Ugly Love

Ugly Love Colleen Hoover




Resenhas - Ugly Love


82 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6


spoiler visualizar
comentários(0)comente



Priscila 21/02/2019

Amoo!! <3
Bom, confesso que essa capa não me agrada muito, mas depois de pensar um pouco nela descobri o seu significado para a história. Mas a capa é bem diagramada e a tipografia é muito boa.

O livro traz a história de Tate e Miles. Tate é uma enfermeira em formação e Miles um piloto. Tate é irmã de Corbin, que é o amigo de Miles. Tate conheceu Miles no dia em que se mudou para o apartamento do seu irmão, que também é piloto. Nesse dia Miles tinha bebido todas, e se jogou na porta de Corbin e quando ela chegou para na porta do apartamento, encontrou Milles empatando o caminho.

“[…] Eu dou uma parada no 1814, porque há um cara desmaiado no corredor, inclinado contra a porta do 1816..[…]”

Claro que ela ficou meio que desesperada com a situação e não sabia o que fazer. Então ela ligou para o seu irmão que disse que ia pedir ajuda para o seu amigo Miles, que era justamente o bêbado da porta. E conforme pedido pelo seu irmão, ela colocou Miles no sofá enquanto ele se lamentava chamando o nome Rachel.

Claro que Tate ficou muito intrigada com o que ele estava dizendo, mas o deixou no sofa e foi para o quarto onde seria o seu, para descansar da viagem. E enquanto ela dormia, Miles acordou com uma terrível ressaca e foi para o quarto de Tate vê-la dormir.
“[…] Ele está encostado contra a minha porta do quarto com seus braços cruzados no seu peito. Ele parece defensivo, como se eu fosse a única responsável pela sua noite ruim. Eu enrolo, ainda não tendo terminado de dormir, embora ele pense que eu deva algum tipo de explicação. Eu coloco as cobertas sobre a minha cabeça.[…]”

Mas ele não poderia imaginar que se envolveria tão intensamente com ela. Na verdade era o que ele queria evitar. Mas em uma viagem de Ação de Graças, para a casa dos pais de Tate e Corbin, que tudo mudou. E em uma conversa noturna, ambos sem sono, que entraram em acordo em sexo sem compromisso, sem esperanças para o futuro e sem saber o passado de Miles. E para selar esse acordo, eles acabam se beijando intensamente. Mas eles não poderiam contar que o flagra do pai da Tate, que ficaram absurdamente surpresos e sem jeito.

E e ai que tudo começa.

Tenho que dizer que amei cada capitulo desse livro. E a escrita da autora, realmente me cativou muito e a maneira como ela contou essa história, direta e cheia de detalhes, me deixou totalmente apaixonada por toda a história.

Sem contar que cada capitulo é contada de um jeito: um capitulo da Tate e um do Miles. O do Miles volta seis anos atrás. Mas isso eu não vou contar por que seria um spoiler, já que estou resenhando um livro que quase ninguém leu ainda.

Mas confesso que fiquei muito apaixonada pelo casal principal e a forma como eles foram se desenvolvendo na história. E claro, que devo informá-los, que a história de Miles é muito linda e que saberão de seus motivos perto do fim do livro.

Mas no contexto geral: Amei esse livro. História linda e super envolvente que te deixará com saudades quando terminar de ler. Mas que ao mesmo tempo é um livro que não precisa de continuação, se é que me entendem…hahahaha

Bom, recomendo a leitura!!!
comentários(0)comente



Luiza.Matos 20/09/2018

Uma linda História.
Uma linda História.
Eu achei uma leitura muito prazerosa...que faz a gente querer saber o porque de Miles não querer se permitir amar a Tate. Ai com o desenvolvimento da leitura a gente pode saber o real motivo...é um motivo muito forte que fez seu coração congelar por 6 anos.
Eu gostei muito desse livro e uma história de superação emocional.Aconselho a todos a lerem. Vale a pena...mais ainda eu prefiro o livro Confesse da Colleen. Vamos ver se eu vou mudar de ideia pois tenho muitos outros livros dela para eu ler. :)
comentários(0)comente



Dani 04/10/2017

Aguenta coração
Esse livro conta a história de Tate e Miles.
Miles é o mocinho bonitão que tem um passado de muita dor e sofrimento e não consegue se libertar disso.
Tate é a mocinha coração mole que se apaixona por Miles rapidamente, mas sabe que ele não tem as mesmas expectativas que ela.
Os dois decidem partir para um "não romance" , apenas sexo.
Mas será que isso é suficiente?

Eu gostei muito do livro...
Confesso que diversas vezes me vi com raiva de Tate...
Acho que faltou um pouco (ou muito) de amor próprio!!! Miles tem sérios problemas e não quer se apaixonar e não quer nenhum relacionamento mais sério e da para entender e compreender os motivos que o levaram a ter essas idéias...
Mas por muitas vezes acho que ele precisava de uma postura diferente de Tate, que só se machucou no processo.

O Epilogo é muito fofo e é uma boa leitura.

Quote:

Miles: ""Se eu tivesse uma paciência incrível você não estaria comigo agora mesmo."

Vale 4 estrelinhas!
comentários(0)comente



rominho 12/07/2017

O LADO FEIO DO AMOR
Primeira vez que li um livro dessa autora, simplesmente sensacional. Leitura dinâmica, forte, e que te faz querer saber cada vez mais as próximas páginas. O lado feio do amor foi um tema que colleen hoover acertou em cheio, junto com os seus personagens do livro. conquista, amor, medo, e um segredo que no fundo, cada um tem um o seu. Um livro sensacional.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Kenia 30/07/2016

"As partes feias do amor não podem te levantar. Elas te derrubam. Elas te seguram.Te afundam. Você olha pra cima e pensa, eu queria estar lá em cima. Mas você não está. O feio do amor se torna você. Consome você. Faz você odiar tudo. Faz você perceber que mesmo todas as coisas bonitas dele não valhem a pena. Sem as partes bonitas você nunca arriscaria se sentir assim. Você nunca se arriscaria a sentir o feio. Então você desiste. Você desiste de tudo. Você nunca quer amar novamente, não importa de que forma, porque nenhum tipo de amor vale a pena viver o feio do amor novamente."

Primeiro nós conhecemos Tate, quando ela se muda para o apartamento de seu irmão em busca de uma mudança em sua vida. Em seu primeiro dia no apto, seu destino cruza com o do piloto Miles Archer e tudo acontece de forma bem bizarra: ele super bêbado acaba apagando do lado de fora do seu novo apartamento, não sem antes tentar entrar a todo custo.
Apesar do seu julgamento inicial, Tate percebeu que existia um lado que Miles estava escondendo do mundo — um poço profundo de dor e tristeza.
Ela não estava em busca de um relacionamento e ele não queria saber de amor. Mas ambos sentiam uma atração forte.

"É assim que que acontece quando uma pessoa desenvolve atração por alguém. Ele não estava em nenhum lugar e de repente, ele estava em tudo. Quer você queira ou não."

Com uma atração inegável, mas indispostos a se entregarem completamente, ambos entram em um acordo de manterem uma "amizade colorida" seguindo as duas regras impostas por Miles: "Não faças perguntas sobre o meu passado. Não esperes um futuro."
Quanto mais tempo eles passam juntos, mais complicadas as coisas ficam entre eles, já que os limites entre amizade e amor começam a se confundir. Tate começa a entregar seu coração e Miles começa a se afastar. A dor de seu passado é tão grande que ele não se permite se apaixonar novamente.

"Eu sei que o pensamento de confrontar seu passado te apavora. Ele aterroriza todos os homens. Mas às vezes nós não fazemos por nós. Nós fazemos isso para as pessoas que amamos mais do que a nós mesmos."

A história é apresentada pela perspectiva de ambos, Tate e Miles, uma mistura dos dias atuais e flashbacks. O presente é contado através da perspectiva de Tate e Miles é rsponsável pelos flashbacks, de seis anos atrás, revelando aos poucos seu misterioso passado.

O lado Feio do Amor é um livro bonito, sexy, e de cortar o coração. Uma trama poderosa, convincente e emocionalmente carregada com uma história original que foi verdadeiramente diferente de qualquer outro livro que eu li. Super recomendo a leitura e vou em busca de ler os outros títulos da Colleen, porque a escrita é incrível!
comentários(0)comente



Fernanda Palhari 14/07/2016

Eu descobri sobre esse livro sob a promessa de que ele seria maravilhoso, mais uma obra fantástica da Colleen Hoover, e sob todo aquele frisson da adaptação para as telonas e do teaser que foi liberado. Infelizmente, passei a primeira metade do livro me perguntando por que raios eu tinha começado a lê-lo. Eu não conseguia me conectar com as personagens, não me sentia acompanhando suas histórias, eu era apenas alguém com um livro na mão que tentava inutilmente se sentir dentro daquelas páginas. Mas – boa notícia! – por fim, lá nos meados da história, consegui me sentir mais perto das personagens e sentir seus medos e anseios. Os capítulos do livro se dividem entre aqueles sobre o momento atual, sob a perspectiva de Tate, e aqueles que nos contam a história de Miles, que são a partir do ponto de vista dele próprio, e o que aconteceu seis anos atrás que o tornou o homem que ele é hoje.

Tate está se mudando de San Diego para o apartamento de seu irmão, Corbin, enquanto ela tenta arrumar um emprego e, consequentemente, conseguir sua própria casa. Ele fica no décimo oitavo andar de um arranha-céu em São Francisco, que hospeda principalmente pilotos de avião, que é a profissão de vários homens da família de Tate. Assim que ela chega, cheia de malas e cansada de horas de estrada, encontra em frente a porta de Corbin um homem caído, dormindo de tão bêbado e que, infortunadamente, a impede de entrar no apartamento sem esbarrar nele. Acaba que o cara é amigo e vizinho da frente e colega de trabalho de seu irmão, que não está em casa e pede para que ela deixe o belo adormecido, também conhecido como Miles, desabar no sofá até que ele seja capaz de se locomover por conta própria.

Tate está fazendo seu mestrado em enfermagem, então ela divide seu tempo entre o trabalho e o estudo. Sua relação com Corbin é bem bacana, tem aquela cumplicidade que é super legal entre irmãos. Já quanto a Miles, bem, eles começaram com o pé esquerdo. Apesar disso, os dois tentam recomeçar com uma “reapresentação” das partes para que eles possam agir normalmente, apesar de ele ter alguma coisa que impede de acontecer uma fluidez em sua possível amizade, é como se alguma coisa o travasse de alguma forma. Ele quase não sorri, além de que, apesar de ter sido encontrado praticamente desmaiado de bêbado aquela noite, aparentemente não é seu costume se embebedar. Além disso, na citada noite Tate consolou Miles enquanto ele chorava de tanta dor (emocional, não física) que ele estava sentindo, e o ouviu dizer o nome de uma outra mulher, chamada Rachel.

Nos capítulos de Miles nos são mostrados os acontecimentos de seis anos atrás, e é neles que descobrimos o que Rachel foi para ele. O primeiro amor da adolescência que teve que lutar contra barreiras bem fortes para que pudesse prevalecer. Mas sabemos que algo bastante ruim deve ter acontecido para que ao lembrar daquela época Miles se sinta tão triste, e só temos acesso a esse algo mais para a frente no livro. Tudo isso que aconteceu anos antes ainda está muito vívido dentro de Miles e o impede de seguir em frente com sua vida.

No Dia de Ação de Graças, Corbin convida o amigo para passar o feriado na casa de sua família, e lá Miles e Tate acabam se beijando. Depois disso, eles entram em um acordo que, aparentemente, é bom para os dois: sexo sem compromisso. Nenhum deles está afim de um relacionamento de verdade, cada um por seus motivos. Miles tem duas regras para essa nova relação entre eles: Tate não dever perguntar sobre o passado dele e nem esperar um futuro. Sinceramente, desde o começo ela sabe que essa história não vai terminar bem, mas mesmo assim ela embarca nela junto com Miles. Acontece que Miles precisa seguir em frente e se deixar sentir novamente, mas isso só será possível quando ele finalmente conseguir aceitar e se desprender do seu passado. Miles é uma confusão emocional com uma fachada de pedra que aos poucos vai sendo desconstruída por Tate, mas isso não acontece de maneira fácil – bem longe disso.

O livro caminha nos mostrando como a relação entre os protagonistas vai aos poucos mudando e como eles tentam, de certa forma, resistir a essas mudanças. Tate não quer sentir algo mais porque sabe que seria uma via de mão única, enquanto Miles se recusa a sentir por causa de seu passado. Como eu citei anteriormente, a leitura fica mais interessante lá para o meio do livro, foi a partir daí que consegui aproveitá-lo melhor. Acabei ficando com a sensação de que eu podia ter tirado mais daquelas páginas, mas infelizmente isso não aconteceu comigo.

site: http://sobrecontarhistorias.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Rebecca Santiag 28/06/2016

Adorável Surpresa
Recebi Ugly Love por e-mail, após indicação em um grupo de New Adult em uma rede social. Resultado: me senti flutuando em uma bolha através do espaço, enquanto lia as impressões de Colleen Hoover sobre a história de amor de Tate e Miles.

Admito aqui: sou iniciante no universo de Hoover e nos seus métodos de escrita. Portanto, não posso afirmar - nem ao menos sugerir - que este livro esteja além ou aquém de suas outras obras. Ugly Love foi o meu primeiro contato com a escritora e, confesso, gostei bastante.

Na história, Tate Collins é uma jovem mudando-se para o apartamento do irmão, Corbin, em São Francisco, para concluir seus estudos em Enfermagem. Ao chegar lá, ela conhece o misterioso e estonteante Miles Archer numa situação, no mínimo, inusitada - para não dizer desagradável: notavelmente bêbado na porta do apartamento de Corbin. Após uma noite interessante e um tanto frustrante para ela, Tate descobre que Miles é um dos melhores amigo do seu irmão, além de seu vizinho, e os dois passam a trocar farpas e amassos sempre que se esbarram dentro e fora dos limites do prédio.

Ugly Love é mais do que um New Adult furado sobre sexo nas dependências de um edifício, mais do que uma nova trama de brigas e reconciliações com as quais estamos tão acostumados. Trata-se de uma história profunda, sentimental e dura sobre o poder do amor e o seu impacto em nossas vidas. É também uma história de superação, sobre lidar com nossos traumas e, acima de tudo, sobre amores inacabados.

Inicialmente, Miles Archer demonstra um sentimento superficial por Tate, pontuado por sua fria proposta à garota baseada em duas regras:

1) Nunca perguntar sobre seu passado.
2) Nunca esperar um futuro.

Cada vez mais envolvida com o rapaz, Tate concorda com os seus termos, mas os sentimentos da moça vão evoluindo a medida em que a nossa primeira impressão sobre Miles vai se desconstruindo. Isso ocorre graças ao tipo de narrativa do livro, em primeira pessoa, alternando entre os pontos de vista de Tate e Miles, capítulo a capítulo. Enquanto ela nos brinda com a sua rotina de encontros e desencontros sedutores com o instável Miles, ele nos emociona com lembranças de um passado de cortar o coração.

Os segredos de Miles erguem um muro entre ele e Tate, pedra por pedra, e cabe a mocinha se atrever a desmoroná-lo ou não, embora o passado possa ser doloroso demais e impossível de consertar. É um livro adorável pela sua história e pela forma como é narrado, de maneira poética e graciosa (o passado no ponto de vista de Miles), e vibrante e emotiva (do ponto de vista de Tate). Nele, os duros golpes recebidos pelo leitor vêm em forma de coraçõezinhos vermelhos transbordando das páginas. E lágrimas, muitas lágrimas.

Ugly Love é um New Adult para ser lido sem receio de decepção. E com uma garrafinha de água do lado, pois o risco de desidratar é grande.
comentários(0)comente



Livro e Neblina 31/01/2016

[LIVRO] Ugly Love
Resenha saindo do forno! Nada melhor que aproveitar a páscoa lendo e comendo chocolate, certo? A dica da vez é o livro "Ugly Love" da autora Colleen Hoover, mesma autora de "Métrica".



Sinopse: Quando Tate Collins conhece o piloto de avião Miles Archer, ela não acha que é amor à primeira vista. Eles nem sequer se consideram amigos.A única coisa que Tate e Miles têm em comum é uma atração mútua inegável.Uma vez que os seus desejos estão esclarecidos, eles percebem que têm um arranjo perfeito. Ele não quer amor, ela não tem tempo para o amor, por isso só deixa espaço para o sexo. Seu arranjo pode ser surpreendentemente fácil, contanto que Tate siga as duas únicas regras que Miles tem para ela: 1-Nunca pergunte sobre o passado. 2-Não espere um futuro. Eles acham que podem lidar com isso, mas percebem quase imediatamente que estão totalmente enganados. Corações se infiltram. Promessas se quebram. Regras ficam abaladas. O amor fica feio.

Então, eu já conhecia um pouquinho do trabalho de Colleen Hoover através do livro "Métrica" (um xodózinho meu, apesar de eu me recusar a ler sua continuação de mais dois livros) e fiquei sabendo de "Ugly Love" por umas conhecidas minhas. Elas estavam freneticamente animadas porque o livro está se tornando filme (comentarei mais sobre o filme ao decorrer do post), eu achei a sinopse minimamente interessante e assim, decidi dar uma chance a ele.

A trama traz elementos inéditos? Não.
"Ugly Love", no que diz respeito ao seu enredo, é bem parecido com o que encontramos atualmente. O cara com um passado obscuro, a mulher que se aventura com ele na esperança que ela seja aquela que vai resolver seus problemas e os dois dando murro em faca, alimentando um relacionamento que tem tudo para dar errado e que só faz os dois sofrer.

Ah, Camilla, então porque eu vou ler o livro? Eu não sei, mesmo rs. O que eu posso te dizer é que pra mim valeu a pena. A história não é única, nem sensacional e esse não vai ser o melhor livro que você lerá em sua vida. Contudo a Colleen está provando ter uma habilidade de te prender nas palavras, o que eu já tinha tido um gosto com "Métrica".

São mais de 300 páginas no livro traduzido para o português, porém consegui terminá-lo em pouco mais de um dia, facilmente. A leitura é simples e bem gostosa, te envolvendo rapidamente. Então se você consegue não se aborrecer com uma certa similaridade de conteúdos é mais que uma boa pedida.

É claro que "Ugly Love" não é uma cópia descarada dos romances atuais. Ele tem seu charme próprio, uma vez que você o lê. O livro carrega uma boa dosagem de drama, até mais que romance, acho. Bem mais, na verdade. Os personagens principais, Tate e Miles, são agradáveis, embora eu tenha achado Miles um pouco exagerado em alguns momentos. O desenvolvimento do enredo também me agradou e a história é contada em primeira pessoa, com capítulos que revesam entre Tate e Miles. Importante falar que é um livro com cenas hot! Por não ser a que o livro se pretende, ser um livro que dê mais atenção para as cenas hot, não chega a ser massante e eu as achei bem boas.

Bom, eu vou parar por aqui para não revelar muito da história. Só quero deixar registrado que o personagem Cap (ou Samuel) foi o meu amorzinho do livro.

Adaptação para filme

Como comentei no início do post, fiquei sabendo do livro por conhecidas que estavam freneticamente empolgadas com a adaptação do conteúdo para as telonas. E um dos motivos é isso tudo aqui:


Posso apostar que se a minha resenha não te convenceu, essa imagem está te fazendo correr pra procurar o livro. Esse ser humano é Nick Bateman, escolhido para interpretar Miles Archer no filme. Imagem dele como o personagem:



Fala sério, gente. Isso é demais para resistir. Isso é que é escolha de elenco ~cof cof viu 50 tons de cinza cof cof~! (pelo menos por aparência)
Ainda não há sinal de quem irá interpretar a Tate, MAS o teaser não vai demorar muito a sair, segundo o instagram do filme. Por aqui, eu espero sofrendo para que não demore muito.

site: http://www.livroeneblina.com/2015/04/ugly-love.html
comentários(0)comente



Isa 08/01/2016

"Deus nos dá a feiura para não assumir as coisas belas da vida como certo."
Este livro é muito difícil de avaliar. Depois de ler 'Maybe Someday' da Colleen Hoover (que é incrível, por sinal), eu esperava tanto de seus livros ... E embora eu tenha gostado da história da Tate e do Miles em geral, eu não chorei uma vez enquanto eu lia esse livro (e a história era muito triste). Não sei o que aconteceu ...

Eu não sei ... Eu gostei deste livro e é um daqueles livros que, depois de começa a ler é impossível de parar, mas eu simplesmente não consegui me conectar com os personagens tanto quanto eu estava esperando.

Eu ainda recomendo este livro para quem gosta de New Adult - a escrita da Colleen Hoover é linda e eu adoro todos os seus livros ! < 3

site: https://www.goodreads.com/review/show/1019232217
comentários(0)comente



Gabi 28/12/2015

Sabe quando o ar chega a estalar?
Quando seu atual relacionamento termina, Tate, 23 anos, decide que talvez seja uma boa ideia deixar San Diego para trás e ir passar um tempo no apartamento do seu irmão mais velho, Corbin, em San Francisco, Califórnia. Tate está pronta para focar sua atenção no seu mestrado para se tornar anestesista. Com uma agenda lotada de afazeres, já que ela se divide entre estudos e turnos em horários inconstantes no Hospital, a garota pretende arranjar um apartamento para ela mesma o mais breve possível, antes que seu relacionamento pacífico com seu irmão se desgaste e eles voltem a boa vida de briguinhas idiotas como quando eram adolescentes.

Porém, logo no seu primeiro dia de mudança fica claro que vida pacata de estudante está longe de ser o que a aguarda no futuro.

Isso porque, como vizinho, ela tem Miles, um piloto de aeronaves como todos os homens da família dela. Claramente o cara é detentor de um passado e histórico bem diferente do que ela está habituada. Miles é taciturno e parece nunca demonstrar emoções. O problema é que, quando uma pequena rachadura na real personalidade de Miles se abre para Tate, combinada com a atração ridícula, nível estática pura e direito a algumas faíscas, ela descobre que é quase impossível se afastar da forma mais discreta possível, sem causar estragos para nenhum dos envolvidos.

Sou uma dessas pessoa que se você chegar em mim e me perguntar sobre o que determinado livro se trata, facilmente consigo bolar uma sinopse livre de spoilers para você. Mas, a menos que eu escreva ou fale sobre o livro, as chances dos detalhes se perderem em algum cantinho escuro do meu cérebro são altas. Raramente lembro de uma quote que seja característica do livro, qual o tipo de humor, se os personagens eram mais secos ou sensíveis, esse tipo de coisa.

Com Ugly Love, essa regra geral não se aplicou. Quando resolvi que finalmente era hora de escrever sobre esse livro várias cenas surgiram tão rápido na minha memória que fiquei me perguntando se elas não eram produtos da minha imaginação. Só pra ter certeza, reli ele e wow, eu realmente lembrava de cada detalhe. Diálogos, o ritmo que a Colleen impõe na história com sua escrita. Tudo ainda estava vivido aqui dentro, e mano do céu, se isso não o torna em uma pequena raridade.

Mais do que isso, lembro de como me senti lendo Ugly Love. Cada parte que me faria rir, cada parte que me faria chorar, cada dialogo que me frustraria, cada declaração que me faria estremecer. Como me senti sufocada, contente, aliviada, como se durante a leitura eu estivesse dentro de uma caixa, como se fosse eu quem estivesse ali travando batalha após batalha conta meus sentimentos, meus demônios, meu passado. Foi tão fácil me colocar no lugar do Miles e da Tate, sentir o que eles sentiram.

Ugly Love é um livro à la Colleen Hoover. É difícil acreditar e aceitar que tanta coisa ruim poderia acontecer com uma pessoa só, mas ao mesmo tempo é um livro ridiculamente realístico e possui um toque de humor irônico característico da autora. Com um nível alto de drama (não o tipo ruim de drama, mais para o tipo trágico), existe uma tristeza velada, mesmo nas cenas mais engraçadinhas, ou nas cenas onde a paixão entre os dois era asfixiante. Mesmo nas pequenas e lindas cenas, como quando Miles e Tate saem para comprar cortinas para o apartamento dele, metáfora para a forma como a própria Tate entrou na vida de Miles e sutilmente o moveu.

Tate? Ela é uma mulher. Ela não é uma garota, não é uma menina. Ela vive pelas suas próprias expectativas, é responsável pelas suas escolhas e quando as coisas explodem na cara dela, ela sabe que foram consequências dos caminhos que ela toma. De forma alguma ela é a personagem feminina mais "forte" que já encontrei por ai, mas ela certamente entra para o hall de personagens mais humanas que já esbarrei nesses anos como leitora ávida.

Foi frustrante como ela parecia incapaz de dizer não em alguns momentos, ainda que ela se sentisse desconfortável. Claro, adorei quão teimosa ela foi de não ter desistido do Miles nas várias vezes que ele mereceu ter o traseiro chutado. Adorei ainda mais que, quando ela finalmente atingiu seu limite, ela vomitou verdades sobre o cara que o fizeram para e pensar "Ai carai, que foi que eu fiz". Logo, mesmo não concordando com o que ela estava fazendo metade do tempo, foi fácil respeita-la.

O Miles fechado e misterioso é um produto do que aprendemos quando este assume o POV do livro e nos leva seis anos atrás. Eu sabia bem que era idiotice odiar o cara logo de cara, mesmo que por vezes ele fosse um perfeito canalha. Em uma narrativa que beira o lírico, pouco a pouco desvendamos o passado desse personagem, que para muitos não justifica suas atitudes, mas definitivamente as explica.

Quando o conhecemos, a impressão que fica é que Miles está em modo de sobrevivência, focando apenas naquilo que lhe traria alguma similaridade com uma vida normal. No momento em que seu relacionamento com Tate começa a evoluir, é engraçado porque o leitor sente que ele começa a se abrir, mesmo que ele mesmo não enxergue isso.

Falando em não enxergar, tem um momento no livro em que nós leitores descobrimos qual é o grande mistério, o grande segredo por trás do Miles, mas isso não significa que a Tate descobre ao mesmo tempo que a gente. Então imagina a agonia de saber que o homem que você ama tem sido uma grande bola de sofrimento, e você nem sabe o porquê. Ugh.

Mas aqui entre nós? Meu predileto foi o Cap. Cap é fora zelador do prédio onde Tate e Miles moram, mas por causa de sua idade, agora ele cuida do elevador. Sim, velhinhos geralmente são meu fraco, só que o Cap foi diferente. O cara tinha os melhores conselhos, as melhores palavras de sabedoria e um senso de humor e justiça imbatível.

Ugly Love é um new adult mas ele se destaca pelas suas cenas de sexo elegantemente descritas. Eu sei que muita gente não curte o gênero por se sentir desconfortável com cenas muito gráficas e descritivas, e para essas pessoas eu sempre recomendo Colleen Hoover. O diferencial aqui é que a autora vai além de contar o processo, ela descreve as sensações, as emoções por trás daquele momento íntimo, por trás de cada toque, de cada olhar. Parece que cada uma foi singular e significou algo diferente.

Esses personagens, suas vidas, é tão palpável, você os vê, os sente em cada página, em cada palavra. E isso migos, é Colleen pura. Essa facilidade de se conectar com personagens que tem experiências de vida tão distintas da que nós vivemos. Esse se apegar tanto à uma criatura fictícia que ela vai te seguir por aí por um bom tempo. Não tem nada que eu aprecie mais em um livro do que ser capaz de fechar os olhos e ver a realidade se misturando com a ficção. São personagens tridimensionais, entende?

Intenso, cheio de altos e baixos, o enredo de forma geral é impecavelmente construído. Os capítulos intercalados, mesmo que em tempos diferentes, complementavam-se. O timing foi perfeito. Apesar de ter sido tudo muito difícil, ao mesmo tempo tudo que acontece é muito natural. A grande sacada aqui é o desenvolvimento dos personagens se projeta para o passado e para o futuro. O processo de descobrimento, seja leitor vs. personagem, ou personagem vs. personagem é dosado para que o leitor precise de mais, mais, mais!

E quando recebemos mais, a chances são de corações estraçalhados largados pelo caminho.

Resenha completa em:

site: http://lavemagabriela.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Paloma 26/09/2015

O Lado feio do Amor
Uma típica comédia romântica, daquelas que existe uma resistência sobre o"amor", mas contém uma diferença, a causa da resistência de Miles é por um terrível acidente que houve em sua juventude, acidente do qual ele leva o peso e a culpa durante anos e não se deixa viver e nem aproveitar o que o amor ainda tem a oferecer, mesmo depois de conhecer Tate. Ela o encanta desde os primeiro dia que a viu. Mas dela,a princípio, elê só quer sexo casual, mas com o tempo ele vai querer mais que isso. A história é romântica e eu amei.
comentários(0)comente



Jhosy 13/08/2015

Leia!
Existe algum jeito, alguma forma, algum meio, algum qualquer-coisa-que-seja que possibilite o não se encantar com os livros da Colleen Hoover?

Se existe, por favor, quero saber desse negócio.

Gente. Não adianta! Eu já li tantos livros da Colleen... Desde a trilogia Slammed acontece uma coisa que, após concluir a leitura de Ugly Love, torna-se impossível negar: Não adianta começar um livro da Colleen com expectativas. Elas SEMPRE vão ser superadas, ultrapassadas. E SEMPRE, porém sempre MESMO, você vai querer mais.

Eu, as vezes começo os livros dela com medo. Aquele pensamento besta de 'Será que com este ela sai do pedestal no qual a coloquei?' E sempre concluo as leituras pensando: 'Ah meu Deus! O que foi que ela fez comigo? E quando o fará novamente?'

Eu não vou resumir o livro, afinal, a resenha está logo ali em cima. Mas para citar apenas algumas das coisas que tornaram Ugly Love um dos meus preferidos da Colleen, vou dizer que amei a construção dos personagens.

Miles é fascinante. Ele é incrível. E por mais que para alguns, em algum momento, ele possa parecer previsível, eu o achei incrivelmente imprevisível. Forte. Desperta empatia. Você não sabe o que o tornou o que ele e como ele é, mas desde o início, sua dor se infiltra no leitor e é impossível não esperar para ver o momento em que se terão vislumbres do seu passado que lançarão compreensão sobre sua complexidade. Eu o amei!
Tate por outro lado, é vulnerável e é forte. É imatura, mas é inteligente. Ela amadurece de um jeito doloroso. Que faz a gente querer se aproximar dela e dizer 'Ei, tome cuidado com seu coração', mas ao mesmo tempo fiquei torcendo para ela insistir...
E a trama como um todo apesar de permeada pelo mistério, é incrível. É alegre e triste. É excelente.

O final foi surpreendente. E dá vontade de voltar lá no livro e dar uma espiadinha para ver se absorvi mesmo tudo. Se não deixei nada passar. Por que, nos livros da Colleen, cada detalhe, sempre tem uma importância indescritível.
comentários(0)comente



82 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6