personagem, mas até esse plot se perde na segunda metade do livro e é concluído da forma mais apressada e sem sentido. SPOILER (pule para o próximo parágrafo caso não queira saber): Sério que nenhum familiar de Clea estranhou ela estar "namorando" com o ex da amiga, que teoricamente morreu (!)?

Os personagens também sofrem um retrocesso enorme. Clea, outrora uma personagem forte e motivada a achar o pai, esquece tudo e todos para focar-se apenas em Sage. Tudo bem que ela deveria mesmo se preocupar com o namorado, mas em nenhum outro momento ela se questiona sobre o pai ou a família de Amélia. Ben também foi bem mal aproveitado e seu destaque é apenas no fim da história, mas tudo é feito tão apressadamente, que o impacto se perde nas páginas seguintes. Apenas Sage prende nossa atenção, com os seus já mencionados surtos de agressão; e Rayna, que foi, sem dúvidas, a melhor personagem nesse volume, por isso a narração intercalada entre Clea e ela se mostrou um acerto.

Mas, no geral, True foi uma decepção. Não só como livro, mas como fechamento de uma trilogia, pois Hilary e Elise tinham tudo para finalizar a história com chave de ouro mas entregou uma história sem o menor sentido e que não respondeu o que nos deixou curiosos por tanto tempo. Caso Hilary pense em voltar a escrever alguma história futuramente, espero que a experiência - e a conclusão - seja mais satisfatória que a trilogia Elixir.

site: http://crushforbooks.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Camilla 14/06/2014

Resenha postada no blog Segredos e Sussurros entre Livros

Último volume da trilogia Elixir, escrita pela queridíssima Hilary Duff, True conseguiu se diferenciar dos anteriores, com uma mudança brusca de foco e situação, tudo desencadeado pelos momentos finais de Devoted, segundo livro da trilogia.
Ao contrário dos volumes anteriores, tive mais ânimo para ler este último, que finalmente parecia ter dado um novo rumo para a história.

“- Então o passado ficou para trás – ele repetiu. - Tudo o que temos é o agora.
- Não é isso o que todo mundo tem?”


Não sei bem o que eu esperava da série, afinal. Desde o início percebi um vazio de informações e uma falsa convicção de história de amor além do tempo. Como fã da Hilary Duff, posso dizer que dei uma chance à série porque gostaria muito de ver onde a atriz-cantora-escritora conseguiria chegar. O saldo é neutro. Hilary não inovou, mas também não se perdeu. O maior problema da história é a tentativa de se demonstrar o quanto o amor verdadeiro é perfeito, algo que, na minha opinião, não engana a ninguém, já que é cheio de falhas e complicações geradas pelas próprias almas gêmeas.
Sage e Clea não me passaram nada do amor que sentiram em tantas vidas. Sage, em especial, é um personagem muito chato e sem carisma, algo que não condiz com sua apresentação como o “cara” perfeito. Ao mesmo tempo, outros personagens, como Ben e Rayna, apesar de mais participativos na trama, ficaram sem o devido desenvolvimento, deixando a ideia de que, definitivamente, o mundo gira em torno de Clea e Sage.
O novo enfoque da narrativa, que neste livro, apresenta também a visão, em primeira pessoa, de Rayna, a melhor amiga de Clea, ficou sem razão de ser e acabou sendo inútil para os fatos subsequentes, que ainda giraram em torno de Clea...
A mudança de ideal foi algo interessante, diversificando a busca pelo tão esperado final feliz do casal. Com a brusca alteração da personalidade de Sage, Clea precisa lutar por si e por ele, contando com a ajuda dos amigos de sempre. Infelizmente, ao final, todas as explicações necessárias com a conclusão da trilogia acabaram vazias e sem lógica. Ben, um dos personagens que mais me intrigava e por quem eu torcia, não teve um final digno, tendo uma alteração de personalidade desnecessária. Assim como ele pareceu um novo personagem, a história “pulou” de um momento tenso para o epílogo, que também deixou a desejar em vários quesitos.
De fato, não há nada de extraordinário, em momento algum. O que temos é uma finalização água com açúcar de uma narrativa fraca em argumentos, porém bonitinha.
Mais uma vez, por se tratar de leitura feita durante a maratona literária #EuSouDoideira, devo escolher uma música que possa ser associada ao livro e, portanto, escolho a antiga
Endlesslove, cantada por Lionel Richie e Diana Ross, que tem uma letra bem romântica.

site: http://ssentrelivros.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Mi 07/04/2014

Decepção
"True" é o ultimo livro da trilogia Elixir que teve um final de tirar o fôlego no seu ultimo livro "Devoted", mas o que era para ser um livro surpreendente acabou sendo uma decepção.
Diferente dos outros livros os quais eu amo incondicionalmente, True teve um desfecho fraco, uma narrativa chata e isso sem contar que muitas questões do livro ficaram sem explicação.
A Hilary não soube desenvolver á história e não nos tocou em nenhum momento. Tudo era muito rápido e a história ficou mais focada em Rayna e Clea do que em Sage e Clea.
Francamente, eu que esperava tanto desse livro e fiquei tão ansiosa para lê-lo que fiquei totalmente arrasada como á história terminou e se eu soubesse que ele é tão decepcionante, eu não deveria nem tê-lo lido. Deveria ter continuado com á "magia" que eu sentia nos outros dois livros da trilogia e continuar tendo á sensação de como essa trilogia era maravilhosa. 2 estrelas!
Naiane 21/02/2015minha estante
Concordo em tudo, muito coisa sem explicação!




21 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2