Jogos do Prazer

Jogos do Prazer Madeline Hunter




Resenhas - Jogos do Prazer


71 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5


Taliane.Pereira 30/10/2020

O terceiro livro da sequência "Rothwell's" (composta por 4 livros).
Roselyn pensou estar com o amor de sua vida mas foi surpreendida com uma desconfortante situação...
comentários(0)comente



Enzza 22/08/2020

O melhor dessa série. Apesar do choque pela história não ser do último irmão Rothwell, mesmo assina história vale a pena ser lida.
comentários(0)comente



Tais Bruna 11/08/2020

Gostei da leitura, achei a história bem diferente e interessante.
Porém esperava um pouco mais, não consegui me apaixonar pelo casal como sempre acontece nos romances de época.
comentários(0)comente



Thai Zavadzki (@meowbooksblog) 31/07/2020

Leve e envolvente.
NOTA: 4,5.
Roselyn Longworth estava sem saídas depois que seu irmão fugiu do país como um criminoso. Sem esperanças, ela se envolve com um Lorde bastante desagradável que destrói qualquer resquício de sua reputação, leiloando-a em uma festa como uma prostituta. Quem a acaba salvando disso é um homem misterioso chamado Kyle Bradwell, que venceu na vida na base do próprio esforço. Os dois continuam se encontrando depois do acontecido e descobrem um sentimento mútuo e arrebatador que os une.
Uma das coisas que mais gostei desse livro, foi que não tem enrolação nenhuma. Ele é curto e, por isso, o enredo é ligeiro, se apresenta de forma rápida, não tem frescura para os mocinhos se envolverem. É claro que com isso, um certo vazio sobre algumas questões pode surgir. Eu mesma queria que o vilão ? que, aliás, é um dos mais abomináveis que já vi em romance de época, se não o mais ? fosse melhor explorado. Talvez não exatamente ele, mas a relação deste com o mocinho.
De qualquer modo, acho que essa é uma indicação perfeita para quem quer uma leitura leve e rápida, de fim de tarde. É um livro com poucas reviravoltas e mistérios e mesmo assim você se envolve com tudo o que acontece e torce pelo casal, sendo que nem tem tanto sofrimento nesse sentido, hahaha. Eles até têm uns desentendimentos, mas são pouquíssimos e a dinâmica entre o par é muito legal desde o princípio.
Confesso que Rose me irritava em alguns momentos, mas compreendo o amor dela pela família, que era o que a mobilizava. Quanto a Kyle, sem defeitos. O respeito e carinho que ele tem por ela é tão lindo, aff. A gente fica desejando um desses pra gente, haha.
Depois de um segundo livro muito ruim, Jogos do Prazer vem pra mostrar que Madeline Hunter e seus Rothwells merecem uma segunda chance. Com uma escrita deliciosa e envolvente, a autora entrega uma obra super leve e cativante. Vale a leitura, especialmente para quem ama romances de época.

Mais resenhas: meowbookblog.com
comentários(0)comente



Danimes 27/07/2020

Apaixonada pelo Kyle e a Rose! ??
Rose viu sua vida mudar: perdeu os bens, a virtude e foi leiloada por um homem em quem acreditou.
Kyle, filho de mineiros de carvão, teve oportunidade de estudar e se formar arquiteto.
O encontro entre os dois foi o malfadado leilão, que gerou mais desprazeres pra Rose e que culminou (após acordo de ambos) num casamento.
Como nem tudo é perfeito, vários acontecimentos vão permear a história até o final.
comentários(0)comente



Silvana 16/07/2020

Razoável
Rothwells #3
Jogos do Prazer
Ler este livro será de dificil entendimento para quem não leu o livro 1 da série (As regras da Sedução) porque ele é basicamente sua continuação. Na resenha que fiz do primeiro livro falei da minha insatisfação de o vilão da história fugir, enquanto o mocinho amargava as perdas pois, o livro 3 nos conta as consequências desta fuga e mesmo que deixe de tratar diretamente dos irmãos Rothwells finaliza a primeira história.
É um livro com poucas páginas mas, sentimos como se fosse bem maior, a historia é interessante mas contada lentamente com várias repetições então fica meio cansativo. A mocinha do livro 'Lady Rose' é uma tonta, completamente alienada, justificando o amor familiar e a bondade do seu coração chega no limite da moralidade ao defender seu irmão criminoso, ela é chata, burra e injusta.
comentários(0)comente



Leide 28/06/2020

Noooosaaaa
Com toda certeza arrebatou meu coração, amei. Lindo de mais, cara cada vez mais apaixonada por essa série, ainda não tinha lindo nada dessa autora, agora está na minha linsta dos favoritos.
comentários(0)comente



Mirela.Mayara 26/06/2020

Bom
Um livro bem escrito, com uma leitura bem rapidinha e personagens que deixam o coração quentinho.
Mas não tem nada demais, ou super incrível.
comentários(0)comente



cris.leal.12 20/06/2020

À procura de um Kyle pra mim...
Por vingança, Roselyn Longworth foi assediada e seduzida por Lorde Norbury. O irmão da moça fugiu, depois de desviar dinheiro dos clientes de um banco, e o Lorde foi um dos lesados. Fingindo estar apaixonado, Norbury deliberadamente destruiu a reputação de Rose, pois a leiloou durante uma festa em sua propriedade. Por um acaso, Kyle Bradwell estava presente no momento e para acabar com o leilão humilhante e tirar Roselyn de lá, ofereceu um lance altíssimo e a arrematou. A princípio, Rose pensou que tinha escapado dos abusos de um homem para ser importunada por outro, mas, para sua surpresa, Kyle se comportou como um perfeito cavalheiro.

Kyle sempre admirou Rose, mas apenas de longe, porque tinha consciência de não estar à altura da posição social dela. Rose é prima de Alexia Welbourne, cunhada de Christian Rothwell, o marquês de Easterbrook. Já ele, é filho de um mineiro de carvão que, por sorte, teve um benfeitor que patrocinou seus estudos de engenharia e arquitetura. Normalmente a diferença social seria um empecilho, mas a possibilidade de um casamento, que salvaria a honra de Rose e elevaria Kyle socialmente, foi proposto por Christian Rothwell, o marquês.

O que mais gostei neste terceiro livro da série Os Rothwells, foi o protagonista que, por sinal, não é um Rothwell. Eu amei Kyle! Neste livro, em especial, senti falta de um epílogo. Queria saber mais! Como personagens dos outros livros participaram desta trama, espero encontrar Kyle e Roselyn no próximo livro (Segredos de um Pecador), que é o último da série.

site: https://www.newsdacris.com.br/2020/06/resenha-jogos-do-prazer-de-madeline.html
comentários(0)comente



Mia Fernandes 04/05/2020

jogos do prazer - madeline hunter
Tudo ocorreu de maneira tranquila e esperada. O casal de protagonista não se apaixonaram a primeira vista e correram para a cama mais próxima. A autora preservou o desenvolvimento do enredo e o crescimento dos personagens. E obviamente, nos presenteando com Sr. Eastebrook.

“O crime foi dele. Erro dele. Você é inocente. Além de uma das vítimas. Você e sua irmã sofreram muito por causa dele, não foi?”

Roselyn Longworth já tinha sofrido no primeiro livro. Mas, o buraco fica mais fundo no seu livro. Aguentando as consequências do roubo que seu irmão fizera, ela agora não tem mais nada. Seus sonhos pueris de amor romântico e um belo casamento se desmantelaram, e sobrara somente a sua beleza. Que acabou se tornando uma armadilha. Caíra nos braços de um dos lordes que fora lesado por seu irmão e agora ela está sendo leiloada, como se fosse uma prostituta de quinta categoria. E tudo poderia ser ainda pior se não fosse por Kyle, tê-la arrebatado por 950 libras.

“Pensou se ela havia entendido as consequências daquela noite. Tinha escapado dos abusos de um homem, mas não escaparia dos danos ao seu nome quando todos soubessem da festa e do leilão. E não tinha dúvidas de que todos saberiam”

Em vez de ficar agradecida como uma dama da sociedade ficaria, Rose tenta logo fugir do seu salvador.
Kyle Bradwell é um homem comum, filho de mineiros, que cresceu com o suor do seu trabalho e com a ajuda de um lorde conseguiu se formar como arquiteto. Para salvar Rose, ele literalmente ficou na pindaíba. Mas isto não o impediu de salvá-la daqueles cafajestes e assim devolvê-la em segurança para a casa da prima.

E tudo ficaria por assim. Rose e Kyle nunca mais se encontrariam já que ambos estão em posição desigual na sociedade londrina. Isto se não fosse pelo estratagema de Lorde Eastbrook, no qual transformou a péssima realidade de Rose e seu salvamento em uma história de contos de fadas, na qual ela se torna uma moça indefesa salva pelo príncipe no seu cavalo branco. Não é preciso de muita persuasão e chantagem para convencer Kyle a comprar a história e assim ele consegue envolver Rose no mesmo arranjo.

“Calcule seus ganhos e perdas, Srta. Longworth, e deixe que eu calcule os meus. Se eu não a quisesse, não me casaria por nada, independentemente de sua fortuna, família ou pureza.”

Só que o casamento não é como eles imaginavam. Eles são ambos estranhos entre si, contando somente com o orgulho para se precaverem. Rose não consegue se perdoar pelo o que aconteceu com o seu irmão e Kyle tenta a todo custo protegê-la. Porque o irmão dela não é flor que se cheire. O relacionamento deles fica por um fio quando mentiras e verdades veem a tona e quem será que irá ganhar o amor ou o orgulho?

“Diga-me uma coisa: se não fosse aquela noite horrível, se não fosse a minha situação, você precisaria ser tão cuidadosamente respeitoso? Se tivesse casado com uma moça ingênua daqui do vilarejo ou com uma mulher que nunca foi chamada de puta, pensaria nisso o tempo todo? Se você não tivesse nascido neste vilarejo, mas numa grande mansão e me pedisse em casamento em outras circunstâncias, acharia tão importante me tratar como uma dama?”

A autora tem uma maneira peculiar de escrever. Ela não apressa os acontecimentos, deixa os personagens crescerem a sua maneira. Tem horas que dá vontade de matar Rose por sua obsessão em salvar o irmão – que não merece ser salvo. Ponto positivo está em Kyle por não ser um homem perfeito e ideal, ele é real com suas qualidades e defeitos, passíveis cometer erros. Mostrando os altos e baixos que toda relação passa e o que é necessário para seguir em frente.

“Percebi que não me achava no direito de erguer a cabeça. Meu orgulho tinha virado uma armadilha pesada. Eu ficava de pé, mas, por dentro, só havia confusão e culpa pelos erros da minha família. Até aquele caso... pensando agora, mal reconheço a mulher que ficou tão desapontada. Não era a Roselyn Longworth de dois anos atrás, nem a de hoje. Aquela mulher era uma estranha, que só fazia más escolhas e que achava que não merecia nada melhor.”

p.s: Eu só não entendi o porquê do título ser Jogos do Prazer, porque eu não vi nenhum tipo de jogo por ali...

xoxo
mia fernandes.
comentários(0)comente



Luana 28/04/2020

Ahhh gente, o que falar do Kyle?? Eu quero um pra mim, com certeza.
O melhor livro da série até o momento.
Um romance suave, que apesar das dificuldades não nos faz pensar que os dois não continuariam apaixonados.
comentários(0)comente



Thays 29/03/2020

Gostei muito
?- Você me emociona, Roselyn - sussurrou , com a voz rouca de emoção. - Sempre emocionou. Primeiro pela beleza, depois pela bondade e paixão, e agora por seu amor. Você faz meu coração arder, doer e se encher de orgulho. De toda a sorte que tive na vida, você foi o maior presente que o destino me deu.?

Como sempre Madeline Hunter me surpreendeu, mais um romance lindo e emocionante. Estou curiosa pra ler o último . Recomendo essa série ?Os Rothwells ? quem é apaixonada por romance de época como eu vai gostar.
comentários(0)comente



Janise Martins 14/01/2020

Jogos do Prazer
Quando eu peguei esse livro para ler e vi que a história era da prima de Alexia, a esposa de Hayden Rothwell, desanimei. Eu queria mesmo (e ainda quero) é ler sobre o marquês, o último irmão Rothwell. Um cara muito estranho, excêntrico. Mas foi uma surpresa, pois a história deles é muito lindinha.
Assim como nos outros livros, Madeline Hunter não nos dá uma história simplesinha, reta, ao contrário. Nada de monotonia.
Roselyn por ser orgulhosa e burra (ô peste burra!), se “entrega” para um visconde cheio de lábia. Quando ela descobre que foi enganada tenta fugir, mas naquele tempo a coisa era meio diferente. Quando ela se dá conta está sendo leiloada em uma festa como uma prostituta. Por acaso, para sorte dela e vontade da autora, Kyle aparece na festa. Só que o visconde confessa a Kyle que ele seduziu Roselyn por se tratar da irmã de Timothy. Timothy é o salafrário que roubou a grana do banco, lesou uma porção de pessoas e fugiu. Como Kyle viu que ela caiu nessa cilada deu um lance alto e a resgatou.
O marquês de Easterbrook, Christian Rothwell, sugeriu algumas coisas a Kyle para limpar ou tentar amenizar a reputação de Rose. Ela vem de uma família tradicional e Kyle é filho de mineiro, ralé mesmo. As duas coisas não se misturam. Mas o casamento seria a chance dele melhorar o status e ajudar na reputação dela. Sendo assim eles se casaram, mas não pense que foi vapt-vupt.
E como não podeira deixar de ser, como nos outros livros, a “cama” é um capítulo a parte. Eles se dão super bem na cama. Se Hayden e Elliot eram, desculpa, os fodões na cama, não sei o que dizer de Kyle. Meu pai, o que é isso??? Ulalá!!! Ai que calor! (caraca, não vejo hora de ler sobre o marquês!! Já estou suando hehehehe).
Mas muita água corre nessa história:
• O casal vai se acertando.
• O irmão de Rose começa a escrever cartas e um grupo de homens querem a cabeça dele.
• Tem a família de Kyle que não vê com bons olhos que ele melhorou de vida.
• Tem os problemas nas minas, de onde Kyle veio.
• Alexia tentando introduzir o casal na sociedade.
• E o pior, o visconde, aquele safado que enganou a Rose, persegue o casal.

É até difícil comentar. Mas é um livro ótimo de ser ler, os personagens são ótimos, Kyle é a integridade em pessoa, Rose é orgulhosa, mas cativa a gente por ser inteligente. E os personagens dos livros anteriores estão presentes e ativos. Uma história muito bem contada e envolvente.
E é isso.
Bjoo.


site: http://janiselendo.blogspot.com.br/2017/03/serie-rothwell-brothers.html
comentários(0)comente



Regiane.Braga 26/04/2019

Uma mocinha perdida...
Romance de época que quebram paradigmas.. pensei que eu não fosse gostar desse livro.. mais não, ele é rápido, envolvente, tem um Mocinho que é um amorzinho de decente.. e essa família Rothwell .. esses irmãos são uns amores.. ajudam um ao outro,e super se respeitam é a série e toda assim.. é maravilhoso a forma como a autora mostra a relação dessa família ..
LRN 27/04/2019minha estante
Tb amei esse mocinho...




Cacau Lacerda 22/02/2018

No terceiro livro da série Os Rothwells, nós temos a história de Roselyn Longworth que viu toda sua vida mudar com a morte do irmão mais velho e a descoberta de que o mais novo cometeu fraude e roubou seus clientes. Sem dinheiro e sem perspectiva de um bom casamento ela acaba acreditando nas promessas de um Visconde, que na verdade só queria vingança. Quando ela não satisfaz seus desejos, ele decide leiloa-la em uma festa.
-
Rose acha que tudo está perdido, mas é Kyle Bradwell quem a arremata, o único homem ali que não é um nobre e também o único a tratá-la com gentileza e respeito. A partir daí nós vemos uma linda história de amor se desenvolver.
-
Eu estou amando esses livros da Madeline Hunter pois ela sabe construir muito bem um romance. Assim como nos outros livros, os personagens não se apaixonam logo de cara, existe a atração e o desejo que aos poucos, com a convivência vai se transformando em amor.
-
Outro ponto que gostei bastante foi que os assuntos não resolvidos nos outros livros, como a fraude cometida por Timothy, irmão da Rose, foi finalmente trabalhada e mostrada suas consequências, nos dando uma conclusão.
-
E amei nosso mocinho, que não é o típico herói, rico ou um libertino. Tudo que ele tem ele conquistou com trabalho e esforço e mesmo assim ele carrega suas marcas e a falta de aceitação da sociedade. Os personagens secundários também são maravilhosos, e podemos matar a saudade dos casais anteriores.
-
"Você faz meu coração arder, doer e se encher de orgulho. De toda a sorte que tive na vida, você foi o maior presente que o destino me deu."
comentários(0)comente



71 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5