Brecha em Nossa Santidade

Brecha em Nossa Santidade Kevin DeYoung




Resenhas - Brecha em Nossa Santidade


5 encontrados | exibindo 1 a 5


Larissa 26/06/2020

Esse livro vai te deixar contra parede. Profundamente bíblico e chacoalhador, indico.
comentários(0)comente



Annae 04/05/2020

Brecha em nossa santidade
Sinta-se confrontado, exortado e consolado com o pastor Kevin!
Somos fracassos espirituais, mas Jesus veio para salvar fracassos espirituais.

Ele diz:
?Amor não implica em aprovação incondicional. Amor requer a implacável busca do que é bom para nós. E nosso bem é sempre o crescer em santidade?

No entanto, ?Pastores de hoje já não sabem pregar as boas novas em seus sermões, e ao mesmo tempo, exortar vigorosamente os frequentadores das igrejas a se purificarem de toda corrupção do corpo e do espírito?
Exatamente, há, inclusive, àqueles que para não perder o irmão deixa de chamar atenção do mesmo, sendo conivente com sua conduta pecaminosa.

Daí o pastor Kevin traz uma série de questões e nos exorta a buscar a santidade e afastar-se do pecado.

?O simples guardar de normas não é a resposta porque santidade não pode ser reduzida a uma simples e pequena restauração ética?.

?O remorso se sente mal com nossos pecados passados. Arrependimento volta às costas aos pecados passados. O remorso se concentra na nossa conveniência. Arrependimento olha para Deus?

?Portanto, não existe o permanecer no amor de Cristo desassociado com o guardar dos mandamentos de Cristo.?

Mas, ele alerta:

?Esperar perfeição de nós mesmos ou dos outros nada tem a ver com santidade?

Kevin nos orienta sobre a necessidade de ser santos, ter arrependimento, lutar contra os pecados, ter comunhão com a igreja e acima de tudo com Jesus. Pois, somos todos pecadores incorrigíveis, mas somos amados graças a justiça imputada de Cristo.

Antes de finalizar, não entendi muito bem o ponto de vista do pastor quando faz uma suposição sobre a questão do álcool, ele diz ?Se estiver convicto de que a Bíblia aprova a ingestão de álcool com moderação, nesse caso você está livre para beber. Mas se ainda lhe causa aversão, você deveria se abster?.
Não sei dizer se se isto é uma orientação sobre algumas situações na vida do cristão, até porque tem uma galera que usa essa ideia de que pecado seria o excesso, querendo dizer que não havendo excesso em beber, roubar, matar, então, beleza você não está pecando. No meu humilde entendimento, independente de excesso, essas coisas contrariam os ensinamentos de Jesus. Nosso coração é enganoso!!! Se é uma orientação do pastor, não concordo com essa orientação!

Fim!
comentários(0)comente



Ju 20/06/2019

Por que Obedecer é Melhor que Sacrificar: Mas e o Santificar?
Assim como o autor apresentou, também tenho notado que sempre se formam dois grupos quando se aborda o tema santidade: os “puritanos”, legalistas, que acreditam estar em um mundo catastrófico e que a santidade deve retornar aos meios da igreja, e aqueles que acreditam que “Deus é amor” e que o primeiro grupo exagera e se perde tentando cumprir uma lei, tornando-se semelhantes aos fariseus dos judeus no tempo de Jesus na terra.
Será que essa é a representação da realidade? Onde se encontra a importância da santidade, que é tão mencionada na Palavra, que sem a qual ninguém verá a Deus? Teremos nós errado para mais ou para menos? O que de fato significa amar a Deus e ser amado por ele, sendo ele Santo?
É interessante notar como ele apresenta o centro do Evangelho: Comunhão entre Deus e o homem, e como a santidade é de fato importante. O processo do perdão, a obediência e o abster-se do mundanismo em tudo dando glória a Deus e se movendo em direção ao Senhor, sem, no entanto, se perder no orgulho sutil, mas desastroso que o desejo por santidade (sem ter em mente o fim correto – que é o de conhecer a Deus e dar glória a Ele). Ser santo também é levar Cristo: amar o próximo (sendo ele conhecido ou não, amigo ou não), ser agradável mesmo quando o meio em que está é árido; honrar aos pais, ser digno de confiança... são todas coisas que se manifestam, mas não por desejo de “parecer bonzinho”, mas como ações que surgem em decorrência do processo de comunhão com Deus e aprendizado com a Palavra.
Este livro foi lido em momentos pessoais difíceis e, particularmente os dois últimos capítulos, ajudaram-me bastante. A ideia central da aliança entre obediência e amor a Deus estarem intimamente ligadas ao processo de santificação, tendo em mente que o fim de todas as coisas é a comunhão com Deus foi revigorante. O pr. Kevin Young trouxe uma exposição muito boa, um coração sincero a respeito do que aprendeu com Deus por meio da Palavra (embora tenha achado alguns capítulos com as mesmas ideias – se tornando um tanto repetitivos – a maioria apresentou pontos diferentes que corroboraram com a argumentação do autor).
Não pretendo me estender mais. Creio que a leitura é muito boa e necessária. Soli Deo Gloria.
comentários(0)comente



KauA.Scanferla 09/01/2018

Brecha em nossa santidade
Livro que fala de como nós devemos viver em santidade. Gostei muito do autor, foi o primeiro livro que eu li do Kevin deyoung, de fácil interpretação e de linguagem simplificada.
Um ótimo livro recomendo. Nós cristãos devemos viver em santidade e esse ensina como e porque devemos ser santos.
comentários(0)comente



Lucio 06/02/2015

Brechas em minha santidade
Podemos acabar com o tempo desperceber das brechas em nós e acabando formando uma vista nada biblica sobre santidade. Nesse livros encontramos um bom começo para pensarmos sobre ela. De forma clara e leve Kevin caminha conosco e nos leva a ter uma visão mais clara do que as Escrituras fala sobre Santidade e como o Evangelho é central em nossa vida- em nosso crescimento da Santidade.
comentários(0)comente



5 encontrados | exibindo 1 a 5