Príncipe da noite

Príncipe da noite Germano Pereira




Resenhas - Príncipe da Noite


19 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2


Fernanda 31/01/2014

Resenha: Príncipe da noite
Resenha: O “Príncipe da noite”, de Germano Pereira, apresenta uma trama complexa e distinta por seguir caminhos tão conflituosos e que apenas pela premissa, já gera certo receio pelos acontecimentos que serão expostos. É um livro que abrange uma atmosfera ampla, com diversas dúvidas espalhadas pelo caminho e que, felizmente, o autor conseguiu responder a todas com maestria e precisão.

Gabriel é psicanalista em Londres, e parece levar uma vida bem normal, diante de uma rotina tranquila e focada, apesar de ser bem acanhado. Sua rotina é perceptível, de modo avaliador e decidido com seus ideais. Mas se for analisar mesmo, seus pacientes podem interferir na situação de assombros e personalidades confusas. Será? O fato é que seu subconsciente se mostra sagaz para sentir novas sensações e deslumbramentos. Este é o príncipe da noite: um individuo em êxtase, reparador, indiscreto, solitário, destemido, incompreendido (?) e atento a todos as cenas ao seu redor. Este vive para suas vontades e Gabriel, quando está livre desta influência, é a pessoa insegura, introspectiva e reflexiva.


site: http://www.segredosemlivros.com/2014/01/resenha-principe-da-noite.html
comentários(0)comente



Telma 16/01/2014

Príncipe da Noite - Germano Pereira

Vamos começar pela capa?

Adorei! Retrata muito bem a busca nas ruas, do predador, o serial killer do sexo, denominado o Príncipe da Noite. A capa é sinistra, tal qual é a situação das personalidades múltiplas.

Diagramação:

Estou, nesse momento, batendo palmas para a Editora e equipe. diagramação é algo que me incomoda, quando mal feita, mas esta está maravilhosa. As letras são de excelente tamanho (mais para grandes, como adoro) e as 366 páginas são bem distribuídas e posicionadas. Ah! Se todo livro fosse assim! ;)

Escrita - o desenrolar

Germano Pereira é fantástico como escritor. Domina de maneira brilhante, as palavras. Sabe usá-las para impactar e sabe usá-las corretamente (refiro-me agora à Gramática da Língua Portuguesa). Os termos psicanalíticos, misturados à Mitologia Greco-romana, me dão total ciência da capacidade de Germano e também de suas pesquisas para fazer o livro verossímil e, ao mesmo tempo, louco, diferente. Uma proposta que beira a surrealidade (não fosse a seriedade do assunto).

A história em si:

Gabriel é um psicanalista brasileiro que vive em Londres.

De um modo geral, psicanalista são mostrados como heróis a serem invejados, mas Germano diferenciou e melhorou a perspectiva. Ele mostra todos os receios, desse homem que conversa com todo o tipo de pessoas e que procura a solução nas entrelinhas das conversas. Mostra quão cansativo é ter que lidar com problemas como profissão e mostra o medo de ser morto por algum paciente que faça uma possível projeção de suas psicoses, enfim... mostra o humano. Amei esse ponto.

A história já começa com um dos pacientes que eu achei muuuito perturbado e na sequência, nos apresenta o Príncipe da Noite. Sua personalidade sedutora e que o coloca em várias "frias".

O que achei interessante é que, de um modo geral, a personalidade múltipla pertence ao campo de estudo dos problemas da dissociação da consciência. É uma patologia da personalidade que se encontra fragmentada em duas ou mais personalidades, que são distintas e que possuem controle total do comportamento do sujeito. Mas por vezes, Gabriel mistura-se demais ao Príncipe... vê o que ele faz, como se estivesse fora do corpo, retorna ao corpo e retoma por hora o controle, lembra-se parcialmente das coisas quando o Príncipe sai de cena e, tudo isso, no meu ponto de vista, deixou a história confusa em vários momentos.

Se essa é a estreia de Germano, ele está de parabéns, mas também vejo muito a ser melhorado... (isso não é desmérito) a história poderia ter sido melhor alivanhada, apesar da proposta ser mesmo diferente das muitas que estamos acostumados a lidar. (digo com humildade... apenas com a prática de quem lê demais e somente do meu ponto de vista, que está longe de servir de parâmetro para ninguém, além de mim mesma).

Alguns termos usados, podem até ser explicados pelo autor, mas pra mim foram um tanto quanto clichês (e por vezes adoro clichês).

Não há sombra de dúvida de que Germano é "inteligentérrimo" e estou ansiosa por seu próximo livro... mas também não posso me omitir em dizer que o excesso de informação culta, não casa com outras informações e falas triviais demais.

Resumindo: O livro é profundo demais pra ser considerado raso... e raso demais pra ser chamado de profundo.

Tenho pra mim que alguns vão amá-lo e outros odiá-lo.

Eu vejo nesse livro uma promessa. Uma promessa de que serei fã de Germano Pereira porque já estou de olho nele. A vontade de sorver o conhecimento dele, que fica explícito no livro, cresceu a cada folha.

Aguardo, ansiosa, seu próximo livro e vou adorar se alguém tiver ideias diferentes das minhas ao ler! Por favor, me digam o que pensam.

Um beijo estalado em cada um de vocês.

Obs.: possíveis erros Gramaticais e Ortográficos podem ser encontrados nessa resenha. Escrevi e postei sem corrigir. Tão logo me seja possível, farei os reparos, caso necessário.

site: http://livrocomdieta.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



SahRosa 10/12/2013

A mercê do governante da Vontade, Gabriel tem que suportar as investidas que o Príncipe da Noite faz com as mulheres. Sem consciência de como ele age, Gabriel sempre acorda ao lado de uma mulher diferente todas as noites. Duas personalidades presas em um corpo só e se não bastasse, o jovem psicanalista ainda tem que suportar a magoa que seu algoz lança em suas vitimas inocentes.

Mas o Príncipe não é o seu único problema, atormentado pelos erros de um passado angustiante, Gabriel tenta viver uma vida normal, mas como seguir esse caminho se uma outra "pessoa" domina seu corpo e mente sem dar escapatória?

Um homem selvagem, livre de qualquer remorso, só a espreita do momento certo de levar sua próxima vítima para a cama. Com uma estranha obsessão de colecionar sapatos de suas amantes, o Príncipe da Noite surpreende deixando seus itens colecionaveis com sangue. Cabe a Gabriel lutar contra seus próprios tormentos e isso inclui o soberano das trevas.

O primeiro romance escrito pelo escritor Germano Pereira e publicado pelo grupo editorial Novo Conceito, com o selo Novas Páginas. Nesse primeiro contato com a obra do autor, uma palavra define exatamente tudo que senti perante as 366 páginas: Intenso! Príncipe da Noite é um típico livro em que o leitor se perguntará o que é real e o que no é, aonde o autor mexe com o psicológico, não apenas do seu personagem, mas também daquele que esta lendo sua obra.

Uma leitura diferente, com toques de realidade e um personagem com seus medos, fraqueza e coragem, que busca compreender seu alter-ego, ao mesmo tempo em que incansavelmente tenta conviver com ele. Durante os 56 capítulos, o autor brinda com bons ganchos, que fazem com que as páginas sejam viradas até o seu final. Sua escrita flui rapidamente e sendo narrada em primeira pessoa, temos um maior convívio com a experiência que Gabriel vive junto com o Príncipe da Noite.

Esta é uma leitura diferente, surpreendente e com uma estrutura bem desenvolvida, com mistérios que chegam a confundir e nos fazer refletir sobre o que o personagem principal esta vivendo. Simplesmente intrigante e complexo, um enredo maduro e com investidas que deixam qualquer leitor sedento por mais!

No entanto, senti faltou uma discriminação entre as cenas que eram narradas por Gabriel e o Príncipe, afinal, se o leitor não for atento pode acabar se confundido sobre quem é quem, já que temos sim capítulos com o ponto de vista do Príncipe, que muitas vezes se mistura com os pensamentos de Gabriel. Talvez uma fonte diferente, iria suprir esse pequeno ponto. Mas mesmo assim, não se deixe enganar, pois este livro é audacioso, uma ficção que se assemelha a nosso cotidiano.

Príncipe da Noite ainda possui capítulos curtos e uma diagramação muito boa, com folhas amareladas, fonte de bom tamanho e arte no início das páginas de abertura. A revisão deixou um pouco a desejar, pois eu encontrei alguns erros simples, mas mesmo assim não interferem na leitura como um todo. A respeito da capa, admito que eu não gostei de sua arte e acredito que a editora podia ter dado uma atenção especial, pois esse é primeiro item que chama a atenção em qualquer leitor.

Concluído, a obra de Germano Pereira flui com facilidade, as cenas são de tirar o fôlego, sua ideia ao criar essa história foi inteligente, fazendo com que seu livro se tornasse uma leitura surpreendente. Acreditem, vale muito à pena conhecer Príncipe da Noite e adentrar em seus segredos mais obscuros!

site: http://www.daimaginacaoaescrita.com/
Germano 25/12/2013minha estante
Olá Diae

Gostei muito do que escreveu sobre o meu livro!
Uma crítica profunda, sensível e inteligente.
E claro que fiquei feliz em saber.
Já estou escrevendo a sequência e o fato
De saber que tocou assim em vc ...só me
Incentiva ainda mais!
Saudações !
Germano Pereira


SahRosa 13/01/2014minha estante
Olá, Germano!

Muito obrigada por suas palavras! Príncipe da Noite foi um dos melhores livros que li em 2013, estou ansiosa pela continuação! Parabéns e Sucesso!

Samantha Rosa
daimaginacaoaescrita.com




ricardo_22 30/12/2013

Resenha para o blog Over Shock
Príncipe da Noite: Sete Mulheres e Meia, Germano Pereira, 1ª edição, Ribeirão Preto-SP: Novo Conceito (Novas Páginas), 2013, 368 páginas.

Os fenômenos psicológicos fazem parte dos mais intrigantes mistérios que cercam o homem, por isso naturalmente sentimos a curiosidade de conhecer mais sobre esse tipo de situação. No entanto existe um grupo de pessoas que sofre com distúrbios causadores das múltiplas personalidades. É o caso do psicanalista Gabriel.

Toda manhã, ao acordar, Gabriel se depara com uma mulher diferente dormindo ao seu lado e, apesar de não saber seu nome e como a conheceu, o psicanalista tem certeza de que ela foi mais uma vítima do Príncipe da Noite. Ele sabe que como um serial killer do sexo, Príncipe da Noite não poupa esforços para satisfazer seus desejos mais intensos, mas ainda assim ele mantém uma vida normal e ninguém sabe sobre seu segundo “eu”.

A vida de Gabriel sai dos trilhos conforme seu passado volta a atormentá-lo e situações estranhas passam a acontecer em seu dia a dia. Se não bastasse tentar descobrir se existe alguém o perseguindo e querendo prejudicá-lo, Gabriel precisa também se adaptar a tudo o que o Príncipe da Noite tem feito e isso exigirá muito de seu psicológico.

“Distante e do lado oposto ao terreno sepulcral encontra-se o Príncipe, soldado do afeto, serial killer do sexo que, apesar de ofuscado pelos acontecimentos tortuosos da vida, direciona-se guiado sempre pelo brilho da luz do amor” (pág. 9).

A primeira experiência no universo ficcional com uma história sobre um personagem de dupla personalidade foi com a série Do No Harm. Apesar das poucas semelhanças entre as histórias, é possível perceber as semelhanças entre os personagens principais, sendo que nesse caso o teor psicológico está muito mais presente e faz da obra de Germano Pereira um ótimo representante dos thrillers psicológicos.

Como dá para notar com título, sinopse e primeiras páginas, Príncipe da Noite: Sete Mulheres e Meia explora o sexo de forma intensa, apesar de não entrar em detalhes como qualquer livro erótico do atual mercado editorial. Mesmo com a presença de várias mulheres, vítimas do serial killer do sexo, o que empolga e leva o leitor a devorar a obra é a surpresa pelo que ainda irá acontecer na vida de Gabriel.

Esse detalhe, presente em todos os thrillers que trabalham com o jogo psicológico dos personagens, também pode causar certa confusão no início da leitura. Isso acontece pela quantidade de informações, algumas sobre cada uma das mais importantes mulheres, e também por ser narrado em primeira pessoa, o que deixa claro o sentimento do personagem. Um personagem que, como é sempre bom lembrar, possui seus distúrbios psicológicos e que mostra isso através de suas palavras intensas.

Porém, apesar da personalidade de Gabriel ser o ponto mais interessante e ser caracterizada por esses distúrbios, o principal problema da obra está justamente no próprio personagem. O psicanalista se mostra um homem omisso, tanto nas situações estranhas que estão lhe acontecendo, como também na existência do Príncipe da Noite. Mesmo sabendo que ele pode causar problemas, Gabriel evita ao máximo tocar no assunto – a não ser com o leitor – e isso acaba intensificando o seu próprio sofrimento. É possível entender, mas difícil de aceitar.

site: http://www.overshockblog.com.br/2013/12/resenha-203-principe-da-noite-sete.html
comentários(0)comente



Mari 04/02/2014

"[...] o Príncipe castra minha felicidade mais duradoura, só me deixando vislumbres momentâneos de prazer."

Logo nas primeiras páginas de "Príncipe da Noite" percebi que iria me surpreender bastante com Gabriel e seu sofrimento em meio a um distúrbio de transtorno de personalidade. Eu sentia que haveria mistério, tensão e adrenalina, e com certeza houve.

Neste livro o autor Germano Pereira nos apresenta ao psicanalista Gabriel, quem possui uma vida dupla graças ao Príncipe da Noite, uma personalidade que interfere em sua maneira de ser, seduz as mulheres como se fossem presas e sempre deixa Gabriel sem saber ao certo o que realmente aconteceu, já que não se recorda de nada que ocorreu quando ele estava "fora de si". Com o tempo Gabriel acaba descobrindo que o Príncipe é um serial killer do sexo, e comete aventuras (e atrocidades) com mulheres que nem ele, nem Gabriel conhecem. Agora Gabriel luta não só contra essa personalidade que toma conta dele involuntariamente, mas com o grande problema de não poder se relacionar com alguém, por culpa de sua outra personalidade, que nem ele mesmo conhece.

Narrado em primeira pessoa, ao longo da leitura conhecemos e compartilhamos os pensamentos e sentimentos de Gabriel; suas ilusões, seu dia a dia em meio ás análises de seus pacientes e seus conflitos por conta do Príncipe. Eu gostei bastante da história e do rumo de Gabriel, mas tenho que admitir que o personagem em si não me convenceu tanto. Gostei do mistério, das pistas que precisamos seguir para tentar descobrir tudo que Gabriel é capaz de fazer quando na verdade é o Príncipe que está presente e, claro, da desconfiança e do medo do desconhecido (já que Gabriel realmente não "conhece" sua outra personalidade).

Achei incrível a forma como o autor consegue nos deixar curiosos, impressionados e ansiosos desde as primeiras páginas. É impossível não querer estar presente nos momentos de ação e poder estar com Gabriel, ver como é o Príncipe da Noite realmente e poder contar tudo para ele depois, para ver ele conseguindo, finalmente, se resolver e tentar buscar uma solução para tudo, lutando contra o domínio do Príncipe.

Algo que eu preciso dizer é: necessito urgentemente de uma sequência desse livro. Não é possível que aquele "FIM" na última página seja verdade. Não mesmo! (risos) Quando o autor disse em entrevista ao blog da Novo Conceito que "essa história do Príncipe da Noite não tem igual nem na literatura, tampouco no cinema" eu realmente não esperava algo assim. Por mais admiração que eu tenha por conta de tudo que Germano criou, ao pensar que aquele é realmente o fim, sinto como se algo tivesse faltando e eu terminasse a leitura exatamente como comecei: cheia de dúvidas e ansiosa para obter respostas. Eu realmente espero que o autor diga que há uma sequência e que minhas dúvidas terão as devidas respostas.

Eu adorei essa capa desde a primeira vez que vi. Já na capa podemos perceber o mistério presente e ficamos ansiosos para conhecer o conteúdo do livro. A diagramação do livro é simples, com uma "tarja" personalizada no número de cada capítulo e também no rodapé ao mencionar o nome da obra, além de a numeração das páginas está localizada no meio da lateral das mesmas. As folhas amareladas, fonte de ótimo tamanho e capítulos curtos ajudam ainda mais para que a leitura seja fluída.

Gemano Pereira nos impressiona com sua estória já nas primeiras páginas, e nos apresenta a um thriller psicológico que nos mostra que você pode até ajudar outras pessoas com seus problemas (psicológicos ou não), mas quem tem um grande problema pode ser você. O autor faz com que o leitor se sinta um verdadeiro investigador, e nos surpreende tanto com o final, que o leitor sente como se faltassem páginas. Como Germano havia prometido, é realmente um livro inovador.

RESENHA ORIGINAL EM: http://www.magialiteraria.net/2014/01/resenha-o-principe-da-noite-germano.html
comentários(0)comente



Scheila 08/04/2014

Adorei! Fala muito bem a busca nas ruas, do predador, o serial killer do sexo, denominado o Príncipe da Noite. A capa é sinistra, tal qual é a situação das personalidades múltiplas , jogou bem o assunto abordado.


As letras são de excelente tamanho (mais para grandes, como adoro) e as 366 páginas são bem distribuídas e posicionadas. Ah! Se todo livro fosse assim! ;)

Escrita - o desenrolar

Germano Pereira é fantástico como escritor. Domina de maneira brilhante, as palavras. Sabe usá-las para impactar e sabe usá-las corretamente. Os termos psicanalíticos, misturados à Mitologia Greco-romana, me dão total ciência da capacidade de Germano e também de suas pesquisas para fazer o livro e, ao mesmo tempo, louco, diferente. Uma proposta que beira a surrealidade (não fosse a seriedade do assunto).

A história em si:

Gabriel é um psicanalista brasileiro que vive em Londres.

De um modo geral, psicanalista são mostrados como heróis a serem invejados, mas Germano diferenciou e melhorou a perspectiva. Ele mostra todos os receios, desse homem que conversa com todo o tipo de pessoas e que procura a solução nas entrelinhas das conversas. Mostra quão cansativo é ter que lidar com problemas como profissão e mostra o medo de ser morto por algum paciente que faça uma possível projeção de suas psicoses, enfim... mostra o humano. Amei esse ponto.

A história já começa com um dos pacientes que eu achei muuuito perturbado e na sequência, nos apresenta o Príncipe da Noite. Sua personalidade sedutora e que o coloca em várias "frias".

O que achei interessante é que, de um modo geral, a personalidade múltipla pertence ao campo de estudo dos problemas da dissociação da consciência. É uma patologia da personalidade que se encontra fragmentada em duas ou mais personalidades, que são distintas e que possuem controle total do comportamento do sujeito. Mas por vezes, Gabriel mistura-se demais ao Príncipe... vê o que ele faz, como se estivesse fora do corpo, retorna ao corpo e retoma por hora o controle, lembra-se parcialmente das coisas quando o Príncipe sai de cena e, tudo isso, no meu ponto de vista, deixou a história confusa em vários momentos.
O livro em si é ótimo porque te prende no mistério e na historia , e é muito exitante na minha opinião , não é exagerado nem forçado e sim aprofundado , vale a pena conferir .

site: http://www.guardiadameianoite.com.br/2014/04/resenha-do-leitor-principe-da-noite.html
Telma 26/09/2014minha estante
Resenha original:

http://www.skoob.com.br/estante/resenha/37522872

Por que o plágio?




Vanessa Sueroz 11/04/2014

Neste livro iremos conhecer Gabriel, um psicanalista que tem dupla personalidade, um é um homem equilibrado, psicanalista, e que atende seus pacientes e tenta ajudar pessoas com problemas, o outro é Gabriel o Príncipe da Noite, um homem capaz de tudo para ter uma mulher ao seu lado.

Gabriel muitas vezes acorda ao lado de mulheres estranhas e algumas vezes não se lembra de nada que houve de noite, em outras tem alguns fleches. Gabriel morre de medo de ter um relacionamento normal com uma mulher, pois o príncipe da noite pode atacar a qualquer momento, sem contar que cada mulher que o príncipe estraçalha o coração recorre a Gabriel para ter um relacionamento.

Como se não bastasse de problemas Gabriel tem um passado complicado no Brasil e esconde o verdadeiro motivo para que ele tenha ido morar em Londres e as coisas ficam piores quando seu passado resolve aparecer.

Resenha completa:

site: http://blog.vanessasueroz.com.br/principe-da-noite/
comentários(0)comente



Aline Prates 15/04/2014

Nessa história vamos conhecer Gabriel, um psicanailsta que sofre de distúrbio de dupla personalidade (irônico, não?).
Gabriel é um homem gentil e tímido, que tenta levar a vida de forma tranquila e normal. Porém o seu outro "eu", O Príncipe da Noite, é alguém destemido, que age por instinto, deixando fluir o que há de mais primitivo. Ele tem grande obsessão por atrair belas mulheres para a cama e costuma colecionar os sapatos das vítimas com sangue.

Sempre que o Príncipe da Noite assume, Gabriel se sente como se estivesse possuído, embora consciente, ele não consegue controlar suas ações, nem seu corpo e no outro dia não consegue se lembrar dos fatos. Gabriel precisa tentar lutar contra o seu outro "eu", uma personalidade dominadora.

Esse foi um livro muito interessante, a princípio pensei que seria um romance hot, mas na verdade é um thriller psicológico, muito bem elaborado, que vai deixar o leitor impressionado.

A trama, embora complexa, é envolvente e original, o autor soube criar uma atmosfera perturbadora e assim provocar diversos sentimentos no leitor, um misto de euforia e ansiedade.
Com uma escrita ágil e fluida Germano Pereira deixa o leitor grudado nas páginas, em meio a descobertas e revelações surpreendentes é impossível parar de ler.

A narrativa é em primeira pessoa, o que faz o leitor acompanhar os conflitos internos do protagonista e ser absorvido por todo o mistério desenvolvido na trama.

Um livro com uma história única e inovadora. Acredite, você nunca vai conseguir esquecer O Príncipe da Noite!


site: http://alinenerd.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Fun's Hunter 17/04/2014

Príncipe da Noite
Ninguém nunca conviveu tanto com a expressão “monstro interior”, quanto o personagem dessa história. Gabriel, psicanalista, uma pessoa comum, com comportamento social inquestionável, exceto quando ELE surge.

O livro traz o drama vivido por Gabriel. Um cara “gente boa”, com boa índole, com bons valores e inquestionável caráter. Porém, existe uma segunda personalidade vivendo dentro dele. Esta, o seu oposto, faz com que realize coisas inimagináveis para ele, principalmente tratando-se de mulheres.
Apesar de em vários momentos o autor chamar o Príncipe da Noite, segunda personalidade de Gabriel, como serial killer do sexo, o livro não apresenta em momento algum passagens impróprias, o que o torna passível de leitura para qualquer idade.

O drama da história fica por conta das atitudes que essa outra personalidade do protagonista realiza. Gabriel, em certo momento, percebe que não possui controle nenhum sobre si, até mesmo as lembranças das noitadas do Príncipe são apagadas de sua memória, ficando apenas relances, os quais ele lhe permite lembrar.
Tudo fica pior quando fatos estranhos, bom, mais estranhos ainda começam acontecer. Objetos aparecem em sua residência sem que ele saiba da sua origem, entre outras coisas...

O Príncipe da Noite é um Drácula que suga meu ser, meu sangue e o de todos que passam por ele, mesmo que eu não saiba. É assustador. Do que mais o Príncipe seria capaz? Tenho medo de mim mesmo.
Página 338

A história tem uma base muito boa, achei interessantíssimo o fato de um psicanalista ter essa vida tão conturbada, porém, o desenrolar da história não me foi muito agradável. Respeito muito o autor, porém, achei a história meio monótona e em alguns momentos repetitiva demais. Com acontecimentos idênticos e até mesmo óbvios.

Ao caminhar para o final, a história ganha ares de suspense e as coisas começam a ficar mais atraentes. O Príncipe da Noite mostra toda sua perversidade, deixando de ser apenas um maníaco por sexo.
Para o desfecho da história, apenas digo que o autor coloca a imaginação do leitor para funcionar. Quem gosta de histórias que fazem imaginar possibilidades, vai gostar de como a mesma fora finalizada.


