Endgame: O Chamado

Endgame: O Chamado Nils Johnson-Shelton
James Frey




Resenhas - Endgame: The Calling


22 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2


oazarf_ 25/10/2020

Puts.
Rapaz, o livrinho complicado de entender viu? A história em si é ótima mas esse negócio que botam no meio das coisas igual enigma, me deixou foi é perdido. Ótima leitura.
comentários(0)comente



Norminha.Andrade 22/09/2020

O que foi isso...
Comecei achando que iria ser emocionante, não ele não foi, ficou num nível normal sem nada de muito interessante acontecendo até quase o final onde tudo começa a se interligar e taus, tremei e ainda não sei se e bom ou ruim. (????)?????
E bom e emocionante de mais para ser ruim, mais não foi nada do que esperei que acontecesse. ?(???)?
comentários(0)comente



Lerivaldo Cunha 23/12/2014

Enigmático com muita ação, aventura e romance
O escritor James Frey se superou mais um vez com sua nova obra, "Endgame - O Chamado", juntamente com Nils Johnson-Shelton. Dessa vez os cara decidiram optar por um enigma dentro e fora do livro(chegarei nessa parte logo).
Vou começa falando da incrível capa dourada. Sabe aquele ditado popular, "nunca julgue um livro pela capa". Não funciona para este livro. Quanto recebi o livro que vi a capa, eu logo disse: "Esse livro é foda!!! Quero ler". É uma capa bem trabalhada e que merece que admiremos cada detalhe.....Aquele simbolo das cobras na capa é sensacional, alem das palavras "escondidas" que faz dá uma valorizada no livro.
Chega de falar da capa e vamos ao que interessa.... A historia do livro é simplesmente espetacular!!! 12 jogadores defendendo sua linhagem em um jogo maluco e violento, Onde o destino do mundo esta sendo decidido nessa espécie de jogo. A formar como a historia é desenvolvida e de como cada capitulo é fantástico e mostra como os jogadores estão jogando e formando alianças para vencer essa "competição" é sensacional.
Por que não disse que esse é o novo Jogos Vorazes do ano? O livro é muito bom, os personagens são formandos em detalhes. Existe algumas partes exageradas, mais isso é o que deixar o livro interessante para a leitura.
Tenho que admite, demorei um pouco para terminar de lê o livro, mas foi porque estava ocupando tentando encontrar algum detalhe importante que ajudasse a desvendar o enigma que o autor deixou. Não obtive sucesso... é muito difícil. Mas o enrendo do livro é completamente diferente do enigma deixando para o leitor fora da historia. Decidi apenas ler o livro e estou bastante ansioso para o lançamento do segundo livro da trilogia.
O livro foi lançado em outubro e já é um grande sucesso de vendas em plena crise no mercado de venda de livros, mesmo assim o autor não deve medo e lançou um concurso para o primeiro que desvendar o enigma e descobrir a chave que abre um cofre com 500 mil dólares( em moedas de ouro). Uma jogada perigosa e ao mesmo tempo brilhante. Quando falei ao meus amigos do livro e do enigma, ele compraram 3 exemplares imediadamente, e creio eu que estão na minha frente quando ao enigma.
O livro é um sucesso e já tem ate estúdio cinematográfico trabalhando em um filme baseado expirado no livro... é isso mesmo!! A 20th Century Fox comprou os direitos cinematográficos do livro. Espero que o filme não nos decepcione!!!
Bem... é só isso que tenho pra falar.... e espero que quem ainda não leu o "EndGame" corra para a livraria mais próxima e compre o seu.
Boa Leitura!!!
Thalys 15/01/2015minha estante
eu tenho que concordar com tudo o que você disse. Mas para mim, uma das coisas que se destacou foi o relacionamento conturbado de Sarah e Jago.


Lillo 25/04/2016minha estante
Adorei a sua Resenha, só me deu mais vontade ainda de ler essa série




Nyk | @mania_de_livros 18/03/2021

Resenha
Nossa muito bom!!!??
Gostei muito da escrita dos autores e mesmo em inglês achei bem tranquilo de ler. O plot foi bem interessante e estou curiosa pra ler o próximo e saber o que vai acontecer
Larissa @daestantepromundo 18/03/2021minha estante
Aaaaaaaaaaaah




Mylla 10/04/2020

Bom
Uma ótima premissa, alguns jogadores conquistaram a minha torcida, enquanto outros conquistaram a minha raiva. Curiosa pra saber o que vai acontecer no próximo livro.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Jemilly 01/09/2016

Entendendo o jogo
Endgame é um jogo de morte, a milhares de anos 12 linhagens preparam seus jogadores para o chamado, para o dia que seres poderosos irão mandar os sinais para tudo começar, desses 12, apenas um pode vencer e herdar a terra, os outros e toda a linhagem que descendem serão dizimados, eles recebem pistas para encontrar as três chaves que determinam quem será o vencedor, sem regras eles tentarão matar uns aos outros.

Sei que a primeira vista parece Jogos Vorazes só que mais amplo e sem os holofotes (não é nada televisionado), e um pouco mais de mortes, mas o que o Endgame trás de diferença e que eu gostei é os pontos de vistas de vários jogadores, a diversidade cultural dos personagens de vários lugares do mundo, e podemos acompanhar as diferenças entre eles, de pensar, de agir, eles carregam uma bagagem de conhecimento enorme do que está se passando, eles passaram a vida treinando para isso e antes deles, os pais, os avós e assim sucessivamente, pois, só são aptos a jogar adolescentes de 13 a 20 anos, quando passam dessa fase e o endgame não vem, outros da linhagem se tornam jogadores, isso é um ciclo que ocorre a milhares de anos, mesmo achando que não vai ocorrer na sua época, nenhum provável jogador deixa de se preparar da forma mais brutal possível, são assassinos treinados, formados em várias áreas na arte de matar.

Apesar dos pontos de vistas (terceira pessoa) diversificados temos principalmente a de três personagens: Sarah (Americana) e Jago (Peruano) e não com tanta frequência como dos dois primeiros a muda Chiyoko (Japonesa), dos três com certeza a minha favorita é a ultima, é a mais inteligente e mortal entre os jogadores, não chega a ser uma pessoa má, mas faz o que é necessário,é calculista, essa jogadora da linhagem Mu foi a que chegou mais perto de uma torcida que eu conseguir fazer no livro, Jago eu achei um personagem legal, aparentemente diferente das descrições dos personagens protagonistas, logo na sua apresentação ele é descrito como feio, não que isso faça diferença na hora de se apegar a ele, ele trás um humor bom pra história, já Sarah é bonita e perfeita e amada por todos e é chata, e ainda tinha a parte de um ex namorado não jogador dela que decidiu que poderia a ajudar, um mala, claro que ela melhorou bastante lá para o final do livro e fez algo que ganhou o meu respeito no fim, mas não conseguir torcer 100% por ela.

No geral Endgame se trata de um livro bom, tive dificuldade de sentir aquela emoção com o livro, lendo outras resenhas vi que muitos acharam o livro meio sanguinário, não achei, já li livros bem mais cheios de detalhes de morte do que ele, não sei se sou muito sem coração, mas estava agoniada porque não morria mais ninguém depois do primeiro, eu realmente ficava frustrada ... tipo “agora morre”... “vai, agora morre”... “já tá na hora”... “por favor uma mortezinha!” Morria um bando de desconhecidos, mas os jogadores que era bom demorava horrores... Estava me aborrecendo. Bom, agora com certeza acho que tenho coração de pedra. Achei que teve alianças sem sentido entre jogadores (ai invés de se matarem) algumas que ainda estou tentando entender, e alguns personagens tão maus que li e virava as paginas agoniada imaginando que logo, logo iam morrer de forma bem cruel, como o pequeno psicopata Baitsakhan e em alguns momentos o louco do An Liu (apesar de não odiar esse pequeno terrorista o tempo todo, fiquei com pena dele em algumas partes, mas ele explodia alguém e a pena passava), eu também gostaria que tivesse mais espaço para outros personagens como a Alice e Shari.

Tenho que dar espaço aqui para falar da edição, muito linda, adorei o brilho na capa, é de um dourado muito legal, e as ilustrações no meio do livro principalmente de enigmas, muito fantástico, parabéns a editora, mas estou balanceada o quanto eu gostei do livro, estou chateada com o final, teve uma parte meio obvia que eu só fiz revirar os olhos mais aceitei, mas criei um rancor de uma coisa a mais que aconteceu no final dele, rancor profundo demais, quando passar, eu continuo a trilogia, mas por enquanto vou ficar remoendo isso por muito e muito tempo. Mas rancores à parte, eu indico a leitura. Leiam!

site: http://clubedofarol.blogspot.com.br/2016/08/endgame.html#more
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Gabriela Amoroso 29/01/2015

O Endgame é real e vai começar
Imagine que o mundo como nós conhecemos está prestes a acabar. Doze desastres naturais anunciam a chegada do Endgame, mas só os escolhidos sabem o que isso realmente significa. Eles são descendentes das linhagens que deram origem a toda a raça humana e cabe a eles salvar uma parcela da população mundial. Todos os outros têm que morrer. Só um pode ser vencedor. De resto, não há regras.

Os jogadores treinaram para o Endgame desde a infância. Eles são altamente qualificados para qualquer tarefa, sabem identificar o perigo bem antes que qualquer outro, tem uma memória incrível, reflexos assustadores e podem matar com um simples gesto. Alguns levavam uma vida normal e guardavam o Endgame como um segredo, torcendo para o tempo passar e eles se tornarem inelegíveis (quando atinge 20 anos o jovem não é mais elegível, ou seja, não pode mais jogar). Outros não. Outros torciam para o Endgame chegar. Tinham sede de sangue. Queriam matar. E, para seu contentamento, o Endgame chegou. O Endgame é real e vai começar.

Que premissa, ein? Um jogo planejado pelos seres superiores, para entrar em vigor quando os humanos “metessem os pés pelas mãos” e acabassem com tudo que há de melhor na terra. O futuro da nação na mão de 12 adolescentes treinados para matar, com valores e culturas extremamente diferentes, cujo único objetivo é sair vivo para salvar a sua linhagem. Sinceramente, não parece tão absurdo assim. Afinal, a terra já chegou em um ponto beeem crítico e a culpa é toda nossa. Quem sabe o Endgame não está acontecendo nesse exato momento?

Teorias da conspiração a parte, vamos ao livro. A narração é feita em terceira pessoa, por um narrador onisciente. Existem inúmeros detalhes que vão sendo apresentados ao desenrolar da história e alguns trechos contêm explicações importantes, mas que deixam a leitura um pouquinho mais lenta. Porém, como O Chamado é o primeiro livro da trilogia, é natural que sejamos expostos a tantas explicações e personagens e com isso o ritmo da leitura seja diferente entre alguns capítulos e outros.

Falando em personagens, aí vai uma dica: Não se apegue! A maioria dos jogadores quer sangue, então obviamente, eles tentam matar uns aos outros. Não é uma matança sem sentido desde o início não, mas o livro termina com algumas perdas tristes. Outro ponto relevante sobre os personagens é que alguns tiveram mais destaque do que outros. Isso me incomodou um pouquinho no começo, mas, no final da leitura percebi que esses personagens serão mais explorados nos próximos livros.

E eu não podia deixar de comentar a questão que não quer calar: É muito parecido com Jogos Vorazes? Bom, são doze jogadores, cada um representando uma linhagem, entram em um jogo e matam uns aos outros. Então sim, lembra um pouco. Mas existem diferenças gritantes, os propósitos são diferentes. Em Jogos Vorazes o jogo acontecia para fazer a população temer o estado. Os adolescentes morriam em vão, para entreter a capital e todo mundo sabia da existência do jogo. Já em Endgame o propósito é muito maior: salvar uma parte da humanidade. Quem vencer dá o direito de viver para a sua linhagem. Existem três etapas e para vencer você precisa cumpri-las. A morte dos outros jogadores é uma conseqüência, não um propósito. Os jogadores não estão isolados, o jogo acontece em todo lugar, nos monumentos famosos do mundo. Eles viajam de avião, podem ter o auxílio de qualquer um e podem usar tudo que o dinheiro conseguir comprar. E, claro, ninguém sabe que o Endgame está acontecendo.

Por fim, não posso deixar de comentar o quanto a edição é MARAVILHOSA. A capa é linda, dourada e toda cheia de detalhes e, no final dos capítulos mais importantes, existem ilustrações de mapas e códigos, que enriquecem ainda mais a diagramação. Sem contar que o final é eletrizante e te deixa pasmo. PRECISO da continuação.

site: http://www.pitadadecultura.com/
comentários(0)comente



PorEssasPáginas 09/02/2015

Resenha: Endgame - O Chamado
Confesso que, a primeira vez que vi Endgame – O Chamado em uma livraria, tive aquele pensamento “provavelmente só mais uma distopia”, mas, após ler algumas resenhas, resolvi ler. E paguei a língua: esse livro está longe de ser “apenas mais um”. Com uma trama criativa, reviravoltas, mistérios e enigmas em todas as páginas (inclusive um enigma real para o próprio leitor), Endgame me surpreendeu positivamente.

O tal do Endgame do título nada mais é do que uma competição mortal entre doze jovens, entre 13 e 20 anos, descendentes das linhagens que deram início à humanidade. Quando se passa dessa idade, automaticamente o jovem se torna ilegível, e o legado passa para outra geração. O prêmio? A sobrevivência, não apenas de si mesmo, mas de toda sua linhagem: seus pais, parentes, amigos e um monte de pessoas que eles nem conhecem, mas que estão em suas mãos. Por isso, esses jovens não são jovens quaisquer: foram criados para o Endgame, cada um à sua própria maneira, mas todos foram preparados, essencialmente, para matar e sobreviver.

Mas é claro que ninguém imaginava que o Endgame fosse de fato acontecer. Milhares e milhares de anos, gerações de jogadores se passaram, e nada tinha acontecido. Mas, um dia, doze meteoros, de diversos tamanhos, caem na Terra. E é aí que os jogadores, espalhados pelo mundo, percebem que o Endgame é real, e é agora.

“Que o Endgame começará se a raça humana tiver mostrado que não merece ser humana. Que desperdiçou o esclarecimento que Eles nos deram. A lenda também diz que, se não dermos valor à Terra, se nos tornarmos populosos demais e dilapidarmos este planeta abençoado, o Endgame começará. Começará para acabar com o que somos e restabelecer a ordem no planeta. Qualquer que seja a razão, o que tiver que ser será.” Página 61

Narrado em terceira pessoa, na visão de todos os jogadores – e também de mais um personagem, não-jogador, o livro é alucinante da primeira à última página. Impossível parar para respirar. E uma coisa muito importante a se saber sobre Endgame – O Chamado: nesse livro, ninguém está seguro. Ninguém. O livro já começa com mortes brutais e isso só piora. Não se apegue a ninguém, leitor. É sério. Eu me apeguei e… bem.

Duas coisas me impressionaram sobremaneira nessa obra: a primeira, o fato de que todos os personagens têm suas próprias vozes, e fica bem claro perceber quem são à medida que os capítulos intercalam. Isso é sempre um ponto imensamente positivo, especialmente em um livro narrado por todas as vozes. E outro fator importante é que é difícil você torcer por alguém, porque quase todos os jogadores são interessantes – até mesmo “os vilões”, se é que a gente pode dizer que isso exista em um livro brutal como esse – e você acaba entendendo que, afinal, eles só estão tentando sobreviver e manter viva sua linhagem, sua família. É muito diferente de jogar para vencer, diferente de até mesmo jogar para sobreviver: as vidas de outras pessoas, o destino da humanidade, está em suas mãos.

Outro ponto que me impressionou foi o fato de o livro ser todo um grande enigma. É claro que os jogadores têm seus próprios enigmas para decifrar, e obtemos algumas respostas por eles durante o livro, mas há um mistério escondido no livro para o próprio leitor. Em certas frases ou palavras há notas de fim, com links para diversos sites na internet, que levam desde textos e vídeos enormes sobre teorias da conspiração (geralmente envolvendo alienígenas), sites sobre os jogadores (incluindo suas páginas no Google + e Twitter, atualizadas!) até o que mais me intrigou, um site todo preto, apenas com um formulário a ser submetido, que ninguém sabe para onde vai dar. Ah, e isso sem falar que, o leitor que descobrir o mistério do livro, ganha o prêmio de 500 mil dólares em barras de ouro. E aí, alguém disposto a solucionar esse enigma?

A edição de Íntrinseca está quase impecável. Graficamente, capa, desenhos e detalhes dentro do livro, tudo isso está incrível, e contribui e muito para uma ótima experiência de leitura. Minha única reclamação vai quanto a alguns problemas de tradução, que não sei se foram intencionais, mas me incomodaram: medidas de tamanho, peso, altura e distância estão todos no padrão americano, o que torna bem chato para o leitor brasileiro entendê-las (e ninguém tem paciência de procurar na internet a todo momento a equivalência de milhas em quilômetros, certo?). Acredito que isso poderia ter sido facilitado na tradução, e adaptado para nossa realidade.

Mas por que você não deu 5 estrelas, se o livro é tão incrível? Você é tão exigente! Bem, eu diria que esse é um livro 4,5 estrelas, e só porque houve uma pequena coisinha no final que me incomodou. Algo previsível, em um livro tão cheio de surpresas e criatividade, que fiquei um pouco decepcionada com esse deslize. Mas isso não estraga a leitura, prometo. Intrigante e alucinante, Endgame – O Chamado é daqueles livros que, além de entreter, fazem o leitor pensar e interagir. Faz parte de uma série e fiquei bem curiosa para o próximo volume. Vale a pena, pessoal.

site: http://poressaspaginas.com/resenha-endgame-o-chamado
comentários(0)comente



Livros e Citações 16/02/2015

UAU!
Autores: James Frey e Nils Johnson-Shelton
Editora: Intrínseca
Páginas: 504
Classificação: 4,5/5 estrelas

http://www.livrosecitacoes.com/resenha-intrinseca-endgame-o-chamado-james-frey-e-nils-johnson-shelton/

UAU! Logo que li a sinopse desse livro e pesquisei um pouco mais sobre ele, pensei: preciso ler este livro! Endgame: O Chamado me chamou a atenção não só pelo fato de ter uma premissa totalmente inovadora, ele também vem acompanhado de características que o tornam uma saga para se apaixonar. Para incrementar minhas expectativas, o autor James Frey é o fundador e CEO da Full Fathom Five, a responsável pela série Os Legados de Lorien, que é outra grande série que estou louco para conhecer e sou super fã da adaptação.

"A vida não é o mesmo que a morte. Você deveria ver. Isto é o Endgame."

Talvez você os conheça por outros nomes, mas o Povo do Céu há milhares de anos criaram a humanidade, as doze primeiras linhagens que deram origem às nossas antigas civilizações. Depois de instruí-los, as divindades foram embora, prometendo voltar e quando isso ocorresse eles dariam início ao Endgame. O Endgame não é somente um jogo, é o Jogo que determinará o futuro da humanidade.

Baseados nessa promessa, as linhagens preparam os Jogadores para serem extremamente letais e espertos, aquele que conseguir desvendar os enigmas e achar as três chaves será o vencedor. Mas os Jogadores logo descobrem que o Jogo é muito mais perigoso do que eles imaginavam.

"Com medo por ela, com medo por si. Com medo porque não consegue parar de pensar que um desses dois Jogadores vai morrer."

A adrenalina está pulsando nas minhas veias ainda, o livro é ação do início ao fim! Personagens altamente treinados para enfrentar diversas situações, eles são letais e vão provar isso de todas as formas possíveis. Os autores ainda conseguem transmitir o horror e a brutalidade das cenas de uma maneira impressionante, sempre usando muito sangue, tortura e mutilação para surpreender e chocar o leitor. E posso dizer que funcionou muito bem.

Algo que chamou bastante atenção é que a narrativa acontece em terceira pessoa, sendo que o narrador é onisciente e não há um personagem principal. Durante toda a trama, vamos acompanhar a trajetória e o desenvolvimento do Jogo através da maioria dos doze jogadores. Há aqueles personagens que tomam um destaque maior com o progresso do enredo, mas no geral conseguimos acompanhar a história por todos os ângulos. Eu me senti um pouco perdido no começo, afinal não é nada fácil decorar o nome dos doze Jogadores — até porque não são nomes comuns -, sua linhagem e seu símbolo, mas aos poucos, com muita destreza e talento, os autores conseguem o feito de não só recordar ao leitor como também as particularidades de cada um deles.

"Vivem, morram, roubem, matem, amem, traiam, vinguem. Façam o que quiserem. O Endgame é o enigma da vida, a razão da morte."

Destaco um ponto claramente notável nos autores: o talento de capturar, acondicionar e alimentar a atenção e a curiosidade do leitor. James e Nils criaram personagens altamente melindrosos, que sabem manusear diversas armas — como bestas, facas, armas de fogo, arco e flecha, espadas, etc-, e aplicar tortura — principalmente mutilar. Mistérios e enigmas são encontrados durante todo o desenvolvimento da trama e são adicionados à ela amuletos, enigmas, charadas, símbolos, eventualidades, que de alguma forma estão ligadas não somente entre si como também estão diretamente ligadas com o Jogo. Ou seja, de uma maneira bastante sagaz da parte dos autores, eles encontraram uma forma de prender a atenção do leitor de uma forma completamente singular, provando-se de uma habilidade indescritível.

Este foi um daqueles livros que desde o início você se vê preso pela história e tão obcecado por ela que enquanto você não chega às páginas finais você não se vê por satisfeito. Eu simplesmente precisava terminá-lo o mais rápido possível. Repleto de enigmas e mistérios, Endgame mostrou-se uma proposta inovadora que conquista e surpreende o leitor.

Resenha por: Emanuel

site: http://www.livrosecitacoes.com
comentários(0)comente



Cami Leite 13/03/2015

Acabei de finalizar minha segunda leitura do mês. Enquanto penso no que escrever, estou começando a sentir meu sangue circulando por entre meus dedos aos poucos, isto porque, passei horas trancada em um quarto com temperatura de 17ºC e estou digitando isso em um outro cômodo com mais ou menos 28ºC. É de se imaginar que minhas mãos sofreram choque térmico e isso está me deixando com dificuldades pra escrever. No entanto, não é a dormência das minhas mãos que me incomodam no momento, e sim, a confusão mental que, até então, apenas Freud e suas teorias psicanalíticas tinham me proporcionado. Grandes Deuses, que livro! Enigmas por todo o lado e aquele sentimento de impotência, de não saber o suficiente, de não saber nada, em cada página, cada linha. Eu que não sou fã de enigmas e que, muito menos, sei como decifrar códigos, não consigo tirar o livro da cabeça. Foi meu tempo mais bem gasto. Lerei de novo. Preciso. Sei que não vou conseguir desvendar esse mistério. Não tenho tamanha paciência. Mas preciso. E farei.
comentários(0)comente



Danilo 24/05/2015

Radical!
Confesso que no início não estava muito animado, os nomes complexos e a maneira como a história ia tomando rumo não me agradou. Mas depois da metade do livro já não quis mais parar de ler. É como um Jogos Vorazes apocalíptico misturado com filmes dê alienígenas ... Resumindo, uma viagem incrível. O final foi de tirar o fôlego e mal posso esperar pela sequência
comentários(0)comente



Anderson 20/08/2015

Gostinho de quero mais, muito mais!!!
Sim, Endgame está na lista dos meus melhores livros! Uma trama envolvente, imprevisível, com personagens fortes e muita ação. Devorei o livro tão rápido que quando chegou o final não havia percebido de tão bom que é; a escrita do autor é ágil, ele não perde tempo descrevendo coisas irrelevantes, e foi isso o que eu mais gostei.

Um aviso: não se apegue a nenhum personagem(que foi o meu caso) pois o autor é imprevisível. Hahahah!

Que venha Endgame - A Chave do céu. *-*
comentários(0)comente



Rachel 05/09/2015

Muito bom!
Achei a ideia do livro muito interessante: enquanto lemos a história contada sobre o Endgame, temos ainda a oportunidade de desvendar um mistério escondido pelas páginas do livro, proposto pelos escritores.
O enredo é sobre o Endgame, um "jogo" onde alguns jovens entre 12 e 18 anos ao redor do mundo são convocados para participar e salvar a sua própria linhagem, pois, ao término do Endgame, somente uma linha sobreviverá.
A história em si é muito boa. É interessante ver o desenrolar da história, pois ele não foca em uma só personagem, mas em várias e, embora tenha uma que seja efetivamente (ao que me pareceu) a principal, todos os outros são igualmente cativantes e nos fazem torcer por eles.
Aguardo ansiosa a continuação!
comentários(0)comente



22 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2