O Retrato

O Retrato Charlie Lovett




Resenhas - O Retrato


29 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Felipe 09/11/2019

Boa leitura
A leitura é boa, ótimos personagens, ótimo enredo. Gostei do cenário tempo-espacial da Inglaterra dos séculos XVI-XIX.
Acho que o único problema é que o livro vai e volta no tempo e isso muitas vezes faz você se perder, mas nada que tira o prazer da leitura e da história
comentários(0)comente



Anne 01/10/2019

Vale a pena a leitura
É um livro que de fato tem um desenrolar lento, como meus colegas falaram abaixo. Mas a demora vale cada página! Um livro inteligente, intrigante, misterioso na medida e muito bem elaborado, pelo meu humilde ponto de vista. Vai te prendendo aos poucos, te forçando a "pensar" na ordem dos fatos.. sinceramente, superou minhas expectativas.
comentários(0)comente



Daiana.Benck 09/04/2017

O Retrato é surpreendente!
No começo parece entediante, confesso que me perdi entre tantas datas, fatos históricos, nomes... Mas, é impressionante como tudo que está descrito com uma riqueza de detalhes que parecem exageradamente repetitivos e sem importância, vai se encaixando e fazendo sentido. É uma história linda e delicada, com um final que não poderia ser melhor, emocionante!!! Vale cada minuto da leitura! Recomendo!!!
comentários(0)comente



Mariana.Novaes 28/11/2016

Tirou minha cisma de romance
Eu não costumava ler romance até este livro. Além de falar da paixão do casal, ainda fala da paixão pelos livros, que foi o que me chamou atenção para dar uma chance para esse livro. Achei cativante e leva. Acontecem coisas inesperadas e acho um livro completo. Recomendo super.
comentários(0)comente



Gleiciane.Marques 14/10/2016

O Retrato, de Charlie Lovett
O Retrato, de Charlie Lovett, foi publicado em 2014 aqui no Brasil. Comecei a leitura ano passado e desisti. E só agora em outubro que decidi dar uma segunda chance ao livro. Por que abandonei essa leitura? Bem, confesso que os primeiros capítulos do livro são bem arrastados, entediantes. Mas, ao insistir descobri que em certo ponto ele fica mais interessante e mais dinâmico. Além disso, encontrei outros fatores que afloraram o meu interesse. Trata-se de um livro que fala de livros. Isso mesmo. O protagonista Peter Byerly é um vendedor e restaurador de livros e ao longo da narrativa ele menciona obras, autores e lugares do universo literário. Gostei. Outra coisa que me chamou a atenção foi a estrutura cronológica da obra. Ela foi bem conduzida e para mim, funcionou. A trama é dividida em três tempos que se alternam. Primeiro 1995, que narra a vida atual do protagonista, em seguida, tem-se a década de 80, descrevendo o período em que Peter ainda é um universitário e conhece o seu grande amor, Amanda. Por último, o ano datado começa em 1592 e segue até 1879. O autor foi tão longe para explicar a jornada do manuscrito Pandosto, de Robert Greene. São capítulos interessantes e fundamentais para o entendimento da história. Apesar dos diálogos serem previsíveis, fracos e clichês e a edição conter alguns erros, a história é boa e a leitura vale a pena.
comentários(0)comente



Camila.Batelli 21/07/2016

Depois de terminar descobre que ama
Achei q demorou demais engrenar, se passa em 3 épocas diferentes, mas qdo essas histórias começam a fazer sentido e as coisas vão se desenrolando começa ficar emocionante e viciante
comentários(0)comente



Grazieli.Demoliner 10/07/2016

Bom livro
Eu gostei no geral dele, só demora pra engrenar a leitura pelo fato de ele se passar em três linhas temporais diferentes. Na minha edição encontrei alguns erros nos nomes dos personagens justamente por causa dessas linhas temporais. E o desfecho dele é um pouco rápido demais também.
comentários(0)comente



Marianne 12/06/2016

"O retrato" (Charlie Lovett)

Por Marianne: Peter Byerly é apaixonado por literatura clássica e trabalha procurando livros raros que possam ser recuperados e vendidos a colecionadores. Numa de suas buscas Peter encontra no meio de um livro uma pintura em aquarela assinada por A. I. A pintura retrata uma mulher que lembra assustadoramente sua falecida esposa Amanda. Mas como um retrato possivelmente pintado na era vitoriana pode retratar Amanda?

Peter e Amanda de conheceram na faculdade. Ele era um rapaz tímido que sofria — e sofre —de distúrbios sociais, e Amanda era espontânea, inteligente e sociável. O relacionamento com Amanda deu a Peter uma nova perspectiva, perto dela a ansiedade que o atormentava ao estar rodeado de pessoas desaparecia por completo.

Após a morte repentina de Amanda Peter voltou para seu casulo. Cortou contato com amigos e família e se mudou pra Londres, para a casa onde ele e Amanda planejavam construir suas vidas.

Motivado pelo mistério da aquarela Peter decide descobrir quem é A.I e sem nem perceber vai aos poucos saindo da bolha que criou em torno de si desde a morte de Amanda. E pra aguçar ainda mais sua curiosidade, Peter encontra sem querer no meio de sua busca o que pode ser uma obra genuína de Willian Shakespeare.

O que era uma busca motivada apenas por curiosidade se transforma em uma caçada onde alguns estão dispostos a tudo para por as mãos na obra de Shakespeare.

O livro é divido em três tempos. O primeiro é o presente onde Peter está desvendando o mistério de quem pode ser A.I., o segundo ocorre alguns anos antes quando Peter e Amanda ainda estavam na universidade e o terceiro se passa na Inglaterra de 1522, quando o filho do luveiro, conhecido como Willian Shakespeare, estava apresentando seus primeiros sonetos.

A história é uma mistura de drama e suspense. Me lembrou bastante o ambiente criado por Dan Brown para suas histórias.

A divisão de tempos da história por vezes acaba confundindo, são muitos personagens e muitas histórias paralelas que vão se juntando bem aos poucos. Cai na besteira de viajar de férias no meio da leitura e esquecer o livro em casa, quando voltei e peguei de volta tive que reler quase tudo pra "entrar" na história de novo.

Quem gosta de literatura inglesa e de suspense vai gostar de O retrato, além de conhecermos um universo de colecionadores e falsificadores (às vezes tão famosos quanto os próprios autores das obras) que eu nem sabia existir.

Espero que tenham gostado da indicação, deixem seus comentários sobre o livro.
Até a próxima, boa leitura!

site: http://www.dear-book.net/2015/11/resenha-o-retrato-charlie-lovett.html
comentários(0)comente



Arca Literária 29/05/2016

resenha disponivel no link a partir do dia 15/07 http://www.arcaliteraria.com.br/o-retrato-charlie-lovett/

site: http://www.arcaliteraria.com.br/o-retrato-charlie-lovett/
comentários(0)comente



Viviane 10/03/2016

Comprei esse livro já há algum tempo porque sua sinopse me intrigou bastante e hoje, ao concluir sua leitura, posso dizer com convicção que foi uma alegria ter feito isso. Através de O Retrato, Charlie Lovett nos entrega uma excelente história, muito bem construída e com personagens incríveis.

Junto a Peter Byerly, personagem central, nos encantamos por seu romance com Amanda, torcemos pelo casal, somos conquistados pela família Devereaux/Ridgefield e sofremos seu luto; junto a ele, somos ainda mergulhados no maravilhoso universo dos livros e também, de certa forma, de William Shakespeare; e é junto a ele que nos vemos presos em um surpreendente mistério, que capta toda a nossa atenção, envolvendo falsificações de reconhecidas obras e uma descoberta que poderia ser o “santo graal” do mundo literário. Devo dizer que toda essa trama misteriosa me fez recordar um pouco os livros do Dan Brown, de quem sou uma grande fã, o que me fez degustar ainda mais essa leitura.

O Retrato é sem dúvida um livro delicioso, que me apresentou um autor até então desconhecido para mim e que foi um prazer encontrar e conhecer.

Viviane K Sousa

site: Texto original em vivianeksousa.wordpress.com
comentários(0)comente



Leitor Cabuloso 28/12/2015

Maria Valéria leu esse livro e deu nota 03 selos cabulosos.
Clique no link e confira a resenha! :D

site: http://leitorcabuloso.com.br/2015/12/resenha-o-retrato-de-charlie-lovett/
comentários(0)comente



Na Literatura Selvagem 18/12/2015

Resenha - O retrato [Charlie Lovett]
Recebi o livro O retrato, do autor Charlie Lovett, publicado pela Editora Novo Conceito e confesso que foi uma escolha às escuras. Não sabia ao certo o que iria encontrar na trama e até que achei uma leitura razoável... Mas... oras, o livro não é bom? É sim, mas não chego a classificá-lo como um dos melhores livros que li na vida, mas para leitores que buscam romance com uma pitada de mistério e idas e vindas em épocas diferentes, é um livro que vai satisfazer quem se adentrar em sua história... Vamos lá...

Peter Byerly é um amante de livros que perdeu sua esposa recentemente, Amanda. É um homem inseguro, que só conseguia se envolver e interagir socialmente quando a mulher estava por perto, ela era seu porto seguro, e depois de sua morte, ele resolveu se isolar completamente e apenas em seus livros conseguia anestesiar sua dor... Até que de repente, ele se depara com uma antiga fotografia antiga, dentro de um livro raro, e a mulher da foto parecia Amanda. Em busca de respostas, Peter acaba se envolvendo numa trama que envolve até mesmo um assassinato, a fim de descobrir quem era a mulher no retrato, e o que ele descobre em suas investigações é algo que pode mudar completamente a história da literatura inglesa, envolvendo o nome do famoso autor William Shakespeare...

Leia mais em

site: http://torporniilista.blogspot.com.br/2015/12/resenha-o-retrato-charlie-lovett.html
comentários(0)comente



Aline 18/12/2015

Demorou pra eu começar a curtir...
Ganhei esse livro do meu esposo em Março, um pouco antes de irmos para uma temporada de estudo na Austrália. Comecei a ler ainda aqui no Brasil, mas não consegui gostar. Lia 1 página por semana e olhe lá. Levei o livro pra Austrália meio que obrigada, já que tinha sido um presente. Voltei pro Brasil agora em Novembro, com o livro de volta na mala, sem ter lido NADA em 8 meses. Até que resolvi parar de enrolar. Depois de ler mais algumas páginas, comecei a finalmente me interessar. No final do livro, já estava ficando extremamente triste por estar acabando. No final das contas, pirei no livro! Foi muito bem escrito, as histórias iam se amarrando aos poucos, e eu me apaixonei pelos personagens. Chorei muito lá perto do final quando conta o que realmente aconteceu com Amanda (parte porque meu esporo estava bem doente quando eu estava essa parte e eu fiquei bem sensível). Mas no fim, valeu a pena!
A única coisa que me incomodou MUITO foi que pra mim foi bem difícil acompanhar o livro pelas datas. Uma hora tá em 1998, depois em 1400 e pouco, depois em 1700 e pouco. Tem horas que dá um nó na cabeça e tem que se esforçar muito pra lembrar o que tava acontecendo mil páginas atrás nessa data e foi por apenas isso que dei 4 estrelas. O correto seria 4.5, mas não tem como. rsrs
Enfim, discordo ABSURDAMENTE do título que deram aqui no Brasil. O Retrato Vs. O Conto do Livreiro? A tradução do original seria extremamente melhor. Além do mais, o que é esse sub-título "Um Romance de Obsessão"? Parece que o Peter é um louco. Não tem nada a ver. A história é linda e o desenrolar, os eventos, as personagens...são apaixonantes! Uma vergonha esse título e sub-título. Fica a dica.
No mais, leia. Recomendo muito. O começo é bem arrastado e desinteressante mesmo, mas depois fica fantástico e você não consegue parar de ler.
comentários(0)comente



Karen 11/11/2015

gostei não gostando
Lovett fala no O retrato sobre um homem que quando encontrou o amor acendeu para vida e quando perdeu a esposa perdeu tudo,também conta a trajetória de um livro que passa pelas mão de ninguém mais ninguém menos que William Shakespeare.
A leitura demorou por que no começo ele é bem chatinho, e eu também estava sem muito tempo,ai largava ele o tempo todo...
O personagem principal ,não é muito cativante ,ele é medroso,nada sociável,e o que eu mais gostei,foi dele mesmo,a Amanda (nome lindo,que tbm é o nome da minha filha) esposa apagada,acho que pelo fato de vermos ela aos olhos dele,ela se torna um ser perfeito, então não tenho muito a falar,só que ela parece um anjo na vida dele,para tirar ele da caverna,do esconderijo que são os livros.
O livro só veio ter minha total atenção,já perto do final,gostei do fato de ter um final um tanto otimista.
comentários(0)comente



Juliana 21/10/2015

O Retrato: um romance de obsessão
Autor: Charlie Lovett
Editora: Novo Conceito
Páginas: 412
Preço: R$ 31,90 (Livraria Saraiva)
Ideal para quem gosta de Shakespeare, História da Arte, Livros raros e Inglaterra.
“Ele adorava o toque de um livro impresso à mão. O amor e carinho com certeza irradiavam das páginas”. (Página 108)

Sinopse
Um livro para aqueles que amam os livros. 1995. A morte precoce de Amanda Byerly foi um golpe duro, que encheu de tristeza o coração de seu marido, Peter. Mais introspectivo do que nunca, ele decide deixar os Estados Unidos e se instalar na Inglaterra, onde passa a se dedicar à recuperação e à negociação de livros raros. Em um de seus dias de pesquisa solitária, Peter se depara com o retrato de uma jovem muito parecida com sua amada esposa, guardado dentro de um livro. A semelhança impressiona, mas a aquarela foi pintada há muito, muito tempo. Trilhando um sinuoso caminho entre a era vitoriana e o final do século XX, Peter passa a investigar a origem do misterioso retrato. As pistas acabam por levá-lo a se envolver em um mistério histórico: uma obra perdida do dramaturgo William Shakespeare. 'O Retrato' é uma fascinante mistura de suspense e paixão que nos convida a viajar no tempo, no rastro de histórias sobre livros.
Personagens
Charlie Lovett traçou em “O Retrato” uma sincronia incrível entre as personagens. Lovett detalhou muito bem o universo introvertido de Peter. Achei incrível o modo como descreveu as inseguranças do personagem, como por exemplo, o medo das pessoas “puxarem” papo com ele na fila do supermercado. Outros personagens foram bem marcantes na obra e teve sua história delineada de forma bem clara na obra (Amanda, Liz, Philip, Isabel, etc.).
Achei interessante a ideia de utilizar personagens históricos para enriquecer a história (em “Nota do Autor” é possível verificar o cuidadoso trabalho do escritor com a pesquisa bibliográfica, principalmente, nos detalhes biográficos para os personagens históricos), entretanto, acredito que Lovett perdeu a dose na quantidade destes. Foram tantas “criaturas” descritas que em muitos momentos tive que voltar algumas páginas para tentar saber quem era mesmo aquele livreiro que comprou tal livro em mil novecentos e bolinha. Sem dúvidas, isso atrapalhou muito minha compreensão textual.
Enredo
Adorei o enredo, senti uma linearidade em grande parte da obra. “O retrato” foi divido em ordem cronológica: 1592 a 1879, 1985 a 1994 e 1995, esse artifício foi muito bem utilizado, os fatos se cruzaram perfeitamente no final.
A época que mais gostei foi a de 1985 até 1994 que conta a história de Peter e sua falecida esposa Amanda, tenho que confessar uma coisa: QUE CASAL MARAVILHOSO! (Acho que me empolguei haha). Já tinha algum tempo que não lia uma história de amor tão rica em detalhes e em emoção.
O livro possui um forte caráter misterioso, confesso que achei um pouco “fantasioso” a sua resolução, me senti naqueles filmes mentirosos de ação. Fiquei um pouquinho decepcionada, a linearidade estava maravilhosa até o momento, só precisava de mais um pouquinho de cuidado nesta parte crucial do livro, parece que o autor “vomitou” vários feitos “heroicos” para terminar logo a obra. Apesar destes percalços, gostei muito do final do livro e teve até um mistério que me surpreendeu.
Edição
O livro precisa ser revisto em algumas partes. Há erros de digitação e concordância, o nome de Peter é trocado algumas vezes pelo nome de outro personagem do século XIX. Achei uma falta de cuidado imenso, já li alguns livros do Grupo Editorial Novo Conceito e não me deparei com erros tão infantis como neste.
comentários(0)comente



29 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2