Confesso que criei uma expectativa muito grande para ler esse livro e, talvez devido a isso, não tenha achado tão bom. A capa é perfeita! Gosto dessas imagens que geram um certo suspense e nos levam a imaginar uma ótima história. Parabenizo a editora pelo trabalho de diagramação, pois nesse quesito o livro é impecável.

Boa leitura e até a próxima!

site: http://www.funshunter.com/2014/03/ResenhaPrincipeDaNoite.html
comentários(0)comente



Leandro Raupp 26/07/2014

Aquele livro que você começa a ler e não sossega até acabar.
Marta 14/11/2014minha estante
Que ótimo Leandro!




PorEssasPáginas 19/10/2014

Resenha: O Príncipe da Noite - Por Essas Páginas
Devo confessar que não botava muita fé neste livro de Germano Pereira. Pela sinopse deduzi ser apenas mais um romance erótico, talvez com um pouco de suspense, mais um em um mar de muitos. Mas fui deliciosamente surpreendido, o Príncipe da Noite envolve e surpreende, mas como todo ser humano tem suas falhas também.

Acompanhamos a história de Gabriel, atormentado pelo Príncipe da Noite, um distúrbio de personalidade que, inicialmente, desconfiamos se não se trata de uma desculpa conveniente criada por um psicanalista mulherengo. No entanto, conforme a história progride, percebemos que não nada é tão simples assim.

Além de lidar com as desventuras amorosas do príncipe, Gabriel tem de lidar com os pecados de seu passado que estão atormentando seu presente (pecados esses não de todo culpa do seu alter ego), um psicopata que o persegue, lapsos constantes e cada vez maiores de memória e sua impotência em controlar o príncipe e os rumos de sua vida amorosa.

Apesar de termos muitas mulheres nesse livro, as que merecem maior destaque são Rachel, um ex-caso de Gabriel que volta a atormentá-lo com os erros de seu passado, Chloé, amiga dele e a namorada ideal que gostaria de ter, Sophie uma companheira de trabalho e curiosíssima pelo Príncipe da Noite e Hillary a psicanalista de Gabriel. Antes que você pergunte: sim ele fica com todas elas. Mas é muito interessante acompanhar cada conquista por não sabermos se quem conquistará ou conquistou é Gabriel ou o Príncipe, o autor soube se renovar a cada nova mulher na vida do personagem.

A trama segue um círculo essencialmente composto de:

Gabriel/Príncipe encontra garota;
Príncipe conquista a garota;
Gabriel quer ter um relacionamento;
Príncipe conquista outra garota;
Gabriel perde suas chances e entra em depressão (onde depressão = divagações do personagem);
Rachel volta a atormentá-lo;
Por vezes esse círculo é cansativo e quando finalmente saímos dele e temos um sopro de evolução na trama, como quando Gabriel tenta lutar contra seu alter ego ou quando é perseguido pelo psicopata, somos puxados para esse rodamoinho novamente. É frustrante e muitas dessas partes poderiam ser resumidas para que o livro não se tornasse tão repetitivo. Apesar disso quando temos a evolução da trama o livro muda completamente e envolve muito. Entendo essas repetições mais como falha de edição do que do autor em si.

Outro item que pode ser um caso de amor e ódio para muitos leitores é o fato de Gabriel ser um psicanalista. Mas o que isso importa? você me pergunta pequeno gafanhoto, é o fato de ele ser muito, mas muito pensativo e vir com teorias malucas sobre a vida, mulheres, sexo entre outras divagações infinitas. Algumas me agradaram (talvez por estar assistindo Hannibal atualmente), outras poderiam ser totalmente excluídas.

Leitura recomendada para quem curte um bom suspense, mas principalmente, para os homens. Creio que as mulheres vão ficar enjoadas rapidamente das escapadas do Príncipe, por que apesar de ele ser bom em números, falta sensualidade.

Livro gentilmente cedido em parceria para resenha pela Editora Novo Conceito.

site: http://poressaspaginas.com/resenha-principe-da-noite
comentários(0)comente



Poesia na Alma 14/12/2014

Resenha – Príncipe da noite
Em Príncipe da noite, Germano Pereira, 366 páginas, Novas páginas; encontraremos uma história peculiar e intrigante. O psicanalista Gabriel, que sempre acorda com uma mulher diferente ao seu lado, vive em Londres e parece levar uma vida normal, visto que aparentemente ele segue padrões sociais para estabelecer uma ‘normalidade’. Porém, sua máscara, à noite, não consegue se sustentar. É quando nasce: o Príncipe da noite.
À noite, Gabriel se torna num ‘quase vampiro’, não no sentido literal da palavra. Ele é forte. Seguro. Caçador. Visceral. Perturbado. Destoando do Gabriel ‘norma’. Durante o dia, ele é um simples homem desmemoriado. Sem a mínima noção de como passou a noite e o motivo de ter uma nova mulher em sua cama.
Fez-me lembrar do filme O Máscara. Ou das máscaras do Jacob Levy Moreno, que se inspirava na catarse e representante do psicodrama. O Príncipe da noite é uma fuga violenta de Gabriel ao ‘normalismo’ das convenções sociais. Capaz de reger uma orquestra de todas as outras máscaras que Gabriel usa quando está ‘sóbrio’.
O Príncipe da noite nasce da sombra; do inconsciente; instintivo; visceral. E, por mais louco que pareça, humanizando Gabriel.
''Estou bem cansado. Penso em não sair de casa, descansar, já que cheguei de viagem e li aquela carta, que me desgastou, mas sinto que o príncipe não me deixará livre esta noite. Ele nos força a sair! A luta interminável dentro de mim, este horizonte que divide nossas personalidades. Não posso dizer que o Príncipe seja meu eu, a pesar de, às vezes, me identificar com seus pensamentos e suas ações, de suas intenções que fazem parte de meus impulsos reprimidos.''
Esse distúrbio, na visão do psicanalista, não necessita de tratamento. Fazendo-me recorrer ao mito de Quíron. E é muito comum o cuidador não se cuidar. Trocando em miúdos: “Casa de ferreiro, espeto de pau.”
O autor brincou com vários arquétipos da mitologia e com as necessidades humanas tão reprimidas. Do sexo ao selvagem, a construção de Gabriel pode até revoltar alguns, mas não deixa de ser um grito de liberdade por quebra de paradigmas sociais e existenciais.
"Distante e do lado oposto ao terreno sepulcral encontra-se o Príncipe, soldado do afeto, serial killer do sexo que, apesar de ofuscado pelos acontecimentos tortuosos da vida, direciona-se guiado sempre pelo brilho da luz do amor."
As mulheres que o Príncipe seduz durante a noite, como objetos de um desejo insano e inconsciente, só reforça o ideário de ruptura de convenções sociais. O sexo descompromissado é uma necessidade gritante do ser humano. Romper com as relações românticas/cristãs/idealizadas é tão urgente, que Gabriel prefere não destruir sua dupla identidade.
comentários(0)comente



Sheila 26/01/2015

Resenha: "Príncipe da Noite" (Germano Pereira)
Por Sheila: Oi pessoas! Como estão? Devo confessar que esta é a resenha mais atrasada de todos os tempos! Talvez por que eu tenha ficado muito ambivalente ao ler a história construída por Germano Pereira...

Vou postar para vocês a sinopse do livro, e depois sigo para os comentários sobre o que achei do livro ok?

Toda manhã, o psicanalista Gabriel se surpreende ao acordar: sempre encontra uma mulher diferente dormindo ao seu lado. Ele nunca se lembra do seu nome, nem da maneira como a conheceu. A única coisa que resta de suas aventuras noturnas é um lapso de memória. Mas esta noite tudo se repetirá: quando cruzar com uma bela mulher, na noite seguinte, perderá o controle de quem é, porque o seu outro “;eu”; é capaz de tudo para satisfazer seus desejos mais primitivos.
Mantendo esse segredo somente para si, Gabriel leva uma vida aparentemente normal na grande Londres, ouvindo diariamente os problemas de seus pacientes, enquanto tenta fugir das loucuras de sua ex-namorada. Mas nada é verdadeiramente normal para um homem que pode ser controlado pelo Príncipe da Noite...

Bem vamos lá. Do que eu gostei no livro: há muito suspense. Como ele é narrado em primeira pessoa, vamos acompanhar Gabriel em suas divagações pós perda de controle promovida por sua segunda personalidade, o Príncipe da Noite e, assim como Gabriel não sabe dizer muito bem o que aconteceu e como foi parar em determinado lugar, também acabamos por não sabê-lo.

Estou no quarto de uma mulher. Não a vejo. Tento imaginar como fui parar la. Fui salvo por uma desconhecida? Não é possível ... Estou mais confuso do que nunca. Olho para o lado. Alguem se aproxima do quarto. Estou assustado. E se um serial killer estiver me aprisionando? Depois de atender pacientes que confundem o processo de transferência e me culpam por suas psicoses, não acho nada impossível.

Do que eu não gostei? Bom, cabe aqui uma explicação. Sou Psicóloga. E talvez por isso não tenha conseguido ficar convencida. Nem com o personagem, nem com a descrição do seu transtorno de personalidade, nem com a forma como o mesmo se utiliza do jargão psicanalítico.

Do ponto de vista da literatura pura e simples, deixando de lado estas questões técnicas, parece que a confusão de Gabriel sobre quem ele era deixou a própria escrita do livro confusa. Se em algum momento tudo fosse explicado, quase como aqueles filmes que voltam atrás e recontam algumas cenas ... mas não. Também esperava mais do final.

Como sempre faço quando tenho alguma questão com o livro, fui em busca de outras resenhas, que tiveram posições semelhantes, principalmente em relação ao final. Mas algumas blogueiras levantaram a hipótese de uma continuação então ... talvez neste segundo volume as questões sejam explicadas.

Ficarei no aguardo! Alguém mais leu? Comentem! Abraços e até a próxima

site: http://www.dear-book.net/2015/01/resenha-principe-da-noite-germano.html
claudemir.bernardes 27/01/2015minha estante
detestei o fim do livro da uma sensação de nao ter um final alias não teve


Danielle 01/12/2015minha estante
odiei esse final, o autor enrolou tanto pra nem terminar a história.




Cláudia 18/05/2015

Resenha - Príncipe da Noite
Eita, Carol!!!
Foi exatamente isso que falei quado acabei de ler esse livro.
É um assunto delicado e eu, como psicanalista me vejo numa sinuca de bico.
O livro "Príncipe da Noite", de Germano Pereira, Selo Novas Páginas/Editora Novo Conceito, conta a história do psicanalista Gabriel, que desenvolve duas personalidades completamente diferentes.
De um lado, o psicanalista, que tem uma vida comum, com os problemas profissionais e amorosos do dia a dia. De outro lado, o Príncipe da Noite, um homem selvagem e livre, com uma vida que muitos sonham conquistar. Liberal, conquistador e egocêntrico, ele faz de tudo para levar a "próxima vítima" para a cama.
Mas o Príncipe da Noite não é somente um "homem do mundo" e o psicanalista Gabriel sabe muito bem disso... O comportamento obsessivo de colecionar os sapatos das mulheres com quem se relacionou e as manchas de sangue no quarto denunciam que a situação é muito mais complexa do que se poderia imaginar. Cabe a Gabriel, a mente lúcida entre os dois, cuidar para que uma imensa tragédia seja evitada.
A história como um todo, visto de um ponto de vista geral, é boa. Porém houve vários momentos que achei que o autor estava girando em torno do óbvio. Por diversas vezes o enredo ficou cansativo demais e previsível; arrastando a história. Nesses momentos precisei de uma pausa razoável para descanso. Com um assunto dessa dimensão nas mãos (dupla personalidade) dava para ser mais dinâmico e eficaz.
Do ponto de vista da leitora achei que a história foi boa, mas esperava mais, muito mais!!!Em vários momentos me arrastei para acabar o capítulo.
Do ponto de vista profissional, as coisa diferem um pouco. Não sou especialista em personalidades duplas, também conhecida como Transtorno Dissociativo de Personalidade ou Transtorno de Múltiplas Personalidades. O tema é bem interessante, mas muitos especialistas diferem quanto esse transtorno. Sei que existiram uns poucos casos (76 casos em 1944). A dissociação é reconhecida como uma reação sintomática em resposta a um trauma, estresse emocional extremo. Geralmente são considerados como uma sub-sintomatologia dinâmica, sendo mais frequente tidos como diagnóstico auxiliar, ao invés de primário.
Mas mesmo assim não deixa de ser um tema apaixonante para aqueles que amam assuntos que incorporam além do corpo, a mente. Acho só que faltou um pouco mais de dinamismo para que a história criasse vida própria.

Um abraço.
Cláudia Trigo

site: http://umolhardeestrangeiro.blogspot.com.br/2015/05/resenha-principe-da-noite.html
comentários(0)comente



Dgl 27/09/2015

Bom
Gabriel é um Psicanalista,com uma vida tranquila todos os dias atende seus pacientes em seu consultório e no hospital onde trabalha,mas com o passar dos dias Gabriel começa a perceber que não lembra de algumas partes do seu dia.Principalmente de como toda noite acorda com um a mulher diferente em sua cama... Aos poucos ele vai percebendo que na verdade ele tem uma dupla personalidade e que quando o seu outro eu , esta no comando ele não consegue se lembrar de muitas coisas,apenas alguns flashes dessa parte de sua vida.Gabriel então começa e tentar entender o que se passa em sua vida quando o Príncipe da noite esta no comando, no meio de confusões com uma ex amante ,uma ex namorada, uma amiga que esta com câncer e as várias mulheres que aparecem em sua cama todas as manhãs,Gabriel pede ajuda de sua amiga e psicanalista Hillary.E ai começa a verdadeira batalha de Gabriel para descobrir a verdade sobre sua própria vida, para completar sua história sua amiga que esta com câncer é assassinada por um Serial Killer , que tem fetiche por sapatos... E agora Gabriel tentará descobrir o que o Príncipe da noite esta escondendo....
O livro para mim foi muito bem escrito,me prendeu, o enredo é vasto ,com várias pontas soltas,desde suspense, chantagem,dupla identidade,Assassino em série,fetiche ,lapsos de memória ,uma ex amante que nunca deixou de tentar ter um relacionamento com ele... quando foi chegando nas ultimas páginas você já vai tendo uma noção de como sera o desfecho do livro,recomendo o livro.

site: http://reinoliterariobr.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



19 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2


Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR