À sombra da lua

À sombra da lua Marcos DeBrito


Compartilhe


Resenhas - À sombra da lua


29 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Paula Juliana 20/01/2014

'' As lápides eram para ele como livros e, naquela biblioteca funesta, ele vigorava como um grande leitor.'' Resenha: À Sombra da Lua - Marcos DeBrito
'' Não é imigrante! Não é escravo! - ele continuou. - É uma cria do diabo que vaga pelo breu da floresta, bebendo sangue dos desavisados que cortam caminho de noite pela mata.''

'' É uma sombra do inferno! Depois que o sol se esconde, as trevas caem sobre esta vila e as estrelas são testemunhas de que aqui caminha um servo do demo.''

Quem me conhece um pouco sabe que uma das minha muitas paixões na vida são os livros de literatura sobrenatural. Aqueles que te contam histórias que desafiam a realidade e a razão. Os que te trazem grandes mitos, lendas e crenças. Eu AMO ISSO. Então quando comecei a ler o livro À Sombra da Lua do Autor Marcos DeBrito eu já esperava gostar por já saber mais ou menos o que esperar. Só não esperava que o livro superasse todas as minhas expectativas e muito mais.

'' Mas todo o coração tem suas tendências masoquistas e acaba procurando o amor mais difícil.''

'' - Este jardim ainda é assombrado, mas é engraçado como o medo simplesmente desaparece quando a gente cresce e para de acreditar nas histórias que assustavam a gente quando criança.
(...)
- Eu não acho que o medo desapareça, Alana. Acredito que, quando somos pequenos, temos medo do desconhecido; arbustos se transformam em monstros no jardim,sombras se tornam fantasmas nos cômodos da casa, qualquer vento que passa por uma fresta aberta de janela vira um assobio de defunto. Já quando ficamos velhos, temos medo de morrer ou de ficarmos sozinhos. Acho que o medo nunca some, só é transferido das coisas imaginárias às coisas reais que precisamos enfrentar em cada etapa da vida.''

O Autor usa de várias abordagens diferentes para criar um único e original mito sobre a crença do lobisomem. Confesso a vocês que comecei minha vida literária tendo como queridinho os vampiros e por eles serem diretamente ''inimigos natuarais'' dos lobisomens tinham um certo pezinho atrás, mas depois que começamos a conhecer mais a fundo os diferentes mitos que envolvem os lobos é difícil não se envolver e se encantar. Com essa Obra não é diferente, pois ela é muito RICA! Rica em detalhes, história, descrições, personagens e sentimentos.

'' Orfeu não o abraçava como carinho e sim guiava pelo inferno das recordações que gostaria de esquecer.''

'' Aquele que procura a companhia dos mortos no meio de um dia ensolarado como este é porque não gosta de conversar ou porque perdeu todos com quem se importa.''

O livro giram em volta da história de vida de Álvaro, que morra isolado e sobreviveu a uma grande tragédia em seu passado. Álvaro que se apaixona por Alana, que fica prometida para Vicente, que ama Alana que ama Álvaro. Alana é a melhora amiga de Flávia que ama Vicente que ama Alana! Sentiram o drama? Mais o pior que isso é uma pequena vírgula da história.

O romance intercala a história que aconteceu em 1893, no século XIX e a história que esta acontecendo em 192o no século XX. Tudo em volta da família Cesari na nossa querida Vila Socorro - que desculpem o trocadilho, mas acabou pedindo socorro mesmo!

'' Seu quarto estava repleto de livros. Parecia uma biblioteca particular com acervos raros e invejáveis...''

'' Todas as noites, antes de dormir, eu converso com alguém que acho que é minha mãe - confessou ela, encarando o infinito. - Mas o rosto que aparece na minha cabeça não tem forma e nunca é o mesmo. Sinto a presença dela ao meu lado, mas não sei se ela me escuta.''

Os personagens são incrivelmente complexos. O Leitor fica de coração partido e dividido, não sabe se ama ou odeia o protagonista. Que é uma pessoa muito boa quando está humano, e em forma de lobo se transforma em um monstros sanguinário, capaz de cometer atos horríveis, chocantes e nojentos. Chegamos a um ponto que temos pena dele, é uma maldição, um desespero, a razão selvagem e irracional do animal que sobrepõem a capacidade de amar do homem. É incrível e triste.

'' No jardim desse casal apaixonado florescia a mais bela das flores. Um amor verdadeiro, uma confidência de segredos e sentimentos profundos. Desde as noites frias de outono, que precederam um inverno dos mais rigorosos, os dois jovens esquentavam seus corações com o fogo da paixão e seus corpos na alcova da luxúria.''

O autor mescla a mitologia, com a ciência que explica a licantropia e as crenças regionais do lobisomem. Sétimo filho homem de uma família de seis filhas mulheres. Eu vivo em uma cidade onde essas crenças dos lobos, como das bruxas é muito forte aqui no folclore e foi muito gostoso ver um pouquinho disso misturado ali na história.

Outras coisas que tenho que comentar sobre a história sem entrega-la é:

1 - Não é muito romântico levar a namorada para um primeiro encontro no cemitério! Mas a cena é incrível!

2 - Uma das mortes foi incrivelmente chocante! Digna de um dos livros de Anne Rice!

3 - Meu Lado racional amou o final, achou muito bom mesmo e incrivelmente fechado! Meu lado sensível e romantizado queria um final diferente!

4 - Tinha cenas dignas de filmes nessa obra. E não só as cenas em si, mais a narração, tem uma cena que Alana está tocando piano como se para expressar sua tristeza e ao mesmo tempo que ela toca, narra o que esta acontecendo com os outros personagens no mesmo momento. Eu podia praticamente escutar o piano! Muito maravilhoso!

5 - Além de sobrenatural é um romance histórico já que se passa no século XIX e XX. AMO! E acompanhar as faces da lua em cada data narrada foi uma ideia genial!

'' - Não há vergonha na vingança, meu jovem. E, no seu caso, matar ou morrer em nome do amor é louvável. Um romantismo raro nos dias de hoje.''

O mocinho pode ser vilão, o vilão se passa por mocinho. O herói não é bem herói. O padre não tem uma grande fé. Meu personagem preferido ficou sendo seu Valêncio! As surpresas são muitas. A história é de primeira e o ditado de que '' Melhor o covarde vivo que o herói morto'' não se aplica aqui!

'' ... O carrasco que deu fim à criatura também sucumbiu à vingança do demônio.''

'' - Sabe qual a maior diferença, senhor Valêncio? (...) - Para o senhor, uma simples leitura é suficiente, mas para mim... eu quero fazer parte dos livros.''

Eu amei essa Obra, um dos melhores livros nacionais que li! Indico para quem gosta de sobrenatural e para quem não conhece e que queira conhecer. Nada de romances leves e histórias bonitinhas, aqui temos histórias complexas, com personagens complexos em um cenário obscuro e intenso. Incrível, tocante, agoniante, muito bem escrito e maravilhoso.

'' Era uma discussão sem vencedores. A crença sempre esbarraria na prepotência da razão, enquanto a lógica seria suplantada pela fé ao tropeçar no desespero de uma fatalidade sem resposta.''

Paula Juliana

site: http://overdoselite.blogspot.com.br/
Paula Juliana 07/02/2014minha estante
Resenha postada no Blog Overdose literária!
Link:http://overdoselite.blogspot.com.br/2014/01/as-lapides-eram-para-ele-como-livros-e.html




Alyninha 27/04/2014


Eu sempre adorei histórias de lobisomem, mas raramente encontro um livro que atenda as minhas expectativas em relação ao horror e histórias bem elaboradas. Quando soube do lançamento de À Sombra da Lua,a primeira coisa que pensei foi "ual que capa macabra, se a história for tão boa quanto ela vai valer a pena", então fui logo atrás de resenhas e me deparei com muitos elogios, entrei em contato com o autor, que foi muito educado e gentil e me enviou o livro. Quando o livro chegou, ele logo pulou a fila e me preparei para um boa história de terror, porém eu estava enganada o livro não é apenas bom , o livro é excepcional! Sem exageros, eu cai de amores pela história, pela narrativa, mas principalmente pelo fato do autor não tentar romantiza a trama, mas deixá- la assustadora, ao melhor estilo Stephen King, sinistro e cruel. Esse é o livro perfeito para os fãs de terror, preparem para um história de gelar os ossos.

Tudo começa com a chegada de imigrantes italianos, em uma época em que o Brasil era uma promessa de recomeço, junto com eles chega também uma maldição.

O leitor vai acompanhar de forma alternada a chegada da família Cesari ao Brasil e os acontecimentos que estão deixando os moradores da Villa Socorro apavorados.

Vila Socorro é um pequeno vilarejo no interior de São Paulo, quem vem sendo assombrado há décadas por assassinatos macabros e violentos, ninguém sabe que é o responsável, alguns acreditam que um ser demoníaco que ronda as florestas da redondeza, outros menos crentes acho que é um maniaco ou um animal selvagem, a única coisa que a população chega em comum acordo que as mortes só acontecem durante a lua cheia e que ninguém sobrevive ao ataque.

Temos um pequeno romance entre Álvaro e Alana. Álvaro um rapaz, solitário e o único sobrevivente de uma tragédia que marcou Vila Socorro. Alana é a filha do médico da cidade. ela sabe que o pai jamais aprovaria seu envolvimento com Álvaro, devido as diferenças sociais e também ao fato de Vicente, um grande amigo da família, já tê-la como prometida.

Após um acontecimento que abala Vila Socorro, eles contratam um investigador que promete dar fim aos assassinatos, mas o que parece ser o começo da tranquilidade do vilarejo se torna o ápice de terríveis acontecimentos.

Uma das coisas que gostei muito foi a contextualização da história, que é feita de forma muito coerente e bem desenvolvida, é possível sentir-se naquela época realmente. Seus personagens também são bem elaborados, trazendo conflitos psicológicos, medos e dúvidas. A trama também é bem conduzida, corre forma rápida e instigante, não tem momentos de enrolação, o autor sabe guiar o leitor por um labirinto assustador e bem trabalhado.

Com um final simplesmente genial, o Marcos DeBrito ganhou um cantinho especial na minha estante. Ele tem o raro dom der ser um contador de histórias nato, pois sabe criar um universo, dar vida a ele e inserir o leitor sem perder o foco. Ele também não poupa detalhes, as mortes e ataques são bem descritivos e cada lua cheia deixa o leitor com um sensação de puro pavor. Eu me sentia tensa o tempo todo.

Tenho muito orgulho de ser um livro nacional. É raro encontrar livros de lobisomem que realmente foquem no terror ao estilo Bala de Prata e Um Lobisomem Americano em Londres, principalmente ambientados no Brasil, então esse livro é um achado. O autor criou uma obra única e o fez com maestria.

site: http://alinenerd.blogspot.com.br/2014/04/a-sombra-da-lua-marcos-debrito.html#.U126QvldWpd
comentários(0)comente



Adriano 05/09/2014

Um livro sombrio - macabro - tétrico - brutal - incrível.
Lembram da Lei de Murphy? Aquela que diz algo mais ou menos assim: "se alguma coisa pode dar errado, com certeza dará"... Pois é, ela me visitou constantemente tentando impedir a publicação dessa resenha. Foram muitos imprevistos e que causaram revolta, mas graças a Deus, com Lei de Murphy ou sem, vai ter resenha de À Sombra da Lua sim, e se reclamarem vai ter duas!!

Conheci À Sombra da Lua, quando li a resenha de Paula Juliana do blog: Overdose Literária. Amo livros com essa abordagem de sobrenatural e terror, mostrando monstros sanguinários. A primeira coisa que me chamou a atenção foi que se um escritor nacional estava lançando um livro pela Editora Rocco é sinal que, certamente, o livro seria muito bom mesmo! Procurei o Marcos no Facebook, propus a parceria e em pouco tempo já estava com meu exemplar em mãos!

Li o livro com muito prazer, me deliciando pela escrita do Marcos tão minuciosa, com detalhes tão fundamentais para a construção da obra e criando situações audaciosas e inusitadas nunca antes lida por mim e ao fim do livro, só pude corroborar o pensamento inicial. À Sombra da Lua é de fato um dos melhores livros nacionais que eu já li e merece o reconhecimento que tem. Inclusive, foi indicado pela Rocco a concorrer ao Prêmio Jabuti de melhor romance de 2014.
Parabéns, Marcos! E publique mais livros, seus leitores agradecem!! rs

À Sombra da Lua é ambientada em meados de 1920, em Vila Socorro no interior paulista, quando o incentivo a imigração para mão-de-obra cafeeira é dado e assim, muitos italianos vem para o nosso país. Nesse ambiente de desenvolvimento e espírito de comunidade, surgem numa cabana vários corpos trucidados e mutilados, causando assim o temor por parte de toda a população.

O único sobrevivente dessa tragédia é o jovem Álvaro, descendente de imigrantes italianos e sozinho no mundo que mostra sua afeição pelo cemitério, onde visita as lápides de sua família. Além disso, Álvaro é bastante melancólico e sombrio, dando asas a imaginação do leitor sobre o motivo dele ter sobrevivido.

''As lápides eram para ele como livros e, naquela biblioteca funesta, ele vigorava como um grande leitor.''

Com o tempo, novas cenas assustadoras começam a causar pânico na população de Vila Socorro e temendo pela segurança de todos, partem em busca do monstro que faz aquelas chacinas em noites de lua cheia. Quando os fatos continuam, chamam um especialista para tentar solucionar e acabar com o medo da vila.
Logo de início, vemos que o Marcos estudou bastante o mito licantrópico para fundamentar a criação da lenda do Lobisomem e compreender a natureza turbulenta da fera. De modo didático, somos enfeitiçados pela pesquisa e informações.

Eis que um dia, o Álvaro se encanta pela beleza estonteante de Alanna, filha de um imponente coronel da região e logo os dois pombinhos estão se amando. Pensei que o dilema da narrativa seria encontrar alternativas que possibilitassem o cultivo ao amor do homem-lobo para com a mulher-humana, típicos dos clichês adolescentes. Minha surpresa maior foi quando o Marcos, valorizou o lado sombrio de um monstro sem precedentes, no qual sua sina e sangue marcadamente de fera se sobrepõem a qualquer concepção de amor.

A monstruosidade que impera quando reina a lua cheia dá lugar a um ser deprimido quando esta se vai, ao passo em que as atrocidades são cometidas sem controle de quem a comete. Quando a chaga da Lua se vai, fica a certeza que aquela maldição corrói e destrói tudo.

Quando eu imaginei que tudo havia se resolvido e que a Vila Socorro caminharia para o progresso cultivando dias felizes, o Marcos me prepara uma outra surpresa ainda mais assustadora comprovando que ele é mestre na arte de brincar com o leitor e interagir com ele. Seus detalhes, suas cenas e ideias provam o quão mergulhados naquele ambiente tortuoso o leitor foi condicionado. É impossível não ficar com medo e ao mesmo tempo, deslumbrado com todas as lembranças que volta e meia a narrativa nos proporciona.

De modo geral, À Sombra da Lua é um romance sobrenatural adulto, com cenas bem criadas e costuradas na trama, com sua narrativa delicada e descritiva que só veio a calhar na trama. A construção da lenda não poderia ter reviravoltas mais chocantes e marcantes. Um livro no qual, final feliz não existe, no qual história de amor é superado pela sina e pelo que você está destinado a ser até morrer.

Se muitos recriam contos de fadas conferindo-lhes um teor adulto, o Marcos DeBrito conseguiu recriar um conto universal, dando a este características que o tornam único e particular.
O caso do Lobisomem nunca mais me será lembrado como antes.

Recomendo a leitura! Avaliei com 5 estrelas e preciso de novos livros, Marcos! Escreva mais terror :) rs


site: http://geracaoleiturapontocom.blogspot.com.br/2014/08/resenha-sombra-da-lua-marcos-debrito.html
Gu 14/09/2014minha estante
CARACA, CARACA, CARACA
que livro é esse, mano??? FODAAA; eu quero

Sua resenha me deixou louco pelo livro..

Abç




Carolina Durães 03/01/2014

O livro é, de modo geral, dividido em três momentos. No prólogo, o autor nos leva à Grécia Antiga para observamos a maldade de uma pessoa e o castigo que Zeus concedeu.

"Os acontecimentos terrenos que se relacionam com as fases da Lua caminham por gerações através das crenças populares. Muito antes da ciência, esse astro era usado como guia de tempo, direção e colheita. A influência da Lua, por mais confusa que possa parecer, merece sua devida atenção". (p. 23)

O segundo momento ocorre a partir do ano de 1893, quando Bastiano Cesari e sua família, formada por sua esposa Clemenzia Giardini Cesari e suas seis filhas chegam ao porto de Santos. Bastiano é um imigrante italiano, e como tantos outros imigrantes da época veio em busca de uma vida melhor. Trabalhador, honesto, um pai e marido amoroso. Uma família que vive a felicidade plena, mesmo com a vida simples que levam.
Após conhecermos Bastiano e a sua família, a história dá um novo pulo no tempo e vamos parar no ano de 1920, na Vila Socorro, no interior de São Paulo.
Mortes violentas estão ocorrendo e o alcaide da vila, seu Ronaldo Magalhães não sabe mais o que fazer. Várias teorias são elaboradas, das mais simples até as mais fantasiosas, mas ninguém sabe exatamente quem ou o que é o responsável pelas mortes.

"De acordo com o livro de Plínio, os Cynocephali foram uma das criaturas mais monstruosas de sua época e residiram nas montanhas da Índia até a sua extinção. Apesar de viverem em sociedade, com certo grau de organização, muitos dos seus costumes eram selvagens. Latiam para se comunicar uns com os outros, vivam em cavernas, vestiam peles de animais como roupa e caçavam utilizando ferramentas primitivas". (p. 67)

A vila é composta de personagens peculiares, como seu Sebastião, um senhor de 70 anos anos e coveiro da vila, Carlos George, um dos cidadãos abastados da vila, mas que possuí uma personalidade vil, ainda inconformado com a libertação dos escravos e amante de caçadas. Seu filho, Vicente de Arruda Barros, um bom moço, muito correto mas com uma personalidade um pouco branda. Temos ainda Flávia, a melhor amiga de Alana, além da própria Alana e Álvaro.
Alana é filha do médico da vila, considerada um bom partido e seu pai já tem planos para o seu matrimônio. Álvaro, um rapaz simples, calado e muito introspectivo, não tem alto status social nem família, vive do cultivo de hortaliças. Poderia esses dois ter uma chance de um amor duradouro?
E quem é o seu Valêncio, um senhor misterioso que têm teorias bem firmes sobre as mortes, que segundo ele próprio expôs aos moradores, ocorre sempre em noites de lua cheia.
Antes de falar do lado sobrenatural em si, é importante destacar a construção dos personagens presentes na Vila Socorro. Desde aquele que exerce um papel pequeno e humilde na trama, como o coveiro, até aqueles que por serem da alta sociedade são mais influentes nas decisões, todos possuem personalidades fortes e bem delineadas. A construção do caráter de cada um, demonstra ao leitor diversas facetas que sempre existiram na humanidade: cobiça, inveja, ganância, avareza, compaixão, bondade. É essa complexidade dos personagens que contribui para que a trama seja bem desenvolvida.
O lado sobrenatural da trama traz ao leitor uma visão mais selvagem do lobisomem. A vontade da besta contra o homem. Não existe um lado racional na composição do animal, ele é apenas instintos. Graças a isso, algumas cenas são fortes e impactantes, mas muito bem escritas e descritas. Não existe um ar romanceado em torno do mito.
Em relação à escrita, trata-se de uma escrita fluida e dinâmica. O autor soube impor um ritmo agradável, onde o leitor percebe o dinamismo nos momentos de ação, mas também tem a sensação de calmaria nos momentos em que a Vila começa um novo dia.
Um outro personagem que irá ter destaque na trama é Ulisses Canaã, um enviado da capital. Ele traz consigo um tom arrogante, prepotente, um ar de superioridade.
Em relação à revisão, diagramação e layout foi realizado um ótimo trabalho. Existem alguns detalhes no início dos capítulos que enriquecem a trama e a capa possui um ar sombrio que combina com a história.
Um ótimo livro de terror, com personagens marcantes, uma trama trágica e um final surpreendente.

"Acredito que, quando somos pequenos, temos medo do desconhecido; arbustos se transformam em monstros no jardim, sombras se tornam fantasmas nos cômodos da casa, qualquer vento que passa por uma fresta aberta da janela vira um assobio de defunto. Já quando ficamos velhos, temos medo de morrer ou de ficarmos sozinhos. Acho que o medo nunca some, só é transferido das coisas imaginárias às coisas reais que precisamos enfrentar em cada etapa da vida". (p. 32)


site: http://www.viajenaleitura.com.br/
comentários(0)comente



Flavio A. Costa 01/10/2013

À Sombra da Lua
A trama começa retratando o auge da imigração Italiana no Brasil no final do século XIX. Entre os estrangeiros que se aventuram deixando sua terra natal para se instalar na Vila Socorro, interior de São Paulo, está a família Cesari.

O que parecia ser o começo de uma nova vida onde a esperança de dias melhores pudesse compor um futuro minimamente promissor, logo se revelará como uma grande preocupação, pois uma série de assassinatos cometidos no vilarejo esconde um terrível segredo.

Enquanto as mortes, cada vez mais violentas, continuam a acontecer, as autoridades da cidade discutem estratégias para capturar o responsável por tal matança, seja ele um lobo faminto ou um psicopata assassino. Em meio a todo esse clima de insegurança no qual vive o vilarejo, o jovem Álvaro, cujos rumores dão conta de que o pai teria matado a mãe e as irmãs a machadadas, inicia um romance com a Alana, filha do Dr. Dário, médico e um dos homens mais influentes da cidade. Mas logo esse romance secreto vivido pelo casal será ameaçado pela paixão que Vicente, um rapaz da alta sociedade local, nutre pela moça.

A busca pelo assassino sanguinário que aterroriza os moradores da Vila Socorro vai conduzir o leitor a um clima sombrio e apavorante, onde as suspeitas apontam para várias hipóteses, mas a verdade, aos poucos vai se descortinando e revelando algo aterrador.

Com a sua experiência como roteirista e cineasta, Marcos DeBrito construiu uma trama instigante e cheia de reviravoltas, capaz de nos fazer prender a respiração a cada página virada. Munido de uma narrativa absolutamente madura e consistente, o autor nos garante uma história repleta de mistério, suspense, romance e horror.

Além de Álvaro e Alana, À Sombra da Lua conta com outras personalidades peculiares. Valêncio, por exemplo, é um desses personagens que, embora em alguns momentos pareça coadjuvante, vai se revelar um homem de grandes conhecimentos e portador de alguns segredos decisivos ao desenrolar da trama. Cada personagem foi muito bem construído, retratando as mais diversas características e as ambições de cada um.

À Sombra da Lua é sem dúvida um excelente livro para quem busca uma eletrizante história de mistério pautada numa surpreendente jornada ao sobrenatural. Recomendo!


Quotes do livro:

“ Uma resposta fria e verdadeira foi o que ela conseguiu. Álvaro respeitava os mortos e não via maldade ou qualquer agouro em falar da pós-vida com naturalidade.”

“Seu peso rangia o assoalho a cada passo que dava em direção à cama.”

“ — Não é desejo, Senhor Valêncio, é a vontade divina! Suma logo daqui e leve esse seu conhecimento nefasto com o senhor antes que os santos também percam a paciência.”

“Ulisses franziu as sobrancelhas numa expressão de estranhamento. Parecia estar num labirinto, onde os múltiplos caminhos o afastavam cada vez mais do seu centro racional.”


site: http://aoutrasombra.blogspot.com.br/2013/09/resenha-livro-sombra-da-lua-marcos.html
comentários(0)comente



Naty 15/01/2014

À Sombra da Lua
O livro inicia contando a história sobre Zeus e Licáon, logo no prólogo. No decorrer dos demais capítulos, Marcos trata de contar sobre a cidade de Vila Socorro. O autor alterna a história no período do século XIX e o XX. No século XIX ele relata sobre a vida de Bastiano Cesari, sua esposa Clemenzia Giardini Cesari e seus filhos: seis mulheres e um homem.

O foco do livro é narrar sobre os acontecimentos no século XX. Os moradores têm sofrido com o aparecimento de diversos corpos trucidados no pequeno vilarejo, Vila Socorro, no interior de São Paulo. As constantes mortes, sejam de animais ou humanos, têm tirado o sono da população.

A história narra a vida de Álvaro Cesari, Alana, Flávia, Vicente, Valêncio e muitos outros personagens. Os que mais aparecem na obra são esses. Álvaro é pobre e o único sobrevivente de uma tragédia que massacrou sua família. Ele se apaixona por Alana, uma jovem rica, filha do Doutor Dário, um médico bastante respeitado pelos moradores daquela Vila.

“Enquanto Álvaro permanecia assombrado debaixo do enorme batente, os olhos de Alana finalmente o encontraram e seu rosto se iluminou com a visão daquele que seu coração havia eleito para amar. Mesmo ao longe, tê-lo em suas vistas já era motivo suficiente para mergulhar no romantismo” (p.57).

Alana corresponde a esse amor, mas se vê cercada por uma complicada situação: Vicente é um amigo de infância e sempre foi apaixonado por ela. Ele resolve demonstrar seus sentimentos e pede permissão ao Doutor Dário para casar-se com ela. Flávia é amiga de Alana, mas muito apaixonada por Vicente. Sabendo que seu amor não seria correspondido, ela decide aproximar Álvaro e Alana de uma forma inesperada.

Marcos mistura romance, suspense e muita adrenalina nessa obra. Ele descreve as mortes de forma fria, calculada, mas muito bem trabalhada. Todos não sabem o verdadeiro culpado de tantas atrocidades, mas desconfiam que seja um animal muito feroz. Porém, Valêncio é o único que discorda de todas as ideias. Valêncio apresenta suas teorias baseadas em livros, que levou anos de estudo. Muitos debocham e não acreditam. Até que Ronaldo, alcaide da Vila Socorro, resolve enviar uma carta ao Secretário de Defesa em busca de ajuda.

“Quando acordei, as paredes estavam sujas de sangue, os corpos em pedaços jogados no chão ensanguentado” (p.93).

Quem é o verdadeiro culpado dessas mortes não é mistério para ninguém. Até porque, quem olha a capa já subentende do que se trata. Contudo, a forma que o escritor narra todos os detalhes é assustadora, horripilante e, ao mesmo tempo, adorável. Um trabalho bem feito, com uma criatividade imensurável.

“Seu corpo começou a se contorcer violentamente e emitiu um som arrepiante de estalar os ossos. As juntas da coluna procuravam se encaixar às novas posições das vértebras, tornando suas saliências pontiagudas visíveis por toda a extensão das costas. A massa muscular do seu corpo acompanhava o crescimento brusco dos ossos, alargando com dor a sua pele, quase rasgando-a, enquanto os pelos ficavam mais grossos e rompiam a casca tênue à medida que se prolongavam e sangravam sua pele” (p.149).

A diagramação e a revisão foram impecáveis. A editora Rocco está de parabéns, como sempre. Uma leitura recomendada aos apaixonados por histórias de lobisomem, não apenas para as noites de luar, como o autor escreveu na dedicatória, mas a qualquer momento. Por mim, o livro poderia ter acabado na página 261. Contudo, as páginas seguintes foram mais mistérios para mim e meu coração quase não aguentou a pressão.

“O maior sofredor nesse caso não são as vítimas, mas aquele que carrega a culpa por permanecer vivo e não saber o que fez antes de recobrar os sentidos” (p.208).
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Fabiano Lobo 20/01/2015

Sobre À Sombra da Lua - Marcos DeBrito
Li esse livro há um tempo, mas hoje resolvi vir falar dele aqui, pois um livro desses não pode passar despercebido!

O livro conta a história de Vila Socorro, uma cidade do interior de São Paulo, que tem relatado estranhos casos de assassinatos nos últimos anos. A história oscila entre o que podemos dizer que é o presente, ou o momento atual dos acontecimentos e uma história de quase 30 anos atrás. O momento atual narra a história de Vila Socorro e os personagens Alana, Álvaro, Vicente, o alcaide Magalhães, o Dr. Dário e Valêncio, dentre outros, no século XX. A história do século XIX narra acontecimentos da vida de Bastiano e Clemenzia, dois imigrantes italianos que vieram para o Brasil, juntamente com suas seis filhas. Logo no prólogo é narrado o mito grego de Licáon, um rei cruel e amaldiçoado pelos atos que cometeu contra os deuses e os homens.

Bom, quem vê a capa e essa descrição, tendo conhecido o mito do lobisomem em algum momento e se aprofundado em suas histórias, logo percebe que existe algo familiar por aqui. A história de Licáon e mais alguns fatos que foram descritos no mito ao longo dos anos estão presentes e serão exploradas, e isso é um prato cheio pra quem gosta desse tipo de história.

Certa vez li um livro intitulado - O Livro dos Lobisomens - onde o autor Sabine Baring-Gould desvenda os mistérios do mito do lobisomem ao redor do mundo, mostrando a realidade de um mito tão antigo quanto a própria humanidade, que tem suas variações, mas mantém os mesmos princípios.

Analisando o início da história de À Sombra da Lua e o meu conhecimento sobre o mito do lobisomem, achei no início que fosse ser uma história um tanto clichê, justamente por utilizar algo já muito explorado nos cinemas e em vários romances sobrenaturais, inclusive alguns atuais.

Eu estava enganado!

Marcos DeBrito escreveu esse livro inicialmente como um roteiro para filme, mas, segundo o autor, devido ao alto orçamento para se realizar tal feito, ele resolver modificá-lo e enviar para algumas editoras. A Rocco acabou aceitando e publicando, e acertou em cheio! O livro é genial!

Não costumo contar spoilers nos meus comentários aqui, portanto não vou comentar os acontecimentos da história. A escrita do autor é muito interessante e diferente, criando uma atmosfera mórbida e fúnebre que prende o leitor e utiliza-se até mesmo de um tom lírico ou poético. Algumas cenas românticas são extremamente românticas, pois o autor se utiliza de descrições de sentimentos dos personagens pra que o leitor entenda um pouco mais e mergulhe no mundo de Vila Socorro e da criatura que assola os moradores dessa cidade em todas as noites de lua cheia.

As divisões da história entre dias e fases lunares, bem como essa ideia de contar um pouco da história atual e de uma história do passado deixa um mistério no ar e um tom de curiosidade, pois a cada página o suspense aumenta até alcançar um clímax impressionante que culmina num acontecimento inesperado.

E como não poderia deixar de comentar, eu sempre gostei de livros que me enganaram e que me surpreenderam no final, e esse livro conseguiu essa façanha que poucos conseguem!

E por esse e outros motivos que comentei aqui, estou ansioso pelo segundo livro do autor, que ele já está anunciando nas redes sociais, e que visivelmente falará de Vampiros!

Pra terminar, um trecho onde a magnitude da escrita do autor se faz presente, sem ser cansativa e muito rebuscada:

"Os raios refletidos na Lua encontravam obstáculos nas nuvens que vieram com o entardecer. O satélite já tinha sido visto na claridade daquele dia, mas era somente após as linhas imaginárias dos trópicos permitirem a passagem da escuridão que o lado sombrio do ser humano florescia".

Pág. 236.

Recomendo a leitura!

site: http://reminiscencialobo.blogspot.com.br/2015/01/sobre-sombra-da-lua-marcos-debrito.html
comentários(0)comente



Bell 27/05/2014

Cativante e Apaixonante, romance, horror e suspense na medida certa!
Quando vi o livro, meu primeiro pensando foi: "Para um escritor lançar seu PRIMEIRO Livro pela editora Rocco não deve ser qualquer coisa". E, exatamente como desconfiava, minhas suspeitas foram confirmadas. Uma narrativa cativante com uma história que sabe captar o melhor de todos os sentimentos, da singela paixão entre dois jovens ao ódio e a violência de uma alma atormentada.

O autor inicia a narrativa com um pequeno conto da mitologia grega. Diz a lenda que um rei chamado Licáon, soberano de Arcádia, gostava de sacrificar seres humanos. Este rei ficou muito conhecido por sua crueldade, até que um dia o próprio Zeus resolveu conferir se tudo o que diziam era realmente verdade. Licáon desacreditou de que Zeus estivesse em seu palácio disfarçado de mendigo e resolveu provar a todos que era apenas uma farsa. Como castigo, Zeus transformou Licáon em lobo. Através desse pequeno conto, o autor introduz a crença na transformação do homem em lobo e a partir dai começa a história de verdade.

Em agosto de 1893, época da imigração italiana, a família Cesari desembarca no Brasil em busca de uma nova vida. Bastiano Cesari trabalha duro no campo para que sua esposa e seis filhas tenham uma vida boa e digna. Durante esse período no Brasil, a família é agraciada com mais um Cesari, um lindo menino chamado Alvaro.

Conhecemos também a vida de Álvaro, o ultimo Cesari, já adulto em 1920 e os horrores que o povoado da Vila Socorro vem sofrendo com as mortes misteriosas e violentas de seus entes queridos. Nas assembleias são discutidas as formas de se resolver esse problema e é em uma destas reuniões que Alvaro conhece Alana, uma linda jovem da alta sociedade e filha de um médico importante do Vilarejo. Alana, mesmo sabendo que não deve, se sente atraída pelo pobre imigrante italiano.

Após muitas tragédias o alcaide resolve pedir ajuda da capital, em resposta o investigador Ulisses Canaã vai ate o Vilarejo investigar as mortes, e aqui começa uma busca implacável por respostas. Destaque para os diálogos entre Valêncio e Ulisses, inteligentes e cheios de paixão.

O autor vai alternando os capítulos entre as duas linhas temporais e sempre inicia cada nova narrativa com a data e a fase da lua. Um recurso narrativo muito interessante e que ajudou a aumentar e muito o suspense enquanto o leitor vai gradativamente conhecendo os fatos.

Uma narrativa fluida e dinâmica, que prende a atenção do leitor. O autor descreve bem as cenas com riqueza de detalhes, principalmente as cenas violentas. Eu, particularmente, adoro isso. DeBrito sabe criar o clima certo de suspense e achei isso outro ponto positivo para sua obra.

Os personagens são bem estruturados e marcantes. Valêncio é de longe o meu favorito, um senhor muito observador e inteligente. Ele é sempre o destaque das reuniões do povoado com sua grande eloquência ao defender suas teses, sempre investigando e atras da verdade e da Justiça. Lembro que ainda nem sabia da sua importância na trama e o personagem já me conquistou na sua primeira aparição no livro.

Nota-se que o autor pesquisou muito sobre o tema antes de escrever, gostei de como ele conseguiu fazer um compilado de todas as teorias nos mostrando o leque de opções, da mitologia grega e crendices populares ate os estudos da licantropia com um foco mais cientifico, fato que o Valêncio conseguiu nos apresentar com eloquência. Diria que é uma verdadeira batalha de teorias entre o real e o imaginário, o que nos dá também a oportunidade de refletir e pensar em qual delas acreditamos.

Outro grande destaque são as reviravoltas da trama, como eu falei para o autor, teve momentos que a trama caminhava para o obvio e eu não esperava muita coisa e ai o baque, o autor simplesmente te quebra as pernas e te deixa sem chão. Lembro que tive que parar a leitura, respirei e pensei " Ou o autor me surpreende ou ele simplesmente estraga tudo o que construiu ate agora", Felizmente foi a primeira opção e trouxe uma nova perspectiva para a trama. Houveram dois momentos em que me senti assim, na metade do livro e no fim, mas o autor sabe mesmo como nos surpreender.

Quer uma dica?! Corra para a livraria mais próxima ou encomende logo com o autor, um livro que realmente vale a pena a leitura, principalmente se você é fã de lobisomens, terror e suspense sem deixar de lado o romance.

Resenha publicada no Blog Contos do Guerreiro.

site: http://contosdoguerreiro.blogspot.com.br/2014/05/resenha-sombra-da-lua.html
comentários(0)comente



RUDY 11/08/2014

Resumo sinóptico
Em 1249 Licáon no norte da Grécia, posteriormente Arcádia, desafiou os Deuses com sua crueldade. Zeus desce aà Terra para constatar in loco os desmandos de Licáon que matou seu próprio filho e fez guisado dele, oferecendo à Zeus como refeição. Zeus percebe o ardil de Licáon e como castigo o transforma em um lobo monstruoso, dando origem a Licantropia.
No Século XIX a Itália passava por um intenso processo de industrialização o que trouxe a imigração do povo italiano em busca de uma vida melhor no novo continente, Brasil. Nessa leva chega Bastiano Cesari com a esposa Clemenzia Giordani e suas seis filhas no Porto de Santos, em busca prosperidade.
Bastiano era um pai amoroso e um marido dedicado, vivia exclusivamente para sua família e com o tempo e muito esforço, consegue se estabelecer em Vila Socorro. Adquiriu um pedaço de terra e lá, com as próprias mãos, construiu uma casa humilde, porém carregada de afeto e amor.
Clemenzia engravida novamente e traz ainda mais alegria à familía com o nascimento de Álvaro, o filho homem que faltava.O que destoava nesse ambiente era a partida de Bastiano uma vez por mes que passava a noite fora de casa, um hábito que tornava Clemenzia pensativa, mesmo com todas as desculpas de Bastiano que dizia ir vender os produtos da horta em cidade vizinha.
Mortes trágicas acontecem na Vila Socorro, onde animais e pessoas aparecem destroçadas com as entranhas expostas, uma verdadeira barbaridade que assusta os moradores do vilarejo.
Bastiano sai uma vez mais para vender os produtos na cidade vizinha e ao chegar em casa, a tragédia havia se abatido sobre seus familiares, a mulher e as filhas estavam estraçalhadas e Bastiano é encontrado com o machado na mão, com ar de louco e tentando matar Álvaro. É julgado e condenado. O povo revoltado acaba por linchá-lo e ele morre; é enterrado em uma parte isolada do cemitério.
Se passaram 27 anos desde a chegada da família Cesari a Vila Socorro e já é início do Século XX, década de 20. Álvaro passa a viver sozinho, isolado na casa construída pelo pai e vai alguns dias na semana vender ou trocar seus produtos na cidade. Tem pouco contato com as pessoas, entretanto, se encanta por Alana, filha do médico da cidade e herdeira de uma das famílias mais conceituadas e abastadas. Sem que ninguém saiba, e correspondido por ela, mesmo que esteja prometida a outro em casamento, Vicente, seu amigo de infância, motivo da paixão de Flávia, melhor amiga de Alana.
O povo continua revoltado com as mortes bizarras e obrigam o alcaide Magalhães, pai de Vicente e a autoridade máxima da cidade, a buscar ajuda do Estado, que envia um especialista para tratar do assunto e tentar desvendar o mistério das mortes.

site: http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/2013/12/resenha-57-sombra-da-lua-literatura.html
comentários(0)comente



Arca Literária 20/06/2014

À sombra da lua
'' Não é imigrante! Não é escravo! - ele continuou. - É uma cria do diabo que vaga pelo breu da floresta, bebendo sangue dos desavisados que cortam caminho de noite pela mata.''

'' É uma sombra do inferno! Depois que o sol se esconde, as trevas caem sobre esta vila e as estrelas são testemunhas de que aqui caminha um servo do demo.''


Quem me conhece um pouco sabe que uma das minha muitas paixões na vida são os livros de literatura sobrenatural. Aqueles que te contam histórias que desafiam a realidade e a razão. Os que te trazem grandes mitos, lendas e crenças. Eu AMO ISSO. Então quando comecei a ler o livro À Sombra da Lua do Autor Marcos DeBrito eu já esperava gostar por já saber mais ou menos o que esperar. Só não esperava que o livro superasse todas as minhas expectativas e muito mais.

'' Mas todo o coração tem suas tendências masoquistas e acaba procurando o amor mais difícil.''

'' - Este jardim ainda é assombrado, mas é engraçado como o medo simplesmente desaparece quando a gente cresce e para de acreditar nas histórias que assustavam a gente quando criança.
(...)
- Eu não acho que o medo desapareça, Alana. Acredito que, quando somos pequenos, temos medo do desconhecido; arbustos se transformam em monstros no jardim,sombras se tornam fantasmas nos cômodos da casa, qualquer vento que passa por uma fresta aberta de janela vira um assobio de defunto. Já quando ficamos velhos, temos medo de morrer ou de ficarmos sozinhos. Acho que o medo nunca some, só é transferido das coisas imaginárias às coisas reais que precisamos enfrentar em cada etapa da vida.''


O Autor usa de várias abordagens diferentes para criar um único e original mito sobre a crença do lobisomem. Confesso a vocês que comecei minha vida literária tendo como queridinho os vampiros e por eles serem diretamente ''inimigos natuarais'' dos lobisomens tinham um certo pezinho atrás, mas depois que começamos a conhecer mais a fundo os diferentes mitos que envolvem os lobos é difícil não se envolver e se encantar. Com essa Obra não é diferente, pois ela é muito RICA! Rica em detalhes, história, descrições, personagens e sentimentos.

'' Orfeu não o abraçava como carinho e sim guiava pelo inferno das recordações que gostaria de esquecer.''

'' Aquele que procura a companhia dos mortos no meio de um dia ensolarado como este é porque não gosta de conversar ou porque perdeu todos com quem se importa.''


O livro giram em volta da história de vida de Álvaro, que morra isolado e sobreviveu a uma grande tragédia em seu passado. Álvaro que se apaixona por Alana, que fica prometida para Vicente, que ama Alana que ama Álvaro. Alana é a melhora amiga de Flávia que ama Vicente que ama Alana! Sentiram o drama? Mais o pior que isso é uma pequena vírgula da história.

O romance intercala a história que aconteceu em 1893, no século XIX e a história que esta acontecendo em 192o no século XX. Tudo em volta da família Cesari na nossa querida Vila Socorro - que desculpem o trocadilho, mas acabou pedindo socorro mesmo!

'' Seu quarto estava repleto de livros. Parecia uma biblioteca particular com acervos raros e invejáveis...''

'' Todas as noites, antes de dormir, eu converso com alguém que acho que é minha mãe - confessou ela, encarando o infinito. - Mas o rosto que aparece na minha cabeça não tem forma e nunca é o mesmo. Sinto a presença dela ao meu lado, mas não sei se ela me escuta.''


Os personagens são incrivelmente complexos. O Leitor fica de coração partido e dividido, não sabe se ama ou odeia o protagonista. Que é uma pessoa muito boa quando está humano, e em forma de lobo se transforma em um monstros sanguinário, capaz de cometer atos horríveis, chocantes e nojentos. Chegamos a um ponto que temos pena dele, é uma maldição, um desespero, a razão selvagem e irracional do animal que sobrepõem a capacidade de amar do homem. É incrível e triste.

'' No jardim desse casal apaixonado florescia a mais bela das flores. Um amor verdadeiro, uma confidência de segredos e sentimentos profundos. Desde as noites frias de outono, que precederam um inverno dos mais rigorosos, os dois jovens esquentavam seus corações com o fogo da paixão e seus corpos na alcova da luxúria.''


O autor mescla a mitologia, com a ciência que explica a licantropia e as crenças regionais do lobisomem. Sétimo filho homem de uma família de seis filhas mulheres. Eu vivo em uma cidade onde essas crenças dos lobos, como das bruxas é muito forte aqui no folclore e foi muito gostoso ver um pouquinho disso misturado ali na história.

Outras coisas que tenho que comentar sobre a história sem entrega-la é:

1 - Não é muito romântico levar a namorada para um primeiro encontro no cemitério! Mas a cena é incrível!

2 - Uma das mortes foi incrivelmente chocante! Digna de um dos livros de Anne Rice!

3 - Meu Lado racional amou o final, achou muito bom mesmo e incrivelmente fechado! Meu lado sensível e romantizado queria um final diferente!

4 - Tinha cenas dignas de filmes nessa obra. E não só as cenas em si, mais a narração, tem uma cena que Alana está tocando piano como se para expressar sua tristeza e ao mesmo tempo que ela toca, narra o que esta acontecendo com os outros personagens no mesmo momento. Eu podia praticamente escutar o piano! Muito maravilhoso!

5 - Além de sobrenatural é um romance histórico já que se passa no século XIX e XX. AMO! E acompanhar as faces da lua em cada data narrada foi uma ideia genial!

'' - Não há vergonha na vingança, meu jovem. E, no seu caso, matar ou morrer em nome do amor é louvável. Um romantismo raro nos dias de hoje.''


O mocinho pode ser vilão, o vilão se passa por mocinho. O herói não é bem herói. O padre não tem uma grande fé. Meu personagem preferido ficou sendo seu Valêncio! As surpresas são muitas. A história é de primeira e o ditado de que '' Melhor o covarde vivo que o herói morto'' não se aplica aqui!

'' ... O carrasco que deu fim à criatura também sucumbiu à vingança do demônio.''

'' - Sabe qual a maior diferença, senhor Valêncio? (...) - Para o senhor, uma simples leitura é suficiente, mas para mim... eu quero fazer parte dos livros.''

Eu amei essa Obra, um dos melhores livros nacionais que li! Indico para quem gosta de sobrenatural e para quem não conhece e que queira conhecer. Nada de romances leves e histórias bonitinhas, aqui temos histórias complexas, com personagens complexos em um cenário obscuro e intenso. Incrível, tocante, agoniante, muito bem escrito e maravilhoso.

'' Era uma discussão sem vencedores. A crença sempre esbarraria na prepotência da razão, enquanto a lógica seria suplantada pela fé ao tropeçar no desespero de uma fatalidade sem resposta.''

________

Resenha de Paula Juliana, resenhista parceira do Arca Literária

site: http://overdoselite.blogspot.com.br/2014/01/as-lapides-eram-para-ele-como-livros-e.html
comentários(0)comente



Tati Duraes 13/08/2014

De tirar o fôleêgo!
Sabe aquele livro que pega seu coração joga no chão, esfaqueia, pisa e chuta os pedacinhos que sobraram? Pois é, se prepare esse é um desses!
Vila Socorro sofre com ataques misteriosos há muito tempo, ninguém tem coragem de falar sobre lobisomens, pois o padre não permite. Mas todo mês acontecem assassinatos brutais e eles acreditam que seja um lobo.
Em paralelo a isso, Alana se apaixona por Álvaro, filho de imigrante italiano e pobre. Ele vive do que planta, mas isso não impede a jovem rica a viver a paixão plena com o homem de sua vida. Álvaro é atormentado pelo passado, já que o pai matou a família toda a machadada e ele foi o único que sobreviveu.
Álvaro também se entrega a paixão por Alana, mas ela é prometida e obrigada a se casar com o melhor amigo de infância, Vicente. Flavia a melhor amiga de Alana é apaixonada por Vicente e ajuda a amiga a se encontrar todas as noites escondida com Álvaro.
Enquanto isso o lobisomem vai matando meio mundo!!!
O romance intercala a história que aconteceu em 1893, com os pais do jovem protagonista e a história que está acontecendo em 1920. Tudo em volta da família Cesari, família de Álvaro.
Os personagens são fortes, muito bem construídos. O autor mescla a mitologia, com a ciência que explica a licantropia e as crenças regionais do lobisomem. Sétimo filho homem de uma família de seis filhas mulheres. A escrita é rica em detalhes e sentimentos.
Posso dizer que minha parte racional amou o livro e não podia ter final melhor, mas meu coração odiou. Uma das mortes, a mais bem descrita de todo o livro é forte, nojenta e cruel, mas é um animal, é uma besta quem mata, não podia ser diferente.
Meu personagem favorito ficou sendo o Álvaro, mesmo sendo terrível às vezes, acho que ele merecia um fim melhor.
Eu indico para quem goste de histórias sobrenaturais e para quem queira conhecer, mas que já saiba: não tem nada de leve e romance bonitinho. Aqui temos personagens fortes e intensos, e um cenário obscuro.


site: http://meuclubedaleitura.blogspot.com.br/2014/08/resenha-sombra-da-lua.html
comentários(0)comente



A Galega e seus Livros 25/12/2014

À Sombra da Lua é um livro que cumpre o que promete desde a capa até ultima frase do livro: impressionante!!! a história é narrada de forma espetacular, deixando o leitor a cada momento mais interessado e curioso com o decorrer da narrativa. Momentos de tensão, horror,medo se alternam com sensualidade e amor de uma forma tão intensa como há tempos não se via na literatura brasileira. super recomento .
comentários(0)comente



Gustavo 23/12/2013

À Sombra da Lua - Marcos DeBrito (Blog Leitores Compulsivos)
Ano de 1893 - Desembarca-se mais um navio no porto de Santos. Dentro deste navio estavam famílias italianas que decidiram mudar-se para o Brasil. Dentre as famílias, a família de Bastiano Cesari, constituída de Bastiano, sua esposa Clemenzia e suas seis filhas desembarcam no Brasil, eles decidiram mudar-se para o Brasil para buscar melhores condições de vida.

A família Cesari começa sua nova vida em território brasileiro, Bastiano começa a plantar e cultivar hortaliças e rapidamente uma pequena roça começa a se formar, Bastiano plantava as próprias hortaliças de sua família, e trocava por coisas que eles não conseguiam produzir na vila ao lado.

Todo mês, Bastiano parte em viagem para vila, levando as hortaliças para vender e trocar por outros alimentos. Mas sua família não imaginava que a viagem mensal de Bastiano tinha outro intuito além do de vender hortaliças. Ele tinha um segredo, um segredo sombrio que escondia de tudo e de todos.

Certo dia, Bastiano recebe uma maravilhosa noticia de sua esposa, ela estava gravida, a novidade alegra o coração do casal e das filhas, principalmente Bastiano fica esplêndido, pois ele teria certeza de que naquela gravidez, a mulher daria a luz a um belo e forte menino. E ele estava certo, meses depois nasce um lindo e sadio menino, que é batizado com o nome de Álvaro. O menino é a alegria de toda a família, principalmente de Bastiano.

Antes do menino nascer, em uma noite que Bastiano viaja para vender as hortaliças, Clemenzia acorda no meio da noite para ir ao banheiro que é fora de casa, quando ela é atacada por um grande monstro, que a pouco não a mata, ela começa a desconfiar de certas coisas, mas achando que estaria ficando louca, não decide contar o ocorrido para ninguém. Depois que o filho nasce, tudo volta ao normal, e a família prossegue com suas vidas.

Certo dia, acontece uma grande tragédia na família Cesari, onde apenas Àlvaro sobrevive, abandonado e sem ninguém, ele decide seguir a vida do pai, cuidando e vendendo hortaliças, mas o que ninguém sabe é que por trás desta tragédia que matou toda a família de Álvaro existe um grande e misterioso segredo.


Ano de 1920 (27 anos depois) - Na pequena vila Socorro, no interior de São Paulo, assassinatos sombrios e macabros andam assustando os moradores da vila a décadas, ninguém sabe a causa das mortes, uns dizem que é obra do demo e outros dizem que é um Serial Killer, e outros dizem que é um animal selvagem da mata, mas na verdade ninguém sabe a origem das mortes, a única coisa que todo mundo sabe é que quem fica de frente com o assassino, não sobrevive para contar história.

Álvaro vai até a vila socorro para vender hortaliças quase todas as semanas, assim como o pai fazia, Álvaro sobrevive do trabalho na fazenda. Mas além da venda das hortaliças, outra coisa atrai Álvaro até a vila, uma linda moça chamada Alana, que era filha do médico da vila. Álvaro sempre foi apaixonado por Alana, e a garota também nutre os mesmos sentimentos pelo rapaz, mas nenhum dos dois decide tomar partida, e a única coisa que acontece são as trocas de olhares. Mas isto seria por pouco tempo, pois a amiga de Alana sabe que ela é apaixonada pelo rapaz, e decide marcar um encontro secreto entre os dois pombinhos, quando os dois se conhecem, a paixão entre eles flui de uma forma esplêndida, eles são apaixonados eternamente um pelo outro. Os dois nunca imaginavam que o amor poderia ser tão poderoso e tão intenso, os dois eram as duas sinfonias de uma orquestra perfeita, a orquestra do Amor.

" - No jardim desse casal apaixonado florescia a mais bela das flores. Um amor verdadeiro, uma confidência de segredos e sentimentos profundos. Desde as noites frias de outono, que precederam um inverno dos mais rigorosos, os dois jovens esquentavam seus corações com o fogo da paixão e seus corpos na alcova da luxúria. " - Pág.: 122



Mas este relacionamento de Amor e Paixão não duraria por muito tempo, pois o pai de Alana nunca aceitaria que a filha se casasse com um migrante italiano. Além da diferença das classes sociais entre os jovens, o pai de Alana tinha outros planos para a filha, um rapaz chamado Vicente já está marcado para ser o esposo de Alana. Alana gosta muito de Vicente, mas acha que não seria capaz de abandonar Álvaro, mas ela não tinha saída.

" - Eu não acho que o medo desapareça, Alana. Acredito que, quando somos pequenos, temos medo do desconhecido; arbustos se transformam em monstros no jardim, sombras se tornam fantasmas nos cômodos da casa, qualquer vento que passa por uma fresta aberta de janela vira um assobio de um defunto. Já quando ficamos velhos, temos medo de morrer ou ficarmos sozinhos. Acho que o medo nunca some, só é transferido das coisas imaginarias ás coisas reais que precisamos enfrentar em cada etapa da vida. " (Vicente para Alana - Pág.: 32)


O relacionamento entre Vicente e Alana desencadeia uma rede de acontecimentos que mais tarde, colocaria a vida de todos da vila a beira da morte. Os assassinatos acontecem frequentemente, durante toda lua cheia, pessoas amanhecem mortas, animais estilhaçados e criações inteiras somem. O medo entre a população aumenta, e depois de uma grande tragédia, é contratado um caçador da capital, que lutará ate o ultimo minuto para caçar a fera e devolver a paz a vila socorro, mas o que eles não imaginavam é que esta fera poderia estar fora do alcance de todos e que ela é mais forte do que qualquer coisa que existe na face da terra, e quando eles perceberem isso, poderá ser tarde demais.

" - A dor da perda é mais dolorosa que a dor física e suas chagas são tão profundas que as cicatrizes atingem a alma. " - Pág.: 157


Eu comecei a ler este livro na noite da sexta feira treze, eu imaginei que nada melhor para ler na data da sexta feira treze do que um belo livro de terror, então eu escolhi o livro A sombra da lua, um livro que eu recebi há algum tempo, através do autor. Eu comecei a ler o livro lá pelas 22:00 da noite, e eu não conseguia parar de ler, passou meia noite, passamos para o dia 14, passou uma hora da manhã, duas horas da manhã e eu não conseguia parar de ler o livro, cada vez que o sono batia e eu decidia que leria apenas mais um capitulo, acontecia algum evento marcante que desencadeava novas coisas, então eu não parei de ler enquanto não terminei de ler o livro. eu poderia resumir o livro em apenas três palavras: Espetacular, Arrepiante e Surpreendente.

Eu achei que o livro seria apenas em torno do romance do casal, mas não, o autor vai além, ele explora muito os personagens e isso é uma coisa impressionante, quando você acha alguma pessoa especial para a historia, ela morre, isso é outro aspecto do autor, ele consegue colocar o suspense e o terror em um novo nível, o nível de arrepiar os cabelos da nossa nuca kkkk, como eu adoro livros com terror sobrenatural, eu adorei este livro, e para quem não gosta, vai passar a gostar depois de ler este livro, simplesmente incrível. O que mais me surpreendeu foi as surpresas emocionantes que acontecem durante a história, eu ficava chocado todas as vezes que alguma coisa inesperada acontecia, Marcos DeBrito é o rei das surpresas!!! kkk

Eu adorei este livro, leve, arrepiante, surpreendente e emocionante, um livro cheio de surpresas que te levará para uma historia de amor, suspense sobrenatural e terror.

site: http://vampleitores.blogspot.com.br/2013/12/resenha-sombra-da-lua-marcos-debrito.html
comentários(0)comente



Michael Chagas 19/08/2016

“A maldição do lobisomem é elevado ao mais alto nível de descrição e tragédia”.
Eu não tinha lido nenhum livro do escritor Marcos DeBrito, então resolvi escolher o seu primeiro romance, o livro À Sombra da Lua. Não me decepcionei. Fui surpreendido positivamente. Monstruosamente o autor me ganhou logo nas primeiras páginas.
Com um prólogo direto e muito bem escrito, Marcos Debrito já nos coloca na Grécia Antiga numa mini-estória que mostra como a lenda do lobisomem surgiu. Aquilo já me animou bastante. A forma como o escritor escreve é fantástica, ele encontrou seu jeito e descreve detalhes horripilantes com maestria. Mas há também no livro, cenas românticas, um amor proibido, vingança, tragédia, morte, sangue, Lua Cheia.
Mas do que se trata o livro? O livro se passa em duas linhas temporais, onde uma se trata do presente em 1920:
Narra estória de personagens extremamente vivos e bem construídos, moradores de Vila Socorro que moram em paz e com uma fé extremamente forte em Jesus Cristo, até que casos estranhos começam a correr na Vila; Galinhas dilaceradas, porcos atacados, pessoas começam a morrer, por causa de um ser que todos imaginam ser uma raposa ou um lobo. Personagens como: Duas amigas Alana e Flávia apaixonadas por amores proibidos, um corajoso jovem Vicente, pais de família preocupados, uma mãe adorável chamada Clemenzia , um idoso que estuda livros sombrios com nome de Valêncio que acaba impondo sua crença, dizendo que todos aqueles ataques se tratava de um ser que outrora o povo não acreditava estar lhe dando; um doutor importante pai de Alana, o Dr. Dário, um homem vestido de preto chamado Ulisses que chega à cidade para uma missão e o jovem Álvaro que tem toda uma tragédia na infância, onde ele é o sétimo filho e acaba presenciando uma desastre horrendo com sua família, e a outra linha temporal se passa contando justamente o ocorrido com a família de Álvaro que só se revela no final do livro, alternando entre presente e passado.
Entre tantas tramas e tantos personagens vemos que Marcos Debrito consegue conduzir a estória com todo drama que o livro se propõe a colocar na mente do leitor. O monstro que é o lobisomem e sua aparição é descrito com cenas horripilantes de tirar o fôlego. Mas não é só isso. A religião VS crença popular. Em quem acreditar? O povo só acredita nas coisas que conseguem ver e tudo é contado com opiniões coerentes e fortes.
O livro é sensacional. Horror, medo, mortes, mitologia, crença, religião, amor proibido, traição.
Tudo isso está no livro e de uma forma bem colocada. Não podia ser melhor.
comentários(0)comente



29 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2