Lua Vermelha

Lua Vermelha Benjamin Percy




Resenhas - Lua Vermelha


32 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3


Renata 06/08/2020

Intenso e violento, terminou com jeito que vai ter continuação, achei sem fim, ao meu vê.
comentários(0)comente



Sibele Brito 09/07/2020

Ficção científica, sobrenatural, lobisomens, um vírus mortal e uma sociedade em caos.
comentários(0)comente



Jess / @livrosmeusmimos 23/09/2017

Esperava mais.
Aqui estou com mais uma resenha, mas diferentemente das anteriores, escrevo essa com uma grande dor no peito. Isso porque eu tinha tantas esperanças de gostar deste livro, foram tantas expectativas, eu me esforcei ao máximo na tentativa de adorar esta leitura, mas infelizmente até a última página isso não aconteceu.

Acredito que esse era um dos livros que estava a mais tempo na minha lista de desejados e quando eu finalmente o adquiri pense: " É agora, vou me apaixonar, essa leitura vai ser INCRÍVEL!!! ".

Mas não foi, na verdade foi uma tortura, a impressão que dava era que o autor só tinha a sinopse e não sabia como conduzir a história, e foi enrolando o leitor o tempo inteiro, quando a história dava uma melhorada voltávamos a estaca zero. E que tortura que foi...

Pelas resenhas que li antes de iniciar a leitura, imagino que sou a única pessoa que não gostou ou melhor que se decepcionou com ele.

O livro tinha elementos para prender o leitor a cada palavra, suspense, romance, fantasia e lobisomens. Mas o universo criado pelo autor foi triste, sombrio, e sem emoção. Algumas partes duravam mais que o necessário.

O livro conta a história de Claire uma licana que acaba de perder os pais, Patrick é o único sobrevivente de um ataque de licanos (uma revolução) e Chase o candidato a presidente que quer acabar com todos os licanos existente.

As três histórias se interligam no final, mas na minha opinião demorou muito tempo para acontecer, sem falar que o livro parece ser muito maior do que na realidade é.

Até as primeiras 50 ou 60 páginas é interessante mas a partir daí, tudo acaba. Lógico que alguns momento são bons mas eles são tão raros que não salvam o livro inteiro.

Adiós amigos, até a próxima resenha.

Que ela não seja tão dolorosa quanto essa...

site: https://livrosmeusmimos.blogspot.com.br/2017/09/lua-vermelha-de-benjamim-percy.html
comentários(0)comente



Rone 07/12/2016

Uma grandiosa distopia!!!
Este livro foi  doloroso, frio e cruel como a vida é, mas também acima de tudo, foi emocionante, surpreendente e belíssimo como é a vida no final.

Lua Vermelha é um livro que todos deveriam ter o prazer de ler, por vários motivos entre eles;

É um livro único em muitos aspectos.
Tem uma visão totalmente diferente sobre lobisomem.
E esconde uma forte critica sobre a evolução da nossa sociedade e o nosso comportamento humano perante elas.

Eu não posso dizer muita coisa por causa de spoiler e principalmente para não tirar o seu prazer na leitura.


Com certeza Benjamim Percy escreveu uma obra-prima da literatura dos últimos tempos.

É uma trama cheia de ação, suspense, mistério, fantasia... e claro, muito detalhe, sangue e intrigas.

Percy tem uma narrativa bem construída e minuciosa e os seus personagens são bastantes reais e complexos.


O livro inteiro tem muitas passagens inesquecíveis, que eu não poderia ler sem destacar 
algumas. 


Agora Claire enfim entende a importância do sangue. Endente como alguém feito Miriam, sob todos os outros aspectos uma estranha, a acolheu sem fazer perguntas."


"A sensação de que não a única a se conter, a única que poderia ter dito mais. Nessa hora sentiu um puxão. Como aquelas histórias de fantasmas que fisgavam você pelo pescoço durante o sono, pelo tornozelo ao nadar, e nunca mais soltavam. Patrick a fisgara."


"- Com certeza -responde ela. - Porque a aparência é importante. - Ela afivela o cinto de segurança, torna a ajeitar o retrovisor e arruma os cabelos. - É esse o mundo em que a gente vive."

"Não que não queira dormir; Patrick vive exausto, e o que mais deseja é se sentir descansado outra vez. São os sonhos que tenta evitar."

"A noite se aproxima. De noite é quando ele dorme. No limiar entre a vigília e o sonho, a última  coisa em que ele pensa é como a neve é macia feito um travesseiro e o quanto ele gostaria de descansar um pouco."

"Lembranças de coisas que deveria que deveria ter feito, que poderiam ter sido, que iram acometê-lo sem aviso quando ele menis esperar, tomando banho ou dirigindo à noite. Não há volta possível. O segredo é olhar  para a frente, tentar antecipar os acontecimentos e remediar o error antes que ele ocorra."

Apesar do final deixar um pouco a desejar, essa obra ainda merece cinco estrela, por toda a sua grandiosidade.

Leiam!!! ;)
comentários(0)comente



Gabi.Simplicio 27/10/2016

Livro Lua Vermelha Benjamin Percy
Como toda adolescente, Claire Forrester se acha meio deslocada. Quando agentes do governo invadem sua casa e matam seus pais, ela percebe o quanto é diferente. Claire pode se transformar em uma criatura semelhante a um lobo. Ela é uma licana.

Patrick Gamble entra em um avião e horas depois, desembarca, como o único sobrevivente de um ataque terrorista promovido pelos licanos. Da noite para o dia, ele vira um herói nacional.

O governador Chase Williams jura que, se for eleito presidente, protegerá o país da ameaça que aterroriza a população. No entanto ele vai se se transformar exatamente aquilo que prometeu destruir.

Cada um a seu modo, os três estão envolvidos em uma guerra que tem sido controlada com leis, violência e drogas. Mas uma rebelião está prestes a estourar, provocando mortes e destruição e entrelaçando seus destinos para sempre.

Eh uma ficção da editora Arqueiro
comentários(0)comente



Luzca 24/09/2016

Emocionante
Muitas emoções, tramas, suspense, lutas e muita expectativa. Palavras que podem traduzir com perfeição este livro.

PS: Esperava muito mais do final, Detestei o final, mudaria tudo.
comentários(0)comente



Neilly 11/07/2016

Lua Vermelha
Lua Vermelha foi um livro bem surpreendente para mim. No começo eu não havia gostado muito, dei uma pausa de dois ou três meses na leitura e só então decidi continuar, mas apenas porquê me sentia na obrigação de terminar. Acabou que fui me envolvendo na estória, até que cheguei ao ponto de gostar e, no final, estar amando.

“Eles vivem entre nós.
São os seus vizinhos, a sua mãe, o seu namorado.
Eles mudam do dia para a noite”


Bom, o livro narra a nossa sociedade e o conflito que ocorre com a população licana. (Licanos é o termo utilizado no livro para lobisomens.) Sua existência é conhecida há milênios, com eles espalhados pelo mundo, até que foi criada a República Licana, um país que na teoria seria apenas para os lobos, mas que sofre com a ocupação do exército norte-americano, devido as grandes minas de urânio que existem no local.

Temos uma visão bem diferente dos mitos aos quais estamos acostumados sobre lobisomens. Aqui, o “lobos” é uma espécie de vírus, um príon, que depois que contamina o cérebro humano leva a pessoa a condição de licano. Ele pode ser transmitido da mesma forma que a AIDS, através do sangue, de relações sexuais ou da mordida. E eles podem se transformar a qualquer momento, não precisando especificamente da lua cheia.

Dentro da população licana, existe um grupo extremista chamado Resistência. Através de atos terroristas, eles procuram uma sociedade não igualitária, mas com a primazia licana. O que acontece é que os lobos perderam muitos de seus direitos, além de sofrerem uma discriminação muito grande por parte dos humanos. A grande questão é que quanto mais a Resistência promove ataques, mais os lobos perdem suas condições em meio a sociedade. (Precisamos deixar bem claro que nem todos os licanos são a favor dos ataques, muitos apenas querem viver em paz e de forma plena, o que acaba sendo prejudicado pela Resistência, pois se cria uma generalização de que todos são maus).

Nós temos três personagens principais e a partir deles, somos apresentados aos secundários, que tem um papel tem importante na trama quanto.
Patrick, também conhecido como “Menino-Milagre”, foi o único sobrevivente ao primeiro de uma onda de ataques dos licanos, e desde então, passou a ser conhecido pelo país inteiro.
Claire é uma adolescente licana, que está prestes a ir para a faculdade. Mas, após seus pais serem mortos por agentes do governo, vê-se em uma fuga pelo país, à procura de algo que nem ela mesma sabe o que é.
Chase Williams é governador e candidato à presidência, com seu jeito bruto e direto acaba atraindo a atenção da Resistência, pois sua principal meta é eliminar os licanos da sociedade, segregando-os de vez. Acaba que durante um ataque ele próprio é mordido e transformado em um licano.

Cada personagem tem uma motivação diferente no livro, mas acabam chegando a um momento em comum. Adorei a forma como todos evoluíram e amadureceram durante a narrativa. Claire deixou de ser uma menina alienada, que não se importava com o rumo que as revoluções estavam tomando. Patrick passou a ser mais corajoso e confiante e Chase perdeu muito do seu lado irresponsável e fanfarrão.

O ponto principal do livro é na verdade uma questão social. O autor trouxe elementos históricos para a narrativa e anexou a presença dos licanos. Mas ainda dá para notar a pequena crítica ao fundo, no caso estamos falando de seres irreais, mas se trouxermos isso para o nosso momento atual, ele poderia estar narrando sobre qualquer grupo que está à margem. Para quem gosta de História, esse livro é cheio de referências e eu ficava encantada a cada vez que reconhecia uma. A presença dos lobos tornou, o que seria uma divagação sobre políticas e segregação, algo muito mais emocionante e repleto de ação.

Já aviso que não é uma leitura fácil. O autor priorizou a descrição, muitas vezes eliminando os diálogos, e isso tornou a estória um pouco pesada. Ele também utiliza de muitos termos científicos, que embora ele explique, acaba tornando tudo muito extenso. Talvez tenha sido isso que tenha feito com que, no começo, eu não gostasse muito do livro. Até a página 100 e alguma coisa, eu o estava considerando muito lento, que ia arrastando as palavras. Não sei se foi porque comecei a me acostumar com a leitura ou se foi porque as estórias começaram a se conectar, pude começar a fazer os links entre as situações e as coisas ficaram mais ativas, só aí consegui dar uma arrancada com a leitura até o final.

Entre 0 e 5, dou uma nota 4, porque realmente gostei muito do tema, o desenrolar foi brilhante, o fato do autor ter misturados mitos com a realidade foi algo que considerei genial, já que são duas coisas que adoro. Mas a forma como foi narrado, em alguns momentos considerei maçante e isso fez com que perdesse um pouco do brilho para mim.

site: http://chavedeumportal.blogspot.com.br/2016/07/lua-vermelha-benjamim-percy.html
comentários(0)comente



Ana Luiza 29/02/2016

Resenha do blog Mademoiselle Loves Books - www.mademoisellelovesbooks.com
A HISTÓRIA
Eles estão em todos os lugares. Escondidos em plena vista. Pode ser seu vizinho, sua mãe, sua professora do jardim de infância. Muitos nasceram assim. Outros foram contaminados. Uma mordida e pronto, da noite para um dia, o animal devora o seu humano. Os licanos podem ser transformar em uma criatura semelhante a um lobo e alguns os chamam de monstros, outros acreditam que são pessoas como quaisquer outras. Alguns licanos só querem viver em paz e outros querem dominar o mundo. E essa perigosa divergência de opiniões entre licanos e não licanos transformará o mundo, para melhor ou pior.

Patrick não tem nenhum problema pessoal contra os licanos, mas se ressente que a guerra no país deles, um lugar distante e gelado chamado República localizado na Europa Oriental, tenha obrigado seu pai a se afastar dele. O garoto, assim, precisa ir morar com a mãe e sua má sorte se mostra ainda maior quando o seu avião sofre um ataque terrorista dos licanos. O único passageiro sobrevivente, Patrick é apelidado de Menino-Milagre e ganha fama de herói nacional. Contudo, o garoto odeia toda a atenção e almeja, em seu coração, ser realmente alguém corajoso e digno de ser chamado de herói.

Claire vive em seu próprio mundinho, cujo único objetivo é entrar na faculdade mais distante de casa para se livrar dos pais superprotetores. Diferente dos seus progenitores, ela odeia ser uma licana e não dá a miníma para os conflitos da República ou o movimento terrorista dos licanos nos EUA. Contudo, logo após os atendados dos licanos em diversos voos, agentes misteriosos invadem sua casa e matam os seus pais. Claire se transforma em lobo e consegue fugir para a floresta. Agora, sozinha e ainda na mira de caça de alguém, ela precisa descobrir como sobreviver. Quando seu interior clama mais forte por respostas, ela busca uma tia que nunca conheceu, Miriam, e descobre verdades inimagináveis sobre a sua família.

Chase se orgulha de ser um político verdadeiro, que não esconde seus maus hábitos e opiniões. Radicalmente contra os licanos, o ex-soldado inspira muitos eleitores que, como ele, querem diminuir os direitos dos lobos e caçá-los como animais. Sua campanha de ódio se revela extremamente popular e Chase é um dos favoritos para a próxima eleição à presidência. Contudo, um ataque certeiro dos rebeldes acaba transformando-o naquilo que ele quer destruir. Enquanto incita a perseguição aos licanos, Chase fará de tudo para esconder o animal que vive dentro dele.

Três personagens tão diferentes, com histórias tão diferentes, mas cujos caminhos acabarão por se cruzar. Em uma trama sobre ódio e perseguição, ganância e sobrevivência, Patrick, Claire e Chase assistirão ao nascimento de um novo mundo ainda mais caótico. Será que Patrick, que está sedento por salvar outro alguém, conseguirá encontrar a salvação para si e seus tormentos interiores? Será que Claire e Chase aceitarão o animal dentro de si e lutarão contra ou a favor dos licanos como eles? Em meio a uma guerra violenta, os três terão que descobrir o seu papel nessa nova realidade e decidir para que vieram.

EXPECTATIVAS E A LEITURA DA OBRA
Não só a capa, mas o título de Lua Vermelha, obra de Benjamin Percy, imediatamente despertou a minha curiosidade. Após ler a sinopse, fiquei ainda mais ansiosa para ler o livro. Um agente que ataca o cérebro e provoca mutações, transformando os infectados em lobisomens, uma rebelião civil de licanos contra “humanos” - eu simplesmente precisava ler esse a obra
...

CONCLUSÕES FINAIS
Apesar da leitura não ter sido das mais prazerosas, Lua Vermelha valeu a pena pelo seu teor crítico que nos faz refletir bastante. O livro é longo, mas nos apegamos aos personagens e acabamos torcendo por eles. Uma obra atual e inteligente, que a usa a ficção para abordar temas como preconceito, discurso de ódio, direitos humanos e conflitos político-culturais.

Indico Lua Vermelha para aqueles que não se importam com tramas lentas que têm uma mensagem mais profunda para passar. O livro não foi tudo o que eu esperava, mas no geral gostei da obra e estou curiosa para conferir mais trabalhos do autor.

LEIA A RESENHA COMPLETA E VEJA FOTOS DO LIVRO NO BLOG:

site: http://www.mademoisellelovesbooks.com/2016/02/resenha-lua-vermelha-benjamin-percy.html
comentários(0)comente



Júh 05/09/2015

Resenha feita para o Blog Mundo dos Livros
Os licanos existem desde os primeiros relatos da história. São pessoas infectadas com um agente que ataca o cérebro e são capazes de se transformar em lobos. Dentre essas pessoas, existe um grupo extremista intitulado Resistência, que lançou ataques terroristas contra o governo exigindo mudanças. Dentre esses ataques está uma série de atentados a aviões, onde em um deles Patrick Gamble sai como o único sobrevivente e é eleito pelo país como o Menino-Milagre.

Como retaliação a esses ataques, o governo entra numa caçada aos licanos em que os pais de Clair Forrester são mortos. No entanto, ela consegue fugir se transformando e vai morar com a tia. Devido a exaltação da população que exigia medidas mais duras, o governador Chase Williams se sente pressionado e, mesmo assim, resolve tirar vantagem da situação jurando que se for eleito presidente protegerá o país da ameaça que aterroriza a todos os cidadãos americanos. Mas para seu infortúnio, ele acaba se tornando em algo que antes era seu maior alvo.

Em “Lua Vermelha”, o que poderia ser mais uma típica história de lobisomens, acaba se tornando algo bem mais complexo, onde essas criaturas míticas são seres humanos e o que deveria ser aterrorizador, é citado como uma doença incurável. Sem abandonar os elementos clássicos das histórias de lobisomens, Benjamin Percy trás para nós um modo de inclusão dos personagens, onde todos vivem de modo comum e aqueles que têm os genes de lobo têm de superar preconceitos e aceitação dos demais.

Trazendo um cenário político muito forte para o seu enredo. Vemos que se por um lado alguns estão tentando impor leis para que os licanos sejam exterminados, alegando que eles não são humanos e que a sociedade não poderá viver em, já que os humanos vivem com medo de que sejam atacados. Por outro, vemos uma parcela de pessoas que querem ser respeitados como iguais, que exigem ter os mesmos direitos e que pedem para que esse medo de pessoas infectadas acabe.

Os personagens de Benjamin Percy têm uma personalidade muito forte, e olhe que são muitos! Além disso, uma das coisas mais impressionantes de sua história é a riqueza de detalhes que ele transmite através de sua escrita. O modo como Percy descreve como os genes são e as conseqüências de ter essa modificação genética são incríveis. Você sente como se fizesse parte daquela realidade, entende o modo como a vida se passa. É uma escrita realmente envolvente.

Existem tantos conflitos envolvendo os personagens que eu acabei por ficar confusa diante de tantos acontecimentos, mesmo eles sendo mostrado de vários ângulos, sendo narrados por vários personagens. Mas é claro que isso não compromete nenhum pouco a qualidade da leitura, pois a abordagem, como eu já havia dito antes, nos coloca dentro da história.

Embora seu final tenha deixado tantas perguntas no ar, foi justamente esse o ponto que deixou a minha curiosidade ativa por mais tempo que deveria. Será que Percy escreverá outro livro para dar continuidade a essa grande e emocionante história? Espero que sim. Em suma, espero que todos que forem se aventurar por essas páginas aproveitem a leitura e embarque nesse mundo apocalíptico sensacional que é “Lua Vermelha”.

site: http://www.mundodoslivros.com/2014/12/resenha-lua-vermelha-por-benjamin-percy.html
comentários(0)comente



Tati Duraes 25/07/2015

Bom!
Inicialmente devo confessar que me senti confusa. A história é contada em terceira pessoa, sendo cada capítulo, ou trecho, de um personagem. Somos apresentados a personagem irrelevantes, como o cara com medo do avião, e a importantes, como Patrick e Claire.

No começo conhecemos Patrick, filho de um ex soldado dos Estados Unidos. Ele precisa passar algum tempo com a mãe, a qual parece que não se dá muito bem, pois ela os abandonou quando ele ainda era um bebê. Seu pai foi recrutado para a “guerra”. É onde a vida dele se entrelaça com a do cara com medo de ser preso e medo de avião. Esse cara nada mais é do que um licano, ou lobisomem. Sim, o livro é sobre lobisomens, porém esses podem se controlar e se transformam quando querem, ou melhor, não podem, não é permitido por lei se transformar.

Leia mais clicando no link da resenha!!


site: http://dicassliterarias.blogspot.com.br/2015/07/resenha-39-lua-vermelha-do-autor.html
comentários(0)comente



Patty 20/07/2015

Interessante
Em um mundo dividido entre humanos e licanos, as pessoas tentam sobreviver.
Após um grupo de licanos extremistas comandarem uma série de ataques terroristas contra os Estados Unidos, o equilíbrio entre humanos e licanos está um fio.
Claire, uma adolescente licana, perde seus pais, vítimas de um ataque do governo contra os licanos. É obrigada a perambular pelo país procurando sua tia, Miriam, a única pessoa capaz de ajuda-la neste momento, a única capaz de entender a sua dor.
Patrick, o único sobrevivente da série de atentados contra aviões americanos, está indo morar com a sua mãe, enquanto seu pai foi chamado para lutar pelo seu país na República e só voltará depois de um ano.
Chase, um governador liberal, que vive bêbado e rodeado de mulheres, é forçado a mudar seus hábitos ao ser infectado pelo príon transmissor do lobos, a proteína que faz humanos se transformarem em licanos.
Com uma série de personagens inusitados, Lua vermelha traz uma envolvente e apaixonante trama pós-apocalíptica que vai te prender do início ao fim.

site: tudoporlivros2.blogspot.com.br
comentários(0)comente



Blog MDL 02/01/2015

Os licanos existem desde os primeiros relatos da história. São pessoas infectadas com um agente que ataca o cérebro e são capazes de se transformar em lobos. Dentre essas pessoas, existe um grupo extremista intitulado Resistência, que lançou ataques terroristas contra o governo exigindo mudanças. Dentre esses ataques está uma série de atentados a aviões, onde em um deles Patrick Gamble sai como o único sobrevivente e é eleito pelo país como o Menino-Milagre.

Como retaliação a esses ataques, o governo entra numa caçada aos licanos em que os pais de Clair Forrester são mortos. No entanto, ela consegue fugir se transformando e vai morar com a tia. Devido a exaltação da população que exigia medidas mais duras, o governador Chase Williams se sente pressionado e, mesmo assim, resolve tirar vantagem da situação jurando que se for eleito presidente protegerá o país da ameaça que aterroriza a todos os cidadãos americanos. Mas para seu infortúnio, ele acaba se tornando em algo que antes era seu maior alvo.

Em “Lua Vermelha”, o que poderia ser mais uma típica história de lobisomens, acaba se tornando algo bem mais complexo, onde essas criaturas míticas são seres humanos e o que deveria ser aterrorizador, é citado como uma doença incurável. Sem abandonar os elementos clássicos das histórias de lobisomens, Benjamin Percy trás para nós um modo de inclusão dos personagens, onde todos vivem de modo comum e aqueles que têm os genes de lobo têm de superar preconceitos e aceitação dos demais.

Trazendo um cenário político muito forte para o seu enredo. Vemos que se por um lado alguns estão tentando impor leis para que os licanos sejam exterminados, alegando que eles não são humanos e que a sociedade não poderá viver em, já que os humanos vivem com medo de que sejam atacados. Por outro, vemos uma parcela de pessoas que querem ser respeitados como iguais, que exigem ter os mesmos direitos e que pedem para que esse medo de pessoas infectadas acabe.

Os personagens de Benjamin Percy têm uma personalidade muito forte, e olhe que são muitos! Além disso, uma das coisas mais impressionantes de sua história é a riqueza de detalhes que ele transmite através de sua escrita. O modo como Percy descreve como os genes são e as conseqüências de ter essa modificação genética são incríveis. Você sente como se fizesse parte daquela realidade, entende o modo como a vida se passa. É uma escrita realmente envolvente.

Existem tantos conflitos envolvendo os personagens que eu acabei por ficar confusa diante de tantos acontecimentos, mesmo eles sendo mostrado de vários ângulos, sendo narrados por vários personagens. Mas é claro que isso não compromete nenhum pouco a qualidade da leitura, pois a abordagem, como eu já havia dito antes, nos coloca dentro da história.

Embora seu final tenha deixado tantas perguntas no ar, foi justamente esse o ponto que deixou a minha curiosidade ativa por mais tempo que deveria. Será que Percy escreverá outro livro para dar continuidade a essa grande e emocionante história? Espero que sim. Em suma, espero que todos que forem se aventurar por essas páginas aproveitem a leitura e embarque nesse mundo apocalíptico sensacional que é “Lua Vermelha”.

site: http://www.mundodoslivros.com/2014/12/resenha-lua-vermelha-por-benjamin-percy.html
comentários(0)comente



cotonho72 29/04/2014

Muito Bom!!!!!
Nesse livro temos três protagonistas principais em que a história se alterna, Patrick Gamble, um jovem comum, obrigado a morar coma mãe por um período;pois seu pai é convocado para lutar na guerra, uma missão de ocupação da República Lupina, um país inabitado criado para abrigar licanos (humanos que foram infectados ou nasceram com o vírus chamado Lobos, que podem se transformar em lobos). Durante a viagem de avião Patrick se tornao único sobreviventede um ataque terrorista, onde um Licano, de um grupo intitulado Resistência, mata todos os passageiros do avião, menos Patrick que se fingiu de morto, por esse motivo ele ficou conhecido como Menino-Milagre e se transformou numa espécie de celebridade.
Claire Forrester é uma jovem que cursa o último ano do ensino médio e que cansada da vida pacata que leva na aldeia onde vive com seus pais, planeja fugir de casa e viver uma grande aventura, ela é uma licana e esta cansada das reuniões e festas organizadas na sua casa, ela que ter uma vida normal, mas isso infelizmente não ocorrerá, porque numa determinada noite os agentes do governo invadem sua casa e matam seus pais, ela consegue escapar e durante a fuga tenta desvendar o conteúdo do bilhete deixado pelo seu pai, que a levará a uma tia que também é licana.
Chase Williams, um governadorque deseja ser presidente dos Estados Unidos, vive uma vida fazendo tudo o que da na telha, frequenta boates de striptease, fala palavrões e não liga a mínima para isso, ele promete que se fosse eleito acabaria com os atos terroristas, mas a Resistência não permitirá que sua vida seja assim tão fácil, ele inesperadamente é atacado por um licano e infectado e acaba se tornando aquilo que prometeu acabar.
Esse é o primeiro livro que leio sobre lobisomens e apesar da leitura densa e pouco dinâmica, me agradou bastante. O autor Benjamin Percy, consegue criar uma trama interessante, Patrick e Claire no início são adolescentes inocentes que no decorrer da história se tornam adultos devido ao caos que a vida de cada um está, personagens marcantes vão aparecendo durante a trama, a maldade dos homens e a força das mulheres em meio às adversidades são relevantes também. O livro aborda muitas questões que ocorrem na atualidade, descriminações sociais, guerra, terrorismo, domínio sobre a energia e tecnologia,experiências genéticas e os bastidores da política, vemos muitas das vezes uma comparação entre os Estados Unidos e os muçulmanos depois dos atentados de 11 de setembro. O livro mostra como o ser humano muita das vezes é intolerante violento, um livro muito bom para que gosta do gênero.

site: devoradordeletras.blogspot.com.br
Isabela 24/01/2015minha estante
Acho que o livro daria um bom filme. Durante minha leitura mudei de opinião algumas vezes. Muito bom.




Lais Ribeiro 01/04/2014

Os dois lados de uma mesma moeda
Num primeiro momento diria que Lua vermelha não tem um enredo que me atrai, basicamente fujo de livros sobrenaturais, com vampiros, lobisomens, esses seres sobrenaturais não me são toleráveis (acredito que só se salvem os fantasmas, ironia da vida eles já estarem mortos...). Enfim, a vontade de ler Lua Vermelha surgiu por meio de uma indicação que acabou por me fornecer:

Um segundo momento, que aconteceu depois de ter lido o livro e confesso que minha primeira impressão estava um tanto errada.

Não temos lobisomens, temos licanos (acredite, é diferente) que tem características que lembram (modo de contágio, mordida e hereditariedade, por exemplo) os lupinos. Ou seja, esqueça a questão sobrenatural. O que temos é uma questão bem ao estilo direitos humanos, uma questão de raças. Temos os licanos (infectados pelo lobos, que lhes dá a possibilidade de se transformarem em algo semelhante aos lobisomens, que faz com que as pessoas liberem seu animal (lobo) interior) e os não infectados, que constituem o grupo dominante.Dois lados de uma mesma moeda. Quem é licano tem que se submeter aos remédios e a um governo que limita seus direitos. Alguns licanos se cansaram de ser limitados e decidiram agir por meio de violência. Violência extrema. É então que começa a batalha pra saber qual grupo sairá vencedor, e cada lado tem seu trunfo.

A violência é o que define a humanidade, é ela que determina manchetes, decide eleições e estabelece fronteiras; o mundo inteiro se reduz à questão de quem bate em quem com mais força. Página 322.

Bem, eu não estava errada no fato de que o livro não me atrairia. Apesar de um plot bombástico, a impressão que me ficou ao final da leitura foi de que o enredo não evoluiu. A narrativa é estruturada com muita narração, em alguns momentos não fica clara a passagem de tempo, os personagens não são favoritáveis, eu particularmente não torci por ninguém.

Continuação? Talvez sim, talvez não, não consegui informações a respeito. Se eu quero uma continuação? Não, obrigado, já superei o final.

Concluindo: Acho que um filme será melhor. Bem melhor.
comentários(0)comente



32 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3