O Tesouro da Encantadora

O Tesouro da Encantadora Caroline Carlson




Resenhas - O Tesouro da Encantadora


20 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2


Felipe Miranda 06/06/2014

O Tesouro da Encantadora - Caroline Carlson por Oh My Dog estol com Bigods
Quem acompanha as resenhas publicadas aqui no Omd sabe o quanto aprecio um bom livro sobre piratas. Quando, durante a leitura, percebi que A Quase Honrosa Liga de Piratas mistura magia e pirataria, bem, soube que o livro não me decepcionaria.

Hilary Westfield desde que se entendeu por gente deseja ser uma pirata para viver as mais perigosas aventuras em alto mar. Ela se importa mais com caça a tesouros e disputas de espadas que com vestidinhos com anáguas e bons modos. Atitudes essas, que não agradam nem um pouco ao seu pai, o almirante da Marinha Real do Reino de Augusta, pois para ele não há nada mais ultrajante que ter uma filha interessada em ingressar no programa de aprendizagem de pirataria mais conhecido do reino: a Quase Honrosa Liga de Piratas (QHLP).

Numa tentativa de salvar as perspectivas de Hilary na alta sociedade e domar esse instinto altamente mal visto, o almirante irá manda-la para a Escola de Aprimoramento da Senhorita Pimm para Damas Delicadas, onde Hilary irá aprender a desmaiar, costurar e portar-se como uma verdadeira dama delicada. Conseguem imaginar o quão enlouquecedor será para nossa protagonista aturar tudo isso?

Há duzentos anos a Encantadora dos Reinos de Augusta desapareceu levando a maioria dos itens mágicos daquelas terras. Sem deixar rastros e uma sucessora para o cargo, que se encarregaria de dividir e fiscalizar a magia no reino, o pouco de mágico que restou foi repartido entre a alta sociedade que nos últimos tempos vem sendo vítima de uma série de roubos. Os folhetins informativos não tardam a levantar suspeitas direcionadas aos piratas...

Apesar de ter como companhia uma Gárgula escupida pela própria Encantadora e fazer uma amiga tagarela com qual divide sonhos e receios, não será fácil de sobreviver a escola da Senhorita Pimm e não tardará para Hilary colocar seu plano inicial em ação: fugir. Ela acabará a bordo de um navio pirata após firmar um acordo perigoso com o Terror das Terras do Sul, um pirata famoso pela crueldade com suas tripulações. Preciso dizer o quão arriscado será essa aventura em alto mar?

A escrita ágil e intensamente divertida de Caroline Carlson recheia a trama com diálogos astutos e engraçados. Apesar de a estória conter quase 400 páginas, a leitura fácil e acelere o ritmo de leitura. O time de personagens é forte, bem construído e promete surpresas a cada capítulo. A Gárgula se mostra a personagem mais divertida da estória e a governanta responsável por Hilary, a Senhorita Greyson, acaba sendo a mais surpreendente de todas. Os piratas que surgem na trama são os mais variados possíveis, desde os estereotipados até os mais originais e distintos possíveis. A diagramação está impecável e encontramos mapas, cartas, folhetins de jornais, guias e ilustrações por todo o livro. É apaixonante!

Hilary é uma protagonista de personalidade e sustenta o enredo sem enfado algum, ela perceberá que lutar contra exércitos sanguinários será mais complicado que dançar valsa horas a fio. Ela precisa esconder sua identidade de filha do almirante ou acabará andando na prancha, e cumprir sua promessa para não sofrer as terríveis consequências de seu acordo. Até o desfecho descobriremos quem está por trás dos roubos do reino e se nossa protagonista se tornará a pirata que sempre sonhou ser. Reviravoltas e mapas do tesouro reais marcam presença, e planos diabólicos escondem donos inesperados...

site: http://www.ohmydogestolcombigods.com/2014/05/resenha-o-tesouro-da-encantadora.html
comentários(0)comente



AndyinhA 07/06/2014

Trecho de resenha do blog MON PETIT POISON

Nada como uma boa aventura! E se ela tiver piratas, tesouros, magia e um pouco de maluquice fica melhor ainda! Então, pode levantar ancora e embarcar com Hilary em busca do maior tesouro que já existiu e que simplesmente sumiu. Uma das premissas do primeiro livro da série A Quase Honrosa Liga dos Piratas.

Aliás, pelo título a gente já percebe que tem um “Q” de se bagunçar mesmo, nada exagerado e tudo com muito humor, mas seja falando das mocinhas ou dos piratas, sentimos no livro esses momentos que acabam virando mais cômicos e fazem a leitura ser bem mais divertida.

A autora fez uma história coerente, porém não há muitos mistérios e reviravoltas. Talvez para os que gostem de a cada virar de página ter algo diferente, pode estranhar um pouco. Mas tem seus momentos de revelações. Os grandes momentos ficam mesmo no final do livro onde a grande maioria das coisas são reveladas.

A história é leve, divertida e mesmo para quem não faz mais parte do público a que se destina [eu, cof*cof*] são bons momentos de aventura. Autores de aventura precisam fazer com que a gente embarque na ideia. Seja ela qual for e isso, a autora conseguiu, a gente começa ler e mal sente o passar do tempo.

Para saber mais, acesse:

site: http://www.monpetitpoison.com/2014/05/poison-books-o-tesouro-da-encantadora.html
comentários(0)comente



ViagensdePapel 25/11/2016

Sempre fui apaixonada por livros juvenis, especialmente os que contém muita aventura, personagens cômicos e, claro, uma bela capa colorida e chamativa. Então, desde que vi pela primeira vez O Tesouro da Encantadora, não consegui resistir à tentação… e, depois que o li, não via a hora de indicar a todos esta obra excelente! O primeiro livro da série A A quase honrosa Liga de Piratas é uma leitura leve, descontraída e muito divertida, super recomendada para os jovens leitores, e para os nem tão jovens assim também… vale a pena conferir!

Hilary Westfield é filha de um almirante da Marinha Real, mas sempre sonhou em ser uma pirata. Então, envia sua inscrição à QHLP (Quase Honrosa Liga de Piratas), e é admitida com louvor… até que eles descobrem o fato de que ela é uma garota! Escandalizados, eles rejeitam veementemente a menina, e enviam sua inscrição para a Escola de Aprimoramento da Senhorita Pimm para Damas Delicadas, onde Hilary terá de aprender a ser uma dama de respeito. Porém, ficar na Escola de Aprimoramento não é nem de longe o que a jovem aprendiz de pirata tem em mente: na primeira oportunidade, Hilary foge, e une-se a um pirata autônomo em busca de um grande tesouro! Com uma tripulação nada usual, e a bordo do “Pombo”, esses nobres piratas vão em busca do Tesouro da Encantadora, munidos apenas de um mapa sem um X, uma gárgula mágica, e uma governanta extremamente teimosa… será que eles conseguirão encontrar tal tesouro? E essa aventura será suficiente para convencer a QHLP de que Hilary é uma pirata de verdade?


Leia a continuação da resenha, acesse o link abaixo:

site: http://www.viagensdepapel.com/2016/09/05/resenha-o-tesouro-da-encantadora-a-quase-honrosa-liga-de-piratas-1-de-caroline-carlson/
Josélia 15/01/2018minha estante
undefined




livrosyviagens 03/03/2014

Resenha - O Tesouro da Encantadora (Blog Livros y Viagens
Oie, tudo bom?

O Tesouro da Encantadora faz parte da série infanto-juvenil A Quase Honrosa Liga de Piratas. A protagonista é Hilary Westfield, uma garota filha do almirante da Marinha Real que vive no reino de Augusta e sonha em se tornar uma pirata porque sempre foi fascinada por eles. O problema é que QHLP não aceita mulheres na liga e ela é preterida. Depois disso, Hilary é matriculada na Escola de Aprimoramento da Senhorita Pimm para Damas Delicadas, mas ela não quer passar vários meses aprendendo a tricotar, valsar e desmaiar como uma dama da sociedade.

"Sei velejar e remar, e sou capaz de nadar mais de um quilômetro sem parar. Sei amarrar todos os nós que já foram inventados, e alguns que ainda não foram. Consigo escalar adriças, interpretar mapas e estou disposta a lutar. Passei a minha vida inteira sonhando em ser pirata, e farei tudo o que for preciso, juro!" (pág. 116)

Depois que ela responde ao anúncio do pirata Jasper Fletcher, Hilary se mete em diversas aventuras e confusões atrás do Tesouro da Encantadora. Augusta é uma região cheia de magia (a magia do local é parecida com o ouro) e garante a seu detentor que seus desejos sejam atendidos. A Encantadora era quem fiscalizava o uso da magia no reino, mas depois que as pessoas começaram a utilizá-la sem o devido cuidado, a Encantadora das Terras do Norte recolheu grande parte da magia do reino, escondeu e desapareceu por 200 anos. Agora, vários piratas buscam o Tesouro da Encantadora.

Esse livro tem uma narrativa divertida e me fez rir em diversos momentos. Os personagens secundários são bem espirituosos e acrescentam muito na trama criada pela autora. Claire (amiga de Hilary), Charlie (um pequeno pirata), a Srta. Greyson (governanta de Hilary) e Jasper (o Terror das Terras do Sul) são personagens que me fizeram rir sem esforço. Mas nenhum personagem consegue superar a gárgula mágica de Hilary, que também sonha em ser pirata e solta as falas mais engraçadas do livro.

"Planejando executar o seu pai? - perguntou a gárgula. - Certamente essa é uma solução possível, mas eu não recomendaria. - A gárgula sacudiu a cauda. - Faz uma sujeira danada." (pág. 24)
- See more at: http://livrosyviagens.blogspot.com.br/2014/03/o-tesouro-da-encantadora-caroline-carlson.html#sthash.cFVuEnZD.dpuf
comentários(0)comente



Nadja Moreno - Blog Escrev'Arte 05/03/2014

Fantástico!!
O Tesouro da Encantadora, primeiro volume da série A Quase Honrosa Liga dos Piratas é um livro delicioso de se ler. Conta as aventuras de Hilary, uma garota da alta sociedade de Augusta. Porém ela nunca foi delicada e primorosa como se esperaria de uma jovem dama como ela. Pelo contrário, seu sonho era ser pirata. Sua aventura começa quando ela decide ir em busca do sonho, ainda que a Quase Honrosa Liga de Piratas tenha informado categoricamente que não aceita mulheres, muito menos garotinhas.

Caroline Carlson (a autora) junta magia, pirataria e alta sociedade de uma forma primorosa. Histórias de piratas são até comuns, mas em O Tesouro da Encantadora elas me ganharam. Me jogaram de cabeça no mundo da pirataria e me apaixonei por eles de uma forma mágica e fascinante. Se no final de “Harry Potter e a Pedra Filosofal” eu fiquei desejando que uma coruja aparecesse em minha janela com uma carta no bico, agora meu desejo é viver no litoral só para me sentar na areia e esperar um navio vindo ao longe com uma bandeira esvoaçante, ilustrando a figura de uma caveira e dois ossos cruzados.

Os personagens são todos muito bem formados e suas características são marcantes. Nenhum passou desapercebido pela trama. Os piratas em nada se parecem com os maldosos de Peter Pan, lembram mais os excêntricos de Piratas do Caribe. Inclusive Jasper Fletcher, “O Terror das Terras do Sul”, lembra muito Jack Sparrow: Bravo, um tanto quanto atrapalhado, excêntrico, engraçado e apaixonante. Até mesmo a mãe de Hilary, que vive dentro do guarda-roupas tem seu momento de glória em uma certa situação, já lá pelo final de tudo.

Durante toda a trama sempre somos brindados com cartas, formulários diversos, informativos periódicos das terras de Augusta e manuais. Algumas dicas dos manuais e discussões por via das cartas me causaram boas risadas. O livro todo é assim, difícil passar algumas páginas sem que você tenha um sorriso ou risada roubados. Preciso até informar que nunca mais vou olhar uma beterraba com os mesmos olhos depois de ler O Tesouro da Encantadora.

"- Ah – Charlie disse. – O covil dos Pilantras?
- Exatamente.
- Espere um pouco – Hilary disse. – O que é o Covil dos Pilantras?
Jasper olhou para Hilary como se tivesse nascido uma segunda cabeça nela.
- É um covil. De pilantras."

Apesar de ser uma série e algumas amarras terem sido deixadas para a sequencia – tem até uma edição de “A Mexericada de Augusta” contando as últimas novidades no final do livro, que nos dá uma breve noção do que nos aguarda adiante – o livro não fica sem terminar, a aventura é resolvida, as coisas se ajeitam e fica tudo bem. Bom ler livros assim, que nos deixa doidos pela continuação, mas que não nos obriga a ficar passando mal por terminar sem fim. Se esta proposta acontece por ser um livro feito para o público infantojuvenil, posso dizer que aprovo e o nomeio, por minha própria conta e risco, como um livro para toda e qualquer idade. Absolutamente sem distinção.

A tradução de Ricardo Gouveia foi feita com muito cuidado. Como existem passagens engraçadas ao longo de todo o livro, era preciso adaptar certas frases e jargões para serem condizentes à nossa realidade. Não há uma só frase que pareça sem sentido e nem uma só expressão que não seja claramente entendida por qualquer nascido e criado nas Terras Tupiniquins.

A edição promete. Levando em conta que o exemplar que estou em mãos é somente a prova para divulgação, posso dizer que a edição oficial vai ser incrível!

Se você ficou maluco para ler O Tesouro da Encantadora, sugiro que se organize e já reserve seu volume. A obra será lançada no final deste mês, no dia 31, e posso dizer que muito em breve sua edição será procurada com o mesmo afinco que os piratas em busca do prêmio debaixo do X no Mapa do Tesouro! Portanto, eu, se fosse você, não deixaria para a última hora. ;)

Arr! E tudo de bom.

site: http://www.entrandonumafria.com.br/2014/03/resenha-o-tesouro-da-encantadora-por-caroline-carlson.html
comentários(0)comente



Mila F. @delivroemlivro_ 09/03/2014

não me empolgava tanto assim com um infantojuvenil desde Harry Potter!!!
Caroline Carlson nos introduz em um universo de piratas e magia com uma sutileza tão magnifica que poderíamos aceitar dentro da história até as coisas mais absurdas. Os personagens são bem construídos, o enredo bem costurado, além de ter diálogos engraçados e esclarecedores.
Estamos na cidade de Augusta governada pela Rainha que deposita todos os seus anseios e preocupações em sua Marinha Real comandada pelo almirante James Westfield, cujo navio real, Augusta Belle, é o mais veloz do oceano. É o almirante Westfield que coloca “ordem” no mar e tenta defender a cidade dos Piratas.
Contudo, o almirante é pai de Hilary, uma garota teimosa que quer ser Pirata, e por isso se inscreve para a Quase Honrosa Liga de Piratas (QHLP), porém, sua inscrição é recusada pelo simples fato de que a instituição não aceita mulheres, mesmo que elas tenham as qualificações necessárias para serem piratas.
Assim sendo, Hilary, filha de pais da alta sociedade, se vê obrigada a ir para a Escola de Aprimoramento da Senhorita Pimm para Damas Delicadas, coisa que é um pesadelo constante na vida de Hilary, mesmo fazendo uma grande amiga na Escola, Claire. Não obstante, Hilary e sua gárgula mágica tentam escapar da Escola da Senhorita Pimm e lutar para realizarem seus sonhos: serem Piratas.
É nessa busca pelo sonho que Hilary conhece o Pirata Jasper Fletcher, O Terror das Terras do Sul, e o menino Pirata Charlie e, assim, a tripulação do navio pirata Pombo junto com a junto com governanta de Hilary, Eloise Greyson, partem em aventura pela busca do Tesouro da Encantadora na Ilha da Pólvora, detalhe: os tesouros não são ouro e pedras preciosas, mas objetos mágicos!
Muitas aventuras e até batalhas serão travadas nesta jornada, mistérios, segredos e revelações completamente inusitadas podem ser vistas em O Tesouro da Encantadora, este livro tem, sim, a parte clichê, mas tem vários elementos surpresas que vão deixar o leitor de queixo caído. Eu fiquei completamente chocada com um revelação feita em alto mar.
Sem dúvida, esta série tem um potencial incrível e a história é tão mágica que não me sentia tão eufórica pela continuação de um infantojuvenil desde Harry Potter. Aqui encontramos magia, aventura e mistério. Estar a bordo deste livro é viajar em alto-mar com os personagens.
Temos vilões que são assustadores e um choque quando descobrimos quem é. Os personagens são carismáticos, complexos e muito engraçados, já sou fã de Hilary e da gárgula (que para mim é uma fofura, quero uma!).
Entre os capítulos de O Tesouro da Encantadora temos vários outros tipos de texto: correspondência, formulários, bilhetes, cartão postal e fragmentos de manuais da QHLP.
Quando terminei a leitura deste livro, simplesmente estava eufórica e já estou desejando a continuação da série, o próximo volume será lançado no EUA em setembro deste ano e já tem título The Very Nearly Honorable League of Pirates: The Terror of the Southlands (O Terror das Terras do Sul) e fico na torcida para que em breve ele seja lançado no Brasil até porque, depois daquele final, não tem como não ansiar pela continuação. Apesar de O Tesouro da Encantadora ser um livro infantojuvenil eu certamente o indico para todas as idades: Vocês precisam ler esse livro urgentemente!

Camila Márcia

site: http://www.delivroemlivro.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Moonlight Books 25/03/2014

Leia esta e outras resenhas no blog Moonlight Books, www.moonlightbooks.net
Isso não é nada piratesco, e sim muito vilanesco!!!

Existem livros que te capturam aos poucos, mas existem aqueles que é amor a primeira vista, ou melhor à primeira página, e assim foi com O Tesouro da Encantadora, é uma história que me cativou e me prendeu completamente, com sua doçura e charme.

Primeiro livro da série A Quase Honrosa Liga de Piratas, O Tesouro da Encantadora, publicado no Brasil pela Editora Seguinte, chega as livrarias em 31 de março, cada volume com final fechado e uma nova aventura de Hilary Westfield, promete ganhar o publico jovem e de quebra conquistar o mais sério dos adultos.



site: Leia o restante da resenha aqui, http://www.moonlightbooks.net/2014/03/resenha-o-tesouro-da-encantadora.html
comentários(0)comente



Jéssica (@paraisoliterario) 01/04/2014

Mágico e encantador
A Editora Seguinte mandou para alguns parceiros no começo do mês o primeiro livro da série infanto-juvenil A Quase Honrosa Liga De Piratas e como uma boa amante de histórias em auto-mar que sou claro que fiquei feliz em ler para contar pra vocês o que achei dele.

O maior sonho da jovem Hilary, filha do almirante James Westfield da marinha de Augusta, é se tornar uma pirata, mas ao se inscrever na Quase Honrosa Liga de Piratas e esclarecer que não é um jovem rapaz a menina vê seu sonhos irem justamente na direção oposta: eles entram em contato com seu pai e Hilary acaba sendo mandada para a Escola de Aprimoramento da Senhorita Pimm Para Damas Delicadas, onde ela será ensinada a costurar e bordar, a cozinhar e caligrafia (e imaginem só: aula de desmaio!) para resumir: irá aprender como ser a dama que a sociedade de Augusta espera que ela seja.

Mas não é só o gosto dela que é um tanto diferente das outras garotas, Hilary também cresceu em barcos, navegando de um lado para o outro com seu pai, mas o que de fato a torna ainda mais inigualável é sua melhor amiga, afinal quantas dessas meninas podem dizer que sua melhor amiga é uma gárgula? Não muitas eu aposto!

Ah e eu não posso esquecer que falar que o fato do almirante Westfield não da qualquer atenção à sua filha e só faz com que ela persiga com ainda mais afinco o seu sonho e todos nós já sabemos no que essa combinação vai dar, certo? Num mirabolante plano de fuga que acontece bem no começo do livro porque Hilary não suporta muito tempo a Escola Para Moças. A cada página as aventuras e diversão são multiplicadas e o leitor acaba admirando a jovem Hilary por sua personalidade.

Mesmo sendo um livro infanto-juvenil não pude deixar de me apaixonar pelas personagens, principalmente pela própria protagonista e sua melhor amiga. O texto de Caroline é maravilhosamente bem escrito e isso acaba transpondo essa barreira de classificação etária do livro que tenho certeza que pode agradar a qualquer um que esteja querendo passar por grandes aventuras marítimas.

O principal motivo de ter me interessado pela obra é que, apesar de amar histórias sobre piratas, não tenho qualquer livro com esse tema na minha estante e aí surgiu essa oportunidade e pensei "como posso não aproveitar essa chance?", pois é, eu não pude deixar passar essa.

A história lentinha no começo, mas quanto mais evolui na leitura, mais dinâmica ela se torna! Outro motivo para amar esse livro é protagonista, acredito que todo mundo que lê minhas resenhas sabe que detesto personagens femininas que não sabem o que querem, pois é, não temos isso aqui (um salve para a autora!), Hilary é completamente decidida e isso só motiva ainda mais o leitor a acompanhar suas aventuras e nos faz querer saber o quão longe ela consegue ir para conquistar seu sonho. Ah, mas é claro que não posso esquecer de comentar que há romance no livro, ainda que ele não envolva a protagonista.

A diagramação do livro é absolutamente linda, e olha que eu nem recebi ele com acabamento! Então além de ganharmos um livro muito bom, temos uma obra bela visualmente maravilhosa. Por exemplo, a cada fim de capítulo temos vários recortes ou cartas que complementam a leitura.

Pelo que entendi os próximos livros não são uma continuação exatamente, então quem não há realmente uma necessidade de se ler os livros na ordem, apesar de eu achar recomendável isso. Bom, quem está lendo agora O Tesouro de Encantadora é a minha irmã, Isabele, de nove anos e assim que ela terminar nós duas vamos gravar um vídeo pra contar o que ela achou pra vocês.

site: http://www.lendoecomentando.com/2014/04/o-tesouro-da-encantadora-quase-honrosa.html
comentários(0)comente



PorEssasPáginas 03/04/2014

Resenha: A Quase Honrosa Liga de Piratas - O Tesouro da Encantadora - Por Essas Páginas
Eu já disse pra vocês o quanto eu AMO piratas, certo? Pois bem, é quando aparece um e-mail maravilhoso da Editora Seguinte e da Companhia das Letras oferecendo a prova de um livro fofíssimo de piratas para os blogs. É claro que eu logo me candidatei para a tarefa e, como os ventos dos sete mares estavam a meu favor, fui sorteada e recebi essa prova linda e caprichada da editora. Sério, gente, nem parece prova, é quase uma edição econômica do livro. Fiquei impressionada. A Quase Honrosa Liga de Piratas – O tesouro da Encantadora é um romance infanto-juvenil cheio de fantasia e aventura, que certamente vai envolvê-lo em uma leitura mágica e “piratesca”, como define a protagonista.

Hilary é filha de um grande almirante da marinha do reino de Augusta e, como tal, deve se dedicar a ser uma dama da sociedade e ser educada em uma escola de meninas. A menina, no entanto, não quer nada disso: seu sonho é ser uma pirata e sua melhor amiga é uma gárgula mágica falante. Ok, só essa premissa já é encantadora, certo? Hilary me conquistou aí, com seu sonho inabalável e sua determinação de chegar onde queria. E ela realmente faz de tudo ao seu alcance para isso, mesmo após ser rejeitada pela Quase Honrosa Liga de Piratas (eles não aceitavam mulheres, humpt!) mas sempre guiada por um instinto inocente, educado e gentil. Aliás, nesse livro, todos os personagens e todo o clima são bem inocentes. A primeira coisa que você tem que colocar na sua cabeça ao lê-lo é que ele é um livro infantil; ou você lê com esses olhos, ou não lê. Há também a alternativa, claro, de você ler para uma criança – e tenho certeza que uma criança apreciará ainda mais essa obra.

O início do livro é um pouco lento, mas necessário; é quando a autora situa o leitor na história e em seu universo. É quando conhecemos os principais personagens e somos apresentados ao reino de Augusta, um reino tradicional, onde existe muita aventura no mar – de um lado a Marinha, do outro, os piratas. Nesse reino, há magia, mas pouca; há essa história da Encantadora, que criou a magia e depois a confiscou e desapareceu, e só sobraram poucos objetos mágicos, como moedas e até mesmo talheres e escovas de dentes. E é claro que os piratas estão atrás desses objetos, ou melhor, “tesouros”. Mas não somente os piratas.

“- Esse trecho é sobre as ferramentas de que um pirata precisa para a caça ao tesouro – ela contou à gárgula numa noite sombria. – Vejamos… Você precisa de um mapa, é claro, e uma bússula para orientar seu caminho. E uma vez encontrado o tesouro, vai precisar de uma pá para desenterrá-lo.” Página 130.

Há uma grande parte do livro em que Hilary ainda não é uma pirata e acaba parando na escola da Senhorita Pimm e, apesar de saber que esse início era totalmente necessário, eu fiquei o tempo inteiro ansiosa pelo momento em que realmente entraríamos na parte da pirataria – e quando isso acontece é quando o livro deslancha. Todos os personagens são encantadores; alguns mais divertidos que outros, mas cada um escrito no tom certo. A minha personagem preferida, no entanto, foi a gárgula: ela faz você sorrir quase por todo o livro e é dona das melhores tiradas, as mais engraçadas, as mais divertidas. Mas devo dizer que a Senhorita Greyson, a governanta de Hilary, também é uma personagem interessante e super bem construída.

Esse livro é bem interessante pois é uma obra onde as mulheres têm muita força e presença, e mesmo assim, não é um livro feminino; ele pode ser lido e apreciado por meninos e meninas (de várias idades, que fique bem claro). No entanto, a obra mostra uma força feminina em vários sentidos, o que foi muito gratificante de ler. Há Hilary, com sua determinação e seu sonho, uma menina diferente das demais, e ainda assim, uma menina, que erra e acerta; há também a Senhorita Greyson, uma mulher que aparentemente não passa de uma governanta bastante feminina, mas que na verdade é uma mulher também determinada, cheia de opiniões próprias e segredos. Gostei muito da Claire, amiga de Hilary na escola, que representa essencialmente a lealdade e ao mesmo tempo também tem seus próprios sonhos. Até a Senhorita Pimm é muito mais do que se imagina. O livro passa fácil no Teste de Bechdel. É claro que existem ótimos personagens masculinos também, como Jasper e Charlie, e o livro é muito equilibrado quanto a isso, mas para mim, que sempre me irrito com machismo – algo quase inerente em alguns livros, especialmente de fantasia -, ter personagens femininas tão diferentes e incríveis (e não só aquela dualidade de mocinha apaixonada/heroína chuta-bundas) me deixou muito feliz e satisfeita.

Mas sim, há romance, mas nada que envolva Hilary (afinal, ela é uma ainda menina). Gostei dessa pequena, divertida e improvável história de amor que se desenrolou no livro. Foi bastante doce como ela foi criada e levada adiante na história.

“Ela se sentiu um pouco culpada – Bigode Laranja não gostava de sujeira, e agora estava desacordado sobre uma poça de suco de beterraba – mas ele queria civilizá-la, e ainda destruíra sua barba no processo. Esse tipo de comportamento simplesmente não podia ser tolerado.” Página 236

Outra coisa que é muito divertida no livro é que a cada final de capítulo há cartas de vários personagens, recortes de jornais e até guias da Quase Honrosa Liga de Piratas: como encontrar um tesouro, como usá-lo, como proceder ao ser capturado, tudo num tom inocente e divertido. Você acaba se acostumando com esses finais de capítulos e passa a esperar por eles, pois sempre são garantia de diversão. Já dá pra perceber aqui que a edição da Seguinte é caprichada, com ilustrações em todos os capítulos e desenhos diferentes para cada carta, cada tipo de letra dos personagens e para os recortes e guias piratescos. Se a prova estava assim tão linda, fico imaginando o livro como será ainda melhor.

Bem, mas algo que estava implícito – na capa, pelo menos – é que esse livro seria uma série. Sim, mais uma. Já estou me conformando com o fato, sério. Mas o bom é que é um livro que não necessariamente você precisa ler o restante da série se não quiser; não há um final apelativo para uma continuação, nada disso. A história fecha aqui mas deixa a impressão de “novas aventuras”, o que foi interessante e convidativo. Se você procura um livro leve e divertido, com o caráter inocente da infância, A Quase Honrosa Liga de Piratas – O tesouro da Encantadora é muito indicado. Ah, e eu recomendo mesmo que se você for pai/mãe, tia/tio, avô/avó e estiver nos lendo, adquira esse livro para sua criança. Ela vai adorar. E se você é um pequeno leitor (espero que tenhamos pequenos leitores por aqui também, por que não?), leia, porque você vai gostar. De acordo com a Editora Seguinte, o livro tem data de lançamento prevista para o final do mês, dia 31 de março.

site: http://poressaspaginas.com/resenha-a-quase-honrosa-liga-de-piratas-o-tesouro-da-encantadora
comentários(0)comente



Michelly 11/04/2014

"Passei a minha vida inteira sonhando em ser pirata, e farei tudo o que for preciso, juro!"
Certo dia, passeando pelo site da Editora Seguinte, vi a capa de O Tesouro da Encantadora entre seus futuros lançamentos e me apaixonei! Eu adoro capas bem trabalhadas, que parecem uma pintura, e essa é assim. Depois de ler a sinopse fiquei ainda mais interessada pela obra, já que eu adoro histórias de piratas ou que simplesmente se passam no mar. Vi que o lançamento seria no dia 31 de março e já fiquei esperando ansiosamente para colocar minhas mãos no primeiro volume de A Quase Honrosa Liga de Piratas, mas, eis que os ventos sopraram a meu favor e a Companhia das Letras me ofereceu a prova do livro para resenhar antes do lançamento. Pirei quando li o e-mail, pirei quando a Diana me disse que fui uma das sorteadas para receber a prova e pirei mais ainda com a leitura leve e empolgante do livro de Caroline Carlson.

Hilary Westfield nasceu para ser pirata. Porém, seu pai, o almirante da Marinha Real, James Westfield, está decidido a fazê-la se tornar uma dama da alta sociedade, e quando ela é rejeitada pela Quase Honrosa Liga de Piratas, que não aceita mulheres, acaba sendo obrigada a ingressar na Escola da Senhorita Pimm para Damas Delicadas.
Ela vai, levando consigo sua gárgula de estimação, e tendo como companhia a governanta da família, a senhorita Greyson. Durante a viagem de trem até a escola já temos vislumbres de alguma ação, porém as coisas ainda acontecem em um ritmo mais lento, me deixando cada vez mais ansiosa pela parte "piratesca" do livro.
Chegando na escola, a única coisa boa que acontece para Hilary é que ela conhece Claire, a filha de um vendedor de peixes que está empolgadíssima por ter sido aceita pela senhorita Pimm, e logo elas ficam amigas.
Mas nossa protagonista não desistiu da ideia de ser uma pirata e na primeira oportunidade que tem acaba se inscrevendo e sendo aceita por um pirata autônomo, chamado Jasper, para fazer parte de sua tripulação. E é aí que a coisa deslancha, pois eles estão atrás do maior tesouro do mundo, o tesouro da Encantadora, que é a responsável por criar objetos mágicos mas, no momento, está desaparecida.

Acho que já falei o bastante sobre o enredo desse livro, pois o mais legal é ir conhecendo as aventuras de Hilary por si só. Ela é uma personagem encantadora, bem mais que a própria Encantadora, que a gente descobre quem é lá pro final da história. Inteligente e determinada, ela chega a ser um exemplo de persistência! Outra personagem pela qual me apaixonei foi a Gárgula, que, indiscutivelmente, tem as melhores falas. Na verdade, todos os personagens tem qualidades, não tem nenhum insuportável, e até o vilão tem um tom irônico delicioso.
A narrativa segue o estilo de Douglas Adams e Lemony Snicket, porém mais infantil. Mas isso não significa que esse seja um livro bobo, pelo contrário, é uma obra que irá agradar crianças e adultos da mesma forma. Sabe aquele livro que te deixa feliz e que você ri o tempo todo? É exatamente esse o caso de O Tesouro da Encantadora.
Durante a narrativa a autora encontrou um espaço até para o romance, porém é um espaço bem pequeno, já que ela se concentrou mesmo foi nas aventuras da garota da alta sociedade que queria ser pirata. Você verá coisas absurdas acontecerem, como uma guerra com comerciantes de beterrabas enlatadas, mas nada está fora de lugar e cada acontecimento improvável parece completamente provável durante a narrativa de Caroline.
Apesar de ser uma série, o desfecho não deixa pontas soltas, encerrando de vez a história da busca pelo tal tesouro. Isso deixa claro que cada livro contará uma aventura totalmente independente, e se todas forem iguais a essa, ainda vem muita diversão pela frente.

Como eu disse no começo da resenha, eu li a prova do livro, cedida pela Companhia das Letras, e ele será lançado no dia 31 março. Mas a prova está tão caprichada que eu quero ver como esse livro vai ficar perfeito quando estiver totalmente pronto! Em cada começo de capítulo tem um pequeno desenho, e em cada final de capítulo tem recortes de jornais e cartas que complementam a história.
Uma coisa eu garanto, eu jamais enganaria vocês dando uma opinião falsa só porque eles me cederam o livro, então podem acreditar: reservem seu exemplar agora, porque O Tesouro da Encantadora é bom demais!

http://maisumapaginalivros.blogspot.com.br/
Mais Uma Página
comentários(0)comente



Literatura 12/05/2014

Leitores ao mar!
Resgatar a fantasia que existe em cada um de nós, leitores adultos massacrados pela rotina e maturidade, é um fato hercúleo. Diria até que as frequentes diversidades da vida deixam o nosso coração meio “peludo”, incapaz de sentir emoções que achamos caber somente aos “pequenos”. O que está longe de ser verdade…

A maior prova disso foi ter a honra de ler O tesouro da Encantadora, o primeiro volume da Quase honrosa Liga de Piratas, escrita por Caroline Carlson (Seguinte, 396 páginas). É daquelas histórias mágicas, que nos envolve, faz a gente voltar a ser criança em uma simples folheada de páginas e querer esquecer todo mundo que está em volta só para curtir a aventura.

O mundo onde Hillary Westfield, a protagonista da história vive, poderia ser muito bem algo extraído do Piratas do Caribe. Mas não é… Porque? Lá existem objetos mágicos, criados pela Encantadora, para facilitar a vida dos humanos. Melhor dizendo, facilitava, já que a própria sofreu uma grande desilusão com a humanidade e fugiu… Escondendo a maioria dos objetos. Os poucos que restam são competidos à tapa, e vivem na maioria na mão dos ricos. Hillary é filha de um dos maiores Almirantes a serviço da rainha, que deseja, assim como a sua esposa, que ela seja uma verdadeira dama. Tanto que já inscreveram a menina na Escola de Aprimoramento da Senhorita Pimm para Damas Delicadas (só o nome já cansa, não acham?). Mas a menina, longe disso, quer ser Pirata! Isso aí, apesar de ser sumariamente reprovada para se inscrever na QHLP, a famosa liga que dá nome à série, Hillary que beber rum, fazer ARRRRRGH, falar palavrões, duelar e encontrar tesouros.

Veja resenha completa no site:

site: http://www.literaturadecabeca.com.br/resenhas/resenha-o-tesouro-da-encantadora-leitores-ao-mar/#.U3FNOPldX-t
comentários(0)comente



Livy 12/05/2014

Livro divertido e gostoso de ler! Encantador!
Sempre achei fascinante histórias de piratas. Tanto eles sendo inimigos ou amigos, bonzinhos ou totalmente malvados; desbravando os sete mares, destemidos, à caça de tesouros e vivendo aventuras. Há diversas formas como são representados, inclusive li romances de época onde os piratas são lindos e sensuais (é, sabe como é). Também uma das minhas histórias favoritas de piratas é com o famoso Jack Sparrow em Piratas do Caribe. Claro que na realidade eles eram temíveis, terríveis, impiedosos e nada amigáveis. Mas não há nada como uma fantasia para "mudar" um pouco estes fatos.

Ainda não tinha lido nenhum livro juvenil de piratas, por isso fiquei encantada com a série A Quase Honrosa Liga de Piratas. Ela traz para os jovens (e também para os não tão jovens assim) leitores o primeiro livro O Tesouro da Encantadora, cheio de aventuras e uma garota sonhando ser pirata.

Na sociedade do reino de Augusta, há muito tempo atrás, havia uma Encantadora das Terras do Norte. Esta mulher era dedicada a cuidar da magia do reino, dividida entre os cidadãos através de objetos mágicos. Ou seja, todo cidadão de Augusta podia utilizar magia. A Encantadora era quem mantinha a ordem e equilíbrio do uso desta magia. Mas conforme o uso se tornava indevido e a sede de poder aumentou, e depois de um acontecimento que a aborreceu muito, a Encantadora resolveu que os cidadãos de Augusta não deviam ter em mãos tanto poder. Recolhendo todos (ou quase todos) os objetos mágicos do reino a Encantadora sumiu junto com a magia. Mas ainda assim ficaram muitos objetos para trás, claro, nas mãos da alta sociedade. Também há tesouros ainda escondidos, que atraem a atenção dos piratas. E claro, há boatos sobre o tesouro da Encantadora, mas ninguém sabe de seu paradeiro ou se ele ainda existe. Pior, ninguém entende porque a Encantadora abandonou o reino e levou o tesouro consigo, deixando todos na mão.

Isto foi há muito, muito tempo! Hilary Westfield viveu ouvindo diversas histórias sobre a tal da Encantadora e o tesouro. Ela mesma tem um pedacinho de magia perto dela no formato de uma gárgula (muito fofa) que tem o poder de proteção. Mas Hilary se preocupa mesmo é em se tornar pirata. Ela até tenta entrar para A Quase Honrosa Liga de Piratas, mas eles a rejeitam... por ser uma moçoila. Ou seja, mulheres não podem ser piratas! A jovem não se contenta com um não, claro, afinal seu sonho (desde que se entende por gente) sempre foi se tornar pirata e se aventurar pelos mares. Ela vem treinando há muito tempo, mas seu pai, o almirante James Westfield nunca lhe deu ouvidos ou concordou com seu sonho. E pior, a faz ir para uma escola de boas maneiras para jovens damas a Escola da Senhorita Pimm para Damas Delicadas. Credo, Hilary preferia ser engolida por tubarões do que ter que se tornar uma dama de respeito. Ela ainda quer ser uma impetuosa pirata, e é o que será.

Em meio há uma série de desventuras, ela acaba conhecendo os piratas Jasper e Charles, e acaba embarcando em uma aventura através dos mares atrás de um tesouro inimaginável. (Juro que não vou falar mais nada, porque tem tantas coisas legais e detalhes surpreendentes, que se eu contar mais um pouquinho vocês vão sacar tudo).

Acho que dizer que a narrativa é encantadora é a melhor forma de descrever como o livro é gostoso de ler. Cheio de aventura, diálogos e trechos divertidos, e muita emoção. O Tesouro da Encantadora foi uma grata surpresa para mim, tanto pelo trabalho lindo da edição (a editora está de parabéns), como pela história em si.

E eu adorei os personagens, não tem como não se apaixonar por eles.♥ Hilary me irritou algumas vezes, mas eu gostei de sua determinação e coragem, principalmente para lutar por aquilo que acredita ser certo, assim como pelos seus sonhos. E acabei adorando-a. Fiquei admirada com como ela é fiel aos seus princípios e à amizade. Também adorei a governanta da garota, a Srta. Eloise Greyson. Ela é tão destemida e durona, ao mesmo tempo em que tem um coração mole. Jasper e Charles são piratas que de temíveis nada têm. Na verdade eles são uns amores, bondosos, espirituosos e corajosos. Eu os admirei muito. Jasper é o comandante do navio pirata Pombo e o responsável pela aventura em que todos irão se encontrar. Charles é um jovem rapaz que tem uma história triste, mas se mantêm firme e determinado. Também tem uma personagem muito meiga e companheira que eu adorei, que é a Claire, amiga que a Hilary fez em sua jornada.

Odiei com todas as minhas forças o almirante James Westfield. Que homem odioso >.<
Também não fui muito com a cara da tal Encantadora das Terras do Norte. A achei um tanto egoísta, mesquinha e controladora. Ela também é uma cega e egocêntrica, mas tudo bem, o tesouro é dela afinal, fazer o quê!?

Mas dentre todos os personagens, a minha favorita, sem dúvida, é A Gárgula ♥ Ela foi criada pela Encantadora e também é uma das peças mágicas, e foi feita para proteger a família Westfield. Só que ela é muito fofa gente! Ela é um tanto desbocada, fala o que pensa, mas é uma criaturinha que dá vontade de adotar. Ela foi a causadora de boa parte de minha diversão com a leitura deste livro, e os comentários e jeito despojado dela são demais! Eu quero uma gárgula para mim!

Eu gostei da trama, que é leve e divertida, mas também tem muita aventura e tensão. O livro traz também belas mensagens sobre lealdade, amizade e confiança. A força para lutar pelo que se crê e pelos seus sonhos, assim como seus ideais. É um livro que vale muito a pena ser lido. É diversão garantida.

Um outro ponto que gostei muito é que o livro é bem dinâmico. Durante o transcorrer da história há diversas cartas, anúncios de jornais, recados, folhetos, etc., e todos eles são mostrados em seu formato original para nós, o que torna o livro muito mais interessante. Outro detalhe é que há mapas, ilustrações em cada início de capítulo, etc. Também tenho que dizer que eu estou apaixonada pela capa, que representa os principais personagens do livro em sua aventura. Amei ♥

Sem sombra de dúvidas O Tesouro da Encantadora é um dos melhores livros juvenis que tive a oportunidade de ler! Recomendadíssimo! Agora é esperar pela continuação para acompanhar as outras aventuras de Hilary e seus amigos (e minha gárgula preferida).


site: Confira mais resenhas: http://nomundodoslivros.com
comentários(0)comente



tiagoodesouza 07/06/2014

O Tesouro da Encantadora | @blogocapitulo
Eu já comecei a me divertir com a leitura de A Quase Honrosa Liga de Piratas logo nas primeiras páginas do livro, quando os piratas falam sobre o que os aterrorizam mais do que tudo nessa vida. E não é para menos, porque não é todo dia que eles recebem uma inscrição de uma garota. Muito menos ainda da filha do Almirante da Marinha Real de Augusta James Westerfield.

A história

Hillary é uma garota bastante corajosa e determinada. Tudo o que ela mais quer nessa vida é ser uma pirata e partir em aventuras pelos mares e não ir para a Escola da Senhorita Pimm para Damas Delicadas, onde toda a sua impetuosidade seria transformada em boas maneiras e outras qualificações completamente desnecessárias para uma pirata. Infelizmente, seu pai a força a ir para a escola da Srta. Pimm após um estranho roubo ocorrido na casa deles. Mas quem disse que Hillary se conformou com isso?

Enquanto tenta passar pela educação na escola, Hillary descobre que um pirata está recrutando membros para sua tripulação para uma busca cercada de mistérios a bordo do navio Pombo. Com o apoio de sua amiga Claire, Hillary acaba embarcando numa viagem em alto-mar cheia de aventuras, magia, lutas de espadas e descobertas que vão fazer com que ela olhe para tudo com outros olhos.

Desenvolvimento

Desde que eu soube que a Seguinte ia lançar esse livro, eu fiquei bastante curioso para lê-lo. Uma das melhores coisas que pode acontecer é um livro superar as expectativas quando estamos a tanto tempo esperando por ele. Fiquei muito feliz por ter sido um dos sorteados para receber a prova antecipada para leitura e poder compartilhar essa história muito bacana criada por Caroline Carlson.

A narrativa é em terceira pessoa e acompanhamos o ponto de vista de Hillary. Ela é uma personagem que não deixa a história ficar parada muito tempo. A gente percebe isso logo no começo e continua até nas últimas páginas do livro. Já li histórias em que os personagens mal descansavam e já estavam correndo para outra coisa e isso me incomodou, mas em O Tesouro da Encantadora a autora soube dosar isso muito bem. A história flui, fica empolgante e quando a gente percebe já acabou.

É um tanto curioso que a figura feminina tenha muita importância nessa história, mas aquela que deveria ser o espelho para Hillary fica bastante escondida dentro de casa. A mãe dela tem uma pequena participação na história se comparada com a da Encantadora, uma mulher que controlava a magia do reino no passado, e a governanta Srta. Greyson.

Conclusão

Há livros que nos envolvem tanto durante a leitura que a gente fica cego pra suas falhas, que só percebemos quando terminamos de lê-los. Mas prometo pra vocês que não foi o caso com este. Eu terminei a leitura querendo mais. Estou doido para ver o livro finalizado, tenho certeza que vai ficar muito bonito. Já mesmo a prova tem uma diagramação bem trabalhada.

O lançamento está previsto para o dia 31 de março.

"E por que não ela não poderia ser pirata? Ela já era uma maruja melhor do que a maioria dos rapazes que trabalhavam na Marinha Real com seu pai, e se importava mais com duelos de espada e tesouros perdidos do que com costurar anáguas e ter bons modos."
Página 21.

site: http://ocapitulodolivro.blogspot.com.br/2014/03/resenha-quase-honrosa-liga-de-piratas-o.html
comentários(0)comente



Tha 25/10/2014

Nossa! Há quanto tempo que não faço resenhas. Então fiquei com saudades e resolvi dar a resenha de um livro que eu gostei bastante e como o skoob havia me "pedido" para fazer a resenha já que ganhei numa cortesia, aqui estou =)
Pois bem, como eu já disse, ganhei esse livro numa cortesia do skoob. Quando descobri que havia ganhado fui lá ver as informações e o livro acabou por não me agradar muito na sinopse. Então eu comecei a lê-lo, confesso que demorei um pouco, mas não me arrependo.
Ele tem uma leitura leve e o livro não é cansativo. Apesar de parecer um pouco infantil (na minha opinião), ele não é (apesar de não ter uma leitura 'adulta' também). Os personagens são bem desenvolvidos e você consegue entrar na história, rir e se aventurar com Hilary e ter um enorme crush por nosso querido pirata anônimo. No final temos uma surpreendente reviravolta. Afinal, quem imaginara que... Ah, não irei dar spoiler!
A Hilary é uma pessoa com grande personalidade que não desiste de seus sonhos e faz de tudo para ser pirata. Apesar de ser obrigada pelos seus pais a ir para a Escola da Senhorita Pimm para Damas Delicadas, conseguimos perceber que esse não é o seu lugar (mas eu gostei da aula de Desmaio, eu me daria bem nela) e que seu interior piratesco clama pelos perigos dos mares.
Agora falemos um pouco sobre a história em geral.
-
Hilary Westfield é a única filha do almirante da Marinha de Augusta. Augusta, por sua vez, é um reino que tinha bastante mágica. Há vários e vários anos atrás essa magia era controlada pela Encantadora das Terras do Norte que, de um dia para o outro, resolve pegar a maioria da magia do reino e sumir. As pessoas que ainda tinham magia ou eram nobres ou piratas, que guardavam a sete chaves. Não é aí que nossa Hilary entra, mas sim nos piratas.
Ela sempre teve o sonho de ser uma pirata e, quando é obrigada a ir para a Escola da Senhorita Pimm para Damas Delicadas, achava melhor pular numa prancha que ir. Então se inscreve na QHLP (Quase Honrosa Liga dos Piratas) e não é aceita por ser uma garota e ainda ser filha do almirante! Então finalmente vai para a Escola, onde passa dias insuportáveis mas, felizmente, encontra uma amiga, Claire. Mas o espírito aventureiro de Hilary não descansa! Finalmente consegue fugir da escola e agora, caro leitor, você pode acompanhar as aventuras de uma menina pirata, uma governanta, um pirata e meio e uma gárgula!

site: http://the-bookss.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Beca 02/03/2016

Infantil, mas legal
É legal, mas talvez um pouco infantil, dependo sempre do gosta da pessoa.
comentários(0)comente



20 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2