King Of Thorns

King Of Thorns Mark Lawrence




Resenhas - King of Thorns


114 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Beatriz 31/07/2021

superou minhas expectativas
Nesse livro, acompanhamos o amadurecimento de Jorg que se esforça para ser uma pessoa melhor, as vezes ele falha mas entendemos sua real natureza. Tem um aprofundamento melhor das motivações dele, e das ações de um certo personagem que chega a ter reviravoltas maravilhosas.
Foi adicionado novos personagens importantes para a trama que teve uma certa influência na construção do Jorg, cada um marcante de seu jeito. Faltou explorar melhor outras coisas mas acredito que no terceiro vai ter uma explicação mais detalhada. Temos acesso ao diário de um personagem fazendo a gente olhar por outra perspectiva, o que foi complementar pra história em si.
Tive melhor entendimento do ambiente, não fiquei perdida que nem no primeiro sem conseguir imaginar o cenário direito. Sobre as cenas de batalhas, ? simplesmente épicas e bem descritas. Amei muito, mas esperava ele mais sanguinário/maligno kkkj
Viits 31/07/2021minha estante
AGORA EU TO MUITO MAIS CURIOSA PRA LER KKKK




andy 15/05/2020

Jorg, Jorg
Eu já disse que amo a escrita poética dessa escritor? Que eu amo odiar o Jorg?
Eu acho incrível os mecanismos usados pelo o autor para construir o universo, como ele alterna do passado e o presente. Acho genial.
Blur @13lurmore 15/05/2020minha estante
Ótima trilogia!




spoiler visualizar
comentários(0)comente



Dayane 05/06/2020

Rei dos espinhos
O príncipe que se torna rei, o livro é exatamente isso, um menino impulsivo cheio de raiva que começa aos poucos a amadurecer, e isso não significa nenhum pouco que ele fica mole, esse livro nos traz a evolução do personagem e a consolidação de seu poder, antes era um aspirante agora ele tem o trono e precisa mante-lo. A fantasia toma um pouco mais de espaço nesse livro, e algumas feridas do personagem sangram.
Xabriel 05/06/2020minha estante
Interessante sua resenha, fiquei interessado no livro agora.




spoiler visualizar
comentários(0)comente



Lorena Oliveira 20/01/2022

O menino cresceu
É incrível como mesmo relendo o livro pela segunda vez, ele continua me surpreendendo. Noto coisas que na primeira não foram tão percebidas, continuo amando os personagens. Jorg está amadurecendo e tentando se tornar uma pessoa melhor, ou nem tanto. Continua um trapaceiro haha E vamos para o próximo pra saber mais dessa história mega intrigante e bem escrita. Amo a fluidez da leitura. Eu recomendo demais a leitura, e aceito sugestões de livros semelhantes hihi
comentários(0)comente



Alexandre Nabhan 13/09/2020

Incrivel
Que livro é incrível a começar pela diferença entre a narrativa dele em relação ao primeiro que é muito grande. O autor aparenta ter evoluído muito de um para o outro, ele consegue fazer o desenrolar da história aqui ser ainda mais fluido, com "mini arcos" muito empolgantes.

Mas eu acho que o maior tesouro deste livro é nós presenciarmos o amadurecimento de Jorg, provavelmente a galera vai conseguir se conectar muito mais com ele neste livro, quem sabe até se identificar kkkk se é que isso é possível. Aqui nós vamos ver um pouco mais das dores do Jorg, e não, isso ainda não justifica nada do que ele já fez, mas desta vez sabemos o motivo de tudo, ele realmente compete com o Guts de Berserk sobre quem tem a vida mais ferrada kkk Mas Guts ainda Ganha facil. Mas ainda sobre o protagonista nós vamos ver ele mais maduro até mesmo mais "sentimental" se bem que essa é uma palavro forte de mais pra ele mas foi a que me veio aqui, de qualquer forma é muito interessante ver esses momentos onde até mesmo o Jorg se questiona sobre o que esta acontecendo com ele. E se ele vai se tornar uma pessoa melhor ao final deste livro eu deixo essa pergunta para a leitura de vocês.

O livro também vai ser dividido em duas linhas do tempo, a atual Jorg está com 18 anos no seu dia de Casamento, onde se formos compara número de mortos, Game OF Thrones Perde o titulo de casamento vermelho por o que rola aqui senhor. A outra linha do tempo é quase que exatamente após o final do primeiro livro.

E nós vamos ter uma outra cereja no bolo entre essas duas narrativas de Jorg que são os Diários de Katherine. Cara esse diários são de mais, eu realmente ficava muito mais empolgado quando chegava um deles, eles vão nos mostrar como ela vê todas essas situações e vão complementar alguns fatos que nós não tínhamos como ver através da visão do Jorg, além de me fazer torcer mais ainda pela personagem.

O final deste livro me impactou muito, na verdade não ocorre nada de mais, só que eu me deixei iludir ao decorrer do livro e esqueci qual livro eu estava lendo kkkk, de qualquer forma já estou indo para o terceiro, vamos ver o que Jorg de Ancrath nos trás nos cap finais de sua história.
comentários(0)comente



Vexvee 22/10/2020

Esse segundo livro te presenteia com muitas respostas as questões que ficaram pendentes do anterior, mas no meio dessa bagunça toda os eventos acontecem de forma tão rápida que você se perde no enredo. Gostei muito de deixar algumas coisas nas entrelinhas para o leitor se esbaldar nas teorias e usando a imaginação, mas quero muito que no próximo livro as inquietações que vem desde o primeiro momento que você começa a acompanhar o jovem Jorg sejam finalmente respondidas.
É o protagonista mais cara de pau e realista que eu já me deparei. O cara é todo fudido, traumatizado, perde, luta, aprende, é impulsivo, chora, é gado e ainda escuta os mais velhos.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
Volpi 22/10/2015minha estante
um baita estouro diga-se de passagem, KKK'.




Morningstar 03/05/2021

Melhor que o primeiro e te deixa pedindo por mais.
comentários(0)comente



Jacon 28/04/2021

Superou o primeiro
Esse livro conseguiu superar o primeiro em todos os aspectos!
Não tem como resumir, simplesmente leiam!
comentários(0)comente



Tamirez | @resenhandosonhos 13/08/2018

King Of Thorns
Quando eu li Prince of Thorns, apesar de ter gostado da história, ainda não havia sido suficiente para que eu me apaixonasse por ela. Jorg não é o típico protagonista e tudo em volta dele cheira a estranhamento. Ele é um garoto jovem mas sanguinário, tem pouca empatia e parece carregar um peso enorme nas costas. E, acima de tudo, busca por vingança. Acho que dentre todos esses aspectos, a idade foi o que mais pesou pra mim num primeiro momento, mesmo sabendo que seria completamente possível.

Em King of Thorns o personagem finalmente me cativou e ganhou a confiança para que eu fosse a frente com essa história. Nesse livro temos a trama acontecendo em duas linhas temporais. A primeira é logo após o fim do primeiro livro com Jorg saindo em uma peregrinação; aqui vários dias e semanas vão se passar e é realmente uma jornada do personagem. Já a segunda acontece 4 anos após sua conquista, no dia do seu casamento e quando o exército de Arrow bate a sua porta. Nessa parte a narrativa se desenvolve em muito pouco tempo.

Além desses dois momentos também temos algumas entradas do diário de Katherine e ele ajuda a dar um tom diferente ao emaranhado de informações. Por vezes receberemos informações no presente que só verdadeiramente se desenrolarão mais ao fim do livro no passado. Ou entradas do diário contando o resultado de coisas que ainda não aconteceram, tecendo algo que o leitor apenas imagina o que possa ter. Eventualmente todos as linhas se encontram e revelam o mix total da história.

“Eu não sou ele porque nós morremos um pouco todo dia e gradualmente nascemos outra vez, homens diferentes, homens mais velhos com as mesmas roupas, com as mesmas cicatrizes.”

Outro ponto diferente desse livro é o próprio Jorg. Ele está mais velho aqui e o peso das coisas que ele fez já lhe cerca, junto com a neuromância que também cobra seu preço. Ele tem momentos de empatia, solidariedade e até paixão, surpreendendo quem aguardava que ele mantivesse o mesmo ar arisco do primeiro livro. A sensação que eu tenho é que ele parece mais confortável “com o leitor” para se abrir e assim é possível que criemos um elo mais forte com ele do que anteriormente. Ele também parece mais cansado, e com um entendimento melhor de que não é somente vontade que é necessária pra vencer.

Achei interessante ver a relação dele aqui com Katherine e como a coisa ficou ainda mais intensa e platônica. Já Miana, a sua noiva, mesmo nova acaba se mostrando bem inteligente e decidida, sendo um par até perfeito para estar ao lado do teimoso e resoluto Ancrath. É certamente uma relação que evolui de forma diferente do que o esperado e não vem a atrapalhar ou tomar o centro da história, mesmo sendo importante para o andamento da coisa. Também conheceremos melhor o fiel escudeiro de Jorg, Makin, o avô e sua importância na trama, outras coisas “mágicas” e a presença da caixa de Pandora.

Algo que eu não tinha reparado com Prince of Thorns é que a história se entrelaça com o nosso mundo antigo, no período da inquisição, e do poderio católico e religioso sobre o mundo. A princípio tinha visto o mundo de Lawrence como algo novo, mas ele recria em cima de algo real, algo pós-apocalíptico, o que também ajuda o leitor a se aproximar mais da trama.

Para quem não tinha se empolgado muito com o primeiro volume, digo que esse segundo realmente vale a pena e segura a história, dando mais profundidade aos personagens e ao mundo que o cerca. Para aqueles que já haviam se apaixonado por Jorg em um primeiro olhar, não há o que temer aqui. Mark Lawrence lapida sua trama e nos entrega algo grandioso e sombrio.

site: http://resenhandosonhos.com/king-thorns-mark-lawrence/
comentários(0)comente



lune 13/04/2020

'Com fogo e sangue eu os farei se curvarem...blá blá blá
Não estou surpresa por não gostar desse segundo livro da trilogia sendo que odiei o primeiro, então não é uma novidade nenhumas das críticas porque elas apenas se repetem nesse livro.

Eu não tenho certeza se eu falo sobre o personagem ou sobre o autor, é realmente difícil saber sobre qual falar porque é... muito ruim!

Nesse livro se descobre (não realmente) mais detalhes sobre o Império, sobre os Construtores, sobre o Sol e esses detalhes que eram uma confusão (e continuam). Do nada surge peças na história que nos mostra sobre a civilização que foram os Construtores e é incrível! Uma pena que existe 0 desenvolvimento, Mark solta esse detalhes: a placa, os hologramas, os satélites e diversos outros e simplesmente segue em frente! Não existe relevância, sendo que existe porque o Jorg usa dessas peças para conseguir as coisas!

O livro tem mais de 500 páginas onde se divide entre flashbacks, presente e diários de Katherine, eu sinto que foi completamente irrelevante tudo, porque como sempre na batalha o plano de Jorg simplesmente aparece na hora, com coisas que deveriam ter si mostrado relevantes e não foram.

As viagens de Jorg são um desperdício de páginas, a cena mais patética do livro é quando ele rosna para um cachorro enquanto tem um Príncipe que ele poderia ter duelado e etc, é de dar risada e querer jogar o livro no chão.

Os poderes dele surge do nada, um momento é uma coisa que esfria a pele dele no outro ele está com total controle e competindo de frente com uma necromante (aquela que só aparece para oferecer sexo pra ele).
Durante o Presente ele fica abrindo a caixa sendo que esta acontecendo uma batalha e fica tendo mais flashback, é completamente sem sentido ele fazer aquilo, ele entra em estupor quando descobre quem é a criança sendo que é óbvio quem ela é o tempo inteiro.

Chega uma parte onde o holograma simplesmente tira uma memória dele e coloca na caixa que foi um mago que fez(?) Como isso acontece? como isso é possível? Não existe explicação sobre nada! Nem Jorg expressa curiosidade sobre nada que descobre.

É cansativo, não se sente empatia por ninguém, morrem não sei quantos e não faz a mínima diferença é tudo simplesmente vazio.

Sempre que chega no final é Jorg falando que "não é o mesmo"... Existe 0 jogos políticos e os planos de batalha (uma só) surge do nada, ele tira informações de lugar nenhum (que como leitor se descobre, mas ele não deveria saber e nem é mostrado como ele poderia saber).

Enfim, é uma tomada do Império cheia de buracos, misturando magia, necromantes e tecnologia só que sem desenvolvimento, com um personagem sem graça e fraco.

Lembrei de outro ponto, não sei se foi erro da tradução ou não mas algumas vezes Jorg usa a palavra "lanterna" e outras usa "lâmpada" o que é muito estranho porque ele não deveria conhecer essas palavras. Eu também não entendo como tantos livros sobreviveram, a religião e tudo mais, mas não as construções as tecnologias...
Rhe 14/04/2020minha estante
Eita ?


Kai 15/04/2020minha estante
Totalmente coerente e lúcida, amo demais




spoiler visualizar
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



114 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR