Um Toque de Morte

Um Toque de Morte Luiza Salazar




Resenhas - Um Toque de Morte


30 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Aimée 03/09/2018

Um Toque de Morte – Luiza Salazar
Nada como pegar um livro e logo após a sua leitura pensar “como assim esse livro é nacional?!” Adoro me surpreender dessa forma!

Luiza Salazar nos conta a história de Katherine, uma ceifadora, que possui a capacidade de matar tudo aquilo que toca.
Abandonada em um orfanato na cidade de Nova York, a garota aprendeu a conviver com sua habilidade e usa-la a seu favor, assim ela acabou indo trabalhar com O Chefe, que a paga para ceifar pessoas.
Além de seu trabalho nem um pouco convencional, Kat tem uma vida pacata, dias entediantes na escola e apenas uma amiga, Rebecca, que também é sua colega de apartamento. Mas nada que não possa agitar essa vida sem graça, não é mesmo? Ainda mais quando dois garotos começam a frequentar a escola, Eric um metamorfo e Vince um ventríloquo. E para fechar com chave de ouro, O Chefe apresenta um trabalho inusitado para Kat, vindo de um cliente misterioso.
Legião e Ordem. Uma briga centenária. Um lado a escolher, mas qual?

Me surpreendi com essa leitura, ainda mais que achei por acaso no Skoob. O gênero sobrenatural é o meu gênero literário favorito, então sou meio suspeita para falar sobre hahaha. Os personagens são bem construídos e bem interessantes ainda mais que alguns deles possuem aquele r de mistério e de saberem mais do que aparentam.
Admito que o livro me fez lembrar muito a trilogia Mestres da Maldição (que recomendo, é MUITO bom!), mas cada história é uma história e as semelhanças ficam apenas em habilidades que as pessoas portam.
A autora me deixou bem curiosa a respeito do desfecho da história. Não vejo a hora de ler Um Beijo de Morte!
comentários(0)comente



AB 24/12/2017

O livro é realmente muito bom. Ele possui uma história envolvente, o que faz com que a leitura seja rápida e gostosa. Outra característica interessante é a personalidade da personagem principal, ela muitas vezes é irônica no seu modo de falar, o que dá um ar bem humorado há alguns trechos da história e ela também é um garota forte que sempre teve que cuidar de si mesma e não depender de ninguém, então ela não é do tipo "donzela em perigo".

Na história, nós primeiramente somos apresentados a Kat. Ela é uma garota orfã, que foi deixada num orfanato e ainda muito nova acabou descobrindo que tinha habilidades. Acontece que ela possui o poder de tirar a vida de uma pessoa com apenas um toque. Não é um poder muito interessante de se ter não é mesmo?

Bem, esse poder com certeza complico a vida dela em muitos sentidos. Por causa dele, ela precisa evitar o contato com outras pessoas, o que torna difícil ter uma vida social, ter amigos e arrumar um emprego.

Por conta disso, ela acaba tendo que ir trabalhar no "submundo", onde as pessoas pagam para utilizar os seus poderes, ou seja, ela é contratada para matar. Sua única e melhor amiga é a Rebecca ou Becks, com a qual ela dividi apartamento e que não faz a mínima ideia de que a Kat é uma Ceifadora.

Apesar da vida da Kat ser complicada e cheia de perigos por conta do seu trabalho, não é nada comparado com a complicação que a vida dela passa a ter depois que o Vince e o Eric aparecem na vida dela.

Esses dois garotos, aparentemente atraentes e rivais, começam a se aproximar dela e junto disso acabam trazendo mais problemas para a vida dela. Ela percebe que o seu poder pode ser um risco para ela, não só porque ele esgota as suas energias, mas também porque há pessoas muito interessadas em usar as suas habilidades em prol de uma causa. Além disso, ela começa a descobrir mais sobre a sua família e sobre os seus poderes, e também acaba tendo que aprender a utilizar melhor a sua habilidade, caso ela queira sobreviver por mais tempo.

Antes de terminar essa resenha, eu gostaria de destacar mais alguns pontos sobre o livro. Fora a história tratar de uma habilidade diferente, o que é bem legal, ela também tem toques de romance, triângulo amoroso, ação, mistério e suspense.

O final do livro é simplesmente muito bom, te deixa com curiosidade, com um gostinho de quero mais e com vontade de conseguir o mais rápido possível o próximo livro pra descobrir o que acontece com os personagens.

site: http://www.abobrinhacomchocolate.com.br/2016/02/resenha-um-toque-de-morte.html
comentários(0)comente



Lu 22/08/2017

"Um Toque de Morte" conta a história de Kat, uma adolescente que tem algo a mais. Ela tem, literalmente, o toque de morte. Kat mora com sua melhor amiga Rebecca, mas foi criada em um orfanato. As coisas começam a mudar quando um garoto novo aparece na escola, mas esse garoto não é normal igual aos outros, ele tem aqueles olhos lilases que ela bem conhece.

"Meus olhos me dizem que está tudo bem, mas a sensação de estar sendo seguida só desaparece quando eu fecho a porta do apartamento atrás de mim."

A sinopse já nos conta muito do que precisamos saber sobre o livro. Comecei a leitura sem ler a sinopse porque gosto muito de fazer isso e ir descobrindo, aos poucos, do que se trata, quem é o protagonista e o que está acontecendo. Quando descobri que Kat era uma ceifadora, fiquei bem animada com a história. Ela tem o poder da morte na ponta dos dedos e eu fiquei me imaginando com um poder desses e não deu muito certo.

Conforme as coisas vão se desenrolando, passamos muito tempo acompanhando a personagem tomando banho, dormindo, comendo, coisas que eu acho totalmente dispensáveis de se colocar no livro, a não ser que durante o banho ou a refeição algo de importante vá acontecer. Já no caso de dormir, Kat sempre tinha um ou outro sonho estranho e assustador, totalmente relevantes.

"O homem que abre a porta não se parece em nada com o que eu estava esperando. Ele é algo e magro e está usando um terno preto com riscas de fiz e sapatos de bico fino."
Eu ficava impaciente com cenas do cotidiano de Kat porque estava doida para saber o que iria acontecer com ela e seus amigos com, digamos, "poderes especiais" e quanto mais eu lia, mais ficava sem saber para que lado Kat deveria ir, em quem deveria confiar e isso só me fazia devorar o livro cada vez mais rápido.

Luiza tem uma escrita muito leve e muito fácil de acompanhar. Quando descobri que o livro tem uma continuação chamada "Um Beijo de Morte", já fiquei sofrendo porque sabia que não seria agora que Kat iria se decidir em muitos aspectos da sua vida.

"Eu posso estar exagerando, mas o som das portas do elevador fechando diante de nós parecia tão definitivo como o fato de que eu estava total e completamente ferrada."

Com personagens completos e envolventes, uma escrita gostosa e uma história deliciosa de acompanhar com um final de arrepiar e deixar qualquer leitor roendo as unhas, "Um Toque de Morte" vai te fazer virar noites e mais noites de leitura deliciosa.

(resenha postada originalmente em 12/05/2016)

site: http://lumartinho.blogspot.com.br/2016/05/um-toque-de-morte-luiza-salazar.html
comentários(0)comente



Paulo 11/06/2017

Eu fico muito feliz quando descubro um livro sensacional a partir de baixas expectativas. Antes de tudo preciso agradecer à Draco por ser nossa parceira desde o ano passado (apesar das minhas explosões acerca de parceria... irei fazer um post específico sobre isso). Acabei não agradecendo pelo envio de Inverso, da Karen Alvares, livro que eu estava buscando faz algum tempo e agora Um Toque de Morte.

Mas, voltando à minha introdução: pedi esse e-book sem grandes expectativas buscando abrir espaço para mais um autor nacional. E fui fisgado logo nas primeiras páginas. O enredo rapidamente me envolveu e isso é algo que não acontece com frequência.

Katherine é uma menina com um dom especial: toda vez que ela toca alguém, ela suga a energia vital da pessoa, causando sua morte. Com isso, Katherine se torna uma pessoa introvertida e antissocial. Ela faz parte de um grupo de seres humanos que possuem habilidades especiais. Para sobreviver, nossa protagonista se torna uma assassina de aluguel: ela recebe seus trabalhos de uma pessoa que ela chama de O Chefe. Pelo preço certo, a morte é garantida. Mas, este é o seu trabalho noturno. De dia, ela frequenta uma faculdade, mais para manter as aparências. Divide um quarto com sua melhor amiga Rebeca. Como qualquer adolescente ela tem seus problemas, suas dúvidas e suas dificuldades. Mas, de repente sua vida é colocada de pernas para o ar quando ela conhece dois homens muito sedutores e uma estranha mulher de cabelos vermelhos. Katherine será sugada para um mundo de seres estranhos, conspirações e uma rixa antiga entre duas organizações pelo controle do submundo.

Os personagens são muito bem desenvolvidos ao longo da trama. Esse é um do pontos fortes da escrita de Luiza. Apesar de a narração ser feita em primeira pessoa acabamos conhecendo a fundo as motivações de todos os personagens. Rebeca e sua postura companheira e compreensiva; Eric e seu jeito protetor e selvagem; Victor e seu estilo carismático e sedutor. Os personagens que rodeiam a protagonista são delineados e possuem suas próprias motivações. Ao final acabamos nos relacionando de alguma maneira a eles.

Admito não ter gostado da escolha de cenário feito pela autora. Mas, pelo que eu entendi, a autora mora nos EUA então a familiaridade dela é com Nova York e suas localidades. Volto a enfatizar isso porque ela sendo uma autora brasileira poderia ter facilmente ambientado a trama no Rio ou em São Paulo ou em qualquer outra cidade do Brasil. Não existem grandes elementos que obriguem a história a se passar nos EUA. É uma daquelas críticas de leitor cri-cri que gostaria de ver o seu país melhor representado. E um livro cinco estrelas como esse seria excelente para representar a cultura local. Pode parecer um nacionalismo bobo, mas juro que não se trata disso. Parece muitas vezes que nós entendemos como normal ambientar nossas histórias em algum lugar dos EUA. Demonstra como o capital cultural norte-americano penetrou em nossas essências. Prefiro entender essa crítica mais pela familiaridade da autora por morar fora do Brasil. De forma alguma isso age em detrimento de sua escrita ou de seu enredo.

O tema principal da história é a necessidade de estender laços. A protagonista viveu a vida inteira entendendo a si mesma como uma ilha. Por ser diferente e por ter um poder destrutivo, Katherine entendia que ela não precisava criar vínculos. Seja por receio de matar alguém acidentalmente ou por ver a vida e a morte de uma maneira diferente, ela acaba se tornando distante de tudo e de todos. Becky é a âncora de Kat para o mundo. Ela puxa a protagonista de volta à sociedade. Só aí já somos capazes de ver como a noção de Kat cai por terra. Quando ela se vê tragada por um mundo complexo e desconhecido, ela percebe o quanto ela precisa de ajuda. Não existe a possibilidade de ela sair da situação em que ela se encontra por si mesma. Kat precisa de alguém com quem conversar e a quantidade de mentiras que ela precisa criar para poder viver normalmente. Mas em pouco tempo tudo fica bagunçado e as mentiras acabam impedindo que ela consiga se abrir com sua melhor amiga.

O mundo criado é muito interessante. A autora soube equilibrar explicar o funcionamento deste mundo com o andamento na história. Este equilíbrio proporcionou um bom andamento da história sem deixar a história chata ou parada. Em todos os capítulos existe uma boa dose de ação e explicação; entre suspense e o cotidiano escolar de Kat; entre as conversas com Becky e as ações noturnas para O Chefe. Ficamos tão absorvidos com a história que não percebemos as páginas passando. O livro tem uma boa quantidade de páginas, mas estas passam facilmente.

Outro elemento que me incomodou muito mesmo foi o final da história. Pensei muito se daria 2 ou 3 corujas justamente por isto. Achei um golpe baixo a história terminar sem um final claro e cristalino. Poderia ser um epílogo ou apenas um capítulo para criar expectativas no leitor. Terminar daquela forma não foi uma forma legal de terminar o livro. Um bom cliffhanger deixa o leitor curioso para saber o que vai acontecer a seguir; aquele cliffhanger me deixou apenas irritado. De toda forma, este pequeno momento não manchou a história que foi desenvolvida de forma magistral pela autora.

Raramente eu sou fisgado tão rapidamente por uma história. Geralmente eu levo entre 50 a 100 páginas para ser absorvido pela história. Aqui eu preciso de menos da metade disso. Com uma trama empolgante e um estudo íntimo de uma personagem, Luiza Salazar cria um ótimo romance em um mundo repleto de histórias para acontecer. O cenário poderia ser diferente, mas isso não age como ponto negativo da história. Este está presente na maneira como a autora termina o livro, apostando em um cliffhanger que não recompensa a jornada do leitor. Fiquei curioso para saber como a história vai terminar muito mais pelo vínculo que criei com os personagens do que com o final do livro. Porém, recomendo muito a leitura de Um Toque de Morte, uma grata surpresa para mim em 2016.

site: www.ficcoeshumanas.com
comentários(0)comente



Jéssica 09/05/2017

Um Toque de Morte - Luiza Salazar
"Melhor Começar pelo começo. Meu nome é Katherine. Eu nasci e fui criada em Nova York."

Kat cresceu em um orfanato e assim que teve chance fugiu de lá, atualmente ela vive em um apartamento com sua melhor amiga Becks e frequentam a mesma escola, em quando Becks quer entrar em uma faculdade assim que terminar o ensino médio Kat só pensa em juntar o dinheiro necessário para fugir para bem longe.

O problema é que Kat nasceu com um dom ou talvez uma maldição, ela é uma ceifadora e ela mata tudo que encosta com suas mãos, contato e socialização não são de forma alguma uma opção para ela. Além disso suas mão são marcadas com estranhos desenhos que parecem tatuagens, mas um ponto para diferencia-la de todos.

"Eu nunca quis ser normal. Isso não quer dizer que eu queira ser uma Ceifadora, porque falando sério, que tipo de pessoa doente ia querer isso? Não."

Kat usa seu dom para juntar seu dinheiro em uma boate onde pessoas como ela se reúne, não exatamente como ela, mas que também tem dons, ela aceita alguns trabalhos onde é paga para matar pessoas e em um desses trabalhos ela se depara com uma mulher com pupilas lilas iguais a suas e a de todos que tem dons, os olhos cheios de fúria da estranha mulher mesmo depois da sua fuga ficam em sua mente a inquietado.

Dias depois dois novos alunos na sua escola chamam sua atenção, eles tem as mesmas pupilas lilas dos que tem dons, e estranhamente os dois parece interessados em Kat. Depois de conhecer esse dois garotos um novo mundo se abre para Kat, novos grupos, escolhas e informações sobre seu dom que a farão ter que decidir em que lado do equilíbrio ela deve ficar.

"É a vida morta que me assusta."

Narrado em primeira pessoa pela protagonista somos apresentado a um romance sobrenatural juvenil, com um triangulo amoroso, personagens secundários cativantes e organizações opostas tentando conquistar a protagonista. A escrita da autora é leve e fluida possibilitando a leitura em poucas horas.

Então se você curte um bom romance sobrenatural com personagens jovens e uma leitura fluida essa é uma ótima dica de um titulo nacional para você.

site: http://meumundo-meuestilo.blogspot.com.br/2016/06/UmToquedeMorte.html
comentários(0)comente



Odin com Pimenta 26/01/2017

Um Toque de Morte, de Luiza Salazar
Por Leo Targueta

“Pode me chamar de Kat. Eu daria tudo para ser apenas uma jovem universitária, preocupar-me com os assuntos discutidos nos trens, nos corredores das escolas, nas ruas: qual roupa vestir na festa, qual o futuro da política do país, quem vai ganhar o jogo esta noite. É, você entendeu. Mas na minha cabeça só há espaço para uma preocupação: quem será a minha próxima vítima.”

Fala aí galera! Venho hoje falar de um livro que me cativou. No início foi pelo nome, não nego, mas logo me encantei com a história. Vamos falar de Um Toque de Morte.

Bem, o livro de cara mostra que e um livro juvenil, tentando alcançar os mais jovens, mas pode fazer com que amantes de livros de amores impossíveis fiquem um tanto desconfortáveis e decepcionados com a história.

Aqui acompanhamos Katherine Bown, ou simplesmente Kat como ela gosta de ser chamada. Kat é uma adolescente de 17 anos que não pode ter uma vida normal como outras meninas, não pode ir a festa e nem se relacionar. Não que ela não pode. Ela não quer.

Kat tem um dom de nascença que a impede de tocar em outras pessoas, pois um simples toque de suas mãos pode significar o fim da vida de outra pessoa. Nós acompanhamos sua vida, de como ela descobriu o seu dom quando tinha apenas cinco anos, até a adolescência aonde ela tira proveito, de um modo tanto errado, de seu dom.

Abandonada quando era bebê, sem pai e mãe e criada em orfanatos, daqueles suspeitos de algo estranho, ela aprendeu a aceitar quem era desde pequena. Uma Ceifadora.

E interessante ver o desenvolvimento do livro. Kat é bem mais que uma donzela em apuros, ela e uma guerreira que sabe do que e capaz, mas no fundo ela não quer esse dom. Por causa dele ela se torna a estranha na escola, temida entre alunos e professores, mas no fundo ela te tem uma amiga, mesmo que ela não goste de aceitar, Rebeca esta lá sempre do lado dela, lhe apoiando, aconselhando e sendo uma amiga de verdade, mesmo que Kat não demonstre isso.

Acompanhamos o dia a dia de Kat desde os dias nas escolas até os trabalhos noturnos, aonde ela usa o seu dom para conseguir dinheiro para realizar o seu sonho. Sumir de vez. Mas como tudo na vida dela não funciona do jeito que ela quer, ela acaba se envolvendo em algo que está fora do seu cotidiano. Quando dois novos alunos aparecem na escola a sua vida vira de ponta cabeça.

E nesse ponto, quando entram em cena Erick e Vince que a história toma um rumo interessante. Ambos competem por ela, quando digo competem não e pelo o amor da donzela, mas sim para o que ela pode fazer. Cada um representa um lado da mesma moeda, dois grupos que querem o dom de Kat para uso próprio. Então ela se vê num duelo que perdura a anos entre a Legião e a Ordem.

E somente aí que Kat percebe que ela não e única no mundo. Os dois grupos a querem e não medem esforços para conseguir isso. E a disputa é muito ingressante de se ver, pois e nela que temos o desenvolvimento de Kat, e dos demais personagens.

A autora usa de coisa que todo mundo já ouviu falar, desde Ilusionistas e Ventríloquos até Ceifadores e Artistas. Interessante ver como as coisas acontecem, como o mundo está repleto de pessoas com poderes. Cada um com suas peculiaridades.

Para aqueles que irão procurar aqui uma nova história de amor entre pessoas diferente e coisas impossíveis, vão se decepcionar. O romance, se existir, está em último plano. A autora foca muito bem no desenvolvimento dos personagens até o clímax do livro. Esse que foi o ponto diferente e relativo do livro.

A escrita da autora é fluida e limpa e vai direto ao ponto, sem muita enrolação. Tinha horas que eu achava que estava lendo um diário.

Minha opinião: o livro e ótimo, tem seus altos e baixos e muita coisa ficou em aberto e que cabe com certeza em uma continuação que espero que saia em breve. Vale a pena ler e se divertir com as aventuras de Kat. ATUALIZADO - já existe uma continuação com o título "Um Beijo de Morte". Assim que pudermos lê-la traremos uma resenha para vocês!

SERVIÇO
Autora: Luiza Salazar
ISBN: 978-85-8243-060-6
Gênero: YA, Fantasia urbana, aventura
Formato: 14 cm x 21 cm
Páginas: 224

site: http://odincompimenta.com.br/livros/resenha-um-toque-de-morte-de-luiza-salazar/
comentários(0)comente



Ingrid Micthell 09/01/2017

Resenhado por -Sarah Fernandes
“E se a Morte estivesse sempre ao alcance de suas mãos? ”


Katherine é uma ceifadora! Ou seja, ela pode matar tudo aquilo que toca. Ótima vida, não? Ainda mais para quem mora na conturbada cidade de Nova York.
Abandonada em um orfanato, a garota aprendeu a conviver com sua habilidade e se aproveitar dela para sobreviver, assim ela acabou indo trabalhar com O Chefe, um mediador, que a paga para ceifar pessoas.

Devido a sua habilidade incomum, Kat se mantém afastada de círculos sociais e possui apenas uma única amiga, Rebecca, que também é sua colega de apartamento. Porém tudo muda quando dois garotos novos entram na escola onde elas estudam, Eric um metamorfo e Vince um ventríloquo (capaz de manipular as pessoas).

“Não se deixar envolver, não se aproximar demais. Essa é a maldição dos Ceifadores, não poder sentir o mundo com a própria pele. ”

De repente, Kat se vê no meio de uma briga entre dois grupos muito poderosos, Legião e Ordem. E aí? Qual ela deve escolher? Por que ter ela entre eles é tão importante? Qual lado realmente é o certo?

Essa foi minha primeira experiência com um livro nacional desse gênero, confesso que me interessei na leitura somente pelo título, mas depois me surpreendi com o desenvolvimento dela. O livro é narrado em 1ª pessoa pelo ponto de vista de Kat, a escrita da autora é bem gostosinha de ler, flui desde o início e te prende o livro inteiro.

Os personagens são muito bem construídos, Kat é uma garota forte, muito bem decidida, uma verdadeira guerreira. Rebecca é uma pessoa comum, faz de tudo para contrariar seus pais e é uma ótima amiga para Kat, mesmo não sabendo de sua habilidade (pelo menos é o que a autora nos faz acreditar haha), acredito que no próximo livro ela terá mais espaço pois deixou alguns mistérios nesse volume. Já Eric e Vince são dois paranormais que vêm para agitar a vida de Kat; Eric representa a Ordem e Vince representa a Legião, ambos entram em uma disputa para recrutar Katherine para seu lado.

“Essa ideia sempre me assustou mais do que a morte. A morte eu consigo aceitar. É a vida morta que me assusta. ”

No começo achei que a história se voltaria para o lado romântico e um triângulo amoroso surgiria, mas isso não aconteceu. A história se volta mais para o desenvolvimento dos personagens e para o desenrolar do conflito sobrenatural, o romance fica em um segundo (ou terceiro haha) plano e confesso que não faz falta nenhuma (kkk).

A autora usou de habilidades sobrenaturais que já conhecemos, foi impossível eu não sentir de onde ela se inspirou (não vou citar o nome do livro para não ficar chato haha), algumas coisas eram bem parecidas, mas isso não me incomodou, já que todo o contexto da história ficou ótimo e muito bem desenvolvido.

Enfim, “Um toque de morte” não deixou a desejar em nenhum aspecto, foi uma leitura que me surpreendeu bastante e eu recomendo muito vocês lerem, visto que é uma leitura rápida e que flui naturalmente. Mal posso esperar para ler a continuação “ Um beijo de morte”.

site: https://resenhaatual.blogspot.com.br/2016/10/resenha-um-toque-de-morte-luiza-salazar.html
comentários(0)comente



roberta.fdiniz 11/12/2016

Resenha do Livro em vídeo!
A proposta do nosso canal é fazer resenha em vídeo se você ainda não conhece, então não deixe de conferir.
As resenhas são de Livros, filmes e séries. ...então dá uma passadinha lá e se inscreva.
Resenha especial de Um toque de Morte e Um beijo de Morte da Luiza Salazar!


site: https://youtu.be/7dwS8thevio
comentários(0)comente



Haru 21/11/2016

Viciante
Adorei, foi minha primeira experiência com livros de fantasia e romance. A sinopse me chamou muito minha atenção, consegui imaginar várias cenas e cenários na minha cabeça, o que achei legal foi o "mundo dos mortos" e estou muito curioso para saber mais sobre a Selene (se é que vai falar mais sobre ela), tive quedas pelo Vince e pelo Eric o tempo todo. O final foi simplesmente surpreendente, e quando descobri que tinha continuação, fiquei pasmo, já comprei, só falta chegar *--*
comentários(0)comente



Paloma 14/11/2016

quem será que está mentindo?
Katherine Brown ou simplesmente Kat, é uma garota de 17 anos que cresceu em um orfanato até os 13. Ela tem um dom – se é que podemos chamar assim – bastante peculiar, tudo que ela tocar ou encostar em suas mãos, morrerá. Agora, em plena adolescência, ela é totalmente deslocada na escola, trabalha em um pub para um cara chamado Chefe e sua função é… matar.

Kat, tem uma amiga chamada Rebecca e ela não sabe sobre seus talentos, mas vemos na história que ela já entendeu que Katherine não é sociável ou abraçável mas que isso não significa que ela não goste, ela só não sabe – ou não pode – demonstrar carinho com contato físico.

“… Essa ideia sempre me assustou mais do que a morte. A morte eu consigo aceitar.

É a vida morta que me assusta.”

Tudo o que Kat mais queria era terminar o colegial e sumir do mapa, porém, a vida dela vira de ponta cabeça após um último serviço solicitado pelo Chefe. Ela que nunca foi atraente e toda atenção que chama é causada por sua “estranheza” tem agora dois garotos que saem na porrada por sua causa. Eric e Vince. Mas, não para por aí, Eric é um metamorfo que pertence à Ordem e Vince um ventríloquo que pertence à Legião.

É galera, agora que a história fica muito boa! hahahaha.

A pobre Katherine que sempre se virou sozinha, que sempre teve certeza das próprias escolhas, agora se vê no meio do fogo cruzado. Um dos lados só está querendo usá-la, mas qual? Legião versus Ordem sabem de coisas sobre sua mãe e sobre seu dom, mas ninguém conta tudo e óbvio, assim fica cada vez mais difícil saber em quem se pode confiar e se vale mesmo a pena escolher um lado.

Eu gostei muuito da história, entretanto, alguns pontos atrapalham. Por exemplo, Kat, Rebecca, Eric e Vince tem 17 anos, mas eles andam de carrão, saem de casa numa boa… às vezes eu me esquecia que eram adolescentes. Okay, a gente sabe que geralmente pessoas com poderes tem uma vida boa, mas juntar isso com o colégio foi meio estranho pra mim. Acredito que se fosse na faculdade, sei lá, faria mais sentido toda essa liberdade.

Fora isso, eu recomendo a leitura porque a parte mais legal das histórias em geral, é proporcionar ao leitor uma possibilidade de outra vida e te deixar livre para descobrir os mistérios. E isso acontece muito em Um Toque de Morte, eu estou até agora agoniada porque em cada momento algo culpabilizava um dos lados, mas depois você já entendia o motivo dos segredos ou joguinhos e isso deixa a gente a flor da pele! HAHAHA A-do-rei!

site: www.silenciosahighway.com.br
comentários(0)comente



Leila 27/08/2016

Uma mistura de magia, romance e descobertas
"Um Toque de Morte" é bem diferente dos clássicos romances fantásticos com lobos e vampiros; no livro existem pessoas com talento, como os ilusionistas, ventríloquos, deslocadores e a personagem principal da história, Kat, que é uma ceifadora.

Ser uma Ceifadora significa que sou e sempre serei uma assassina, afinal foi a natureza que me fez assim, certo? Minha consciência está em um estado de constante adormecimento, já que não consigo lidar com o julgamento da minha própria cabeça vinte e quatro horas por dia.

Kat conhece algumas pessoas com talento, ela vê muitas delas por causa do bar onde ela busca serviços com o Chefe, mas durante o livro ela descobre que esse mundo é muito maior do que ela imaginava. Porém, essa descoberta vem com uma escolha; e a dúvida final é se a Kat vai escolher o lado bom ou lado mau?

site: http://followthebookleaves.blogspot.com.br/2016/07/resenha-um-toque-de-morte.html
comentários(0)comente



Alice - @enjoybookss 09/07/2016

Um Toque de Morte
Bom, a cada página você se sente envolvida com a personagem. Eu fiquei louca para saber o que acontecia no capítulo seguinte e qual era o grande mistério que envolvia Kat. Pois no decorrer da história ela descobre muito sobre o seu poder, então é aí que começar a caçada, todos querendo a nossa personagem favorita.

site: https://blogmixbooks.blogspot.com.br/2016/06/um-toque-de-morte-de-luiza-salazar.html
comentários(0)comente



Daniel.Martins 04/07/2016

De Desinformadoss blog
Luiza Salazar apresenta "Um toque de morte", obra lançada pela editora Draco, conhecida por lançar ao mercado, vários autores nacionais de talento.

Logo de início chama a atenção a interessante premissa da obra: Kat não pode encostar suas mãos em alguém ou essa pessoa é morta. A ligação com a bela capa e o início forte embalam e leitura e conquistam o leitor a ler o resto da obra.

Dai em diante acompanhamos a saga de Kat para descobrir mais sobre o seu passado enquanto tenta sobreviver ao colégio com seus problemas corriqueiros e às consequências do seu dom/maldição.

Do que gostamos:
- Da narrativa em primeira pessoa, dando bastante enfoque para os pensamentos irônicos e auto-destrutivos da personagem principal. a ironia usada na narrativa desloca o livro para longe dos clichês adolescentes e embala a leitura.

- Da escrita de qualidade de Luiza, fluída e cuidadosa nos detalhes, com pouquíssimos erros no texto.

- Do clima de mistério, que nos faz virar a página para descobrir logo o que vem a seguir.

Do que não gostamos:
- Do cenário. Nova York foi retratada com pobreza de detalhes, apesar de o foco ser no sentimentos de Kat, achei que poderia acontecer no Brasil ou outro lugar que pudesse ser melhor descrito.

- Do meio e do fim. Da metade do livro em diante, algumas pontas soltas insistem em não ser costuradas e começa a ficar claro que a autora está segurando informações para a continuação. Nada contra histórias que continuam, mas Um toque de morte acaba um tanto abrupto, como se a experiência só pudesse ser completa por quem lê a continuação. O ápice da história não me agradou muito.

Vale a pena? Vale sim. Para conhecer o trabalho da autora que é bem interessante e porque ela criou uma fantasia bem convincente que funcionará com públicos variados.


site: www.desinformadoss.blogspot.com
comentários(0)comente



Gih Cordeiro 24/06/2016

Um toque de morte ou o despertar para a vida
Kat é uma jovem órfã que descobriu muito cedo que era diferente das outras crianças. Ao tocar em qualquer ser vivo, ela sente a vida se esvaindo desse ser, o que inicialmente lhe causou um sério complexo de culpa. Aprendendo a lidar com seus poderes e com outras pessoas como ela, Kat cresceu com uma visão bem sombria a respeito de quem é e acabou enveredando por um caminho perigoso, onde em troca de dinheiro, vendia "seus serviços" para clientes estranhos e misteriosos, agindo como uma espécie de executora de queima de arquivo.

"Minha natureza sempre foi bem clara para mim, ainda que sombria e deprimente. Eu superei o drama de quem eu sou há muitos anos"

Eu entendo que na situação em que ela se encontrava, dificilmente se poderia ter um positivismo absoluto que a impulsionasse em um caminho diferente do que seguiu, mas o que poderia ser interpretado como praticidade, a meu ver foi apenas um pouco cansativo.
Tentando levar uma vida de adolescente quase normal, dividindo um apartamento com Rebeca, única pessoa que chega perto de ser sua amiga, Kat, acaba se deparando na escola com dois rapazes diferentes como ela: o sexy e misterioso Vince e o bonito e estressado Eric. Ambos parecem interessados nela por motivos que Kat desconhece, afinal, tudo que ela quer é ser invisível e se formar no colegial. A convivência com os dois, vai transformar sua vida e levar Kat a ter uma visão ampliada sobre pessoas como ela e principalmente descobrir que seus poderes são maiores do que ela sequer imaginou. Nessa jornada, ela vai enfrentar muitos perigos, mas também vai descobrir que não pode passar pela vida de maneira invisível e que suas decisões podem influenciar a vida de muitas pessoas inocentes, mas também que ela não precisa passar por isso sozinha.

"É como se uma porta tivesse sido fechada sem nem mesmo me dar a chance de descobrir o que havia do outro lado"

Com uma linguagem cinematográfica, onde cada cena de ação é perfeitamente visualizada, Luiza constrói uma narrativa empolgante repleta de suspense, aventura, seres mágicos e surpresas, onde ninguém é totalmente inocente nem completamente culpado, inclusive a própria Kat, com um final de tirar o fôlego e partir nossos corações.
Como eu disse, a leitura foi muito além do que eu esperava, pois conforme acompanhei o crescimento de Kat, meu olhar sobre ela mudou, ficou mais gentil e no fim, me vi torcendo por ela. Ainda estou torcendo, já que o livro tem uma continuação, Um Beijo de Morte, e eu ainda não a li.

site: https://bloggihmedeiros.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Kemmy 14/06/2016

Um bom livro pra quem gosta de fantasia
Katherine é orfã e descobriu seu poder com apenas 5 anos, de uma forma bem trágica. Aos 14, foge do orfanato em que vivia, conhece Becks e, aos 17, elas moram juntas há algum tempo. Ela é dona de um humor ácido e, apesar de morar com a amiga, não conversa sobre tudo e mantém diversos segredos, como o seu "dom" e o real serviço que desempenha no Noturno, o bar em que ela supostamente é bartender.

"Todo mundo sabe que nós não fazemos perguntas e não ligamos para os motivos contanto que você possa pagar o que cobramos."

Tudo vai indo muito bem, até que ela comete um grave erro em um dos seus serviços e coisas estranhas começam a acontecer. Ela costumava ser a única de olhos violeta na escola, mas de um dia para outro aparecem outros dois: Eric e Vince. Ambos tentam se aproximar dela, mas como saber em quem confiar? Aliás, ela DEVE confiar em algum deles? O que eles querem dela, afinal?

site: http://2leitoras.blogspot.com.br/2016/06/um-toque-de-morte-luiza-salazar-resenha.html
Marta 15/03/2017minha estante
Adoro livros de fantasia!! Sem dúvida adorei a indicação desse livro!! E que capa mais fantástica!!
Beijoss




30 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2