O Culpado

O Culpado Lisa Ballantyne




Resenhas - O Culpado


19 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2


Helen 29/03/2021

Daniel é um experiente defensor de delinquentes juvenis, mas pela primeira vez, está a frente de um caso onde seu cliente é uma criança de 11 anos. Sebastian é o principal suspeito de um homicídio brutal. Ele está sendo acusado de matar seu amiguinho, Ben Stokes, de 8 anos.

Ao que tudo indica, Ben foi espancado até a morte no parquinho do Barnard Park, na tarde de domingo, 8 de agosto. Levara uma tijolada no rosto que causou uma fratura na órbita ocular.

Depois de encontrarem o corpo, um morador do bairro informou que dois garotos estavam brigando no parquinho e pela descrição feita por essa testemunha, a mãe de Ben reconheceu como Sebastian.

Os capítulos são divididos entre a história de Daniel quando garoto e atualmente sobre a defesa de Sebastian. Dan acaba desenvolvendo uma relação com seu cliente Seb. Ele vê no menino o que ele poderia ter sido se não fosse adotado por Minnie quando tinha a mesma idade de Sebastian e separado de sua mãe biológica usuária de droga.

"Lembrou-se das pontas amareladas dos dedos de sua mãe e o contorno do crânio que aparecia quando ela tragava. Lembrou-se da fome que sentia, observando-a trocar uma nota de dez libras por drogas. Lembrou-se de jantar pirulito, mastigando-os com excessiva rapidez."
comentários(0)comente



Tatianees 21/02/2021

Terminei O culpado da Lisa Ballantyne e ainda não sei o que pensar a respeito...

Daniel é um advogado especialista em defender jovens infratores. Mesmo assim ele se surpreende ao ver que seu novo cliente tem apenas 11 anos. Sebastian está preso, acusado de matar um garotinho de 8 anos.
Enquanto defende Seb, Daniel não para de recordar quando tinha a idade do menino e foi entregue aos cuidados de Minie, já que sua mãe, viciada em drogas, estava se recuperando de uma overdose.

Os capítulos são intercalados entre presente e passado, mostrando o julgamento de Sebastian e a infância de Daniel.
O livro fala sobre violência familiar, mas também fala de amor e redenção, de perdas e perdão.
O final pode ser um pouco chocante, mas não inesperado.
comentários(0)comente



ritita 19/01/2021

òtimo
Nada contra livros de suspense policial, apenas não tenho o hábito, principalmente se for ficção - nada me acrescenta.
Para atender a um desafio, procurei entre os autores nacionais; até comecei a ler O cidadão do bem - Maurício Gomyde, mas tão cheio de trechos retirados de jornais e redes sociais que desisti, então comecei este. Pessoas! Que livrinho danado de bom. Não consegui largar até o ponto final.
Não conheço e não pretendo ler mais nada da autora, mas a moça é boa, ela vai narrando o julgamento de Sebastian e contando sobre a difícil infância e adolescência de Daniel, seu advogado de defesa. Que ideia fantástica para deixar o leitor roendo as unhas enquanto lê sobre um e sabe sobre o outro!
Durante o julgamento fiquei ora achando-o inocente, ora culpado, depois inocente, depois culpado.
comentários(0)comente



Manu 07/12/2020

Surpreendente e talvez previsível, porém, difícil de acreditar que o final seria esse!!!
Essa leitura foi uma boa descoberta.
comentários(0)comente



José Carlos 24/08/2020

Muito bom, mas esperava outra coisa!
O livro é muito bom, mas no início achei que o foco estava voltado demais para a infância do advogado do que para o próprio crime! Tanto que o personagem Daniel, o advogado, foi muito melhor construído que Sebastian, o acusado! Durante a leitura fui percebendo que o livro tratava-se mais sobre Daniel mesmo, e então acabei aproveitando mais a leitura quando aceitei isso! O final é bom, um pouco previsível!
comentários(0)comente



Denise 10/08/2020

Um excelente livro
Um excelente livro
Um dos livros que mais gostei esse ano. Não chega a ser um suspense, visto que tudo o que aconteceu foi previsível, mas a história é contada de forma muito prazerosa. Gostei muito do Daniel, o personagem que mais me cativou, mas não aprovei a sua atitude em relação a mãe adotiva. Ela errou , e ele teve toral razão em ficar magoado, mas não ter lhe perdoado, foi muito cruel. Afinal foi graças a ela que ele conseguiu dar um novo rumo a sua vida. Quanto ao menino acusado de ter matado o outro menino, não vou comentar pra não estragar a surpresa no final. Recomendo a leitura.
comentários(0)comente



Cleberson 20/06/2020

Surpreendente
O final foi surpreendente, na minha opinião. Não esperava que a história fosse levar o rumo que levou, mas não havia "espaço" para algo diferente. Amei o livro e a leitura foi muito prazerosa, me senti fazendo parte do Júri e tomei a mesma decisão que eles. Sensacional!
comentários(0)comente



Ariane Casanova 02/01/2020


O livro conta a história do advogado Daniel Hunter em dois momentos de sua vida, quando ele vai morar com a Minnie com apenas 11 anos, e no presente sendo o advogado de Sebastian Croll uma criança acusada de matar outra criança.

Daniel teve uma infância difícil, com uma mãe viciada em drogas passou maior parte pulando de um lar temporário para outro até que foi morar com Minnie a onde finalmente encontrou um lar e afeto que uma criança precisa, porém anos mais tarde Daniel descobriu algo com que fez que ele cortasse relações com ela. Como advogado ele tem muita experiência defendendo jovens infratores, porém algo em Sebastian faz com que Daniel relembre o seu passado e ele se sente estranhamente apegado a criança.

O livro traz dois mistérios, o que será que fez com que Daniel não quisesse ter mais uma relação com a Minnie e se Sebastian matou ou não o seu vizinho de oito anos. Sinceramente achei ambos mistérios previsíveis e apesar de entender o porquê a Minnie fez o que fez eu não concordei. Eu fiquei com muita pena do Daniel, apesar de ter uma vida profissional boa e de ter até relacionamentos ainda achei ele sozinho.

O que eu gostei do livro foi como a autora crítica o sistema de justiça. Eu fiquei assustada ao saber que na Inglaterra uma criança de 10 anos pode responder ao crime como um adulto. A autora também crítica a forma que a mídia manipula a opinião pública.
comentários(0)comente



Val 02/07/2019

Um Anjo Caído e Outro Morto
A justiça divina pode ser estranha ou cruel, dependendo do credo, conforme seus escritos beatificados. Mas, em termos religiosos, Justiça, via de regra, conota punição. O que dizer, então, da justiça dos homens? Tanto no Ocidente como no Oriente a Justiça pode, da mesma forma, ser exacerbadamente rigorosa e irracional ou branda demais e inexistente. Constatações estão aí no cotidiano e na História.
E quando, então, se trata de fazer justiça com crianças? Nada muda, a não ser os sentimentos dos adultos quanto ao assunto, encorpando o exagero ou fragilizando as lições, e raramente se culpando.
O livro O Culpado (The Guilty One), obra de estreia da escocesa Lisa Ballantyne (2012), arrasta-nos impiedosamente para o aterrador assassinato de um menininho de oito anos num parque e a suspeita de que seu amiguinho de onze anos seja seu algoz.
A narrativa é emocionante e envolvente. E num ping-pong com o pesado julgamento do menino Seb (Sebastian) e o passado turbulento de seu advogado Danny (David), a autora tem a competência criativa de apresentar, de forma sempre dissimulada na trama, seus principais personagens e os “crimes” por eles cometidos.
Todos temos deslises involuntários ou não em nossa existência. E Lisa sabe muito bem explorar esse fato no desempenho de um policial, um vizinho, um advogado, um jornalista, uma mãe, um pai ou quem quer que seja que participe da história. O enredo traga o leitor que, inconscientemente, vai avaliando e julgando as atitudes dos personagens e, sem perceber, comparando fatos de sua vida com a dos protagonistas.
Trata-se de uma obra profunda na análise psicológica dos personagens e de uma sociedade extremamente preocupada com aparências e julgamentos alheios. E isso é demonstrado com força principalmente na atuação maléfica da imprensa – o que não é novidade - considerando Seb, mesmo antes do julgamento, um monstro assassino de anjos, demonizando-o e moldando assim a opinião pública, colocando-a totalmente contra o garoto antes da sentença do tribunal.
David é um reputado causídico com grande experiência em episódios de delinquência juvenil, mas perturba-se com este julgamento já que muitas vezes sua meninice invade seus pensamentos conforme os fatos vão progredindo. Sua infância catastrófica é maravilhosamente apresentada pela autora com detalhes que mexem na sensibilidade de qualquer leitor.
Essas passagens do passado são muito intensas – assim como o julgamento de Seb – de uma forma bastante realista e muitas vezes chocante. A cada passagem estaremos refletindo forçosamente sobre nossos próprios passos como pais, filhos, professores, vizinhos, colegas, cidadãos. Lisa escava e exuma nossas culpabilidades, pois se trata de uma obra sobre a culpa. A culpa de todos nós.
Valdemir Martins
30/6/2019.
Leia mais em https://contracapaladob.blogspot.com/

site: https://contracapaladob.blogspot.com/
comentários(0)comente



Jaque - Achei o Livro 21/03/2019

Um drama arrastado que segura até o final e que não surpreende.
Sebastian de 11 anos é acusado de matar a tijoladas seu amigo Ben de apenas 8 anos. A estória já começa com Seb detido e Daniel chegando como seu advogado de defesa.
As poucas investigações realizadas provam que Seb é culpado, porém a defesa argumenta que não são suficientes para incriminá-lo e farão de tudo para derrubar a acusação e deixar a criança livre.
Durante a narrativa o leitor é apresentado ao comportamento do garoto Seb, sua personalidade e convívio familiar. Aqui nesse ponto vai muito do "achismo", já que Daniel não tem provas se o que Seb diz é verdade. Em nenhum momento ele confronta os pais do garoto.
Intercalando a narrativa, vamos conhecer a estória de Daniel que é filho de uma mulher viciada em drogas e logo cedo foi retirado de sua mãe e enviado à um lar adotivo. Sua estória será contada até chegar ao início da vida adulta.
Apesar de todas as dificuldades de Daniel, dos traumas sofridos ainda assim não consegui me ligar à ele, achei-o um garoto insuportável e foi difícil sentir carinho. Porém, Minie, sua mãe adotiva, uma personagem adorável e sofrida, foi a única na estória que senti empatia.
E Daniel na vida adulta pouco me agradou. Sua vida é chata, ele é cansativo e sem personalidade, não via a hora de sair da narrativa dele e voltar pra do Seb.
A estória é mais sobre a vida de Daniel do que sobre o crime que a sinopse apresenta.

A autora tinha tudo para construir um ótimo suspense, mas quis enrolar até o final com uma narrativa cansativa da rotina do advogado, enquanto ele remoía sua culpa pelo passado.
Páginas e mais páginas de encheção de lingüiça apenas para não contar a parte que interessa: Seb é ou não responsável pela morte da outra criança?
Acabei de fazendo leitura dinâmica por que não aguentava mais e só não desisti por que queria saber o desfecho, que aliás não foi nenhuma surpresa. A parte mais interessante acabou sendo o julgamento ainda que conduzido de maneira repetitiva.
Parte do desgosto é minha culpa já que eu esperava um thriller e recebi um drama, porém a autora me perdeu no momento em que percebi que ela ia encher o livro de detalhes. Para mim pareceu que ela não tinha ideia de como criar momentos de tensão.
E aquele epílogo? Serviu pra nada, desnecessário.
Bom, é isso! Desenvolvimento arrastado, personagens cansativos e final sem surpresas. Dificilmente lerei algo dessa autora novamente.

3 ★
Gratuito no Kindle Unlimited

site: http://acheiolivroperdiosono.blogspot.com/2019/03/o-culpado-lisa-ballantyne.html
comentários(0)comente



Aline Stechitti 26/11/2018

Maravilhoso!!
Um menino de 11 anos vai a julgamento na Inglaterra, acusado de assassinar outro menino de 8. De cara achei um bom suspense, mas foi além disso, se mostrando um excelente drama. O advogado é o personagem principal dessa história ao relembrar sua própria infância de rebeldia com uma mãe usuária de heroína, sobrevivendo a espancamentos, fome e desespero antes de encontrar um lar em um pequeno sítio de uma senhora viúva que mudou o rumo de sua história.
É interessante ler sobre um sistema diferente do nosso, em que aos 10 anos uma criança já pode ser julgada e condenada por seus atos. O paralelo com a vida do próprio advogado, salvo da criminalidade quando criança, mostra o que falta às sociedades de todo canto, que é a proteção e a segurança na infância. É mostrado que a questão deveria ir para além de uma sociedade saber punir os jovens, mas de saber salvá-los...
Eu AMEI a escrita desse livro, ela flui tão levemente que a gente até se assusta quando percebe que já está na metade da leitura. É maravilhosa a escrita, uma delícia as descrições, muito bom livro.
O final também é bom, mas não deixa de ser previsível. Deu pra adivinhar o que ia acontecer, mas eu fiquei meio com vontade de que acontecesse mais coisas. Dá uma coisa ruim ao final, tipo um pesar.
Não é um livro pesado, é um drama com suspense muito intrigante, com personagens excelentes e cativantes. Eu só não dou 5 estrelas porque algumas coisas foram previsíveis.
comentários(0)comente



dayukie 22/05/2018

"Demorei um tempo para conseguir fluir na leitura, a história de Daniel é um pouco pacata, sem muitos desfechos, mas como intercalava entre os dois, não ficava cansativo. É uma história tocante, muito bem escrita, com personagens bem desenvolvidos e com um final que vale cada segundo do nosso tempo lendo."

Resenha completa no blog.

site: https://goo.gl/HmXUaU
comentários(0)comente



Simone de Cássia 15/03/2018

Cheguei à esse livro por mero acaso, gostei da sinopse e resolvi arriscar! Esse é um daqueles casos em que a expectativa é pequena e a satisfação é enorme! Personagens bem construídos tecem a história em dois tempos e fazem da leitura algo instigante e diferente. À cada página a gente fica ansioso pra saber o destino de Sebastian e sem perceber vai se envolvendo cada vez mais no passado de Daniel, até que os dois momentos se encontram também com grandes revelações. Ótimo livro!
comentários(0)comente



San... 08/03/2015

Uma bonita narrativa, nada fantasiosa e de certa maneira triste. A autora explora a emoção dos personagens de forma delicada e sem resvalar para o dramalhão dando ao leitor a possibilidade de uma convivência pacifica com os sentimentos dos protagonistas... Dá para sentir os anseios, os medos, as tristezas, dá para escolher lados e ainda, ao final, não se desiludir com o enredo todo, com o desfecho da trama... Fica uma saudade suave ao final da leitura, uma vontade salutar de mais páginas. Bonito livro, recomendo.
comentários(0)comente



Só Sobre Livros 06/05/2014

Culpado ou inocente?
Confira resenha no blog

site: http://sosobrelivros.blogspot.com.br/2014/04/culpado-ou-inocente-renata-lima.html
comentários(0)comente



19 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2