O menino que perdeu a magia

O menino que perdeu a magia Heidi Gisele Borges
Heidi Gisele Borges




Resenhas - O menino que perdeu a magia


11 encontrados | exibindo 1 a 11


Heidi Gisele Borges 15/04/2020

Meu ebook infantojuvenil, à venda na Amazon ou para ler no Kindle Unlimited.

https://amzn.to/3cjRvcD

=)
comentários(0)comente



Tyta 28/12/2015

Resenha: O Menino que Perdeu a Magia – Celly Borges
Quando comecei a leitura, senti falta de uma criança do meu lado para compartilhar a história. Depois de um ou dois capítulos, me veio em mente o filme “Matilda“, a família de Daniel Conrad, me lembrou muito a família da pequena personagem.


site: http://allmystuff.com.br/resenha-o-menino-que-perdeu-a-magia-celly-borges/
comentários(0)comente



Maria - Blog Pétalas de Liberdade 05/12/2015

O livro conta a história de Daniel Conrad. Ele era um solitário garoto de nove anos, solitário não porque quisesse, mas porque seus pais não queriam que ele se misturasse com outras crianças. O senhor e a senhora Conrad eram pessoas que só se importavam com o dinheiro e com as aparências, não davam amor ou atenção para o único filho e achavam que coisas como livros, sonhos e amigos eram perda de tempo.

"Pois, como é sabido, o sonho só pode se tornar real para quem acredita nele. Por isso alguns adultos que não sonham mais chamam a magia do sonho de 'ilusão descabida'." (página 8)

Foi nessa família sem amor que Daniel cresceu. Na tentativa de agradar seus pais que só o desprezavam e o tratavam de forma cruel, ele se afastava das outras pessoas.

Até que a família passou por uma reviravolta e eles tiveram que mudar para um outro bairro, bem mais simples. Nesse bairro novo, Daniel pôde experimentar uma vida diferente, onde amizade, fantasia e sonhos eram valorizados. De um lado, ele tinha essa vida nova e cheia de magia, do outro, sua família passando por dificuldades financeiras, qual lado da balança pesaria mais? Qual o impacto disso tudo na vida do garoto?

O menino que perdeu a magia é um livro para crianças e também para adultos, que entretém e critica um estilo de vida que só pensa nos bens materiais e se esquece de aproveitar as fases da vida. Serve como um alerta para o risco de uma criança viver sem direito de sonhar.

Foi meu primeiro contato com a escrita da Celly, que também escreve livros "para adultos", mais voltados para o terror. Achei interessante como a autora costurou a trama, fazendo com que ideias e conceitos do começo do livro fossem retomados no decorrer da história, tornando mais clara e forte a mensagem que ela queria passar. É uma leitura rápida, mas que certamente cativará o leitor.

"Enquanto ninguém dissesse 'não' havia possibilidades, pelo menos em sonho." (página 33)

O livro é em edição de bolso, super caprichada, com folhas amareladas e ótima diagramação: letras, margens e espaçamento de bom tamanho. Há algumas ilustrações muito bonitas em alguns capítulos.

"Quer dizer, mesmo se acreditarmos nos sonhos, um dia nos tornamos adultos, é natural, mas o que nos diferencia é que quem acredita e tem sonhos vive feliz, vendo o fantástico acontecer diante dos seus olhos e acha aquilo normal, mas nunca deixa de perceber essa beleza. Já quem não acredita nunca vê nada além do concreto - e não falo somente das construções feias, que invadem a Natureza, mas de qualquer bem material que a pessoa se veja presa a ele e nunca consiga deixá-lo por um tempo para fazer algo agradável, como ver o pôr do sol numa bela praia." (página 101)


site: http://petalasdeliberdade.blogspot.com.br/2015/12/resenha-livro-o-menino-que-perdeu-magia.html
comentários(0)comente



Luciane 06/09/2015

Linda mensagem!!
Este é um pequeno livro, mas que traz uma linda mensagem sobre a magia que existe em cada um de nós.
"Daniel olhava através da janela no banco traseiro do carro, o lugar parecia complemente abandonado de tão feio que estava. Mas ele na sua ingenuidade, ainda acreditava que a nova vida faria com que se unissem e enfim conseguissem ser uma família completa e feliz. Pensou que talvez a simplicidade fosse o que faltava a eles e teriam isso agora."
"Daniel gostou de ouvir aquilo, pois, além de poder ler outras histórias, queria dizer que seriam amigos por muito anos. E amizade é o melhor presente de aniversário que alguém pode ganhar."
"-Estou triste - disse ela, e realmente demonstrava isso. Seus olhos estavam abatidos e a voz cansada - Estou triste por você não acreditar mais na magia - pensou um pouco, como se fosse reunir forças. - Na verdade sei que você acredita, do contrário não teria visto nem comido tudo isso... - e sorriu um sorriso triste. - Bem, a questão é que você não pode se permitir abandonar seus sonhos!"
"- Há magia em todo mundo! - percebendo que o menino se sentia confuso, ela preferiu explicar: A magia são seus sonhos, que só você pode torná-los reais.
-Então, quer dizer que todos podem ter magia? - ele perguntou feliz e ao mesmo tempo incrédutol. Ou seja, todos sonhamos, todos realizamos sonhos..."
Este livro é do Grupo Livro Viajante


site: http://www.skoob.com.br/topico/grupo/1284
comentários(0)comente



Gi 29/09/2014

Um Lindo Conto Infantil!
Que fofura de estória!

O menino que perdeu a magia é um livro encantador, para ser lido em voz alta, junto com os filhos, embaixo das cobertas antes da hora de dormir!
Quando eu terminei, fechei o livro e dei um abraço nele. Guardei com muito carinho para ler novamente quando o Kevin chegar! Sei que ele vai adorar conhecer o mundo mágico de Fantas e todos os seres maravilhosos que lá habitam.

Já li os contos de terror da Tia Celly, e ela sempre me deixa arrepiada com tanta maldade, mas eu sei que dentro daquele coração tem uma menininha foufa e meiga que adora gatinhos e arco Iris!

Quem conhece a autora pode senti-la em cada parágrafo! O modo de falar, as palavras que só ela diz, aquela pitadinha de Tim Bourton e o principal: Magia, muuuita magia! É muito amor nessas pequenas páginas!

A autora nos transmite um pensamento muito bonito! Que mesmo com todos os nossos deveres de gente grande, com todo o estresse, com toda a maldade que nos cerca, nunca devemos deixar nossa magia de criança desaparecer!
É ela que nos torna fortes para driblar esse mundo que se perde a cada dia mais em ganância e ódio. É ela que nos ajuda a levar a vida com alegria, a ver as coisa de uma maneira mais bonita, mesmo nas horas ruins, é ela que nos faz ter esperança e fé.

Parabéns tia Celly pelo maravilhoso trabalho! E muito obrigada por finalmente compartilhá-lo conosco!

Além da linda estória, ainda temos a excelente e super caprichada diagramação!
As ilustrações da Carol Mancini ficaram maravilhosas! Até o Mô que não curte ler folheou o livro todo para admirar as gravuras! Resumindo: Um Conjunto Perfeito!

site: http://aestranhaestantedagi.blogspot.com.br/2014/09/o-menino-que-perdeu-magia-celly-borges.html
comentários(0)comente



Nedina 08/07/2014

Eu não sei como resenhar esse livro! Por isso fui contar para a autora minha desilusão, sim eu tenho ela como amiga no Facebook (morram de inveja :P). Como ao invés de me xingar pelas coisas que eu disse ela adorou tudo o que eu disse, decidi que a melhor resenha seria a adaptação da conversa (monólogo na verdade). Então aqui vai:
No começo eu achei o livro chato. Tudo o que Daniel passava, cruzes! Eu queria enforcar alguém, parar de ler ou fazer qualquer outra coisa porque eu não estava suportando! Então o Daniel se mudou, começou a conversar com degraus, prédios e eu me senti vendo Peter Pan. Meu pensamento foi: “vai melhorar!” Mas a parte lógica do meu cérebro disse: “não vai não, porque o título do livro tem o maior spoiler de todos: O MENINO QUE PERDEU A MAGIA e não o que encontrou a magia”, então entrei em panico e interrompi a leitura. Tudo bem que a vida me obrigou a isso também, mas eu não queria continuar. Era sofrimento demais para um livro infantil. Eu até agora não sei dizer se a criança que eu fui teria ou não terminado a leitura em menos tempo do que a ‘adulta’ que me tornei.
Quando enfim voltei a ler, aconteceram certas coisas na história que me deixaram ainda mais desesperada! Confesso que eu me senti obrigada a rever alguns conceitos, garantir que estava no caminho certo da minha vida e tudo mais.
Quando o livro estava acabando eu fiquei com a sensação de que tinha acabado de assistir um daqueles curta-metragens maravilhosos, sabe?

Pois é, o livro é minúsculo e infantil, mas tem uma mensagem muito forte. Se você um dia foi criança provavelmente vai repensar sua vida ao ler essa linda história. Cuidado com as lágrimas hein. Eu fiquei com tanta raiva que nem chorei, mas conheço gente que chorou. E a autora? Ficou rindo do meu desespero! Vou fazer uma entrevista com ela e postar aqui para vocês a conhecerem mais ;)
Quase esqueci de dizer: as ilustrações são belíssimas! Na verdade o livro todo é lindo. A capa, a arte de numeração das páginas, as orelhas, o início de cada capítulo. Tudo tudo! Livro daqueles de ficar exposto na estante. Parabéns à Carolina Mancini.

site: http://blogmundodetinta.blogspot.com.br/2014/06/resenha-de-tinta-o-menino-que-perdeu.html
comentários(0)comente



Noris 02/05/2014

Para quem ainda sonha
A história acompanha um garoto de 9 anos chamado Daniel Conrad, que vive num lar dominado pela cobiça e vaidade de seus pais, ocupados apenas em ganhar dinheiro, consumir e ostentar, o que vai transformando o menino num sujeito solitário e inábil para as relações humanas. Sem amigos nem mesmo na escola (os colegas o acham antissocial), vemos Daniel mergulhar cada vez mais na infelicidade.

Se não bastasse, o pai perde todo o dinheiro e abandona a família numa vila esquecida.

As coisas começam a mudar quando ele percebe que o lugar é diferente, e que por trás de prédios feios corre muita magia, que ele poderá usufruir enquanto ainda sonhar. Quanto tempo os sonhos podem sobreviver numa família estilhaçada?

É o que o leitor descobrirá ao ler essa belíssima história de Celly Borges ilustrada por Carolina Mancini. O componente moral lembra muito os clássicos contos de fadas e fábulas, com personagens maniqueístas, aqui devidamente colocados num ambiente urbano e contemporâneo. Ainda não li material suficiente da Celly para dizer com certeza, mas pelo que percebi tem referências há outros trabalhos, quando cita Fantas, imagino um mundo fantástico bem grande e que o livro O Menino que Perdeu a Magia é apenas uma parte. E agora vou correr pegar o livro Mundo de Fantas para checar! hahahahahaha

Para quem é mãe ou pai, como eu, a leitura de O Menino que Perdeu a Magia tem um bônus de lembrar a importância de oferecer um ambiente afetivo e propício a fantasia, para lembrar da criança que fomos, dos pais que tivemos, dos pais que sonhamos e dos pais que nos tornamos.

Enfim, é uma leitura breve, leve, que recomendo principalmente para crianças, mas adultos que não perderam a magia também poderão ler com muito prazer :-)

site: http://www.coisashorrorosas.com.br/2014/05/resenha-livro-menino-que-perdeu-magia.html
comentários(0)comente



Chellot 24/04/2014

O menino que perdeu a magia
Daniel é um menino que passa por várias transições. De menino rico a menino pobre, sempre solitário, tem em sua vida muitas ranhuras que o impedem de acreditar em sua própria magia.
Uma mudança e um abandono o levam a conhecer pessoas incríveis e um mundo mágico e encantador. No entanto, a rudeza de sua mãe que já havia esquecido de sonhar acabam por levá-lo pra outro caminho. Um caminho cinza e sem vida.
O menino que perdeu a magia é um livro que fala de sonhos e do quanto acreditamos neles. Podem parecer bobos para um adulto, mas para uma criança é um mundo a parte.
Recomendo para todas as idades.
comentários(0)comente



A.Z.Cordenonsi 21/04/2014

O Menino que Perdeu a Magia
O Menino que Perdeu a Magia (Fantas, 2013) é o novo trabalho de Celly Borges. A noveleta conta a história de Daniel Conrad, um jovem rapaz sem amigos e infeliz, que vive sob a égide de um casal de pais completamente desprovidos de amor ou carinho para com o jovem. Levado para o meio do turbilhão de uma separação antevista e a absoluta falta de dinheiro, o rapaz precisa caminhar na corda bamba entre a dura realidade e o mundo fantástico que se descortina no cortiço onde ele precisa morar.

Celly bebe na fonte de Neil Gaiman e Carrol para montar seu universo. Às vezes, encontramos personagens de caráter dúbio e esvoaçante como as do mestre de Sandman; por outro lado, há passagens fantásticas que lembram as aventuras de Alice. No entanto, não se enganem. Assim como ensinou Gaiman, nem toda história infanto-juvenil precisa ter um final feliz. Crescer é barra pesada e nada pior do que uma família que lhe empurre para baixo.

Destaque especial para as belíssimas ilustrações de Carolina Mancini e o excelente trabalho editorial.

Para quem ousa pensar nas suas próprias escolhas, O Menino que Perdeu a Magia é um prato cheio. Curtam sem moderação.

site: http://www.azcordenonsi.com.br/wordpress/leituras-o-menino-que-perdeu-a-magia/
comentários(0)comente



Ronaldo Souza 18/04/2014

Leitura agradável.
Terminei de ler "O Menino Que Perdeu A Magia" de Celly Borges. Gostei muito da história: simples, bela e comovente. Contada para todas as idades. Não vou deixar spoilers aqui. Lembrou-me aquelas fábulas que lia quando criança e que sempre tinham um ensinamento. Acredito que aqui a síntese seja: Acredite em seus sonhos e viverá uma vida de magia e felicidade.
Com a palavra a autora. O livro é pequeno, fininho, com belas ilustrações de Carolina Mancini, bem diagramado e dá para ler rapidamente. Gostei da arte da capa desde o primeiro momento que a vi. Parabéns, Celly! E a você também, Carolina!
comentários(0)comente



11 encontrados | exibindo 1 a 11