O Cavaleiro dos Sete Reinos

O Cavaleiro dos Sete Reinos George R. R. Martin




Resenhas - O Cavaleiro dos Sete Reinos


189 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Alessandro 13/02/2014

Um excelente livro, leitura obrigatória para fãs das Crônicas de Gelo e Fogo!
O Cavaleiro dos Sete Reinos (Tales of Dunk and Egg) é uma série de estórias curtas, escritas por George R. R. Martin, ambientadas no mundo do seu ciclo de histórias das Crônicas de Gelo e Fogo. Três estórias foram publicadas até agora, O Cavaleiro Andante (The Hedge Knight), A Espada Juramentada (The Sworn Sword) e O Cavaleiro Misterioso (The Mystery Knight). As estórias relatam as aventuras de Dunk, também conhecido como Sor Duncan o Alto, um lendário membro da guarda real anterior aos eventos da Guerra dos Tronos, e de Egg seu escudeiro que esconde um segredo sobre sua origem. Ambos serão personagens com importante participação na história que precedeu os eventos que iniciam-se na Guerra dos Tronos.
Dunk é um menino pobre da Baixada das Pulgas, em Porto Real, que é retirado da mendicância por um velho cavaleiro andante, Sor Arlan de Centarbor. Após acompanhar Sor Arlan em várias aventuras, com o falecimento do cavaleiro o jovem escudeiro toma sua espada e assim nasce o novo cavaleiro andante, Sor Duncan o Alto, logo no início da primeira estória.
George R.R. Martin nos entrega um livro excepcional, com estórias envolventes, emocionantes e cheias de personagens bem elaborados. Ele já demonstrou interesse em continuar contando a estória do Sor Duncan o Alto e de Egg, e o final de O Cavaleiro Misterioso deixa aberta a possibilidade uma nova estória muito interessante, envolvendo o destino do ovo de dragão que desaparece em uma grande confusão.

Cabe aqui uma crítica à sinopse da editora Leya: A dinastia Targaryen não vive mais o seu auge. Agora todos os dragões já morreram, os membros da dinastia enfrentam grandes problemas como guerra civil causada pelos membros dissidentes (Rebelião Blackfyre), que culminou na batalha do Capim-Vermelho, e agora ameaça retornar com um novo pretendente Blackfyre. Encontrei poucos erros de digitação na versão para Kindle, apenas dois ou três, mas no geral a edição é de excelente qualidade.

Para quem vem acompanhando a Guerra dos Tronos, a leitura desse livro é muito gratificante e prazerosa, recomendo!
mcgi97 26/08/2014minha estante
Também li a versão do Kindle. Encontrei mais que dois erros de digitação, mas nada que atrapalhasse a leitura. O estilo Martin se escrever é evidente, óbvio, mas os contos são muito mais light - até porque contos são bem menos complexos que romances do tamanho das Crônicas. É uma estória diferente da sua irmã mais famosa, mas gostei bastante e não conseguia parar de ler até terminar cada conto.


Marcos.Matos 30/07/2015minha estante
Um dos melhores livros que li... Várias vezes vi nas livrarias os dois primeiros contos separados (HQs), como já tenho o livro com os três contos, queria ter opiniões de se vale a pena comprar as versões HQ.


Renato 28/11/2018minha estante
Alguém sabe se vai ter continuação ?
Achei que essa aventura ia longe.
Martin sempre deixando as coisas pela metade...
Terminei de ler em epub, achei que o arquivo estava corrompido, abri o arquivo no computador pra ver se não tinha mais algumas páginas.




01/05/2014

ATENÇÃO! SPOILERS DE ASOIAF!

Como fã ardorosa de ASOIAF, esse livro era leitura obrigatória para mim. Esse livro é uma compilação de 3 contos sobre Sor Duncan, o Alto, e seu fiel escudeiro Egg, apelido de Aegon Targaryen, e se passa 90 anos antes dos eventos narrados na Guerra dos Tronos, mas ainda tem efeitos nela.

O primeiro conto, O Cavaleiro Andante, conta como Dunk conhece Egg. Após servir Sor Arlan de Centarbor (nota: estranhei muito os nomes em português. Só li AGoT em português, mas faz tanto tempo, que acabei esquecendo. Me acostumei com os nomes de lugares e personagens em inglês) durante muitos nos, quando o velhote morre, Dunk decide tomar seu lugar como cavaleiro andante. Para isso, ele parte em direção ao Torneio de Vaufreixo, onde encontra Egg. Só que Dunk, nascido na Baixada das Pulgas, precisa vencer uma justa para que possa ser nomeado. Acontece que Dunk, com quase 2 metros de altura, é um tanto desengonçado nas listas, e acaba entrando em confusão. No fim, Dunk acaba se tornando cavaleiro, e adotando Egg como seu escudeiro.

O segundo conto, A Espada Juramentada, se passa cerca de um ano depois. Dunk está a serviço de Sor Eustace de Pousoveloz, na Campina. Quando a água de Pousoveloz seca, Dunk descobre que quem está desviando o leito do riacho é a Viúva Vermelha, uma antiga inimiga de Sor Eustace, Dunk vai até ela para investigar, e acaba descobrindo alguns segredos perigosos de seu senhor.

O último conto, O Cavaleiro Misterioso é o mais longo, e Dunk se vê mais uma vez em meio a uma disputa de poder, e descobre que há uma conspiração para matá-lo. E para piorar as coisas, Egg ainda some no meio da confusão.

Dunk ainda é um cavaleiro jovem, de não mais de 20 anos, e bem atrapalhado ainda. Porém, sua fama já começa a ser difundida pelso Sete Reinos. Tem um senso de honra tão grande quanto Ned (só espero que seu fim seja melhor), e tem também um senso de humor fantástico, apesar de parecer bem rabugento. Ele adora se auto-depreciar, e eu acho isso muito engraçado. E mesmo desajeitado, já dá para entender porque ele será o maior Cavaleiro que os Sete Reinos já tiveram (quatro páginas dedicadas a ele no livro da Guarda Real!).

Egg, por outro lado, é um menino de 10/11 anos, vivaz e com um língua afiada. É curioso e teimoso ao extremo (eu posso me identificar), mas ele é bastante maduro para a idade. Algumas das coisas que ele fala são dignas de maesters, dos mais sábios (acho que a sabedoria do irmão Aemon acabou se espalhando para ele).

Mas o que é mais legal neste livro é saber mais da história de Westeros. E, claro, isso acaba abrindo espaço para especulações e teorias :). Aqui eu abro espaço para teorizar, então, spoilers a partir daqui! No caso, o que mais chama atenção é o segundo conto. E por causa de Brynden Rivers, o Corvo de Sangue, Mão do rei. Quem leu sabe que esse Brynden Rivers também responde por Corvo de Três Olhos. Na verdade, o que esse livro fez foi só reforçar que ele não tem boas intenções quanto a Bran. O que exatamente ele quer eu não sei ainda, talvez se apoderar do corpo de Bran, mas que o cara não está ajudando Bran só pra ser bonzinho, isso não mesmo.


Na época desse livro ele era Mão, mas na prática era ele quem realmente governava: "Ele nos governa agora, não se engane. O Rei Aerys é um joguete dele. Não se surpreenda em saber que Corvo de Sangue enfeitiçou Sua Graça para dobrá-loàs suas vontades." (p. 192). Hummmm...Só por esse pequena passagem já dá pra tirar algo. Um: ele é sedento de poder. E se já teve tanto poder assim, não iria simplesmente abrir mão desse poder. Claro que o cara tem algum tipo de ressentimento por causa disso. E ele teve tempo mais do que suficiente para planejar sua vingança, ou uma volta a esse poder. Dois: ele é um feiticeiro, isso é fato. E se pode estar enfeitiçando Aerys para se manter no poder, quem garante que ele não faça o mesmo com Bran? Particularmente, eu acho que Bran é mais poderoso que Brynden (e isso é dizer algo), e que eventualmente vai ultrapassar Brynden, e se rebelar. O que também assusta porque ele é conhecido neste livro por mandar executar sem piedade os traidores: "Era um homem santo juramentado aos Sete, mesmo que tenha pregado traição." (p. 274), sobre um septão que foi condenado à morte. Só que como eu disse, acho que Bran vai dar um pé na bunda de Brynden mais cedo ou mais tarde.

Também, um caráter assim não é dos mais legais, certo? Lembrei que Melisandre vive falando do Outro, que se opõe ao Senhor da Luz. Bom, na minha cabeça, faz muito sentido que Brynden, um adepto sabido de magia negra, seja um servo desse Outro. Já vi em algum lugar, não lembro onde, que o caminho de Bran é escuro, e pelo andar das coisas, caminha cada vez mais para a escuridão. E, depois de ver Oathkeeper (resenha sai em breve), pensei que ele pode muito bem estar de conchavo com o rei da Noite, esse com certeza um servo do Outro. Como eu disse, é só especulação, e acredito que Bran irá descobrir as verdadeiras intenções de Brynden e se libertar. Gente, o Santa From Hell não investiu páginas e mais páginas no personagem para deixá-lo forever alone ´reso numa árvore, não é?

Outra coisa que me chamou atenção: "O último dragão deixou uma ninhada de cinco, e existem mais em Pedra do Dragão, mais antigos, de antes da Dança." (p. 304). Bom, Danaerys tem 3 dragões. E onde estarão os outros? Duvido muito que todos tenham sido destruídos. E chama atenção para o local: Dragonstone (que estranho foi escrever o nome em português!). O que impede de ainda haverem mais ovos ali, escondidos? Não acredito que Stannis tenha explorado a ilha toda e conheça todos os cantinhos dela. E antes que os mais exaltados comecem a me criticar, OK, os ovos podem estar petrificados, mas não vamos esquecer que Dany chocando os dragões foi o estopim para a magia começar a retornar ao mundo. Assim, outros dragões podem surgir, mesmo esta sendo uma possibilidade muito pequena.

Voltando ao livro, confesso que fiquei com vontade de mais aventuras de Dunk e Egg. Adorei os personagens, especialmente Egg, e espero ver Aemon jovem, antes de ser maester, mesmo porque o próximo passo de Dunk é ir para Winterfell, e eu gostaria muito de ver o Stark da época, e comprovar se Dunk foi realmente o cavaleiro que roubou o coração da Old Nan. O livro também fala bastante da revolta de Blackfyre, e dá para entender melhor essa parte, apesar de eu precisar ler de novo. A leitura é mais leve que ASOIAF e dá para ler rápido. E é bem bacana ver que muitas coisas que a gente vê em ASOIAF já vem se delineando 90 anos antes. Também me surpreendi com a aparição de Lorde Frey, com um pequeno que fiquei pensando se não é Walder Frey (DIE, FREY, DIE!), e ri vendo a descrição dele como um moleque ranhento HEHEHEHEHEHE! Recomendo a leitura.

Trilha sonora

Como Sor Duncan é heroi, mas sangra e sofre como todo mundo, Superman (it´s not easy), do Five for Fighting é perfeita. E também Boulevard of Broken Dreams, do Green Day, ainda que Sor Duncan não ande sozinho :)

Se você gostou de O Cavaleiro dos Sete Reinos, pode gostar também de:

As Crônicas do Gelo e do Fogo - George R. R. Martin;
A Morte da Luz - George R. R. Martin;
As Crônicas de Artur - Bernard Cornwell;
As Crônicas Saxônicas - Bernard Cornwell;
A Busca do Graal - Bernard Cornwell;
As Brumas de Avalon - Marion Zimmer Bradley;
A Crônica do Matador de Rei - Patrick Rothfuss.

site: natrilhadoslivros.blogspot.com
SuhSodre 27/01/2015minha estante
Fe, adorei seu comentário. Me senti assim lendo o livro. ADOREI ver o Walder Frey, imaginando o ranho escorrendo pelo nariz. HAhahahaha - ECA.
Enfim, a história é muito envolvente e seu comentário foi exatamente o que senti quando li o livro. Quero muito saber onde estão os outros ovos.


Thais 28/01/2015minha estante
Gente acabei de ler o livro e ainda estou naquele estado de "pensamentos borbulhantes". Martin é incrível sempre!
Também acho que o Frey melecudo é o Walder!
E tô chocada com a teoria do Corvo que a Fê descreveu! Será!?
Uma coisa que me passou pela cabeça no meio do livro, quando eles falavam em ir para a Muralha, foi que a guerra pode ter acontecido quando eles estavam finalmente na muralha e que Aegon (Egg) pode ter se passado pelo irmão para não ser assassinado e vive na Muralha até os dias de "As Crônicas de Gelo e Fogo".
Os detalhes dos outros livros me escapam pq li o ultimo há bastante tempo e procurei me desligar um pouco de GoT pq amo a saga e Martin tem demorado uma eternidade para escrever mais.
Uma dúvida é que se os ovos de dragão citado " O cavaleiro dos Sete Reinos" são os mesmos ovos da Daenerys. Não me lembro mais da discrição dos ovos dela :/


Waléria 04/02/2015minha estante
Bernard Cornwell e Patrick Rothfuss são dois autores que vale a pena ler !!!
Ótima sugestão de leitura !!


Felippe.Paiiva 23/11/2016minha estante
Adorei sua resenha, e suas teorias tbm, algumas já tinha lido (a do Bran e tals e até acho que faz sentido, porém tbm achei que ele vai se rebelar).
Sobre a teoria dos ovos de dragões: Se eu não me engano algum personagem nas Crônicas fala que os ovos em 'Pedra do Dragão' viraram pedras, porém nada impede dos mesmo chocarem que nem os da Dany.
PS: Gente esse Frey, realmente é o Walder, já vi na internet confirmação e tals.


Renato 28/11/2018minha estante
Achei que ia chegar em Winterfell !!!
E fui parar em outra rua sem saída !!! kkkkk




Laercio 28/02/2014

Não mata a fome, mas distrai o estômago.
Westeros, 90 anos antes de a Guerra dos Tronos, um cavaleiro andante e um escudeiro, que é muito mais do que aparenta ser, em três contos. O suficiente para torcer por Sor Dunk, O Alto, amar o pequeno Egg, se encantar com Lady Rohanne, a viúva vermelha, e por que não, se emocionar com a história dos "meninos" de Sor Eustace, enterrados sob as amoreiras.

O maior erro desse livro pode se dar por parte do leitor, que como eu, pode vir a criar grandes expectativas. Por estarmos falando de Martin, e de histórias dentro do contexto do mundo de gelo e fogo, esperar demais, criar grandes expectativas, era o mínimo que os fãs da série poderiam fazer. O livro decepciona? Não, de forma alguma, porém não enche a "barriga", não supera as expectativas (as minhas ao menos), aumenta aquele gosto de quero mais e mata um pouco da saudade. Martin escreve correto, claro, não deixa perguntas sem respostas, cria tensão, cria conflito. Morre um personagem bacana? Sim, por mais curto que sejam os contos e simples o enredo, ele sabe matar personagens que o leitor gosta. Talvez tenha faltado um personagem para se odiar, o príncipe Aerion e Sor Lucas Longinch foram bons meninos na escola de Joffrey Baratheon.

A leitura dura menos do que se gostaria, e deixa claro que tem muita coisa que pode/poderia ser contada até a Guerra dos tronos, principalmente por essa dupla, Dunk e Egg. Enquanto não chega os Ventos de Inverno, será muito bom para os fãs curtirem essa curta primavera.

P.S. O trabalho da editora Leya foi bem bacana, tanto no formato quanto na qualidade do livro, todavia senti falta dos mapas.
comentários(0)comente



Lu 14/03/2014

Creio que devo começar a resenha com o seguinte aviso: se você for ler este livro pensando que ele tem a mesma atmosfera, complexidade e profundidade das Crônicas de Gelo e Fogo, vai ficar bem decepcionado.

Isso não é necessariamente um ponto negativo para este "O Cavaleiro das Sete Colinas". Pelo contrário: significa apenas que a proposta dele é diferente, mais simples. O que é perfeitamente possível em um universo e uma mitologia tão complexos quanto os das Crônicas. Aqui, há apenas uma faceta: das histórias sobre Dunk, o Alto. que Bran e boa parte das crianças de Westeros ouviram muitas e muitas vezes antes de dormir.

E eu vi o porquê disso: Dunk é um herói. Ele tem aquela coragem e a vontade de fazer o certo. Não o fácil e sim, o certo. Mas isso não quer dizer que ele seja perfeito ou invencível. De uma certa maneira, ele está crescendo junto com o Egg: tendo que tomar decisões importantes, lidando com senhores e cavaleiros juramentados. Mas principalmente: decidindo que tipo de cavaleiro e homem ele quer ser.

O mesmo pode se dizer de Egg: ele é um garoto que começa a história meio arrogante, mas que ao longo dos três contos, muda sensivelmente. Acho que mostra o quão importantes são os exemplos "em casa" enquanto a gente cresce. E o laço que se forma entre os dois é lindo. Não tenho a menor vergonha de dizer que me apeguei muito à dupla.

De resto, são três histórias bem escritas, com boas reviravoltas e personagens interessantes. Claro, não tem aqui a mesma complexidade que os personagens que a gente conhece da série original. Porque não há tempo pra isso. Mas, para ser franca, não senti falta. Eu me diverti muito lendo esses três contos.

Se tivesse que reclamar, seria pra dizer que achei o começo da primeira história um pouco confuso. Demorei um pouquinho pra me acostumar com a quantidade de informações: nomes, estandartes, armaduras... acho que estava destreinada. Entretanto, terminei o livro sabendo bem mais sobre a Rebelião Blackfyre. Fiquei até com vontade de reler "Dança com Dragões".

Agora vou ter que esperar até os Deuses sabem quando até o próximo capítulo. "suspiro"

Super recomendado!
comentários(0)comente



Celly Nascimento 29/01/2015

Um livro para os extremos
Tenho o seguinte pensamento sobre esse livro: ele foi produzido para os extremos. Tanto para aqueles que jamais tiveram contato com as obras de Martin quanto para os fãs mais ferrenhos. Se você assiste à série, curte muito a história de Game of Thrones e só não lê As Crônicas de Gelo e Fogo por conta do imenso volume de cada uma das cinco obras da saga publicadas até agora... Esse livro é para você. É um ótimo jeito de ser introduzido ao universo de Martin. Então você decide se gostou o suficiente para encarar os cinco livros ou não. Para você que está começando agora talvez seja difícil acostumar-se com os detalhes e muitos personagens introduzidos na história com seus nomes e sobrenomes estranhos, mas se pretende ler as demais obras de Martin precisa acostumar-se à essa sua característica.

Já você que leu toda a saga de trás para a frente três vezes, encontrará um sem-fim de easter eggs por aqui. Nos livros d'As Crônicas, por exemplo, ouvimos falar de Sor Duncan, o Alto - e adivinha quem é o protagonista? Também temos Egg - ou Ovo -, cujo nome verdadeiro é Aegon Targaryen, consegue recordar das menções à ele? Com O Cavaleiro você retorna 100 anos no passado para uma Westeros onde os Targaryen ainda governavam. É interessante ver como as coisas funcionavam sob o seu domínio. Você também presencia, por exemplo, o nascimento da rixa entre os Fossoway da maçã verde e da vermelha. São pequenos trechos nos contos que ao ler você tem aquela sacada e logo se empolga (ah, então foi assim que aconteceu!). É um livro maravilhoso que reúne três contos - O Cavaleiro Andante, A Espada Juramentada e O Cavaleiro Misterioso -, todos tendo como personagens principais Dunk (ou Sor Duncan) e Egg, seu escudeiro. O coração do livro é a relação entre os dois, que alterna entre amizade à ameaças constantes de tapões na orelha. O único ponto fraco do livro não é de responsabilidade de Martin, mas sim da tradutora, que muitas vezes grafou um único nome de duas formas diferentes. Após uma pequena confusão e leitura com atenção, você se situa e consegue ignorar um pouco esse erro chatinho, que inclusive é compensado pela narrativa de Martin. Sempre detalhista, está tão vívido na descrição de suas batalhas como sempre.
O Cavaleiro dos Sete Reinos é absolutamente recomendado para qualquer um que admire o trabalho de Martin. Aconselho você a adquirir logo o seu exemplar e não perder a oportunidade de encarar essa leitura.


site: http://melivrandoblog.blogspot.com.br/2015/01/melivrando-02-o-cavaleiro-dos-sete.html
comentários(0)comente



Allana 23/04/2015

Tio Martin sempre deixando um gostinho de quero mais...
Não consegui conter minha curiosidade e vim escrever essa "resenha" que não tem nada de resenha porque acho que essa estória precisa urgentemente de continuação!
Cade as 4 páginas do Sor Duncan, o Alto que estão descritas no livro com cavaleiros reais? Preciso saber o que mais aconteceu com ele pra ser um importante cavaleiro da Guarda Real. E o Egg, o que acontece com ele quando finda seu trabalho como escudeiro? Morre jovem ou velho, realiza algum feito importante como o Sor Duncan? É o início do final da dinastia Targaryen, preciso saber mais sobre os ovos de dragão, do futuro Meistre Aemon. Qual o final dos Blackfyre?
Enfim, milhões de perguntam passaram pela minha mente que estou quase pegando As Crônicas de Gelo e Fogo pra ler novamente.
André 22/06/2015minha estante
Egg será coroado como Aegon V e Duncan será o Comandante da Guarda Real. Isso é contado nas Cronicas de Gelo e Fogo. Tomara que Martin escreva mais sobre eles. :-)




Igor 01/03/2014

George Martin mais uma vez nos entrega um livro excepcional, com estórias incríveis e emocionantes capaz de tirar o fôlego de qualquer leitor.
Para quem não está familiarizado com os nomes, Dunk e Egg foram mencionados tanto em livros como na série de televisão “As Crônicas de Gelo e Fogo”. Dunk no terceiro capitulo da série A Guerra dos Tronos, quando a Velha Ama conta uma das histórias de Sor Duncan o Alto, para Bran. Já Egg fora mencionado no livro O Festim dos Corvos, o quarto livro dá série, como “O Ovo”. Mas este livro aqui, não se passa nos dias presente da famosa série de Martin, vamos retroceder um pouco para o passado, certo? Estamos agora noventa anos antes de “A Guerra dos Tronos”, e é aqui que conhecemos Dunk.

O joven Dunk da Baixada das Pulgas querendo largar sua vida miserável, se torna o escudeiro de um cavaleiro que logo na primeira página acaba morrendo, mas não antes de nomear Dunk um cavaleiro. Sendo assim, Dunk parte em direção em busca de dinheiro, fama e glória em um dos torneiros mais famosos de Westeros. E por ironia, ou não, do destino Dunk acaba conhecendo Egg, um menino careca que apesar de parecer um pouco antipático faz de tudo para se tornar seu escudeiro. Este é o começo do conto “O Cavaleiro Andante” e também o começo de um elo de amizade e respeito entre Dunk e Egg.

O livro mantém o mesmo padrão de descrição que já estamos familiarizados nos livros de George Martin, todos os personagens tem nomes, todos são descritos detalhadamente e tem suas histórias e todo cenário é perfeitamente descrito. A única diferença é que aqui temos os três contos apenas no ponto de vista de Dunk, ao contrário de As Crônicas de Gelo e Fogo, onde temos vários personagens, várias linhas de pensamentos, várias coisas e reviravoltas acontecendo ao mesmo tempo. Apesar de cada conto ter o seu começo, meio e fim eles também tem uma ordem cronológica, então para aquelas pessoas que gostam de ler contos aleatórios em livros de contos, eu recomendo a leitura na ordem cronológica, a ordem que vem no livro.

Durante os três contos é possível perceber a amizade de Dunk e Egg crescendo até o ponto onde ela se torna confiança. Egg é apenas um menino indefeso, mas guarda um segredo muito grande e, sendo assim, Dunk também terá que manter este segredo que só poderá ser usado em momentos de grandes necessidades. Egg também é o motivo de várias encrencas já que o menino não consegue manter sua boca fechada e prefere discutir com qualquer pessoa que esteja errada ou tenha uma opinião diferente da dele. Sem dúvidas ele é o personagen que trás um tom cômico para o tanto de tragédia que cerca o livro.

George Martin mais uma vez nos entrega um livro excepcional, com estórias incríveis, emocionantes e capaz de tirar o fôlego de qualquer leitor. Algo me diz que ainda veremos muito mais de Sor Duncan o Alto, já que o terceiro conto acaba com uma brecha para outra estória que pode ser no mínimo, interessante.

Então é isso, O Cavaleiros dos Sete Reinos: Histórias do mundo de Gelo e Fogo é um ótimo livro e recomendo não só para os fanáticos pela série “As Crônicas de Gelo e Fogo” que não veem a hora do próximo livro (que já está virando lenda) sair, mas também para aquelas pessoas que tem medo de começar a série por causa do tamanho dos livros, este aqui é um ótimo meio para adentrar ao universo de de George R.R. Martin e conviver em Westeros!

site: http://www.odevoradordelivros.com/resenha-o-cavaleiro-dos-sete-reinos-george-r-r-martin/
comentários(0)comente



Luciano Luíz 12/11/2014

O CAVALEIRO DOS SETE REINOS de GEORGE R. R. MARTIN é uma ótima introdução para quem ainda não se aventurou por Westeros.
São 3 contos que dão vida a um romance praticamente. Aqui acompanhamos Dunk, aspirante a cavaleiro andante e Egg, seu fiel escudeiro.
Para quem já está familiarizado com a série GUERRA DOS TRONOS, vai se sentir em casa com esse pequeno livro. O enredo apesar ser mais simples, tem as suas intrincadas conexões devido as casas, brasões e a quantidade enorme de personagens mencionados.
Os diálogos tem a mesma qualidade da referida série e isso é algo que o autor tem domínio excepcional. Só o que decepciona, assim como em GAME OF THRONES, são as batalhas, que além de serem repetitivas, não convencem...
É um livro que fascina...
Porém, assim como na série, as crianças com 10 anos de idade tem inteligência e sabedoria de adultos que viveram muito... e isso beira a tolice. Mas é ficção. Uma fantasia e ponto final (assim como nos livros de STEPHEN KING onde as crianças não parecem humanas com todas as suas ações e pensamentos- A COISA por exemplo...).
Mas fora esse detalhe, é uma obra que compensa ter na coleção. Conhecendo ou não A GUERRA DOS TRONOS.

L. L. Santos


site: https://www.facebook.com/pages/L-L-Santos/254579094626804
comentários(0)comente



Everson Rodrigues 11/11/2015

Para quem é fã de carteirinha da saga, é um livro indispensável.
É realmente uma pena o livro não ter sido lançado aqui no Brasil antes de A Dança dos Dragões (Todos os contos foram publicados nos EUA antes de 2012), pois O Cavaleiro dos Sete Reinos nos familiariza ainda mais com o universo político da saga. Há sim um link entre as tramas, e por isso, para o fãs, esse livro ajuda bastante a entender melhor certas motivações e tramas que podem aparecer na série canônica, como por exemplo a Rebelião Blackfyre, que vez por outra é citada n'As crônicas de Gelo e Fogo e que no livro em questão é colocada em destaque.

Algo que age como um ponto forte e fraco ao mesmo tempo na obra é a simplicidade do enredo dos contos. Apesar de ter a imersão característica em detalhes do universo, as ações dos personagens e as resoluções dos contos são simplistas, podendo quebrar a expectativa de quem lê. Isso também é um ponto forte, mas somente para um leitor que está se iniciando nesse universo do Martin, pois por serem simples, os contos possuem poucos personagens e também tramas mais fechadas.

Sobra a estrutura dessa edição da Leya: a qualidade está regular, apesar de possuir alguns erros. A fonte da letras também poderia ter sido menor, daí o livro seria acabado em menos páginas e sairia mais barato. Enfim, nota-se é claro o interesse de lucrar aí.

Enfim, é uma obra divertida e vale sim a leitura. Não é nada de tão extraordinário, mas enriquece um universo que já é fabuloso.
comentários(0)comente



Vicky 27/03/2014

Livro maravilhoso - mil perspectivas.
Mais uma vez George R.R. Martin nos mostra que é dominador não somente da conhecida Westeros em guerra, mas de tantas outras atmosferas.
Ao ler O Cavaleiro dos Sete Reinos, o leitor se depara com um ambiente totalmente distinto do que se tem nas Crônicas de Gelo e Fogo. Talvez isso aconteça principalmente pelo clima dominante descrito como ocorrente na época (calor, calor e calor, acompanhado de secas).
Ao fã de As Crônicas de Gelo e Fogo: Você deve ler este livro. Ao entrar de cabeça dentro dos contos presentes nessa coletânea, você terá uma percepção muito diferente de tudo que se passa noventa anos depois. Isso acontece porque certamente tantos anos são capazes de mudar histórias em partes ou por inteiro. "Palavras são vento" e grandes reis e heróis não são tão bem vistos em suas épocas de glória . Pode-se dizer que a corrupção, ilegitimidade e traição são grandes marcas do apogeu e queda da monarquia Targaryen.
Ao leitor que não teve a oportunidade de ler As Crônicas de Gelo e Fogo mas se interessou pelo livro aqui resenhado: Vá em frente. Sua percepção dos acontecimentos em Westeros poderá se tornar uma linha cronológica e diferentemente de "nós" que lemos As Crônicas primeiro, provavelmente você será muito mais crítico em relação a personagens e Casas.
Para finalizar, digo que se as personagens principais forem capazes de te cativar, é certeza que o leitor irá se interessar com maior profundidade em saber quais foram seus destinos e relevância dentro dos Sete Reinos.
comentários(0)comente



João Vitor Gallo 24/05/2014

Diferente, mas igualmente fascinante

Bem diferente da série de livros da qual esse spin-off se origina. É mais heroico, mais branco e preto, assim como as canções que geralmente são citadas nos livros sobre esses feitos do passado. É também mais simples, sem tantos personagens, casas e intrigas, mas isso não é nenhum demérito desse livro, por ser tão direto, menor e mais leve creio que algumas pessoas podem gostar mais desse do que das Crônicas de gelo e fogo, dependendo de seu gosto pessoal, e pra quem já gosta é quase certo que vai gostar desse livro também.

O livro em si é divido em 3 contos que retratam as aventuras de dois personagens em suas andanças por Westeros, sendo eles o cavaleiro Sor Duncan, o Alto e seu escudeiro Egg. Os contos são estes: “O cavaleiro andante”, “A espada juramentada” e “O cavaleiro misterioso”, que foram originalmente publicadas em anos diferentes (1998, 2003 e 2010 respectivamente). É realmente bom poder entrar mais nesse universo que o GRRM criou, dá uma sensação de credibilidade, é fácil demais acreditar que esse continente realmente existe de tão vivida que a História dos 7 reinos parece, pontos positivos para a construção como um todo dos personagem e de Westeros. Falando em personagem é impossível não se encantar com a nobreza de Sor Duncan, o Alto, que apesar do nascimento plebeu é mais nobre que muitos dos cavaleiros e sua amizade com Egg, que certamente acaba aprendendo muito com ele em suas viagens, adquirindo uma visão mais próxima do povo e da verdadeira face das pessoas, já que não desconfiam de seu nascimento nobre.

É um mergulho na História de Westeros cujo único defeito é querer acompanhar ainda mais as aventuras de Duncan e Egg e querer ir ainda mais fundo nesse universo, querendo saber ainda mais sobre personagens e acontecimentos comentados nas Crônicas de Gelo e Fogo, como o Corvo de Sangue, e a Rebelião Blackfyre.

Bem, esse livro não é igual as CDGEF, não possui aquele clima de conspiração e de temor de seu personagem favorito morrer na próxima página. Não existem tantas surpresas e plot twists, não existem centenas de personagens e núcleos diferentes, e os personagens que ali estão não são “cinzas”, mas isso não significa em nenhum momento que o livro é ruim, ou mesmo inferior, mas diferente, com suas próprias qualidades e claramente bem escrito e com personagens cativantes, apesar de destoarem muito daqueles que estamos acostumados com os livros anteriores.

Mais simples, mais nobre, mais fácil. Pra quem não conhece ou não tenha gostado dos livros pelo seu tamanho, sua complexidade e seu clima, é uma boa dica, e pra quem já gosta é certo que gostem.
comentários(0)comente



Alyssa @culpadoslivros 23/03/2017

O Cavaleiro dos Sete Reinos é a compilação de três contos, mas que têm em comum os personagens principais: o cavaleiro andante Dunk e seu escudeiro, Egg. As histórias se passam cerca de 90 anos antes do início da série As crônicas de gelo e fogo e mostram uma Westeros pacificada, sob o auge da Dinastia Targaryen e o reinado do Bom Rei Daeron.

O que me levou à leitura deste livro, foi uma passagem no final da 5ª temporada da série Game of Thrones (agora não me recordo o episódio), em que Meister Aemon em seu delírio de morte, narra para Samwell Tarly fatos da sua juventude, como o nascimento do seu irmão mais novo, que ele chamava carinhosamente de Egg.

O garoto Egg, na verdade é Aegon Targaryen, que no futuro será o Rei Aegon V, conhecido pela sua bondade e justiça. Mas nestas histórias, ele ainda é um jovem de 9 anos que raspa os cabelos para não ser reconhecido pela característica marcante dos Targaryen (cabelo prateado) e parte numa série de aventuras com um pobre, porém honesto, cavaleiro andante, Sor Duncan, o Alto.

No começo do livro encontramos uma sucinta e excelente explicação sobre os Primeiros Habitantes conhecidos de Westeros, os Filhos da Floresta, a invasão dos Ândalos, a chegada dos Roinares mil anos depois, a condenação que se abateu sob Valíria, a chegada de Aegon, o Conquistador e suas irmãs, montados nas costas de três grandes dragões, a dominação dos reinos e o início da Disnatia Targaryen, que perdurou pelos 300 anos seguintes.

Depois temos os três contos, vivenciados sob o ponto de vista de Dunk: O cavaleiro Andante, A espada juramentada e O cavaleiro misterioso. A narrativa de George R. R. Martin é sempre fluida e deliciosa. A maneira como ele descreve os cenários, alternando os pensamentos do personagem Dunk, com os diálogos, envolve completamente o leitor e assim, podemos mergulhar em antigas passagens sobre este universo de GoT que tanto nos encanta!

Para os apaixonados pela série, principalmente para aqueles que adoram saber mais sobre os antigos reis e a Casa Targaryen, sem dúvida este é um livro enriquecedor.

site: http://www.instagram.com/culpadoslivros/
comentários(0)comente



Leitor Nerd 07/06/2018

Impressionante
Duzentos anos após a Conquista, os Targaryen dominam o Trono de Ferro. Os Sete Reinos de Westeros atravessam uma época pacífica, nos últimos anos do reinado do Bom Rei Daeron. Neste cenário, Dunk decide participar do torneio de Campina de Vaufreixo. É quando conhece Egg, um menino de dez anos, que é muito mais do que aparenta ser.

Dunk é jovem e meio atrapalhado, porém honrado e com um grande senso de humor. Egg é um menino de língua bem afiada, curioso e muito teimoso e bastante inteligente e sábio com as palavras (com certeza rouba a cena e se tornou meu personagem favorito). Dunk aceita Egg como seu escudeiro e, juntos, viajam por Westeros em busca de trabalho e aventuras e uma grande amizade nasce entre eles.

O livro é praticamente um spin-off das Crônicas de Gelo e Fogo (CDGEF). Nele, temos três contos vivenciados sob o ponto de vista de Dunk: O Cavaleiro Andante, A Espada Juramentada e O Cavaleiro Misterioso. Este último é o meu favorito, pois é nele onde Dunk e Egg estão viajando até Winterfell para ajudar os Stark na luta contra os Greyjoy. E aí eles recebem a notícia de que um casamento ocorrerá entre os Butterwell e os Frey e decidem ir. Durante o casamento há um torneio de justas e o prêmio ao vencedor é um ovo de dragão petrificado. Mas, descobre que tudo não passa de um disfarce para que conspiradores contra os Targaryen se reúnam.

A narrativa me cansou muito no começo, até que abandonei o livro na metade do segundo conto (acho que estava numa época ruim para ler descrições mais pesadas, porém, em comparação com as CDGEF, é uma leitura bem leve). Recentemente, na #MLO2018, incluí ele na #TBR e consegui concluí-lo, e a leitura fluiu muito bem. A forma como Martin descreve os cenários, seduz o leitor e assim, nos aprofundamos nas antigas passagens sobre o universo de Game of Thrones, que tanto nos fascina.

Para os apaixonados por Game of Thrones, sem dúvida este é um livro enriquecedor. Para quem não leu a série, este é um belo jeito de se introduzir nas histórias que acontecem em Westeros.

site: https://www.instagram.com/p/BjqG6ZkHT6F/
comentários(0)comente



Nath @biscoito.esperto 25/08/2016

Uma bela adição ao Mundo de Gelo e Fogo
O Cavaleiro dos Sete Reinos é um spin-off de As Crônicas de Gelo e Fogo, se passa no mesmo universo, mas muitos anos antes do início da história. Nós estamos no meio da Dinastia Targaryen e conhecemos três contos focados em Dunk, um garoto órfão nascido na Baixada das Pulgas em Porto Real.

O primeiro conto, "O Cavaleiro Andante", começa com Dunk enterrando seu pai adotivo, um cavaleiro chamado Sor Arlan de Centabor. Dunk amava o cavaleiro, que lhe ensinou todas as coisas da vida, desde como lutar até conhecimentos geográficos e afins. Antes de morrer, Dunk foi armado cavaleiro pelo velho Arlan. Dunk sabe que precisa fazer algo de sua vida, então ele decide ganhar dinheiro fácil participando de torneios de justas. Dunk tem confiança em si mesmo, pois, mesmo sendo muito jovem, é alto e largo, com muita força bruta. Ele toma a armadura de Arlan e parte com seus cavalos até o torneio.

No torneio em que vai ele conhece Egg, um garoto franzino e careca, que mais tarde vem a ser seu escudeiro. Nesse torneio Dunk também conhece uma garota titereira, por quem tem uma breve paixonite. Dunk não consegue se inscrever no torneio, pois não consegue provar que de fato é um cavaleiro e, resignado, acredita que sua carreira acaba de encontrar um triste fim. É então que a garota titereira é atacada por um Targaryen e Dunk luta com o rapaz para salvar a moça. Isso é considerado traição, e Dunk irá participar de um julgamento por combate para provar sua inocência. É uma reviravolta atrás da outra.

No segundo conto, “A Espada Juramentada”, Dunk e Egg são amigos há algum tempo e estão prestando serviços a uma pequena casa, a casa Osgrey. No entanto, a casa vizinha, os Webber, está roubando a água deles e Dunk se mete em confusões para resolver a situação. Numa breve batalha, um dos criados Webber fica ferido e isso infla a ira de Viúva Vermelha, a herdeira da casa, conhecida por ter ficado viúva de quatro maridos e ser uma pessoa cruel. Dunk quer ajuda Osgrey, que ficará sem comida em breve por falta de água, e com isso acaba se metendo em diversas confusões.

Finalmente, no terceiro conto, “O Cavaleiro Misterioso”, Dunk e Egg estão viajando até Winterfell para ajudar os Stark na luta contra os Greyjoy. Eis que eles recebem a notícia de que um casamento ocorrerá entre os Butterwell e os Frey. Durante o casamento haverão justas e o prêmio ao vencedor é um ovo de dragão petrificado. Dunk acaba comparecendo ao casamento, mas descobre que tudo não passa de uma fachada para que conspiradores contra os Targaryen se reúnam.

Eu adorei O Cavaleiro dos Sete Reinos por vários motivos:

01) Comprei a edição de luxo com capa dura e ilustrações, e a edição é espetacular;

02) A escrita desses contos é mais leve do que a escrita normal de Martin em sua série principal. A leitura ainda é complexa, mas não é tão difícil de acompanhar como em As Crônicas de Gelo e Fogo;

03) Nós conhecemos muitos personagens incríveis, como Dunk e Egg e pessoas que cruzam seus caminhos, como Rohane Webber, e revemos alguns personagens da saga original, como o bebê Walder Frey (aquele filho de uma p&*$#) e Meistre Aemon Targaryen, sim, nosso amado idoso patrulheiro;

04) Conhecemos mais sobre a dinastia Targaryen e sua história, desde a Rebelião dos Blackfyre até um pouco da linhagem deles;

05) Os contos são simplesmente divertidíssimos, cheios de reviravoltas e momentos emocionantes.

Recomendo este livro para qualquer um que seja fã do Mundo de Gelo e Fogo. Quero mais histórias de Dunk e Egg!


site: www.nathlambert.blogspot.com
comentários(0)comente



Thiago.Philomeno 25/09/2016

Espetacular
Um livro pra quem tem sede de entender o poder da casa Targeryn nos primórdios da ascensão do sangue do dragão.
comentários(0)comente



189 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |