Pregando Toda a Bíblia Como Escritura Cristã

Pregando Toda a Bíblia Como Escritura Cristã Graeme Goldsworthy



Resenhas - Pregando Toda a Bíblia Como Escritura Cristã


3 encontrados | exibindo 1 a 3


Vinicius, Pr. 20/07/2016

Extensivo
O autor procura mostrar como e importante e possível pregar Cristo em toda Bíblia. Linguagem clara e precisa sem tecnicismo
comentários(0)comente



Alex 14/05/2014

Um livro que ensina a pregar com Cristo no centro
Graeme Goldsworthy é um teólogo australiano pertencente à tradição anglicana especialista em Antigo Testamento. Lecionou as disciplinas de Antigo Testamento, Teologia Bíblica e Hermenêutica no Moore Theological College em Sydney, Austrália, onde continua atuando como professor em tempo parcial. Goldsworthy é o autor da trilogia Gospel and Kingdom, Gospel and Wisdom e The Gospel in Revelation.
A tese do autor está fundamentada na compreensão de que a Teologia Bíblica reformada deve ser utilizada com um duplo propósito: como uma ferramenta hermenêutica primária para se entender o significado do texto bíblico e como uma ferramenta expositiva vital para a pregação. O objetivo do livro é prover aos pregadores um manual que os ajudará a aplicar uma abordagem cristocêntrica aos seus sermões.
Para tanto, o autor optou por dividir a obra em duas partes. Na primeira, intitulada “Perguntas Básicas que Fazemos sobre a Pregação e a Bíblia”, composta de oito capítulos, seu alvo é colocar-se ao lado daquele que prega a Palavra e fazer aquelas perguntas que o pregador faria sobre a Bíblia, a Teologia Bíblica e a pregação. Aqui Goldsworthy estabelece as bases, os fundamentos, ao responder perguntas como “O que é a Bíblia?”, “O que é teologia bíblica?” e “O que é pregação?”. Trata-se, portanto, de um segmento um pouco mais teórico, mas não menos elucidativo e interessante.
Já na segunda parte, intitulada “A Aplicação Prática da Teologia Bíblica à Pregação”, o autor se propõe a aplicar o método bíblico-teológico a vários gêneros de literatura que se encontram na Bíblia, tendo sempre em mente a tarefa da pregação. Ao longo dos nove capítulos que formam esse bloco, Goldsworthy considera alguns dos principais gêneros literários em sua relação com o progresso da história da redenção, a fim de prover o contexto bíblico-teológico para textos individuais. Nesta parte, o autor faz uma seleção de passagens bíblicas desprovido da intenção de ressaltar somente textos teologicamente relevantes. Sua escolha tem a ver com a produtividade do texto como material de pregação para, por meio disto, abranger uma gama de textos com maior representatividade em relação ao contexto bíblico como um todo. Essa, sem dúvida, foi uma decisão muito saudável, tendo em vista o caráter pedagógico da obra e o público-alvo para o qual ela se direciona.
A obra como um todo é um grande ponto positivo. Um verdadeiro primor. Leitura obrigatória para todo aquele que se engaja na tarefa de anunciar a Palavra de Deus com o mínimo de seriedade. Contudo, alguns aspectos merecem destaque redobrado. Entre eles está a utilização de uma linguagem acessível, sem tecnicismos teológicos, o que torna a obra bastante acessível a pregadores leigos com pouco ou nenhum treinamento formal. Outro ponto positivo é a inclusão de gráficos e diagramas, no início dos capítulos, que ajudam o leitor a compreender a estrutura da revelação na Bíblia. Também salientamos a utilização de exemplos concretos, com passagens extraídas diretamente das Escrituras, por meio dos quais Goldsworthy demonstra o valor da Teologia Bíblica para se alcançar o propósito de expor toda a Bíblia de modo cristocêntrico. Mas o maior de todos os pontos positivos está na ortodoxia que fundamenta todas as premissas com os quais Goldsworthy trabalha na obra. Ora, de nada adiantaria termos em nossas mãos um livro com linguagem acessível, com recursos visuais e com lições práticas se não houvesse por detrás de tudo isso uma fiel, sólida e correta compreensão das Escrituras e de seu processo revelacional.
Quanto aos pontos negativos da obra, ousamos afirmar que não existem. No entanto, não podemos descartar a possibilidade de não termos sido capazes de encontrá-los diante do entusiasmo que a sua leitura do livro nos proporcionou. Em todo caso, aproveitamos este espaço para dizer que nos incomodou bastante a enorme quantidade de erros tipográficos (vocábulos emendados ou escritos incorretamente, etc) que por vezes dificultou a fluência da leitura. Tudo indica que o processo de revisão da obra deixou a desejar. Algo que precisa ser necessariamente melhorado pela Editora Fiel quando do lançamento de uma futura nova edição.
No que diz respeito às implicações dessa obra para minha vida e ministério, podemos dizer que se trata de um divisor de águas. É todo um campo de estudo, até então inexplorado, que se abre diante de nossos olhos. Estudo esse que nos tornará pregadores mais relevantes, mais fiéis e, sobretudo, mais cristocêntricos. Estudo que também nos capacitará a avaliar a qualidade das pregações que têm sido ministradas em nossas igrejas. Portanto, podemos considerar que a leitura desse livro é o marco inicial de um processo de capacitação que redundará na formação de um expositor cristocêntrico das Escrituras como um todo, de Gênesis a Apocalipse.

Soli Deo gloria.
Melqz 27/11/2015minha estante
Obrigado pela resenha!




Renan 07/01/2014

Apresenta um panorama geral da importância da pregação através de toda a Bíblia, chamando atenção para o velho testamento que é a especialidade do autor, focalizando como devemos encaixar o Evangelho de Cristo através do novo e do velho testamento.
comentários(0)comente



3 encontrados | exibindo 1 a 3