A Queda de Artur

A Queda de Artur J. R. R. Tolkien




Resenhas - A Queda de Arthur


19 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2


L Soares 24/09/2014

1 estrela para o organizador...
O livro tem umas 80 páginas, um poema de Tolkien sobre a lenda de Artur.

O poema é bacana, e se baseia em obras anteriores sobre Artur. Isso Christopher, filho do autor que organiza os seus livros, poderia ter dito em um capítulo de duas ou três páginas.

Bom, eu não sei o que passa pela cabeça do nosso pequeno Christopher (89 anos de idade, um menino). Talvez ache que um livro com um único poema e poucas páginas não venderia, sei lá. Se for isso ele subestima o pai.

O restante do livro, fora o poema, são páginas e páginas dos comentários dele sobre as fontes literárias e semi-históricas que parecem ter influência no poema. Há também uma explicação sobre o poema...

Quem gosta de Tolkien, tem muito menos páginas para ler no fim. A versão no qual Tolkien se baseia não é nem de longe minha favorita, mas a arte na escrita do poema está lá, como nos demais trabalhos de Tolkien. Mas eu sou suspeito para falar, sou fã dele e ponto.

Mas as explicações do filho são extremamente maçantes, para mim pelo menos, tornam o livro cansativo.


spoiler visualizar
comentários(0)comente



Gabriela 30/09/2018

Este livro traz a versão de Tolkien da lenda do rei Artur em versos aliterantes. Nesses versos não há rimas, mas repetição de sons dentro de um mesmo verso. Tolkien tinha uma paixão por esse tipo de verso, que era bastante usado em poesia do inglês arcaico.

Como vocês podem imaginar, recontar a história do rei Artur em versos aliterantes é uma missão bastante ambiciosa, talvez seja por isso que Tolkien resolveu que não iria contar a história toda e começou seu poema com Artur em uma campanha no continente, já depois que a traição de Guinevere e Lancelot foi descoberta e Lancelot estava exilado de Camelot. Então, como o próprio título do livro dá a entender, o foco é já na derrota e morte de Artur.

Esta edição traz, lado a lado, o poema original em inglês e a tradução em português feita por Ronald Kyrmse. Traduzir poemas já é difícil, porque além de traduzir o sentido é preciso manter a estrutura, então, imagine um poema com palavras do inglês arcaico! Mas o tradutor fez um ótimo trabalho, usando também palavras do português mais antigo, para manter a mesma atmosfera. Tentei ler em inglês, mas confesso que tive problemas com o vocabulário usado, então depois do Canto I, prossegui a leitura em português mesmo, só conferindo um verso ou outro em inglês.

O único problema com o poema é que ele está inacabado (para os fãs de Tolkien, isto não é uma grande surpresa), com um final abrupto em alguns versos rascunhados apressadamente. O que é uma pena, pois eu realmente gostei desta versão de Tolkien, e esta é minha única reclamação com o autor.

Já com o filho e editor, Christopher Tolkien, eu reclamo das "trocentas" páginas de conteúdo extra. Sinceramente, não vi necessidade em ter tantos comentários e comparativos longos e maçantes. A ideia por trás de cada seção (comparar o poema com outras versões da lenda arturiana; comparar o poema com outras obras do autor, particularmente o Silmarillion; mostrar o processo de criação e evolução do poema, etc.) era boa, mas a execução ficou muito longa, com detalhes que não são necessários e atrativos para o público em geral, caberiam mais em um trabalho acadêmico. Teria dado 5 estrelas para o livro se o conteúdo extra fosse reduzido pela metade.

site: https://bibliomaniacas.blogspot.com/
comentários(0)comente



Karol 25/06/2014

A Queda de Artur, J.R.R.Tolkien / Christopher Tolkien
Difícil falar sobre uma obra de seu autor favorito sem soar tendencioso, principalmente se a obra fala sobre lendas que lhe fascinam, o que cria uma certa empatia desde o início. Sim, A Queda de Artur é um livro fascinante e envolvente, que apesar de curto e inacabado, o poema desperta sensações e a forma de escrita aliterante nos transporta vivamente para para o conto, os sons, as emoções, a imersão nos versos e nas imagens formadas, o apego aos personagens e suas motivações é algo que ao mesmo tempo que é forte e intenso, também é sublime. O trabalho de pesquisa e estudo tanto do Tolkien como do Christopher foi com toda certeza difícil e laborioso para que o poema nos fosse apresentado desta forma. Tolkien foi muito minucioso e detalhista com relação as palavras e sua utilização na aliteração como nos mostra o Christopher no decorrer do livro, foi um processo difícil sim, porém belíssimo e encantador quando pronto. Vemos aí o grande amor e a dedicação que ele tem com a obra de seu pai. O empenho do Tolkien em usar as palavras e de montar cenários é envolvente. Faz-se necessário sim certa entrega e envolvimento com a obra no momento da leitura, para que esta seja apreciada em sua totalidade, tanto pela questão de vocabulário quanto de interpretação. Agradecimentos a Editora Martins Fontes pela apresentação do poema na sua versão original em inglês, cativante e engrandecedor para quem se aventurar na leitura. Uma nova versão do conto, em que Artur e não apenas ele, se encontra em seus momentos mais intensos e difíceis, daí toda a melancolia que permeia o poema. O que nos deixa sim, com aquele desejo de se ter o poema completo em nossas mãos, mas talvez a beleza esteja mesmo aí, no inacabado, e nos frutos e continuações de nossa mente e desejos. Uma linda maneira de nos transportar a época de Artur e seus cavaleiros.
comentários(0)comente



Rafa 02/09/2014

Não quero começar essa resenha espantando leitores, chamando o livro de chato. Mas é preciso que se avise: o livro é maçante. De toda forma, cada um tem seu gosto e seu estilo de leitura, e achar chato ou não vai de cada um. Este é um livro difícil no sentido de exigir uma concentração e paciência pra um estilo de poesia, chamada aqui de "aliterante". E curioso é que o poema ocupa menos de 1/3 de todo o livro que se compõe basicamente de observações, ensaios e muitas informações sobre a construção da poesia, incluindo uma referência ao Silmarillion. Lembrando também que o poema ficou inacabado, como algumas outras obras de Tolkien.
comentários(0)comente



Paulo Niedner 13/12/2020

Pesado em Conteúdo
Livro de extrema dificuldade de leitura dado que há muitos comentários acerca dos versos aliterativos.
Recomendado para quem deseja aprofundar o conhecimento nas origens da lingua inglesa.
comentários(0)comente



Vagner 16/11/2015

É Tolkien, mas de um modo diferente. Dito isto, aviso que não é qualquer um que irá conseguir se aventurar e se deliciar com A QUEDA DE ARTUR. Escrito em poesia aliterante ( o mesmo estilo do épico da literatura anglo-saxã Beowulf) e com um vocábulo estranho mesmo para os fluentes em inglês (Tolkien faz uso do inglês arcaico), o poema conta a história das campanhas do Rei Artur em terras estrangeiras a fim de unificar a Bretanha. Editado por Christopher Tolkien, este é mais um trabalho inacabado do professor Tolkien, que mesmo que a trama não ocorra na Terra-Média, e sim na Europa às portas da Idade Média; não há como não sentir o cheiro das folhas de Lórien . O texto em si é curto, e também mostra a traição de Mordred (nesta versão, sobrinho de Artur), a fuga de Guinevere de Camelot, e os tormentos de Lancelot em seu castelo. O restante do livro é uma espécie de "estudo" de Christopher sobre as influências que Tolkien teve ao escrever A QUEDA DE ARTUR, variações em outras de versões de diversos autores e ainda um apêndice sobre o inglês antigo. Christopher tem todo o direito de lucrar com o nome do pai, mas a maneira como fez neste livro me pareceu demasiadamente forçada. Entretanto, como disse no começo deste post, é Tolkien de um modo diferente, mas ainda é Tolkien que mesmo após mais de 40 anos de sua morte, continua encantando e surpreendendo seus leitores.
Patricia.Nogueira 16/10/2017minha estante
Me empresta sua resenha? ;) Adorei!




marcelgianni 13/08/2016

História de Artur em Poema
Não se trata de um resumo ou sinopse do livro (para isso basta pesquisar na web ou ver algumas outras resenhas postadas aqui), mas sim de um relato do que me chamou a atenção no livro, e que pode influenciar outras pessoas na sua decisão de lê-lo ou não. Sem o uso de spoilers, faço uma análise sucinta da obra, justificando minha nota atribuída.

Livro que traz um poema inacabado de Tolkien, sobre o Rei Artur e os Cavaleiros da Távola Redonda. Editado por seu filho, Cristopher Tolkien, é o último livro de Tolkien a ter sido lançado, em 2013. Particularmente, foi o pior livro que li do autor. A história em si, extraindo-se do texto, é boa, mas o texto está inserido em um poema aliterante do inglês antigo, em uma forma bastante erudita, o que faz com que a maioria dos leitores (que não curtem poemas) abandone a obra pelo caminho. Para quem gosta de poemas ainda consegue ler esse que, apesar da maestria de Tolkien, está inacabado. Termina por ser uma leitura incompleta. A segunda parte do livro Christopher traz algumas explicações acerca do poema, seu desenvolvimento e sua métrica. Confesso que esta parte apenas folheei (não me interessava uma história sobre a formação de poemas, mas sim vivenciar e sentir mais uma grande aventura do mestre da ficção fantástica do século XX. Não deu.). Um ponto positivo da editora foi ter trazido o poema na forma original ao lado da tradução para o português. Indicado somente para os ‘Tolkienmaníacos’ ou para os fãs de poemas.

site: https://idaselidas.wordpress.com/
comentários(0)comente



Bruce 19/02/2018

Esta obra de Tolkien narra sobre o fim da jornada de rei Artur. Descrita em um poema, são apresentados a versão traduzida e a original, bem como as adaptações feitas e algumas curiosidades. Apesar de Tolkien não ter terminado a obra, este livro nos ajuda a entender melhor como funcionava a mente criativa do autor.
comentários(0)comente



Naiana 20/04/2020

Tolkien há muito é o meu escritor favorito, tem um dom fascinante com as palavras que te leva longe. Não foi diferente em A Queda de Artur e seu poema é uma delícia de se ler. Dos capítulos seguintes, escritos por seu filho Christopher, hora me interessaram muito, hora os achei bastante confusos. É muito interessante ver o processo que composição do poema de Tolkien, suas referências, pesquisas e conhece mais sobre a lenda de Artur. Apesar das partes em que o Christopher se enrola (na minha opinião), vale a pena a leitura.
comentários(0)comente



Natalia (Vitória) Sousa 03/02/2021

Pense numa leitura diferente...
Poema escrito por J. R. R. Tolkien em versos aliterantes.

Estou considerando esse livro mais como um breve estudo sobre algumas das primeiras versões d'A queda de Artur.
comentários(0)comente



sophia 08/05/2014

A Queda de Artur, J. R. R. Tolkien
[...] ''A Queda de Artur'' é uma poesia aliterante que fala sobre o rei Artur Pendragon, traído por Mordred (que em todas as versões é ou seu sobrinho ou seu filho) que lhe usurpou a coroa e roubou sua esposa, Guineverve (que inclusive fugiu de Camelot), o poema também fala sobre a batalha naval que ocorreu na volta de Artur para sua Corte, a história de amor de Launcelot du Lake com a esposa do rei e, em uma parte da obra, ele cita o rompimento da Távola Redonda. Infelizmente, como disse antes, Tolkien não conseguiu terminar a obra e publicá-la em vida. [...]

site: http://ardentbookgeek.blogspot.com.br/2014/05/resenha-queda-de-artur-j-r-r-tolkien.html
comentários(0)comente



Ana Júlia 27/01/2015

Tentando não admitir que abandonei, mas não da pra negar..
O poema do Tolkien, assim como tudo que ele escreve, é memorável, porém pode parecer muito cansativo dependendo do interesse do leitor. Mas a necessidade dos comentários adicionados ao livro de seu filho, faz com que ele se torne muuuito pesado! Acho que tiveram medo de vender somente o poema.. Tentarei ler inteiro ainda, juro.
comentários(0)comente



Nat 18/09/2017

A expedição do Rei Artur a terras selvagens, a traição de seu sobrinho Mordred e a fuga de Guinevere, Sir Lancelot e o retorno de Artur a Grã-Bretanha. Um poema escrito e não finalizado por Tolkien em duas versões, inglês e português, com observações e notas muito explicativas de Christopher sobre a escrita do pai, as lendas arturianas que fundamentaram a criação do poema. O livro traz também a relação do poema não escrito com a obra cosmológica O Silmarillion e a evolução da escrita do poema em sua forma publicada.

Demorou, mas finalmente resolvi passar este livro para o topo da minha pilha interminável de livros a serem lidos. Publicado em 2013, o livro se divide em duas partes: o texto de Tolkien e as anotações de seu filho Christopher. O texto que intitula o livro, o poema sobre Artur, infelizmente é inacabado. As anotações de Christopher SEMPRE são o atrativo nestas publicações, não somente porque os textos do pai na maioria das vezes são menores ou, como neste caso, inacabado, mas porque Christopher fala em detalhes do que existe por trás da escrita do trabalho de Tolkien. Em A queda de Artur, a parte de Christopher se divide em 4 sub-partes: notas sobre o poema, análise sobre o mito de história do Rei Artur e as obras que vem retratando essa história ao longo do tempo, relação do poema NÃO escrito com O Silmarillion.
Eu confesso que fiquei meio louca quando cheguei na parte do Christopher, tive que voltar e reler o poema enquanto lia sobre análise do mito de Arthur, porque Christopher não somente menciona outras obras que já abordaram a história do rei Arthur como diz no que o poema do pai se assemelha e diferencia delas, indo e voltando durante a narração “cronológica” dos acontecimentos.
O livro traz também a evolução da escrita do poema e a relação do poema com O Silmarillion, a saber, a relação entre a ilha de Avalon do Rei Arthur e Avallónë, a cidade portuária da ilha chamada Tol Eressëa, e Númenor, a ilha que um dia havia sido o maior reino dos homens (dentro da literatura tolkeniana) e que afundou quando seus habitantes se tornaram ambiciosos demais (a semelhança de Atlântida). Christopher mais uma vez teve um cuidado e esmero absurdos em mostrar as semelhanças e diferenças relacionando as obras do pai com outras sobre o rei Arthur quanto relacionando a criação de Tolkien entre si. Completamente recomendado.

site: http://meucantinholiterario.blogspot.com.br/2017/09/a-queda-de-artur-jrr-tolkien.html
comentários(0)comente



Cris 27/02/2019

Texto incompleto, mas cheio de conteúdo extra
“Here free unfaded is the flower of time that men shall remember through the mist of years as a golden summer in the grey winter.” Pág. 18

Quando eu comecei a ler este livro, eu tinha uma outra ideia de como ele seria. Eu sou fã do Tolkien e ainda quero ler tudo o que ele escreveu, mas este livro me decepcionou bastante,

Trata-se de uma versão da História do Rei Arthur e dos cavaleiros da Távola Redonda contada por Tolkien no formato de poema. Esta é mais uma das obras inacabadas do autor, e que foi editada pelo seu filho, Christopher Tolkien.

O poema segue o estilo de versos aliterantes do inglês antigo e narra apenas uma parte da história de Arthur, em uma das batalhas que ele participa. A história tem luta, derrotas, vitórias, alegrias e traição.

O que eu adorei foi o fato de o livro ter sido publicado com o texto original em inglês e a sua tradução ao lado em português. O tradutor, inclusive, fez um excelente trabalho, porque imagino como deve ser difícil traduzir um texto desses. O próprio C. Tolkien não conseguiu publicar o texto completo por não conseguir identificar algumas palavras do manuscrito original.

Sobre o poema em si, que dá nome ao livro, ele ocupa pouquíssimas páginas. O resto do livro é só conteúdo extra do editor, que explica o texto de uma forma muito maçante. Ele poderia ter reduzido algumas explicações desnecessárias, por isso, não gostei tanto do livro.

Só recomendo mesmo pra quem é muito fã do autor e quer conhecer mais do seu trabalho, especialmente fora da Terra Média. E pra quem realmente gosta de estudar poesia e literatura inglesa.

“O que deixara a lealdade a serviço do amor e agora perdera o amor ansiando pela lealdade.” Pág. 252


site: https://www.instagram.com/li_numlivro/
comentários(0)comente



19 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2