A Garota Que Você Deixou Para Trás

A Garota Que Você Deixou Para Trás Jojo Moyes




Resenhas - A Garota Que Você Deixou Para Trás


295 encontrados | exibindo 16 a 31
2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 |


AmadosLivros 15/08/2017

Olá queridos! Hoje tem resenha de um livro que faz parte do segundo trouxa viajante, e, é nada mais, nada menos, que um livro escrito pela Jojo Moyes, uma autora que tem sido muito falada ultimamente. Bem, devo dizer que nunca tinha lido nada dela antes, mas a experiência foi muito boa e já estou pensando em dar uma chance para outras obras dela.

O livro começa durante o período da primeira guerra mundial, e nós somos levados para uma pequena aldeia na França, onde as pessoas passam fome, e muitas dificuldades, devido a invasão alemã. Nosso foco central é na Sophie e sua família. Ela e a irmã tomam conta de um hotel, que antes já fora magistral, mas agora, em meio a tantas dificuldades, está caindo quase em ruínas.
Sophie vive apegada as lembranças que seu marido Édouard deixou, antes de ir para a guerra, e entre essas lembranças está um quadro que o Édouard pintou de Sophie. Ela quase não reconhece mais a garota que ficou no quadro, agora apenas uma sombra em seu íntimo. A vida dela não é nada fácil, mas ela tira forças dessas lembranças de amor, pensando apenas na hora que estará novamente nos braços do seu amado Édouard.
Mas o livro não segue focando apenas na Sophie. Quase um século depois, na Londres dos anos 2000, conhecemos Liv, uma jovem solitária que ainda vive em luto por seu marido David. De todas as coisas que David deixou, sua maior paixão é por um quadro intitulado "A garota que você deixou para trás", e, ela não consegue imaginar sua vida sem esse quadro,
O que essas duas mulheres tem em comum, o que as liga, e como a autora consegue manter uma história cativante e comovente mesmo com quase cem anos entre as linhas temporais são os temperos desse livro que eu achei sensacional. Amei cada segundo que passei lendo a história da Sophie, e, bem, a Liv demorou um pouco mais para me cativar, mas me ganhou.
Foi um romance diferente do que eu esperava, pois me falaram que eu iria chorar rios ao ler um livro da Jojo e olhar, ainda bem que não foi assim. Um livro gostoso, com uma leitura fluída e deliciosa. Eu gostei do livro e recomendo com total certeza.

site: http://amadoslivros.blogspot.com.br/2016/06/livro-garota-que-voce-deixou-para-tras.html
comentários(0)comente



Elen 12/08/2017

UM DOS MELHORES LIVROS QUE JÁ LI
Eu não sei nem o que comentar depois de ler esse livro. Sabe quando você tem tanto para falar a respeito que não sabe nem por onde começar? Então...

Primeiro eu quero dizer que eu vou entrar em uma tremenda ressaca literária porque vai ser difícil eu encontrar outro livro maravilhoso como esse.
Segundo, só tenho a agradecer a Jojo por ter feito essa historia maravilhosa, por ter me dado a oportunidade de embarcar nas aventuras e, claro, desventuras dessas duas mulheres de eras diferentes (porque o livro se passa em tempos distintos: Primeira Guerra Mundial / Dias atuas), mas com tanto em comum. Como eu já falei antes, a escrita da Moyes é tão fácil de ler, tão fluida que quando você percebe o livro já acabou. E isso foi um problema porque sinceramente eu não queria ter que me distanciar das duas protagonistas, mesmo sabendo que uma já havia morrido (mas não sabendo como)... Nossa, foram tantos mistérios, tanta aflição, tanto angustia. Você fica maluca para saber que fim teve a querida Sophie e sua família, o que acontecerá com a Liv, qual será o destino do bendito quadro...

Eu me apeguei tanto a esses personagens que foi difícil largar o livro. Eu me encantei pela Sophie, por sua coragem, por sua fé, por sua maneira de ver o mundo, seu modo de sempre seguir acreditando no seu instinto. Se bem que algumas vezes eu - quase - xinguei ela por continuar acreditando no que aos meus olhos não tinha mais saída . Mas ai ela foi e me mostrou que estava certa, que as vezes a nossa fé só é testada.

E a Liv... tão forte lutando com unhas e garras por aquilo que acredita ser o certo. Defendendo, custe o que custar, a honra e o nome de uma "desconhecida" que nem estava mais viva. Foi lindo, foi motivador!

Confesso que chorei em VÁRIAS partes, principalmente as que focam mais nas consequências da guerra. É tão triste pensar que seres humanos foram responsáveis por tais barbaridades. É como diz uma passagem desse livro: "A humanidade é capaz de amor e beleza assim como de destruição."

E no final quando você acha que já sabe de tudo, quando você pensa que não há mais tempo e nem páginas suficientes para terminar do jeito que deveria, quando você olha pro nada e joga um "POR QUEEEEEÊ?", vem Jojo e coloca os pontos nos 'is' de uma maneira que me fez chorar mais ainda.

P.S.: Apesar de todo o ocorrido, tem uma parte no epílogo que quando eu li me senti tão aliviada que foi como se eu tivesse ganhado o mundo!!! #Recomendo
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Cheli 09/08/2017

Ameiiiii...
O segundo melhor livro da Jojo, com certeza...
comentários(0)comente



Nat 28/07/2017

Top 1
Sem dúvidas um dos melhores livros que já li! A transição da história da Segunda Guerra para os tempos atuais foi feita de um jeito muito fútil, uma história cativante que te faz não querer parar de ler!
Carol 28/07/2017minha estante
Fútil??? Não entendi
E o início do livro foi na Primeira Guerra ?




Beatriz.Cavalcante 23/07/2017

Interessante
Então o livro A Garota que você deixou pra trás é um livro interessante, pois fala de uma história que se passa antes e depois da segunda guerra mundial,mas é um livro que requer muita paciência ,pois a história é longa e bem complexa mas uma história boa de se ler aos poucos pra não se enjoar da história,nem se entendiar
comentários(0)comente



Lavínia 19/07/2017

Um quadro, duas histórias de amor e coragem
O livro conta com duas histórias distintas que acabam se cruzando no final graças a um quadro pintado na França, cujo nome é "A garota que você deixou para trás" que foi supostamente roubado por duas vezes.

A primeira parte da história acontece no ano de 1916 e é narrado em primeira pessoa por Sophie. Essa primeira parte conta a vida de Sophie, que vivia na frança com sua irmã, seus sobrinhos e era casada com Edouard. A história se passa durante a Primeira Guerra Mundial e por esse motivo a trama se tornou bem mais emocionante e atrativa que a segunda parte, que em minha opinião foi bem chatinha.

Edouard precisou deixar Sophie e a única lembrança que ela tinha do marido, que era pintor, eram algumas cartas e o quadro que ele a dera de presente. Por conta da ocupação alemã, Sophie e sua irmã (que eram donas de um hotel/restaurante), tiveram que servir comida aos soldados alemães, inclusive ao Kommandant, que no decorrer da história mostrou uma grande admiração pelo quadro de Sophie. Em um determinado ponto da história, Sophie não aguenta mais ficar distante de seu marido, que precisou deixa-la para ir lutar na guerra, e acaba fazendo uma loucura para ir ao encontro dele novamente.

Já a segunda parte do livro acontece em 2006 e é narrado em terceira pessoa. Essa segunda parte conta a história de Liv, que perdera o marido há alguns anos e vivia numa casa com paredes de vidro. Liv, por conta de um imprevisto acabou conhecendo e se apaixonando por Paul, que trabalha recuperando obras de artes perdidas durante a Guerra Mundial. Um dos casos que Paul precisava resolver era sobre o suposto desaparecimento (por duas vezes) do quadro "A garota que você deixou para trás", que atualmente estava com Liv, que nem imaginara a história que havia por trás do quadro e na história que ela iria viver por conta dele.

Resumindo: no meio dessa grande reviravolta, todo o passado vem a tona e a incrível história do quadro é revelada. A garota que você deixou para trás é um livro surpreendente e emocionante. Me admirei imensamente com a coragem e força de Sophie e de Liv, que nunca deixaram de lutar por aquilo que acreditavam e por quem elas amavam. Enfim, não tenho palavras para descrever o quanto essa história mexeu comigo e no quanto ela é incrível. A leitura é recomendadíssima.

Essa foi a minha primeira experiência com o trabalho da Jojo Moyes e já virei fã. Só pra vocês terem noção do quanto a história mexeu comigo, mesmo depois de ter terminado de ler o livro eu me peguei por um bom tempo pensando em Sophie e Edouard, em Liv... os personagens foram capazes me marcar de uma maneira impressionante.

"Nunca conheci a verdadeira felicidade até encontrar você." (PÁG: 266)

site: http://www.aventurasliterarias.com.br/2017/07/a-garota-que-voce-deixou-para-tras-jojo.html
comentários(0)comente



Cláudia - @diariodeduasleitoras 28/06/2017

Livro: A garota que você deixou para trás
Mais uma obra da Jojo Moyes que prendeu minha atenção e me ganhou já na primeira parte.
.
A história se inicia com o romance entre Sophie Lefèvre e Édouard Lefèvre. O cenário são os anos trágicos da Primeira Guerra Mundial, onde Édouard está servindo em batalha, e Sophie vive com seus irmãos e sobrinhos em uma pequena cidade no interior da França que foi invadida e tomada pelos alemães. Eles cuidam do antigo hotel da família, o "Le Coq Rouge". É nele que Sophie deixa pendurado o quadro intitulado de ?A garota que você deixou para trás?, pintado por seu marido. Édouard é um artista e pintou o quadro em homenagem a Sophie, a retratando em sua melhor forma com toda sua beleza. A vida da família de Sophie segue (na medida do possível) até que o novo Kommandant alemão chega na cidade e altera tragicamente seu destino.
.
Na segunda parte do livro estamos em 2006. Liv Halston é uma jovem viúva que ainda tenta superar a perda do marido mesmo passado quatro anos do seu falecimento. A casa onde ela mora, foi projetada pelo marido que era arquiteto e lá abriga todas as lembranças de um casamento feliz, inclusive um lindo quadro que ela ganhou do seu marido David retratando uma bela jovem, comprado durante sua lua de mel chamado ?A garota que você deixou para trás?. Quando ela conhece Paul McCafferty, sua vida muda completamente.
.
O livro tem muitas reviravoltas, romance, mistérios. A primeira parte é narrada em primeira pessoa, pela Sophie. É descrito todo o sofrimento daquela cidade, a falta de comida, o inverno rigoroso, as desesperadas tentativas de salvar seus pertences e a busca pela sobrevivência em tempos muito difíceis. Já na segunda parte, quando Liv aparece, é narrada em terceira pessoa. O livro fica ainda mais interessante quando as histórias se entrelaçam, fica realmente difícil de largar.
.
Ao final da leitura, terminei com a certeza de que realmente não era MESMO apenas um quadro!
comentários(0)comente



Carol Ribeiro 28/06/2017

Impactante
O livro se passa em dois tempos distintos. Dias recentes / Primeira Guerra Mundial.
Achei a parte dos dias atuais um pouco estranha (explicarei por que) - estranha, mas não ruim.
A personagem vive em meio a uma crise sentimental (pela perda do marido) e uma crise financeira.
Conhece um rapaz que começa a lhe despertar sentimentos e, em dado momento, ele percebe que ela possui um quadro que ele foi contratado para recuperar como Obra de Arte Desaparecida (o quadro atualmente vale muitoooo dinheiro, embora ela tenha recebido do marido como um presente simples e comum, lhe conferindo valor sentimental).
O que me causou estranheza foi essa mulher enfrentar um furacão de problemas só para ficar com esse quadro; eu sinceramente me livraria do problema, de um processo e de uma enorme dívida e pronto!!!
Ela enfrenta uma verdadeira batalha para manter esse quadro consigo e nesse desenrolar da história por conta desse quadro, somos apresentados à segunda narrativa (que foi o que me encantou).
Conta a história da moça retratada no quadro - sua história de vida, seu casamento, sua família e tudo que ela viveu durante a PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL. Seus dramas, seus medos, o terror da guerra... Mostra que tudo tem dois lados, que as pessoas podem ter atitudes controversas conforme as situações às quais são confrontadas, que nunca se sabe do que podemos ser capazes até ser PRECISO fazer certas coisas.
Essa parte do livro é praticamente uma aula de história.
Possui suspense, drama, tristeza e tantas outras emoções em poucas páginas.
Creio que essa narrativa de guerra foi o ponto alto do livro, com enriquecimento de detalhes e uma imersão nos sentimentos e situações que aquelas pessoas viveram.
Vale a pena ler e se emocionar com essa história marcante e tão única!
comentários(0)comente



Leticia.Pacheco 18/06/2017

A garota que você deixou para trás
Simplesmente perfeito!

Jojo é surpreendente nesta história...
Sophie e Liv são duas mulheres com uma história muito singular.
Ambas vivem em épocas totalmente diferentes, mas com o mesmo sentimento e apreço.
É impressionante como o fim de ambas nos deixa anestesiada...
Jojo se supera em cada uma de suas obras!
Super indico.
comentários(0)comente



ritita 12/06/2017

ME PEGOU DE JEITO.
Sra. Moyes, desculpe-me se não gostei de seus outros livros que li e abandonei,mas eu os achei chatos mesmo. Eu não podia imaginar que a sra. sabe desenrolar uma história tão bem, pelo menos este me deliciou e olha que não fazia ideia que tinha a ver com a difícil sobrevivência dos franceses durante a guerra – ando meio de saco cheia de tantas atrocidades, tanto que tenho na prateleira um montão sobre o assunto e estou deixando “de molho”.
Sabe que este livro me “pegou” na primeira olhada? História factível e bem amarrada sobre um quadro - que dá título ao livro, pintado pelo marido de Sophie, que mora numa aldeia francesa tomada pelos alemães e sobre a difícil sobrevivência dos aldeões.
A primeira parte do livro, discorrendo sobre as agruras do povo da tal aldeia e pelo fascínio do Kommandant pelo quadro me deixou o dia inteiro colada no livro, já a segunda começa meio confusa e demora a deslanchar, mas depois, tirando os detalhes chaaatos como só a sra. sabe descrever, vai de boa.
Ah! Precisava copiar a capa de um outro livro seu, que fez bastante sucesso entre seus fãs? Por isto ele foi ficando, ficando para depois.
Gostei mesmo, ainda assim vai levar um bom tempo para me aventurar em algum outro livro seu, já que abandonei dois deles.
Leticia.Pacheco 18/06/2017minha estante
undefined




Aline Oliveira 12/05/2017

Excelente
Simplesmente adorei este livro. A personagem Liv é um pouco chata, mas a história de Sophie me deixou sem palavras e extremamente emocionada.
Quando comecei a ler este livro, esperava algo parecido com "Como eu era antes de você", da mesma autora. Mas esse é completamente diferente, a história é mais intensa, prende a atenção o tempo todo, enfim, não dá pra comparar. Nem parecem ter sido escrito pela mesma pessoa. Rs
Amei o livro. Leitura excelente.
comentários(0)comente



Lendo Por Aí 11/05/2017

Sophie Lefèvre amava seu marido Édouard mais do que tudo na vida. Os dois viviam intensamente seu amor, até que a guerra os separou. Sophie mudou-se de Paris, de volta à pequena St. Pérrone, e juntou-se à seus irmãos e sobrinhos, enquanto o marido marchava contra os inimigos.
Lá, ela foi obrigada a alimentar os soldados alemães que ocuparam a cidade, e não tardou para o Kommandant se interessar por ela. Mais precisamente, pelo retrato dela, pintado por Édouard, exposto no restaurante. O quadro era como um elo entre Sophie e o marido, uma razão para aguentar, uma promessa que os dois se reencontrariam. E quando ela soube que o amado fora mandado para um campo de prisioneiros, decidiu se arriscar a fazer uma proposta ao Kommandant, em troca da liberdade do amor de sua vida.
Quase cem anos depois, Liv Halston está de luto. Após viver uma amor de conto de fadas com o arquiteto David, ele morreu. Ela está viúva, morando sozinha, em uma casa de vidro projetada por ele, em meio à lembranças, tendo como companhia o retrato de Sophie, presente mais do que especial do marido, que viveu tão pouco. Quando Liv achou que estava segura para voltar a viver, os herdeiros do artista que pintou o quadro (adivinhem? Édouard Lefèvre.) entraram com uma ação na justiça para reaver o quadro "A Garota Que Você Deixou Para Trás", alegando que o mesmo teria sido roubado pelos alemães. Ela não está disposta a abrir mão de uma lembrança tão especial de David. Não agora, quando as lembranças foram tudo o que restou. E ela vai lutar. Até o fim.
?

A história deste livro é LINDA. Eu chorei litros. E mesmo com tanto drama, a autora ainda garantiu alguns momentos divertidíssimos... É uma história delicada e cativante, e eu não consegui largar o livro antes de acabar. As protagonistas, mesmo separadas por quase um século, compartilham dos mesmos sentimentos, angústias e da esperança de um final feliz, apesar de tudo. É uma leitura obrigatória se você gostou de algum dos livros da Jojo Moyes...
comentários(0)comente



Ad 06/05/2017

Vale tudo no amor e na guerra .. ^^
Faz um bom tempo que li esse livro, e não consigo pensar em uma frase que defina mais o livro do que essa.

Durante a Primeira Guerra Mundial, o jovem pintor francês Édouard Lefèvre é obrigado a se separar de sua esposa, Sophie, para lutar no front. Sophie apega-se às lembranças do marido admirando um retrato seu pintado por Édouard.

Muitos acreditam que o quadro de Sophie, pintado por seu marido Édouard, foi saqueado pelos alemães na guerra e que deve voltar ao seio familiar da moça.

É através da pintura da francesa, que somos levados a uma instigante viagem no tempo, o livro passa então a alternar entre a história do passado e do presente. É é nessas " viagens" ao presente que conhecemos Liv Halston, ela encontra-se em posse do quadro e está disposta a tudo (inclusive lutar na justiça contra a família Lefèvr) para conservar a pintura que ganhou do falecido marido.


Com o desenrolar do livro vc fica fascinada nos detalhes da história, dai começamos a perceber que o quadro tem um valor sentimental pras duas, e é aí que a indecisão bate.

Amo os livros da Jojo por isso, ela escreve seus livros de uma forma tão simples, bela e profunda. Seus personagens são maduros, expõem seu interior de forma intensa, e a carga emocional e experiência de vida deles é realmente enorme.

No meio de tantos livros vagos e superficiais, nos deparamos com um livro que realmente nos toca e sensibiliza.
comentários(0)comente



Carla.Raquel 02/05/2017

Um livro que te pensar... e muito.
Esse é um dos poucos livros que me fez ter mais no que pensar do que falar a respeito. Senti como se fosse algo íntimo demais para se relatar a terceiros, é melhor dar a chance a eles que se sintam íntimos também na forma da leitura.
Não sei expressar bem o que a história dessas duas mulheres que viveram em épocas tão diferentes (mas ao mesmo tempo são tão parecidas) causou em mim.
É um livro que te faz se colocar em todos os lados possíveis de uma situação.
De longe, o melhor livro que li da autora até agora. E possivelmente, um dos melhores que já li em geral.
comentários(0)comente



295 encontrados | exibindo 16 a 31
2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 |