O Que Me Disseram as Flores

O Que Me Disseram as Flores Alane Brito




Resenhas - O Que Me Disseram as Flores


36 encontrados | exibindo 16 a 31
1 | 2 | 3


Três Leitoras 01/12/2016

Resenha: O que me disseram as flores
Santigo e Afonso eram grandes amigos e as vésperas do casamento de Santiago eles fizeram uma promessa, seus filhos iriam se casar.

Muitos anos depois, Santiago permanece firme a esta promessa, principalmente após a morte do seu grande amigo, seu sonho é ver Ângela, sua filha, casada com William, único filho de Afonso. Mesmo a filha sendo contra este casamento, afirmando não ter se apaixonado pelo rapaz através das cartas que trocavam, ele não desiste desta ideia e agora está mais ansioso do que nunca para concretizar a sua promessa.

William apaixona-se por Ângela e desconhecendo totalmente a sua recusa, viaja ao encontro da sua futura esposa. Quando chega a fazenda, descobre a raiva que Ângela vem nutrindo por todo esse tempo, mas por sentir um amor grande e forte por ele, não se deixa abater e toma a decisão de conquistá-la. Porém, essa conquista não será nada fácil.




Amante das flores, ele se utilizará delas para se declarar diariamente para ela e ao mesmo tempo terá que lidar com todas as palavras ríspidas, raiva e ódio gratuito que Ângela lhe oferecerá. E ela faz tudo isso para que ele aceite de uma vez por todas de que ela não quer casa, fazendo com que ele desista da promessa e assim poderão seguir suas vidas.

Continue lendo no link

site: http://www.tresleitoras.com.br/2016/11/resenha-o-que-me-disseram-as-flores.html
comentários(0)comente



Larissa 21/06/2016

Blog Por Livros Incríveis
Editora Arwen
392 páginas

2015

Ângela foi prometida em casamento a William desde antes do seu nascimento, mas não é a sua vontade se casar com alguém que ela não conhece e sua missão é tentar convencer seu pai a desistir desse compromisso.
William acredita que a moça com quem se corresponde está apaixonada quanto ele e, assim, viaja até ela mas acaba não encontrando o que esperava.
Mas por conta do amor que cresceu mesmo à distância, William decide lutar para conquistar Ângela e para isso ele usa as flores para declarar o seu amor a cada dia.
Seria o amor verdadeiro capaz de transformar os sentimentos de outra pessoa?

"Sofrer não faz parte do amadurecimento? Se não existissem os sofrimentos, como descobrir a proporção de nossa força?"

Lá venho eu com mais um romance histórico alimentar o meu vício por amores do século passado. Conheci "O que me disseram as flores" através de dezenas de resenhas positivas que li em diversos blogs dos quais sou leitora e logo meu interesse brotou e não resisti em comprá-lo na primeira oportunidade que tive. Iniciei a leitura assim que o recebi e só parei quando virei a última página.

Devo confessar para vocês que de início a minha leitura foi um pouco decepcionante, já que o livro não era exatamente o que eu esperava, mas...

Leia mais em:

site: http://porlivrosincriveis.blogspot.com.br/2016/06/resenha-o-que-me-disseram-as-flores.html?m=1
comentários(0)comente



Elis 21/04/2016

As vezes tenho um problema com as leituras, estou conhecendo o livro e de repente eu paraliso ele, e começo outro. E isso já aconteceu algumas vezes. E nesse caso, creio que foi por ficar meio perdida no começo da leitura, pois começa falando de uma família que vai se mudar, a adolescente não quer ir por causa dos amigos, mas acaba sendo forçada. Ao chegar lá, ela explora a casa e encontra um diário, que contém a história de Ângela e William.

O engraçado é que parei bem nessa hora a leitura e pausei por uns bons dias, até que outra leitura me fez largar o livro e quando retornei para esse, devorei a leitura, não consegui parar, li até as 4:20 hs da manhã e fiquei moída no outro dia. Não consegui imaginar dormir, sem descobrir o final.

A oportunidade de ler essa obra veio em parceria com a amiga Greice do Blogando Livros, como leio alguns e-books, estou resenhando esse como colunista dela. Amiga, obrigada por essa história que é do jeitinho que eu gosto, foi um prazer ler.

Enquanto lemos, vamos descobrindo que nossa protagonista é muito imatura e mimada. Está certo que ninguém gosta de ser presa a uma promessa feita pelos pais. No entanto a paixão e a juventude nos deixam com o coração na mão. E é aí que nos rebelamos. A história se passa na época em que tínhamos todas aquelas famosas regras da sociedade e esse foi o diferencial na leitura. Pois se fosse na época atual, creio que não teria como se dar algo assim.

William é cortês e realmente apaixonado pela mulher que conheceu através de tantos anos de correspondência, o nosso problema é que ele ainda não sabe da desistência da sua noiva. Quando vai a fazenda conhecê-la pessoalmente e descobre que ela deseja não assumir o compromisso, ele decide tentar conquistá-la, mesmo sabendo que ela não quer, por isso os atritos são muitos. Eu queria entrar na história e dizer, larga dela...e fica comigo (risos). E o engraçado é que penso que muitas de nós agiriam de maneira semelhante ou até quem sabe mais cruelmente, para se livrar desse enlace matrimonial.

Felipe, Lilian e Leonardo, tem papéis importantes na história, já que os mesmos estão ligados ao casal, cada um a sua maneira. Conforme vamos conhecendo suas personalidades, ficamos felizes e apreensivos, pois essa obrigação de Ângela, pode estar perto de se desfazer, quem aguentaria tantos empecilhos e desaforos? Somente William, não conheço outro homem capaz. E por isso o admiro, afinal ele usa a linguagem das flores como uma das armas para tentar conquistá-la.

E nesse quesito que percebemos o quão parecidos eles podem ser. Cheguei a me arrepiar agora, afinal estamos falando de um romance. E como todo bom estilo, temos vários problemas até que cheguemos a parte feliz ou posso dizer, ao final. E que final. Creio que seria melhor dizer, o final do diário de Ângela que foi diferente, nos deixou uma lição de que temos de viver o hoje e torná-lo o mais feliz possível, pois jamais saberemos o dia de amanhã.

E uma ação, sempre terá uma reação futura. Cuidado com o que faz, pois pode ser extremamente triste, colher certos frutos no futuro. A história se passa em Belo Parque, cidade fictícia, em Santa Catarina, com idas a São Paulo de William. As viagens de trem, a festa, o convescote (piquenique) e idas a cidade nos carregam no tempo.

A escrita da autora tem alguns empecilhos, como algumas partes que nos deixam um pouco confusos, mas nada que atrapalhe o entendimento, afinal após entrar na história, ela te prende de uma maneira que ela não te largar, qualquer erro acaba por passar despercebido. Não sei, se disse tudo que eu queria, mas vou ficando por aqui. Se lerem a obra venham comentar comigo, terei o maior prazer em falar dela. E bem deixo minha recomendação de leitura a vocês. Ainda mais as pessoas que adoram atritos e personagens que amam provocar uma briga.

site: http://amagiareal.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Conchego das Letras 21/04/2016

Uma história deliciosa
Oi, gente! Tudo bem com vocês?



Hoje trago mais um livro da nossa linda parceria com a Editora Arwen - O que me disseram as flores, da autora nacional Alane Brito.



Eu sempre fico com medo de ler livros de época por conta da linguagem, mas preciso dar parabéns a autora que conseguiu escrevê-lo com o linguajar da época mas sem se tornar uma leitura cansativa.




O livro inicia no ano de 1909, na cidade de Belo Parque, em Santa Catarina, onde iremos conhecer a linda amizade entre Santiago Marques e Afonso Dantas. Dessa forte amizade surgiria uma promessa de que seus filhos iriam se casar para esse laço se fortalecer e perdurar para sempre. O que eles não imaginam é a dor de cabeça que essa promessa daria a eles... rsrsr



Depois que somos apresentados à promessa, o livro passa para os dias atuais, onde iremos conhecer Raquel, uma jovem que mora no Rio de Janeiro, ama sua vida, sua cidade e seus amigos. Após o falecimento de sua avó, precisa se mudar, mesmo contra sua vontade, com seus pais e seu irmão para a fazenda que ganharam de herança em Belo Parque.

Ao chegar na fazenda, Raquel se questiona como nunca tinha percebido o quão belo era aquele lugar e resolve dar uma passeio completo pela casa para conhecer e se familiarizar com todos os cômodos.

Neste passeio, ela encontra um quarto secreto, cheio de lembranças: roupas, bonecas, alguns objetos e um diário, que apesar de antigo estava em bom estado. Raquel é vencida pela curiosidade e resolve ler o diário... A partir daí a história retorna para 1933, onde vamos conhecer a história de Ângela Marques e William Dantas, os filhos dos amigos inseparáveis Afonso e Santiago, e saber se a promessa feita por eles será cumprida pelos filhos...

Ângela é uma menina querida, mas extremamente teimosa (até com ela mesma). De inicio, até aceitou cumprir a promessa, mas com o passar dos anos seus sentimentos por William mudaram, ela se apaixonou por Felipe, irmão da melhor amiga e não admite ter que se casar por conta de uma promessa e não por amor. Até certo ponto eu concordo com ela, mas quanto mais a história se passava e mais eu conhecia William mais eu queria que ela aceitasse cumprir aquela promessa.





Todos me julgam errada, mas como aceitar essa situação? Querem

que eu me case com um homem que não suporto, sem que eu possa

questionar, como se tivessem direito absoluto sobre mim...

William é um verdadeiro cavalheiro, um jovem lindo, com um coração mais lindo ainda, educado, respeitador e muito persistente... rsrs

Ao contrário de Ângela, a cada dia tem mais certeza de seus sentimento, desde pequeno aprendeu a amá-la, em nenhum momento ficou em dúvida em relação aos seus sentimentos e a promessa só é mais um ponto para ter certeza desse amor.

Os dois se encontraram apenas uma vez há muitas anos atrás, pois William morava em São Paulo. Comunicavam-se apenas por cartas até que finalmente William consegue ir passar um tempo na Fazenda para conhecer mais Ângela e oficializar o relacionamento dos dois.

Será que ele irá conseguir "domar a fera"? Será que um grande amor é realmente capaz de suportar tudo?


Por que não consigo odiar a quem devo e amar a quem preciso?

Ao longo da leitura vamos entendendo perfeitamente a origem do nome do livro e eu sinceramente achei uma ótima escolha e me encantei!

Eu amei a história, mas duas coisas me fizeram não dar nota máxima: primeiro, a teimosia de Ângela que em muitos momentos fazia eu sair do encantamento da história e ficar com vontade de dar uma boa surra nessa menina; e, segundo, bem, eu não posso contar o segundo porque se eu falar será spoiler, mas posso assegurar que quis matar a autora naquele momento. rsrsrs


Bom, é isso. Espero que tenham gostado.
Beijos, até a próxima.

RESENHA FEITA PELA COLABORADORA BRUNA MEDEIROS.

site: http://conchegodasletras.blogspot.com.br/2016/04/resenha-o-que-me-disseram-as-flores.html#more
comentários(0)comente



Mari 10/01/2016

Surpreendente
O livro começou me conquistando, tanto que parei a leitura para tirar uma foto e postar no instagram correndo. Eu adoro livros que se passam em outras épocas e gosto, em especial, dos livros que mesclam tempos diferentes, o presente e o passado, porque adoro acompanhar a história de uma mesma família por alguns anos.

A história começa em Belo Parque, Santa Catarina, onde dois melhores amigos solteiros planejam o futuro dos filhos que ainda não existiam. A amizade era tamanha que o desejo dos dois era unir os filhos em casamento. Promessa feita, bastava agora esperar o nascimento da futura geração.

E assim, Willian e Ângela nasceram e cresceram com a consciência de que estavam prometidos um ao outro. Mesmo que nunca tenham se encontrado pessoalmente, trocavam cartas com frequência, até que o improvável aconteceu: Ângela se apaixonou por outro rapaz.

Willian, disposto a reconquistar o coração da noiva, viajou até Santa Catarina e se hospedou em Belo Parque, com a esperança de que, estando próximo, Ângela percebesse que a promessa não poderia ser quebrada, uma vez que o amor dele por ela já estava mais do que consolidado.

A história é linda, me peguei envolvida com o livro sem querer colocá-lo de lado momento algum e fiquei com uma dorzinha no coração quando a história chegou ao fim.

Willian foi um personagem criado com perfeição pela autora para que nós, leitoras, nos apaixonássemos. Bonito, seguro dos seus sentimentos, educado, talentoso e diversas outras qualidades que justificam a escolha de Santiago para marido de sua filha, Ângela.

Ângela, por outro lado, não me conquistou nem um pouquinho, era mimada, infantil, inconsequente e diversos outros defeitos que justificariam o retorno imediato de Willian para São Paulo e a quebra da promessa. Mas ele não foi.

Preparem-se para ter o coração quebrado em um milhão de pedacinhos quando acompanhamos a estadia de Willian na casa da família de Ângela. Ela, para demonstrar o quanto a promessa a desagradava, fez da vida de Willian (um personagem tão apaixonante) um verdadeiro inferno. Eu não acreditava no que os meus olhos estavam lendo e na capacidade da personagem de fazer os outros sofrerem. A cada página gostava menos dela e adicionava mais uma característica à listinha de Willian: bobo, pois aguentava calado cada uma das alfinetadas de Ângela, e não foram poucas.

Os personagens secundários foram bem desenvolvidos e tiveram uma boa participação na história: os pais de Ângela, os empregados da fazenda em Belo Parque, os vizinhos e amigos e Leonardo, o pivô de grande parte das brigas.

O final é complemente surpreendente, fiquei de queixo caído com a coragem da autora em finalizar o livro daquela forma. O final foi o que eu menos gostei (depois de Ângela, claro), mas não posso negar que fez com que a história fugisse do óbvio.

Recomendo a todos que, assim como eu, gostam de ler um romance, principalmente os de época. O livro traz pequenas pinceladas dos anos atuais, quando a nova geração da família chega na fazenda que, no século passado, foi habitada por Ângela e seus pais e acabam encontrando o diário e demais pertences da jovem.

Esse foi o primeiro livro que li da Editora Arwen e gostaria de elogiar a edição, com detalhes coloridos nas páginas, deu para perceber que tudo foi feito com muito carinho para o leitor.

Espero que gostem e que anotem a dica. Se alguém leu, por favor, me conte se também morreu de raiva com o final, mas sem spoiler, hein!! Rsss!!

site: http://www.cantinhodeleituradamari.blogspot.com.br/2016/01/resenha-o-que-me-disseram-as-flores.html
HELO 29/11/2017minha estante
Quando estava quase no final do livro deu vontade de jogar ele longe. Amei o livro só não entendi o motivo do desfecho. Se os outros livros da autora serão com esses finais jamais lerei outro.




Bruna 02/01/2016

As flores dizem mais do que se imagina
Ao iniciar a leitura você percebe que tem tudo para ser a típica história que fará as mulheres suspirarem, mesmo que no entanto o contato com os primeiros personagens não seja os protagonistas da maior parte dela ao mesmo tempo que estão diretamente envolvidos. Em um dia aparentemente normal dois rapazes se encontravam presentes na igreja, ou teoricamente deveriam estar. Santiago, filho único de uma renomada família, estava junto com seu melhor e inseparável amigo Afonso nos bancos da igreja quando este o cutucou chamando sua atenção para se levantar uma vez que a maior parte ele passará dormindo. Contrariado, Santiago se levantou e foi junto ao amigo receber a hóstia, mas o que ele não imaginava era encontrar naquele momento a moça capaz de lhe roubar o coração.

“Nada pareceu diferente, até que girou o pescoço na direção das pessoas próximas do altar e seus olhos fixaram-se num desconhecido perfil. A beça moça eventualmente o olhou por mínimos segundos quando uma senhora às suas costas lhe falou algo.”
(página 14, O que me disseram as flores.)

Encantado com a beleza da moça que avistou, Santiago faz de tudo para conhecer o anjo que lhe conquistou. Após semanas de procura pela moça que mais tarde ele descobrirá se chamar Elisa, finalmente o destino lhe permitiu conhece-la e a partir de então um grande amor foi formado. E juntamente a um casamento, ou melhor, dois casamentos dos melhores amigos inseparáveis desde a infância, uma promessa foi feita. Para que sempre prevalecesse a amizade dos dois, juraram um ao outro que seus filhos se casariam oficializando dessa forma um pertencente a família do outro.

“ – Está tudo confirmado, com toda certeza. Meu filho se casará com sua filha ou minha filha com o seu.” (página 20, O que me disseram as flores.)

Esperando saber o que irá acontecer após tal promessa o leitor é surpreendido ao se deparar com uma mudança de tempo, que agora se passa no Rio de Janeiro nos dias atuais onde conheceremos novos personagens que tudo terão haver com a primeira parte da história. Raquel é uma jovem de quinze anos que se encontra inconformada com a decisão da família de se mudar para a fazenda da família. Fazendo de tudo para evitar ter que mudar ela argumenta com seus pais de qualquer forma para permanecer ali, mas de nada adianta, a família está decidida a ir para essas terras cuidar da herança deixada para eles.

Sem alternativa ela parte para a fazendo junto a seus pais e seus dois irmãos, mas ao contrario do que ela pensava, ao chegar lá ela se encontra com um lindo cenário a fazendo lembrar de toda a beleza que o lugar possui. Já mais conformada, Raquel parte em uma exploração pela casa e descobre um lugar escondido repleto de coisas antigas e dentre elas: um diário.

“Hoje eu tenho dezoito anos, meus pais se chamam Santiago e Elisa Marques. Tenho um irmão mais velho que eu, prestes a completar vinte e dois anos. Seu nome é Gerson...” (página 32, O que me disseram as flores.)

Até então ela não sabia de quem se tratava o diário cujo nome ali presente nada significa, afinal, quem era Ângela Marques, sua parente, e porque ela nunca havia escutado falar dela? Ao descobrir então de quem era filha é que lhe vem a memoria a história da família e consequentemente a história da promessa (exatamente a retratada aqui antes). É então que nos é dada finalmente a oportunidade de conhecer os protagonistas mais importantes e cuja história o livro irá revelar, a história de amor (ou não) de Ângela e William que foram prometidos um ao outro mesmo antes de nascerem.

Ângela é uma menina fútil e o tipo de protagonista que irrita, ela pensa apenas em si mesma e não liga para os sentimentos dos outros e isso pode-se notar por um simples fato: por orgulho ela não aceita se casar com um homem a quem foi prometida apenas pela vontade de seus pais. E mesmo sem os dois se conhecerem, é possível notar que o rapaz nutre um grande sentimento por ela, o que se revela ainda mais verdadeiro no primeiro encontro dos dois que diferente do que ele achava não é nada caloroso.

William chega a fazendo para oficializar o noivado há tanto tempo combinado e o qual tanto anseia, o que ele não sabia é que já fazia algum tempo que Ângela estava determinada a não se casar com ele. Ele é o típico jovem que chama a atenção pela beleza e o mais gentil e nobre ao se referir a ela cheio de sentimentos, no entanto a única coisa que encontra é repulsa e uma garota determinada a tornar sua estadia cruel e insuportável a ponto dele desistir de casar-se com ela.

“William repetiu o que havia dito para Santiago quando fora visitar seu pai pela última vez: que desde criança tinha consciência de com quem haveria de se casar e, que mesmo só a tendo visto uma vez pessoalmente, há tempos há havia aprendido a amá-la.” (página 48, O que disseram as flores.)

É então que uma batalhe entre os dois irá começar. Ela determinada a fazer qualquer coisa para que ele desista de tal ideia e ele obstinado a não deixar com que ela o convença a desistir daquela a que sempre amou e cuja promessa fez a seu, agora já falecido, pai de casar com ela. Qual dos dois irá ganhar? Só lendo para descobrir, mas uma coisa é certa: muitos obstáculos irão aparecer pelo caminho e os dois irão acabar descobrindo coisas que jamais imaginariam. Com a ajuda das flores, William irá tentar a cada dia demonstrar o que ela significa para ele e o que suas atitudes fazem com que ele se sinta, e ela irá tentar a todo custo ignorar o que essas flores começam a significar para ela. O desfecho? Ai você terá que ler para descobrir o que as flores irão dizer para você ;)

“ – Ângela!
Ela voltou, curiosa.
- Entende a linguagem das flores?” (página 62, O que disseram as flores.)

Uma história linda de amor, que mostra que quando se ama para valer não se desiste não importa o que aconteça. Prepare-se para amar, odiar e até se emocionar durante a história e o mais importante, você jamais verá as flores como simples flores depois dessa história.

Bom, eu amaria falar e falar sobre essa história, mas ai acabaria dando spoiler para vocês e jamais faria isso. Só posso dizer que amei e tenho certeza que se gostou do que viu aqui irá amar a leitura, mas já aviso que ela é altamente viciante e depois que se começa parar é impossível (prova disso é que li em 1 dia o livro).

site: brookebells.com
comentários(0)comente



Lu 01/01/2016

O livro começa contando a história dos pais de Ângela e como foi o amor arrebatador dos dois. Infelizmente, a história dos dois foi uma narrativa muito corrida, mas foi bem gostoso conhecer a história dos dois. O pai, ainda antes de se casar, prometeu ao melhor amigo Afonso, que seus filhos iriam se casar, independente de quem tivesse menino ou menina.

Então, o livro pula para os tempos atuais, onde uma garota chamada Raquel, se muda com a família para Belo Parque e, fuçando a casa nova, Raquel encontra um diário e a curiosidade a fez abrir o livrinho e era o diário de Ângela Marques, uma parente. Bom, então começa a história propriamente dita e somos apresentados a Ângela, uma personagem mimada, irritante e extremamente imatura, que não sabe lutar contra as adversidades ou opiniões alheias que não condizem com as suas. Ninguém podia discordar de Ângela sem que ela tivesse uma atitude extremamente infantil.

Já Willian, filho de Afonso e prometido a Ângela mesmo antes de nascer, é o que eu defino como banana. SIM! Ele passa o livro inteiro apaixonado por Ângela e querendo conquistá-la com absolutamente tudo, mesmo que a garota pise nele com todos os sapatos do armário, Willian continuava querendo provar seu amor para Ângela e esperando, loucamente, que ela o amasse de volta.

Quando você lê a frase acima logo no começo do livro, acha que vai encontrar uma história de amor arrebatadora, daquelas que te prendem do começo ao fim, mas não é bem assim que as coisas se desenrolam. É perceptível desde o inicio do livro o que vai acontecer, como as coisas acontecerão e como será o desfecho do livro, mesmo que a escrita da Alane seja uma delicinha.

Confesso que "O Que Me Disseram as Flores" só ganhou três estrelas pelo final, porque não senti pena alguma de Ângela, acho que ela recebeu o que plantou, foi muito merecido, mas mesmo assim, no final, com tudo o que aconteceu, ela ainda se mostrou uma garota mimada, nada amadurecida. O livro nos faz pensar muito sobre os nossos atos e as consequências deles que podem refletir mais tarde, tudo o que vai, volta.

Se você gosta de romances água-com-açúcar (o que não é nada ruim), finais previsíveis, um nome que tem muito significado durante toda a história e um personagem banana apaixonável, "O Que Me Disseram as Flores" é o livro para você e aquele domingo chuvoso-preguiçoso.

site: http://lumartinho.blogspot.com.br/2015/11/o-que-me-disseram-as-flores-alane-brito.html
comentários(0)comente



Paraíso das Ideias 29/12/2015

Olá galerinha! Tudo bem com vocês?
Hoje venho contar para vocês sobre um livro intenso que li no mês passado, "O que me Disseram as Flores" da nossa parceira Arwen.
Nele encontramos duas histórias sobre duas adolescentes, separadas por séculos: Rachel e Ângela.

Rachel está mudando com seus pais para a fazenda da família, como toda adolescente da metrópole, não está satisfeita em deixar sua vida habitual para viver no campo. Ao chegar na fazenda Rachel encontra um diário, que nos revela a história de Ângela Marques.


Em 1909, Elisa e Santiago conheceram-se, e pouco depois, acabaram se casando. Alguns dias antes de seu casamento, Santiago firma uma promessa com Afonso, seu melhor amigo, seus filhos, quando crescerem casarão, eternizando a amizade dos pais. Ângela foi prometida a William antes mesmo de eles nascerem, e, quando Afonso morreu, Santiago ficou ainda mais determinado a cumprir a promessa que fizera ao amigo, obrigando Ângela a casar-se com William.


Mas claro que Ângela não aceita essa situação, quando criança trocava cartas com Willian, mas depois que se apaixonou por Felipe, irmão de sua melhor amiga, desiste de cumprir a promessa feita por seu pai.


Willian não sabendo da desistência de Ângela, nutri seu amor por ela durante anos, e quando chega a cidade para conhece-la, para sua decepção Ângela o ignora e começa a trata-lo com desprezo e muitas vezes crueldade.
''O que ela insinuava não saber era que essa batalha pouco a pouco se tornava mais difícil de ser vencida. Suas palavras pareciam flechas em chamas o atingindo, causando-lhe uma dor lancinante em sua alma. Era inexplicável ver a mulher por quem nutria tanta afeição tratá-lo como um ser insignificante, como se ele não tivesse sentimentos, como se fosse imune aos golpes quase mortais em seu coração.''
Ângela quer que Willian desista de se casar com ela, por isso apronta muito, o faz e gato e sapato, humilha, maltrata, destrata. Em muitas vezes tive vontade de esganar a Ângela, por fazer o Willian sofrer e mesmo assim, ele sempre esteve disposto a realizar seus caprichos e vontades, tentando conquistar o coração de sua amada.

Em um emaranhado de emoções o leitor vai rir, chorar, odiar, amar e torcer pela felicidade dos personagens principais. O livro nos pega de surpresa e nos arrebata por dentro por conta da forma como a autora soube mexer com nossos sentimentos. Eu gostei do livro, conseguiu me prender com a narrativa, os cenários, figurinos, diálogos, são muito bem descritos fazendo nós leitores nos transportar para o passado.

Mais que um romance, "O Que Me Disseram as Flores" é uma lição de vida, sei que parece totalmente clichê o que eu acabei de dizer, mas é mesmo verdade, a trama vai além do esperado e nos deixa perplexo com o fato de que algumas atitudes impensadas, imaturas e irresponsáveis podem mudar nosso destino definitivamente.

site: http://paraisodasideas.blogspot.com.br/2015/12/resenha-o-que-me-disseram-as-flores.html
comentários(0)comente



Clube do Livro 15/11/2015

Lindo, sensível e poético
Um diário pode guardar grandes histórias, revelar alguns segredos e sentimentos muito particulares de quem o escreve.
Imagine encontrar um Diário de quase cem anos e junto a ele diversos outros objetos que anunciavam terem pertencido a uma jovem que vivera a mais linda história de amor que se possa imaginar.

Estava tudo ali, nas páginas daquele Diário. E foi quando Raquel abriu aquelas páginas datadas a 1933, que adentramos na bela história que nos conta o livro "O que me disseram as flores".
..
Ângela havia sido prometida em casamento, antes mesmo de nascer. Isso, por conta de um acordo do seu pai com o melhor amigo. Juraram que assim que tivessem filhos (menino e menina), os casariam.
A menina cresceu sabendo dessa condição, tornou-se uma linda e teimosa jovem, sempre relutante em aceitar o casamento arranjado. Para ela, era inaceitável que os pais não permitissem que ela própria escolhesse com quem se casaria. Jamais aceitaria! Estava convencida disso.
Já o noivo, cresceu feliz com a escolha do pai, sonhando com o dia que finalmente conheceria Ângela, por quem aprendeu a nutrir grande amor.
Quando enfim conhece o noivo, que apareceu na Fazenda onde morava para passar algum tempo, conhecer a noiva e formalizar o pedido de noivado, Ângela faz de tudo para provocá-lo, humilhá-lo a fim de que ele fosse embora e desistisse daquele acordo.
(Confesso que tive raiva da personagem por muitas vezes, tamanho carinho e amor que o noivo tinha para com ela e sua forma fria de tratá-lo).

Porém, ao conviver e conhecer melhor o belo jovem William, o coração de Ângela começa a dar sinais de fraquejar com seus planos.
Você entende a linguagem das Flores? Ele diz para era. Em uma das cenas mais lindas descritas no livro.
Cada flor tem um significado especial para o casal e a simbologia que aquelas flores representam constituiu grande esplendor a esta obra.
O caso é que ao contrário de Angela, o jovem William entrega-se ao sentimento, não esconde o grande amor que o toma por completo.
Além do amor de William por Ângela temos outros amores e desamores nesta obra. Alguns não correspondidos, outros libertadores, alguns dos mais perigosos que se possa imaginar, daqueles que beiram a loucura.




"O que me disseram as flores", foi simplesmente um dos livros mais lindos que já li. Isso porquê é de uma beleza e poesia ímpar. Delicada, e ao mesmo tempo provocadora, a obra nos desperta sentimentos contraditórios e muito humanos.
Senti o amor de William por Ângela. Senti doer em mim cada palavra de desdém por ela proferida até que enfim entendesse e aceitasse aquele grande amor em sua plenitude, até que... (não posso revelar rsrs).
..
O livro é simplesmente apaixonante, e também viciante. Não recomendo que o leia à noite se não quiser virar a madrugada acordada(o) (Fica a dica).

Resenha Amanda Bonatti

site: http://clubedolivro15.blogspot.com.br/2015/11/resenha-o-que-me-disseram-as-flores.html
comentários(0)comente



Dryh 24/10/2015

"Se a consequência de amar demais é ficar abobalhada, que eu me torne uma demente"
Meu coração me alertou que eu estava diante de alguém que mudaria a minha vida. Confesso senhorita Elisa, estou loucamente apaixonado por ti. – página 18

Em 1909, Elisa e Santiago conheceram-se, e pouco depois, acabaram se casando. Alguns dias antes de seu casamento, Santiago firma uma promessa com Afonso, seu melhor amigo e padrinho, onde eles prometem que seus filhos, quando nascerem e crescerem, casarão entre si, eternizando a amizade dos pais.
— Que a promessa seja realizada!

Mais de um século depois, Raquel e sua família estão mudando-se para a Fazenda Pinheiros, para o descontentamento da moça. Lá ela encontra um diário pertencente a Ângela Marques, filha de Santiago e Elisa. A partir daí, somos enviados novamente para o passado, onde conhecemos Ângela e William, seu pretendente, e filho de Afonso.

Ângela é uma garota irritante que foi prometida a William antes mesmo de eles nascerem, e, quando Afonso morreu, Santiago ficou ainda mais determinado a cumprir a promessa que fizera ao amigo, obrigando Ângela a casar-se com William. Mas, acontece que Ângela não quer se casar com William, ela o odeia pelo fato de o rapaz também querer cumprir a promessa do pai, e faz de tudo para magoá-lo e tenta fazer com que ele desista do noivado, e isso inclui ser insuportavelmente chata. Não sei quantas vezes eu torci para que William desistisse de conquista-la e fosse embora, em busca de alguém que realmente gostasse dele, deixando Ângela sozinha com sua amargura. Mas é claro que William era bom demais para ser verdade, e a promessa de seu falecido pai significava muito para ele.

A personalidade de Ângela me irritou muito. Entendi que ela tinha o direito de ficar brava, afinal, estavam obrigando-a a se casar. Mas o cara era um príncipe plantador de flores meu deus! Até uma mulher durona se derreteria por ele. Se William fosse um cara ruim, aí sim Ângela teria motivos de sobra para odiá-lo, mas ele era praticamente um anjo! Poxa vida, o cara havia se apaixonado por ela antes mesmo de conhece-la totalmente, e estava determinado a lutar mesmo quando não lhe havia sobrado nenhuma esperança. Deveria ganhar um crédito, né?

Convencia-se com fervor de que seria capaz de se entregar ao amor de qualquer homem, menos ao dele.

Maaas... Como eu disse antes, William é bom demais para ser verdade, e seu jeitinho maravilhoso de ser, de alguma forma, terá que derreter a armadura de Ângela. O bom é que o livro não é previsível, então imaginar as mais terríveis coisas acontecendo com os personagens é constante...haha’ eu estaria mentindo se dissesse que não morri de medo da autora em alguns momentos, e mentiria ainda mais se dissesse que não suspirei em outros.

“Por que não consigo odiar a quem devo e amar a quem preciso?”

