Dançando Sobre Cacos de Vidro

Dançando Sobre Cacos de Vidro Ka Hancock




Resenhas - Dançando Sobre Cacos de Vidro


412 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Naty 23/09/2013

"– O amor não cura tudo, Lucy."

E enquanto eu contemplava meu marido trêmulo, percebi como as palavras do médico haviam sido proféticas. Puxei Mickey para mim e seus braços me envolveram. Qual era o plano de Deus?
Pág. 249



Antes de tudo: você irá precisar de lencinhos de papel. Ka Hancock começou muito bem! Seu livro de estreia é incrível e super emocionante. A escrita lembra um pouco a de Seré Prince (O maior amor do mundo), posso até dizer que também parece com da Hannah Kristin, porém a escrita da Hannah é mais forte e desestabiliza o leitor. Já de Ka Hancock, apesar de ser emocionante e fazer o leitor chorar, ela é mais seca, enxuta nos sentimentos. De qualquer forma, essas três autoras citadas são fenomenais e vale a pena pesquisar e ler seus livros.

Lucy Houston tem um histórico familiar complicado, sua mãe faleceu de câncer, sua irmã mais velha teve câncer, mas se curou e ela própria quase morreu ao tratar de um câncer. Mas irá fazer cinco anos que não apareceu mais nada e mais um pouco e ela poderá comemorar essa vitória. O câncer é uma doença terrível e atinge não só Lucy, mas toda sua família. Estar doente e à beira da morte devastou seu marido. Mas isso são águas passadas, Lucy agora está bem.

Mickey Chandler, marido de Lucy, tem outro histórico familiar complicado. Ele herdou a doença mental da mãe, ele tem transtorno bipolar. E apesar de ser uma doença mental e por vezes precisar se internar na ala psiquiátrica do hospital, na maioria das vezes ele está bem. Basta tomar religiosamente seus medicamentos e ficar atento a qualquer sinal de mudança em seu humor. No princípio, quando conheceu Lucy, tentou fugir dela e do amor. Ele é instável, mentalmente desequilibrado e não queria que ela estivesse perto quando ele tivesse surtos psicóticos. Mas Lucy foi persistente e não aceitou não como resposta. E assim eles se casaram.

Para o casamento dar certo, Mickey e Lucy impuseram regras, como: aceitar a doença de Mickey e entender que as variações de humor não são culpa dele e o principal: jamais ter filhos e passar a herança genética pra eles. Por isso, aos 27 anos Lucy fez uma histerectomia.

O tempo passa, Mickey e Lucy irão comemorar 11 anos de casamento, mas Mickey está internado. Ele teve um forte surto e ainda não teve alta. Lucy acabou de voltar de uma consulta com sua médica e se tudo der certo, serão cinco anos sem câncer. Mas o que ninguém esperava era... Lucy estava grávida! Isso mesmo, não se sabe se foi o destino, Deus ou ambos, o fato era que as trompas de Lucy se religaram e um espermatozoide esperto conseguiu ultrapassar o estreito canal e o improvável aconteceu: Lucy estava grávida.

A partir daqui que a história fica emocionante e complicada. Uma mãe que faz exames religiosamente à espera que o câncer volte, um pai com problema mental que de vez em quando surta e precisa ser internado. Como esse bebê viverá com pais assim? E se esse bebê herdar os genes defeituosos dos pais? E se... São várias as variáveis e tanto Lucy quanto Mickey precisam tomar uma solução quanto a isso.

Enredo marcante, personagens fortes. Ka Hancock escreveu um grande livro. Não vou falar mais do que isso, por que seria spoiler, mas garanto: você, caro leitor, irá se emocionar. A partir da gravidez de Lucy, a autora brinca de parque de diversões e você será jogado diretamente na montanha-russa. Prepare-se. Sou suspeita para falar, porque adoro ‘livros de chorar’. Eu gosto do fato que um autor conseguiu, através das palavras, mexer com meus sentimentos ao ponto de me fazer chorar. Esse poder é impressionante. Há pouco tempo li uma frase sobre isso, algo como: quando a leitura é muito boa e te prende, você não é apenas um leitor lendo sobre um personagem, você é o próprio personagem e sofre (ou ri) no lugar dele. Dançando sobre cacos de vidro (Arqueiro, 336 páginas, R$ 29,90) é isso! Recomendo.

site: http://www.meninadabahia.com.br/2013/09/dancando-sobre-cacos-de-vidro-ka-hancock.html
Bruna 24/09/2013minha estante
Achei ótima a sua resenha... Parabéns! Estou me contendo para não sair correndo para a livraria... hahahaha :)


Natiii 29/09/2013minha estante
A sua resenha me lembrou um livro que eu li anos atrás e que foi marcante: Souvenir (Therese Fowler),só espero que o final não seja parecido.

Ótima resenha!


Amanda 10/05/2014minha estante
Alguns lencinhos de papel não são suficientes. Fazia tempos que não chorava tanto com um livro! Mickey é um amor


Lauracrizi 17/10/2015minha estante
Precisei de muitos lençinhos.... Lucy uma guerreira


Caroline 11/04/2016minha estante
Chorei, compulsivamente, durante 60% do livro.


claudiataissa.cruzoliveirasant 04/06/2016minha estante
só uma correção histerectomia é a retirada do útero o terma certo para o procedimento é laqueadura de trompas


Jane 21/07/2017minha estante
É um dos livros mais lindos que já li. Senti na pele e entendi bem o medo das irmãs, pois estou nessa mesma condição, perdi minha mãe da mesma forma. O livro me ajudou muito...


Lucia.Ferreira 20/05/2020minha estante
Gostei muito desse livro, mas acho que a autora poderia ter escrito de uma forma mais bem humorada, pra tirar esse peso tão gigante desses assuntos dolorosos. Quer apelar às lágrimas. Mas é uma boa leitura sem dúvida.




Juliana Rodrigues 20/05/2020

Esse é um daqueles livros que você termina se perguntando o motivo de não ter lido antes. Posso dizer que se tornou um verdadeiro tesouro encontrado dentre tantas leituras.

Quanta sensibilidade!

É uma história linda sobre amor e esperança, que faz com que você enxergue a vida sob outra perspectiva. Poucos livros me emocionaram tanto.

"Não existe atalho, é preciso percorrer o caminho!"
Katia.Calasans 20/05/2020minha estante
Achei a Lucy uma mulher muito guerreira, tantas dificuldades em que ela passou ali sozinha, ela bem que podia ficar mergulhada em autopiedade, mas não, ela escolheu encarar a realidade e lutar por aquilo que ela amava e acreditava. As vezes ficamos nos lamentando por tão pouco né? tirei ótimas lições dessa leitura.


Juliana Rodrigues 20/05/2020minha estante
Muito guerreira!

Foram tantas lições ...

Não tem como terminar essa leitura sem pensar nas nossas próprias atitudes diante dos problemas que a vida coloca em nossa caminho.

Em pensar que li esse livro apenas por causa de uma publicação sua, não posso deixar de agradecer hahaha ?


Katia.Calasans 20/05/2020minha estante
Verdade, Ju. Temos tantos motivos para ser gratos, mas as vezes diante do menor problema já queremos desistir.
Hahaha... Bigadu.
Acho muito legal ter esse espaço aqui para compartilharmos nossas experiências e adquirir sugestões literárias.


Juliana Rodrigues 20/05/2020minha estante
Exatamente, por isso considero esses livros verdadeiros tesousos, sempre conseguimos extrair algum ensinamento e levar para a vida.

Também adoro ?




Juliana Esgalha @juesgalha 01/06/2020

Um amor realisticamente cru e altamente emocionante
Esse livro foi indicado pela minha amiga Lu do meu grupo literário porque ela sabe que eu amo um drama bem contado, daqueles de ter que ler com uma caixa de lencinhos ao lado. Eu não conhecia essa autora, na verdade, muito menos o livro e me surpreendi. ‘Dançando sobre Cacos de Vidro’ conta a história de Lucy e Mickey, uma história linda de amor, mas com um plus de um “pequeno detalhe”: Lucy já passou por um câncer super agressivo, corre o risco da doença voltar e Mickey é bipolar. Aliás, este livro me ensinou muito sobre esse transtorno que muitas coisas contadas no livro eu não fazia a mínima ideia de como eram e a autora teve uma sensibilidade enorme em abordar esse tema sem romantizar a doença.

Lucy é uma pessoa completamente altruísta, ciente da sua realidade e com um força interior extraordinária e uma bondade sem tamanho. Mickey é um ótimo rapaz também: gentil, prestativo, amoroso, mas ele não acredita em si mesmo e se vê como um autodestrutivo em potencial principalmente quando sua doença o assola. O caminho dos dois se cruzam quando Lucy tem apenas 21 anos e neste mesmo instante – mesmo aos tropeços – a história de amor dos dois se inicia. A narrativa é contada através de um diário que Mickey escreve ao terapeuta e em primeira pessoa por Lucy, eu gostei muito dessa ideia da autora, pois as perspectivas desses dois personagens couberam no mesmo capítulo o que deixou a história ainda mais envolvente.

“Não é fim. Ouvi as palavras do meu pai ecoarem.
– Não é o fim – Repeti baixinho.
Isso tinha que ser verdade. Eu precisava que fosse. Sem dúvida a nossa vida tinha uma finalidade maior do que construir uma posterioridade que jamais conheceríamos.”

‘Dançando Sobre Cacos de Vidro’ é uma história de amor maravilhosa, mas é realisticamente crua, com os pés no chão. Ela mostra que o amor não necessariamente tem o poder da cura, mas é acima de tudo resiliente e transformador na vida de duas pessoas que se amam de verdade.

O livro também aborda diversos outros temas como amizade, os mistérios da morte, família, valores e de sempre acreditar no potencial de quem se ama, mesmo quando a pessoa custe a enxergar no que pode ser capaz. A família de Lucy é adorável e teve um peso fundamental em toda a narrativa também, assim como seus amigos, portanto, há personagens secundários tão importantes quanto o casal protagonista.

site: https://shejulis.com/livro-dancando-sobre-cacos-de-vidro/
Juliana Rodrigues 01/06/2020minha estante
Nossa, amei muito sua resenha! ?

Concordo com todas as suas palavras. Esse livro se tornou um dos melhores do ano para mim.


Juliana Esgalha @juesgalha 01/06/2020minha estante
ah Ju, minha xará, obrigada!! Eu amei ler esse livro tbm, ele foi indicação de uma amiga minha


Juliana Rodrigues 01/06/2020minha estante
Sim ?

hahaha

Melhor indicação da vida!


Cristiane 02/06/2020minha estante
Eu amei esse livro!!!




Caio Mário 23/04/2020

Que livro maravilhoso aaaaaa
Achei tudo simplesmente perfeito. Escrita, enredo, acontecimentos, personagens, tudo muito lindo.
Junior 23/04/2020minha estante
Muito perfeitooo.




Sabrine Borges 03/03/2014

Um amor impossível
Se preparem para fortes emoções! Esse livro prende do começo ao fim, é tipo uma dança gostosa e fácil de se embalar, rs


Um casal improvável, um amor quase impossível.. assim que começou o relacionamento de Lucy Houston e Mickey Chandler. Ela com propensão a ter câncer e ele com transtorno bipolar. Eles nunca deveriam se apaixonar, mas não foi assim que o destino quis. Eles se casaram e foram muitos felizes, mas sabiam que não poderiam ter filhos para não passar as doenças para sua família. Mas algo inesperado aconteceu - Luce engravidou. Aí os problemas começaram, pois além de grávida ela descobriu que estava com câncer. E agora? Os medicamentos eram fortes demais e iriam matar a criança... O que fazer para salvar sua filha?
Luce até tem a opção de abortar, mas simplesmente não conseguiu fazer isso. Na minha opinião se ela tivesse abortado tudo ficaria mais fácil, aí ela poderia fazer a terapia e tomar os remédios necessários. Mas é uma vida, uma vida que ela mesma gerou. Como abortar uma criança inocente que não tinha culpa de nada? O jeito foi conviver sobre os cacos de vidro.. doente e esperando uma filha. Nem sempre nossos planos dão certo. As vezes Deus tem outros planos para nós..

O fim é lindo, assim como o livro todo. Só tenho a agradecer a Ka Hancock por escrever um livro tão emocionante que me fez pensar sobre família, filhos, doenças... Aprendi mais sobre transtorno bipolar que é uma doença séria que pode até levar a depressão. O livro é narrado pela Luce e pelo Michey, então dá pra saber as emoções de cada um.
Resumido: PERFEITO!
Daniel 03/03/2014minha estante
Gostei da resenha, me deixou curioso e com vontade de lê-lo! Parabéns




Jacqueline 06/01/2014

Primeiramente preciso dizer que se você não estiver preparado para receber uma alta descarga emocional, deixe essa leitura para depois. Dançando sobre cacos de vidro me fez refletir, me fez sentir sufocada, me fez emocionar e me fez acreditar que o amor não precisa ser perfeito para dar certo. Confesso que teve horas que me fez querer abandonar o livro, não por achar ruim, mas porque era muita tensão, muito forte emocionalmente falando. No entanto, livro recomendadíssimo, mas como disse, para ler,é necessário estar preparado emocionalmente para mergulhar nessa estória,que nos deixa uma bela lição de amor.
Dani 25/03/2017minha estante
Não gosto muito de livros extremamente triste como esse pare ser.
Mais esse estória é tão boa,e você está recomendando, que eu colocar na minha lista de desejados.




Aline Obnesorg 01/08/2020

Um caco direto no coração.
Aviso: Um drama dos pesados!

Essa é uma história para os fortes.
Impossível não se envolver com o drama, dor e superação dos personagens.
Um livro que retrata o que é o verdadeiro amor e o que ele é capaz de suportar.
Prepare os lenços. E se prepare para uma história que com certeza vai te fazer pensar nela antes de dormir.

5/5
Vaninha 01/08/2020minha estante
Do meio para o fim eu era só lágrimas. Acho que nunca vou conseguir ler de novo.


Aline Obnesorg 01/08/2020minha estante
Eu demorei um tempo pra me recompor, viu. Rs
E até hoje é uma história que ficou na mente.




ximenesbru_ 16/07/2020

Uma leitura emocionante!
Este livro nos mostra que o amor não é tudo, mas que ele nos fortalece, nos faz querer ser melhor.

Essa trama mostra o amor da família e amigos, todo desenrolar da história é angustiante, lindo e emocionante!

Recomendo a leitura, trás um quentinho no coração.
comentários(0)comente



MiCandeloro 28/09/2013

Uma lição de amor!
Oi meus amigos, saudades. Vocês não imaginam a minha felicidade de finalmente colocar as coisas do blog em dia! Não só consegui responder a todos os comentários, como tive tempo de visitar os blogs que gosto, comentar e voltei a escrever novos posts. O que me salvou foram os milhares de posts já escritos que tinha no rascunho, que acabaram abastecendo meu cantinho enquanto estive "ausente". Mas espero que essa fase tenha acabado. Minha vida continua uma bagunça, mas uma bagunça gostosa. E em breve trarei muitas novidades para vocês.

Bora resenhar esse magnífico lançamento da Arqueiro?

Em Dançando Sobre Cacos de Vidro conhecemos o casal Lucy e Mickey, pessoas profundamente marcadas por traumas e sofrimentos vividos anteriormente, mas que viram um no outro a possibilidade de seguir em frente. Lucy trazia em seu gene uma terrível doença: o câncer, que foi responsável por matar diversos integrantes de sua família e continuava rondando e ameaçando a sua vida, bem como a de suas irmãs, Priss e Lilly.

Já Mickey era um homem mentalmente doente, ironicamente presenteado pela genética com o transtorno da bipolaridade, uma doença que se não tratada, poderia levar a severa psicose e ao suicídio. Mickey desde pequeno percebeu ser diferente e muito cedo abriu mão de sonhos, pois tinha certeza de jamais ser capaz de vivê-los. O que ele não podia imaginar é que Lucy entraria em sua vida.

No aniversário de 21 anos da menina, ambos se conheceram no bar em que Mickey trabalhava e uma fagulha se acendeu entre os dois. Apesar dos esforços de Lucy, Mickey tentou de tudo para afastá-la. Ele não se julgava capaz de ter uma relação "normal" e não acreditava que Lucy pudesse amar o seu verdadeiro "eu", com todos os seus defeitos.

Lucy, ao contrário, teve certeza desde o início de que amava Mickey profundamente e que sem ele não poderia viver. Aprendeu tudo o que pôde sobre a doença, aceitou as limitações do seu amado, e casou-se com ele. Apesar das inúmeras dificuldades e desafios, por 11 anos o casal foi extremamente feliz. Até que um dia, o inesperado aconteceu. Lucy engravidou como que por um milagre, afinal, anos antes ela tinha feito ligadura de trompas, quando ela e Mickey haviam decidido nunca ter filhos para não transmitirem a eles suas doenças genéticas. Mas com Deus não se discute, e quando Lucy soube da notícia vibrou de felicidade.

Mas como seria para um bipolar, que nem sempre é capaz de cuidar de si mesmo, enfrentar as responsabilidades da paternidade? E como seria para uma mulher, ex-vítima de câncer, perpetuamente apavorada com a possibilidade de lidar com uma recorrência, colocar em risco a vida do seu bebê, ou de transmitir a doença geneticamente a ele, ou então pior, de adoecer e não vê-lo crescer?

Este casal, extremamente corajoso, mas ao mesmo tempo temeroso com o futuro, dançará eternamente sobre cacos de vidro. Porque se viver já não é fácil, conviver com essas doenças, limitações e desafios, é menos ainda. Querem saber o que o destino lhes reserva? Leiam e descubram!

***

Essa semana não resisti e dei um jeito de ler um livro, estava precisando disso, e escolhi Dançando Sobre Cacos de Vidro, da autora Ka Hancock. Desde que o livro foi lançado, simplesmente fiquei muito curiosa ao ler a sinopse. Que ousadia e originalidade escrever uma história de amor tempestuosa sobre uma vítima de câncer e um bipolar. Só fui ingênua demais ao achar que tudo fosse acabar bem, coisa que não aconteceu, já alerto!

Jurava que o livro fosse "apenas" relatar a dificuldade diária de pessoas doentes tendo que lidar com uma gravidez inesperada. Seus desafios e temores em relação a maternidade/paternidade e expectativas futuras. Mas não. O livro vai muito além. A história tomou um rumo inesperado para mim, talvez por ingenuidade, talvez por não ter observado muito bem a capa. Mas não matei a charada de cara, e quando a ficha caiu, eu simplesmente quis chorar.

Enquanto lia o livro, fui invadida por diversas emoções. O texto é tão delicado que chega a arrepiar. Em muitos trechos há pitadas de humor e em outros o desenrolar é extremamente triste, mas o mais importante, é muito realista. O tempo todo me lembrava de Como eu era antes de você.

É tão absurdo dividir o cotidiano de Mickey, um personagem tão cheio de vida e de amor, mas ao mesmo tempo com tantos temores e tão perdido. É triste demais ver o quanto ele não acredita em sua capacidade e como muitas vezes ele se entrega para a doença. Mas ao mesmo tempo, é estimulante vibrar com as suas vitórias e com o quão forte ele consegue ser, ao não se deixar definir pela bipolaridade. E ele tem Lucy como um eterno estímulo.

Quanto a Lucy, que personagem apaixonante. Tão cheia de garra, nunca se deixando abater, não importando a adversidade. Sempre colocando os outros na frente de tudo, abnegada, resiliente e otimista. É arrepiante compartilhar o amor que ela sente por Mic, por seu bebê e por sua família. São amores tão intensos que chegam a transbordar dentro da gente, e ao final, ela não podia dar prova de amor maior a todos eles.

Da mesma forma, os personagens secundários são uns queridos. Impossível não se apaixonar por Ron, Jan e Harry, ou se irritar com Priss, mas ao mesmo tempo reconhecer sua força, ou se compadecer de Lilly, mas admirá-la por sua doçura. Adorei o clima de "interior" em que a história se passa. Aquela coisa de que todos se conhecem, todos se ajudam e de que existem diversos rituais e festas na cidade em que todos participam. Adoro essa sensação de família unida, de conforto, aconchego e segurança.

Quanto ao livro, a grande maioria dos capítulos é narrada em primeira pessoa por Lucy, porém, em todo início de capítulo há fragmentos de um diário escrito por Mickey, onde ele fala sobre seus sentimentos e demônios. Isso nos oportuniza conhecer o seu lado da história, que é tão significativo quanto o de Lucy.

Apesar dos temas abordados serem fortes e sofridos, a autora os escreve de maneira tranquila, envolvente e muito emocionante. Chorei diversas vezes no decorrer da história, obviamente morri chorando ao final. Só achei que o livro não precisava ser tão extenso. Em algumas partes o considerei repetitivo e levemente cansativo, porém, talvez a intenção da Ka tenha sido justamente nos apresentar as minúcias do cotidiano de Mickey, Lucy e sua família, sem pressa e de maneira tão detalhada a ponto de fazerem parte da nossa própria vida.

Impossível não terminar de ler Dançando Sobre Cacos de Vidro e não ficar horas, dias, pensando no livro. Ou então não ficar matutando sobre o que faríamos se "isso" ou "aquilo" tivesse acontecido conosco. Por fim, o livro nos mostra que é possível encontrar o amor nos lugares mais impróprios, e que não há maneira certa de amar. Além de que o essencial é termos ao nosso lado as pessoas que realmente importam, porque sem elas, nossa vida não teria sentido.

Só posso dizer: LEIAM! Dançando Sobre Cacos de Vidro é uma grande lição de vida.

Resenha originalmente postada em: http://www.recantodami.com/2013/09/resenha-dancando-sobre-cacos-de-vidro.html
Christies 29/09/2013minha estante
Adorei sua resenha, me deu uma vontade muito grande de ler o livro. E eu já consegui prever o final, mas enfim, isso não muda a vontade de ler esse livro. =D


Natiii 29/09/2013minha estante
UAU,sua resenha me deixou sem palavras.

Eu tinha esperanças que esse livro tivesse um final diferente de Souvenir (Therese Fowler),mas pelo visto apesar de serem estórias diferentes é tão heartbreaking quanto o outro.

Prevejo que irei me debulhar em lágrimas com esse livro.


Hanier Miranda 29/03/2015minha estante
O que posso dizer?, cara eu ainda não tinha lido uma resenha tão grande, e ao mesmo tempo sem contar spoilers, me impressionar com cada palavra, e o quanto me identifiquei com o seu texto, cada trecho, cada comentário, eu li o livro e me apaixonei, mas não tinha encontrado alguém que falasse tão bem, achei cansativo e repetitivo também, mais amei.




Renata Lohani 30/10/2020

Lindo e emocionante
Terminei o livro e estou acabada. Realmente é um livro pra se chorar.
Desde o início Lucy e Mic me encantaram. Lucy ainda mais, amou Mic por inteiro e mostrou pra ele desde o começo que queria ficar com ele apesar de ele não se achar merecedor.
"Então o restante do mundo desapareceu e só ficou ela. Não sei o que Lucy fez, mas de alguma forma conseguiu que eu saísse de trás do personagem que mostrava ao mundo e olhou para quem sou de verdade. E não titubeou. Quando a beijei, por pura diversão, e ela retribuiu, acho que a reconheci de um jeito cósmico, como uma parte perdida de mim mesmo que eu não sabia que tinha perdido."
Morri de amor...
Sem palavras pra demonstrar todos os mejs sentimentos por essa leitura.
Todos os personagens com suas dores, suas batalhas, e toda uma atmosfera de amor entre eles, nossa muito bom.
Passei algumas leves raivinhas? Sim. Mas no decorrer tudo se encaixou.
Os personagens se desenvolvendo tbm na estória, é muito bom ir notando ao decorrer do livro.
Lucy é sensacional, que mulher viu?! Exemplo de amor...
Recomendo muito esse livro, é muito tocante e real, chorei demais demais, um dos que mais chorei, sofri com os personagens.
Enfim, só leiam, é demais!
comentários(0)comente



Kah 12/07/2020

Emocionante
Livro lindo, me tocou de formas indescritíveis. A forma que a autora abordou as doenças Câncer e Bipolaridade e como é difícil lidar com gente assim principalmente quando se tem uma relação foi perfeita. Amei muito
Favorito da vida
comentários(0)comente



Jacqueline 05/11/2020

Amei a leitura
Um livro primoroso, forte e que nos prende a cada página. Uma história de amor tocante e linda que me deixou impactada. Amei demais.
comentários(0)comente



Dri 20/07/2020

Dançando sobre cacos de vidro
“Todo casamento é uma dança: complicada às vezes, maravilhosa em outras. Porém haverá momentos em que vocês dançarão sobre cacos de vidro.”
Essa é a frase que encontramos na capa do livro e é exatamente isso o que acontece no casamento de Lucy e Mic. Eles lutam contra todos os obstáculos para ficarem juntos e descobrem como é passar por momentos difíceis com alguém que se ama ao lado. Todos os seus dias são regados de incertezas, eles não sabem se continuarão bem no dia seguinte, por isso buscam aproveitar todos os momentos ao máximo.
O livro é narrado em primeira pessoa pela Lucy, mas em cada início de capítulo vemos uma visão do Mic sobre acontecimentos da vida deles. Em minha opinião, adorei bem mais esses momentos em que o Mic narrava, a sua visão sobre os acontecimentos e períodos bons e ruins me fizeram imergir mais na história e me sensibilizaram mais. Eu não consegui me apegar à Lucy, ela não me passou emoção, assim como não consegui sentir nada pelas irmãs delas. O único personagem que me cativou foi o Mic, gostei muito da visão dele sobre as coisas e pude sentir como é ter um transtorno tão complicado. No mais a história não me prendeu, li para o meu clube do livro e, infelizmente, finalizei com uma sensação de "até que enfim". Não é um livro que vou querer reler, mesmo gostando muito do Mic.
comentários(0)comente



Lala 26/08/2020

Recomendo
Li através de uma indicação e adorei! História incrivel de amor e superação ! Me emocionei em diversos momentos.
comentários(0)comente



Rosi Ramos 31/12/2013

Estupefacta!!!!! sem fôlego...entregue...
É assim que estou ao terminar este livro estupendo! talvez o livro mais emocional que eu já tenha lido...comecei a leitura sabendo que iria encontrar fortes emoções e mtas batalhas ao longo do enredo, mas jamais, ressalto, JAMAIS pensei que iria viver tudo que vivi ao longo das 329 páginas. Meu coração pulsou...morreu...pulsou...morreu, a cada vez que Lucy, com sua braveza de espírito superava uma das inúmeras dificuldades pelas quais passou. Sangrei com seu sofrimento, chorei com suas perdas, vibrei com suas vitórias, morri um pouco com cada pequeno pedacinho de vida perdido...
Estou aqui sem palavras, completamente entregue ao sabor de toda gama de sentimentos que um coração leitor pode assimilar diante de tantos sentimentos. Me vi no papel de Lucy e repensando algumas das questões que a vida nos apresenta, vendo do lado de fora como tudo seria se fosse comigo. Pensei, pedi, agradeci a Deus por me proporcionar tantas alegrias, e uma delas é ter a chance dessa leitura que faz com que repensemos o verdadeiro valor que damos a quem esta próximo a nós e o quanto de nosso dia dispensamos para mostrar a importância que eles tem em nossa vida. Lucy, mostrou que msm nas adversidades mais duras, e na eminencia da perda de sua vida, temos que encarar nossos medos, viver experiência e ver lá adiante o que de bom ficou de tudo isso, temos que acreditar na força dos outros, mesmo que estes não tenham confiança em si mesmo e deixar uma palavra amiga sempre, msm que o horizonte esteja escuro e nublado; lutar pelo que acreditamos e não esmorecer. Ela acreditou na força de Mickey, mesmo quando ele não acreditasse em si mesmo, e deixou o maior tesouro que podia a esse homem, a continuidade de si mesma em uma guerreirazinha linda, a Abby, que lutou pra ficar.
A carta que Lucy deixou com Lily arrasou meu coração, fui ás lágrimas e me perdi em soluços sem medo de chorar, uma comporta de sensações e sentimentos se abriu e meu coração confrangido por tudo que tinha lido e sofrido até ali, me entreguei...isso tudo acontecendo ali, com meu marido dormindo ao meu lado em plena madrugada. Posso dizer que ainda estou em transição e tentando absorver tudo que vivi ao longo do dia de ontem, com Lucy e seu eterno poder de viver e se perpetuar em nossos corações, em meu coração...
comentários(0)comente



412 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |