Dolci di amor

Dolci di amor Sarah-Kate Lynch




Resenhas - Dolci di amor


5 encontrados | exibindo 1 a 5


Mogi.vi 21/02/2020

Um livro muito bom , me prendi em muitos momentos. Parecia que estava lendo uma novela bem vida real , e fez entender o poder do amor .
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Nana 15/05/2016

Doce e encantador!
Este livro tem uma certa magia que acalma e dá uma sensação gostosa de paz durante a leitura (além da capa ser linda!!).
Lily mora em Nova York, tem 44 anos e é casada com Daniel a 16 anos. Seu maior sonho é ser mãe, mas após várias tentativas de tratamentos e até de adoção, ela não conseguiu ter um filho. Quando descobre, através de uma foto, que seu marido tem outra mulher e 02 filhos que moram na Toscana, ela decide ir atrás dele. Ao chegar na pequena cidade de Montevedova, conhece Francesca (filha do seu marido) e se encanta com a menina de 06 anos. Lily hospeda-se na casa das irmãs Violetta e Luciana. Elas são duas velhinhas que além de fazerem biscoitos para vender, são responsáveis pela "Liga secreta das viúvas", um encontro que reúne um grupo de viúvas, todas acima dos 80 anos , que tentam criar finais felizes para as pessoas que estão com corações partidos. As velhinhas aprontam muitas trapalhadas tentando juntar casais e os diálogos delas são muito divertidos. Fiorella é a mais rebelde e rende boas risadas.
A leitura é leve e encantadora. Eu adorei e vou lembrar com muito carinho destes personagens!!
Marta 15/05/2016minha estante
Agora sei que vou gostar


Marta 15/05/2016minha estante
Boa resenha.


Nana 15/05/2016minha estante
Obrigada Marta! Espero que goste, é realmente uma leitura prazerosa.


Marta 15/05/2016minha estante
Vou comprar!


Marta 16/05/2016minha estante
Nana, você diria que é um livro reconfortante? Para aqueles momentos em que precisamos de leituras que nos aqueçam o coração?


Nana 17/05/2016minha estante
Eu diria que sim Marta! Pelo menos para mim foi assim, senti uma sensação de paz naquele ambiente de cidade pequena com a união das pessoas querendo fazer o bem.Estamos numa violência tão grande, que leituras assim nos aquecem o coração com certeza.


Marta 17/05/2016minha estante
Gosto muito de livros assim.
Gosto de tê-los para os momentos em que nenhuma leitura parece funcionar, ou mesmo quando estamos assoberbados pelos tantos desafios que cruzam nosso caminhar.
Agora é que sim tenho certeza que vou comprar.
Obrigada, Nana.




Tete 08/02/2015

La dolce Italia
Entrei no livro viajante deste livro por causa do título: Dolci. Eu amo italiano e, já fui me interessando por ser ambientado na bella Toscana.

Lily Tuner descobre que seu marido tem uma segunda família na Itália e, depois de um pileque, compra passagens para a Toscana com o objetivo de confrontar Daniel. E é quando ela chega em Montevedova que ela vai descobrir que a vida prega peças que ninguém pode controlar.

Sinceramente, não consegui me simpatizar com a protagonista. Ela tem problemas para engravidar e acabou se vitimizando com esse problemas, afastando todas as pessoas que a amavam. Em alguns momentos eu queria dar na cara dela (na violência mesmo kkkk). E tenho certeza que se não fossem Violetta, Luciana e o clube das Cerzideiras, que na verdade são viúvas que gostam de curar calzini rotti (um trocadilho com as meias das cerzideiras, "meia furada" - mas que seria um coração partido), o livro seria bem chatinho.

As velhinhas eram a graça do livro, me divertia com os encontros briguentos das velhinhas italiana, e já ia imaginando todo aquele diálogo ao puro estilo italiano de ser. Fiorella foi a minha favorita, mesmo tendo um marido terrível, ela entendia qual era o verdadeiro sentindo do amor.

Alessandro, o bom samaritano que tentou ajudar Lily, também me surpreendeu. Imaginei que ele seria um homem totalmente diferente. E acabou protagonizando uma cena hilária com a Lily.

Eu comecei me arrastando, mas terminei num sopro. Sarah conseguiu me surpreender e não poderia pedir um final diferente. Amei cada desfecho.
Recomendo, com toda certeza.

Este livro faz parte do Desafio Literário 2015.
Tema: Novinho em folha. Último livro que ganhou, comprou ou pediu emprestado.

site: http://omundodetete.blogspot.com.br/2015/01/dolci-di-amor-sarah-kate-lynch.html
Karina.Araujo 30/06/2019minha estante
Estou lendo também. C o mprei ontem e já estou na página 112...quero muito saber o que Lily resolverá da sua vida?Porém como vc disse as velhinhas são ótimas quase como agentes infiltradas kkkkkk




Sueli 05/06/2014

Um Livro Viciante!
“Dolci di Amor” começa quando Lily toma conhecimento que Daniel, o seu amado esposo, tem uma família secreta na Toscana. Conforme vamos lendo, apesar de traição ser sempre algo muito doloroso, entendemos que a atitude Daniel é ainda mais cruel, já que após quatro abortos espontâneos e uma tentativa fracassada de adoção, Lily chega à conclusão que jamais realizaria o sonho da maternidade.
Contudo, procurando entender e controlar o momento que está vivenciando, Lily pergunta se existe a medida exata para quanta dor alguém pode aguentar. Já que em sua agonia ela não compreende porque lhe fora negada pelo menos uma dessas criaturas preciosas que tanto deseja.
Lily não percebe que quando nos é negada a chance de sermos mães de alguém, podemos abrir nossos corações para todas as outras crianças. Mas, a caminhada de Lily está apenas começando...
E, Lily é uma mulher que traçou os planos de sua vida com régua e compasso, porém, como disse o poeta – “navegar é preciso, viver não é preciso” – portanto, a sua vida perfeita começa a desmoronar de forma descontrolada e os castelos para fortificar seu coração, construídos por ela para sobreviver aos seus fracassos, são tão frágeis quanto absurdos.
Saber que seu marido conseguira tudo que ela mais queria, e jamais poderia ter, faz com que Lily perca o chão e ébria de vinho e dor toma atitudes que irão levá-la até à Toscana atrás de Daniel, além de apresentá-la à "La Lega Secreta delle Rammendatrice Vedove” – “A Liga Secreta das Cerzideiras Viúvas”, cuja função primordial é remendar corações partidos.
Chegar à Montevedova e descortinar uma realidade bem diferente da que ela imaginou para Daniel e sua família secreta, não traz alívio para Lily, muito pelo contrário.
Sarah-Kate Linch é precisa ao descortinar com movimentos cirúrgicos a caminhada dos personagens de “Dolci di Amor”. E, nem pense em julgar os seus personagens de maneira prematura, pois apesar dos momentos de fantasia, o livro nos traz muita sabedoria e reflexão sobre o tema mais caro e importante para corações românticos – o amor.
Contudo, o amor envolve muitas variáveis. O amor tem a ver com abrir mão, sem contar que amor é um negócio bagunçado... E, tem também, a medida de cada um e, isso, bem... isso é uma encrenca das grandes, já que a grande verdade é que precisamos de apenas uma única pessoa que caminhe sobre brasas para nós!
Sabe, nunca temos tudo que queremos, e o que queremos nunca é o bastante quando temos. Então, como você já notou é um livro que fala sobre coisas do coração e de relacionamentos. E, para essas coisas não existe muita lógica e muito menos um comportamento padrão.
Eu nunca havia absolvido um adúltero literário, mas tenho que concordar com uma das viúvas, quando diz que alguns não passam de “burros decentes”. Portanto, leitor, se você tiver algum bloqueio com livros sobre traição como tema, abra seu coração, e não deixe de ler essa maravilha, pois você irá se emocionar e divertir muito.
Caso você tenha assistido “Sob O Sol da Toscana” e amado como eu, não pode deixar de ler esse livro apaixonante.
Nay 03/06/2014minha estante
Sueli, oieeeee!
Eu tenho um defeito, e dos GRANDES. Apego-me facilmente só pelas capas de livros, e esse naturalmente me deixou em estado de encanto.
E com a sua resenha tão bem dosada, só fez aumentar a minha curiosidade.
E tenho algumas perguntas, mas caso considere-se spoiler pode ignorar, ou me responder pelas mensagens privadas.
Primeiramente esse livro é obsceno em cenas sexuais, ou mais brandas ? E segundo, A Lily perdoa a traição?. Tenho certo receio quando se trata desse tema..
OTIMA RESENHA,COMO SEMPRE
BJSSSS?


Sueli 07/06/2014minha estante
Oi, Nay, tudo bem?
Desculpe pela demora em responder, mas novamente não recebi o comunicado do seu comentário em minha resenha. :(

Quanto ao livro, na verdade, eu deixei escapar a oportunidade de comentar sobre essa capa belíssima. Obrigada por me dar essa oportunidade.

Por favor, sinta-se à vontade para perguntar tudo aquilo que desejar.
Bem, vamos lá: O livro tem apenas uma cena de amor, mas escrita de tal forma que só percebemos que o sexo foi consumado com o desenrolar dos acontecimentos. E, eu percebi que foi proposital. Uma forma magistral de dar mais emoção aos momentos finais desse lindo romance. Portanto, nada de sexo obsceno. A Sarah-Kate Linch escreve de forma linear e com muita elegância! \0/

Quanto à questão da traição, é importante que você entenda que mais importante que a Lily perdoar o Daniel, ela precisa, desesperadamente, se perdoar.

E, se assim como eu, você é uma sexista literária, fique tranquila, pois o livro é antes de tudo uma lição emocionante de vida.

Leia o livro sem nenhum receio, e se você não gostar, volte aqui e me dê uma bronca pública, ok?

Obrigada por sua presença!
Bjks




5 encontrados | exibindo 1 a 5