Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo

Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo Benjamin Alire Sáenz




Resenhas - Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo


229 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Tati.Iegoroff 19/06/2018

Resenha completa no Blog (;
Aristóteles e Dante descobrem os segredos do Universo foi o segundo livro de Benjamin Alire Sáenz que li , apesar deste livro ter sido lançado no Brasil antes de A lógica inexplicável da minha vida.
O livro é narrado por Aristóteles, um jovem que, assim como Salvador (de A lógica inexplicável da minha vida), tem muitas dúvidas com relação à vida. Aristóteles é um pouco mais novo que Sally, mas ambos estão em uma fase realmente conturbada: os anos de ensino médio, cheios de dúvidas, medos e descobertas.
Aristóteles é um jovem bem soturno (o que também torna a narração deste livro mais taciturna que a de A lógica inexplicável da minha vida). Ele mora com os pais e tem duas irmãs bem mais velhas, além de um irmão sobre o qual ninguém fala, pois ele está preso. Fora isso, seu pai é uma pessoa muito calada e guarda muita coisa dentro de si, principalmente as sombras do seu passado na Guerra do Vietnã.
Durante as férias de verão Aristóteles faz uma amizade, coisa rara para ele. Seu novo amigo chama-se Dante (até eles riem dessa “coincidência”).
Juntos, Aristóteles e Dante vivem momentos únicos: eles conversam, jogam, trocam conhecimentos, discutem… Enfim, fazem o que seres humanos “normais” fazem juntos (eles vivem batendo na tecla de que não são normais).
Por falar em “bater na mesma tecla”, Aristóteles tem uma péssima autoestima. Além de ser fechado ele consegue se autodepreciar o livro inteiro! Fora que ele acha que é o único que tem dificuldades de entender a si mesmo e se encontrar.
Os adultos também são importantes nessa história e estão representados, principalmente, na figura dos pais de Aristóteles e dos pais de Dante.

Estou encantada com as histórias de Benjamin Saénz. Ele consegue falar de temas muito importantes de maneira que a história não fica nem chata e nem óbvia. Há sempre algum acontecimento que vem para modificar toda a ordem das coisas (muitas vezes já caótica) e há sempre um mistério que perdura até os momentos finais do livro. A narrativa nos permite um ritmo agradável, com altos e baixos que nos prendem, tensionam e depois nos tranquilizam

site: https://blogdastatianices.wordpress.com/
comentários(0)comente



Fernando.Carvalho 11/06/2018

Esse livro um tiro de maravilhoso
Esse livro é uma inundação de sentimentos e descobrimentos e super amei . Esperado loucamente pela continuação. Esse livro tem uma leveza em abortar temas tão difícil para que é gay. Eu super me identifique com Aristótes en todos os sentidos. Melhor Livro
comentários(0)comente



Keyse Bates 10/06/2018

Parece que o verão não ajuda muito esses dois rsrs
Acabei de ler nesse exato momento esse livro e tudo que quero gritar é "Aaaaaaaaaaa tô muito apaixonada "

Incrível como a história é levada suavimente, sensível, intrigante e repleta de amor.
Pensei que teria alguma coisa muito triste, mas só fiz rir. E não, o livro não te decepciona.

LEIAM ESSA POESIA
comentários(0)comente



Mattheus.Schimanski 09/06/2018

Maravilhoso
Lindo demais. Tão simples porem tão profundo. Um dos meus livros preferidos da vida.
comentários(0)comente



Laris @larisreads 03/06/2018

Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo
Às vezes, a dor era como uma tempestade que vinha do nada. A mais clara manhã de verão podia acabar em temporal. Podia acabar em raios e trovões."

Eu admito que minhas expectativas estavam altas, bem altas, com esse livro. É só ver a quantidade de prêmios que esse livro ganhou para entender o que eu estou falando.

Foi bom? Sim... mas já li melhores.

O livro tem uma premissa maravilhosa. Dois garotos, com personalidades completamente diferentes, que inesperadamente se tornam grandes amigos durante um verão que promete grandes coisas. O resto é aquela velha e infalível história: quando opostos colidem, o mundo vira palco da destruição iminente.

Esse livro trouxe coisas que eu realmente adorei: grande representação da cultura Latina, diferentes dinâmicas familiares e questões profundas e existencialistas. Mas é tudo raso demais às vezes, o narrador (Ari) não se preocupa em demonstrar o que sente, ele é fechado e socialmente inepto o que faz dele um observador desinteressante de acompanhar depois de um tempo de leitura. Após ler as várias voltas que o autor da no meio do livro, eu quis morrer com a velocidade em que tudo se resolveu no final.

Fiquei com a sensação de que faltaram mais umas 20 páginas no final, mas ok, eu vou superar isso.

A ideia desse livro é genial, mas o jeito como o autor escreveu e desenvolveu o enredo foi quase um tiro no pé. Às vezes me pareceu que o cara estava com preguiça de escrever e por que raios só teve ponto de vista do Ari? Seria uma contribuição enorme pro livro se ele não fosse o único narrando, eu adoraria ver a história pelos olhos do Dante (criatura maravilhosa, aliás, grande parte de eu ter gostado foi por causa dele)

No geral, esse livro não é pretensioso, os diálogos são rápidos, coisas tipo "eu disse e então ele disse." Fim. Próximo capítulo. A dinâmica é simples, mas o livro não falha em passar a mensagem, que é linda, e acho que isso é o que importa mais.
comentários(0)comente



Eddie Viana 26/05/2018

Uma palavra para definir esse livro: poesia
Meus amigos realmente me conhecem. Me indicaram esse livro dizendo que ele seria uma bela surpresa e, definitivamente, foram as duas coisas que ele foi: belo e surpreendente. Um livro lindo e, sobretudo, poético. A sutileza usada pelo autor para desenvolver seus personagens e para tratar os temas abordados no livro é surpreendente. Você lê, lê, lê e nem percebe que o livro está chegando perto do final. Certamente, um dos segredos do universo é a leitura deste livro, que recomendo a todas as pessoas. Um livro que fala sobre preconceito, autoaceitação, relações familiares, amor e amizade, tudo de maneira leve e, repito, extremamente poética.
comentários(0)comente



Dany 19/05/2018

Um livro profundamente sensível com um quê de descobrimento juvenil
Não tenho palavras para expressar o quanto amei a leitura desse livro. Sensível. Profundo. Foi uma viagem maravilhosa de autoconhecimento dos personagens. Tem como não amar Dante e seu importante papel no impulso do autoendendimento do Ari?
Benjamin foi tão sensível ao tratar de assuntos considerados complicados e muitas vezes pesados para a sociedade e para quem os está vivendo.
Amo o Dante por ter tirado Ari de uma depressão não notada. Amo o Ari por ter conseguido se abrir com seus pais. Amo esses personagens e tenho um carinho tão grande por eles que queria abraça-los, ser seus amigos e dizer que tudo vai ficar bem sempre que acabar mais um verão e um deles estiver mais uma vez quebrado.
comentários(0)comente



Camila.Espirandeli 09/05/2018

Aristóteles e Dante
Esse livro te faz pensar em certas coisas,ele é um pouco filosófico,conta a história de Ari e Dante dos amigos que juntos descobrem o universo.
É lindo sério,amei muito,recomendo
comentários(0)comente



Camila 04/05/2018

UMA HISTÓRIA DE AMIZADE E AMOR
ARISTÓTELES E DANTE DESCOBRE OS SEGREDOS DO UNIVERSO
Personagens:
Pais de Dante
Pais de Aristóteles
Aristóteles
Dante
Perninha- Cachorrinha de Dante
Bernardo- Irmão de Aristóteles
RESENHA:
Aristóteles é um adolescente de 15 anos, que não consegue sentir- se como os demais, não é sociável com jovens de sua mesma perspectiva de idade, e não tem amizades. Seu pai é serviu o exército no Vietnã, mas não fala sobre o que ocorreu em sua passagem por lá, a mãe é professora, a família possui um silencio em prol do irmão de Aristóteles, e do porque era proibido falar, ou mencioná-lo na casa, no final a história nos mostra, que foi porque seu irmão aos quinze anos pagou uma mulher da vida, para ter relações, e no final descobre que ela era um homossexual, e isso lhe causa raiva, e ele bate nele, nela, até que lhe causa a morte, e por isso os pais de Aristóteles o levam para a casa de uma tia distante, enquanto ocorre o julgamento, que determina que ele fique na cadeia para o resto da vida. O medo de sua mãe é que ele seu outro filho também cometa algo de errado que terá uma conseqüência gravíssima, que acabara com seu futuro e vida.
No verão, Aristóteles acaba querendo aprender a nadar e acaba conhecendo Dante, entre eles surge uma historia de amizade, autodescoberta, e companheirismo, que depois de muito tempo no final da adolescência dos dois, se torna amor entre os dois garotos que descobrem juntos, e com o apoio dos pais suas escolhas e sentimentos. Suas personalidades são diferente Aristóteles não gosta de conversar, ou falar o que sente e sobre ele mesmo, Já Dante, é extrovertido e atrai atenção de todos, por não ter medo de nada, e sempre busca as palavras certas, e perguntas a fazer. Após o Pai de Dante precisar passar alguns meses em outra cidade para que concluísse um trabalho na universidade, os amigos, acabam se separando, por oito meses, neste tempo onipresente, tudo muda, eles enfrentam o inicio da adolescência, os conflitos, e o inicio da fase adulta, neste intervalo Aristóteles escreve cartas para Dante, contando sobre com esta e as mudanças que vão ocorrendo, Dante só depois de muito tempo sentindo falta do amigo, passa a responder as cartas do amigo, eles conversam pouco por telefonemas, quando Aristóteles retorna com os pais, para a cidade, Dante vai encontrá-lo em sua casa, mostra a ele que fez amizade com um cachorrinha chamada perninha, e a história passa a abordar perguntas filosóficas, sobre o mundo e sobre eles mesmos.
Nas respostas destas perguntas, Dante revela um segredo a Aristóteles, que ama garotos, mas que não sabe bem o que esta sentindo, o amigo propõe encontrar a resposta, se os dois se beijassem para saber, e é ai que tudo muda, eles ficam ausentes sem se falar por alguns dias, e o tempo vai passando para eles. Até que um dia a tia de Aristóteles falece, e ele deixa a cachorrinha com a família do amigo, para ir ao velório, neste tempo em que o amigo esta ausente, Dante e um garoto que ele estava gostando, e eram colegas de trabalho, decide sair em uma noite, um grupo de garotos bate nele, e seu companheiro o deixa sozinho, e sai correndo, enquanto Dante enfrenta os garotos, mas mesmo assim, é muito machucado por eles.
Quando Aristóteles retorna e vai buscar a cachorrinha na casa de Dante, descobre o que ocorreu e a raiva lhe consome, seus pais tentam, acalmá-lo, assim como os pais de Dante, mas nada suaviza o que ele sente, foi até o hospital ver o amigo, e depois partiu a procurar os culpados pelo horror ocorrido, encontrou um dos garotos, e bateu nele, pois o pai do garoto malvado era conhecido dos pais do Aristóteles.
No final da história os pais de Aristóteles conversam com ele, sobre o passado, sobre si mesmos, e mostram para o filho que ele tem um grande amor por Dante, a mãe conversa sobre o que ocorreu com o irmão no passado, e o pai dele conta o que passou em sua presença na guerra, e mostra ao filho que ele ama Dante o fundo, e que sabe disso, mas que descobrirá em si mesmo um dia, que este amor esta dentro dele.
A história deste livro angustia o leitor, tem umas horas, que a jornada de leitura vai permanecendo cansativa mais quando chega mais no final do livro, ele volta ao mesmo conteúdo que desperta curiosidade, e abrangem mistérios, e questionamentos, o mais lindo deste livro é o diálogo que vai abrindo entre os pais dos dois garotos, e seus filhos, nasce uma amizade que move todo o rumo da história, fazendo com que repensemos a nós mesmos, o relacionamento familiar, e a amizade entre duas famílias, e seus filhos.
PALAVRAS CHAVES- AMOR- DESCOBERTA- AMIZADE.

comentários(0)comente



Lua @epigraph9 03/05/2018

Adorei e não foi pouco.
"Fiquei pensando que poemas são como pessoas. Algumas pessoas você entende de primeira. Outras você simplesmente não entende? e nunca entenderá."
.
Aristóteles é um garoto de 15 anos solitário e sem amigos. Por suas irmãs serem bem mais velhas e seu irmão estar preso, Ari não teve nem mesmo amizade dentro de casa. Esse fato muda quando, num dia de natação, ele conhece Dante. Dante se oferece para ensinar Ari a nadar, e daí surge sua primeira amizade. Eles são completos opostos, pois Ari não sabe como agir com as pessoas e Dante parece se dar bem com todo mundo e é bem seguro de si, coisa que Ari não é nenhum pouco.
.
Filho de uma professora e um ex-soldado, Ari gostaria de ser mais próximo do pai, assim como Dante é próximo do dele, mas a guerra no Vietnã parece ter tomado algo e ele nunca mais foi o mesmo. Seu pai não fala sobre esse tempo que esteve longe, assim como a família não fala sobre o irmão de Ari, que está preso. É como se Bernardo nunca tivesse existido, pois nem fotos dele há pela casa. Isso, de alguma forma, deixa Ari furioso. Ele não consegue se lembrar do irmão e ninguém está disposto a lhe contar nada.
.
Aristóteles e Dante foi a leitura do mês de abril do The Buddy Readers e foi uma ótima leitura. O livro é narrado pelo ponto de vista de Ari, e vamos conhecer esse garoto solitário e bravo. Sim, Ari guarda muita raiva dentro de si mesmo, embora nem ele saiba o porquê. Conhecemos Dante, um garoto sensível que, chora por pássaros e que adora falar.
.
Esse é um livro sobre amizade, mas também é um livro sobre a descoberta da sexualidade, sobre descobrir o amor e segredos há muito guardados. Foi incrível ver como o autor construiu a história, como desenvolveu o envolvimento dos garotos, mas acima de tudo, eu amei o relacionamento deles com a família.
.
Nunca fui de ler livros com temática LGBT+ , mas me abri pra esse gênero com Simon vs a agenda homo sapiens, e queria ter lido livros assim antes. Esses livros são de uma sensibilidade enorme e e traz emoções sem medida. Claro que, nem todos tem finais felizes, assim como na vida real. Foi uma ótima experiência e recomendo. Ah, me recomendem outros livros com essa temática.
comentários(0)comente



Daniela Euzebio 29/04/2018

Uma história sensível.
O autor é muito sensível à anlise de cada um de seus personagens, em especial, o protagonista. Conforme Aristóteles e Dante se apaixonam, nós também vamos nos apaixonando por eles.
comentários(0)comente



Yuri Leal 29/04/2018

Como foram seus 15 anos?
Eu amei muito. Me identifiquei muito com o Aristóteles. Só não chorei como muita gente diz chorar. ?A história se passa nos Estados Unidos mas os protagonistas são mexicanos. A história é narrada toda pelo ponto de vista do Aristóteles(Ari, como é mais chamado). É um YA que fala sobre adolescência e descoberta de várias coisas, como sexualidade por exemplo.
Não me fez chorar mas talvez faça alguém chorar(não sei).
15 anos é o triângulo das bermudas da idade. A pessoa não é mais criança. E nem adulto. Muitas coisas acontecem nessa idade que vai servir de lição pra vida inteira.
comentários(0)comente



Roni Uisley 28/04/2018

O melhor livro da vida
Foi simplesmente a melhor leitura da minha vida. A leitura foi super fácil e rápida, li o livro em, praticamente, um final de semana e quase chorei de emoção quando cheguei no fim do livro. Eu recomendo esse livro demais! Ele é inspirador, maravilhoso e sua leitura é tão boa que quando você percebe, já está no final do livro!
comentários(0)comente



Ana 25/04/2018

<3 leia por favor!
Tão lindo, tão incrível
comentários(0)comente



Vanessa @LarLiterario 23/04/2018

Lindo, simplesmente lindo!
Confesso que não estava dando nada por ele, não tava "Meu Deus, eu preciso ler esse livro!"

É um livro LGBT que vai contar a história de Aristóteles e Dante, dois garotos de 15/16 anos bem diferentes, ao menos em questão de personalidade.

A história se passa nos EUA, em 1987. O livro é narrada pelo ponto de vista de Ari, um garoto descendente de mexicanos, bem introvertido, passando pela fase adolescente de "eu odeio todo mundo". Ele tem raiva dos pais por motivos que julga serem certos. Seu pai esteve na Guerra do Viatnã e não conversava sobre isso. Sua mãe, apesar de ser a mais falante da família, também travava uma guerra dentro de si a qual Ari nem desconfiava. Além do fato deles não falarem de Bernardo, irmão de Ari que estava preso a algum tempo e ele nem mesmo sabe o porque.

Dante, também descendente de mexicanos é um garoto o oposto de Ari, sempre alegre e positivo, que gosta de ler - poesia, principalmente - e conversar, ama os pais e não tem problemas com ninguém.

Um belo dia, Ari sai pra nadar e conhece Dante, uma amizade surge depois dali. Acontece um acidente que contribui ainda mais para o crescimento dessa amizade e com ela muitas coisas acontecem. Dante meio que já sabe sobre sua homossexualidade e Ari não tinha questionado sua sexualidade até então, mas isso não muda em nada a amizade entre eles. Apesar de Ari ser bem fechado, Dante consegue atravessar algumas barreiras dele por meio dessa amizade.

Bem, o título não me atraia pelo fato de julgar ser um livro mais filosófico, o livro de fato tem seus questionamentos com relação como as pessoas agem individualmente e de como reagem as coisas ao seu redor. Sendo uma história que se passa em 1987, eu pensei que ia ter uma questão mais de ser aceito na sociedade mas na verdade, o livro trata mais de como uma amizade surge e do poder que ela pode ter na vida do outro, além de tratar sobre a questão de autoaceitação no quesito LGBT.

É uma leitura bem rápida e fácil, em algumas horas você consegue terminar e é lindo o laço que eles tem, e como a relação com os pais melhora depois de todas as perguntas respondidas.
comentários(0)comente



229 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |