A Bruxa de Near

A Bruxa de Near Victoria Schwab




Resenhas - A Bruxa de Near


27 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Queria Estar Lendo 14/01/2017

Resenha: A Bruxa de Near
A Bruxa de Near, lançada no Brasil pela Editora Planeta, não poderia ser menos do que o esperado da autora Victoria Schwab (também conhecida como V. E. Schwab).

Com a escrita cuidadosa e detalhada, típica da escritora, a história acontece sem enrolações e partes desnecessárias, o enredo se desencadeando rápido o suficiente para o tamanho do livro (240 páginas), explicando o que é preciso e fechando partes que se abriram no início. Ela te imersa* de uma maneira que logo após algumas páginas você já compreende todo o contexto, como se tivesse acompanhado a vida da protagonista desde que nascera.

"Sei a história de meu pai. Sei tão bem quanto as que ele me contou, mas não consigo contá-la da mesma forma prática. Está escrita em meu sangue, nos ossos e na memória em vez de estar em pedaços de papel."

A história se passa em uma espécie de povoado em um páramo (algo como um campo no alto de cordilheiras), é uma cidade pequena, onde todos conhecem todos e sempre se conheceram, do mais velho ao mais novo. Uma lenda antiga assombra o povoado, sobre uma bruxa que raptava crianças e as assassinava, mas fora as misteriosas irmãs que moram nos limites da cidade, ninguém mais fala em voz alta sobre bruxaria há muito tempo. Até que crianças começam a desaparecer de suas camas e a única explicação que dizem ser plausível é o estranho que aparecera no lugar na noite anterior ao primeiro desaparecimento.

"É impossível ver todo o mundo além de Near, na verdade, porque nunca dá para ver mais que uma ou duas colinas de cada vez. O mundo poderia terminar, de repente, além da próxima colina."

A protagonista, Lexi, é uma jovem que nasceu para ser mais do que apenas um moça de cidade pequena de lugar nenhum, ela não quer apenas casar e ter filhos, ela quer mais, e isso quer dizer compreender o páramo, o vento místico e incessante que o cobre e a vida ao redor dela, como seu pai fazia. Ela tem uma personalidade forte, faz de tudo pela família e é incansável, causando o mesmo pela história, pois muitas vezes tentam impedi-la de fazer o que acha que é certo por ser mulher, ainda sim, ela não desiste.

"- Coisas mortas devem ficar em suas camas até ficar escuro – fala Magda."

Ao longo da história você sente a luta da Lexi e a bravura dela como algo quase sólido e começa entender o que ela vai fazer, não por ser previsível, mas por conhecer tanto a personagem a ponto de tomar as mesmas escolhas dela. A mesma sensação ocorre na ligação que ela tem com o estranho, o pai dela e o páramo.

"- Não posso deixar de pensar que se... se eu fosse como você, nunca me sentiria sozinha. Meu pai se sentia desse jeito com o páramo – explico. – Como se ele soubesse o que queria, como se confiasse nele. Sei que bruxos nascem assim, não aprendem, mas eu honestamente pensava que ele tinha encontrado uma forma de falar com o páramo, de fazer com que a terra e o clima falassem com ele. Achei que era o dom supremo estar conectado com algo tão vasto."

É um livro que envolve mistério, romance e obstáculos a serem ultrapassados, de quebra de paradigmas e evolução interior, muita coisa pode ser aprendida nessas 240 páginas.
comentários(0)comente



FelipeFresteiro 28/10/2013

Resenha por Felipe Fresteiro do blog "A Book At Midnight"
Sabe aquele tipo de livro que é cheio de mistérios e perguntas à serem respondidas, e você fica louco para desvendar tudo, mas ao mesmo tempo, o livro é tão bom que você não quer que ele acabe? Este livro é completamente assim! Livros com temáticas sobrenaturais e, principalmente bruxas, são livros que eu geralmente gosto bastante, e quando vi que nos lançamentos do mês de outubro, a editora Planeta iria lançar este livro, fiquei muito animado para ler, e após ler a sinopse, esta vontade triplicou!

O livro narra a história de Lexi Harris, uma menina que vive na vila de Near com sua mãe, sua irmãzinha Wren e seu tio Otto, e têm uma vida, acima de tudo, monótona... Todas as manhãs vende os pães que sua mãe faz, pela vila. Todas as tardes ajuda sua mãe nas atividades domésticas. Todas as noites conta histórias para sua irmã dormir. Mas numa noite como todas as outras, após Wren pegar no sono, Lexi se levanta para apagar as velas e percebe uma movimentação estranha pela janela. Há um estranho do lado de fora que some como fumaça... Nos dias seguintes as crianças da vila começam a desaparecer, e o mistério, começa a se espalhar por toda Near.

Achei totalmente incrível a forma com que a autora nos envolve na trama, e nos faz viver a história de Lexi. Ela nos faz com que fiquemos familiarizados com todos os lugares de Near, com todos os personagens, e com todas as coisas presentes na narrativa. É como se você fosse o protagonista.

O livro gira em torno de um mistério central: quem está sequestrando as crianças de Near? Porque está fazendo isso? Pra onde elas foram levadas? O que acontecerá com elas? Essas são apenas algumas perguntas que eu fiz a mim mesmo quando comecei a ler este livro. Este, é aquele tipo de narrativa onde quem você menos espera, está por trás de tudo o que está acontecendo, e isso me fez ter uma grande surpresa no final. Talvez um único ponto negativo do livro, seja a quantidade um pouco excessiva de detalhes, o que algumas vezes acabam sendo cansativos, mas que acabam por se encaixar no final do livro

Outra coisa que eu achei bem legal, é o fato de ser abordada várias vezes ao longo do livro é a questão do machismo. Lexi, muitas vezes, é proibida de fazer coisas como cortar lenha, sair pela cidade com a equipe de busca para encontrar as crianças, sair à noite e outras simples coisas do tipo, por ser menor de idade e, principalmente, por ser uma mulher. E o interessante nisso tudo é o modo com que a personagem reage com isso, e diversas vezes mostra seu potencial e tenta mudar a opinião formada das pessoas com relação às mulheres.

A história é inteiramente ligada à natureza. Durante toda a trama, elementos como o vento, a terra, os rios, as plantas e o páramo (planaltos desérticos encontrados agrandes altitudes, principalmente em cadeias montanhosas) são citadas como partes da "magia" da vila. No páramo é onde todo o mistério está concentrado, é onde moram as bruxas e os sábios de Near, é onde Lexi conhece o estranho, e é onde tudo será desvendado.

E você, está pronto para descobrir os segredos do páramo?

site: http://abookatmidnight.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Raiza 25/10/2013

Fantástico!
Título: A Bruxa de Near
Autor: Victoria Schwab
Editora: Planeta
Número de Páginas: 240
Lançamento: Outubro de 2013
Nota: 5/5


"A Bruxa de Near" foi uma grata surpresa. Eu adoro livros com a temática de bruxas e raramente consigo ler um que realmente valha a pena, haja vista que tenho um conceito pré elaborado do que um bom livro de bruxas deve ter. Na minha opinião livros sobre essas mulheres magicas e enigmáticas tem certa obrigação de carregar um ar sinistro e pesado que faz o leitor tremer ao ler suas páginas. Embora eu não esnobe livros juvenis que trazem uma bruxa inciante e uma paixão adolescente tenho que ser sincera em dizer que prefiro um bom livro de bruxas que me deixe arrepiada de medo e com certeza "A Bruxa de Near" atendeu todas as minhas expectativas

Lexi Harris vive na cidade de Near desde que nasceu assim como todos seus ancestrais, a vila é conhecida por não ter pessoas estranhas habitando suas terras, que são compostas pela vila em si e algumas poucas casas habitando o páramo (ver significado no final da resenha), diz uma velha lenda que apenas caçadores e bruxas moram nos limites da cidade e no caso ela não poderia estar mais certa. Lexi é caçadora e rastreadora, assim como seu pai foi um dia, sua casa é a única que faz divisa com o páramo além da casa das irmãs Thorne uma dupla de bruxas mais velhas que a cidade em si.

Todas as noites o ritual de Lexi é o mesmo: ela acende três velas no peitoril da janela e conta uma história de dormir para Wren, sua irmãzinha mais nova. Quase sempre a história é a mesma, sobre a famosa bruxa de Near, uma bruxa extremamente poderosa que conseguia controlar a terra e o vento, assim como os demais elementos. Mas um dia o ritual é quebrado quando Lexi vê um estranho pela janela na hora de apagar as velas, a situação é tão inusitada que ela pensar estar sonhando. Dali em diante tudo muda, porque no dia seguinte crianças começam a desaparecer de suas camas e o único suspeito é o tal estranho.

Lexi sabe que é a melhor pessoa para descobrir o enigma das crianças desaparecidas e ela precisa ser rápida, pois fica claro que sua irmãzinha também corre perigo o único problema é que ela terá que enfrentar um terrível preconceito por ser menina e a proteção excessiva de seu tio Otto, o protetor da cidade, cargo esse que era exercido por seu pai em vida e foi transmitido ao irmão pouco antes de sua morte. Lexi poderá contar apenas com a ajuda do estranho, que mesmo sendo suspeito ainda lhe passa confiança e as irmãs Thorne.

Uma garota de apenas dezesseis anos, duas bruxas velhas e um estranho. Quem confiaria a vida de crianças á esse grupo, quem acreditaria neles quando tentassem contar que o mal esta a espreita na noite para roubar seus filhos de suas camas? Essa foi a pergunta que mais me tirou do sério durante a leitura, a resposta é lógica, quase ninguém acredita. Senti uma injustiça tão grande ao ler a história da Lexi que senti vontade de jogar o livro na parece por pura frustração. A garota é realmente boa no que faz, ela rastreia e caça como ninguém e mesmo assim é pouco reconhecida. A época exata em que se passa a história não é mencionada, mas por diversas citações ficou claro que era uma época mais antiga, a onde as cidades ainda eram vilas e as meninas eram obrigadas a se casarem cedo. Embora Lexi sempre esteja mais próxima da verdade do que os demais ela por muitas vezes é impedida de tentar, as mulheres ainda não haviam queimado seus sutiãs em praça pública, só pode ser isso.

A vila é comandada por três anciões e é assim desde a época da Bruxa de Near. Os três do presente são frutos dos ancestrais, os títulos são passados de pais da filhos. Além dos três anciões a vila conta o um protetor que seria o tio de Lexi, Otto e seus capangas, não precisa ser um gênio para adivinhar que odiei quase todos certo? Não são homens que acham que estão fazendo a coisa certa pela vila, na verdade são covardes atrás de alguém para por a culpa. Sim é bem isso mesmo. A vila se volta contra o estranho, a quem Lexi chama de Cole, apenas para ter quem culpar, assim suas consciências ficarão mais tranquilas enquanto Lexi esta tentando encontrar o verdadeiro culpado enquanto se apaixona pelo misterioso suspeito.

Então preparem-se, A Bruxa de Near é recheada de lendas tão verdadeiras como eu e você, musicas infantis sobre bruxas que os cidadãos queriam que fossem apenas músicas, mas na verdade são histórias antigas que gelam os ossos dos leitores. Muito suspense envolvendo várias crianças tiradas da cama por alguém ou algo sem deixar nenhuma pista para trás, um estranho misterioso que rouba o coração na personagem principal, e enfim Lexi, uma mocinha de verdade que não tem medo de bruxas. O livro pode até ter poucas páginas, mas cada uma delas se faz valer. A narrativa é em terceira pessoa e pelas letras serem muito pequenas não achei a leitura rápida embora eu tenha devorado o livro em apenas dois dias.

Na verdade não sei o que eu achei mais fantástico nessa história, mas a narrativa parece vir primeiro a minha mente, toda a junção da história com as lendas antigas fazem o livro ter um ar sinistro e confesso que embora o livro seja juvenil ele faz bem o seu papel no quesito suspense. Todos os personagens são extremamente bem construídos. A mãe de Lexi se transformou em um "fantasma" após a morte de seu pai e embora ela pareça absorta em seus próprios pensamentos e nos pães que faz para vender a maior parte do tempo ela não deixa passar nada, adorei a forma como a personagem ganha vida nos momentos mais oportunos. Wren ainda é muito pequenininha com seus cinco anos de idade, mas ela também me surpreendeu por não ser como as demais crianças, na verdade ela é uma miniatura de Lexi, corajosa e teimosa na mesma medida. Otto me confundiu praticamente durante toda a leitura, eu não conseguia parar de colocar o seu caráter em cheque. Mas aos poucos vai ficando claro que ele apenas se preocupa demais com a família que o irmão deixou para trás. As irmãs Thorne são como bruxas devem ser, enigmáticas gentis e ao mesmo tempo duras como pedra. Cole, o estranho, também foi uma grata surpresa, na verdade eu o adorei, não só pelo romance que se desenvolveu, mas por sua maneira de ser também e por fim, a Lexi, fazia muito tempo que eu não gostava tanto de uma personagem principal. Além das qualidades básicas como sua coragem e caráter eu adorei o fato de a autora tê-la mantido como apenas uma garota de dezesseis anos. A autora não quis "brilhar" transformando Lexi em uma garotinha que descobre ser uma bruxa, ou ter algum poder fora do normal, na verdade eu gostei da veracidade da personagem. Ela é apenas uma garotinha que sente falta do pai e é teimosa como uma porta.

Outro ponto positivo foi a forma como a autora conseguiu inserir o romance na história, ele não rouba a cena do suspense e vice e versa. O romance é introduzido aos poucos e quando o leitor se da conta esta suspirando de amor enquanto treme de medo, simplesmente amei. o final é recompensador, não fica para trás nenhuma ponta solta.

Agora eu te pergunto, a velha história da Bruxa de Near é apenas uma lenda? Ou outra bruxa além das irmãs Thorne pode estar escondida no páramo a espera da próxima criancinha desavisada? Super recomendado.

Páramos: São planaltos desérticos encontrados a grandes altitudes , principalmente em cadeias montanhosas como os Andes e no México, inexistentes no Brasil
comentários(0)comente

May Croco 24/10/2013minha estante
Quando vi o livro e li a sinopse fiquei louca querendo comprar na hora, e agora que li sua resenha que por sinal está maravilhosa, parabéns, me deu mais vontade ainda. Estou procurando um livro com esse toque de suspense e romance faz um tempo. Obrigada, beijinhos


Raiza 25/10/2013minha estante
Obrigada May *_*




Bia Mazzucchelli 14/02/2020

Não foi tão cativante
Já li outros livros da autora e esse não foi o melhor
comentários(0)comente



Maely.Batista 02/08/2019

"O vento é solitário e sempre está procurando companhia."
O livro conta a história de Lexi Harris, que mora nos limites da pequena cidade de Near, cercada pelo páramo, e dominada pelo vento.

"De todos os aspectos do páramo, a terra, as pedras, a chuva e o fogo, o vento é o mais forte em Near. Aqui, do lado de fora da vila, o vento está sempre por perto, fazendo barulho nas janelas. Ele sussurra, uiva e canta. Pode modificar sua voz e assumir qualquer forma, longo e fino o suficiente para deslizar por baixo da porta, corpulento o suficiente para parecer algo pesado, que respira e tem ossos."

Toda noite ela conta a história da Bruxa de Near para a sua irmã Wren, mas essa lenda é tão antiga, que quase ninguém se lembra do final. Uma noite, depois que todos já estão dormindo, ela vê uma sombra pela sua janela. Há um estranho do lado de fora, e ele parece desaparecer misteriosamente bem diante de seus olhos, como fumaça.

"A figura fica parada ali, olhando para o lado. E, mesmo assim, ela não está toda ali. Há algo na maneira que a lua azul-esbranquiçada ilumina seu rosto que me faz pensar que poderia passar meus dedos através dele."

No dia seguinte, os desaparecimentos começam. Crianças são levadas a cada noite misteriosamente, e o único suspeito é o desconhecido. Na cidade de Near não existem estranhos, e a velha história da Bruxa é contada apenas para assustar as crianças. Estas são as verdades que Lexi ouviu durante toda a vida. Ela estaria apenas imaginando ou o vento parece sussurrar através das paredes? Quando a busca pelas crianças se intensifica, o mesmo acontece com a necessidade de Lexi de saber sobre a Bruxa que talvez não seja só uma história para dormir...

O livro não é aqueles que mostra o desenvolvimento dos personagens. Apenas descreve suas características em vários aspectos, nos fazendo conhece-los melhor. A protagonista é um exemplo. Deste o começo da narrativa, vimos o quanto Lexi se porta como uma pessoa esperta, e que "não para quieta."

"Ficar sentada não é uma das minhas habilidades. Nunca consigo parar de me mover."

Por ser uma narrativa em primeira pessoa, me vi desesperadamente tentando decifrar certos personagens apenas pelo ponto de vista de Lexi, seu tio Otto, sua mãe, e principalmente Cole.

"Não o entendo ainda . E não gosto do modo que meu peito se aperta quando olho para ele, como acontece quando olho coisas selvagens."

O livro é carregado com uma aura de suspense. Um toque de terror, com uma mistura de romance. É fluído, leve ao mesmo tempo que nos faz segurar a respiração. Tem momentos fofos que nos faz soltar suspiros, e outros que nos deixam ansiosos. Às vezes esperamos uma reviravolta que não vem, e isso nos decepciona um pouco. Também podemos perceber a escrita ainda "verde" de Victoria, já que esse foi o seu primeiro livro. Mas para um livro tão pequeno, a autora conseguiu desenvolver e amarrar as informações muito bem.
Parte conto de fadas, parte história de amor, o romance de Victoria Schwab é do tipo que prende desde a primeira página!
comentários(0)comente



Livy 04/11/2013

A bruxa está solta!
Adoro histórias que envolvem antigas lendas, mistério e bruxas! E o livro A Bruxa de Near tem tudo isto e muito mais! Apesar da história simples, o livro tem o clima certo, aventura, romance, mistério e ainda um toque assustador. O resultado: adorei o livro!

Com uma história atemporal (ou seja, sem determinar uma data ou tempo específicos), somos transportados para uma história de época, que pode ter ocorrido há centenas de anos. Ou talvez mais, ou menos. Mas o mais importante, Schwab criou uma fábula, uma verdadeira aventura que tem vida própria. Um conto de fadas, ou melhor, um conto no melhor estilo A Lenda do Cavaleiro Sem Cabeça. Não pude deixar de comparar o livro com o clima do filme estrelado por Johnny Deep e Cristina Ricci, pelo qual sou completamente apaixonada.

Em A Bruxa de Near conhecemos, através de Lexi Harris, a lenda que há muito tempo faz parte das brincadeiras das crianças, músicas e que fez crescer o medo dos habitantes da cidade de Near.

Diz a lenda que a bruxa era parte do páramo (planaltos desérticos encontrados a grandes altitudes, principalmente em cadeias montanhosas, inexistentes no Brasil), que cerca e determina os limites da cidade. Ela controlava tudo: o vento era sua voz, os rios eram seu sangue, a relva sua pele. Não havia nada que ela não pudesse controlar. O páramo fazia parte da bruxa, e a bruxa era o páramo. Ninguém se atreve a sair dos limites da cidade, de forma alguma. E, por causa da terrível lenda, as bruxas não são vistas com bons olhos pelos habitantes de Near. O medo é tudo o que eles sentem.

Lexi conta e reconta, noite após noite, a história da bruxa para sua irmãzinha Wren, de seis anos, dormir, assim como fazia seu pai fazia com ela. Lexi adorava o som da voz do pai contando como os ventos ganhavam vida sob a voz melódica da bruxa, como seu poder era imenso e incontrolável. E ela sabe de cor toda a história, assim como o pai a contava, pois esta é uma das lembranças que ela guarda e a qual se agarra para manter a memória do pai viva. Com apenas 16 anos, Lexi já não tem mais o pai por perto, pois ele faleceu há três anos, deixando ela, sua mãe e irmã aos cuidados de seu tio Otto. Que, sucessivamente ao seu pai, ganhou o título de Protetor da cidade, atuando de forma a proteger os cidadãos.

Seu tio Otto é controlador e desde o início da história se mostra intolerante para com a jovem. Não concorda com suas atitudes e não entende seu espírito livre, tão parecido com o do irmão, pai de Lexi. A garota aprendeu com o pai a ser uma rastreadora, e consequentemente uma excelente caçadora. Adora usar as botas surradas e usadas do pai, e usa na cintura a faca que herdou dele. Assim, se sente segura e protegida.

Mas nada poderia a prevenir de que sua vida seria afetada por uma mudança drástica: a vinda de um estranho para a cidade. Cole, o estranho, parece esvanecer no ar, e esconder grandes segredos. Mas Lexi se sente atraída de imediato pela força e magnetismo que o estranho parece emanar. Mas quando crianças começam a desaparecer e as acusações recaem sobre Cole, ambos têm que lutar pela verdade e desvendar os segredos que o vento incessante do páramo esconde.

E tem muito mais pela frente! A narrativa de Schwab tem uma característica que aprecio muito em livros de suspense e aventura: ela cria uma tensão crescente e os acontecimentos contribuem para que a história engrene cada vez mais, criando um ritmo no qual se é impossível parar de ler até se chegar à última palavra. E ainda mais que isso, me deixou querendo mais.

Tenho diversos pontos positivos a pontuar, e um deles é a grande sacada da autora em deixar sua história suspensa em um passado sem uma data determinada, o que permite uma liberdade narrativa bem maior. Outro detalhe são os personagens. A caracterização de cada um é excelente, e suas personalidades são marcantes e únicas, enriquecendo ainda mais a trama.

Lexi é incrível! Sua personalidade indomável e livre, questiona o certo e o errado. A jovem acredita no que acredita e ponto! Não consegue crer no que tentam lhe impor, e não aceita resignada seu destino. Ela luta pelo que acredita com unhas e dentes. Uma personagem forte e marcante que me cativou, e muito. Outro destaque é o Cole, o estranho. Misterioso e calmo, ele representa tudo aquilo que traz medo e assombro para os moradores de Near, mas de forma injusta. E o romance que se desenrola entre Cole e Lexi é encantador (muito amor)!

Há também os vilões, que não são exatamente vilões mas cumprem bem seu papel odioso: tio Otto, Bo, e Tyler, caçadores que empreendem uma busca incansável pelo responsável do desaparecimento das crianças, mas que acabam cometendo enormes injustiças (sentirei um ódio eterno por estes personagens que são burros, cegos e só atrapalham a vida de Lexi e Cole) Também há as irmãs bruxas que vivem nas imediações da cidade, Magda e Dreska, que contribuem ainda mais para o toque de mistério do livro.

E claro, a Bruxa de Near, que está viva e presente em todo o livro, em cada linha e pensamento dos personagens. Sua presença é terrível e verdadeiramente assustadora, pois ela se encontra em tudo e em todos os lugares. Não há como fugir. Aliás, a bruxa é um espetáculo à parte! #terrível #medo

Achei interessante que a autora criou vida até mesmo para os elementos da natureza, e o vento é um personagem vivo e constante. Aliás, dá até para ficar com medo do danado do vento, que traz canções e vozes, que arrasta, empurra e entra por frestas das janelas e portas. Ui, que arrepio!

Enfim, a narrativa é simples mas é justamente aí que ganha pontos: o livro é muito agradável de ler! Entre diversos sentimentos, posso dizer que me apaixonei por este livro. Começando de forma simples e se tornando uma verdadeira aventura com toques de terror e muito mistério, culminando em um fim de tirar o fôlego, A Bruxa de Near foi uma grata surpresa para mim. Uma proposta diferente entre tantos livros iguais. Indo muito além do que eu esperava. Gostei de cada detalhe! Recomendadíssimo!

site: Confira mais resenhas no blog: http://nomundodoslivros.com
comentários(0)comente



Nani.Belote 28/06/2020

Expectativas né...
"O vento é solitário e está sempre procurando companhia."

Um estranho chegou à vila de Near e, de repente, crianças estão sumindo de suas camas. Lexi Harris fará o possível para solucionar esse mistério e proteger aqueles que ama das ameaças do presente e dos fantasmas do passado.

Ficou meio brega essa sinopse, mas tá tudo bem.

Victoria Schwab é uma das minhas autoras preferidas, ela escreve esses climas estranhos e misteriosos de um jeito que te faz querer saber mais sobre esse mundo e as pessoas que o habitam. Em A Bruxa de Near não foi diferente. A premissa da história é bastante interessante, o clima da vila é peculiar e é possível sentir a tensão se acumulando ao longo da narrativa.
O plot como um todo é intrigante e tem alguns elementos inesperados que nos fazem enxerga-lo com outros olhos. A maneira como o medo dos cidadãos de Near é descrito pela autora traz uma reflexão importante, assim como o problema da história única.
No entanto minha experiência com essa leitura não foi tão boa quanto eu esperava. O livro tem 240 páginas, mas acho que podia ser reduzido a um conto de 90. Em alguns momentos a protagonista fica correndo de um lado para o outro da vila, o que me incomodou bastante. O romance, apesar de compreensível, deixa um pouco a desejar assim como o próprio desfecho da bruxa.
Como eu disse essa foi a minha experiência, espero que a sua seja bem melhor. No geral, eu recomendo essa história para quem estiver procurando um romance com um toque sombrio.
comentários(0)comente



Universo de utopia 14/05/2016

A bruxa de Near
"Às vezes, o vento sussurra nomes, perfeitamente claros, de modo que você poderia, à beira do sono, imaginar que ouviu o seu. E você nunca sabe se esse som debaixo da sua porta é somente o vento soprando ou a Bruxa de Near."


A Bruxa de Near de Victoria Schwab é uma história que se passa numa vila de nome Near, e como típico lugar pequeno todos se conhecem e para acabar a monotonia a vida dessas pessoas são regidas por histórias e antigas lendas, dentre elas: a de Bruxa de Near.

A narradora Lexi Harris ouviu essas verdades durante toda a vida, e esta passará por uma mudança drástica com o aparecimento de um estranho a vila que desaparece como fumaça e esconde grandes segredos.

Uma série de fatos são atribuídos a este acontecimento, colocando o estranho, Colen, como principal suspeito, entre eles o misterioso desaparecimento de crianças sem deixar vestígios.  Lexi descobrirá que a antiga lenda da Bruxa, talvez não seja apenas uma história para dormir.... Mas até que ponto Colen está intimamente ligados aos fatos?

De escrita atemporal, não delimita o tempo em que o desenrolar da história se desenvolve, mas mostra ser de uma época antiga pela presença forte do machismo ? na qual as garotas de 16 anos já deviam casar, cuidar dos filhos e afazeres domésticos, trazendo consequentemente uma personagem Lexi irreverente que sabe o que quer e não nasceu para seguir os dogmas daquela sociedade atrasada ? usa botas, anda com uma faca doada pelo pai caçador, forte e determinada.




RECOMENDADÍSSIMO! Além de ser linda a capa, a narrativa parece mágica mesmo, possui um pouquinho de romance, um toque de terror de arrepiar e muita aventura. O final desta trama é de tirar o fôlego com resultado que o leitor nem imagina, nem espera e a qualidade dos personagens é sensacional, como a presença da Bruxa pelo vento, através das canções e vozes que arrastam as crianças da cama e atiçam a desbravarem a floresta.
comentários(0)comente



Vanessa Vieira 03/12/2013

A Bruxa de Near_Victoria Schwab
O livro A Bruxa de Near, primeiro volume da série homônima da americana Victoria Schwab, nos traz uma história encantadora, que consegue prender o leitor do início ao fim, em um misto de fantasia, romance e suspense.

A jovem Lexi Harris segue o mesmo ritual todas as noites: ela acende três velas para clarear a penumbra de seu quarto, enquanto conta uma história de dormir para sua irmã caçula, Wren. Wren sempre pega no sono antes mesmo da história terminar, o que Lexi acha bom, já que ela tem medo do barulho que o vento faz pela cidade de Near.

Em uma noite como outra qualquer, ao apagar as velas assim que Wren adormece, Lexi avista um estranho do lado de fora de sua casa, e o mesmo desaparece, evanescendo como fumaça diante de seus olhos. Alguns dias depois do ocorrido, várias crianças de Near desaparecem sorrateiramente de suas camas. Amedrontada, Lexi se empenha em descobrir o que está acontecendo, até mesmo para impedir que o mesmo aconteça com Wren.

Quando Lexi era criança, cansava de ouvir dos lábios de seu pai a história da Bruxa de Near, que até então lhe soara como mera fantasia; como uma espécie de conto de fadas. Mas por trás de toda lenda, sempre tem um quê de verdade e a jovem acaba por descobrir isso de uma maneira nada agradável. E o estranho que ela avistou do lado de fora de sua janela? Seria ele o responsável pelo desaparecimento das inocentes crianças? Que mistérios se escondem entre os páramos de Near?

"Às vezes, o vento sussurra nomes, perfeitamente claros, de modo que você poderia, à beira do sono, imaginar que ouviu o seu. E você nunca sabe se esse som debaixo de sua cama é somente o vento soprando ou a Bruxa de Near, em sua pequena casa de pedra ou em seu jardim, cantando para as colinas dormirem."

Sou completamente apaixonada por histórias que envolvam bruxas e todo o seu universo e, assim que a Editora Planeta anunciou o lançamento de A Bruxa de Near, fiquei em polvorosa. Felizmente, todas as expectativas que eu nutria para com o livro foram supridas, e mais, acabei sendo até mesmo surpreendida pelo rumo que a trama tomou. Narrada em primeira pessoa pela Lexi, acompanhamos uma história encantadora e muito bem escrita, envolta a um cenário quase que mágico, em uma época em que não existia energia elétrica, água encanada, serviços de telefonia e nenhuma outra modernidade dos tempos atuais. A escrita de Victoria Schwab é empolgante e rica em detalhes, sem contar a forma doce e suprema com a qual ela se referia a natureza no livro, destacando seu verde, seus páramos (uma espécie de colina presente em locais montanhosos), o vento ao redor e todas as suas riquezas. O suspense e a magia foram trabalhados com maestria no enredo, aguçando a curiosidade do leitor, à medida que o encanta com o seu desfecho.

"Quando eu era pequena, o vento me cantava músicas de ninar. Com ritmo, sussurrando, agudo, enchendo o espaço ao meu redor, de modo que, mesmo quando parecia tudo em silêncio, na verdade não estava. Foi com esse vento que vivi."

Lexi é uma personagem forte e guerreira, que não aceita ouvir um "não" como resposta. Ela vive com sua mãe, seu tio Otto e a irmãzinha Wren em uma casa simples e humilde, auxiliando a matriarca na fabricação e venda de pães - que são o sustento da família -, e também nos afazeres domésticos. Desde que o seu pai faleceu, há alguns anos atrás, Otto se tornou responsável por elas, e deixa explícito isso, muitas vezes, de uma forma um tanto seca e severa. A impetuosidade de Lexi e a forma como ela o enfrenta, o deixam extremamente desgostoso e irritado, principalmente quando ela se aventura, por conta própria a desvendar os mistérios por trás do sumiço das crianças, ignorando todos os seus conselhos. Ao contrário das moças da região, extremamente delicadas e à procura de um casamento, Lexi é um tanto quanto temperamental, além de ser dona de si e traçar o seu próprio destino. Pela história se passar em uma época um tanto quanto arcaica, onde as mulheres não tinham força alguma e eram extremamente submissas aos seus homens, posso afirmar que a protagonista era alguém à frente de seu tempo, rompendo todos os protocolos e conceitos pré-moldados da sociedade.

Em suma, A Bruxa de Near nos traz um romance sobrenatural bem arquitetado e rico em detalhes, de uma forma que consegue não só envolver como também encantar o leitor. Apesar de ser o primeiro volume de uma série, a história é bem redondinha e não deixa pontas soltas para a sua sequência, o que me fez ficar ainda mais ansiosa e curiosa pela continuação. A capa é muito bonita, apesar de eu não ter entendido o significado da capa vermelha (já que a capa da Lexi na história é verde) e a diagramação está ótima, com fonte em um tamanho agradável, revisão de qualidade e ilustrações de pequenos arabescos no começo de cada capítulo. Recomendo, com certeza!

site: http://www.newsnessa.com/2013/12/resenha-bruxa-de-near-victoria-schwab.html
comentários(0)comente



Paula 06/03/2014

A Bruxa de Near
Near é uma pequena cidade em que todos se conhece e cada um tem a sua função. Lá vive a protagonista da história, Lexi Harris, uma menina de dezesseis anos que desafia as crenças e costumes do lugar. Órfã de pai, um caçador e rastreador, Lexi quer seguir seus passos em vez de ficar em casa, cuidando dos afazeres domésticos. Nessa cidade circula a lenda da bruxa de Near. Era uma bruxa que adorava crianças e as recebia em sua casa. Um dia, um menino é encontrado morto e a bruxa é caçada. Até então, é apenas uma lenda.

A trama começa a se desenvolver a partir do momento em que um estranho aparece em Near e, a cada noite que se passa, uma criança desaparece de sua cama. Contra a vontade de seu tio Otto, Lexi investiga os desaparecimentos e tem o desejo de desvendar o mistério antes do tio. Assim, a história gira entre a busca pelas crianças ema revelação das origens do estranho. Além disso, fica-se sabendo se a bruxa realmente existe ou não.

De início, não achei que fosse gostar tanto desse livro porque a autora me pareceu um pouco repetitiva, discorrendo, páginas e páginas sobre o vento; mas acredite: o vento é importante na história. Eu também perdi a conta de quantos corvos aparecem. Pensei: "Ok, Victoria, Schwab… Você deve ter lido Edgar Allan Poe, mas ele criou suspense com um corvo só." Isso quebrou um pouco o clima, porque toda vez que aparecia um corvo - ou cinco, ou doze - eu começava a rir.

Mesmo assim, eu gostei bastante da história. Está bem construída, com bons personagens e eu gostei do final. Pelo visto, esse é o primeiro livro de uma série. Dá para imaginar o que vai acontecer no próximo. Leitura recomendada.
comentários(0)comente



@cheiade9h 08/04/2014

Então vamos lá, em A Bruxa de Near conhecemos a nossa narradora Lexi, uma garota com garra e que tem um tio que a priva de ter a sua liberdade, só porque é uma garota ela não necessariamente quer ficar dentro de casa tricotando como as outras garotas de sua idade, ela quer ser independente. Ela tem uma irmã, Wren, uma criança muito alegre e elétrica; e uma mãe fantasma, fantasma porque desde o dia que seu pai faleceu sua mãe não é a mesma pessoa. Seu tio Otto - irmão de seu pai - é a figura paterna que as meninas tem, mas não é uma boa figura pois como Lexi lembra de como era seu pai, de como ele era bom com tudo e com todos, ela compara muito seu tio com seu pai, vendo que se ele estivesse vivo não haveria nenhuma pressão de Lexi mudar sua personalidade de independente pra uma garota comum que não faz budega nenhuma para sua vila.

Não sei bem qual é o tempo do livro mas dá pra entender, pela forma da sociedade - em vila - que a estória se passa num tempo bem distante, em que a mulher não deveria fazer nenhum tipo de trabalho que é considerado "de homem". Essa vila na época em que o pai de Lexi estava vivo tinha uma boa relação com as Bruxas do Páramo - tipo de vegetação, que não existe no Brasil -, que era/é o local em que as Bruxas viviam.

E atualmente só existe duas Bruxas em Near e são excluídas da vila porque foi imposto o medo pelos cidadãos, acreditam que elas sejam as vilãs e não confiáveis, mas não era isso que o pai de Lexi e nem ela acredita.

"'O medo é uma coisa estranha', ele costumava dizer. 'Tem o poder de fazer as pessoas fecharem seus olhos, virarem de costas. Nada de bom cresce do medo'"
Página 27

Além desse problema com as Bruxas, Near recebe a visita de uma pessoa estranha na vila e quando justamente esse estranho vem para a vila as crianças começam a sumir e assim Otto vê que é a culpa desse estranho. Mas Lexi com sua curiosidade maior que tudo e a força de vontade de descobri a verdade, vê que esse estranho não é nada mais nada menos que um garoto da mesma idade que tem um segredo mas que não é nada relacionado as crianças sequestradas.

"- O que está no alto, descasca. O que está embaixo pode chegar ao alto, em algum momento - ela fala, e desta vez acrescenta -, se tiver bravo o suficiente."
Página 144

Nisso o desenrolar na estória de A Bruxa de Near é provar inocência de Cole - o estranho - e saber quem realmente está por detrás do sumiço das crianças.

A Bruxa de Near foi o primeiro livro que tive contato com a escrita da autora Victoria Schwab e para ser sincera não achei lá aquelas coisas, ela não conseguiu passar um bom cenário/espaço pra mim durante a leitura, Lexi num piscar de olhos estava num lugar e depois de dar uma caminhadinha estava já em outro lugar que eu imaginava ser longe um do outro. E Victoria escreve de forma muito simples, simples mesmo, nada de extraordinário. Já a finalização do livro acredito que fora muito rápido, faltando duas páginas para o livro acabar, deixando o final do "lado ganhador" bem superficial.

site: http://www.livroterapias.com/2013/12/resenha-premiada-bruxa-de-near.html
comentários(0)comente



Nicolly RS 11/07/2020

Esse livro foi uma boa surpresa pra mim esse ano. Solicitei ele pelo plus porque achei a premissa interessante, mas como nunca tinha ouvido nada sobre ele nem sobre a autora não coloquei muitas expectativas.
O livro acompanha a história de Lexi, uma rastreadora muito boa, assim como seu pai. Tudo começa com a chegada de um estranho na cidade, acompanhado do desaparecimento de crianças durante a noite. A cidade não possui um bom histórico com bruxas, então quando esse estranho que parece simplesmente desaparecer no vento surge nesse lugar nada receptivo, as suspeitas vão todas pra cima dele.
Lexi é uma personagem maravilhosa, forte e que aprendeu com o pai a ter uma mente aberta e a não julgar algo (ou alguém) só por ser novo e diferente. Ela é a única que se interessa em conhecer o estranho e não acusar ele simplesmente pelo seu timing ruim na chegada à cidade.
A escrita da autora também é muito gostosa de se ler. Na minha opinião, faltou alguma coisa entre o casal principal; gostei dos personagens mas eles não tinham aquela conexão que te faz torcer pelo casal, sabe? Mas isso não faz a história ser menos interessante, e eu recomendo muito a leitura do livro, principalmente pra quem gosta de histórias que envolvam bruxas e personagens femininas determinadas.
comentários(0)comente



CooltureNews 01/02/2014

Coolture News
Dizer que eu não esperava muito deste livro é pouco. A sinopse é ótima, mas nem sempre uma boa sinopse indica uma boa história, então, nada melhor do que manter as expectativas sobre controle e evitar decepções futuras.

Só que “A Bruxa de Near” me mostrou que ainda há esperança no mundo literário, e que nem não ter expectativas pode ser o ingrediente que dá a história sua marca em nossa lembrança.

Existe a vila de Near. E muito tempo antes, existia uma bruxa ali. Uma bruxa que nos dias atuais não passa de folclore, uma cantiga de crianças ou uma história assustadora. Nessa vila também existe Lexi, uma garota que está na adolescência, velha demais para ser criança e jovem demais para ser uma adulta. Seu pai, um caçador, a ensinou diversas coisas, e principalmente, lhe ensinou histórias sobre o páramo e sobre bruxas.

Certa noite surge um garoto no limite entre a vila e páramo, ela o vê de sua janela, porém, não consegue realmente dizer se era real ou não. Na noite seguinte, uma criança desaparece de sua cama no meio da noite, sem deixar qualquer vestígio. Todos acham que o estranho que surgiu na vila pode ser o culpado, mas não Lexi.

E é neste enredo simples que o leitor é arremessado e passa a conhecer melhor Near e sua história. O cenário é descrito de forma clara, sem se alongar demais em detalhes, mas conseguimos ter uma completa ideia de como as pessoas vivem e em como o medo do desconhecido as consegue dominar tão facilmente.

A impressão que se tem é de um lugar árido, mas não devido ao clima ou a geografia da região, mas sim pelos sentimentos de seus habitantes. Medo, raiva e desconfiança permeiam a convivência diária com o que lhes é estranho, e até mesmo com a região em si, como o páramo fosse um eterno inimigo de sua gente.

Num solo tão árido e infértil parece ser bem fácil surgir o sobrenatural, e conforme vamos conhecendo melhor o ambiente, seus personagens e a história, e percebemos que esse enredo não poderia ter surgido em uma imagem diferente da que a autora construiu.

E se o ambiente consegue ser tão rico em impressões, os personagens não poderiam ser diferentes. Apesar de serem construídos com simplicidade, há neles características tão reconhecíveis que é difícil não pensar que já o conhecemos há muito tempo. Claro que isso chega a soar altamente clichê conforme se avança na história, mas não parece realmente forçado e nem temos a sensação de desnecessariedade que muitas vezes os personagens simples apresentam.

Aliás, simples é uma palavra que definiria bem todo o livro, mas que não o limita ou o denegri. Na avaliação do conjunto, há muitas coisas previsíveis, só que Victoria Schwab conseguiu transformar isso numa prosa tão precisa e eloquente, que você não sente o que irá acontecer na próxima página até que aconteça. E foi justamente isso que me encantou tanto neste livro: a capacidade da autora em contar uma história.

Tanto que conforme os fatos iam se desenrolando, não consegui deixar de sentir uma sensação de satisfação por ter ousado escolher e ler este livro. Foi uma leitura agradável, com um romance tão encantador, e com dose certa de mistério e sobrenatural, capaz de ao menos tempo nos fazer suspirar de emoção e segurar o fôlego de surpresa.

Quando uma história é bem contada não há como não se apaixonar, e este foi o caso. Um exemplo de que uma boa história pode ser simples, ao mesmo tempo envolvente, e escrita em 240 páginas.

site: www.coolturenews.com.br
comentários(0)comente



Neylane Naually 14/03/2019

Amei
Amei muito esse livro! Tinha visto comentários negativos sobre e ele e fui ler sem muitas expectativas e me surpreendi! Mais uma vez leio um livro da Victoria que me faz mergulhar na historia, praticamente não larguei até terminar. Uma história em um vilarejo solitário, com bruxas antigas e bruxos novos, uma protagonista girl power e a escrita incrível da autora, difícil não gostar.
comentários(0)comente



Tayane Cristie 21/04/2014

Tão crível, que eu podia sentir os sussurros do vento através das páginas!
A Trama: Numa noite, Lexi Harris vê uma estranha forma tremulando em frente ao páramo. No dia seguinte, tem-se o anúncio de que há um estranho em Near, um vilarejo onde todos se conhecem e nunca houve alguém de fora. Quando as crianças de Near começam a desaparecer, a única possibilidade que eles veem é de que o estranho está levando-as, então começam uma caçada por ele e pelas crianças, que logo se transforma em frustração. A cidade de Near já teve – e ainda tem – seus momentos mágicos, como conta a lenda da Bruxa de Near. O páramo é um lugar onde ninguém vai, pois ali era seu lugar a muitos anos atrás. Mas os ventos do páramo sussurram, e Lexi quase sente como se realmente houvessem palavras saindo dele. Contrariando a todos, principalmente seu tio, ela vai fazer de tudo para encontrar as crianças e provar que Cole é inocente.
Eu me surpreendi bastante com a trama. Foi uma história bem construída e que conseguiu me prender às páginas, querendo saber como tudo aquilo terminaria. Tem lá seus clichês, mas que livro não tem? Me surpreendi principalmente com a protagonista, da qual eu vou falar aqui em baixo.

A Protagonista: Lexi não queria ser uma mulher comum naquele vilarejo. Não queria sentar em casa, cozinhar, limpar e costurar enquanto espera por seu marido. Com apenas 16 anos, ela queria liberdade e seu pai a ensinou a ser uma rastreadora, cortar lenha e ser mais forte do que qualquer um pensa. Enfim, uma garota que vivia além do seu tempo, não querendo se limitar aos afazeres domésticos como todas as mulheres daquela época. Quando as crianças começam a desaparecer, ela não hesita em querer procurá-las, principalmente porque não quer que a mesma coisa aconteça com sua irmãzinha mais nova, Wren, e quando é impedida por seu tio de ajudar, ela começa uma busca por conta própria. Sua crença na inocência do estranho também está ligada a sua visão ampla das coisas, não apenas limitada a Near. Eu a achei determinada e autoconfiante, nada de mocinha com autoestima baixa e frágil por aqui. Lexi aceitava ajuda quando aparecia, porém não tinha medo de fazer tudo sozinha se fosse preciso.

Personagens Secundários: O estranho, a quem Lexi chamou de Cole pois ele não queria dizer seu nome, no início parecia um bichinho assustado, se escondendo na casa das irmãs Thorne. Quando o conhecemos melhor, vemos que ele não é um bicho de sete cabeças, mas é misterioso e fala pouco. Quando encontra Lexi buscando por pistas na casa de uma criança desaparecida, os dois sentem uma conexão, que irá ajudá-los a desvendar esse mistério. As irmãs Thorne, Magda e Dreska, são bruxas muito velhas e seus poderes parecem estar acabando aos poucos, mas mesmo assim conseguem causar arrepios em algumas pessoas. Mas elas não são más, apenas mal compreendidas, por causa de suas condições e de como isso era visto antes. Otto, tio de Lexi, me deu muita raiva durante o livro, eu não conseguia engolir quando ele dizia que queria apenas proteger a família do seu falecido irmão. E eu adorei a mãe de Lexi, apesar de seus feitos na história serem bem sutis, mas importantes para a protagonista.

Capa, Diagramação e Escrita: A capa é bem bonita e combina com a história, só não gosto de mostrar o rosto da modelo. Não tenho nada contra capas que mostram o rosto, mas a expressão no dela ficou meio estranha. E também não gostei muito da fonte que usaram para o título. A diagramação é bem simples, os números dos capítulos ficam dentro de um círculo com alguns enfeites ao redor bem bonitinhos. Eu gostei bastante da escrita da Victoria Schwab. É leve e envolvente, me prendia às páginas e eu sempre queria continuar lendo. Sua descrição dos efeitos que o páramo tinha na vila eram tão críveis, que eu podia sentir o vento sussurrando e toda a atmosfera meio sombria de algumas partes, o que me causava até alguns arrepios. Não, não é um livro de terror, mas se você entrar tanto na história quanto eu, também vai sentir o páramo sussurrando através das páginas.

Concluindo: O livro conseguiu me conquistar, mesmo não sendo um poço de originalidade. Eu gostei do toque sombrio que a autora colocou, gostei da protagonista e sua determinação e gostei de poder ter as mesmas sensações do páramo como os personagens graças às descrições da autora. Ela só deixou algumas coisas no ar, mas não são lá muito importantes. E descobri que tem um conto, onde nós ficaremos sabendo sobre o passado de Cole.

site: http://www.fomedelivros.com/
comentários(0)comente



27 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2