Enquanto Eu Te Esquecia

Enquanto Eu Te Esquecia Jennie Shortridge




Resenhas - Enquanto eu te esquecia


99 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7


Fernanda 07/03/2014

Enquanto eu te Esquecia conta a história de Lucie Walker, uma mulher que foi encontrada na Baía de São Francisco e que não fazia ideia de quem era ou como foi parar ali. Ela é enviada a uma clínica psiquiátrica, onde acaba sendo diagnosticada com um tipo raro de amnésia que a impede de se lembrar de seu passado. Ela consegue se lembrar de fatos como, quem é o atual presidente, mas não faz ideia nem de seu nome! Com a ajuda da imprensa, um homem chamado Grady a encontra depois de uns dias e a identifica. Grady é noivo de Luce, e após comprovar os fatos, consegue leva-la de volta para casa, em Seattle.

De volta em sua casa, Lucie espera poder se lembrar de quem ela realmente era, mas nada ao seu redor a faz lembrar-se de algo familiar. Seu noivo percebe sua mudança de hábitos e personalidade, e não sabe mais como ajudá-la a lembrar das coisas, afinal, seu passado antes do ocorrido também era um grande mistério. Ela não possuiu família e o seu único parente vivo, a tia, é alguém que ela não gosta e nem tem contato, e Lucie nunca quis contar sobre seu passado, principalmente sobre algumas marcas em seu corpo, e chegou uma hora em que Grady deixou de perguntar.

Aos poucos Lucie vai descobrindo um pouco mais sobre quem era através de fotos, bilhetes, e-mails, a família de Grady e de alguns vizinhos. Ela fica chocada ao descobrir como antes do ocorrido ela era uma pessoa fechada, fria e controladora. A recuperação de Lucie se mostra cada vez mais difícil, afinal a cada dia ela se distancia mais da mulher que era e se torna uma desconhecida pra Grady. O que faria se jamais se lembrasse de si mesma? Seria uma ótima oportunidade pra começar uma nova vida, mas seria possível aquele homem que passa a ela uma sensação tão familiar e acolhedora, se apaixonar pela nova Lucie?

Sabe quando um livro te passa uma sensação de tranquilidade? É exatamente o que senti ao ler Enquanto eu te Esquecia. É uma leitura tão agradável, com personagens tão humanos e sentimentos expostos de uma maneira tão real e simples, que de cara a história conquista você! Não é um livro pequeno e ainda assim você lê em pouco tempo, porque o desenvolvimento da trama, apesar de um pouco lento (porque é bem detalhado), é instigante. Ele é narrado em terceira pessoa, e os capítulos vão sendo alternados entre os personagens. Em um momento da história você lê o ponto de vista de outro personagem além da Lucie e o Grady, e que de início parece completamente aleatório, mas que os poucos você vê como se encaixa na história.

Gostei muito da protagonista e da jornada que ele teve que passar durante todo o livro. Grady me conquistou fácil também, foi um personagem que mostrou tanto amor, paciência e compreensão, mesmo quando ele estava uma bagunça por dentro. E gostei muito da narrativa da autora, que somente aos poucos vai entregando as peças do grande quebra-cabeça, até a gente montar completamente a história. Cada mistério que envolve o passado de Lucie que ela nunca quis mencionar para Grady, sobre sua infância e sua família, e até sobre o porquê de Lucie ter ido parar longe de casa e ter ficado com amnésia é entregue aos poucos, e vamos descobrindo, nos emocionando, e nos surpreendendo junto com a própria personagem, que vai fundo na busca para descobrir tudo sobre si!

A única coisa que eu senti que deixou há desejar um pouco foi o final do livro, mas isso porque eu nunca fui muito fã de desfechos em que o autor dá oportunidade ao leitor para imaginar o que pode ter acontecido, como o de A Culpa é das estrelas, por exemplo. Eu até gostei do de ACEDE, da mesma forma que achei que funcionou muito bem em Enquanto eu te Esquecia, e eu não mudaria o final, mas não consigo deixar de me sentir um pouco frustrada, talvez porque eu queria ter lido pelo menos mais uma cena a partir da conclusão que a autora deu pra esses personagens, mas isso é uma opinião muito pessoal, e cada leitura funciona de um jeito pra cada pessoa.


site: http://viciosemtres.blogspot.com.br/
Midiã Fontes 22/07/2014minha estante
ótima resenha, parabens


Thais 27/08/2014minha estante
Acabei de ler... Final sem graça! Tipo, como assim acabou?


Elis 22/09/2014minha estante
Nossa amei todo o livro, mais quando terminei achei que tinha faltado um capítulo. Fica a dúvida no ar e tb não gosto disso.
Mas o livro é muito lindo, sua resenha é ótima, retrata-o muito bem!


Mona 13/10/2014minha estante
Adorei a sua resenha! Ainda bem que a li, eu amei o livro, mas estava desesperada procurando a continuação... Uma pena que não tenha...


Bina 22/02/2016minha estante
Concordo com você, o livro inteiro foi muito bom, adorei os personagens e a trama em si, mas o final... sei lá, parece que a autora tinha um limite x de paginas para o livro e quando estava chegando a esse limite simplesmente encerrou sem mais nem menos eu pelo menos tive essa impressão. Até procurei na internet depois pra ver se tinha uma continuação por que terminou muito do nada.




Fernanda R 05/02/2015

Final sem noção
Tudo gira em torno da Lucy, que perdeu a memória... Mas que final foi esse? Cadê o resto da história? Ela mesma fala para o Grady que tem mais! Ela recuperou algumas partes da memória, mexe nas coisas que comprou, percebe Q são presentes que tinha comprado... Sente falta do cara e só. A história Tava legal, bem detalhista, mas o final ficou sem conteúdo. Ela ia casar em um mês... E??? Acabou a história! Ainda bem que li ebook...
comentários(0)comente



Eu Conto Um Conto 29/07/2015

Pensei bastante em como descreveria esse livro, que apesar de não ser um dos melhores que já li (com esse tema de perda de memória), não deixou de ser uma leitura muito especial.

Intenso, franco e incrivelmente emocionante. Enquanto eu te esquecia é um livro bastante delicado, que nos questiona sobre a maneira que vivemos e nos lembra que sempre temos uma nova chance de ser feliz.

Lucie Walker não se lembra de quem é ou como foi parar nas águas geladas da Baía de São Francisco. Sua mente está totalmente em branco e sua determinação é descobrir o que a motivou a fugir poucas semanas antes de seu casamento. Pela capa e sinopse da trama, logo a gente imagina que se trata de um suspense sombrio, mas não é bem assim. Apesar das descobertas e reviravoltas, considero esse um livro bem simples e tranquilo.

Sabe quando um livro te passa uma sensação de tranquilidade? Foi exatamente o que senti. Os personagens são tão humanos e os sentimentos são expostos de uma maneira tão real e simples, que de cara a história conquista você. Amei a protagonista e a sua jornada em meio as suas descobertas e no geral gostei muito da narrativa da autora, que somente aos poucos vai entregando as peças do grande quebra-cabeça.

Eu particularmente até gosto de finais em aberto, que ficam por conta da imaginação do leitor. No entanto, nesse eu queria e senti que precisava saber mais. Mesmo com essa pequena insatisfação, recomendo muito, principalmente para quem gosta de livros com personagens maduros.

Leiam!
comentários(0)comente



Aline Mara 21/02/2017

Que final foi esse?
Não é um livro ruim, pelo contrário elege prende. Você fica querendo saber se a Lucie recupera sua memória, como isso vai acontecer, ser lá volta a ser quem era como fica a situação da tia, do noivo... Mas no final.. puts!!!! Que foi aquilo? Esperava mais do final. Acho que a autora poderia ter colocado mais coisas ali para aguçar nossa imaginação.
Leitura recomendada para após um livro que te deixou de ressaca, pois é Lee e tranquilo.
Fabricy 29/05/2017minha estante
Também achei que falta alguma coisa. Muito solto o final!


sonia 25/02/2018minha estante
Concordo totalmente, o livro foi maravilhoso, mas eu odiei o final, achei muita falta de consideração terminar daquele jeito.


sonia 25/02/2018minha estante
Tanto é que estou procurando um livro com o mesmo tema mas que seja com final decente.




Quatro Amigas 20/03/2014

Resenha para o blog www.quatroamigaseumlivroviajante.com
Lucie Walker sempre fora uma mulher controladora e calculista que sempre planejou meticulosamente seus passos. Mas perder a memória antes de seu 40º aniversário e dois messes antes do grande dia de seu casamento não estava em seus planos.

Encontrada perdida e assustada na Baía de São Francisco, sem se lembrar de como foi parar naquele lugar e de quem realmente é, Lucie é levada a uma clínica psiquiátrica aonde permanece até a chegada de um belo rapaz que diz ser seu noivo e que atende pelo nome de Grady Goodall. Mas como confiar em alguém de quem você não se lembra? O que houve com a sua memória? Qual evento traumático levou a sua mente a ter esse colapso?

Lucie tem essa e muitas outras perguntas, mas como conseguir as respostas de quem ela realmente é, quando se tem um passado aonde ela mesma tentou esconder de todos, inclusive de seu próprio noivo, a 7 chaves?

É isso. Essa é a premissa de Enquanto eu te esquecia da autora Jennie Shortridge, lançado aqui no Brasil pela editora Única, e que me fez surtar e dizer pronto, quero, CADÊ O LIVRO?!

A história me intrigou não somente pelo fato de ter uma capa bonita, que aliás está realmente belíssima, mas sim sobre como seria desenvolvido esse problema já que nunca li nada parecido, e devo dizer que gostei bastante de como a autora optou por narrar a história não somente pelo ponto de vista de Lucie, mas intercalando também com a perspectiva de Grady sobre o problema, e como esse evento o afetou também afinal, como continuar amando uma mulher que você descobre não conhecê-la totalmente? Como ajuda-la a passar por tudo isso? Como reconquista-la? Como voltar para um relacionamento após um evento desses?!

É gostoso ver como Lucie lida e se reinventa através dessa dificuldade e de como Grady a ajuda nesse processo demonstrando seu amor e paciência com ela, o que com certeza é um dos pontos positivos do livro. Isso, e o fato da autora dar veracidade a história, sem ser algo muito mirabolante e surreal.

Apesar de toda minha expectativa e empolgação com o livro, a autora para mim pecou na narração que se torna cansativa, já no meado do livro por excesso de detalhes. Um outro fator que também me fez avaliar o livro com 4 estrelas, foi que as descobertas sobre o passado de Lucie não eram tão surpreendentes assim. Terríveis sim, mas previsíveis ao meu ponto de vista que esperava algo do tipo "Eita, nossa, caramba!". E isso infelizmente não rolou.

Sobre o trabalho da editora, não tenho do que reclamar já que a cada lançamento ela tem mostrado um trabalho dedicado e belíssimo, seja na divulgação ou no trabalho gráfico

site: http://www.quatroamigaseumlivroviajante.com/2014/03/resenha-enquanto-eu-te-esquecia-jennie.html#.UyslDfldWT8
comentários(0)comente



Paula 22/01/2016

Enquanto eu te esquecia vai contar a história de Lucie Walker, uma mulher que acabou de completar quarenta anos e está prestes a se casar. Infelizmente, Lucie não lembra de nada disso, pois foi encontrada na Baía de São Francisco, longe de casa, sem memória alguma. Ao ser levada para uma clínica psiquiátrica, recebe o diagnóstico: um tipo de amnésia que ocorre após algum trauma, como uma forma de proteção do inconsciente.

Através da repercussão do caso nos meios de comunicação, seu "futuro marido", Grady, consegue encontrá-la e levá-la de volta à Seattle, para uma casa e uma vida que ela não reconhece. Apesar de não se identificar com nada ao seu redor, resquícios do passado e a oportunidade de recomeçar do zero no presente vão construindo uma nova Lucie. É como se ela ganhasse uma chance de ser alguém diferente daquela pessoa mesquinha da qual não recorda.

Adorei essa premissa do livro, apesar de passar o tempo todo tensa, me colocando no lugar da protagonista. A narrativa é dividida entre ela, Grady e Helen, a única parente viva da Lucie. Já citei várias vezes, mas acho ótimo quando consigo ter vários panoramas de um mesmo enredo, isso proporciona um entendimento mais completo da trama.

A história da Lucie me tocou profundamente, o ritmo que a autora seguiu para narrar a história é acolhedor. Os personagens são muito bem construídos, com sentimentos reais e humanos, atitudes que você esperaria de pessoas de verdade.

Vi em outras resenhas que várias pessoas concordam comigo em relação à paz que Enquanto eu te esquecia passa. Fazia um bom tempo que eu não lia nada que me deixasse tão tranquila. Não sei vocês, mas eu sinto um grande alívio quando me deparo com livros assim, são muito agradáveis para o coração, principalmente quando quero descansar minha cabeça de histórias turbulentas.

Creio que o único momento em que a autora pecou foi o final. Sou uma pessoa que, no que diz respeito a livros únicos, gosto de desfechos que amarrem todas as pontas e não deixem margem de dúvida de como os personagens seguiram sua vida dali em diante. Em séries, tudo bem deixar algo inconclusivo para ter assunto nos livros seguintes, mas quando não haverá continuação, é frustrante não ter noção do que pode ter acontecido.

Ressalto que este é o meu ponto de vista, pois conheço várias pessoas que gostam desse tipo de final, e entendo a ótica delas. Afinal, funciona como um leque de alternativas para o leitor criar o que quiser.

Se você busca uma lição sobre recomeço, mudança de atitudes e o quanto sua vida poderia mudar vista de um ângulo diferente, este é o livro perfeito. Me fez pensar em coisas das quais, no futuro, eu poderia me arrepender, principalmente se eu olhasse para elas como outra pessoa. Recomendo!
comentários(0)comente



Leticia - @umleitornooceano 20/10/2016

Confesso que o título desse livro me deu uma ideia totalmente diferente da real história. Eu esperava algo em que a mulher está saindo de um relacionamento, teve o coração partido e agora precisa superar e seguir a vida. Mas, felizmente, o livro me surpreendeu.
Lucie não se lembra de nada. Quem é, como ou porque foi para dentro da Baía de São Francisco. Perdida e desnorteada ela é encaminhada até a ala psiquiatra do hospital esperando que alguma coisa mude. E muda. Um homem chamado Grady aparece afirmando que é seu marido e que está pronto para levá-la para casa. Apesar da animação inicial, o medo se faz presente. Como ela era antes de perder a memória? Como Grady se sente em relação a ela? Porque ela foi a São Francisco?
“Enquanto Eu Te Esquecia” é tem capítulos divididos entre Grady, Lucie e mais um personagem que eu vou deixar no mistério. Essa divisão é maravilhosa porque permite que você sinta a confusão de todos os personagens envolvidos. Quem perde a memória é a Lucie, mas todos sofrem as consequências.
Grady que repensa sua vida e se pergunta se ainda ama a nova Lucie ou se ela será capaz de amá-lo, os pensamentos no filho que ele nunca conheceu e o peso da perda do pai muito jovem. Lucie que tenta se reencontrar e descobrir quem ela quer ser, tem que enfrentar as comparações e a confusão de sentimentos que ela tem por Grady – será que ela realmente o ama ou isso são apenas memórias?

Resenha completa no blog!

site: http://umleitornooceano.blogspot.com.br/2016/10/resenha-enquanto-eu-te-esquecia.html#more
comentários(0)comente



Mara 12/11/2014

Grady- ela suspirou- Sinto muito fazer tudo errado, escolher todas as coisas erradas, não me lembrar de como ser igual a ela. Estou tentando, mas... Não espero que você me ame do jeito que a amava, de verdade, não espero. Só... – Lucie fechou os olhos, contendo as próprias lágrimas.
Ao ver a capa desse livro, confesso que fiquei muito encantada, e ao ler o título e a frase de chamada " O que a memória apagou, o coração recorda..." pensei logo que se tratava da história de superação de um término de relacionamento, pois quem já não passou por isso e continuou lembrando mesmo quando não devia e o melhor era esquecer?! Mas na verdade, Enquanto eu te esquecia ( Editora Única, 384 páginas) nos traz a história de Lucie Walker, uma mulher de 39 anos que inicia o livro nas águas geladas da Baía de São Francisco e não se lembra de quem é ou como foi parar lá. A Lucie é resgatada pelos banhistas da praia e encaminhada para uma clínica psiquiátrica. Na clínica ela descobre que tem um noivo, quando ela mesma não recorda nem o que fez uma hora atrás. O livro é narrado em terceira pessoa, mas a cada capitulo, sob o ponto de vista de Lucie, de Grady (seu noivo) e de Helen ( tia de Lucy), com exceção do primeiro capítulo.

No seu retorno para casa, a Lucie vai tomando conhecimento de sua personalidade antes do acidente, da pessoa controladora, fria e sem vida que era, da mulher que não cumprimentava os vizinhos,que não gostava de flores, que não contava sobre sua vida ao próprio noivo. Como acontece com alguns personagens que perdem a memória, em outros livros que já li com essa temática, a Lucie tem flashs e recordações de lembranças antigas, de coisas que não fazia mais, porém não recorda de fatos que há tão pouco tempo eram presentes em sua vida.

No outro lado da história também há Grady, que não sabe o que fazer para auxiliar a Lucie recuperar a sua memória, até porque ele é tão inseguro do amor dela por ele, que tem receio de que ao se lembrar do que ocorreu, a Lucie não queira mais ficar com ele. No decorrer do livro me senti muitas vezes frustada e angustiada, porque o Grady não conseguia ajudar a Lucie e eu pensava comigo mesma: Como eles poderiam estar de casamento marcado e ele não conseguir ter uma diálogo coerente com a Lucie, falar do que gostavam de fazer, como se conheceram, como eles eram juntos?! E ela também não parecia ter pressa, ter interesse em ter sua memória de volta.

As partes sob o ponto de vista da Tia Helen achei um detalhe desnecessário e que poderia ter sido gasto contando mais sobre o relacionamento de Grady e Lucie e suas vidas. Detalhes básicos não foram explicados, me deixaram curiosa e no escuro. E quando os segredos da infância e da família de Lucie foram descobertos, se tornaram chocantes demais e até arrisco dizer um pouco fora de contexto dentro do universo que a história estava sendo construída.

Confesso que o que mais gostei de verdade no livro e o que me fez continuar a leitura entretida, foi a forma como o Grady demonstrou amar a Lucie. De uma forma, pura, intensa, insegura e sensível. Alguns de seus pensamentos e atitudes me deixaram muito encantada.

- Que merda, Lucie, só quero fazer o que é certo, mas não sei como. Não sei o que você quer. Só quero estar com você, ajudar, e... Merda. – A voz ele ficou mais baixa, quase uma sussuro: - Eu te amo pra caramba, nem sei se deveria estar dizendo isso.

Confesso que Enquanto te esquecia não me deixou apaixonada e nem entrará na minha lista dos melhores do ano. E a todo momento durante a leitura, eu esperava ansiosamente que a memória de Lucie retornasse, temia que o livro terminasse antes que isso acontecesse. E claro que não irei dizer o que ocorreu, mas posso dizer que ao chegar ao final do livro, percebi que ele cumpriu seu papel. A Lucie estava aproveitando sua oportunidade de recomeçar. E é isso que esse livro nos faz, nos deixa com vontade de poder recomeçar o que não gostamos em nós, no nosso emprego, em nossa amizade, em nossos relacionamentos. Nos questiona se gostamos de ser quem somos e da maneira que vivemos.

Leia o texto original no blog Menina da Bahia: Menina da Bahia: Enquanto eu te esquecia - Jennie Shortridge http://www.meninadabahia.com.br/2014/05/enquanto-eu-te-esquecia-jennie.html#ixzz3ItmVQo00
comentários(0)comente



Nathy 13/08/2014

Enquanto eu te esquecia Jennie Shortridge #Resenha | O Blog da Mari
Quando vi a primeira vez essa capa eu fiquei muito curiosa para saber do que se tratava, parecia ser mais um daqueles livros que a mulher é abusada de alguma forma. Estava com as expectativas altas com relação ao drama e também ao romance, porém não foi exatamente como estava esperando. O livro é bom, mas achei um desenvolvimento de um tema ótimo bem simples. A leitura flui bem, tanto que menos esperava já estava terminando o livro. Talvez por conta disso tenha achado que ficou faltando algo mais. Faltou aquele negócio que me fizesse ficar de boca aberta e surtando com cada revelação.

A história gira em torno de Lucie. Uma mulher que foi encontrada na beira do mar sem se lembrar de como chegou ao local ou quem é ela. Ao que tudo indica fugiu de sua casa, após um evento ter desencadeado uma memória muito tempo esquecida. E esse mesmo evento parece ser a causa de ela não se lembrar de absolutamente nada de sua vida. Esse foi um dos pontos que merecia ser melhor explorado e tivesse um motivo muito maior para ela esquecer todas as coisas. Não digo que seja algo fraco o que passou, mas estava esperando por algo realmente forte e inesperado.

A narrativa é em terceira pessoa e apesar de gostar demais desse estilo tive uma dificuldade porque depois do primeiro paragrafo parecia que estava em primeira pessoa. Esse foi outro ponto que me incomodou durante a leitura e o outro ponto foi que no meio do capítulo aparecia algum flashback dos momentos deles individuais e não eram sinalizados. Eu fiquei um pouco perdida porque teve partes que achava que estava acontecendo naquele momento até me tocar de que na verdade já havia acontecido e o personagem que estava em foco que estava se lembrando.

'Ela se deu conta da agitação às suas costas, mas mesmo assim pareceu mais importante continuar examinando, procurando alguma coisa acima da água, na direção das montanhas, um barco de nuvens. Uma ponte à distância, familiar.'

Mesmo tendo uma grande dificuldade em me conectar com os personagens tive alguns sentimentos não definidos pela Lucie. Imagina perder todas as suas memórias e ter que de alguma forma tentar juntá-las apenas com aquilo que as pessoas querem lhe dizer, deve ser bem complicado. Então ela teve força o suficiente para ser exatamente quem desejava e ainda assim aguentar todas as histórias de pessoas diferentes. Cada uma tinha uma visão diferente dela e pelo que era contado nem a própria Lucie conseguia se sentir vontade com a sua outra personalidade.

Continue lendo a resenha no link abaixo:

site: http://www.oblogdamari.com/2014/07/enquanto-eu-te-esquecia-jennie-shortridge-resenha.html
comentários(0)comente



Camilla em Mundo Invertido 22/09/2016

Resenha:Enquanto eu te esquecia
Lucie, é encontrada numa praia e levada ao hospital mas ela não lembra de nada de sua vida, nem seu nome, com o decorrer do tempo o noivo dela consegue encontrá-la pelos noticiários e mesmo ela não o conhecendo por ter esquecido, ela sente algo por ele e a vontade de querer saber mais de sua vida, volta para casa e descobre muitas coisas que ela não acredita em ser ela esse tipo de pessoa mas descobre muitas coisas por trás daquela Lucie fria e determinada e o porque também de ela ter esquecido para que enfim consiga seguir em frente com sua vida.

Opinião:maravilhoso, como se desenrola a história e os personagens como eles estão tão confusos com toda a situação e como se sentem, quem quiser ler pra ver que as vezes nem você mesmo se entende mas que percebe que apesar de muitas coisas você é humano e erra, sente medo e muitas vezes isso impede o seu crescimento pessoal.
comentários(0)comente



Kari 28/03/2014

Enquanto eu te esquecia - O que a memória apagou, o coração recorda... - Jennie Shortridge
É tão curto o amor,
tão longo o esquecimento.
Pablo Neruda

Enquanto eu te esquecia é um livro que fala sobre relações de todos os tipos, desde a amorosa a relação familiar e de alguns traumas sofridos pela protagonista quando ainda era uma adolescente, traumas esses que a fizeram bloquear tudo em sua memória e se tornar uma pessoa um tanto quanto superficial e até mesmo fria..

Lucie vive confortavelmente com seu noivo até que algo acontece e ela simplesmente desaparece..

A história começa no momento em que Lucie é encontrada com água até os joelhos sem qualquer sinal de memória de quem é, onde mora e etc.
Nisso após um apelo de seu noivo as emissoras de tv o mesmo a encontra em uma clínica onde percebe que Lucie realmente não se lembra dele e nem de nada que viveram juntos por 5 anos e o pior é que o casamento deles está próximo, está marcado para menos de 6 semanas, na mesma data em que Lucie fará 40 anos.


"E essa era a pior parte de tudo aquilo. Ela não sabia quem ela conhecia,
ou se conhecia alguém. Não sabia se alguém a amava, contava com ela, ou sentia sua falta."


O enredo é narrado de forma intercalada, ora pelo ponto de vista de Lucie, ora pelo ponto de vista de Grady (noivo). Desta forma podemos perceber com transparência os sentimentos dos personagens diante a tudo que estão vivendo e isso torna a leitura ainda mais interessante!

As revelações sobre o passado de Lucie e tudo que ela bloqueou são aterradoras e intensas e passamos assim a entender o porque ela se transformou na mulher do presente. Diante a tudo que ela viveu, realmente seria impossível não sair com sequelas.

Grady é um homem apaixonante. Nossa, como ele é paciente! Tanto com a Lucie que viveu com ele por 5 anos, quanto com a nova Lucie (pós amnésia). Ele conseguiu amar Lucie com todos os defeitos que aos olhos dos leitores a veria como uma mulher fria e sem sentimentos.. mas que porém era resquícios de traumas vividos por ela em seu passado. O próprio Grady, tem seus traumas sendo um homem que descende de índio e que sofreu diversos preconceitos. Além disso, perdeu seu pai quando ainda era um garoto e foi criado por sua mãe e várias irmãs.

O x da questão é conhecer o passado dos personagens e o que os levou as atitudes do presente, e como eles vão seguir em frente! Será que Lucie e Grady irão se reaproximar? O que será que desencadeou a amnésia de Lucie?

Eu curti muito a história. É um romance adulto, forte e ao mesmo tempo sensível. Os personagens são bem delineados e o enredo nunca sai de moda!
comentários(0)comente



Conchego das Letras 09/06/2016

Resenha Completa
É difícil falar desse best-seller sem dar spoiler, por isso não pretendo dar muitas informações aqui, até porque, quem quiser saber um pouco mais, só precisa conferir a sinopse.

A história de Lucy Walker, protagonista desse livro, é de autoconhecimento. Após perder a memória e enquanto está em tratamento para recuperá-la, ela entra em conflito consigo mesma, com seu “mundo” e com pessoas a sua volta, como, por exemplo, Grady, seu noivo, e Helen, uma tia que há anos não via, mas que teve um papel de grande importância em sua infância. Essas pessoas, sem querer, também são conduzidas a uma busca, já que, influenciadas pelo “estranho” comportamento de Lucy, são obrigadas a questionarem valores, atitudes tomadas no passado e posturas do presente.


“Será que pelo menos ela era boa para ele? Se fosse essa pessoa que estava começando entender que era, por que teria querido se casar com ela?” (Pg. 181)

Vizinhos, parentes, amigos, objetos, tudo isso ajuda Lucy nessa jornada que ela percorre em busca de compreender o que lhe aconteceu para que se esquecesse completamente de seu passado.Em meio a descobertas, confissões, resgate de memórias perdidas e até algumas desilusões vivenciadas pela protagonista e pelas pessoas a sua volta, a autora conduz também aquele que lê a uma inevitável autognose. Ou seja, leitor, é uma obra que te levará a questionar-se, a meditar sobre quem é, sobre como conduz sua vida, sobre os valores que o dirigem.

“Sentiu-se enojada com a descrição que Susan tinha feito dela, correndo pela vizinhança sem olhar ou cumprimentar ninguém.” (Pg. 181)

Pode-se dizer que é uma história de amor, já que toca nesse tema em diversas esferas, mesmo que de uma maneira, digamos, velada: o amor de um casal, de uma filha, de uma irmã, de uma tia, de uma mãe e até o amor -próprio. Tudo isso entremeado por um “Q” de drama, que, nem de longe, aproxima-se do melodramático, ao contrário, a autora é bem concisa, a meu ver, a esse respeito. Confesso que senti falta de ver ambas vertentes, amor e drama, sendo tratadas de maneira mais profunda, mais crua, mas admito que há grande sensibilidade em cada linha. Acredito que o leitor minucioso não deixará de notar essas nuances também. Além do mais, opino que, nem por isso, a história tenha deixado a desejar em momento algum.

A escrita de Jennie Shortridge é fluida, suave e agradável. A obra tem seu momento surpreendente e a autora conduz o leitor até ele com grande engenhosidade, plantando desde o início as sementes instigadoras que nos fazem querer entrar no livro para descobrir logo o que há no passado de Lucy que determinou seu futuro de uma maneira que até ela, ao reencontrar-se consigo mesma, estranha. É claro que isso não irei contar e, quem quiser saber, terá que ler.

“Enquanto eu te esquecia” é mais que recomendável, mas deve ser lido com olhos e coração atento, aberto. Vai se aventurar? Então, não modere na reflexão e boa viagem até dentro de você mesmo!

site: http://conchegodasletras.blogspot.com.br/2016/06/resenha-enquanto-eu-te-esquecia.html
comentários(0)comente



Jung Angel 03/07/2014

E o que achei:
"Que merda, Lucie, só quero fazer o que é certo, mas não sei como. Não sei o que você quer. Só quero estar com você, ajudar, e... Merda. – A voz ele ficou mais baixa, quase uma sussuro: - Eu te amo pra caramba, nem sei se deveria estar dizendo isso."

Infelizmente, as lacunas, as perguntas sem respostas, são pontos que deixaram o livro pra mim com pontos negativos. Têm horas que a autora perde muito a mão na história deixando o leitor ao réu, como se sua história não tivesse um começo, meio e fim bem amarados. Outro ponto a ressaltar é que a autora poderia ter trabalhado muito melhor a trama da história, como disse o título é muito bom, a sinopse chama atenção e a história teria tudo pra ser muito melhor se a autora não tivesse deixado tantos porquês no decorrer do seu texto.

↻ Para ver a resenha completa acesse, O blog AAHB! Visitem o blog Angel And Her Books! E se possível não esqueçam de comentarem nas resenhas e seguir o blog!

P.S: Se a resenha ainda não estiver online no blog, não se preocupem que logo será publicada. A resenha/opinião aqui no skoob é um resuminho da resenha completa que será ou já foi publicada no blog.


site: angelandherbooks.blogspot.com.br
comentários(0)comente



Thais Caroline 10/03/2015

Uma nova chance de ser feliz :)
Lucie Walker não se lembra de quem é ou como foi parar nas águas geladas da Baía de São Francisco. Encaminhada para uma clínica psiquiátrica, ela aguarda até que um homem chega afirmando ser seu noivo.

Entretanto, com seu retorno para casa, essa mulher sem memória vai tomando conhecimento de sua personalidade antes do acidente, da pessoa controladora, fria e sem vida que era, e dos segredos da infância e da família, assim como da situação do noivado e dos mistérios que podem ter provocado o acidente. Será que ela quer isso de volta? Será que essa nova Lucie conseguirá manter o amor por Grady, ou a oportunidade de recomeçar será sua salvação?

Intenso, franco e incrivelmente emocionante, Enquanto eu te esquecia é um livro delicado, que nos questiona sobre a maneira que vivemos e nos lembra que sempre temos uma nova chance de ser feliz.


Fiquei tão encantada pela Lucie *-*
Pela sua historia, por tudo o que ela passou, e pela mulher maravilhosa que ela se torna.
Realmente esse livro nos faz pensar em como vivemos, como somos e que sim, podemos mudar. Isso nao quer dizer que voce tem que perder a memoria pra isso, voce pode viver melhor, só basta querer.

Jennie arrasou, o livro é muito gostoso de ler. Muita tensao e muita emoção.. Estão falando sobre continuação, mas por mim, ficaria assim, Adoro finais em que voce e sua imaginação fazem o resto ;)
comentários(0)comente



Jocy 14/01/2015

Enquanto eu te esquecia
Antes de iniciar essa resenha me questionei bastante se estou ficando muito exigente em relação a leitura, mas não consegui chegar a uma conclusão, então decidi apenas expor a minha opinião em relação ao que a leitura me proporcionou.

Descobri esse livro por acaso, li a sinopse e me apaixonei, então li algumas resenhas e pensei necessito desse livro. Passei dias e dias acompanhando o preço aguardando uma promoção (pode até me achar canguinha, mas meu limite para comprar um livro é R$ 20,00), até que minha tão esperada promoção chegou e eu comprei, estava ansiosíssima e resolvi passar esse livro na frente de todos, não respeitando minha fila de leitura.

Me apaixonei pela capa, achei simplesmente linda e perfeita de acordo com a sinopse, então mergulhei na leitura para descobri o que acontecia “enquanto alguém era esquecido”. Comecei achando uma leitura um pouco cansativa, mas resolvi continuar, afinal de contas a sinopse me prometeu uma leitura excitante, cheguei ao meio do livro e a leitura ainda não tinha conseguido atender minhas expectativas, enfim cheguei ao final e não tive minhas expectativas atingidas.

É até uma historia envolvente, porém na minha humilde opinião a autora se preocupou em dar muitos detalhes ao que estava acontecendo no momento e se deixou fugir um pouco do conteúdo, perdendo um pouco da essência da história.

Diante de tantas resenhas que eu li falando maravilhas a respeito desse livro, eu prefiro acreditar que a falha estava em mim, por ter depositado tamanha expectativa no desconhecido. Confesso que tive muito medo de fazer essa resenha, mas cada livro se apresenta para seu leitor de uma forma e foi exatamente assim que “Enquanto eu te esquecia” se apresentou para mim.
comentários(0)comente



99 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7