A ÁRVORE DE STRANGEVILLE

A ÁRVORE DE STRANGEVILLE Camilla Sá




Resenhas - A Árvore de Strangeville


9 encontrados | exibindo 1 a 9


LetíciaBaldez 02/10/2015

[RESENHA] #A ÁRVORE DE STRANGEVILLE
O livro começa com a protagonista Carolina, mais conhecida como Milie. Uma adolescente de quinze anos que está sempre se mudando devido ao trabalho do pai. Ele é biólogo e por isso está sempre estudando novos lugares e sempre com projetos ambientais. Um dia Guilherme decide que os dois deveriam voltar para Strangeville sem explicar para Milie o por que.
A menina fica triste pois mais uma vez terá que recomeçar sua vida em um lugar novo, fazer amizades e conseguir criar um vínculo com o lugar. No entanto ao chegar em Strangeville Milie sente um carinho pela cidade que vai conquistando-a mediante suas novidades.

Milie quer fazer parte do grupo mais popular da escola e por isso é enganada e se sente humilhada pelos populares de sua sala, ao mesmo tempo ela vê um elfo que no futuro ela ainda veria novamente. Milie se sente mal e volta para casa aos prantos. No dia seguinte ela decide não se abalar com essas pessoas fúteis e passa a ser amiga de um grupo de pessoas divertidas e que a fazem bem.
Mas Strangeville é um lugar cheio de mistérios que despertam a curiosidade de Milie e ela vai até uma biblioteca e encontra um livro com estórias sobre a árvore de Strangeville que lhe chamam muita atenção, ao final da leitura ao devolvê-lo a recepcionista acaba dizendo que o livro não é de propriedade da biblioteca e Milie fica com o livro para si.

"Chegamos à cidade. Tudo é tão estilo época medieval. As casinhas de madeira ou tijolos, a igreja, o parque bem simples, a escola tradicional, tudo é muito parecido com aquelas histórias de contos de fadas. Chega a ser fofo".

Logo o pai de Milie revela que eles voltaram para essa cidade para procurarem por sua mãe Alice que desapareceu quando ela ainda era pequena e Milie fica feliz. Quando Klaus, um homem que veio do mundo de dentro da árvore Strangeville, decide derrubar uma Árvore que não deveria ser derrubada acaba ocasionando uma catástrofe e os dois mundos são misturados tendo humanos e criaturas mágicas convivendo uns com os outros gerando mortes e uma guerra iminente.
Milie tenta em vão que não derrubem a árvore e se sente culpada por não ter ouvido o que o pai disse a ela e agora que ela encontrou dentro da árvore de Strangeville uma pulseira mágica com cinco bolinhas que podem lhe dar cinco formas diferentes ela é convocada a ajudar os dois mundos a se separarem e ela deve treinar suas cinco formas e acabar com os planos malignos de Klaus.

'' - Não só os humanos se envolviam em guerras - disse Arthur, correndo - Todos os reinos se envolviam também. A diferença é que vocês humanos são meio... possessivos demais. ''

Bom bibouss, eu gostei bastante do livro só não consegui favoritar porque senti que as cenas mais importantes ficaram faltando desenvolvimento, como a guerra que foi criada e a conclusão amorosa entre Arthur e Milie, poderia ter sido cenas mais desenvolvidas e com descrições mais detalhadas.
O livro é narrado em primeira pessoa por Milie, as folhas são amareladas, a diagramação é simples, e a escrita é bem informal. Livro poderia ter sido melhor revisado pois tinha erros de formatação, como espaços muito grandes e algumas palavras estavam escritas erroneamente. Faltou um pouco de atenção na revisão final.
Bom bibouss, esta foi a resenha espero que tenham curtido e fiquem de olho nas redes sociais e deixem nos comentários o que acharam desta obra.
Kissus ♥

site: http://sobangulos.blogspot.com.br/2015/08/resenha-arvore-de-strangeville.html
comentários(0)comente



Grazi 03/10/2014

Fofo e divertido.
Quando Caroline Stuart muda-se com seu pai de volta a sua cidadezinha de origem, Strangeville, ela vê-se tendo que passar novamente por todos aqueles problemas: nova casa, nova escola, novos amigos... Só que dessa vez tudo será diferente. Nessa cidade há muitas histórias e lendas e os habitantes acreditam nelas. Há uma estranha árvore no meio da campina ao lado de sua casa: A Árvore de Strangeville. Imediatamente Caroline sente-se atraída por ela, pois tudo após a árvore é meio morto. A campina tem grama verde e reluzente a frente da árvore, mas tudo depois é grama seca e nenhuma árvore ou bichos. Quando seus ''amigos'' da escola a fazem atravessar essa fronteira, ela nota que a história sobre essa árvore pode ser real, pois assim que pisa do outro lado da linha ela percebe que há algo de errado ali e vê um elfo a encarando. A Árvore é o elo que separa o mundo ''real'' do mundo da fantasia. Depois de alguns dias um homem que deseja o poder que há do outro lado da árvore consegue dar a ordem para derrubá-la. Os dois mundos então colidem novamente e as consequências são arrasadoras. Caroline então se vê como a peça principal da maior aventura de sua vida. Ela é a escolhida pela Mãe- Terra para salvar os dois mundos e lutar contra o poder maligno de Klaus. Com a ajuda da dragão Bree e do elfo Arthur, Caroline viaja por este mundo fantástico, conhecendo vários seres mitológicos como fadas, sereias, dragões, minotauros e elfos, para aprender como derrotar as forças das trevas.


'' - Não só os humanos se envolviam em guerras - disse Arthur, correndo - Todos os reinos se envolviam também. A diferença é que vocês humanos são meio... possessivos demais. ''


Enfim, tenho que dizer isso logo: eu a m e i. De verdade. Sabendo que a autora escreveu o livro aos 14 anos, deu para entender como tudo foi escrito. Eu poderia falar que é uma narrativa bem rápida e sem muitas descrições, mas é exatamente por isso que é bom. Todo o enredo é bem objetivo e eletrizante. Não tem muito mimimi e enrolações que outros livros tem e às vezes me fazem pular algumas partes desnecessárias. Tudo nesse livro é muito legal. A história é bem completa e simples. Tipo, ela não tem as comuns ''pontas soltas'' de enredo que outras tem, entende? E também não tem aquelas pistas que vão te fazendo perceber como o livro vai acabar, aquela coisa que você não entende na hora, mas no final se explica. A narrativa é bem linear e gostosa de ler. A relação entre alguns personagens não foi muito crível para mim ( pois, como eu disse, a narrativa é rápida e não deu para entender direito como aquilo aconteceu), mas a maioria é bem construída com o pouco tempo que foi dado para isso. Achei 401 páginas muito pouco. Eu adorei cada pedacinho dos reinos de seres fantástico e o modo como Camilla os descreveu. Eu quis mais. Mais dos dragões, mais de elfos, mais de faunos. Bom, principalmente mais de Arthur. Ai, Arthur... kkkk (tenho perfeita noção que a maioria vai ter raivinha dele, mas eu entendo o cara. A história dele não é exatamente feliz).
Mais um ponto positivo é que os capítulos são bem curtos. Já mencionei meu amor por capítulos curtos? É sério, quando eu vejo um sumário (que já é bem raro, por que quase ninguém mais nomeia os capítulos) com mais de 40 capítulos já fico animada. É sinal de que a coisa vai andar. E, claro, quando você quer dar uma lidinha antes de sair eles são uns salvadores (odeio parar no meio de um).

'' Lindsay tem mesmo razão. E sabe de mais uma coisa? Mesmo as coisas estando ruins, vou continuar feliz e aproveitando a vida. Ela é minha e não vou gastá-la ficando triste e nervosa por coisinhas que logo vão passar. Simplesmente vou rir e continuar feliz. Não sei como nunca deixei isso claro na minha cabeça... E deixando uma coisa mais clara ainda: isso é por mim e pelos outros. ''


Enfim, eu recomendo o livro para todo mundo. Sim, todo mundo. É meu mais alto nível de recomendação. Acho que é difícil não curtir esse livro. Terminei e fiquei me sentindo meio vazia. Recentemente li um livro incrível de Isaac Asimov (As Cavernas de Aço) e apesar de ter gostado muito, muito mesmo, não tive aqueles surtos de ficar me imaginando dentro da história do livro. Com A Árvore de Strangeville isso aconteceu (a última vez que isso me aconteceu foi com Fundação e já faz mais de dois anos). Então, Camilla, por favor, dê um jeito de escrever uma continuação!

Fanpage do livro aqui.

P.S.: Se eu gostei tanto, por que 4 estrelas então? Bom, acho que faltou um pouquinho da maldade inerente a escritores como Martin, haha. O final foi beeem fofo e esperado. Queria uma coisinha triste. E bem, a edição tinha alguns erros que me pareceram ser falhas na revisão. Erros de digitação e tal, sabe? Mas bem poucos. Nada que atrapalhe a leitura. E a narrativa que foi corrida. Poderia ter sido dividido em dois e tal, explicaria melhor algumas coisas ( e saciaria minha vontade, admito). Tipo, o vilão foi meio mal aproveitado. Ele aparece no início, pra explicar o por quê de derrubar a árvore e depois só na batalha final. E a Caroline parecia sair fácil demais de todas as enrascadas. Você ficava esperando um embate mental dela, algo que ela demorasse a resolver, mas do nada acabava tudo. Acho que por isso precisaria de uma continuação: pra que não tivesse que acabar tão rápido e algumas coisas pudessem ser melhor desenvolvidas.


site: http://oclubedameianoite.blogspot.com.br/2014/04/resenha-arvore-de-strangeville-camilla.html
comentários(0)comente



Tamires 21/09/2014

Resenha postada no meu blog
Millie é uma garota de 15 anos, seu pai é biólogo e por conta disso nunca teve uma vida "normal" já que vivem viajando e se mudando por causa do trabalho do pai. Além de nunca se estabilizar, ela não tem mãe, já que esta desapareceu quando ela era ainda muito nova.
Logo no começo do livro eu percebi que a vida de Millie não era fácil, afinal de contas se mudar várias vezes não é algo muito favorável para se adaptar e muito menos na fase da adolescencia. Eu me identifiquei muito nesse aspecto, já que por conta do trabalho do meu pai já me mudei 5 vezes e já passei por 7 colégios diferentes.


Millie passa por muita coisa, apesar de ter apenas 15 anos, mas me irritou profundamente a narrativa dela no começo do livro, os seus pensamentos tão infantis, a forma como lidava com as coisas, a forma como a autora escreveu os diálogos dela me soaram bem infantis o que me cansou bastante.
Assim que li a sinopse do livro, o que me chamou a atenção foi o gênero do livro, não é segredo que adoro fantasia, e estava ansiosa para essa parte chegasse logo!
Millie e seu pai se mudam para um estranha porém muito acolhedora cidade chamada Strangeville, e apesar de sua chegada não ter sido como ela imaginava, as coisas mudam quando segredos do passado que envolvem o desaparecimento de sua mãe e ela mesma são revelados. Logo ao chegar, ela sente uma forte conexão com uma árvore de Strangevile e logo descobre que não é uma coincidência.


"Chegamos à cidade. Tudo é tão estilo época medieval. As casinhas de madeira ou tijolos, a igreja, o parque bem simples, a escola tradicional, tudo é muito parecido com aquelas histórias de contos de fadas. Chega a ser fofo".
Nessa parte do livro eu me empolguei mais, Millie deixa de ser uma adolescente vivendo seus conflitos pessoais, e entra de cabeça nesse novo mundo de fantasia.
Fui surpreendida por seres misticos, duendes e até um dragão
comentários(0)comente



Tati Duraes 23/07/2014

Uma história recheada de aventura e seres mágicos!!
Millie é uma jovem de 15 anos que sonha com uma vida normal que nunca teve. Por causa do serviço do pai, que é biólogo, eles se mudam sempre de cidade. Até que a procura pela mãe sumida, os leva para Strangeville. Ainda assim, sua vida continua “normal” até que ela começa a ter visões estranhas próximo a grande árvore. Um dia a árvore é cortada e eles descobrem que ela era o elo que separava o mundo normal do mundo mágico, e os dois mundos se unem. Árvores destroem casas, prédios e seres malignos começam a matar os humanos. Uma aventura fantástica se inicia na vida da jovem Millie, e ela tem que confrontar seres mágicos e salvar os mundos do terrível Klaus.

O divertido no livro é que a nossa jovem protagonista encara tudo com alegria e diversão. Mesmo diante de seres, como fadas, elfos e dragões, ela acha tudo o máximo. Mas as coisas começam a ficar difícil e Millie começa finalmente a sentir medo. Com a pulseira da árvore ela é capaz de se transformar em alguns seres mágicos, como elfo, fada, sereia, animaga, anjo e ainda tem um dragão, a Bree. Com a ajuda de Arthur, um elfo um tanto estranho, ela viaja pelo mundo mágico para aprender como usar suas formas. Millie enfrenta centauros, bruxas, vampiros, lobisomens, criaturas das sombras e no final o temido Klaus. Além da desilusão do primeiro amor.

A personagem central é jovem, uma adolescente, então às vezes ela está feliz, confiante e se achando o máximo, e às vezes ela tem crises de pânico e medo. Arthur, que para mim sempre pareceu um jovem elfo muito confuso, também não ajuda muito, sendo grosso e as brigas deles chegam a irritar às vezes. O livro é bem juvenil. Narrado em primeira pessoa, na visão da jovem Millie, a leitura é fácil, rápida e agradável. A criatividade da autora é muito boa, são muitos seres juntos, muitas coisas acontecendo ao mesmo tempo, temos até um descendente de Merlin. Uma aventura mágica repleta de seres encantados te espera dentro das 400 páginas do mundo da Árvore de Strangeville.

site: http://meuclubedaleitura.blogspot.com.br/2014/07/resenha-arvore-de-strangeville.html
comentários(0)comente



Mirian 15/07/2014

http://blogmaisumlivronaestante.blogspot.com.br/

O único sonho de Caroline era ter uma vida normal - morar em uma casa fixa, fazer amigos que durem e ser popular. Mas, sempre que se muda, ela precisa começar tudo de novo. E Caroline não é muito boa nesses 'novos começos'. Até se mudar para Strangeville. Lá, onde tudo parece ser diferente, é o lugar em que se encontra a Árvore de Strangeville, o elo mágico que separa o mundo real do da fantasia. Não só sua nova cidade, mas também sua vida muda drasticamente a partir de então. Suas preocupações deixam de ser um lugar para morar e se tornam algo muito maior, como salvar não somente um, mas dois mundos! Com a ajuda de Arthur e Bree, ela terá que enfrentar várias criaturas, esforçar-se para impedir que Klaus domine os mundos e assim cumprir sua missão de retornar tudo ao seu devido lugar.

“Uma história de aventura que fará com que você cruze a fronteira da árvore”.

A autora decidiu dar vida a estória pelos olhos de Caroline( ameeeei o nome :D), uma adolescente que vive com o pai biólogo e que está cansada de muitos recomeços, devido a tantas mudanças de países por conta da profissão do pai. Mille( como é conhecida) quer criar raízes, ela acredita que está na idade mais importante para fazer grandes amizades, e não quer passar o resto de sua adolescência sem saber dizer de onde vem, e nunca se encaixar em um grupo.
Tudo muda quando seu pai decide se mudar para uma cidade chamada Strangeville, Mille não entende o porquê desta mudança. Mal ela sabe que tudo na sua vida irá mudar....
A conexão com a cidade foi praticamente imediata, tudo começou a dar certo para Mille, ela fez novas amizades e simpatizou com uma árvore da sua nova morada. Ela sentia algo sempre que via sua nova “amiga” e começou a procurar informações sobre ela.
A partir daí uma nova aventura começa, Mille descobre que a árvore separa dois mundos, e com a ajuda de seus amigos precisar impedir uma pessoa de tentar dominar esses mundos paralelos.
Mille amadurece muito ao decorrer do livro, ela precisa aprender sobre o mundo mágico e se aventura nessa jornada, com seu amigo elfo rabugento (que me encantoou *----*)
Esse livro me deixou sem palavras, por um simples motivo, foi escrito por uma garota de 14 anos, que apesar de ter escrito uma história simples e de linguagem fácil, é rica em detalhes e revela certa maturidade e sensibilidade da autora que não imagino em um pré-adolescente, sério isso me deixou sem palavras. Quando li a sinopse e vi a capa (sim, minha gente não devemos julgar um livro pela simplicidade da capa) não imaginei a tamanha criatividade da Camilla.


A árvore de Strangeville me fez voltar para os meus 13 ou 14 anos, me fez viver uma aventura inocente e contagiante, quando eu virava as páginas do livro podia até sentir o cheiro do meu diário, dos meus textos escritos com muita fantasia e imaginação adolescente, obrigada Camilla por me fazer reviver isso!!!

site: http://blogmaisumlivronaestante.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Nina 10/07/2014

A Árvore de Strangeville - Camilla Sá
A parte boa de ter um blog é poder conhecer novos autores nacionais. Nosso país é cheio de talentos quem nem sempre são conhecidos pelos leitores, pessoas que sonham, lutam e se esforçam para viver de literatura, o que, venhamos e convenhamos, não é nada fácil em no Brasil. Por isso, encaro como uma missão ler e resenhar o maior número de autores nacionais possível.E foi assim que conheci Camilla Sá e seu livro, A Árvore de Strangeville.

Assim que li a sinopse pensei: clichê! Adolescente, mora só com o pai, vive se mudando e sonha em se fixar em algum lugar e fazer amigos. Quando Millie se interessa pela estranha árvore e percebe que na verdade ela é um elo entre o mundo real e o mágico, comecei a mudar de ideia. A garota encontra uma pulseira e descobre que por causa disso ela é “a escolhida”, responsável por salvar os dois mundos da completa destruição. Para alcançar seu objetivo, ela tem que passar por um duro treinamento e conta com ajuda de dois fiéis escudeiros: Arthur, o elfo, e Bree, o dragão.

A narrativa de Camila é leve e fácil, mas a imaturidade da autora é gritante. Ela repete a mesmas palavras e expressões o tempo todo (tipo “a parte chata do meu cérebro”), e isso foi me incomodando durante a leitura. A história se desenrola bem rápido e os capítulos são curtos, o que dá agilidade à leitura e compensa a inexperiência da escrita.

Outra coisa que me incomodou bastante foi a grande quantidade ser seres mágicos. Tinha de um tudo: vampiros, elfos, sereias, dragões, fadas, lobisomens, anjos... e acabou virando uma grande bagunça. Além disso, a naturalidade com que a Millie encara tudo é absurda. Ela poderia ter ficado pelo menos um pouquinho chocada, porque do jeito que aconteceu parece que todo dia um elfo vem te dizer que você tem que salvar o mundo porque achou uma pulseira.

Além disso, os personagens secundários quase não aparecem, inclusive o grande vilão Klaus. São pouquíssimas as cenas com ele e acabamos sabendo muito pouco a seu respeito.

Por outro lado, as cenas de ação não faltam, principalmente com Millie usando seus poderes, e a guerra final é surpreendente. As descrições do mundo mágico encantam e nos ajudam a se transportar para dentro do livro e acompanhar a aventura dos personagens.

Para quem gosta de um sobrenatural repleto de ação e aventura, o livro é um prato cheio!

site: http://www.quemlesabeporque.com/2014/07/a-arvore-de-strangeville-camilla-sa.html#.U77XP5RdUrU
comentários(0)comente



Fernanda 18/06/2014

A Árvore de Strangeville – Camila Sá

Conheci este livro em um blog que comecei a visitar. Olhei para a capa, ela olhou para mim e a conexão foi imediata, quando li a sinopse tive certeza que devia ler. Bom e aqui estou com a resenha dele para vocês. Espero que gostem e venham se aventurar com o Arthur e a Mille.

Mille é a protagonista desta bela história. Mora com o pai, um biólogo que vive mudando de cidade o tempo todo. Até que um dia, volta a Strangeville, cidade onde Mille nasceu e que sua mãe desapareceu. Ao regressar a cidade descobre sobre as lendas que envolve a árvore mística, algo que a fascina e tornou-se uma obsessão para ela.

A árvore de Strangeville é um elo entre dois mundos: o real e o mundo de fantasia. Há muito tempo, ambos já ocuparam o mesmo espaço, mas foram separados pela mãe natureza e agora a ganância de Klaus por poder, esses dois universos estão unidos novamente. E todos estão em perigo.

A personagem principal se transforma em várias formas de vida ou de espécies, por causa de uma pulseira encontrada no tronco da árvore. Mas, para isso ela precisa passar por um treinamento intenso para enfrentar a guerra e assim conseguir êxito em sua missão.

Eu achei a ligação entre os personagens muito fraca, pois Mille não foi capaz de perceber o que estava debaixo de seu nariz e isso me irritou um pouco. Penso que a escritora poderia ter desenvolvido melhor o romance. Creio que os vilões deveriam ter um destaque maior. No mais o livro é ótimo a leitura é super-rápida e agradável.

Para quem gosta de aventuras mágicas e cheias de seres de contos de fadas este é o livro que recomendo!

Fê :*

site: http://fernandabizerra.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Aline Coelho Cury 13/05/2014

Aventura mágica!!!!
Nesse livro somos apresentados a Carolina Stuart (Millie - 15 anos). Ela vive só com o pai, um biólogo, que após o desaparecimento de sua esposa, passa a viajar o mundo por causa do seu trabalho e por isso Millie nunca passou muito tempo em um lugar onde pudesse criar laços. Ela se sente muito só por isso e odeia seus primeiros dias nas escolas novas. Um dia seu pai a informa que eles voltariam a vivem em Strangeville, lugar onde ela nasceu e sua mãe desapareceu.
No inicio Millie estranha um pouco a cidade pequena de Strangeville, mas sente que pode dar certo já que sua história (origem) teve inicio lá, além disso a possibilidade de encontrar sua identidade e seu lugar no mundo só a animam. A cidade a recebe muito bem e por isso ela fica empolgada para saber mais sobre as histórias locais. Ela descobre que a árvore que está ao lado da sua casa está envolvida em várias lendas e isso a faz perceber que parte do terreno ao lado da árvore está bem verde (viva) e a outra parte cinza (morta). Ela fica intrigada ao perceber que os moradores locais já estão acostumados com esse detalhe curioso. Percebe assim que grande parte da população de Strangeville acredita em histórias sobre magia e lendas, porque elas fazem parte da sua origem e cultura. A cidade tem aparência de uma cidade de conto de fadas.
Tudo caminhava como esperado até que Millie acorda com a árvore sendo derrubada e ao mesmo tempo tudo vira um caos na cidade. Árvores começam a invadir as casa, quebrando todo e uma confusão sem fim tem inicio com feridos, mortos e desaparecidos.
Nesse meio tempo Millie encontra uma pulseira dentro da árvore e a guarda para depois descobrir o que ela é e o que significa. Ao mesmo tempo percebe um Elfo lhe olhando e custa a acreditar no que vê, mas Arthur se aproxima e conversa com ela e com Guilherme, o pai dela. Ele explica que a árvore era um tipo de elo que dividia o mundo real do sobrenatural e que um grande mal está por vir e que derrubar a árvore faz parte dos seus planos para dominar os dois mundos. Segundo o elfo, Millie precisaria acompanha-lo para tentar reverter a situação. Ele diz que ela é a escolhida porque encontrou a pulseira da árvore de Strangeville, ela é considerada a maior arma dos dois mundos, porque aquele que a possuir terá o poder de seis seres sobrenaturais.
Millie embarca nessa aventura na tentativa de salvar os dois mundos desse grande mal e ao mesmo tempo luta contra suas dúvidas e medos, na esperança e fé de uma dia viver bem com sua família e amigos. Enquanto isso seu pai se compromete a procurar sua mãe.
Nessa viagem Millie encontrará com muitos seres sobrenaturais, alguns bons e outros maus que estão aliados a Klaus, um elfo ruim que quer dominar os mundos. Para quem gosta de: Elfos, animagos, sereias, fadas, anjos, ninfas, dragões, fantasmas, lobisomens, vampiros, bruxas, duendes, centauros e minotauros esses são os seres que aparecem nessa história, uns mais que outros mas de uma forma geral dá para imaginar a loucura que seria se os mundos reais e sobrenaturais fossem um só.



site: leiturasvidaepaixoes.blogspot.com.br/2014/05/a-arvore-de-strangeville-camilla-sa.html
comentários(0)comente



Bel 02/05/2014

A Árvore de Strangeville
Vamos encontrar primeiramente a Caroline, também chamada de Millie, onde sempre se vê em conflito com o seu eu interior sobre nunca morar fixamente em um lugar, pois o seu pai que é biologo, sempre tem que estar de mudando por conta do seu emprego. E para ela não é fácil, ter que sempre fazer novas amizades e nunca se estabelecer em uma certo lugar.
Chega um certo momento em que o seu pai decide se mudar para um lugar chamado Strangeville. Uma cidade onde ela nunca ouviu falar mas que de primeiro ela começa a gostar, e fica um pouco desconfiada por o seu pai não fazer o que sempre faz em todas as vezes que eles se mudam, ficar insistindo para ela se agradar do lugar.
Quando chegam nesse lugar a Millie fica encantada e logo avista uma arvore e ela percebe que tem algo de diferente nesse lugar.
Depois de passar por várias coisas e conhecer novas pessoas no seu novo colégio, ela se depara com o pai querendo conversar, mas não ligando muito para o que ele está dizendo...

Veja mais em: http://garotasliterais.blogspot.com.br/2014/04/resenha-literal-arvore-de-strangeville.html
comentários(0)comente



9 encontrados | exibindo 1 a 9