A Invenção das Asas

A Invenção das Asas Sue Monk Kidd




Resenhas - A Invenção das Asas


77 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6


Michela 25/09/2020

Que livro maravilhoso, amei demais, meu Deus.
A escritora nos leva para realidade do mundo escravo, nos mostrando a crueldade daqueles dias e nos fazendo refletir sobre o assunto com muito afinco.
E também nos mostra a luta, das irmãs Grimké pela libertação dos escravos e pelos direitos de igualdade dos escravos e pelos direitos de igualdade das mulheres.
Baseado em fatos verídicos é um livro que vai mexer profundamente com você.
comentários(0)comente



Patricia 21/09/2020

"Permanecer em silêncio frente ao mal é, em si, uma das formas do mal."
Baseado na história real das irmãs Gimké, as primeiras agentes femininas abolicionistas e umas das primeiras entre as importantes pensadoras feministas americanas.

Quando Sarah Gimké completou 11 anos, seus pais designaram uma escrava chamada Hetty como dama de companhia. Elas criaram uma estranha amizade e Sarah a ensinou ler (o que era crime na Carolina do Sul) e ambas foram punidas (obviamente, Hetty mais do que Sarah). Como a autora não achou mais menções à história real de Hetty em sua pesquisa, ela cria uma história fictícia para que Hetty continue no livro e nos mostre a vida dos escravizados (e não só dos abolicionistas): os sofrimentos inomináveis, tradições, línguas, as "casas de trabalho" (que eram casas de tortura), os que conseguiram comprar sua liberdade. Intercalando as narradoras, a história se passa durante 35 anos das vidas delas. O livro mescla fatos reais com fictícios, que podem ser conferidos no final do livro.

Sarah era contra a escravidão e sonhava em ser advogada numa época em que mulheres não podiam estudar. Então, ela acaba recorrendo a uma vida religiosa, tentando buscar uma posição que a permitisse falar sobre suas ideias abolicionistas e pelos direitos das mulheres - o que acaba a expulsando de praticamente todos os grupos dos quais fez parte, sob a alegação de que seus pensamentos eram "radicais demais", especialmente para uma mulher.

O livro é tocante e sensível. A única parte que me incomodou foi o excesso de extremismo religioso, que eu sei que é condizente com a história, tendo em vista a época que se passa, mas achei algo chatinho de ler. Isso me impediu de favoritar, mas mesmo assim foi uma das melhores leituras do ano! Elas foram mulheres incríveis e o trabalho de pesquisa da autora foi perfeito. É uma história que eu não poderia deixar de conhecer!

site: instagram.com/a_bookaholic
comentários(0)comente



Thamires.Santos 06/09/2020

Que lindo esse livro
Livro: A invenção das Asas - Sue Monk Kidd?
?
Resenha: Temos aqui um romance que relata em principal a história de duas mulheres desde suas infâncias , Sarah e Hetty. A história se inicia com Sarah ainda criança, nascida em uma família rica aristocrata que tinham como propriedade escravos estando entre elas Hetty, tamém ainda criança,que carinhosamente era chamada de ?Encrenca?. Quando Sarah ganha Hetty como presente, ela se sente indignada, pois mesmo pequena ela já se revoltava diante a escravidão, no entanto mesmo em meio sua revolta ela precisa se tornar dona de Encrenca. ?
Encrenca que tinha esse nome não por acaso, também não conseguia aceitar sua condição, e então unidas por um sentimento mútuo uma amizade verdadeira começa. Quando Sarah percebe que infelizmente naquele momento não poderia conceder liberdade a sua amiga, ela decide então que daria liberdade a sua amiga da forma que ela poderia, através da leitura e a ensina a ler.?
?
Essa leitura é do tipo que você se apega aos personagens e se emociona tanto, que é necessário as vezes uma pausa para respirar. Tantas lições que esse livro me trouxe e pensamentos que antes nunca haviam me ocorrido.?
Traz reflexões sobre o cristianismo pregado naquela época que se curvava a escravidão, sobre o sentimento de que por mais empatia e respeito que possamos ter pelo sofrimento de alguém ainda sim nós estamos distantes de entender aquele sofrimento quando estamos em uma situação de privilégio, de como naquela época (e ainda hoje) quando mulheres levantassem a voz para lutar por direitos eram sempre desacreditadas simplesmente por ser mulheres e como a abolição não devia ter sido tratada apenas como libertar os escravos mas como seria possivel devolver dignidade e direitos negados por tantos anos de forma tão cruel.?

Encrenca e Sarah são personagens que vão morar no meu coração sempre. Leiam esse livro ??
comentários(0)comente



Laísa 13/08/2020

Recomendo!
" o que é moralmente correto um homem fazer é moralmente correto uma mulher fazer ." Carta sobre igualdade dos sexos Sarah Grimke
comentários(0)comente



Ewerton Rangel 05/07/2020

Marcante.
Nesse outro romance que estreou em #1 na lista de mais vendidos do New York Times, Sue mistura realidade e ficção para narrar a vida das irmãs Sarah e Angelina Grimké, estas que foram as primeiras agentes feministas abolicionistas e uma das primeiras entre as pensadoras feministas americanas.

O livro se passa entre 1803 e 1835, em um regime totalmente escravocrata, e é contado pela perspectiva de Sarah Grimké, filha de uma família que frequentava círculos sociais de elite em Charleston na Carolina do Sul; e também pela escrava Encrenca, que foi dada como 'presente' para Sarah em seu aniversário de 11 anos. Com diferença de idade de apenas 1 ano, as duas contam suas histórias, de diferentes realidades ao longo do livro, que vai desde a infância até a fase adulta.

O livro relata escravidão, direto das mulheres (ou a falta dele), questionamentos religiosos e tudo que é comum a quem viveu nesse período.

A autora apresenta uma obra-prima de esperança,
ousadia e busca pela liberdade nessa trama que se passa no Séc XIX, onde Sarah e Encrenca questionam as regras da sociedade em que vivem.

O tipo de leitura que eu diria necessária a todos. Sue Monk Kidd escreve como se estivéssemos vivenciando tudo aquilo de perto, partilhando as dores, os medos, e até experimentando com alegria e devoção as pequenas conquistas, quando ocorrem, das personagens. Eu diria sem dúvidas que é um dos melhores livros que li e tive a coincidência de encontrar pelo caminho, despretensiosamente, mas que me tocou de uma maneira tão profunda e única. É de uma sensibilidade sem igual.

Para mais resenhas segue meu insta literário:
@Capituloa2 ?
comentários(0)comente

Vanessa 05/07/2020minha estante
Depois desta resenha, sinto que o livro me deixará em prantos, haha. Já quero ler!! ?




Gabriela Novaes 19/06/2020

A invenção das asas
A invenção das asas traz uma história sobre liberdade, amor e luta. Baseada na vida de uma das pioneiras na luta pelo direito da mulher e anti escravidão, Sarah Grincké, a autora criou ficção para contar a história de Sarah e uma criada que lhe foi dada aos 11 anos. Juntas as duas trilham os caminhos a que são destinadas e durante os próximos 35 anos lutam suas próprias lutas.
comentários(0)comente



Berta Lucia 28/04/2020

Invenção das asas
Que livro sensacional, foi um livro totalmente diferente para mim, eu achei que não iria gostar, mas não poderia estar mais errada, é um livro fluido que apesar de abordar o tema escravidão, não nos deixa angustiados do começo ao fim, mas foi retratado de uma maneira maia leve, super indico a leitura vale muito a pena ler, e nos mostra o quanto somos privilegiados de nascermos em uma época que não se é comum a escravidão.
comentários(0)comente



Berta Lucia 28/04/2020

Invenção das asas
Que livro sensacional, foi um livro totalmente diferente para mim, eu achei que não iria gostar, mas não poderia estar mais errada, é um livro fluido que apesar de abordar o tema escravidão, não nos deixa angustiados do começo ao fim, mas foi retratado de uma maneira maia leve, super indico a leitura vale muito a pena ler, e nos mostra o quanto somos privilegiados de nascermos em uma época que não se é comum a escravidão.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Bex @eolivrolevou 14/04/2020

A Invenção das Asas
Sarah Grimké é filha de uma família conservadora e escravocrata no sul dos EUA. Desde que Sarah presenciou, quando criança, uma escrava ser chicoteada, ela nunca mais foi a mesma. Mesmo criança, ela já tinha decidido lutar pela abolição se tornando uma futura jurista. No entanto, ao completar 11 anos, Sarah ganha de presente uma escrava de 10 anos que se chama Encrenca. Sarah começa a perceber que o "estilo de vida" sulista não será tão fácil de ser derrubado.
.
Encrenca faz jus ao nome. Aos 10 anos, quando a sinhá decide que ela será a dama de companhia de Sarah Grimké, ninguém espera muito da garota. Porém, com o passar dos anos, em meio aos castigos e grilhões, Encrenca e Sarah criam uma relação até mesmo maior que a amizade. Juntas buscam a liberdade e uma igualdade que parece impossível.
.
A Invenção das Asas narra um dos períodos mais cruéis da história da humanidade. A escravidão. A autora tem uma maneira tão poética e ao mesmo tempo fria de narração que faz a gente ficar com um bolo na garganta.
.
Depois de concluir o livro, a autora disponibiliza algumas informações sobre a vida da Sarah Grimké e sua irmã Angelina Grimké que lutaram pela causa abolicionista, igualdade racial e igualdade de gênero. Saber que essas personagens realmente existiram me fez dar pulos de alegria.
.
Enfim, esse livro é emocionante, dói e nos faz refletir sobre o passado e o presente que infelizmente ainda é marcado pela escravidão e o racismo.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Ian.Luc 21/02/2020

Depre Books | Resenha
"[...] Sarah Grimké é a filha mais nova da família Grimké, e sonha em ser advogada e acabar com a escravidão. Encrenca é a uma escrava que sonha em ser livre. Ambos os sonhos parecem impossíveis no início do século XIX, mas, juntas, aprendem a torná-los possíveis.
.
Desde que assisti "A Vida Secreta Das Abelhas" eu fiquei apaixonado pela história e já quis ler tudo de Sue Monk Kidd - e não me arrependi.
.
Em "A Invenção Das Asas", baseado em fatos - as Grimké realmente existiram -, vemos como mentes revolucionárias surgem e lutam em meio a uma sociedade que as oprime e tenta, a todo custo, calar suas vozes. [...]"

- resenha compelta no Instagram @deprebooks -
comentários(0)comente



Bianca.Schunemann 04/02/2020

O livro aborda questões duras e complexas - tendo como pano de fundo a escravidão na América do Norte - porém a leitura é fluida e extremamente agradável.
É um livro sensível, sem pecar por excesso de sentimentalismo e clichês. A história é bem construída e os personagens são cheios de camadas, o que torna o enredo profundamente tocante.
O destaque, na minha opinião, vai para a alternância de pontos de vista durante os capítulos, trazendo tanto a perspectiva da personagem branca, quanto a da escrava. Além da relação entre elas, e todos os dilemas decorrentes da escravidão, fiquei bastante tocada com o vínculo construído entre as irmãs Sarah e Nina, assim como pela força dos seus ideais, tanto abolicionistas quanto feministas.
Deixo um dos trechos que mais me emocionou:
"Eu vi então o que não tinha visto antes, que eu era muito boa em detestar a escravidão no abstrato, nas massas anônimas e distantes, mas no concreto, na carne íntima da garota a meu lado, eu perdera a habilidade de sentir repulsa. Tinha me acostumado às particularidades do mal. Há uma mudez assustadora que habita o centro de todas as coisas indizíveis, e eu encontrei o caminho até ela" Sarah Grimké
comentários(0)comente



Fer 09/01/2020

Surpreendente e apaixonante
Ganhei esse livro e confesso que torci o nariz por não ser fã de romances. Mas trata-se de um livro forte, feminista, antiescravagista, antirracismo, que coloca sua heroína como uma mulher além do seu tempo. Amei. E amei mais ainda quando soube que era baseado em uma história real. Leiam até a última página.
comentários(0)comente



avalon 11/12/2019

Tocante
No início, eu não esperava gostar tanto desse livro como gostei. A autora sabe usar bem as palavras, passar direitinho a emoção, sem exagero, é simplesmente simples e bonito.

Ambientado no início do século XIX, você fica chocado com a forma natural que banalizam a escravidão.

Amei a história de verdade, apenas nao dei cinco estrelas porque, um pouco depois de 70% do livro, a leitura começa a ficar arrastada e os acontecimentos não têm muita emoção.

No início do livro me identificava demais com a Sarah: a diferente da família, a que tem sonhos e medo de ir atrás por insegurança. Mas, conforme fui lendo, minhas personagens favoritas se tornaram a Charlotte e a Nina.

A leitura vale super a pena!
comentários(0)comente



77 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6