Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo

Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo Benjamin Alire Sáenz




Resenhas - Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo


184 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


spoiler visualizar
comentários(0)comente



Nessa Januth 16/09/2017

A trama é narrada em primeira pessoa por Angel Aristóteles Mendoza, um mexicano de 15 anos que sofre com pesadelos constantes.
Tinha duas irmãs gêmeas mais velhas e um irmão mais velho que estava preso. Isso era um assunto que não era comentado pela sua família, o que o deixava muito chateado. Era como se o irmão tivesse morrido para eles.
Ari nunca foi de muitos amigos. Gostava mais de ficar sozinho até conhecer Dante Quintana, o menino que o ensina a nadar e que odeia usar sapatos. Após um acidente onde Ari salva Dante, que estava ajudando um passarinho, a relação deles fica estranha. Ari não entende seus sentimentos. Não gosta de ser intitulado herói e até mesmo eu fiquei confusa com os pensamentos dele.
Então Ari se muda por um ano devido ao trabalho do pai e conhece coisas novas e acaba se descobrindo como pessoa.
Nesse tempo Ari aprende a dirigir, arruma um emprego fritando hambúrgueres e encontra Perninha, sua amiguinha de quatro patas.
Gostei muito de Dante pois ele lê livros como: as vinhas da ira, Guerra e paz, o sol também se levanta e poesias. É um fofo que adora abraçar as pessoas.
Também aprendi o que é ecótono. Rs. A relação deles com os pais e bem tranquila e me fez refletir muitas coisas.
É claro que não podiam faltar pessoas preconceituosas, não é mesmo? Tem uma cena muito cruel quase no fim da história que foi de partir o coração, mas acabou me conquistando e ganhou um lugar especial no meu ?.
Quotes

poemas são como pessoas. Algumas pessoas você entende de primeira. Outras você simplesmente não entende? e nunca entenderá.

Achava que devia ser ótimo ser o ar.
Eu poderia ser alguma coisa e nada ao mesmo tempo. Ser necessário e invisível. Todos precisariam de mim e ninguém conseguiria me ver.

O problema da minha vida era que ela tinha sido ideia de outra pessoa.

As palavras ficam diferentes quando passam a morar dentro de você.

Às vezes, você só precisa contar a verdade às pessoas. Elas não vão acreditar. E deixarão você em paz.

às vezes, a dor era como uma tempestade que vinha do nada. A mais clara manhã de verão podia acabar em temporal. Podia acabar em raios e trovões.

Às vezes, você faz coisas não porque pensou naquilo, mas porque sentiu. Sentiu demais. E nem sempre você pode se controlar quando sente demais.
comentários(0)comente



Franklin 05/09/2017

Aristóteles é retraído e Dante é um espírito livre. Eles se conhecem numa piscina pública, e uma amizade de dois adolescentes que a princípio parecem ter pouco em comum se fortalece de maneira inesperada.

Aristóteles, ou Ari, sofre com insatisfações no seio familiar. Seu irmão está na cadeia e, por motivos que ele desconhece, seus pais não gostam de falar do assunto. Este silêncio também se encontra na personalidade do pai veterano de guerra. E apesar da mãe amorosa, Ari também se torna um rapaz calado. Até que conhece Dante. Seu novo amigo tem uma visão diferente da dele do mundo que os rodeia, e o contato entre os dois os muda pouco a pouco.

Os capítulos se dividem numa série de vinhetas, e o livro como um todo passa a sensação que se tem em tardes de verão na adolescência, que mesmo preguiçosas também possuem uma pressão difícil de identificar, tanto vinda de dentro quanto de fora. Fatores sociais também marcam presença na história, visto que Ari e Dante são mexicanos americanos, e sua posição como indivíduos no microcosmo de El Paso, no Texas, traz complexidades particulares advindas da estrutura de classes americana.

A prosa retrata a personalidade de Ari. O texto, que por vezes flui próximo do fluxo de consciência, é composto de frases curtas e palavras soltas que evidenciam a repressão autoimposta que ele realiza nos próprios sentimentos. Quando não entende o que sente, Ari prefere abstrair — exceto quando Dante o força a enxergar a realidade e lidar com ela. Uma frase do próprio livro define bem a postura inicial de Ari: "Bastava fechar os olhos e trancar o Universo do lado de fora.”. Trata-se de um personagem que tem frustrações sobre as quais sequer sabe a origem, e como as dores do crescimento o ensinam a aprender a lidar com elas. A prosa em dados momentos se torna excessivamente poética e entrecortada, e os diálogos nem sempre convencem como realistas. Mas, apesar destas fraquezas, o conjunto se mantém elevado.

Melancólico, Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo transmite uma experiência de vida cativante sobre insegurança, amizade, e a vontade de sair da própria pele.

site: https://franklinteixeira.com
Letícia 10/09/2017minha estante
undefined




Gabriel.Nobre 23/08/2017

Não tenho palavras que possam explicar o quão bom é este livro.
comentários(0)comente



Gabriel.Nobre 23/08/2017

Não tenho palavras que possam explicar o quão bom é este livro.
comentários(0)comente



thegreek.child 12/08/2017

Esse livro me tirou de uma forte ressaca!
Aristóteles e Dante Descobrem o Segredo do Universo vai contar a história de Aristóteles (que bom, huh?), ou Ari, como prefere ser chamado, um garoto que quer desvendar o pai e saber o que houve com o irmão mais velho, Bernardo. Então, em um clube, ele conhece Dante, o seu primeiro e único amigo.

A história neste livro contada é desenrolada de uma forma tão leve e harmoniosa, porém poética ao mesmo tempo, que é impossível de soltar até descobrir o que houve com o pai de Ari no Vietnã e o que houve com o irmão para ser invisível e indiferente para a família mexicana Mendoza.

A narrativa é feita em primeira pessoa, o torna tudo ainda mais cativante, sendo apresentada em filosofias sobre a aceitação e o é viver.
comentários(0)comente



eli 08/08/2017

Ari como ele prefere ser chamado é um jovem de quinze anos solitario e revoltado com todos os segredos que o mantem distantes da verdade sobre sua propiá vida.

Um desses segredos é o fato do nome do irmão nunca ser mencionado tudo que ele sabe é que o irmão foi preso e nada mais todas as fotos foram tiradas da casa é como se ele não existisse.

Ari so tem apenas 15 anos mas pra ele isso é uma tragédia ele não sente confortável no própio corpo ele não se acha inteligente não tem muitos amigos e está longe de ser o protagonista de sua vida.

Seguindo a filosofia de que "é melhor se entendiar sozinho do que acompanhado" sai para nadar ou melhor pra boiar na piscina ja que ele não sabe nadar, la ele encontra um garoto que apesar de tambem ter ascendência mexicana e o nome do intelectual famoso, é completamente diferente dele. O que começa como uma aula de natação aos poucos se transforma numa amizade especial. Ari e dante vão descobrir mais sobre si mesmos.

Sabe aquele tipo de livro que te prende do começo ate o fim?? Ari e Dante me encantaram desde o primeiro capítulo.

Esse livro não é um romance com aqueles mesmos clichês.

É uma historia onde a maior parte do tempo gira em torno dos pais deles onde te faz julgar as atitudes de cada personagem.
A historia não te cansa em nenhum momento, me fez querer fazer parte do mundo deles e da varios broncas no dante😂 me fez querer xingar o Ari por ser tão reclamão.
Mas também me fez entender o Ari que desde o começo era confuso e perdido com ele mesmo.

O Autor conseguiu me destruir ainda mais no final do livro😱 sim isso é possivel.

Livro aborda temas importantes como preconceito, homofobia,aceitação, transfobia, Amizade e Familia.

Esse livro me deixou triste,feliz,angustiada,revoltada... E foi aquele livro que me fez rir com as conversas e birras de Ari E dante e me fez me apaixonar pela fofa da perninha(cachorra do Ari)
Achei Ari um personagem muito inteligente que apesar das confusões que ele mesmo tinha dentro de si amadureceu muito e que sempre falava uma frase muito inspiradora que me fez gastar vários post-ir.
comentários(0)comente



nicolasfg 25/07/2017

Está aí um dos livros que marcará para sempre minha adolescência
Este livro é encantador. Tendo lido ele em um dia e por Ebook (infelizmente incompleto) senti esse livro me devorando de tal forma que eu me identificava com os personagens e eles me prendiam. Tem uma narrativa leve, mas ao mesmo tempo tocante, o que nos faz sentir as mistas emoções e as dúvidas de Ari.

Me faltam palavras que moram em mim para dizer algo mais sobre o livro, apenas amor!
comentários(0)comente



Kelly Midori 23/07/2017

Resenha: Ari e Dante descobrem mais que o universo!
O livro conta sobre Aristóteles mas conhecido por Ari que faz amizade com Dante se conhecem com 15 anos que Dante ensina o nadar, Ari é pessimista e Dante totalmente ao contrário o livro se baseia na vida deles sendo que Ari é o personagem principal, o Ari tem um relacionamento mais difícil com o pais do que Dante eles no decorrer do livro vão crescendo e o irmão do Ari foi preso e ele quer descobrir o por que, Ari salva Dante numa parte.
Eu achei o livro incrível fácil de ler ele é LGBT e como diz o livro eles tentam descobrir os mistérios do universo.Eu aprendi tanto sobre a amizade dele quanto as frases de se pensar no livro.
Você vai amar e amei Ari e Dante são legais.Minha resenha ficou curta mas se não eu dou spoiler aproveite e leia este ótimo livro. E conheci o Autor Ben pessoalmente na flipop ele deu uma palestra, ele é super simpático e um ótimo escritor.

site: http://kemiroxtv.blogspot.com/2017/07/resenha-ari-e-dante-descobrem-mais-que.html
comentários(0)comente



Eu Pratico Livroterapia 21/07/2017

Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo
Um livro sutil, sensível, delicado e apaixonante! Dante e Ari se conhecem por acaso na piscina perto da casa de Ari, mas jamais imaginariam que seriam grandes amigos e que cada tempo que passam juntos se conhecendo ou distantes, pois Dante vai com seus pais para Chicago, por alguns meses, descobrem cada vezes mais algo sobre seu próprio universo.

Eles criam outras amizades, porém a mais forte, leal e verdadeira é a de ambos. Eles passam por experiências e Dante é o mais falante e conta praticamente tudo o que ocorre com ele em Chicago, em sua vida, enfim, tudo mesmo. Os passeios pelos metrôs, menos à noite, o museu de artes, que eu esqueci o nome, sim sou desatenta....kkk, mas Ari é mais fechado, não compartilha tudo, conta algumas coisas, não escreve tantas cartas para Dante, já Dante escreve várias.

A narração da história toda é pela visão de Ari, ele conta tudo como ele vê ou imagina ver. A relação que tem com seus pais, com seu amigo Dante, com os pais de Dante, com as amigas da escola, com a primeira festa que vai, a visão que tem do seu irmão que não está com ele, com as irmãs. Porém é uma visão muito boa. Eu fiquei imaginando como seria na visão de Dante tudo que o ocorreu na história e faz muito mais sentido na visão de Ari para que ele se abra para mundo, para si e comece de fato viver a sua vida e não ser mais um espectador.

Enfim, cada um com sua maneira de ser, mas Ari é mais fechado, calado e esconde quem ele mesmo é, pois ele ainda não conhece seu próprio universo e, os seus sentimentos perante seu amigo e amigas. Mesmo assim, eles tem mais sensacionais conversas, afinidades e uma amizade inabalável, que acabam vendo a beleza da amizade deles e, não isso o eles mesmo sabem de si, principalmente, Ari, que não é muito de falar e nem de se expressar.

A cada capítulo fiquei pressa na história, encantada com a pureza das descobertas deles, da maneira de se expressar, de ler, de conviverem, do acidente. Salvei várias frases que tocaram meu coração. Não! Eu não chorei. Chorar ou se emocionar em um livro é uma raridade acontecer, mas é muito singelo esse livro. Eu indico ele com toda a certeza. É uma ótima leitura. Li praticamente em um dia. Os capítulos são curtos e bem rápidos e fáceis de ler. Algumas palavras fui consultar o dicionário, não nego, mas foram bem poucas e você acabam entendo as palavras pelo contexto. Eu que gosto de caçar algumas palavras mesmo...kkkkk




site: http://www.eupraticolivroterapia.com.br/2017/07/aristoteles-e-dante-descobrem-os.html
Ingrid.Mayara 21/07/2017minha estante
Quero muito ler!




Babi.melato 16/07/2017

Um um livro muito amorzinho
Me identifiquei muito com a forma de Aristóteles ver o mundo. Os conflitos da adolescência se apresentam para ele de forma intensa, e quando ele conhece Dante, se confunde ainda mais. Estou apaixonada pela história, pelo livro, pelos personagens! Amei a narrativa leve, que te prende até o final.
comentários(0)comente



Alika 12/07/2017

https://goo.gl/z7NLn9
“Fiquei pensando que poemas são como pessoas. Algumas pessoas você entende de primeira. Outras você simplesmente não entende… e nunca entenderá.”

Eu acho que livros adolescentes podem ser separados em dois grandes grupos: o que você lê quando é adolescente (e aí pra ler depois disso você precisa lembrar de como você era e ler nessa ‘roupagem’, pra não ficar irritado com protagonista doido, por exemplo) e o que você lê e se lembra da adolescência numa nostalgia gostosinha.

…E aí eu separo em dois grupos pra dizer que esse aqui tá nos dois. hahahaha

“Havia um quê de tristeza e solidão no desenho; eu me perguntei se era assim que ele via o mundo ou se era assim que ele via meu mundo.”

Explico: se fosse pra descrever esse livro com uma palavra acho que eu descreveria com “doce”. Os personagens tem uma doçura tão grande que deixam nosso coração quentinho durante toda a leitura… e no fim a gente só sente saudade deles. Ao mesmo tempo, todos os problemas e dificuldades da adolescência também aparecem, mostrando sinceramente como é essa época.

O livro tem uma sensibilidade perfeita pro tema. E, mesmo quem não passou por isso, também consegue se identificar com mil outras confusões adolescentes. Dante é disparado meu personagem preferido, eu gostei muito dele! Ari é o típico jovem introvertido que tem auto estima baixa, e você se identifica com ele em vários momentos.

“Naquela tarde, aprendi duas palavras novas. ‘Inescrutável’… e ‘amigo’. As palavras ficam diferentes quando passam a morar dentro de você.”

A leitura? Super leve e rápida. Você nem vê o tempo passar. É um ótimo livro pra se divertir e ficar com um sorriso no rosto ao terminar. Aliás, é bem clichê. Mas é fofo. :)

“Eu não entendia como alguém podia viver em um mundo mau e não absorver um pouco dessa maldade. Como um cara era capaz de viver sem um pouco de maldade?”

site: https://goo.gl/z7NLn9
comentários(0)comente



Thalia 11/07/2017

Uma história incrível sobre amor, identidade e família.
comentários(0)comente



dupimmarcos 09/07/2017

Expectativas em excesso podem te fazer mal, mas também te ensinar coisas importantíssimas.
"Acho que ser um deles me deixava extremamente envergonhado. E a possibilidade de crescer e virar um daqueles babacas me deprimia".

Quando iniciei o livro, já sabia que ele trataria sobre a temática LGBTQ, mas antes de iniciar, pensei que seria algo muito além do que foi mostrado aqui. Fui imaginando um livro direto a temática, mas que na verdade se tratava te todas as descobertas dos protagonistas. Por esse motivo, quando terminei a leitura o meu sentimento era de "mas é só isso?", justamente pelo fato das coisas realmente (nas minhas expectativas) só acontecerem nas últimas 10 páginas.
Aristóteles é um personagem muito legal, é quase impossível de não se identificar com ele em algum momento da história. Esse foi o livro que li mais rápido (em toro de 10 horas) devido ao fato da narrativa do Benjamin ser completamente fascinante e encantadora. Uma leitura gostosa, rápida e que te faz se colocar no lugar do personagem. Recomendo!
comentários(0)comente



Queria Estar Lendo 08/07/2017

Resenha: Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo
Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo é aquele tipo de livro que deixa um calorzinho no coração. Que te faz sorrir e se sentir bem com o mundo. A história sensível de Benjamin Alire Sáenz é do tipo que merece estar nas estantes de todos os leitores.

Aristóteles conhece Dante na piscina; Dante se oferece para ensiná-lo a nadar, e daí para frente eles se tornam amigos. Uma amizade de verão regada a aventuras, risadas e tristezas. Essa é uma história sobre dois garotos, dois amigos, dois jovens que estão descobrindo o mundo e todos os segredos do universo junto com ele.

"- Às vezes as pessoas falam, mas não dizem a verdade."

É um livro simples, e talvez por isso tão complexo e importante. A obra é contada através dos olhos de Aristóteles - ou Ari, como prefere ser chamado. Ele é o filho mais novo, tem duas irmãs já casadas e um irmão mais velho do qual a família nunca fala. A mãe é divertida e carismática e o pai é amigável e solitário, carregado pelas lembranças da guerra do Vietnã. Quando conhece Dante, Ari acaba conhecendo um mundo diferente; uma família nova que o aceita tão bem quanto a sua, mas que demonstra muito mais do que ele se acostumou. São os tipos de pessoas que riem abertamente, choram abertamente, sentem abertamente. Dante acima de todos. Ele é o completo oposto de Ari, e por isso o entende tão bem.

"- Eu não preciso da chuva. Preciso de você."

A narrativa é tão fluida que cinquenta, cem, duzentas páginas se passam em um piscar de olhos. Benjamin tem um jeito único de contar histórias, e os personagens são tão ricos e reais que saltam das linhas para a sua imaginação. Ari e sua personalidade melancólica, marcado pela ideia de que seus sentimentos são estranhos e incompreensíveis. Seus pensamentos são muito autodestrutivos, mas dizem muito sobre o garoto que ele é; a tristeza e as sombras que imperam a maneira com que ele reage às pessoas mostram seus medos, mesmo que Ari não os entenda. A forma como interage com os pais, como os odeia por esconder a história do irmão mais velho, e como os ama por estarem ali por ele, é tudo muito pesado para uma alma tão jovem, e ainda assim Ari está ali, tentando seguir em frente.

"Perguntava a mim mesmo do que estávamos rindo. O riso era um mistério da vida."

Dante traz muito de suavidade e alterações para o Ari. Suas lágrimas e sorrisos são diferentes do rotineiro, sua tristeza e euforia diferem do que Ari aprendeu a ver até então. Dante é um garoto solitário, mas animado, cheio de expectativa e de vontades. Ele quer ver o mundo e entendê-lo, quer ser entendido. Ele tem muitos medos também, coisas paralelas às que assombram o Ari. Ao mesmo tempo em que quer ver o mundo, Dante tem medo de como o mundo pode reagir a ele. Apaixonado pelos pais e pela vida, ciente de que os pais o amam incondicionalmente de volta, Dante foi um querido do início ao fim. Foi a luz para a escuridão do Ari, mas nem sempre o apoio - ele também precisou de Ari em muitos momentos.

"Fiquei pensando que poemas são como pessoas. Algumas pessoas você entende de primeira. Outras você simplesmente não entende... e nunca entenderá."

A coisa mais rica a respeito desse relacionamento é como o autor desenvolveu uma amizade tão poderosa e destrinchou em sentimentos mais profundos. Ari e Dante pertencem um ao outro muito além do vínculo amigável; você lê o amor eles e entende muito antes dos dois. Você lê as hesitações e os receios, a vontade de fazer coisas incríveis, de gritar aos ventos o que eles estão sentindo. É uma história tão sensível e sutil, com uma narrativa doce e bem direta.

"E me pareceu que seu rosto era o mapa do mundo. Um mundo sem qualquer escuridão."

Os personagens coadjuvantes foram importantes para a jornada dos meninos. Seus pais, principalmente, tiveram os melhores momentos dentro da obra. Os de Ari eram muito de ressentimento, da necessidade de crescer e amadurecer junto com o filho, de entender que ele estava pronto para o mundo, diferente do que eles achavam ser o certo. E os de Dante, apesar de toda a aura descolada e dos sorrisos e simpatia, também tiveram seus momentos sombrios, onde a presença de Ari se mostrou necessária para ajudar aquela família a seguir em frente. A impressão que o livro deixou foi que o vínculo entre os dois garotos criou um vínculo ainda maior entre suas famílias, e por isso os sentimentos entre Aristóteles e Dante foi tão poderoso.

Com uma edição arrasadora, a editora Seguinte entrega um livro doce, emocionante e necessário, que fala sobre amor e medo e sobre a importância de entender e aceitar as diferenças. Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo e entregam ao leitor uma experiência indescritível cheia de emoção.
comentários(0)comente



184 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |