Beleza Perdida

Beleza Perdida Amy Harmon




Resenhas - Making Faces


571 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Caroline 13/08/2014

Inspirador
Nunca julgue um livro pela capa, quantas vezes você não já ouviu isso? Making Faces definitivamente não deve ser julgado pelo forte garoto que exibe seus músculos na capa, até porque ele nem sequer aparece sem camisa na estória. Achei a escolha um pouco apelativa e contraditória, já que se trata de uma estória com mensagens cristãs.

Making Faces se passa em uma pequena cidade chamada Hanna Lake, de onde cinco melhores amigos partem para a guerra no Iraque, mas só um deles retorna. Fern Taylor é uma garota comum, sonhadora, que adora ler - e escrever - romances. De um coração grandioso, ela está sempre ao lado de seu primo, Bailey, que é portador da Distrofia de Duchenne e só se movimenta com a ajuda de uma cadeira de rodas. Mas Fern não se acha à altura de Ambrose Young, o tal garoto da capa, bonito, alto, forte, um dos melhores atletas do time de luta (wrestling) da escola, invencível, imbatível, apaixonável... até que ele volta da guerra cheio de marcas e cicatrizes por dentro e por fora.

Esse livro foi me surpreendendo. Pensei que seria focado em um amor separado pela guerra ou que seria sobre a guerra em si, e estava errada. Quando eu pensava que a autora deveria ter abordado com mais profundidade isso ou aquilo, logo ela me mostrava claramente que sua intenção era outra.

Tudo parece se encaixar no tempo certo, apesar do ritmo lento. A narrativa é feita em terceira pessoa (que saudades eu estava disso!) e vai e volta no tempo, com memórias pertinentes, que se enquadram bem e enriquecem a estória. Os personagens, mesmo os secundários, tem sua importância e são muito bem desenvolvidos, e esse, talvez, seja o ponto alto do livro. Não há nada solto em suas personalidades, e mesmo o humor - na maioria das vezes, negro - de Bailey é bem feito.

O pai de Fern é o pastor da igreja da cidade e isso dá brechas para inspiradoras mensagens de fé e de reflexões sobre os planos de Deus, sem que pareça que se está falando de religião (ou muito menos que queira converter alguém).

A autora parece ter muita segurança no que escreve, seja sobre a distrofia e as deficiências de Bailey, seja pelas cicatrizes de guerra de Ambrose ou pelo caráter de Fern. Perguntei-me por diversas vezes se existiria na vida real algum portador de Duchenne tão bem humorado, tão feliz e bondoso quanto Bailey, que me fez rir, me divertiu e me deu boas lições de vida. A autora não parecia ter escrito nada às escuras ou sem embasamento, o que confirmei ao ler seus agradecimentos no término do livro. Neles vemos que cada personagem foi inspirado em alguém muito próximo a ela.

Eu preparara as lágrimas para um livro triste, mas me vi cercada de esperança e ensinamentos, mesmo que algumas partes tenham sido extremamente dolorosas. É uma estória tão crível que mais parece uma biografia, você se vê dentro dela, se emociona e sofre como se conhecesse todos ali e morasse naquela cidade. É uma estória que fala de superação, de vitórias e derrotas, de generosidade e altruísmo. Fala, sobretudo, de grandes perdas, de todo tipo de perda. Fala de amizade e de amor, de um amor puro, genuíno, sem máscaras; fala especialmente da verdadeira beleza, da que realmente importa, daquela que carregamos dentro de nós e que só quem nos ama consegue enxergar.

Mesmo diante de tantas tragédias, o livro não é apelativo, mas, sim, completamente inspirador! Uma lição de vida - ou melhor, várias lições de vida. Lindo, lindo, lindo! Recomendo, sem dúvidas.



Renata CCS 11/07/2014minha estante
Engraçado como a capas e títulos nos enganam, não é?
Ótima resenha! Mais que esclarecedora.


Caroline 11/07/2014minha estante
Obg, Renata! Essa capa vai enganar muita gente, e afastar outras tantas, o que é uma pena, pois a história é muito bonita! Bjs


Camila Alves 28/09/2014minha estante
Concordo com tudo que escreveu. A autora conseguiu unir alguns clichês sem que isso fosse para o lado negativo nunca. Passa uma bela lição de vida. É uma realidade.


Daniele 03/10/2014minha estante
Estou na metade do livro, esta capa é um absurdo, nada em comum com o livro, assim deve ter chamado a atenção de quem queria lutadores exalando sexo e decepcionou e afastou quem gosta de um livro bem escrito. Amigas me indicaram senão eu nunca iria ler...


Caroline 05/10/2014minha estante
Pois é, meninas, essa capa não tem nada a ver com a história. Também li por recomendação de uma amiga ;)
É uma linda história!


Renata 27/11/2014minha estante
Caroline,
Eu normalmente não comento ou faço resenhas, mas acabei de ler esse livro e lendo agora a sua resenha percebo que nos sentimos da mesma forma.
O livro é engraçado, inspirador, passa a mensagem de esperança, de que todos somos lutadores e que não passamos pela vida sendo menos ou igual aos outros, apenas sendo nós mesmos, eu amei o livro do começo ao fim.
E você esta certa as pessoas julgam o livro pela capa, e acho que essa é a principal mensagem do livro, desde o princípio mostrando que precisamos ir além da aparência para realmente conhecermos uma pessoa, por que, o que define a beleza é como somos por dentro, acho a capa inspiradora também, ainda bem que consegui enxergar além dela, assim tendo a oportunidade de ler um livro maravilhoso.


Yasmin 28/04/2015minha estante
Vou ler por causa da sua resenha =)


Lua 20/05/2015minha estante
Realmente a capa original não teve nada a ver com a história, mas graças a Deus a Verus Editora arrasou na capa. O que me chamou atenção para o livro foi realmente a capa brasileira, fui ler a sinopse e pensei "eu tenho que ler esse livro", me encantei pela história e se tornou u dos meus livros favoritos. Quem for ler eu sugiro muito lencinhos.


Caroline 27/05/2015minha estante
Verdade, Luuh, a Verus fez uma capa bem superior :))


Vitor 22/06/2015minha estante
Engraçado, eu não vi nada de erótico na capa americana! Pelo contrario, o fato dele estar encolhido e sem camisa, me passa a impressão de temeroso, desprotegido, fraco, nem de longe me passou a impressão sensual de um "garoto forte, musculoso, etc.." a série Rockstar, sim passa essa imagem!
Eu nunca leio um livro pela capa. Mas pela historia. Única capa de livro que eu detesto, é Dançando sobre cacos de vidro, a versão brasileira simplesmente contou o final do livro na capa. ¬¬


Hell 07/07/2015minha estante
Ótima resenha, através dela meu interesse em ler o livro só aumentou.


Jacqueline 28/07/2015minha estante
Me encantei também pelo livro. Achei ele uma leitura leve e ao mesmo tempo tão intenso. Um aprendizado atrás do outro...


Paula Gorgatte 12/08/2015minha estante
Adorei a resenha, e adorei o livro, me surpreendi bastante. Leitura empolgante e angustiante. Tb estava com saudade de livros em narrativa.


Cris 29/08/2016minha estante
A história é simplesmente perfeita.. uma das melhores leituras que fiz em 2015. Sou apaixonada por ele.


Talita 18/10/2016minha estante
Ótima resenha! Aumentou minha vontade de ler o livro.


Nalice 17/08/2020minha estante
Ótima resenha! Vou começar a leitura agora mesmo




Paraíso dos Livros 20/07/2020

Resenha | Beleza Perdida - Amy Harmon


Beleza perdida é um livro que já estava há muito tempo na minha estante e depois de algumas tentativas de leitura não concluídas, este ano (2020) eu coloquei o livro novamente na minha meta literária e fiquei muito feliz por enfim finalizá-lo. O livro mostra a importância das relações verdadeiras e da beleza interior através de três personagens marcantes: Ambrose Young e dos primos Fern e Bailey.

Após os acontecimentos de 11 de Setembro, o popular Ambrose Young, que está no último ano do ensino médio e também é campeão de luta livre, decide se alistar no exército. Ambrose é um jovem que se destaca por sua beleza e determinação. Mas, ninguém imagina que ele se sente pressionado dentro de sua realidade, aonde muitos o tem como exemplo e o vê como um verdadeiro herói, o apelidado de Hércules.

Por outro lado, uma das suas admiradoras secretas Fern, que alimenta um amor platônico por ele desde sua infância, algo que apenas Bailey (filho do treinador de Ambrose) tem conhecimento, é uma garota inteligente, uma excelente escritora, amorosa, sempre disposta a ajudar quem precisa, principalmente Bailey que possui distrofia muscular de Duchene, o que o limita fisicamente. Mas por ser considerada feia pela maioria dos rapares de sua escola e constantemente criticada, ela se torna alguém insegura, tendo medo de assumir seus sentimentos. Então quando Rita pede sua ajuda para conquistar Ambrose, Fern se passa pela amiga e começa a trocar cartas com o rapaz. Ele logo descobre a farsa, e fica confuso em relação aos seus sentimentos por conta da situação inesperada e por se sentir atraído pela jovem das cartas.

Antes de seguir sua jornada, Ambrose pede aos seus quatro melhores amigos Connor, Paul, Grant e Jesse que o acompanhe e juntos eles seguem para a guerra do Iraque. Após um acidente fatal, Ambrose perde sua estabilidade, e o ocorrido mostra para ele que fatos inesperados podem mudar o rumo história. Ao retornar para sua cidade, Ambrose começa a ver a vida de uma forma diferente e um grande amor o faz enfrentar todos os obstáculos.

Beleza perdida é um livro emocionante, profundo que faz refletir sobre várias coisas e vale muito a pena ser lido, porque ele mostra através dos seus personagens a importância do valor das pequenas coisas, de viver intensamente os momentos, aproveitando o presente enquanto você pode ter uma pessoa ao seu lado, seja no amor, na amizade ou em família. A autora descreve muito bem as diferentes formas de beleza, como cada pessoas criar seus próprios significados para belo e como isso acaba influenciando na vida de cada um.

Eu gostei como o livro consegue transmitir meus momentos angustiantes, a verdade nos fatos apresentados, da construção dos personagens, do sentimento de amizade e lealdade que predomina na história, da forma como o Bailey (que, com certeza, é o meu personagem favorito) ver a vida sem criar obstáculos, mesmo que tudo possa fazê-lo seguir em outra direção, sendo pessimista, ele acreditar no melhor e sua força é incrível e motivadora na narrativa. Esse é um daqueles livros que faz você sair por alguns momentos da ficção lida e faz você imaginar como seria as cenas fora de suas páginas, sentindo o peso das palavras que fazem parte dele. Eu me arrependi de não ter lido esse livro antes, pois ele já está na minha lista de favoritos desse ano (2020). #Recomendo
comentários(0)comente



Karina 30/04/2020

Resenha | Beleza Perdida - Amy Harmon

Beleza perdida é um livro que já estava há muito tempo na minha estante e depois de algumas tentativas de leitura não concluídas, este ano (2020) eu coloquei o livro novamente na minha meta literária e fiquei muito feliz por enfim finalizá-lo. O livro mostra a importância das relações verdadeiras e da beleza interior através de três personagens marcantes: Ambrose Young e dos primos Fern e Bailey.

Após os acontecimentos de 11 de Setembro, o popular Ambrose Young, que está no último ano do ensino médio e também é campeão de luta livre, decide se alistar no exército. Ambrose é um jovem que se destaca por sua beleza e determinação. Mas, ninguém imagina que ele se sente pressionado dentro de sua realidade, aonde muitos o tem como exemplo e o vê como um verdadeiro herói, o apelidado de Hércules.

Por outro lado, uma das suas admiradoras secretas Fern, que alimenta um amor platônico por ele desde sua infância, algo que apenas Bailey (filho do treinador de Ambrose) tem conhecimento, é uma garota inteligente, uma excelente escritora, amorosa, sempre disposta a ajudar quem precisa, principalmente Bailey que possui distrofia muscular de Duchene, o que o limita fisicamente. Mas por ser considerada feia pela maioria dos rapares de sua escola e constantemente criticada, ela se torna alguém insegura, tendo medo de assumir seus sentimentos. Então quando Rita pede sua ajuda para conquistar Ambrose, Fern se passa pela amiga e começa a trocar cartas com o rapaz. Ele logo descobre a farsa, e fica confuso em relação aos seus sentimentos por conta da situação inesperada e por se sentir atraído pela jovem das cartas.

Antes de seguir sua jornada, Ambrose pede aos seus quatro melhores amigos Connor, Paul, Grant e Jesse que o acompanhe e juntos eles seguem para a guerra do Iraque. Após um acidente fatal, Ambrose perde sua estabilidade, e o ocorrido mostra para ele que fatos inesperados podem mudar o rumo história. Ao retornar para sua cidade, Ambrose começa a ver a vida de uma forma diferente e um grande amor o faz enfrentar todos os obstáculos.

Beleza perdida é um livro emocionante, profundo que faz refletir sobre várias coisas e vale muito a pena ser lido, porque ele mostra através dos seus personagens a importância do valor das pequenas coisas, de viver intensamente os momentos, aproveitando o presente enquanto você pode ter uma pessoa ao seu lado, seja no amor, na amizade ou em família. A autora descreve muito bem as diferentes formas de beleza, como cada pessoas criar seus próprios significados para belo e como isso acaba influenciando na vida de cada um.

Eu gostei como o livro consegue transmitir meus momentos angustiantes, a verdade nos fatos apresentados, da construção dos personagens, do sentimento de amizade e lealdade que predomina na história, da forma como o Bailey (que, com certeza, é o meu personagem favorito) ver a vida sem criar obstáculos, mesmo que tudo possa fazê-lo seguir em outra direção, sendo pessimista, ele acreditar no melhor e sua força é incrível e motivadora na narrativa. Esse é um daqueles livros que faz você sair por alguns momentos da ficção lida e faz você imaginar como seria as cenas fora de suas páginas, sentindo o peso das palavras que fazem parte dele. Eu me arrependi de não ter lido esse livro antes, pois ele já está na minha lista de favoritos desse ano (2020). #Recomendo
comentários(0)comente



Maria Beatriz 03/01/2021

Esse foi um livro que me surpreendeu, estava esperando uma história quase que clichê, mas não foi nada disso ,a história contada trata de varios assuntos importantes, que em alguns momentos me emocionaram e me fizeram pensar.
Mila 03/01/2021minha estante
Eu amo esse livro ?


Juu 03/01/2021minha estante
Acho esse livro perfeito ?




Thalita 14/01/2021

"Porque coisas terríveis acontecem com as pessoas tão boas? Porque coisas terríveis acontecem com todo mundo, Brosey. Ficamos tão violados voltados para os nossos problemas que não vemos a toda merda em que as pessoas estão chafurdando."

Um livro que mostra que o amor, está além da beleza. Deus ensina na Bíblia que o amor está além das aparências físicas e o que importa mesmo, é o que você tem dentro do seu coração. Seu passado, suas ações, suas mágoas e dores, não definem quem você é, mas podem lhe tornar mais fortes, caso você permita.
comentários(0)comente



@liturgialiteraria 02/06/2020

Apenas a beleza exterior foi perdida.
A estória contada, por Any Harmon começa como uma simples história de patinho feio, onde a apagada Fern Taylor, ruiva, magra, alta, sem nenhuma curva sinuosa para chamar a atenção, aparelho para correção dos dentes e óculos para finalizar o look da estudante do último ano do ensino médio. Fern é simplesmente deslumbrada pelo lutador Ambrose Young, garoto lindo, perfeito, forte, alto e carismático, por onde passa as meninas da escola suspiram.
Tem também a amiga Rita que adorava a aparência de Ambrose, e ela sim era linda em seu todo, interior e exterior... Mas, decidiu que queria curtir com Ambrose sem saber do Amor platônico de sua melhor amiga Fern, então a ideia surgiu... Cartas bem escritas de Rita para Ambrose, mas Rita não se dava muito bem com as palavras, então que Fern decide ajudar com as cartas, escreve-las é maravilhoso, ler as cartas de Ambrose mais entusiasmante ainda, até o dia que a incompatibilidade de Rita e Ambrose é identificada por ambos. Como podem se compreenderem tanto por cartas e serem tão diferentes no convívio cara a cara, foi o que pensou Ambrose até ser surpreendido pela explicação de Rita, ao declarar que as cartas eram de Fern... Que confusão de pensamentos e sentimentos... Não pode o rei do colégio se apaixonar pela patinho feio, isso não é certo.
E não foi, Ambrose não admitiu seus sentimentos, decidiu fugir da pressão da sociedade e alistou-se nas forças armadas, levando com ele seus quatro melhores amigos, Beans, Pauline, Grant e Jesse, companheiros de lutas e de sacrifícios, pensaram os cinco que nada seria tão cansativo como os treinos para luta, nada seria ais pesado que os treinos incessantes do treinador Mike Sheen, pai de Bailey, outro personagem marcante dessa estória.
Mas, esse é o marco, da juventude perdida na Guerra, cinco foram para o Iraque e apenas um retornou. Ambrose marcado a ferro pelo sofrimento da guerra, sem visão de um olho, sem audição em um ouvido, sem amor próprio, nem esperança, apenas retornou a pequena cidade de Hannah Lake para sobreviver, se lamentar pela perda da vida dos amigos e se penitênciar por tudo, dedicando toda cculpa ao seu ser.
Nunca mais iria lutar, nunca mais se perdoaria, começou a trabalhar de padeiro, como seu pai, na padaria do mercado. Descobriu a linda Fern, gerente do mercado, ruiva, cabelos revoltos, linda, sorriso perfeito, sem óculos e lindamente adulta, a verdadeira Bela, enquanto ele, aquela Fera horrenda, impossível de ser amada pois era tenebroso demasiado...
Mas, mal sabia ele, que a bela Fern o amava, desde sempre e isso nunca mudaria.
O amor acontece, no mesmo tempo da dor da perda do primo e melhor amigo Bailey,cadeirante com uma doença degenerativa, amava a vida e o amor, amava Rita e desejava poder a proteger de seu marido troglodita, era puro e leal, simples e amigo. Sua morte, precipitada, aos 21, tentando salvar Rita inconsciente do marido Becker e o filho, é perseguido e sem forças se afoga no riacho ao csir da cadeira, mas antes se certifica de o menininho Joshua estar salvo, morre afogado em lama sem poder se mexer. No luto Ambrose decide lutar pela vida, pelo amor é pela aceitação seu eu próprio. Vai para faculdade, participa das lutas, se esforça se se sai bem, mas antes disso, pede Fern em casamento.
Eles se amam incondicionalmente, passaram por tanto sofrimento, aceitaram a si próprios, aprenderam a arte de amar, lembrar dos entes queridos com carinho e aceitar as casualidade da vida.
O importante é perceber que a vida é natural, sofrer no decorrer do percurso é ocasional, ninguém é destinado a sofrer mais que ninguém, mas com certeza é nos dado um fardo digno de nossas forças, por isso, nos conscientizar que podemos vencer as atrocidades que nos são impostas e que somos capazes de vencer e conseguimos ser felizes.
Isso é o mais importante, e essa mensagem é muito bem apresentada nesse lindíssimo conto de amor, fé e aceitação.
Bjus a todos amigos que dedicam seu tempo para ler até o final essa resenha simplória sobre essa estória fabulosa, cheia percausos e limitações impostas e ultrapassadas.
comentários(0)comente



Giu 20/01/2014

Uma lição de vida
Making Faces é o tipo de livro que quando você termina sabe que, por mais que você queira que ele seja só seu, precisa ser espalhado para o mundo. É uma lição de vida e me mostrou, por ter sido uma escolha de leitura bem aleatória, que nada é por acaso: eu realmente precisava me afogar nas palavras da Amy Hardon.
É um livro sobre amor, amizade, perdas e ganhos, de olhar além da superfície e perceber o quanto a nossa alma é maior que nosso corpo físico,é um livro sobre viver, sobre lutar e aproveitar cada segundo e momento, é sobre aprender a voar e ao mesmo tempo perceber que as vezes precisamos de alguém nos segurando para sabermos como voltar para casa, é sobre cuidar de alguém porque fazer o contrário nunca foi uma possibilidade que passou por sua cabeça, é sobre ser um herói apenas sendo você e dando o melhor de si, é sobre cinco amigos, dois primos, um garoto popular que nunca notou aquela garota tímida da escola, um homem que se perde e percebe que pode se achar novamente com a ajuda daquela mesma garota, é sobre pequenos milagres e principalmente aprender que não tem como encontrar a felicidade sem encontrar um pouco de tristeza no caminho.
Você le Making Faces com um sorriso nos lábios, lágrimas escorrendo no rosto, aquela dorzinha no coração e com cada parágrafo que passa percebe o tesouro que têm em mãos. O livro é a perfeita definição da palavra bittersweet e quando acaba deixa seu coração cheio de esperança: nós não estamos aqui por acaso, somos a diferença na vida de alguém e que podemos ser grandes simplesmente sendo quem somos.
Brilhante.
Mara S. 19/05/2015minha estante
Amei sua resenha =)
Já estou morrendo de vontade de ler esse Livro!




Leide.Madalena 23/02/2020

beleza pardida
livro que ganhei de uma amiga, amei a estoria do livros, fala muito do companherismo, das lutas diarias , do recomeço... super recomendo...
comentários(0)comente



Débora 01/06/2020

O amor cura tudo!
Preciso dizer que este livro foi completamente diferente de tudo que imaginei. Já li um outro livro da autora que também favoritei. A escrita dela é envolvente e muito significativa, trás uma carga de sentimento e muitas reflexões. Seus personagens são bem construídos e embasados na trama, e todos tem sua contribuição na obra. Achei doce, forte e extremamente profundo. A beleza em suas formas mais variadas! E não me surpreendo, mas sempre me encanto com a maneira que o amor pode sarar as feridas da alma. Super recomendo!!!!
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Ane 04/09/2020

Lindo, quase perfeito
Tive vontade de reler esse livro no mesmo instante que terminei a leitura. A historia é linda, os personagens são cativantes, a escrita é leve, delicada e tocante, do tipo que nos prende, nos envolve e nos deixa meio anestesiada depois que termina.

No entanto, me deu vontade enorme de reescrever alguns pontos desta história, colocar um pouco mais de profundidade nos motivos que levaram determinado personagem a tomar certa decisão. Queria que suas escolhas fossem por motivos mais fortes, talvez conduzido por um vazio existencial inquietante, tomado por uma sensação de não pertencimento que o puxasse para fora daquela cidade em busca de um sentido maior por sua existência, mesmo que este sentido estivesse escancarado na sua frente.

No mais, é uma história apaixonante e já se encontra no rol dos meu favoritos de todos os tempos.

Ps. Não tem um jeito de fazer essa preciosidade virar série não?
comentários(0)comente



Dani 05/12/2020

Final clichê do jeito que eu gosto. Final meio complicado pq muita gente morre. Um livro ook
comentários(0)comente



Rosi Ramos 08/08/2014

Um soco na cara da vaidade!
Terminei o livro com a sensação que nem tudo está perdido, e que sempre há chance para um recomeço, uma nova perspectiva de vida, um despertar tendo outro ângulo para olhar para o horizonte.
O livro fala de companheirismo, de desprendimento, de doação, de amar sem olhar o exterior, do "que" a mais que cada um de nós tem em nosso interior, mas que somente as almas boas desenvolvem em sua plenitude. Deus nos dá todos os dias a chance de nos reerguermos de nossas pequenas e grandes tragédias diárias, porém nem todos entendem isso e se deixam levar pela vida como balões de ar ao sabor do vento. O livro trata a questão de abrirmos os olhos e a alma pra entender essas pequenas coisas e atitudes que dão sabor, calor e cor a vida. De olhar ao redor e ver que não é só beleza que importa, que a beleza sem o conteúdo não tem valor, não dá sabor, não traz a cor necessária para alegrar e tornar os dias verdadeiros.
A forma como a autora trouxe a baila os problemas passados pelas personagens foi fenomenal. Ela desenvolveu a trama magistralmente tendo como pano de fundo personagem plenos em dramas pessoas: Ambroise, tinha a beleza,o amor de seu pai, respeito de seus amigos e o fervor de toda uma comunidade que o via como um herói lindo do wrestling, porém havia uma cobrança pra que ele sempre fosse o melhor, isso tornava sua vida uma prisão sem grades.
Fern, uma pequena dádiva temporã que veio a vida quando seus pais não pensavam mais em filhos. Com seus cabelos vermelhos e rebeldes, sempre foi o patinho feio, o ser invisível, mas cheio de beleza interior e de bondade.
Bailey, o espirituoso e sincero garoto com distrofia muscular de Dushenne, que só queria lutar por seu direito de viver e ser feliz, o apaixonado pela garota mais bonita; o fervoroso seguidor de um esporte ao qual lhe foi negado a chance de participar por conta de sua doença, mas que mesmo assim não perdeu a alegria e viver e a irreverencia.
Essa tríade de heróis humanos me apresentaram a uma gama de sentimentos e sensações que mesmo depois de ter terminado o livro ainda me põem em check e me enchem com alguns questionamentos.
Amy Harmon conseguiu reunir lindas e citações ao longo do livro que o tornaram uma jóia preciosa e um livro super reflexivo:
...
"Amor não é amor,
Se quando encontra obstáculos se altera,
Ou se vacila no mínimo temor.
Amor é um marco eterno, dominante,
Que encara a tempestade com bravura."
...


Posso dizer que meu coração foi roubado e vencido, confesso que me rendi ao livro!!! Me entreguei sem medo de ser feliz e de chorar.
...
o que sorri roubando rouba algo do ladrão."
...


Pra fechar a resenha tenho que dizer que a Fern fez o papel de redentora dos romances de banca. A pequena ruiva devorava os livrinhos com uma alegria que só a leitura feita com o coração e sem preconceito pode proporcionar. Ela viajava e tinha suas aventuras através dos livros que lia, como todo bom leitor o faz. Achei lindo a Amy ter incorporado isso a trama.
...
Livros permitem que você seja quem você quer ser, para escapar de você mesmo por um tempo."
...

Confesso as passagens bíblicas me fizeram refletir e lembrar de mtos ensinamentos que tive ao longo de minha vida cristã. Isso foi um resgate maravilhoso!!!!! Genial.
Enfim, o livro me tocou e me tomou de uma forma sensacional e sem ser apelativo. Falou dos heróis humanos, cheios de defeitos e dúvidas. Já está em meu ranking dos melhores livros que li até agora.
O livro é perfeito em toda a sua imperfeição. Sensacional e incrível!!!!!
Amei e super recomendooooooo...

Nadja 19/07/2015minha estante
É um livro que nos deixa sem palavras diante de tantas mensagens lindas e profundas!! Amei sua resenha pois ela retratou com perfeição toda a sua imperfeição!!!




Mari Caldeira 07/10/2014

Rir ou chorar?!
Rir e chorar... Foi o que essa linda estória me proporcionou.
Há muito tempo um livro não me emocionava tanto, não me tocava dessa forma. Assim como, não me estimulava a escrever e recomendar, eu só faço isso quando a leitura, realmente, se torna especial.

"Temos fé de que há um propósito. Esperamos pelas coisas que não podemos ver. Acreditamos que há lições na perda, poder no amor, e que temos dentro de nós o potencial de uma beleza tão magnifica que o nosso corpo não pode contê-la".

Não gosto de contar o desenrolar do livro, acho que perde a graça para quem vai ler, apenas faço incentivar ;) Então, por favor, leiam Making Faces'.
comentários(0)comente



571 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |