O Andar do Bêbado

O Andar do Bêbado Leonard Mlodinow




Resenhas - O Andar do Bêbado


86 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6


Leo 12/10/2019

Básico mas completo
Vários cursos superiores tem em algum ano, a matéria de estatística. Se você ler esse livro antes de começar o ano letivo, vai levar com muito mais facilidade essa matéria. É um livro básico, porém muito completo de probabilidade e estatística, sem fórmulas complicadas.
comentários(0)comente



Daniel Truga 06/09/2019

O que foi sorte e o que foi premeditado? Qual a chance de meu teste de HIV ser falso positivo? E de eu me encaixar nas características físicas de um determinado assassino? Quantas pessoas preciso pra encontrar alguém que faça aniversário no mesmo dia e mês que eu? E como o problema das 3 portas e do prêmio milionário chocou os EUA? 👉Este livro que me foi indicado por uma amiga com a frase "este é o tipo de livro que pela aparência você passaria reto numa livraria" acabou se tornando um dos melhores livros que já tive a sorte de ler.

>>>Review no link

site: https://www.youtube.com/watch?v=wisx2QZeUPU
comentários(0)comente



Bruno 27/05/2019

Imagine um autor batendo à porta de uma editora: "Bom dia. Gostaria que vocês publicassem meu livro. É sobre matemática, probabilidade e influência do acaso". A maioria dos editores teria parado de ouvi-lo na 11ª palavra. O livro, nunca lançado, faria do autor para sempre um desconhecido.

Esta não foi a história de Leonard Mlodinow. Físico estadunidense, filho de sobreviventes do holocausto, Mlodinow é o autor de O Andar do bêbado, livro que discorre sobre a influência do aleatório em nossas vidas, de forma dinâmica e bem-humorada. Diferente do que a maioria dos autores faz, explicar algo complexo usando ao final alguns exemplos, ele conta histórias interessantes usando probabilidade e matemática apenas como um pano de fundo. Perguntas de programas de adivinhação, esportes, sucessos de bilheterias, tudo é usado para compreendermos importantes processos que governam as leis probabilísticas, de uma forma prazerosa.

Seres humanos evoluíram para encontrar padrões em tudo aquilo que temos contato, mas muitas vezes, nossa intuição está errada. Desta forma, O andar do bêbado desafia nosso bom senso. Sua leitura nos instiga a interpretar os acontecimentos da vida de forma mais fluida e não-determinada. Deixe-me tentar explicar: o acaso influencia tudo em nossas vidas, e portanto, suas flutuações (para o bem ou mal) regem todas as variáveis que as governam.

Além disso, algo bastante interessante em O andar do bêbado é o destaque para cientistas pouco abordados em livros de história da ciência, como Blaise Pascal e Francis Galton. Revela-se o contexto em que viviam, assim como suas contribuições para as ciências matemáticas. Ao aprender sobre a estatística do cotidiano, descobrimos um pouco sobre nós mesmos: até que ponto nossas crendices sobre esporte, política e cultura são corretas? Tenho mérito em ter conseguido aquele emprego? Não ganhei aquela fortuna porque sou um idiota ou por não ter tentado mais vezes? O autor transmite uma incrível mensagem ao mostrar como a compreensão do acaso impede que renunciemos nossos sonhos por acreditar em algum azar cósmico.

site: https://bauliterariodedarwin.blogspot.com/2019/05/divulgacao-cientifica-03-o-andar-do.html#more
comentários(0)comente



Simas 10/12/2018

A aleatoriedade guiando o mundo
Por meio de histórias ao longo do tempo, desde o antigo Euclides, passando pelo apostador Cardano, pelo catártico Blaise Pascal, pela intrincada família Bernoulli, Fermat, Newton, Leibniz, Lorenz, Einstein, o autor Leonard Mlodinow nos conta de um jeito lúdico e bem didático o que você deve fazer quando for no Porta dos Desesperados do Sergio Mallandro (versão brasileira do Let's Make a Deal, do apresentador Monty Hall). Também nos diz que coisas que parecem aleatórias nem sempre o são e que o sucesso não depende só do talento.

O livro tem um humor peculiar, com algumas historinhas engraçadas e reais do Leonard no dia a dia, com amigos, desconhecidos ou com a família, para exemplificar os conceitos de Probabilidade Condicional, Regra de Bayes, Distribuição Normal, entre outros assuntos de Probabilidade e Estatística.

Recomendo o livro para quem gosta de matemática e história da ciência.
comentários(0)comente



Tati Iegoroff (Blog das Tatianices) 06/11/2018

Como o acaso determina as nossas vidas
O andar do bêbado, como definido por Stephen Hawking, é “um guia maravilhoso e acessível sobre como o aleatório afeta nossas vidas”. Ao longo de 283 páginas, Leonard Mlodinow nos apresenta de maneira clara e com exemplos palpáveis noções de probabilidade e ele faz isso para conseguir explicar como não estamos no controle do nosso futuro e como pequenos acontecimentos podem nos afetar.
O escritor esclarece ainda:
“O título O andar do bêbado vem de uma analogia que descreve o movimento aleatório, como os trajetos seguidos por moléculas ao flutuarem pelo espaço, chocando-se incessantemente com suas moléculas irmãs” O andar do bêbado (pg. 10)
O livro está dividido em dez capítulos: o primeiro é uma introdução à obra; do segundo ao sétimo capítulo temos as noções de probabilidade e estatística, entrecortadas por exemplos e causos contados pelo autor; por fim, nos capítulos oito a dez são apresentadas as aplicações e implicações reais destes conceitos em nossas vidas.
Ainda que as explicações sejam acessíveis, é preciso ter interesse no assunto para realmente se deliciar com este livro. Recomendo, portanto, principalmente para aqueles que não sabem muito bem por onde começar a ler sobre probabilidade. Mas, para além dessas noções, o livro apresenta também vários fatos históricos e curiosidades do mundo.
Com certeza não é um leitura fácil ou fluída. Mas ler com calma poderá te abrir novos horizontes. Como livro, portanto, O andar do bêbado cumpre muito bem o seu papel.

site: https://blogdastatianices.wordpress.com/
comentários(0)comente



Bemidio 01/08/2018

Bom, mas complicado
Livro muito interessante. Te ensina a olhar estatísticas, afirmações históricas, etc. com outros olhos. Se você é cético, esse livro pode respaldar muitos dos seus argumentos. Vale muito a leitura.

Só tenha cuidado que em um dado momento os cálculos e raciocínios ficam muito densos, tornando a leitura difícil. Mas vale o esforço.
comentários(0)comente



Kardec 09/07/2018

Um livro que recomendo a todo e qualquer público, uma leitura básica.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Airon.Herbert 01/04/2018

A mente e a aleatoriedade
Livro do autor Leonard Mlodinow, “O Andar do Bêbado”, fala sobre aleatoriedade, estatística e probabilidade. Conta sobre as dificuldades que nosso cérebro tem para entender a aleatoriedade. E também sobre o nascimento do estudo da probabilidade e de eventos aleatórios como as apostas, o surgimento de best-sellers, sucessos de bilheterias de cinema e da quantidade de home runs de rebatedores no basebol.

Dividido em 10 capítulos, “O Andar do Bêbado” é um livro com linguagem simples e bastante explicativa, porém, possui alguns poucos cálculos estatísticos em alguns exemplos.

Mlodinow fala sobre os primeiros matemáticos a pensarem em eventos aleatórios como resultados apenas das chances e das probabilidades de que esses eventos ocorram. Antes de começarem a pensar dessa forma, os resultados de um acontecimento que envolvia algum evento aleatório eram explicados de forma divina ou mágica. Mesmo hoje temos dificuldades para entender e muitas vezes tentamos buscar um padrão onde não existe.

O autor também fala sobre erros de medição e desvio padrão. E também como a distribuição normal, o gráfico em forma de sino, descreve tanto nossas vidas. E que os acontecimentos que presenciamos, muitas vezes, não são tão determinísticos quanto pensamos, e a aleatoriedade pode fazer pequenas mudanças terem grandes consequências, assim como o famoso efeito borboleta.

O livro é muito bom, porém não recomendo aos mais leigos, podem achar cansativo e poderão abandoná-lo. Recomendo-o para os interessados em entender melhor os erros que nosso cérebro pode nos fazer cometer, julgamentos imprecisos, vieses cognitivos e erros estatísticos.
comentários(0)comente



ntayar 13/07/2017

Matemática e estatística em linguagem simples para o leigo

Já no primeiro parágrafo, o físico norte-americano e autor best-seller Leonard Mlodinow nos dá uma amostra do quanto somos afetados pelo acaso: um ganhador da loteria apostou no número 48 porque durante 7 dias sonhou com o número 7.
Nos capítulos seguintes, vários exemplos de situações corriqueiras nos esportes, no mercado financeiro, no mundo das apostas, na medicina e outros, levarão o leitor a duvidar de algumas certezas. Ao mesmo tempo, teremos uma aula sobre a história de cientistas, matemáticos, físicos e filósofos que se interessaram pelo universo da probabilidade e do acaso. É o caso do Livro dos Jogos de Azar, escrito no século XVI por Gerolamo Cardano, a primeira tentativa de entender a natureza da incerteza. E isso antes de ser inventado o simples sinal de igual.
O título – O Andar do Bêbado – refere-se a uma analogia com os movimentos aleatórios de moléculas num fluido. As moléculas se movem numa determinada direção até que, ao colidir com outra molécula, tem sua direção alterada. Esses movimentos, esse andar de bêbado, é uma metáfora para nossos próprios caminhos na vida.
Uma ótima leitura que, numa linguagem simples, consegue transmitir ao público leigo noções de matemática e estatística.
Recomendo.



comentários(0)comente



Slayer 04/07/2017

Que demora... A universidade tomou meu tempo.
Probabilidades, estatísticas e tudo mais que envolva o acaso. Leonard Mlodinow acertou em cheio. Será? Leia-o e vai descobrir.
comentários(0)comente



Jaqueline 30/05/2017

No mínimo interessante
O autor procura dar uma visão desde o principio da estatística, do surgimento dos primeiros matemáticos que abordaram as questões de espaço amostral, lançamento de dados, aleatoriedades, de uma forma que atinge o publico em geral. Eu como professora, ensinando estatística e probabilidade não sabia de muitas historias, baseada na biografia de matemáticos e físicos que achei interessantíssimo para o meu conhecimento.

No entanto é um livro bem maçante, tive vontade de desistir dele por algumas vezes. Procurei ler o mais rápido que pude, porem ele requer atenção, devido a tantas citações de artigos científicos e casos. Fiquei quase 2 semanas pra ler este livro e a leitura quase não fluía...
Mas Valeu a pena entender muitas coisas sobre aleatoriedade, sobre pessoas que obtiveram sucesso após longos anos de persistência. Ele dá vários exemplos de pessoas que lutaram pelo sucesso a vida toda e portanto uns com outros sem exito, outros que ate se suicidaram e tiveram sucesso póstumo. Ou de gestores competentes que foram demitidos e que o resultado da companhia não dependia de uma unica pessoa.

Uma citação muito bonita do autor que me marcou é a seguinte: "se diversos lançamentos seguidos de uma moeda derem cara, isso não significa que estamos jogando uma moeda com duas caras." Ou seja na vida muita coisa é mero fruto do acaso. Não podemos planejar tudo, o sucesso e o fracasso são imprevisíveis. Até o sucesso consecutivo, segundo o autor é obra do acaso, citando diversos exemplos.

É um livro que vale a leitura, aborda a estatística de forma humana, aplicada ao cotidiano, à vida. Diferente da estatística aprendida na escola, na universidade que busca somente aplicações algébricas e muitas vezes, sem sentido.
Recomendo e leria novamente.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



spoiler visualizar
Joel.Diniz 10/05/2017minha estante
undefined




Trix 21/02/2017

Não é tããão simples quanto dizem (para cérebros lentos com cálculo como o meu, às vezes é necessário dar uma relida nos parágrafos rs), mas é um excelente livro! Recomendo a todos que, assim como eu, se assombram com o sortilégio das questões de probabilidade e querem entender mais sobre o grandioso papel que o acaso desempenha em nossas vidas.
comentários(0)comente



86 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6