Princesa Para Sempre

Princesa Para Sempre Meg Cabot




Resenhas - Princesa Para Sempre


84 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6


Roberta Nunes 23/08/2009

Final coroado!
"Princesa para sempre" com certeza fechou a série "O diário da princesa" com chave de ouro e tiara de diamantes (se é que isso é possível). Um livro envolvente e emocionante do início ao fim e certamente o melhor e mais bem escrito da saga.
É muito bacana ver o amadurecimento da Mia (que está pelo menos um pouco mais sensata do que nos outros exemplares da série) e dos demais personagens.
Há passagens hilárias, a Lana - antes uma inimiga fútil e supérflua - continua fútil e supérflua, mas pelo menos está do lado certo dessa vez e garante às leitoras boas gargalhadas com seu jeito sem noção, suas mensagens, suas tiradas.
Também há partes que conseguem levar as mais manteigas derretidas às lágrimas, como a cena em que a Mia e a Lilly finalmente fazem as pazes depois de tanto tempo.
O romance está completamente impregnado em todo livro, com a volta do Michael do Japão. O que posso dizer sobre isso? Bom, o Michael está tão perfeito que mesmo se o livro fosse ruim já valeria à pena ler só por causa da doçura total desse personagem. Leitora, cuidado para não terminar o livro apaixonada por ele!! =)
Enfim, é um livro muitooooo bom. Ótimo, fantástico e um final coroado para a série. Aplausos para Meg Cabot!
E eu, como fã, já sinto falta das trapalhadas da Mia...

Tiago Henrique 05/09/2009minha estante
kkkk³ quem ñ vai sentir falta né ?!


Tata Sakura 22/06/2011minha estante
Eu ainda não li.. To lendo o sexto... Mais só de saber que ta acabando ja sinto vontade de chorar... Sou apaixonada pelo Michel desde o primeiro livro rsrs :)


26/12/2011minha estante
Isso me lembra uma frase que eu li um dia e que se encaixa perfeitamente: "Aquele momento constrangedor em que você está tão apaixonada por um personagem fictício que você tem que se lembrar toda hora de que ele é fictício." HAHAHAHAHA Eu me apaixonei pelo Michael desde o começo e nesse último ainda mais. Livro sensacional, como você disse, o melhor e mais bem escrito da saga. Mia vai deixar saudades, mesmo aquela ingenua e bobinha do início!


Jéssika 13/09/2012minha estante
Muito raro ler comentários bons sem spoilers!
Foi bem direta, parabéns!
Estou esperando os quatro últimos livros chegarem, acho que A Princesa Na Balada chega amanhã...
Mas depois dessa eu já tô ansiosa pra que esse chegue!

P.S. Caso alguém tenha o maior nível possível de compatibilidade com Michael Moscovitz, por favor, entre em contato com a gente.
Brincadeira :D




Lu 27/11/2009

Muito bom!
Tenho muito carinho por essa série, embora não seja a minha favorita da Meg Cabot. De fato, dá pra perceber que ele encerra uma fase da vida da Mia e acompanhar essa transição dela pra vida adulta, especialmente, os dois últimos livros, foi muito legal. E justificam os 10 volumes.



O livro tem uma leitura bem ágil, embora tenha uma trama meio previsível. Não há grandes dramas aqui. O triângulo Michael-Mia-J.P não é doloroso como o de Crepúsculo. É fácil desgostar do J.P em favor do Michael. De certa forma, isso é um alívio!



O bacana é que a autora aproveita pra aparar algumas arestas e a forma como ela faz é muito bonita. Eu me vi meio rindo e meio chorando em alguns momentos.



No final, não pude deixar de sentir aquela tristeza boba e gostosa de terminar de ler uma série. Vou sentir falta dos personagens. Mas eu acho que o livro não poderia terminar de outra maneira.
comentários(0)comente



Cassi 09/08/2010

ÓTIMO!
Bom, o que eu posso dizer? Final simplesmente perfeito! Digno de uma princesa! E o Michael foi um verdadeiro príncipe até o fim! Ele e a Mia com certeza sempre foram perfeitos um para o outro, mesmo ele não gostando do musical de "A Bela e a Fera", ou não curtindo festas de formaturas.

A Mia amadureceu demais, demais, demais, e quando ela disse que todos já eram grandinhos meus olhos encheram d'água, porque na hora me lembrei de " A Princesa de Rosa-Chocking", onde a Mia era uma garotinha que surtava e tinha como preocupação ir linda e realizada com seu namorado para a festa de formatura dele. É como se durante toda a leitura a gente tivesse crescido junto com a Mia, mesmo eu lendo toda a saga em, o quê?, uns 13 dias?, enquanto a história estava acontecendo num período de quatro anos.

O término dela com o JP foi cheio de classe (desculpa, mas isso não deve ser spoiler para ninguém, né? OMG, sempre foi claro que ela ficaria com o Michael no final), ela não desceu do salto, muito menos se fez de coitadinha e foi atrás do seu verdadeiro príncipe como uma arrependida. Não. Foi tudo no momento certo. Michael também teve um papel exemplar!

Amei as partes do livro em que a Meg colocou o romance histórico da Mia. Pelo menos deu para termos uma palhinha de como aconteceram as coisas no loft do Michael, não é mesmo? Ha ha ha.

E os amigos da Mia são os melhores amigos do mundo! Eu amei a Tina até o fim, e me indetifiquei muito com ela... (talvez seja porque eu também sou uma boba que adora romances).

Grandmère... Compartilho da mesma opinião que a Mia. Tinha momentos em que eu também tinha vontade de bater na Grandmére com uma pá, mas sem dúvidas ela também me arrancou bastante risadas, e o legal é que ela sempre falou tudo aquilo que ninguém tem coragem de falar!

Enfim, uma série maravilhosa, recomendadíssima, não só para crianças e adolescentes, mas para adultos e meninos também, por que não?
Meg escreve de uma forma excelente, e o conhecimento de vida que essa mulher coloca nas obras dela é impressionante, desde assuntos fúteis como moda e marcas de roupa, até sobre política e sentimentos humanos.

Nunca vou esquecer o "Diário da Princesa", e COM CERTEZA serão livros que lerei várias vezes no futuro e darei para minha filha (quando eu tiver) para lê-los também.

PS: OMG, o que foi aquela cena na charrete? *suspira*
Júlia 08/11/2012minha estante
Na charrete!! AMEI




Talita, 16/08/2009

Comecei a ler o livro ontem, e terminei ontem mesmo, a Mia me irritou profundamente, meu deus, tinha como ela ser mais lerda?! e tudo bem já sabiamos que ela tinha levado a democracia pra Genovia ela não precisava falar isso toda hora,mas apesar de todas as coisas que me irritaram na Mia o amadurecimento dela me faz gostar dela, o JP é um idiota e eu o odeio com todas as minhas forças, mas o Michael... ahhh o Michael, ele foi perfeito, ele ajudou a Mia, e disse que ia esperar ela, ele me inebriou com o cheiro dele. a Tina é uma fofa e eu simplesmente prefiro 10000x ela à Lily. e ao acabar de ler eu simplemente já estava sentindo falta da tapada da Mia, e das coisas idiotas que ela falava que me matava de rir, e do pescoço do Michael.
O livro está enorme e a Meg soube fazer um final perfeito, tudo que eu esperava do último livro de DP.
comentários(0)comente



Tati Francisque 18/08/2009

O último livro da série me surpreendeu, e foi de uma maneira muito positiva. Depois de um livro cansativo e sem graça, Meg retoma a história a toda, com um enredo muito emocionante, muito envolvente, muito engraçado e o melhor de tudo, muito muito romântico.
Mia continua mais lenta do que o imaginável,mas compensa o fato de ela estar um pouco mais madura.
Michael está perfeito! Simplesmente perfeito! Todas as vezes que aparece no livro, é para falar ou fazer algo que certamente vai nos deixar com o coração mole, mole.
Lana e Trisha também estão impagáveis. As antigas inimigas de Mia nos fazem dar boas risadas, enquanto tentam enfiar na cabeça da princesa que ela deve ir atrás do Michael. Elas realmente se saem muito melhor como amigas excêntricas do que como rivais fúteis e odiadas.
Recomendo a série do diário da Princesa. É uma história leve, agradável, que distrai e envolve. Para quem gosta de romance, é um prato cheio, com sobremesa e cafezinho depois da janta ;)
Júlia 08/11/2012minha estante
Verdade! Amei o livro e adorei sua resenha!




Tata 20/06/2010

Acho que teria gostado bem mais do último volume da série se tivesse lido uns quatro anos atrás.

O que me irritou profundamente nesse décimo livro não foi o fato de que Mia tem sérios problemas mentais (de verdade, eu realmente acho que uma pessoa assim deve ter algum tipo de síndrome... aos 18 anos, por que é que ela não pode simplesmente CONVERSAR com os outros como um ser normal faria???). O que me frustrou bastante foi a Meg Cabot e a história toda com o JP.

SPOILER!
Por que a Meg não fez do JP um cara legal até o fim? Por que ela tem sempre que dar uma desculpa pra Mia fazer as coisas que ela deseja fazer? I mean, se a Mia quer chutar o JP pra voltar com o Michael (e, DUH! Quem não iria querer?), ela deveria fazer isso porque é o que ela QUER FAZER, não porque ela descobriu que o JP é um safado bastardo.

Os livros da Meg sempre tendem a viajar pro espaço-além, mas no final ela sempre tenta incutir uma liçãozinha de vida bem humorada e clara, do tipo "faça sempre o que vc acha correto" etc e talz, que aproxima a narrativa da realidade. Ela bem poderia ter feito do JP um menino bom, sem muita personalidade, mas genuinamente legal que ficaria triste com um pé na bunda. Porque a vida É assim, de vez em quando vc faz escolhas e essas escolhas, por mais certas que sejam, machucam pessoas legais.

Mas nããããããããão, vamos distorcer todo o personagem e dar uma belíssima desculpa pra Mia detonar ele e ninguém sentir dó. Well, não funcionou. O livro ficou com a profundidade de um pires depois dessa.
Raquel T Moura 03/08/2010minha estante
Hahaha Gostei do seu ponto de vista em relação ao JP. É verdade, a Mia podia ter terminado com ele de qualquer forma já que gostava é do Michael, sem precisar de uma desculpa pra isso. Mesmo assim gostei muito do livro.


Karol 10/05/2011minha estante
Eu adorei o livro e se vc não gostou da distorção que a Meg fez, é melhor esquecer essa autora, pois ela sempre dará o que seus personagens querem, ainda que no final eles descubram que querem algo diferente e partam em busca disso.


Tata Sakura 22/06/2011minha estante
Eu concordo com a Karol de certa forma... Esse é o estilo da Meg escrever, e os livros dela são maravilhosos, quem não gosta simplesmente não leia (isso evita aborrecimentos)... Quanto ao JP ela não viajou com a distorção, existem caras legais q são magoados mesmo sem querer, mas tambem existem muitos caras que parecem legais mais no final vc descobre que são babacas, e isso é uma coisa q a Mia precisava passar pra amadurecer. E tambem era meio que um baque pra ela tomar coragem e fazer a coisa certa, mostrar pro Michel q ela o ama. Alem de que tambem mostra que amores verdadeiros podem sim superar qualquer coisa, ate mesmo a distancia e o tempo (não apenas em contos de fadas) :)


Tata 01/04/2012minha estante
Houve uma época da minha vida em que eu realmente gostei de Meg Cabot. Cheguei a fazer coleção de algumas das suas séries e devorava qualquer livro dela que caísse nas minhas mãos.

Então me sinto no direito, como leitora assídua, de criticar quando um livro dela de desagrada. Sugestões como "melhor esquecer essa autora" ou "quem não gosta simplesmente não leia" beiram o ofensivo porque deixam implícito o pensamento quadrado e medieval de que gosto não se discute.

Meg Cabot já escreveu livros que eu adorei e livros que eu odiei. Gosto de colocar qualquer um deles em debate pra enriquecer o meu ponto de vista, mudá-lo talvez.

Gostei das resenhas abaixo, só não gostei das sugestões de desistência ;)

PS: Amores verdadeiros não podem superar qualquer coisa, seja ela a distância ou o tempo, só mesmo em contos de fada. Amores verdadeiros se fazem diariamente, com paciência, dedicação e respeito, enquanto ainda estiver valendo a pena.


PANCHI 23/11/2016minha estante
Acredito que o o JP não foi distorcido, a Meg vem deixando pistas de como ele é de verdade desde que ele namorou com a Lili por meses mesmo estando na cara que ele não gostava dela e sim da Mia (O que ocorreu a uns dois livros atrás) Logo depois disso quando ele e a Mia se beijaram e ela não tinha ideia de como isso aconteceu, ai já comecei a desconfiar que o JP tinha virado a cabeça de propósito (Estava muito na cara!). A Mia realmente nunca gostou do JP, ele passou uns 3 livros dizendo tudo o que acreditava que ela queria ouvir, fingindo ser o garoto perfeito (mesmo que precisasse mentir para isso). E lembrando que ele convenceu todo mundo de que era perfeito para a Mia, as amigas e a mídia (q divulgou aquela foto dela saindo do musical com o JP) super a pressionaram para ela ir pra outra e no fim ela decidiu ignorar seus próprios sentimentos. A Meg deixou muitas pontas soltas nos outros livros para poder junta-las no final. E a Mia em momento nenhum detonou o JP (E olha que tinha motivos!)





nannybells 18/09/2009

Perfeito, como sempre
Eu praticamente vivi com a Mia. Chorei com ela, fiquei super feliz com ela, enfim, o diário da princesa fez o que um bom livro deve fazer: mexer com o leitor.
E o fim.. Não podia ser melhor para a Mia. O Michael consegue ficar mais perfeito do que o normal, o que eu julgava impossível. A Lily se mostrou a amiga que sempre deveria ter sido desde o começo... Um fim perfeito para uma série perfeita. :)
comentários(0)comente



Karol 28/09/2011

Ownnt.. *-*
Esse é último livro da série o Diário da Princesa, da Meg Cabot. Aquele que conta a história da menina nerd e feia que descobre que é princesa de um pequeno principado europeu e vê sua vida virar de pernas pro ar com a situação. (E foi meu presente de amigo secreto na empresa! =D)

Para quem não lembra, o filme rendeu uma adaptação para o cinema com a Anne Hathaway no papel principal e a Julie Andrews como a avó boazinha. Apenas para quem não leu os livros e conhece a série pelo filme se situar: a adaptação cinematográfica leva ao extremo o termo "licença poética". Tanto que alguns personagens ficam irreconhecíveis. Como é o caso da SAR (Sua alteza Real) Clarisse Renaldo, Princesa Viúva de Genovia, que é a avô da Mia (ou Grandmére, como Mia a chama).

Por que eu estou falando isso tudo? Porque as cenas mais engraçadas do livro se baseam nas loucuras que Grandmere apronta, porque nos livros ela é TOTALMENTE INSANA.

Vamos ao livro então. Pra quem não leu nada da série até aqui, é possível que encontre vários spoilers pelo caminho, então, pode continuar, por sua conta e risco ou ir ler outra coisa.

O livro se inicia dois anos depois do último. A Mia está na sua última semana como aluna da Albert Einsten High School, namora um cara chamado John Paul Reynolds-Albernathy IV (o JP, que é ex-da Lilly), escreveu um livro romântico de 400 páginas como trabalho de conclusão de ensino médio (e está tentando publicá-lo), entrou para todas as faculdades em que se inscreveu (e acredita que isso foi possível só porque é uma princesa) e vai ter uma super-hiper-ultra-mega-blaster festa de aniversário de 18 anos. Tudo isso em apenas uma semana. Ah, e ela levou a democracia à Genovia, um país que jamais a havia conhecido.

O problema é que ela não contou todas essas coisas pra quase ninguém e começa a se achar a pessoa mais mentirosa da face da terra, o que leva a muitas piadas hilárias em que ela usa a "hashtag" A Mentira Enorme nº tal de Mia Thermopolis.

E você, que conhece os livros, deve estar se perguntando: mas e o Michael? É. ainda tem essa. O Michael começa a ficar mais presente do que ela esperava e a partir daí, ela precisa tomar várias decisões que vão afetar o modo como as coisas acontecerão no seu futuro.

Não dá pra eu contar mais senão estraga. Mas o livro é muito bom! E mostra que a Meg Cabot não deveria ficar tentando se aventurar a escrever livros adultos e sim fazer o que ela sabe: escrever para crianças e adolescentes. Ela compreende o universo deles como ninguém. E tem um ótimo tato para lidar com temas complicados da adolescência pelos quais todo mundo passa, sem exceção.

O que eu mais gostei nesse livro foi ver como a Mia cresceu nos últimos (10!!) livros. Esse último é o meu preferido, com certeza. E é o que tem os menores níveis de vergonha alheia em toda a série. É o desfecho perfeito para uma história meio maluca mas que poderia perfeitamente ser real. E é lindo, claro!

Quanto aos personagens, passamos a conhecer melhor o JP, Mr. Perfeição, e gostei muito do destaque discreto dado à Lana Weinberger - a personagem mais engraçada depois de Grandmére. E várias celebridades dão as caras na festa de aniversário da Mia. Madonna, Sean Penn, Angelina Jolie, o casal Obama etc, etc, etc... rs Só faltou a Meg Cabot! hehehe

Não diria que é exatamente necessário ler todos os outros 9 livros para encarar esse. Pelas dicas da Meg dá pra pegar o que aconteceu até aí. Mas não recomendo. Os diários da Mia são engraçadíssimos e nada cansativos. A cada três dias dá pra encarar um livro tranquilamente, porque eles também não são muito grandes (mas tem um ótimo acabamento! Muito melhor do que dos livros em inglês).

Enfim, já falei que é o desfecho perfeito para a série? Já né? Então, é por que é mesmo. Super recomendado mas já aviso, é livro "de meninas". Alguns caras (e meninas até) podem não ter a paciência necessária para aguentar as surtadas da Mia e nem os momentos bonitinhos. Mas para quem aguenta até o final, vale a pena.
comentários(0)comente



Ale 23/12/2009

Esse e o primeiro livro da série "O Diário da Princesa" estão empatados. Despois de 10 anos lendo a série o final foi lindo.
comentários(0)comente



Myka 27/12/2009

Pode paracer um livro de menininhas, mas é uma leitura gostosa, e viciante, ao menos para mim foi. Mia sempre foi desajeitada e teve de aprender a ser uma princesa. O que metaforicamente, representa quando uma garota tem de deixar de ser menina e se tornar uma "mocinha". Um lviro que prendeu varias garotas que se tornaram mulheres lendo eles, visto ser uma serie de 10 livros, e tambem tem os "meios" alguns não foram publicados em português, mas nao atrapalham no entendimento da história. Não tem nada a ver com filme Diário de uma princesa, a historia foi completamente distorcida.Leia o livro, não assista ao filme.
comentários(0)comente



Laura Machado 27/04/2019

Um bom final!
Começar a reler essa série foi algo que fiz por acaso. Ler todos os dez livros seguidos também não era algo que eu tinha planos de fazer logo no começo, mas foi ótimo. Estou bem feliz de ter dado outra chance para esses livros, porque agora vejo que eu não gostei deles quando era adolescente e li pela primeira vez à toa. Eles são bem bacanas, e reler me fez gostar ainda mais dessa série.

Não, não está nem perto de ser uma série perfeita. Este último livro também tem algumas coisas que poderiam ter sido melhores, mas pelo menos posso recomendar a série sem problemas!

Uma coisa que percebi nos últimos livros é que a autora se afastou daquilo de só contar as coisas por cima e começou a usar mais cenas presenciais. Ela também deu mais conteúdo a cada cena assim. Isso melhorou bem os últimos livros. Uma coisa bacana deste aqui também é que a Mia cresceu bastante. Mas eu tenho um problema com isso: ela cresceu sozinha, sem nós, leitores, vermos. Ela simplesmente começou este último livro já mais madura - ainda que tivesse outras coisas para aprender durante ele, como todo bom livro.

Aliás, na minha opinião, a autora pulou tempo demais do nono livro para este. Demais mesmo. Primeiro que, pelo que eu tinha entendido, só tinha passado um ano e meio - e a Mia passa o livro inteiro dizendo que faz dois anos. Mas o verdadeiro problema é que muita coisa mudou nesse tempo entre os dois últimos livros. Para quem fez uma série em que alguns livros eram seguidos e a maioria se passava só com seis meses de diferença, um ano e meio - ou dois - é tempo demais. Foi um pouco estranho me localizar na história e ainda mais nessa nova Mia.

Mas a única coisa que eu realmente detestei foram os trechos do livro que a Mia escreveu no meio de entradas do seu diário. Estava considerando ler o livro, mas, depois desses trechos, vou passar bem longe! Não é só que eles tiravam o clima da história, o que seria ruim o suficiente sozinho, mas que a escrita é bem ruim. Quer dizer, os termos que a autora escolheu para todas as menores ações são tão forçados e exagerados, que fiquei revirando os olhos. Definitivamente não precisava disso e parte da razão de eu tirar uma estrela da nota foi ter que passar por esses trechos.

Já o enredo deste último livro, a parte do diário e da vida da Mia, é bacana e o final é bastante satisfatório, como o final de vários livros anteriores. Nada surpreendente, todas as revelações são coisas que o leitor já descobriu pelos outros livros da série, mas mesmo assim. Foi um final sólido e que encaixou com a série.

E, como eu disse, recomendo a leitura, mas talvez boa parte do que me fez gostar tanto seja (o Michael!) a história que eu tenho com esses livros. Só sei que estou bem feliz de reviver essa história e não ter me decepcionado com a releitura!
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Mari 29/06/2011

Por Diário da Princesa ter sido o livro que me trouxe o gosto pela leitura, eu sou completamente apaixonada por todos os livros da série e esse não foi para menos.
Lana e Trisha deram amigas bastante legais e sem noção, realmente adorei elas. O Michael sempre foi um fofo, mas nesse livro ele se superou, eu ficava toda bestona com as coisas que ele falava pra Mia,e a Grandmére até foi uma fofa!
Eu passei o livro todinho ansiosa pelo final, estava louca para saber como ia acabar e acabou exatamente como eu estava esperando e amei, como o Michael disse: a Mia sempre acaba fazendo as escolhas certas no final.
comentários(0)comente



Bit 28/02/2011

Finalmente Mia chegou ao último ano do ensino médio. Agora, é entregar seu trabalho final, escolher em qual universidade vai estudar, e decidir como será seu futuro com o perfeito J.P. Mas quando Michael, seu ex-namorado, volta à Nova York - agora rico, bem-sucedido e mais lindo do que nunca -, ela terá que decidir com quem ficará. Será que a princesa vai conseguir o seu 'felizes para sempre'?
comentários(0)comente



MariDelgado 03/01/2011

De toda coleção de diário da princesa, esse foi o meu favorito. Sinceramente, meg cabot podia ganhar um prémio com esse livro. Ele é engraçado, romântico, faz você ficar com raiva ou faz você amar a pessoa. E claro, no final ela fica com a pessoa certa, hihi.
comentários(0)comente



84 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6