Não Brinque Com Fogo

Não Brinque Com Fogo John Verdon




Resenhas - Não Brinque Com Fogo


39 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3


Erikinha 26/09/2019

Cara que livrao ....
Se tornou meu preferido da série, amo psicopatas inteligentes.


Calixta 13/05/2019

Não acorde o ?...
O livro é bom, prende do começo ao fim. A investigação é legal, você consegue entender as ideias tanto do vilão quanto dos mocinhos. Mas achei pecou durante o desenvolvimento, deixando a resolução para as últimas páginas trazendo uma sensação de que o autor quis se apressar para terminar o livro, mesmo os acontecimentos e decisões sejam plausíveis, pois, o autor nos encaminhou para o desfecho durante todo o livro.
comentários(0)comente



Alediane 01/04/2019

Esperei ..esperei
A história prende bastante..porém fica muito travada no desenvolvimento..e no final fica com muitas respostas faltando. Esperava mais do final ...ficou corrido.
comentários(0)comente



Janine 25/03/2019

Apenas ok
A vida pessoal dos personagens foi muito mais interessante do que o foco principal do livro. Se teve duas cenas que me realmente prenderam foi muito. Fora os vários erros de revisão. Esperava um pouco mais.
comentários(0)comente



Tati.Lima 24/10/2018

Muito bom
Esse livro foi muito bom...não dei 5 estrelas como os outros, não q eu não tenha gostado...eu gostei muito...é Dave Gurney, meu povo, o Sr. Super Tira ...a conclusão me surpreendeu sim...mas não foi tão perfeito como os dois primeiros...nos dois primeiros livros o final me deixou tão impactada q falei cinco palavrões...nesse eu falei apenas 4 palavrões...
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



leila.goncalves 15/07/2018

Não Acorde O Diabo
?Não Brinque Com Fogo" é o terceiro livro de uma série estrelada pelo detetive aposentado David Gurney. Com histórias independentes, você não precisa ter lido os volumes anteriores para entender esse caso, porém, se obedecida a sequência, sem dúvida, a leitura ganha maior interesse e profundidade, pois é possível conhecer melhor a vida do protagonista, um homem atormentado pela perda do filho pequeno num trágico acidente.

Através de uma hábil e enxuta narrativa, essa trama é considerada a mais difícil criada pelo autor, pois apresenta um assassino brilhante, capaz de cometer raríssimos erros, e David é uma personagem feita sob medida para enfrentá-lo. Racional e inteligente, ele resolve seus casos como quem monta um quebra-cabeças, encaixando com exatidão cada peça, o que torna extremamente prazeroso acompanhar suas investigações.

Um aspecto interessante é a importância das personagens coadjuvantes como o seu companheiro de aventuras, o detetive John Hardwick, e a esposa Madeleine cujo entendimento e intimidade na relação só o tempo é capaz de construir.

O que também chamou minha atenção, foi a habilidade do autor compor uma atmosfera de suspense com passagens de arrepiar. É impossível desgrudar os olhos do livro, temendo a qualquer instante, ouvir uma voz sinistra sussurrar ao ouvido: "Não acorde o Diabo..."

Aliás, essa é a tradução literal do título original, "Don't Let The Evil Sleep", muito mais coerente com a história do que a escolhida em nosso idioma. Confesso que não entendi...
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Thu 28/02/2018

Os livros do autor nos prendem do inicio ao fim
John Verdon consegue cativar o autor e manter preso até o final.... Aqui temos um policial que não consegue se manter afastado dos crimes, ele até tenta se mudar para o interior com a esposa, mas os crimes continuam indo até ele... Todos os livros contem crimes bem diferentes por assim dizer, e tudo vai se desenvolvendo e no final você fica com a sensação de ter lido um livro muito bom e que conseguiu te prender, gosto quando é assim... De todos os livros dele até o momento não consegui descobrir muito cedo quem era o bandido, como acontece com outros livros que logo no começo voce ja percebe quem é o autor...
gostei de todos os livros do autor, todos muito bem escritos e bem verossimeis. uma pena que as editoras não tenham publicado mais e não vem publicando muitos livros neste estilo..
comentários(0)comente



Monica 20/02/2018

Eu realmente não gostei dessa história.

Não consegui me apegar aos personagens, aliás achei a Kim muito chata e equivocada. Também não gostei do Dave Gurney. A única pessoa que consegui sentir um pouco de simpatia foi a Madeleine, mulher dele.

Não gostei da trama e só terminei de ler porque quando se trata de suspense policial, temos que pelo menos descobrir quem é o grande vilão. E nem posso dizer que o final não fez sentido, porque parei de me importar com a história bem antes dela acabar.

As últimas 100 páginas terminei de ler no esforço e fui pulando até chegar ao final. Melhor sorte da próxima vez... Dizem que os dois primeiros são melhores.
comentários(0)comente



Aventura de aprender 23/10/2017

Li essa série de uma vez na época, mas não lembro de todos os detalhes.

A base dos três livros é a mesma: Dave Gurney é um policial aposentado que foi morar no campo por insistência da sua esposa Madeleine que não gosta do trabalho dele. Entretanto, ele não consegue ficar parado e por isso sempre ajuda seu amigo Jack Hardwick a resolver casos complicados. O mais surpreendente, é que Madeleine mesmo não gostando é quem sempre dá as melhores pistas.

Os livros são muito longos e detalhados, mas prendem a atenção e não são cansativos. Entretanto, pela minha experiência em ler livros e ver filmes desse tipo nem todos foram tão surpreendentes quanto deveria.

Em “Eu sei o que você está pensando” descobri o assassino assim que ele apareceu no livro, mas não consegui decifrar a forma de ação. Em “Feche bem os olhos” identifiquei tanto o vilão quanto seu modo de agir desde o começo. Já em “Não brinque com fogo” não consegui descobrir o assassino até ser revelado, mas soube o modo de ação desde o começo.
Outro fator que me fez gostar muito dos livros foram as inúmeras citações e lições de vida. Anotei uma do primeiro livro do tanto que é marcante:

"Os problemas pessoais que mais nos incomodam, os que parecemos incapazes de deixar de lado, são aqueles em que representamos um papel que não estamos dispostos a reconhecer. É por isso que a dor permanece: porque nos recusamos a olhar para a fonte do sofrimento. Não podemos nos livrar da dor porque nos recusamos a olhar para o que nos prende a ela. A pior dor da nossa vida vem dos erros que nos recusamos a admitir, das coisas que fizemos e que estão a tal ponto em desarmonia com quem somos que não suportamos olhá-las. Viramos duas pessoas numa pele só, duas pessoas que não se suportam. O mentiroso e a pessoa que despreza mentirosos. O ladrão e a pessoa que despreza ladrões. Não existe dor como a dessa batalha que é travada furiosamente no nível subconsciente. Nós fugimos dela, mas ela foge conosco. Para onde quer que fujamos, levamos a batalha junto.”

Essa é a exata descrição que a Bíblia relata da luta do espírito contra a carne ou da nova natureza contra a velha natureza. Todas as pessoas tem essa luta em certa medida porque Deus nos deu a consciência e o desejo pela eternidade. Entretanto, nos não cristãos a guerra é externa porque o Espírito Santo busca convencer de fora, mas em quem já se converteu como Ele mora dentro de nós a guerra se torna interna e ainda mais intensa. Apenas para quem está em Cristo há possibilidade de Vitória mesmo a luta sendo ainda mais constante e perceptível.

“De maneira que agora já não sou eu que faço isto, mas o pecado que habita em mim. Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum; e, com efeito, o querer está em mim, mas não consigo realizar o bem. Porque não faço o bem que quero, mas o mal que não quero esse faço. Ora, se eu faço o que não quero, já o não faço eu, mas o pecado que habita em mim. Acho então esta lei em mim, que, quando quero fazer o bem, o mal está comigo. Porque, segundo o homem interior, tenho prazer na lei de Deus; Mas vejo nos meus membros outra lei, que batalha contra a lei do meu entendimento, e me prende debaixo da lei do pecado que está nos meus membros. Miserável homem que eu sou! quem me livrará do corpo desta morte? Dou graças a Deus por Jesus Cristo nosso Senhor. Assim que eu mesmo com o entendimento sirvo à lei de Deus, mas com a carne à lei do pecado.” Romanos 7. 17 a 25

site: https://aventuradeaprender.webs.com/apps/blog/show/44858444-livros-lidos-em-2014
comentários(0)comente



Vanessa 09/08/2017

Enrolado!
O livro é bom mas da metade em diante, parece que o autor se perdeu um pouco e enrolou muito para chegar a uma conclusão. Se o livro tivesse 200, 250 páginas, faria maior sentido.
comentários(0)comente



Romane 01/12/2016

Não brinque com fogo
O que eu digo sobre esse livro? Sempre tive vontade de ler um livro desse autor, mas nunca coube em meu orçamento, até o dia feliz em que entrei nas lojas Americanas e ele estava promoção. Só tive tempo de ler agora, e não me arrependi de ter comprado. Dei a ele 4 estrelas porque eu sou daquele tipo horrível de pessoa que compara livros, e eu achei ele muito lento em comparação com os do Harlan Coben, por exemplo. Além de conter descrições que para mim são desnecessárias e só arrastarem a estoria. Sem contar a tal da Kim que do meio pro fim eu tava odiando. Acho que tenho um problema com as mulheres dos livros, só pode. Mas resumindo o que acontece no livro. O Dave é um policial aposentado que ainda tem sequelas de um acidente sofrido há 6 meses. Ele tá afundado nisso. Sente dores direto, um zumbido na cabeça, e sem vontade pra nada. Eis que uma antiga colega dele pede que ele ajude sua filha jornalista (ou estudante de jornalismo, não me recordo bem) em um projeto sobre um caso antigo de um serial killer. Ele topa, e graças a isso a garota, ele, e sua família passam a ser perseguidos por alguém que tanto pode ser o desmiolado do ex-namorado dela, quanto o assassino voltando a ativa. E uma vez que ninguém quer dar ouvidos a eles, e ele é o único realmente preocupado em desvendar esses acontecimentos, ele mergulha de cabeça na missão de descobrir quem os está perseguindo, e desvendar os assassinatos que aconteceram tanto tempo atrás, pois pra ele existe uma grande lacuna na teoria do FBI (responsável pelo caso), motivo pelo qual ele precisa enfrentar não só essa ameaça desconhecida, como também os poderosos do FBI. Tá bom ou quer mais? Resumindo é isso. E sim, ele vale a pena, só que como eu disse, essas descrições que eu não precisava, pois não acrescentavam nada ao contexto, fizeram com que demorasse um bom tempo pra terminar de ler, o que fez com que ele perdesse uma estrelinha. Mas nada que vocês, pessoas normais (porque eu sou a estranha) não possam superar. Então é só isso gente. Fiquem com Deus e até a próxima.
comentários(0)comente



miny 30/08/2016

livro ótimo!
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



39 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3