Longe da Árvore

Longe da Árvore Andrew Solomon




Resenhas - Longe da Árvore


3 encontrados | exibindo 1 a 3


eduardoin 23/12/2017

Este livro mudou minha forma de ver a paternidade.
Terminei de ler "Longe da Árvore" às vésperas do Natal e do nascimento da minha filha. Vi o tema e as várias indicações como uma missão a realizar, uma forma de aumentar minha visão sobre aquilo que ocorre em algum nível: os filhos são sempre diferentes da projeção imaginada pelos pais.

Através de um grande número de casos e experiências, a obra retrata como é a paternidade em relações de identidade horizontal, ou seja, filhos que não possuem a mesma identidade dos pais: surdos, anões, portadores de síndrome de Down, autistas, esquizofrênicos, portadores de deficiência, prodígios, filhos de estupro, criminosos, transgêneros. Cada capítulo é um mergulho em um universo carregado de angústias, dificuldades, preconceitos, violências. E ainda assim, povoado por inúmeras histórias de um amor difícil de tangibilizar.

Comecei a lê-lo com um intuito de me preparar para qualquer tipo de situação parecida que eu possa vir a enfrentar no desempenho da paternidade. À medida que a leitura avançou, senti uma grande transformação ocorrer em mim. Ganhei a percepção de que o temor de todos os pais (que seus filhos sofram, que não sejam felizes) é um fantasma eternamente presente. Não há como fugir disso. Se a iminência deste fracasso paternal nos ronda, devemos aceitar o fato e lutar com amor, companheirismo, resiliência.

Mas a questão é mais profunda que uma visão mais ampla da paternidade. Imergir no mundo das pessoas que vivem com a diferença e sentir suas dores me fez enxergar mais facilmente que essa relação é facilmente extrapolada se encararmos todas as nossas relações com mais empatia. No fundo, somos todos uma grande família, em um mar de diversidade, navegável quando respeitamos o próximo.

Andrew Solomon é gay, e a narrativa de sua juventude ajuda o leitor a entender como o sentir-se diferente é muito mais profundo e complexo para quem é o vetor da diferença. Sua história de como se tornou pai é uma vitória da diversidade e, acima de tudo, uma vitória do amor.

"Longe da Árvore" não é fácil. Mais do que longo, o peso de cada um dos capítulos derruba e exaure o leitor, sempre jogando-o para dores ainda mais fortes. Chegar ao fundo o transforma em alguém melhor. E transforma o mundo em um lugar melhor.
Walkí­ria Silva 16/04/2018minha estante
undefined




Carmem.Toledo 20/04/2016

Uma obra que deveria ser lida e debatida por todos
Este é uma excelente obra de Andrew Solomon, que fez uma minuciosa pesquisa antes de colocar seus estudos e pensamentos no papel. O livro provoca o leitor, fazendo-o rever muitos de seus conceitos - e perceber o quão preconceituosos todos nós somos, sem que nos demos conta disso. A identidade é algo que todos nós buscamos, desde que chegamos ao mundo. O autor fala sobre os dois tipos de identidade: a vertical e a horizontal e como ambas são construídas. O livro é formado por vários capítulos, sendo que cada um trata de um tema: autistas, pessoas com Síndrome de Down, surdos, anões, pessoas com deficiência múltipla, prodígios, transgêneros, filhos concebidos por estupro, esquizofrênicos e menores infratores. Uma obra que deveria ser lida e debatida por todos.

site: http://superspecialis.blogspot.co.id/2015/02/inclusao-escolar-e-deficiencias-em-geral.html
comentários(0)comente



Débora A. 09/07/2016

Bonito, comovente, pessoal. O livro consegue nos ensinar empatia por meio de histórias tão belas quanto difíceis. O amor está presente e triunfa em todas elas, apesar do caminho tortuoso que ele enfrenta, sofrendo preconceito, estigma, transformação e por fim, aceitação.
Dividido em capítulos, cada qual tratando de uma identidade, o texto segue uma fórmula simples e didática alternando dados/ pesquisa com entrevistas.
Vale toda pena ler!
Vivi 10/09/2018minha estante
undefined




3 encontrados | exibindo 1 a 3