O Último Homem do Mundo

O Último Homem do Mundo Tais Cortez




Resenhas - O último homem do mundo


153 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Fernanda 09/12/2013

RESENHA: O ÚLTIMO HOMEM DO MUNDO.
Amanda está no ápice de sua adolescencia, assim como de sua rebeldia após descobrir a decisão da mãe ausente de mandá-la a um colégio interno. Patrícia é uma atriz mundialmente famosa, com mil e um compromissos, namorados e nenhum tempo para a filha, sua decisão de mandar a menina para a escola é definitiva.

Crente de que foi mandada ao colégio com a intenção de sua mãe livrar-se dela, Amanda se vê no meio de adolescentes fúteis e mimados, criados por empregados porque os pais vivem trabalhando para manter o império do dinheiro. Sua chegada é conturbada, principalmente por um rapaz, Ricardo, com seu sorriso charmoso e seu perfume hipnotizante, não se mostra diferente de nenhum deles, e só trás a tona a raiva e ódio de Amandar por estar ali, mas não ficaria por muito tempo, já havia sido expulsa de outras três escolas, a quarta seria fácil, ainda mas em um lugar regido por regras.

Seu primeiro plano é interrompido por duas estudantes, Paulina e Maíra, que por pura coincidência são suas colegas de quarto. Amanda possuí um único objetivo, sair a todo o custo daquele lugar, mas obstáculos como um diretor atencioso e uma inspetora que a segue, contem todo o caos causado por sua tentativa de ser expulsa, e suas constantes tentativas de sempre revidar as provocações de Ricardo e sua turma, torna cansativo seu plano e sem perceber seu foco muda.

Agora possuí algo que nunca imaginou ser possível: amigas. Mas uma realidade pior a atinge, a realidade das pessoas que não possuem nada e vivem das boas ações de um grupo Cristão que Amanda conhece em uma de suas escapadas do colégio. Movida agora por um sentimento de compaixão, ela se vê na obrigação de tomar uma atitude para mudar a situação daquele grupo. Para conseguir a ajuda que precisa, Amanda recorre a Ricardo, com sua popularidade, e seu incrível poder sobre as mulheres, e assim juntos criam um projeto para a arrecadação de dinheiro.

Amanda não suporta Ricardo, e Ricardo não suporta Amanda, mas ambas as máscaras e armaduras começam a rachar com os dias de convivências entre os dois. Ele poderia ser realmente alguém em quem se confiar? Com uma fama de mulherengo, Ricardo troca de mulheres como troca de roupa, segundo a própria Amanda, e nega de todas as maneiras o possível interesse e sentimento que começa a aflorar no coração da menina rebelde.

Entre muitas provocações, brigas e intrigas, Amanda talvez agora esteja começando a criar afeto pelo colégio, pelas pessoas e de maneira surpreendente, por Ricardo. Mas seu coração já ferido por uma antiga traição e ausência de sua mãe a tornaram desconfiada, criando uma batalha interna a todo o momento, principalmente quando nega seus sentimentos por Ricardo, que está mudando diante de seus olhos, mas o medo á cega. Entre momentos perfeitos e dramáticos, Amanda se reconecta a essência da vida, e decide se entregar aos riscos nos quais está disposta a correr.

site: http://blog-perceps.blogspot.com.br/
Tais Cortez 09/12/2013minha estante
Ahhhh....to emocionadaaaaaaa...essa foi a PRIMEIRA RESENHA feita para O ÚLTIMO HOMEM DO MUNDO!!! Ameiiiii....
eh tãoooooo interessante ver meu livro pelos olhos de outras pessoas....
Obrigada por tudo Fer...pela divulgação...carinho...por responder minhas inúmeras perguntas sobre personagens,cenas, etc...rss
Vc eh uma queridaaaaa!!!
Foi a primeira q fez resenha para o Golfinhos e Tubarões e agora está "estreando" meu segundo bb!!! hehe
Bjssss e sucesso ao blog!


Ana Paula 23/01/2014minha estante
Livro muito bom. Confesso que pela sinopse imaginei uma estória diferente, mas ao decorrer da leitura me peguei totalmente apaixonada pelos personagens centrais e suas loucuras. Leitura muito agradável e divertida.
Esse é o primeiro livro que leio dessa autora e já tive uma excelente impressão..
Trabalhos como esses me fizeram apreciar e procurar mais a literatura nacional..




Naty 03/05/2015

Amanda é a protagonista dessa história; alguns poderiam taxá-la como chata e mimada. A primeira opção eu até concordo em certos momentos; mas, mimada, não. Quando ela e sua mãe eram pobres, embora passassem necessidades, a vida da jovem era considerada feliz; tinha o carinho e atenção da mãe a todo o momento. No entanto, quando sua mãe se torna famosa, tudo passa a mudar. Não existe mais o contato físico; poucas são as vezes que elas se encontram dentro de casa e conversa é algo que passa longe do lar de Amanda.

A frustração da garota começa a ter sentido e, quando se está vazio de um lado, a pessoa busca inúmeras formas de chamar a atenção. É isso que Amanda começa a fazer: age com rebeldia para mostrar à mãe que ela não tem o poder de mandar na filha. Essa é uma dura realidade em nossos dias; poucos são os pais que dão a devida atenção aos seus filhos. Não existe mais ensinamento, carinho, brincadeiras e até mesmo lazer. Os passeios, quando existem, acontecem de modo forçado: todos usando o celular para mandar mensagem aos que estão longe. Quem está distante, muitas vezes, está mais próximo do que aqueles que estão ao nosso lado.

“- Eu já tive alunos como você – ela contou, fitando-me como se eu fosse uma terrorista. – Impossíveis! Alunos que não respeitam ordens ou autoridades” (p.28).

As ações da protagonista nada mais são do que fruto de um despreparo de sua mãe. Ela passa a ser expulsa de diversos colégios, até que sua mãe decide matriculá-la no “Educação de Elite”, considerado o colégio interno mais renomado do país. No entanto, Amanda não quer isso para ela e então tentará de tudo para ser expulsa novamente. Mas existe um diferencial no ensino desse colégio que a jovem ainda não se deu conta e, por mais que ela faça infinitas coisas, suas ações são sempre fracassadas com uma baita lição.

A obra é recheada de tramas e envolve o leitor. Aos que estão acostumados com as minhas resenhas, sabem muito bem que não sou a maior fã de romances. Prefiro assistir ao filme do Pelé a ter que me sujeitar a ler um livro mel com açúcar. No entanto, essa exceção é sempre quebrada e acabo lendo um ou outro. Posso dizer que essa exceção não me decepcionou, pelo contrário. A autora soube construir uma história que não possuía apenas o passional, ela desenvolve grandes lições por trás disso: fidelidade, companheirismo, solidariedade, amor fraterno, atenção. O que a autora nos passa é maior do que eu seria capaz de descrever.

“Dançar, por mais que tivesse sido algo imposto a mim por mamãe, deixava-me feliz e me fazia entrar e uma realidade na qual eu não tinha preocupações ou problemas” (p.38).

Ricardo é um estereotipado garoto popular e mulherengo do colégio. Amanda passa a odiá-lo ferozmente por tamanhas intrigas, porém, isso não impede que um sentimento surja no meio do percurso e faça olhá-lo com outros olhos. Nesse ponto, o leitor poderia considerar meio clichê e acredito que é. Porém, os elementos trabalhados pela Cortez dão um diferencial na história. Afinal, muitas coisas podem ser consideradas clichês, hoje em dia; é necessário saber criar e inovar dentro de um tema tão batido.

O livro é gostoso de ler e divertido; li em apenas um dia. A narrativa é veloz e a história é contada de maneira engraçada, emocionante e cativante. A capa não é o estilo que me atrai, visto que sou mais adepta a trabalhos mais criativos para chamar a atenção. A revisão não foi perfeita, achei alguns erros, mas foram poucos. Mesmo os que não gostam de romance, certamente, irão se surpreender com a leitura.

“- Não ligo para o que as pessoas pensam. Ligo para o que as pessoas que eu gosto pensam” (p.125).
Lana Wesley 02/02/2017minha estante
Esse livro deve ser muito bom, pois conheço muito bem sua opinião em relação a livros de romance, e todos elogios me deixou bastante entusiasmada com essa leitura. Vejo que a premissa e bem clichê, a menina que faz de tudo para chamar a atenção da mãe que não da miníma para filha, e acaba sendo levada pro colégio interno, no entanto a autora acaba fazendo com que acha uma revira volta, e ai que as coisas deixam de ser convenientes e começou a me surpreender. Claro, que quero esse livro, e pretendo adquiri-lo.


Marta 02/02/2017minha estante
Nunca ouvir falar do livro. Mas goste da resenha!! Espero ter oportunidade de ler!!
Beijoss




Karol 30/04/2015

Resenha do blog Hey Karol
Amanda é filha da famosíssima atriz Patrícia Oliveira, contudo sua vida não é exatamente perfeita. Desde que sua mãe alcançou o sucesso, nunca mais parou em casa e a relação delas é quase inexistente, até porque seu tempo livre é gasto com namoros que não duram; Amanda também sente que nunca pode fazer suas próprias, já que Patrícia sequer a escuta, e sempre que tentam conversar, acabam numa discussão. Isso fez com que ela se tornasse uma pessoa rebelde e com que fosse expulsa de colégios duas vezes nos últimos dois anos. E é em uma dessas discussões que o livro tem início.
Educação de Elite é o melhor colégio interno do país, e apenas os filhos das famílias mais ricas do país conseguem entrar. Mesmo com o seu horrível histórico de comportamento, Amanda é aceita. O problema é que ela não queria, não foi uma decisão sua. Chegando a escola e indo até a sala do diretor Alexandre enquanto a atriz tira foto com alunos e dá autógrafos, a garota esbarra em Ricardo, o menino mais lindo - e popular - do colégio, fazendo os dois caírem no chão. Ao invés de ser educado, ele e sua namorada (nojenta), Mariana, a encaram como se ela não devesse estar lá e começam as provocações. Ao ouvir Mariana falando mal de sua mãe, vai para cima dela, literalmente. Dessa forma, são levadas para a diretoria. Mariana afirma que não havia motivo algum para a garota ter feito aquilo, e Amanda confirma, todavia essa confirmação se prova falsa devido a duas garotas que viram o ocorrido: Maíra e Paulina. Sem delongas, o castigo dado foi nada mais do que passarem o fim de semana no colégio.
Ao chegar em seu quarto, a rebelde com tinta removível no cabelo descobre que dividirá o dormitório Maíra e Paulina. Apesar de elas terem apenas tentado ajudar, a garota é super grossa com elas, já que arruinaram seu plano. O tal plano e Amanda é ser expulsa a qualquer custo, e não vai medir esforços para que consiga isso. Não acordar no horário, ir para a sala de aula de pijama, beijar, empurrar alunos na piscina... Após várias tentativas falhas, mesmo relutando, começa a se adaptar ao colégio, a conviver com pessoas e até se tornou amiga de Maíra e Paulina. No meio de tudo isso, há as provocações com Mariana e Ricardo, que terminam numa tragédia para os dois.
Como se já não bastasse sua mãe nunca cumprir suas promessas, o primeiro namorado de Amanda a traiu, o que causou a falta de confiança dela nas pessoas; talvez por isso ela odeie mentira e traição. Andando pelos corredores na madrugada, ouve beijos, e, ao se aproximar, percebe que é Ricardo com outra garota, não sua namorada. Determinada a filmar a cena e mostrar para os alunos em frente ao casal, ela sai outra noite em torno da mesma hora, só que ao invés de encontrar Ricardo, encontra Mariana com outro garoto e faz o que planejara fazer, partindo, assim, o coração do pobre garoto popular, que foi humilhado em frente a todos. Ela não queria fazer com que terminassem, apenas queria se vingar de tudo o que eles faziam, e foi perfeito; aliás, eles terminaram com o namoro deles já com a traição. Se gostassem mesmo um do outro, não trairiam.
Após um tempo de calmaria em relação a isso, Alexandre chama Amanda para uma conversa, e é lá que tudo faz sentido para ela e desiste de se prejudicar por causa de sua mãe. Querendo respirar um pouco de ar puro mesmo que em São Paulo ela não vá conseguir essa proeza, ela sai, só que não conhecia muito a região, que é perigosa, e ao ser abordada por um mendigo e não saber o que fazer, é salva por um grupo de jovens. Acompanha esse grupo até um local e vê o projeto que eles fazem, o qual ajuda moradores de rua e crianças carentes, contudo tal projeto está sem fundos financeiros, e só um milagre para fazer com que ele continue existindo. Disposta a ajudar, Amanda fala com Paulina e Maíra, que comentam sobre o baile que há na escola antes das férias, então surge a brilhante ideia de, com esse baile, arrecadar uma boa quantia para doar à Comunidade Amor em Cristo. Para isso ela precisa da ajuda dos representantes e do diretor, ou seja, ela terá que falar com Ricardo. Nesse envolvimento com o baile, os dois passam mais tempo juntos e vai surgindo uma relação, uma amizade, um... ah, tudo! Porém nada é tão simples como eu gostaria que fosse.
Durante as primeiras páginas de O Último Homem do Mundo, preciso dizer que eu julguei muito o livro. Não conseguia largar um segundo, mas julguei. Pensei que a história fosse completa e absolutamente parecida com Rebeldes (México), porque, convenhamos, há suas semelhanças. Porém, contudo, todavia foi surpreendente, uma leitura fantástica. Não gostei do jeito grosseiro de Amanda, mesmo me divertindo um bocado com ela, e nem do metido do Ricardo, até eles mostrarem quem realmente são por baixo de toda aquela armadura e fazerem uma história linda, com belos ensinamentos e cenas de causar histeria de tão apaixonantes/fofas. E, claro, a história não é apenas um romance. Ver e entender o que a protagonista passa por causa da mãe e perceber que a mãe não entende é triste; sei que talvez não pelo menos motivo, porém muitos filhos passam pela mesma coisa no dia a dia. E muito mais, há muito chão pela frente. Ah, achei bem interessante a rotina no Educação de Elite. As personagens são o que devem ser, e o único fato negativo foi que não há uma característica na fala de cada uma.
A capa é muito bonita - eu adorei o uso das cores, apesar de não ser fã de rosa e roxo -, a diagramação está legal e a letra tem um tamanho bom. Só achei pouco o espaço entre o texto e a borda da folha, de resto está okay. Encontrei poucos erros, nada muito grave. A Editora Ler fez um ótimo trabalho, não a conhecia. A escrita da Tais é leve e flui muito bem, tanto que li O Último Homem do Mundo em dois dias - não queria que tivesse terminado tão rápido, fiquei com uma ressaca que só Deus. Irritei-me só com os diálogos, que são do tipo "Oi - falei." "Oi. - Ele respondeu." em muitas partes; se mudar isso, fica ótimo! O livro é narrado em primeira pessoa e suas 224 páginas são divididas em vinte e oito capítulos. E tudo isso para falar que eu gostei muito do livro. Recomendo!

site: http://www.heykarol.com/2015/04/livro-o-ultimo-homem-do-mundo.html
Tais Cortez 06/05/2015minha estante
Oiii, Karol
Primeiramente, obrigada pela maravilhosa resenha!
Gostei mtoooo :)
Acho mtoooo legal quando a blogueira opina bastante sobre o que achou dos personagens, enredo, escrita, etc...e vc fez mtooo isso rsss ou seja, amei, pq é bem interessante ver o seu livro pelos olhos do leitor!
Fico feliz q tenha gostado!
Bjsss
e sucesso ao blog!


Jessica 07/05/2015minha estante
Amei a resenha, Karol




Rafaele 28/12/2013

Sessão da tarde/Novela adolescente
'O último homem do mundo' (título que eu achei incrível!) é um livro água com açúcar, ideal praquele momento em que você acabou de ler algo que te drenou todas as anergias, mas acha que ainda não tá pronto pra começar uma nova leitura porque não te prende muito a história, mas consegue desviar sua atenção o suficiente pra te ajudar a seguir em frente.
Tudo começa muito chato com a protagonista tentando, a todo custo, atingir a mãe, até que ela se solta disso.
Palmas pra o Diretor Alexandre < 3
É uma livro facinho de ler - e por isso até agora eu tô estranhando as 386 páginas (como li pelo Kindle, não sei se tem TUDO isso mesmo), regularmente bem escrito - mas uma editada cairia bem, e, aparentemente, sem pretensões.
A história em si não traz nada novo, é um romance adolescente de uma garota que: em um terço do livro, concentra sua vida, na raiva que nutre pela mãe; em um terço do livro, se lançada aos braços do Mr. Right e no último terço do livro, chora as amarguras de um engano amoroso. Nada de novo.
Todos os enganos e armações, cismas e implicâncias, me fizeram, inclusive, imaginar a Amanda como Lua Blanco, o Ricardo como Arthur Aguiar e a mãe da Amanda, como Adriana Garamboni, da extinta (graças) novela Redelde, da Rede Record.
Não sei se há qualquer relação. Mas, estejam avisados, é bem por aí.
Tais Cortez 04/01/2014minha estante
Q pena q não gostou tanto, Rafaele!
D qlq forma, obrigada pelo feedback!
Eu era com ctz uma fã dos filmes de sessão da tarde e da novela rebelde (mexicana) :D então foi um elogio ter meu livro comparado a isso hehe
bjsss


Rafaele 04/01/2014minha estante
Tais, que bom que eu acertei, então! HAHAHA :)))
Eu gostei do livro de uma forma geral, rs, mas, sobretudo, te parabenizo por ter escrito, que é um desafio enorme - já tentei e não consegui! Parabéns!




Alberto 10/06/2014

O ÚLTIMO HOMEM DO MUNDO
Ontem, dia 09 de junho de 2014 terminei dois livros que estava lendo. Nenhum dos dois faziam parte de minhas metas de leitura pra 2014 mas me permiti fugir ao meu programa de leituras que tinha estabelecido pra mim. Embora pretenda ainda cumprir o programado. Um deles foi ‘Caminhos diversos’ de uma poetisa carioca que escreve muito bem e tem grande público no Recanto das Letras embora seja ainda desconhecida do grande público. O outro é ‘O último homem do mundo’ de Tais Cortez que em março deste ano e o texto que escrevi sobre o assunto está aqui. (Clique no link)
Vou falar logo sobre o segundo que já estava lendo há algum tempo e faz parte de uma de minhas parcerias. Trata-se do livro da paulista Taís Cortez, uma simpatia de pessoa que mora em Campinas. Muito popular, demonstra uma educação primorosa e atende muito bem às pessoas, especialmente os leitores. Em breve faremos uma entrevista com ela aqui no blog. Mas agora, vou fazer a crítica literária do seu livro mais recente – ‘O último homem do mundo’. Ela também escreveu ‘Golfinhos e tubarões – o outro mundo’.
No Skoob, rede social de leituras, encontrei a sinopse abaixo que acredito seja a oficial fornecida pela autora.
Sinopse - O último homem do mundo - Tais Cortez
"O último homem do mundo" conta a história de Amanda, uma jovem de dezesseis anos que é matriculada contra sua vontade no Educação de Elite, o colégio interno mais renomado do país, onde apenas os filhos da elite nacional estudam. Sua mãe, uma atriz mundialmente famosa, não sabe como lidar com a filha. Amanda é uma rebelde e tem personalidade forte. Determinada a conseguir ser expulsa, ela é capaz das maiores loucuras. O que ela não esperava era fazer amizades que a farão rever seu plano...e que fosse se apaixonar perdidamente pelo último homem que sua consciência escolheria...” (Texto extraído integralmente do sítio do Skoob, disponível em http://www.skoob.com.br/livro/361104-o-ultimo-homem-do-mundo
Não sei quantas páginas tem o livro pois o li em PDF e esta foi uma das razões que atrasaram a minha crítica ao livro aqui no blog. Não estava acostumado a ler um livro inteiro no computador. E calhou também que fiz uma cirurgia e fiquei impossibilitado de acessar o computador por muito tempo. Terminei adiando a leitura por quase 3 meses. Mas, quando resolvi fazê-lo, concluí a leitura em poucos dias. No arquivo que li, o livro tinha 385 páginas. No site da Amazon, consta uma estimativa de 239 páginas e
O livro, apesar de ser uma história para adolescentes, é muito gostoso de ler não fosse o fato de eu estar lendo-o pelo computador. Mas, mesmo assim, quando decidi que realmente precisava lê-lo para cumprir o acordo que tinha feito com a autora na parceria estabelecida, foi muito tranquilo e agradável.
Como já consta na sinopse, Amanda é uma adolescente rebelde, em crise com a mãe, uma famosa atriz – Oliveira, que abandona a filha por conta de seus compromissos de trabalho, sociais e, nas horas vagas, de busca de um novo namorado que muda a cada semana. A princípio, Amanda parece um porre insuportável mas, aos poucos, quando vamos conhecendo-a melhor, vamos nos apaixonando e torcendo por ela. O livro é muito emocionante e, em várias partes, me flagrei com os olhos marejados. Em algumas, chorei copiosamente e em outras, dei boas risadas. É uma história muito bem arquitetada pela autora que consegue deixar você com vontade de saber qual o próximo passo, qual a próxima cena, qual a próxima emoção.
Só houve no livro, duas coisas que me desagradaram e que preciso aqui registrar: a primeira foi o descuido com a correção do texto. A princípio pensei tratar-se apenas de um descuido insignificante e que poderia relevar mas, da metade do livro pra o final, foram vários os erros encontrados das mais variadas formas. Desde erros com grafia de palavras até mesmo concordâncias inaceitáveis e que, para mim, torna-se uma agressão ao leitor. A outra coisa foi a forçação de barra ao falar de Jesus. Considerei de extremo mau gosto. Poderia ter falado do projeto que o casal de inimigos (Leonardo e Amanda) abraçaram sem fazer a propaganda de religião. Ficou inadequado e distoante do restante do livro.
No mais, o livro é bem legal e mereceu 3 estrelinhas. Recomendo a leitura especialmente para jovens mas, acredito que adultos também gostarão. Eu pelo menos gostei muito.

Você pode ler outras considerações no meu blog Verdades de um ser.

site: http://verdadesdeumser.blogspot.com.br/2014/06/o-ultimo-homem-do-mundo-livro.html
Tais Cortez 10/06/2014minha estante
Obrigada pela resenha, Alberto!
Gostei muito! Especialmente qnd disse: "O livro é muito emocionante e, em várias partes, me flagrei com os olhos marejados. Em algumas, chorei copiosamente e em outras, dei boas risadas", pois mostra q realmente foi envolvido pela história!
Peço desculpas pelos erros e garanto que isso já está sendo corrigido!
Qnt ao aspecto religioso, n posso me desculpar e nem mudaria nada, uma vez q passar valores nos quais acredito eh um motivo central de publicar minhas histórias. Sei q isso pode desagradar os leitores q não compartilham das mesmas crenças, porém sei q, como tudo na vida, n poderei agradar a tds!
Mais uma vez agradeço a resenha e o carinho!
Bjs e sucesso ao blog!


Alberto 21/06/2014minha estante
Após a postagem desta crítica com o comentário da autora e ouvindo outras pessoas, bem como minha leitura de outras críticas feitas, especialmente uma aqui do Skoob da Fernanda, descobri um aspecto que não estava dando a devida relevância e que é muito importante: a lição final que ficou da história e que, para não criar spoilers, terminei sem falar. Há no livro uma frase que vale por todo o livro - 'O amor é um risco e, se você não está disposta a se arriscar, então não é digna desse amor.' Com esta frase, e as consequências que advêm dela, quase todas as falhas do livro podem ser relevadas, diminuídas.
Pensando assim, resolvi alterar a classificação de 3 pra 4 estrelinhas.




Pri 06/02/2016

Romance improvável
Estava com vontade de ler um romance bem leve e divertido, e esse livro caiu como uma luva. Achei que seria apenas um romance adolescente bem bobinho, mas fui pega de surpresa, porque adorei o livro.

"Os livros tinham sido meus melhores amigos por muito tempo. Eles me permitiam fugir da realidade, viver a vida de outras pessoas e esquecer as frustrações com minha própria vida."

Amanda Priscila tem 16 anos e conseguiu ser expulsa dos três últimos colégios aonde estudou. Sua mãe é uma famosa atriz, Patrícia Oliveira, que passa a maior parte do seu tempo trabalhando, e o restante é gasto com romances que sempre terminam em prantos. Amanda tornou-se uma garota rebelde por causa da pouca atenção recebida da mãe, e decidiu viver em função de frustrar todas as tentativas dela em controlar a sua vida. Até que sua mãe decide matriculá-la em um dos melhores colégios internos do país, o Educação de Elite. Mas Amanda tem certeza de que não ficará lá por muito tempo, pois já tem planos para conseguir uma nova expulsão.

"— Certa vez, um professor me disse algo que nunca esqueci — ele voltou a falar. — Pessoas comuns falam sobre pessoas. Pessoas extraordinárias discutem ideias. Pessoas comuns pensam em si mesmas. Pessoas extraordinárias querem mudar o mundo. Pessoas comuns se cansam quando os obstáculos aparecem. Pessoas extraordinárias encontram forças quando todos já desistiram"

Logo no primeiro dia começa a colocar seu plano em ação. Sem querer, os estudantes acabam ajudando-a, pois sua forma diferente de se vestir chama a atenção das patricinhas do lugar. Uma líder de torcida mimada acaba arrumando briga com Amanda, e ela torce para que isso baste para a expulsão. A garota é namorada de Ricardo, e isso faz com que eles se odeiem de imediato.

"— O amor é um risco e, se você não está disposta a se arriscar, então não é digna desse amor."

Porém os planos de Amanda começam a dar errado quando duas garotas decidem defendê-la. Além disso, o colégio conta com a supervisora Vilma, que está sempre atenta às confusões e está decidida a não permitir que a menina quebre as regras. Somando o fato de o diretor ser muito paciente e não estar disposto a dar o que Amanda deseja, ela se vê obrigada a continuar lá por mais tempo do que gostaria.

"— Amanda. Você é esperta. Será que não percebe que está sabotando a si mesma? Você gosta daqui. Fez amizades. E, ainda assim, insiste em ser expulsa pelo simples motivo de que quer desagradar sua mãe. Quando você vai parar de deixar ela controlar a sua felicidade? Quando vai parar de colocá-la no centro de suas decisões e começar a viver sua vida de verdade?"

Ricardo é o garoto mais lindo e popular do colégio, mas também é o mais mulherengo. A atração entre eles é inegável, mas o ódio que nutrem um pelo outro é maior. Amanda decide usar isso para ajudá-la a sair mais rápido do colégio e os dois começam uma disputa para ver quem consegue prejudicar mais a imagem do outro.
O que ela realmente não contava era que, por motivos de força maior, teria que se unir a Ricardo. A convivência dos dois, que parecia ser tão difícil desde que se conheceram, passa a ser uma coisa boa, e Amanda começa a ficar envolvida por ele. Mas será que vale a pena se entregar a uma paixão por um garoto que parece tão errado?

"— Minha cabeça diz que ele é o último homem com quem eu quero me envolver — admiti.
— E o seu coração? — perguntou Paulina.
— Diz que é tarde demais..."

Apesar da história ser bem clichê e na maior parte do tempo ser fácil deduzir o que acontece a seguir, fiquei encantada com o livro. A escrita é muito leve e gostosa e a leitura é bem rápida. Amanda é uma personagem muito divertida e, apesar de tentar mostrar para todos que é uma pessoa forte e de tentar passar um ar rebelde, ela se sente muito sozinha por não ter amigos e pela falta de atenção da mãe. Não está acostumada a confiar em ninguém, então quando começa a se apaixonar por Ricardo se nega a aceitar que pode gostar de um garoto tão mulherengo.
Lembrei muito de quando eu era mais nova enquanto lia, o que tornou a leitura ainda mais divertida. Acho que não tem como não se identificar. O livro não é apenas um romance adolescente, também trata de confiança, convivência familiar, amizade. Assuntos importantes abordados de forma suave. Gostei muito do desenrolar da história e estou animada para ler os outros livros da Tais. ^^

site: http://www.sigolendo.com.br/2016/02/cheiro-de-livro-novo-o-ultimo-homem-do.html
Tais Cortez 14/02/2016minha estante
Oiii, Pri
Obrigada pela resenha! Adorei!
Fico feliz q tenha se surpreendido e gostado da história :)
Tbm gostei dos comentários sobre minha escrita e sobre ter se identificado com o livro e os diversos assuntos importantes abordados!
Espero q meus outros bbs tbm a agradem!
Bjsss e sucesso ao blog :)


Pri 24/02/2016minha estante
Muito obrigada Tais!
Muito sucesso a você também! Que seus livros conquistem muitos corações. ^^
Beijos




Damiana 28/01/2014

Este foi é livro que ate o meio tem uma leitura uma leitura fácil... aquele mais do mesmo...
Porém na parte que começa uma evangelização dos leitores... achei que nao tinha necessidade nenhuma, o tema poderia se abordade de forma suave, mas ficou mais parecendo uma evangelização.
No mais o livro é um romance bonzinho.
Tais Cortez 02/02/2014minha estante
Olá, Damiana!
Obrigada pelo feedback :)
Q pena q n gostou tanto!
A parte q vc disse q ficou parecendo uma evangelização é mto importante para mim...e tentei abordá-la de uma maneira breve, porém significativa...
Passar valores q eu acredito através dos meus livros é um motivo central para publicar minhas histórias e n poderia abrir mão disso...
D qlq forma entendo q possa ter estranhado ou n gostado, respeito e agradeço novamente a opinião :D
Bjss


Damiana 08/04/2014minha estante
Tais,
agradeço o seu comentário a repeito da minha opinião.
Eu respeito os seus valores.
A historia de maneira geral é bem agradevel e é sim um bom livro para ler.
Confesso se não fosse pela parte da "evangelização" minha nota seria muito maior, porem não gosto de livros que perdem o foco do romance para outra coisa, por exemplo evangelização. Eu gosto de livros que sejam imparciais. Tirando essa parte te digo que o seu livro, por mim, receberia uma nota 4.
Infelizmente temos maneiras diferentes de apreciar esse tipo de informação.
Bjus




spoiler visualizar
Tais Cortez 10/02/2014minha estante
Q deliciaaaa ler uma resenha tão maravilhosa!
Ela eh a mais completa q jah vi!
Fikei mtooooo feliz por ter gostado!!! :D
Eh um grande prazer receber feedbacks como o seu! Uma verdadeira recompensa por compartilhar minhas histórias!
Obrigada pelo carinho e dedicação ao escrever!
Bjsss e sucesso ao blog!


Simeia Silva 18/02/2014minha estante
Obrigado,foi um prazer ler seu trabalho maravilhoso.




Clã 09/05/2014

Clã dos Livros - O Último Homem do Mundo
A leitura desse livro flui, é uma leitura deliciosa, bem articulada, recheada de momentos doces, engraçados, alguns que dão raiva, emocionam e outros que te fazem sorrir.


Conta a história da adolescente Amanda que é rebelde só pra chamar a atenção de sua mãe, uma atriz famosa que não lhe dedica muita atenção ou tempo. Amanda usa suas atitudes como uma maneira de se vingar de ser deixada em segundo plano.

“Ela havia decidido cada detalhe da minha vida até então, e eu não conseguia mais suportar isso. Se ela ao menos se importasse comigo...mas não. Ela não dava a mínima para o que eu pensava ou se era feliz.” (pág 5)

Agora depois de ser expulsa de três colégios, sua mãe resolve colocá-la em uma escola onde os alunos só vão para casa aos finais de semana. (Me lembrou um pouco aqueles seriados americanos onde os dormitórios dos meninos ficam de um lado e do das meninas de outro).

Amanda uma adolescente de 16 anos corajosa, arretada, rebelde sim, mas com causa, com personalidade forte, que não leva desaforo pra casa, não suporta injustiças, que sabe o que quer e não está nem aí para a opinião dos outros, carregada de maquiagem forte, com cabelo roxo e roupas pretas, se vê entrando numa escola de elite, mas já arquitetando o que iria fazer para ser expulsa dali. O que ela não contava era com um diretor justo, honesto e que acredita nela mas do que ela mesmo:

“Mas tinha algo nele que me incomodava profundamente ele prestava atenção em mim. Isso era algo que eu não estava acostumada e não sabia lidar muito bem. “ pag 24

Mas antes mesmo de entrar na escola, quando ainda está fugindo da presença de sua mãe, a atriz famosa que agora para, para dar autógrafos, ela esbarra literalmente com um grupinho, nada fácil, dos alunos mais populares e queridinhos do local. Esses alunos se acham os melhores e pensam que mandam em tudo, mas agora encontraram alguém a altura para dar o troco para suas pequenas maldades.

Amanda se mete em muitas brigas, principalmente com o casal de namorados Ricardo e Mariana. Torcemos por ela mesmo sabendo que vingança não é legal, mas as vezes, alguma pessoas merecem uma lição.

Mariana é filha do diretor da escola e namorada de Ricardo. Mariana ajudou Ricardo quando ele teve problemas com a bebida e com sua família complicada. Os dois agora estão em uma relação meio confusa.

Amanda e Ricardo vivem se bicando, implicando e brigando....

Dizem por aí que há uma linha muito tênue entre o ódio e o amor, e é nessa linha que vão caminhar Ricardo e Amanda. Ele vive sempre implicando e metendo-a em confusões. Porém se vê surpreso, ao perceber que ela é tão diferente, cheia de opinião, coragem e personalidade e que o encara de igual pra igual. Sente-se instigado por essa garota atrevida, mas de bom coração. E ela também vai descobrindo um outro Ricardo, além daquela fachada.

Em meio as confusões, os dois vão se descobrindo se conhecendo...e aquele ódio transformando-se...


Com o tempo, Amanda descobre valores como amizade, fidelidade e confiança, que a muito tinha esquecido ....

Um livro leve para se apreciar, fácil de ler e se perder nele. Nos faz estar de volta a essa época boa, cheia de expectativas, amores, brigas, paixões, festas, borboletas no estômago e confusões.

site: http://cladoslivros.blogspot.com.br/2014/05/resenha-o-ultimo-homem-do-mundo-tais.html
Tais Cortez 10/05/2014minha estante
Adoreiiiii a resenha...mto mto mto!
Percebi o qnt vc realmente foi envolvida pela história, personagens, escrita, etc...o que é sensacional!!!
Obrigada pelo carinho! Seu feedback foi um verdadeiro presente que alegrou meu coração!
Bjsss
e sucesso ao blog!


Clã 12/05/2014minha estante
Que legal Tais! Feliz em saber que vc gostou... nós do Clã adoramos o seu livro! =)




Mariana 22/08/2015

MUITO BOM!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
ADOREI O LIVRO, A HISTÓRIA E OS PERSONAGENS, RECOMENDO
Tais Cortez 23/08/2015minha estante
Oiii, Mariana
Fico muito feliz q tenha gostado :)
Obrigada por compartilhar o que achou!
Bjssss


Fer - Mato Por Livros 29/08/2015minha estante
Amooooooo de paixão e a Ta é uma fofa eterna.




Bia 13/01/2014

Comédia romântica leve e divertida!
Eu sou fraca e uma farsa. Não consigo para de furar fila na minha lista de leituras, muito menos parar de baixar livros por aí.

Quando vi que a Tais disponibilizou o livro de graça na Amazon, não perdi tempo. Porque coisas de graça já são boas, livros então… Mas o pior foi que que não pretendia começar a ler tão cedo, só que eu ouvia tanto falar de Golfinhos e Tubarões,da mesma autora, que eu resolvi dar uma chance e conhecer, além de precisar de algo mais leve para ler.

Esse é um livro bem sessão da tarde, de uma forma boa. Essa é a parte que eu mostro minha farsa, pois eu fujo tanto de romances ultimamente e à esse eu não consegui resistir.

Amanda é filha de uma atriz famosa mundialmente e revoltada com a falta de atenção da mãe, com isso ela faz questão de ser expulsa de todas as escolas que é matriculada, colecionando três até o momento. Na quarta escola, no entanto, ela se surpreende, apesar de ser de período integral, pois faz amigos, inimiga e encontra um novo amor, Ricardo, aquele fofo e último homem do mundo com quem ela se relacionaria.

No início a protagonista se mostra bem irritante e infantil, fiquei com medo disso se estender pelo livro todo, mas quando Amanda desapega da raiva pela mãe, tudo fica melhor, temos momentos engraçados, de solidariedade, amizade e, claro, românticos.


O livro é muito legal, me peguei rindo e com o olho cheio d’água. A narrativa é leve e fluida, faz você querer mais. Os acontecimentos são bem naturais e gostei bastante da forma que a escritora escreve.

Eu já declarei guerra a alguns clichês aqui no bloguinho, mas esse é um clichê bom que me pegou de jeito, é historia de amor de comédia romântica que tanta gente gosta. Fiquei querendo mais Ricardo e Escola Elite. Leiam, vale a pena

site: www.livredujour.wordpress.com
Tais Cortez 13/01/2014minha estante
ahhh...obrigadaaa pela resenha, Bia!
adoreiii saber q vc foge d romances, mas n resistiu a esse! rs
dpois d escrever Golfinhos e Tubarões, eu estava exausta e quis escrever algo leve e divertido...fico mtooo feliz q além de rir vc ainda ficou com olho cheio d'água! rss
Bjsss
e sucesso ao blog :)




Fabi 30/01/2016

O Último Homem do Mundo
Confesso que quando recebi da Ler Editora ainda nos tempos de blog Literatura & Eu, eu não dava muito por esse livro. Um romance adolescente envolvente que mistura rebeldia, adolescentes ricos e um colégio interno.

Amanda é uma rebelde típica, aquela que faz de tudo pra chamar a atenção e contrariar a mãe ausente que é uma atriz muito famosa. Depois de ser expulsa da escola sua mãe então decide coloca-lá no Educação de Elite, um dos mais prestigiados colégios internos do país. Lá ela conhece Ricardo, o garoto lindo, popular e rico e é claro que aquela atração disfarçada de antipatia aparece logo de cara.

Apesar de todos os clichês típicos de romances teen o que me agrada nessa obra é a estrutura dos personagens. A medida que a história avança descobrimos a verdade sob as máscaras e rótulos. Ricardo e Amanda são muito mais do que o popular e a rebelde, o lindo e a esquisita.

O final e o envolvimento da Amanda com uma ONG me deixaram surpresa. Adorei o pano de fundo social do desfecho dessa história e recomendo a leitura. Adoraria ver essa turma na faculdade. Fica a dica para a autora. #QueremosContinuação

site: http://fabiolaluzblog.blogspot.com.br/2016/01/livros-o-ultimo-homem-do-mundo-tais.html
Tais Cortez 30/01/2016minha estante
Oiii, Fabíola
Obrigada pela resenha :)
Fico feliz Q tenha gostado!
Adorei a ideia de uma continuação na faculdade hahaha
E Q bom Q gostou do fundo social da história!
Bjssss
E sucesso ao blog!




Lucas 24/01/2014

Depois de a autora ter me surpreendido com “Golfinhos e Tubarões”, não poderia de deixar de ler seu outro livro – “O último homem do mundo”. Comecei sem muitas expectativas, antes tinha lido uma resenha lá não muito positiva, então deixei meus pés no chão.

O livro conta a estória de Amanda – uma jovem rebelde e filha de uma famosa atriz. Ela tem um relacionamento complicado com a mãe e este se agrava depois de decidir mandar a filha para um colégio interno, um dos melhores do país.

Para provar para a mãe que ela já não é nenhuma criança e que pode tomar as suas próprias decisões, vai tentar de tudo para ser expulsa do colégio. Uma atitude tipicamente adolescente. Com o passar dos dias, acaba colecionando alguns amigos e também inimigos e querer ser expulsa já é uma dúvida.

É um livro bem água com açúcar e que se fosse adaptado para filme a protagonista poderia ser facilmente interpretada por Lily Collins (a interprete de Claire, de Instrumentos Mortais).

É um livro com uma escrita fácil e de capítulos curtos, daqueles para se ler em uma sentada. Por se passar em um colégio, o livro conta com vários tipos de pessoas e grupos, de patricinhas a atletas. São personagens que ou você cai de amores por eles, ou odeia de cara suas personalidades.

Também vemos nele um amadurecimento conforme os meses na escola vão se passando. Acompanhamos seus erros, acertos, brigas, beijos e conquistas. Em certo momento a história se enveredou para um rumo que eu não esperava e fiquei feliz em ver que mesmo os mais rebeldes também são capazes de mostrar um ato de caridade.

No fim, o livro cumpriu com todas as minhas expectativas e como disse em certo momento me surpreendeu. É um livro para ler sem compromisso e que pode de tirar do tédio quando aguarda em uma fila. Tais Cortez acabou se tornando umas das minhas escritoras brasileiras favoritas.


site: livrosecontos.blogspot.com
Tais Cortez 24/01/2014minha estante
Ahhh...q emoçãooo ler q me tornei uma das suas escritoras brasileiras favoritas!!! :)
Obrigada pela resenha! adorei!
Fico mto feliz q o livro tenha atendido às suas expectativas e, melhor, surpreendido em certo momento!
Bjss
e sucesso ao blog!




TamiresCipriano 23/05/2014

O último homem do mundo
Amanda é a nossa protagonista da história que tem 16 anos. Muito determinada, mimada e rebelde, não concorda que sua mãe decida para que escola vai, por isso, sempre faz com que seja expulsa, mas não desta vez, não nesta escola.

Desde quando a mãe da Amanda tornou-se atriz, ela se sente sozinha e infeliz, sendo expulsa nas últimas escolas, sua mãe decide colocar em outra. O colégio Elite é o melhor do país, e lá é onde Amanda encontra duas amigas e o último homem do mundo, Ricardo.

"De menina boa e solitária eu comecei a mudar. Tornei-me explosiva e temperamental, conseguindo o feito de ser expulsa de três colégios nos últimos três anos. Minha mãe era milionária e eu não entendia por que deveria seguir um rumo cujo fim era onde estava em primeiro lugar."

As duas amigas que Amanda faz são as mesmas que ajudou ela a livrar de uma detenção por uma briga com a filha do diretor, a Mariana, mas não pense que Amanda gostou, porque este era o plano dela de ser expulsa. Depois ela acaba descobrindo que as duas meninas que tiveram o bom coração de salva-la e as mesmas que atrapalharam seu plano, são suas colegas de quarto.

Mudando de personagem... Ricardo é um garanhão, grosso e que já teve sérios problemas com bebida, por isso Mariana era sua namorada, foi a única que na época o salvou disso.
Claro que a Amanda teve que gostar justo dele, mas no início ele era um idiota e ao fim se mostra completamente outro.

Acho que seria legal citar que, por causa de um dos planos de Amanda ela acaba ficando na escola no fim de semana, e é ai que descobre muita coisa fora de seu mundinho de que pode tudo, existe pessoas com a vida pior do que a dela e mesmo assim são felizes somente com um lugar para ficar e comer.


A escrita da autora é muito simples e boa, leva a narrativa com leveza e naturalidade, nem vi que tinha chegado ao fim do livro!
Amanda me irritou diversas vezes, mas depois de conhece-la melhor eu gostei dela, já a Mariana não gostei de inicio ao fim do livro rs.

Eu gostei bastante da autora não ter colocado somente o romance como foco, mas a importância de ajudar o próximo é que me animou mais ainda para ler e gostar de Amanda.

Por fim, existe pessoas que mudam, outras não...

Saiba mais no blog:

site: http://de-tudo-e-um-pouco.blogspot.com.br/2014/05/resenha-o-ultimo-homem-do-mundo.html
Tais Cortez 10/06/2014minha estante
Tamiii, obrigada pela resenha!
Gostei mtooo!
Q bom q a Amanda conseguiu conquistar vc por fim rss....
Fico feliz q tenha gostado da mensagem do livro...para mim eh mto importante passar valores q acredito através das minhas histórias!
Bjss
e sucesso ao blog!




Bianca 15/02/2014

O Último Homem do Mundo
Amei o livro, demorei poucas horas para terminar a leitura, teria demorado menos, mas fiquei naquela situação onde o livro é tao bom e a história e os personagens, que você não quer dar o Adeus, então diminui o ritmo da leitura, só para ficar mais tempo com eles,esse livro é assim, entre intrigas , brigas meninas malvadas e meninos lindos, esse livro vai te deixar com vontade de ir estudar no Elite rs.

PS: Tais saudades da turma do Elite, trás eles de volta rs, bjokas ♥
Tais Cortez 17/02/2014minha estante
Awww...ameiii seu comentário, Bianca!
Fiquei emocionada ao saber q se sentiu assim...adorando e devorando o livro e, ao mesmo tempo, desacelerando a leitura para ficar um pouquinho mais com os personagens :)
Vou pensar com carinho no seu pedido de trazer eles de volta! rss
Bjsss e obrigada pelo carinho!




153 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |