Sangue de Adão

Sangue de Adão Márson Alquati




Resenhas - Sangue de Adão


8 encontrados | exibindo 1 a 8


kell 03/03/2015

Um livro extasiante que nos faz pensar sobre a vida.
Sangue de Adão, foi um livro que me surpreendeu em muitos sentidos. Já nas primeiras páginas ficamos vidrados em acompanhar a história de Miguel e de sua família e somos levados a pensar no que realmente importa para nós. Estamos dando valor as coisas certas na vida? Ou somos levados pela multidão e esquecemos do que realmente importa? Gosto muito de livros assim, que nos fazem pensar e repensar nos trazendo uma perspectiva diferente de tudo.

Além disso, temos como pano de fundo a descoberta do novo vírus, que não é tão longe de nossa própria realidade. Gostei muito também desse quesito, pois torna a história mais factível. Seria um apocalipse final?

Somos levados a ver vários pontos de vista, o que realmente acontece quando algo assim aparece em nossa realidade. Me peguei pensando como me sentiria se estivesse no lugar dos personagens, realmente é uma situação delicada onde nos sentimos impotentes quanto ao verdadeiro sentido da vida.

O enredo conta ainda com uma boa dose de religião, mas calma isso não é ruim, não temos pregações ou somos levados a novas crenças, mas sim apenas sobre pensar sobre elas. Talvez por pensar semelhante ao autor essa parte me agradou, porém saliento que para os mais religiosos possa incomodar um pouquinho, pois somos levados a pensar no verdadeiro sentido da vida e na fé que carregamos todos os dias.

Sobre a capa como comentei anteriormente ela pode enganar a primeira vista, tendo em vista algo como um gênero terror ou sobrenatural, porém ao ler a história consegui entender perfeitamente a escolha da capa que para mim se encaixou como uma luva na história, pois para mim ela representa, Yama, a própria morte. O nome do livro também devo comentar foi muito bem escolhido, nunca poderia imaginar porque de tal título até ler a história, o autor acertou em cheio nesses quesitos.

Sobre a diagramação e revisão, não encontrei erros ortográficos no texto e a diagramação é muito boa, dou uma ênfase especial a primeira página de cada capítulo que tem uma cor diferente, um detalhe interessante para o livro.

Sobre os personagens, Miguel foi um personagem que ganhou meu respeito, a princípio o achei egoísta e arrogante, por certas atitudes, mas com o tempo fui entendendo e compreendendo suas ações, além do que o próprio personagem sofre uma evolução constante o que o torna mais humano. Patricia sua esposa, é realmente um personagem forte. Suas atitudes me levaram a pensar em uma mulher inabalável, de uma grande fé, seus filhos também me agradaram, principalmente Miguel que ganhou meu coração. Os personagens secundários também não deixam nada a desejar e nos vemos entrelaçados em suas vidas.

O final do livro foi extasiante, realmente me senti agonizada com tudo que aconteceu e a reviravolta que o autor deu, me surpreendeu muito, me vi de boca aberta com tudo que estava acontecendo, sem querer acreditar, rezando para tudo dar certo no final. A mensagem que o livro passa é linda e com certeza mexeu muito comigo.

site: http://leiturakriativa.blogspot.com.br/2015/03/sangue-de-adao-de-marson-alquati.html
comentários(0)comente



Anne 28/07/2014

Sangue de Adão
O livro é muito bem escrito. Li os capítulos finais com lágrimas nos olhos, tamanha a habilidade do escritor em passar o sentimento da cena.
A história é diferente, o tema é polêmico e mostra bem o interior dos humanos como é!
Recomendaria esse livro pra qualquer pessoa que entenda e não se prenda a hipocrisias e paradigmas.
comentários(0)comente



JAQUE TONIN 07/05/2014

Minhas Impressões
Um livro que nos leva a pensar.
O livro “Sangue de Adão” [Editora Literata/2013] do autor gaúcho Márson Alquati, traz à tona uma tema polêmico e atual: a questão do perigo decorrente dos vírus manipulados em laboratório, cada vez mais letais e perigosos. Em uma história dramática, carregada de emoção e sobretudo de crítica social, aos poucos nós somos apresentados ao drama vivido por Miguel, um pai de família que precisa sobreviver e ao mesmo tempo proteger sua família em meio a um verdadeiro apocalipse viral de escala global causado por um novo tipo de gripe que passa a matar todos que a contraem em poucos dias, sem exceção.
Nota-se a pesquisa do autor já no nome da suposta gripe: “Yama”. O epíteto em questão deve-se principalmente ao fato de a mesma ter se originado nas colinas ao norte da Índia e de lá ter se alastrado para o resto do mundo. Segundo o autor, “Yama” é o “Deus da Morte” no hinduísmo.
Na trama mencionada, Miguel se vê às voltas com a terrível doença em meio ao caos que toma conta da população mundial. E, em determinado momento, a coisa atinge um nível tão crítico que ele precisa escolher entre salvar a vida da pessoa que mais ama ou a humanidade restante. Um dilema de arrepiar a alma de todos que tem um coração.
Uma história tensa, com o claro intuito de trazer a reflexão para um patamar de questionamento filosófico-existencial.
Até que ponto somos bons? Somos capazes de fazer o bem aos outros, mesmo quando a realidade se mostra dura e cruel para conosco? Até que ponto somos capazes de nos livrar da ambição, do preconceito e do orgulho e olhar o mundo em toda a sua coletividade e diversidade? O que seria da humanidade se realmente ocorresse algo nesse sentido? Os sobreviventes veriam tal fato como redenção ou punição? E como a nossa civilização atual reagiria diante de uma crise dessas proporções?
Uma história fantástica e ficcional, mas que leva desde o leitor mais cético até o mais sensível a sentir na própria pele a dor de Miguel. Realmente capaz de produzir lágrimas devido à grande carga emocional intrínseca. Portanto, capaz de tocar fundo na alma do leitor e fazê-lo refletir sobre nossa breve existência neste mundo. Se a mesma é apenas uma passagem temporária ou uma experiência que levaremos para o resto da eternidade? A vida humana tem valor? Como mensurar este valor? Uma única vida pode se sobrepor a milhares de outras vidas? Quem somos e para onde vamos?
Enfim, uma história dinâmica, muito bem escrita e pesquisada, cujos personagens e fatos narrados são bastante verossímeis, apesar de inseridos em uma história de ficção.
comentários(0)comente



Literatura 04/03/2014

Nosso lado humano prevalecerá?
Há vezes que o destino conspira contra a gente, mostrando para nós através de um gesto, uma notícia ou até mesmo um livro algo que devemos refletir, aprender e, com isso, nos reciclarmos. E desta vez quem me surpreendeu foi o meu amigo Márson Aqualti que, com o seu fantástico tino de escritor, presenteou não só a mim, mas a todos os leitores, com o seu Sangue de Adão. Uma pandemia ameaça destruir toda a humanidade. O sistema está prestes a entrar em colapso. Ninguém sabe como sobreviver ao dia de amanhã…

Em meio a tudo isso, Miguel tenta proteger a sua família e aqueles que ama e, junto a isso redescobrir o seu papel entre aqueles que ama, pois às vezes, precisamos que o perigo nos arrebata para crescermos. Mas o que seria apenas mais um livro apocalíptico toma novos rumos, fazendo alusão não apenas aos defeitos da humanidade, mas faz claras alusões a realidade, pois a única cura para esta pandemia está dentro de alguém que Miguel ama demais.

E agora? Seria ele capaz de sacrificar o ser mais amado por ele para salvar a humanidade?

Neste livro, Márson muda completamente de gênero e surpreende. Depois de ver cenas intensas de ação com os anjos da série Ethernyt, eis que o rapaz surpreende trazendo uma obra reflexiva, colocando-nos literalmente junto ao personagem principal no lugar de Deus. A narrativa, bem amarrada, nos prende no início ao fim, já que os personagens são tão realistas que nos colocamos no lugar de cada um dos envolvidos.

Veja resenha completa no site:

site: http://www.literaturadecabeca.com.br/sem-categoria/resenha-sangue-de-adao-nosso-lado-humano-prevalecera/#.UxZXRfldWSo
comentários(0)comente



Peter Menegat 23/02/2014

Demais!
O Livro Sangue de Adão é uma história dramática, carregada de emoção e sobretudo de crítica social.
Uma história fantástica que leva ao leitor mais sensível, uma verdadeira dor, capaz de derramar as lágrimas a muito tempo guardadas, pois a emoção é tanta que alcança a alma, faz refletir sobre a nossa breve existência, essa que é uma experiência, uma passagem nesse mundo terreno e é carregada de filosofia e reflexão. Qual é o valor da Vida? A vida tem um valor?
Uma VIDA vale mas que outras milhares de VIDAS?

Pensem em uma família, em um Pai de família que tem que escolher entre salvar o seu filho, uma criança de apenas 6 anos de idade e o resto da humanidade? Não lhe parece estranho não é? Pois é essa analogia que o autor faz brilhantemente, assim como DEUS sacrificou o seu FILHO, por todos nós, por nossas frágeis vidas, por todos os nossos erros, por todos os nossos pecados.
Mas Deus não teve escolha, nem seu Filho Jesus, pois era necessária a libertação da humanidade por meio do sacrifício do Primogênito, ao contrário desse Pai de família, que tem a oportunidade, ou melhor, o dever dessa difícil e dolorosa escolha, apenas uma escolha que mudará a sua vida completamente...
É nesse enredo que o Autor Márson Alquati nos leva a refletir, as consequências e fatos de uma Pandemia Global nos dias atuais, sobre o valor de darmos ás nossas famílias e principalmente o tempo que dedicamos as pessoas que amamos e nos fazem felizes, nas coisas simples que a Vida nos proporciona e até sobre o comportamento humano...
Adorei as páginas finais, mas o final, bem o final é espetacular! Sensacional! Demais!... Só lendo pra saber!
É um livro excelente e recomendadíssimo!
Parabéns Amigo Márson! Abração

comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Cristiano G. 01/11/2013

E por falar em apocalipse...
Um livro que nos faz pensar e pensar. Até que ponto somos bons e amamos uns aos outros? Será que conseguimos realmente fazer o bem, a caridade,mesmo quando a realidade se apresenta de forma cruel com toda sua força, nua e crua? A que ponto, nós, seres humanos, seríamos capazes de nos despirmos do orgulho, da ambição, do preconceito e olhar o mundo no seu sentido coletivo, sabendo que sozinhos não podemos dar o equilíbrio exato pra jangada não virar. Uma estória tensa, um peso que nos é apresentado com o claro intuito de trazer reflexão para a seguinte pergunta: Sou um homem de bem, comigo, com minha família e com meu semelhante?
Narrada em primeira pessoa, o que nos permite um contato bem mais íntimo com o personagem principal, o Miguel, podemos claramente entender seu universo particular e acompanhá-lo em toda sua trajetória de dor, culpa, reviravolta e glória.
Um livro cinco estrelas, digno de virar filme e posso até dizer, necessário a todos que sonham com uma humanidade mais humana!
Vale muito a pena!
Parabéns meu amigo Márson.
Cristiano Gonçalves.
comentários(0)comente



André Formaggio 08/10/2013

Reflexão!
Acabo de terminar de ler "O Sangue de Adão" e senti necessidade de dividir o efeito que causou em mim enquanto o sentimento ainda está fresco!
O livro é um convite a reflexão! Convite este que é livre de convicções religiosas. Que, acima de tudo, é um convite a repensar a forma na qual vivemos e na qual amamos nossos familiares, amigos e próximos. Me arrepiou em vários trechos enquanto acompanhava Miguel em todo seu drama e aprendizado. Me vi muitas vezes na figura dele, descrente e me apegando a razão para explicar coisas inexplicáveis, apoiado em meu ateísmo... mas acontece que nem tudo precisa de explicação lógica... e se pressionar a achar racionalidade em tudo é um grande fardo... fardo muito maior do que nós, seres humanos simples, estamos preparados. E admitir que este fardo de explicar tudo racionalmente é pesado demais para nós já não é, de certa forma, aceitar que possa existir algo maior?

Parabéns ao grande escritor, Marson Alquati, por mais um trabalho brilhante.

André
comentários(0)comente



8 encontrados | exibindo 1 a 8