Posso jurar que senti uma parte de mim se quebrar quando o livro acabou, e, mesmo depois de já tê-lo finalizado, ainda sentia como se Ângela e William estivessem aqui comigo. Acho que nunca senti tanta falta de um personagem quanto senti desses dois (em especial por William), estou me sentindo um pouco idiota por me sentir de luto pelo fim do livro, mas é isso aí.

O que me disseram as flores é um dos livros mais lindos, fofos, emocionantes e maravilhosos (não estou exagerando nos elogios) que eu já li, e eu simplesmente não sei mais o que dizer, pois o livro comeu minhas palavras. Não posso falar mais para não contar muito, e não vou mais dizer quão órfã eu estou me sentindo neste momento, mas vou elogiar a autora. Alane, você tem mãos de fada, e ler mais livros seus me faria muito feliz, viu?

O que me disseram as flores é um romance maravilhoso, nem um pouco previsível e deve ser lido com uma caixa de bombons ao lado, junto com lencinhos de papel. É um livro que eu leria e releria constantemente, pois é uma história que eu amei conhecer, e posso dizer que me apaixonei perdidamente por ela ♥

"Se a consequência de amar demais é ficar abobalhada, que eu me torne uma demente"

site: http://shakedepalavras.blogspot.com.br
Alane Brito 26/10/2015minha estante
Eu que fiquei apaixonada por sua resenha e sem palavras agora, Dryh! Que coisa mais linda!! *o* Obrigada!! Espero que eu tenha o prazer de ter todos os meus livros lidos por você!!

Beijão!!!!!




Gramatura Alta 28/09/2015

Tocante
Hoje, promessas de casamento entre filhos de famílias diferentes, para confirmar a amizade ou para selar negócios, não possuem o mesmo peso que há cem anos atrás. E, mesmo nessa época, elas quase sempre causavam a tristeza do casal diante da incompatibilidade sentimental. Não é diferente entre Ângela e William. Prometidos em casamento pelos pais, Santiago e Afonso, o casal entre em conflito já nas primeiras páginas da obra de Alane Brito.

Ângela é apaixonada por Felipe, e mais tarde por Leonardo, e se recusa a casa com William. Mas este, é apaixonado por Ângela, devido à troca de cartas quando adolescentes e após. Mas o que William desconhece, é que quem respondia as cartas era Santiago, com medo do desafeto do jovem por descobrir que Ângela o renegava. Na verdade, não existe um real motivo para a antipatia da Ângela por William. A sensação que passa, é que ela recusa o interesse afetivo apenas por birra, para manter sua vontade de escolher quem deseja para esposo.

Entretanto, William é perseverante e insiste na conquista da moça. Mesmo tendo que suportar humilhações e respostas da língua afiada de Ângela. Ela, para desmotivá-lo, promete se casar caso ele consiga cultivar um jardim estéril com flores. Ele, obviamente, parte para a tarefa julgada impossível por Ângela.

"Ângela arregalou os olhos, levando as mãos à boca, vendo-o despencar. Quando, enfim, chegou ao chão, ela aguardou que se levantasse. No entando, ele não se movia. Chegou a descer um pouco para verificar seu estado à distância, mas acabou dando meia volta e correu, se trancando no quarto."

O que me disseram as flores, aproveita o velho ditado das paixões trocadas. Lilian ama William, que ama Ângela, que ama Felipe. Quando Felipe descobre da promessa feita pelas pais dos jovens, ele desiste do amor de Ângela e se conforma. Ela, ao invés de tentar gostar de William, começa a usar Leonardo como interesse romântico. E aí, entra outra dura lição da vida.

Às vezes, amamos uma pessoa que se recusa a aceitar o sentimento. Por mais que façamos, não recebemos em troca aquilo que oferecemos. O que nos resta é prosseguir nas tentativas, com a vã esperança de conseguir moldar o coração da pessoa amada, mas nem sempre conseguimos, e o que recebemos em troca é apenas a indiferença ou a compreensão, o que machuca da mesma forma. Também às vezes, a pessoa amada não merece o amor oferecido, e, nesses casos, não há esperança para a conquista. O melhor que se faz, é retomar o caminho para longe desse sentimento.

"Sem dizer nada, ele deu-lhe as costas e saiu portão afora. Ângela ficou parada no mesmo lugar, consternada. Só quando percebeu as suas roupas se encharcarem por causa da chuva foi que tomou a iniciativa de entrar em sua casa. Correu para o quarto e arrancou o vestido, se encolhendo dentro da banheira vazia e chorando amargamente."

Cabe ao leitor descobrir, nas páginas do livro, a qual dos dois casos Ângela pertence, e se William conseguirá o que tanto almeja. Além dessa lição, existe uma outra, mais dramática de se aprender. Não se deve brincar com os sentimentos de uma pessoa. Eles são o que possuímos de mais pessoal e bonito. Mas, se golpeados com promessas que se tornam vazias diante da realidade, esses sentimentos podem se transformar em algo odioso e doentio. E o resultado dessa transformação, pode ser definitivo para o destino das pessoas envolvidas.

Por fim, existe a mais dura lição: mesmo quando conseguimos compreender o que sentimos, quando, finalmente, enxergamos o quanto a pessoa que nos ama faz falta em nossa vida, quando deixamos o sentimento por essa pessoa sair do fundo do coração e aceitamos o que não queríamos enxergar, e podemos finalmente ficar lado a lado, pode ser tarde demais. A vida é breve para todos e não se deve desperdiçar nenhum momento, nenhum sentimento, nenhuma ligação, por capricho, orgulho ou qualquer sentimento negativo.

Assim, O que me disseram as flores entrega uma história cheia de lições sobre escolhas difíceis, que não podem ser desfeitas e que entregam o destino de quem abusa da individualidade de forma triste e definitiva.

site: http://thehouseofstorie.blogspot.com.br/2015/09/resenha-o-que-me-disseram-as-flores.html
comentários(0)comente



Liliana Mathias 27/05/2015

Flores do bem ou do mal?
Um romance super bem escrito. Alane tem o dom de nos envolver desde a primeira página. Não conseguia parar de ler e pensar sobre a trama. Entrou para a lista dos meus escritores preferidos, apesar de ser um tanto malvadinha com seus personagens. Romance de época, cujo sítio é o palco para desabrochar o romance entre dois jovens. Apesar da moça ser meio que obrigada pelos pais a se envolver com o belo e apaixonado rapaz, seu coração bateu mais alto com tanto galanteio e mimos do mesmo. apaixonante, surpreendente e muito triste; preparem o lenço porque assim como eu; vocês vão chorar muitooooooooooooooooooooooo! Parabéns minha escritora malévola preferida.
Alane Brito 29/05/2015minha estante
Que resenha linda, Liliana!!! Nossa, muito obrigada mesmo, ainda mais vindo de uma colega escritora!! Sou meio malvada mesmo! kkkkkkk Minha felicidade é tremenda sempre que recebo um elogio seu, agradeço de coração seu apoio constante!! Sucesso com o seu baby Amor Perfeito e os próximos que virão!! Deus te abençoe!! Beijão!!


Liliana Mathias 29/05/2015minha estante
^^ Agradeço demais a você também...em breve meu baby book Amor Perfeito estará chegando em sua casa. Aguarde.
Seu O que Me Disseram as Flores é muitoooo lindoooo! *..* Merece aparecer e brilhar cada dia e cada vez mais...! U.U E vamos que vamos porque divulgar o que é bom é preciso. Bjosss e sucesso sempreeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee!




Faces EM Livros 07/04/2015

Dois amigos, Santiago e Afonso, em um passado distante, nos anos de 1912, prometem um ao outro que seus filhos se casariam como prova da grande amizade e lealdade. Com isso querem manter a união dos dois, sem nem saber se os seus filhos aceitariam ou não. Em um curto capítulo esse fato é narrado, na cidade de Belo Parque, cidade na ficção, localizada no estado de Santa Catarina. O tempo passa e Santiago conhece Elisa, ele logo se apaixona pela moça e casa-se com ela. E sempre com a certeza de que cumprirá a sua palavra.

Em contrapartida, somos levados anos à frente para o Rio de Janeiro. Raquel é uma menina-adolescente e faz uma viagem para a Fazenda Pinheiros, que está localizada em Santa Catarina, na pequena cidade de Belo Parque. A garota odeia o campo, sempre preferiu seus amigos e a cidade. Sem opções, Raquel tenta se divertir pela grande casa da fazenda, depois de bagunçar e vasculhar muita coisa ela encontra o diário de uma moça chamada Ângela Marques. A garota fica curiosa e à medida que lê o diário, descobre os segredos envolvidos na sua família.



Desse modo, somos transportados para o ano de 1933, conhecemos um pouco sobre Ângela, e a promessa feita por seu Pai. A noiva não gosta nem de pensar na idéia de casar com alguém que não conheceu, e acredita que as pessoas têm que se casar por amor. William, o filho de Afonso Dantas aceitou a ideia, e nem imagina que sua noiva irá fazer de sua vida um inferno. O moço viaja até a Fazenda Pinheiros e lá se hospeda no intuito de conquistar a sua amada, como prova da eterna amizade de seus pais.

Ângela procura ser sincera com William, e revela que não está disposta a casar-se com quem não ama e que nada lhe faria mudar de ideia. O pobre rapaz não desiste, tenta de todas as maneiras possíveis para conquistá-la, e sempre sendo rejeitado. Uma das coisas que ele fez foi deixar todos os dias uma flor, próximo a janela no quarto da Ângela, e cada flor deixada continha uma mensagem, revelando o estado de espírito de William. Será que ele irá desistir de Ângela? Será que a moça continuará com o coração duro? E os pais, como reagiram diante da situação?



“Não parecia ser grande coisa,as flores me ajudariam a esconder melhor o anel e, ao mesmo tempo, fazer William de bobo, ocultando ele mesmo o ‘significativo’ presente.De certa forma, eu estava sentindo que enterrando o anel, enterrava tudo o que aquele parvo disse que sente por mim.Além de tudo, devo ficar satisfeita porque aproveitarei para dar um pouco de vida àquele jardim.”

Eu me encantei com essa bela história, a Alane me fez crer que os personagens são reais, atribuindo características tão humanas que envolvem o leitor. Ângela o tempo todo demonstrou ser ousada para as mulheres de sua época, além de ser rica e mimada às vezes ela me irritou por não perceber o que William fazia por ela. O rapaz, no entanto, sempre foi paciente, perseverante, além de lindo e charmoso, é um rapaz carinhoso, romântico e honesto.

Há outros personagens na obra como Leonardo, Felipe e Lilian, que completam o enredo dando um “Q” a mais na obra. Lilian procura estar sempre com Ângela, dando-lhe força. Felipe é apaixonado por Ângela, se incomoda com a promessa feita por Santiago, e não abre mão do que sente pela garota, questiona-se se vale à pena lutar por um amor quase impossível. Leonardo é inimigo visceral de William, apimenta as cenas ao decorrer dos capítulos tornando a trama ainda mais emocionante.



O que me dissera das flores é um livro completo! Temos vários tipos de personagens, em uma história tanto física quanto psicológica, por parte dos protagonistas. A diagramação foi bem planejada, a capa diz muito sobre os capítulos contidos no livro. Por ser uma história narrada na maior parte no ano de 1933, a autora usou um vocabulário condizente com a época. Recomendo o livro para leitores que gostam de um romance de época, mas não um romance qualquer, daqueles que contem apenas um final feliz, vai um além, traduzindo a força e os ideais da época. As personagens demonstram de fato, o que nos seres humanos passamos, não sendo perfeitas, podemos perceber defeitos e qualidades de cada uma.

Agradeço a autora por fazer parte desse Book tour, e mais uma vez me encantei com sua escrita, criatividade, delicadeza e ousadia ao escrever uma trama tão cativante e cheia de altos e baixos.

site: http://www.vicioemlivros.com/2014/10/resenha-o-que-me-disseram-as-flores.html
comentários(0)comente



Lolita 28/01/2015

Um livro para refletir
Oi gente, não sou resenhista, mas gosto de postar minha opinião sobre o que leio. Vamos lá! Achei o livro meio confuso em alguns pontos, por exemplo, o Willian chega tantos dias antes do bendito baile e a autora meio que se confundiu, porque passou um dia a mais... Seria um dia de fantástico que não contou como existente? Hm, algo para se refletir.
Sobre os personagens, cara... Que banana esse Willian! Que isso, cara! Tão bonito assim e com essa bananice do cão... Meu Deus, chegou a me irritar a certo ponto que pensei em desistir da leitura, porque sério, vai irritando demais aquela frescura da Ângela e a bananice do Willian! Até o Felipe tem mais atitude, aliás está ai outra coisa, em momentos a autora grafa como Filipe, e outras como Felipe. Hello, tem que ter certa coesão né?
Leonardo também foi um personagem intrigante que me surpreendeu, mas eu fiquei com tanto ódio da Ângela que o ódio acabou se refletindo nesse personagem também. O único que se salva desse antro de personagens irritantes é a doce e linda Lilian, ela é demais! Minha personagem favorita e quer saber, Willian foi muito besta de ficar correndo atrás daquela egoísta enquanto tinha uma pessoa mais do seu temperamento por perto. Enfim, enfim, tinha que ter um drama né?
Sobre o desfecho em si... Quando eu pensei em desistir, a coisa foi ficando interessante e então caminhou! Glória! Um final digno, achei. Mas um toque para a autora, cuidado com o drama em excesso, sei lá, pode melar tudo e aqui, quase aconteceu!
Mas eu gostei do livro, bastante, faz tempo que não vejo livros brasileiros de época bem escritos. Vale a pena se arriscar e eu sei que muitos, assim como eu, vão ficar irados, mas o final vai compensar, pode acreditar!
Alane Brito 28/01/2015minha estante
Oi Lolita, tudo bom? Obrigada pela crítica, vou gradar com carinho!
Bom, analisando suas observações, realmente cometi um erro com as datas, mas em afirmar que William chegou numa quinta, já que, quando Ângela menciona que ele chegaria em dois dias, isso era numa segunda, pois dia 27 de março de 1933 era uma segunda, então, eu deveria ter dito que ele chegou na quarta... Sobre o nome de Felipe (é FElipe mesmo, tá? rsrs) não reparei mesmo, nossa... Vou corrigir essas coisas para a próxima edição, obrigada por avisar. Sobre William ser um banana, realmente imaginei que algumas pessoas achariam isso. Mas mudei muita coisa durante a revisão, juro que ele era pior! Você precisava ter visto a primeira versão, antes do livro ser publicado. Teria desistido de ler, com toda certeza! rsrsrs Agradeço que, apesar de tudo, tenha continuado a ler e gostado do desfecho ainda assim! Um monte de gente quer me estrangular por causa dele, socorro!! rsrsrs
Obrigada por sua sinceridade!!
Beijão!! ^_^


Lolita 04/02/2015minha estante
Ai Alane... Fala sério, eu fiquei me resmoendo com ele dizendo: Oh angela, Oh meu amor... tsc! Credo, não tem vida própria moço? xD
Mas espero que corrija mesmo para a próxima edição e espero que essa edição venha com letras maiores lol, sou meio cega, deu trabalho para ler!
Mas valeu totalmente a pena. Sobre os nomes, corrija sim, também o da Ângela que as vezes tem acento, as vezes não.
Beijos e sucesso!


Alane Brito 04/02/2015minha estante
kkkkkk Vai ter letras maiores, sim. Pode deixar que vou arrumar tudo direitinho. ;) Ah, e isso da mulher maltratar o cara e ele continuar apaixonado, acontece mesmo. Vou confessar que me inspirei em uma situação que aconteceu comigo durante uns quatro anos! Mas eu era adolescente, fui menos malvada que a Ângela e o desfecho foi totalmente diferente!! kkkkkkk Parece mentira, mas existem homens como o William nesse quesito.
Mais uma vez te agradeço, Lolita.
Beijos


Gabriel Rezende 20/02/2015minha estante
Sorry... mas não entendi: Ao que aparenta na sua resenha as críticas negativas ultrapassaram os elogios. É totalmente visível, mas não compreendi o fato de tê-lo avaliado em 4 estrelas e favoritado.
De qualquer forma, você deve ter algum motivo pra tal classificação, mas achei meio contraditório.
Li OQMDAF e amei muito, acredito que a certa ''bananice'' do Will foi crucial para compreendermos o amor platônico e surreal que ele sentia pela Ângela que só fazia esmagar seu coração. E, pra quem se apaixonou de verdade, na vida real, não liga quantos não receber, mas em persistir. O que aconteceu na história e não te agradou.
xoxo


Lolita 06/04/2016minha estante
O que desagradou foi que o livro tinha muitas contradições de datas. Não acho que ele esteja perfeito, nesta edição, mas ouvi dizer que a nova está bem melhor e pretendo conferir.


Anna 13/09/2016minha estante
(SPOILER) O livro é bem escrito realmente, mas é muito ruim, os sentimentos mudam do nada, os personagens morrem pra q? Ah não credo, não gostei, muito ruim. Dá vontade de falar pra escritora escrever de novo.


Alane Brito 21/11/2016minha estante
Oi, Anne. Que bom que entrou em contato comigo e pude explicar meu ponto de vista com relação ao ocorrido na história. Fico feliz que você tenha compreendido. Beijos! ^_^




Literatura 03/12/2014

Tive o primeiro contato com a autora Alane Brito uns três anos atrás quando ela estava lançando seu primeiro romance chamado O Trio. Um livro que me deixou de queixo caído e completamente sem palavras. Antes mesmo da publicação do livro a ser resenhado hoje, eu e a autora tivemos uns bate-papos sobre ele e entramos numa discussão acerca do título. Um já existia, o outro não caía bem… até que eu disse que ela escolheria o que achasse melhor e aqui estamos. E desde o momento em que me veio a notícia de um segundo livro dela, entrei em estado de histeria e louco para ter mais uma obra sua em minhas mãos. Espero resumir com total clareza – e com as palavras certas – o que O que me Disseram as Flores foi para mim.

A história começa num passado onde a tecnologia e a correria de hoje eram realizadas por carroças e recados de boca em boca. Sendo mais preciso, no ano de 1912. Santiago e Afonso, amigos e filhos de fazendeiros bem afortunados na vida, decidiram fazer uma promessa para que sua amizade durasse além do tempo e da compreensão do homem. Convictos da decisão, prometeram um ao outro seus filhos para que se casassem e selassem o laços de amizade para toda a eternidade. Aqui, a história toma um rumo diferente e somos levados a atualidade na cidade do Cristo Redentor, onde uma garota chamada Raquel vai parar na Fazenda Pinheiros, onde aconteceu a promessa entre os amigos.

Raquel é toda moderna, prefere calçada do que chão de terra, e poluição em vez de ar puro. Levada a contragosto pelos pais, ao chegar na fazenda ela encontra um antigo diário em um dos quartos fechados do casarão, e passa a lê-lo com o objetivo exclusivo de entreter-se, mas muito curiosa para saber de quem ele era. Seu conteúdo nos transporta para mais um passado onde a jovem Ângela Marques, filha de Santiago, se vê presente numa situação completamente desagradável ao qual fora prometida em casamento para Willian, filho de Afonso, que acabara de falecer. Este sabia que a tal noiva não queria se casar com ele, mas partiu em direção a ela para cumprir o último desejo do pai. Ao chegar, apaixonou-se por Ângela e a missão de fazer o último pedido do pai passou a ser apenas pequeno para o tamanho de sentimentos e sensações que lhe enchiam o peito. Não estava ali apenas pelo pai, e sim por ele e pelo o que sentia.

site: Leia mais em: http://www.literaturadecabeca.com.br/colunas/resenha-o-que-me-disseram-as-flores-alane-brito/#comment-948027
comentários(0)comente



36 encontrados | exibindo 16 a 31
1 | 2 | 3