O melhor lugar do mundo é aqui

O melhor lugar do mundo é aqui Francesc Miralles




Resenhas - O Melhor Lugar do Mundo é Aqui


8 encontrados | exibindo 1 a 8


Maria 07/10/2020

Mágico..
Acho que esse é o tipo de livro que se ama ou odeia. E eu realmente amei. Ele conta uma história sobre perda e luto de uma forma totalmente abstrata e mágica. Lindo e emocionante ver a protagonista descobrindo como viver sua própria vida após um trágico acontecimento, se encontrando, e aprendendo a lidar com suas dores e sentimentos.
comentários(0)comente



Yaz 27/07/2014

Tão surpreendente como mágica e tão delicioso quanto chocolate quente!
Eu fui incentivada por esta capa delicada e este nome curioso a ler este livro. Obviamente nós não devemos julgar um livro só pela capa, mas, claramente, ela tem o poder de atiçar nossa curiosidade. O melhor é quando o livro nos conquista no mais importante: o conteúdo, e este livro o fez.

A história começa a partir do momento em que Iris, a protagonista, está completamente desolada e sem vontade de viver porque perdeu os pais, a quem mais lhe trazia felicidade em sua vida monótona e sem amigos. A personagem se vê prestes a se suicidar, mas um menino lhe salva, um anjo talvez, e sem rumo ela caminha pela cidade até encontrar um local que ela nunca havia reparado antes, "o melhor lugar do mundo é aqui", que se trata de uma cafeteria mágica onde a personagem passa por lições ao lado de um homem, Luca.

Cada mesa em que passa nos sete dias tem sua propriedade e, graças a elas e a Luca, Iris muda sua vida completamente. Entrementes Iris adota o cachorro pirata, reencontra um antigo namorado chamado Olivier, e encontro Ângela, que trabalha em imobiliária e a ajuda a se desfazer do seu passado.

Mesmo quando você pensa que a vida desistiu de você, ela lhe surpreende com uma reviravolta descomunal. Contudo a descoberta do verdadeiro paradeiro de Luca, que some no sétimo dia, foi o que mais inundou meu coração de angústia e espanto e no final eu pude entender que a bonança não entraria em sua vida porque, de alguma forma, ele sempre estará zelando por ela.

Com acontecimentos envolventes e inusitados que o causará reflexões, uma trilha sonora de tirar folego e uma grande pitada de magia este livro o fará querer aproveitar sua vida em cada minuto e lhe causará reflexões intermináveis.



"Você lamenta o tempo todo pelas coisas que deixou de fazer ou que fez errado no passado, como se isso servisse agora para alguma coisa. Por que não se perdoa e admite ter feito o melhor possível em cada momento e lugar? As pessoas têm o direito de evoluir. E os anos devem servir para algo mais do que embranquecer os cabelos."
Monny 29/07/2014minha estante
Nossa...
Eu já estava morrendo de vontade de ler esse livro, fiquei muuuito mais curiosa agora!




Heidi Gisele Borges 06/01/2014

Esse é um livro triste.

Ou melhor, aqui a tristeza é a antagonista.

Então, essa é uma história simples e intensa, nela não caberia desenvolver, trabalhar mais para deixar um livro maior, é perfeita e completa como está.

Começa com o narrador falando que domingos são dias péssimos para se tomar decisões e Iris toma uma. Ela perde os pais em um acidente de carro e começa a perceber o quanto é ruim estar sozinha. Iris tem 36 anos, nenhum amigo ou parentes. Então, talvez dar um fim à sua vida seja a resposta para a sua angústia.

Sempre pensei que suicídio é a opção de pessoas egoístas, afinal, não querem lutar e, pensando friamente, isso dá muito trabalho aos outros. E Iris pensa assim também, por isso escolhe o domingo, quando menos gente usa o transporte. A linha do trem parece um ótimo lugar para dar início ao seu fim.

Quando ela se inclina para se jogar na frente do trem, um barulho a faz voltar ao mundo real. Olha para o lado e percebe um menino de uns seis anos segurando um balão estourado. Ele sai correndo e a ação a faz continuar andando.

Desiste de se matar.

Assim, ela segue triste sem rumo e acaba parando em frente a um pequeno café que nunca havia reparado, chama-se O melhor lugar do mundo é aqui.

Resolve entrar e tudo muda.

Atrás do balcão há um velho que indica que pode se sentar em uma das mesas vaga. É um lugar bastante agradável. Iris senta, então fecha os olhos para prestar atenção à canção e quando os abre conhece Lucas, um homem de mais ou menos a sua idade, cabelos grisalhos, misterioso, simplesmente porque ele faz jogos com ela. Não jogos de sedução, mas de conhecimentos.

Ela volta durante seis tardes e o encontra cada dia em uma mesa diferente, e Luca conta que cada um significa algo. Desta forma ela se descobre, aprende mais sobre si. E nada sobre o novo amigo, que resolve contar algumas partes de sua vida num momento. Iris volta no dia da sexta mesa, e o velho está desmontado todo o café. E diz que Iris não vai encontrar Luca, nem se procurá-lo.

Esse é um livro delicado, que mexe com sentimentos, escolhas, medos e principalmente o que é a felicidade e como se deve buscá-la sempre, e principalmente nos detalhes. Mas não se engane, não é uma obra que ficaria na prateleira de autoajuda. Se perceber, quase todos os livros de literatura podem ajudar, não há necessidade de um específico, chato, que diz faça isso, faça aquilo, sem nenhuma criatividade.

Aqui vemos que Iris nunca fez nada nesses 36 anos, não buscou nada que a completasse, a fizesse realmente feliz e transformasse seus sonhos em realidade. Apenas vivia sem nenhum motivo especial, nem ela mesma. Estava acostumada, ou seria resignada? Muitas pessoas vivem assim, mesmo não percebendo, seguem suas vidas sem nenhuma novidade, e dizem que não se importam. Mas como é bom se libertar um pouco do trivial.

O melhor lugar do mundo é aqui me fez pensar bastante sobre escolhas, idade, sonhos. Todos temos sonhos que adiamos, até que alguns não possam mais ser realizados por qualquer motivo. E será que realmente nos permitimos ser felizes? Às vezes temos tanto medo, do que o outro vai pensar, ou de não dar certo... pensamos demais na opinião de quem não importa, ou não se importa.

Muitas vezes passamos tanto tempo tentando agradar, que nos esquecemos de nossos desejos, sentimentos. E perdemos tempo também na internet, por exemplo, e nos esquecemos de viver com quem está ao nosso lado, ou que precisa de nós.

O melhor lugar do mundo é aqui (Editora Record, 160 páginas, R$25), de Francesc Miralles e Care Santos, é visualmente é uma obra bastante convidativa. Possui uma capa elegante, escura com a parte do título em alto relevo em rosa, sem contar o título que achei massa. Então leia esse livro simplesmente adorável e curta o momento.


site: http://mundodefantas.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Jacqueline 07/11/2013

Doce e comovente
" Você sabe o que dizia um famoso investidor norte-americano? Quando lhe perguntaram o que levava em consideração para decidir se financiava um projeto, ele respondeu: "Não acredito em nenhuma ideia que não possa ser escrita no verso de um cartão". Com isso, ele queria dizer que, se alguma coisa precisa de muitas palavras para ser explicada, provavelmente não é um bom projeto."

Tem livros que basicamente nos escolhem, e deveriam vir com uma bula escrito: Esse livro tem o poder de causar sérias reflexões a respeito da vida, e emoções capazes de fazer você chorar.
Fui conquistada à primeira vista pela elegante capa, que foi bastante convidativa, como se tivesse me chamando para sentar em uma mesa e pedir uma xícara de café. Depois fui influenciada pelo nome de Frascesc Miralles (autor de Amor em Minúscula e Queria que você estivesse aqui), pois sempre quis ler alguma obra do autor. E não teria começo melhor.

A história narrada em terceira pessoa nos apresenta a Íris, que após perder os pais, nunca mais sentiu alegria em viver. Decidida a tirar sua própria vida por conta da solidão, ela para em uma ponte sobre a linha de trem, e quando ensaia pular, um menino estoura um balão. Assustada em se dar conta do que estava prestes a fazer, ela segue o menino, e é quando se depara com um letreiro luminoso que diz: O Melhor Lugar do Mundo é Aqui.
Ao entrar no café ela não reconhece ninguém, e logo é abordada por Luca, que começa a lhe explicar sobre as propriedades mágicas de cada mesa. E assim Íris passa a frequentar o café todas as tardes, ansiosa por encontrar Luca. Só que na sétima tarde ele desaparece, e ela procura desvendar seu passado.

Aprendi a nunca subestimar livros com poucas páginas. Geralmente tenho tido ótimas leituras com livros pequenos, mas que trazem mensagens tocantes e inspiradoras.
Apesar de ser uma história relativamente simples, os autores criaram um enredo onde a magia se mistura com a vida real de modo muito convincente. Pensei que meu ceticismo atrapalharia no envolvimento com a pegada sobrenatural, mas isso não aconteceu. As explicações sobre o lugar foram bastante satisfatórias, e dá pra perceber o cuidado que ambos autores tiveram na hora de arrematar a história, sem deixar nenhum furo ou questionamento.

A angústia de Íris é transmitida com muita clareza, e é impossível não se sentir tocada por sua descrença na própria felicidade. Seu amadurecimento é gradual, e o impacto que Luca e o Mago - dono do estabelecimento - causa em sua vida, é perceptível em suas ações.
O romance não é o foco principal, e sim o aprendizado que a protagonista Íris adquire após viver uma experiência na mágica cafeteria.

Recheado com passagens de motivação, que certamente se encaixará em algum momento pelo qual o leitor esteja passando, O Melhor Lugar do Mundo é Aqui é um livro que precisa ser apreciado em doses homeopáticas. A história me causou diversas reações, e foi em lágrimas e sorrisos que conclui a minha leitura em uma tarde.

site: www.mybooklit.com
comentários(0)comente



Mila F. @delivroemlivro_ 17/11/2013

Muita sensibilidade e ternura nesse livro!
O Melhor Lugar do Mundo é Aqui, conta a história e Iris, uma mulher que esta infeliz, perdeu seus pais, não tem amigos, nem amigas, tem um trabalho que detesta e sua vida praticamente é um buraco, certa tarde ela resolve por fim a sua vida, mas por ironia do destino ela acaba não se matando, mas indo parar numa cafeteria chamada O Melhor Lugar do Mundo é Aqui, o nome muito longo e cheio de prepotência chama atenção de Iris.
Dentro da cafeteria ela conhece Luca que desde esse dia passa a ser seu amigo, mas ela começa a cultivar sentimentos por ele. Luca confessa para Iris que O Melhor Lugar do Mundo é Aqui é um lugar mágico e que cada mesa do estabelecimento tem um poder, além do mais, o dono do estabelecimento é um Mago. Iris começa a frequentar a cafeteria e a conversar com Luca e consequentemente a magia do lugar e as muitas reflexões sobre a vida fazem a vida de Iris melhorar, mas ela está envolta em um grande mistério: como pode O Melhor Lugar do Mundo é Aqui ser mágico? Quem é Luca? Entre muitas outras dúvidas.
Nesse interím, Iris adota um cachorro, Pirata, reencontra um ex-amor, Olivier, conhece Angela e vende seu apartamento cheio de passado. Tem revelações assustadoras e conhece um pouco mais sobre si mesma.
Ao ler O Melhor Lugar do Mundo é Aqui foi impossível não lembrar a leitura de O Pequeno Príncipe, são livro que passam uma lição de vida e uma moral que passeiam entre o psicológico, o interior ao exterior e sociologia e filosofia, um livro riquíssimo que pode encantar todos os mais insensíveis. Acredito que este livro foi bastante inspirado no de Saint-Exupéry.
Para finalizar, espero que minha resenha tenha despertado interesse de você, caro leitor, pois esse livro é lindo e encantador, se você leu e gostou de O Pequeno Príncipe, com certeza, a leitura de O Melhor Lugar do Mundo é Aqui é uma excelente pedida. Esse livro é muita fofura: rico em aprendizado, metáforas, filosofia e valores, um "Pequeno Príncipe" para que já perdeu alguém e ainda não aprendeu a dizer adeus.

Camila Márcia


site: http://www.delivroemlivro.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Vivi 15/04/2016

Leitura fácil e gostosa...conta a história de uma moça que perdeu os pais em um acidente de carro e que não tiveram tempo de se despedir, então ela tenta o suicídio e aí descobre um bar com o nome de "O melhor lugar do mundo é aqui" e a partir daí ela resignifica sua vida.
comentários(0)comente



Verônica Z 28/08/2016

Delicadeza
O livro é de uma delicadez extrema. A sensação que tive quando li foi de paz e tranquilidade.
comentários(0)comente



Luciana.Freire 23/12/2018

Poético!
Um livro encantador, delicado e cheio e lições de vida. Nos faz pensar, sonhar e questionar os porquês do destino.
Leia, é uma leitura fácil, fluída e muito prazerosa.
comentários(0)comente



8 encontrados | exibindo 1 a 8