Play

Play Kylie Scott




Resenhas - Play


78 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6


Caro - só troco livro por livro 29/09/2014

Definitivamente o Mal é o cara!
Pensa em um cara engraçado e surtado (na melhor maneira possível), e além de tudo sexy, e ele SABE disso!
O baterista da banda Stage Dive é um prostituto! hahahah Mas um dos melhores prostitutos do mundo!
Já Anne é aquela moça normal, que é a amiga de todos e que só se dá mal por confiar demais em quem não devia!
Depois de Mal escutar Anne em uma ligação, em uma festa na casa de Ev e David (sim, eles aparecem no livro, e absolutamente Davie é o melhor marido do mundo), ele resolve que Anne precisa de sua ajuda e ele resolve que ela tem que aceitá-lo.
Claro que a moça é mega fã do Mal, mas quem não é?
A atração é inevitável!
Livro leve, engraçado, hot na medida certa!
Super Recomendo!

Ivanice 30/09/2014minha estante
Eu amei tb!!! Lalou bem Carol.Mal é TDB total!!!


Ju 04/10/2014minha estante
Livro perfeito queria mais 100 paginas, li com pena de terminar


Lud 16/10/2014minha estante
Mal foi o melhor.. muito bom!


priscila.dasilv 27/11/2014minha estante
Engraçado , leve e claro com drama na medida certak. Sem palavras pra a descrever o Mal! Simplesmente ele é o melhor! !!


May 23/11/2015minha estante
As melhores sacadas pertencem ao Mal! hahaha rei do humor ?


Drika 21/07/2016minha estante
O melhor!!!!! ???




SakuraUchiha 07/01/2015

"A vida é uma canção. Vamos tocar."

'Play' é a estória de Mal. Tivemos a primeira aparição dele no livro Lick, como o baterista engraçado, brincalhão e super sexy do grupo de rock Stage Dive. Ele é a alegria da banda e deixa o ambiente todo descontraído. Mas sua alma anda inquieta, e a banda percebeu isso, mas ninguém se atreve a peguntar. E então ele conhece Anne, e já faz um pedido completamente a altura de suas loucuras: que ela seja sua falsa namorada. Ela não entende, porquê? Mas ele em suas palavras....
"— Você sabe que eu sou fodidamente um deleite para ter ao redor. As pessoas nem sempre conseguem isso de mim. Além disso, eu vou abrir potes e levantar a merda pesada. Ouvi que isso são problemas para as mulheres"
Anne é um grande jogo para o Mal —pelo menos depois de seu torpor momentâneo de groupie, porque ela é atrevida e honesta e tem uma preocupação genuína com o seu bem-estar. Ela foi enganada pela melhor amiga que depois de atrasar 2 meses de aluguel e se aproveitar dela, ela desaparece sem deixar pistas. Anne está perdida, devendo aluguel e precisando de dinheiro. A proposta de Mal é tentadora: sem sua falsa namorada em troca de aluguel pago. Viver com o Deus do sexo será um martírio ou um passeio num parque de diversões?
"— Seu pau tem bom gosto, então.
Seus olhos obscureceram.
— Mal?
— Hmm? Desculpe. Eu gostei do jeito que você disse “pau” e “gosto” na mesma frase."
É um livro cheia de momentos cômicos e plausíveis, assim como cheio de dramas e tristezas. Mal é o tipo de homem que eu adoro, como havia dito e sua estória não me decepcionou. Ele é engraçado e brincalhão, mas também tem um lado emocional e protetor, sempre se importando com as pessoas ao redor... fora que ele é totalmente modesto. Eu apreciei muito a conhecer o mais recente membro da Stage Dive, Mal, e a garota que fisgou ele, Anne. Anne é como um porto seguro para ele, e os dois se encaixaram em todos os momentos do livro. Essa série é maravilhosa. O 3º livro é "Lead", o vocalista Jimmy, e eu estava ansiosa para conferir já que ele foi bem pouco falado no livro, mesmo tendo uma presença forte.
Essa serie me lembrou muito a "Slater Brothers" da L.A. Casey. Quem gostou dos irmãos Slaters vai se banquetear com os membros da Stage Dive.


site: https://bookzinga.wordpress.com/2015/01/06/kylie-scott-play/
comentários(0)comente



gabbsqueiroz 29/05/2016

MAL ♥
Malcolm Ericson me conquistou!
Na verdade, gostei dele desde que o conheci, no primeiro livro dessa série - Lick. Mal é o baterista da banda Stage Dive e é aquele que está sempre fazendo piadinhas, sempre brincando (até quando não deve), às vezes chega até a ser infantil, confesso. Mas acredito que ver a vida de uma forma engraçada, mais leve, é a melhor forma de se viver. Principalmente quando surgem os problemas. E o Mal tem, digamos que, um problema familiar.
Anne - a vizinha da amiga da Ev, protagonista do primeiro livro - é uma mocinha típica, certinha, boazinha, "cuida" da irmã, e gosta (ou acha que gosta) do melhor amigo, Reece. Ela conhece Mal em uma festa que resolveu ir com o intuito de esquecer o seu mais novo problema: sua colega de quarto fugiu e ela não tem como pagar o aluguel sozinha. Por sorte, estava no lugar certo, na hora certa.
Então surge uma troca de favores: ela finge ser namorada de Mal, já que ele não aguenta mais ouvir o blá blá blá dos amigos, e ele paga o aluguel pra ela. Ótimo, não? Tudo seria mais fácil se ele não resolvesse morar com ela também e a convivência aos poucos, acaba aproximando-os ainda mais. O que era pra ser apenas uma... ajuda (?) entre amigos, se torna algo muito mais sério.

Amei muito o casal. Mais até que do primeiro livro, acho que justamente por causa do jeitinho do Mal. Ainda não conheci os outros que faltam, mas por enquanto, ele está no topo da lista dos Stage Dive!
comentários(0)comente



Pratelivros 17/11/2015

Mal, meu baterista lindo *----*
OBS: Pra ler essa resenha com seus recursos de imagem completos (gifs, fotos), aceese o link ao fim da resenha

"A vida é uma música, Anne. Vamos tocar." - Mal

Essa série tá boa demais, gente! Romance rockstar de primeira qualidade. O primeiro volume já foi muito bom. E esse aqui é ainda melhor.
Se você já leu Lick, nem preciso recomendar esse livro pra você, porque o Mal já deve ter ganhado seu coração. Em Play ele simplesmente te faz babar.

Anne está ferrada. A menina com quem ela dividia o apartamento meteu o pé, o que a deixou com aluguel pra pagar sozinha, além de ajudar sua irmãzinha com as contas da faculdade. Ela já não sabe o que fazer. Quando sua vizinha a convida pra uma festa, ela acredita que isso será uma boa maneira de desligar a mente dos problemas. Mas quando ela percebe que Mal Ericson, baterista da banda Stage Dive e sua paixoite adolescente está nessa festa, ela vê que acabou de arranjar mais um problema.

"É destino, Anne. Escrito nas estrelas. Deixa essa porra em paz."
Mal

Mal precisa sossegar. Os casos de uma noite só e as tietes tem que parar. Ele tem que achar logo uma boa garota pra namorar. E aí a Anne aparece. Mal sendo o Mal, se muda pro apartamento dela e propõe um acordo que deve beneficiar ambas as partes. Ela finge ser namorada dele e ele a ajuda financeiramente. Eles só não imaginavam que seria tão difícil obedecer as regras que impuseram a esse relacionamento de mentirinha.

"Nós não podemos transar, nós só vamos dormir juntos. O plano todo vai desmoronar se começarmos a transar. O que eu preciso é de uma relação que pareça respeitável e de longo prazo. Nós começamos a transar e você vai ser toda 'Oh, Mal, eu nunca imaginei que tamanho êxtase fosse possível. Eu não posso viver sem você! Me possua, Mal! Por favooooor.' " - Mal

O enredo, a base desse livro, não é original. Pelo contrário. Mas eu não sei como Kaylie conseguiu criar uma estória super interessante e cativante, daquelas que não te deixa entediado por nenhum segundo sequer. Se o enredo foi clichê, os personagens, as cenas e os diálogos foram os grandes destaques aqui. Muito engraçado. Pra começar, toda vez que o Mal abria a boca, você sabia que iria rir.

Mensagens de texto:
"Mal: Ben tá vindo jogar Halo
Anne: Ótimo! Mas você não precisa me contar tudo o q vc faz,Mal
Mal: Davie diz que comunicação é importante.
Mal: Quando é o seu período? Davie disse pra eu descobrir se você vai querer cupcake ou sorvete.
Anne: Eu nunca quero falar sobre isso.
Mal: Entediado. Ben tá atrasado.
Mal: Vamos comprar um cachorro.
Anne: Apartamento tem regras contra animais.
Mal: Bonito sutiã verde de seda.
Anne: Saia das minha gavetas, Mal!
Mal: Tem calcinhas pra combinar?
Anne: SAIA AGORA.
Mal: :)
Mal: sext me
Mal: Vai ser divertido
Mal: Pfvr?
Mal: Alto nível de coodependencia doenteia por ambas as partes. Relação possivelmente quase tóxica.
Anne: WTF?
Mal: Fiz um quiz de revista. Precisamos de ajuda - especialmente vc.
Anne:...
Mal: Marcando terapia pra casal. Terça 4:15 tá bom?
Anne: Nós n vamos pra terapia.
Mal: Ql o problema? Vc n me ama mais?
Anne: Tô desligando o telefone agora."

Mal continua encantador, né? Energético, barulhento, confiante até demais e muito engraçado, eu sou louca por ele desde Lick. E mesmo com esse jeitinho de garoto, malandro e muito divertido, ele é totalmente másculo quando necessário, o que é uma mistura incrível demais.

“Nós quebramos minha cama."
“Na batalha, sacrifícios tem que ser feitos, pumpkin.”

Teimoso, super fofo e GOSTOSO, esse é o Mal Ericson. E esse apelido, pumpkin? (abóbora porque a Anne é ruiva

site: http://pratelivros.blogspot.com.br/2015/11/resenha-play-kaylie-scottl.html
comentários(0)comente



Rosi.Ribeiro 13/07/2015

Engraçado, apaixonada por Mal!!!
Mal Ericson, baterista da banda de rock mundialmente famosa Stage Dive, precisa limpar sua imagem rápido — pelo menos por um tempo. Ter uma boa garota em seu braço deve fazer o trabalho muito bem. Mas ele não contava com o quão divertido isso poderia ficar com exatamente a garota certa.

Anne Rollins tem problemas de dinheiro. Grandes. Mas sendo paga para jogar de namorada de mentira para um baterista demente nunca seria uma boa ideia. Não importa o quão quente ele fosse. Ela estava de olho no seu melhor amigo, Reece, durante anos. E agora que ela está supostamente tomada, ele finalmente presta atenção. Se apenas a química entre ela e sua estrela do rock parasse de bater novos patamares...

Livro, leve, engraçado, hot, perfeito!!!!! Essa série com certeza está me surpreendendo!!!!!
comentários(0)comente



Laine 01/06/2016

Divertido
Play é o segundo livro da série Stage Dive também nome da banda composta por David, Mal, Jimmy e Ben, cada um terá sua história contada e neste temos a de
Mal o baterista, que leva sua vida com muita ousadia e alegria, além de lindo, irreverente é fofo e o que mais sabe botar uma lenha na fogueira nesse grupo, por conta de algumas bad em sua vida ele precisa ficar mais sério e certinho, pra ajudar ele nessa saga temos Anne/abóbora o jeito como ele a chama, uma garota responsável e com uma quedinha por Reece seu chefe, ela levou uma rasteira da vida e está precisando de ajuda no campo financeiro e aceita ser namorada de mentirinha de Mal, a partir daí é confusão, paixão e muitas risadas garantidas pelo casal mais engraçado da turma Stage Dive. A Kylie consegue mais uma vez construir uma história linda e leve respeitando a personalidade dos personagens o que é muito importante para manter uma unidade, a interação entre Mal e David continua firme, amizade mais linda. Sentir falta de um amadurecimento da parte de Mal em algumas coisas por isso 4 estrelas, mas amei o livro e indico de coração.
comentários(0)comente



Amigas dos Livros 05/02/2016

Tunti Tunti Tuntiii Táááááá
Ahhhhhhhhhhh que delícia esse livro!! Que delícia rir das palhaçadas do Mal! O cara tem um excelente humor, sempre uma piada na ponta da língua. E o ego mais inflado que já vi... mas isso nem tira o charme dele, porque tudo que ele diz vem com uma pitada de humor.
Esse também não é um livro que vai mudar sua vida, de deixar horas refletindo sobre sua existência e blá blá blá, mas é um romance gostoso, com uma pitada hot e correndo o risco de ser repetitiva, super engraçado.
Anne é uma mocinha forte, e isso me cativou. Muito! A bicha só se lascou na vida, mas não perdeu a esperança e tem uma frase que leva consigo “Vou dar um jeito”, e logo no inicio do livro, vemos a coitada se lascar sendo traída pela suposta melhor amiga.
Pra fugir da deprê, é convidada pela amiga e vizinha Lauren a ir numa festa na casa do guitarrista da banda Stage Dive, banda essa que ela era fã na sua adolescência. E lá na festa, conhece Mal, baterista da banda.
Ele precisa dela, ela precisa dele. Porque não unir o útil ao agradável, certo? Errado! Ou não...
Será que isso vai dar certo?
Eu super indico a leitura, vale sim a pena se distrair e cair nos encantos de Malcolm.
5/5
Tuty
Instagram: @amigas.dos.livros
comentários(0)comente



Alessandra 21/12/2016

Não foi dessa vez
Eu queria dizer que livro erótico não é pra mim, mas não é isso, é que esse gênero é composto por 90% de livro mal escrito ou mal desenvolvido.
Eu me entreti com a história, dei risada, achei a cena da banheira muito boa e a escrita da autora é leve e rápida.
Porém, isso não é o suficiente, desenvolver uma história precisa de muito mais do que desenvolver sexo e drama.

Nesse livro, temos o Mal Ericsson que é baterista de uma banda famosa e precisa de uma namorada falsa, Mal (obviamente) é super gostoso, porém ele fazia tanta piada besta durante o livro que uma hora deixou de ser legal e passou a ser idiota, ele age o livro inteiro como uma criança é isso não funcionou comigo.

Anne Rollins é a garota tonta que precisa de dinheiro e acaba aceitando a proposta de Mal de ser sua falsa namorada em troca de aluguéis pagos. Acho que to cansada desse esteriótipos de menina pobre e cara rico.

O "triângulo amoroso" é patético, acontece em duas cenas depois some.

A tensão sexual criada pela autora é arrastada por tantas páginas que chega uma hora que brocha e cansa.

E, por fim, o que arruinou o livro pra mim, foi o história da mãe da personagem principal.
A autora quis falar sobre uma coisa séria como a depressão e ela não soube explicar, não soube desenvolver, não falou coisa com coisa e ainda tratou a doença como frescura.
Pior ainda, a culpa de muita coisa na vida da Anne era do pai e ela atribui exclusivamente a mãe.
Sinceramente só recomendou esse livro se você quiser ler cenas restrita porque com relação a todo resto a história não vale a pena.
comentários(0)comente



Ana Paula FZ1 16/10/2015

Se o livro do David ( Lick ) eu comecei com Ownnnnnn, esse merece ser começado com muitas, mas muitas, mas muitas risadas..rrss
Mal é o cara.... Com um bom humor muito mas muito fofo, não um fofo no sentido da ¨boiloce¨, não .... ele é macho pracarai....kkkkkk. O cara se acha a bolacha mais gostosa do pacote, mas tudo bem, ele pode ser essa bolacha. Sua auto confiança é contagiante.

Só que nem tudo são flores na sua vida. E é justamento por esses espinhos que a vida põe no seu caminho a bela Anne. Toda lascada, decepcionada, sozinha, Malcolm Ericson é a ¨solição pros seus problemas ¨, ou pelo menos é isso o que ele acha.

Mal se muda para o apartamento de Anne conhecendo-a somente há 48 horas, e faz um acordo com ela, ele a ajuda com sua vida financeira que anda uma merda, e ela o ajuda sendo sua namorada de mentirinha. Mas por quê ???? Ai é que tá, ela não sabe, mas topa.

E é aí que a vida deles começa a ficar hilária. Enquanto estão em casa, a interação deles é fantastica, conversam, brincam, brigam, ai eles saem e o faz de conta é quente, de tremer as pernas. Só que lógicoooooo que isso não ia ser um bom arranjo né, dado o fato de que Mal é o sonho de consumo de Anne desde que ela tinha 15 anos, daqueles sonhos que a gente prega poster na parede e fica imaginando como seria estar ao lado do nosso ídolo lindo e gostoso por toda a adolescência, e agora esse mesmo ídolo dorme no sofá da sua sala.... isso não pode ser boa coisa u dar certo de toda forma.

Claro que o inevitável acontece, o fogo entre eles é quente, e eles se rendem finalmente à esse fogo, só que Mal tem uma historia triste e de jeito nenhum ele quer compartilhar isso com a Anne, só que ela descobre, e isso a corta por ver como seu amigo e agora novo caso quente o afeta.

Claro que não vou contar o que é ( pra quem não leu vale a surpresa rs ), mas Kylie soube fazer um drama sem virar novela mexicana.

So que uma coisa tem me deixado tererê da vida com essas escritoras. Elas escrevem um enredo lindo, com muitos detalhes, ai quando a conta ta pra fechar, elas aceleram a história e logo vem o FIM ou o Epílogo, aí fiquei brava viu..rrrss

Achei que faltou falar mais desse momento que Mal e Anne tiveram que enfrentar antes do Epilogo, precisava ter sido um pouquinho mais explorado, sem dramalhão, mas achei que faltou algo. O que não quer dizer que o livro é maravilhoso.

O melhor de tudo, é que os outros personagens são mencionados o tempo todo, então David e Ev não ficaram esquecidos, só deixaram de ser o foco principal. Bom demais !!!

Ja me disseram que o livro dele é o melhor, ja comecei o do Jimmy ( Leed ) e li que ele é o mais intenso, Mal é o mais divertido, Ben é o mais ogro e David o mais romantico.. vamos la confirmar a teoria e ter novas emoções com essa banda quente e intensa !!!!


site: http://paixaoporleituras.blogspot.com
comentários(0)comente



Núbia Acioly 22/10/2015

Melhor do que eu esperava
Sem duvida alguma eu não iria ler Play,até porque,depois do fiasco que achei Lick,ler Play só seria perder o meu tempo,o único problema comigo,é que sou tipo aquela vizinha fofoqueiro,só que do mundo literário,eu não posso simplesmente ignorar o que se segue na estoria,por mais que ela seja ruim ou não,o que para mim torna os espoilers de certa forma interessante..Opss!

Nesse livro conhecemos Anne Rollins,uma jovem que foi obrigada a encarar as responsabilidades da vida desde bem cedo,e também revemos o baterista hilários do Stage Dive,Mal Ericson.
O livro segue aquele mesmo plano clichê do primeiro,a jovem garota pobre que se apaixona pelo astro do rock mega famoso e blá blá blá,e como eu já esperava por esse tipo de clichês,talvez ele não tenha me incomodou tanto quanto da primeira vez.

Anne é bem resolvida com si mesma,quando ela diz não é não,quando ela diz sim é sim e dificilmente alguém vai convence-la a fazer algo que não quer,o único ponto vulnerável é que Anne é tão generosa com seus amigos que muita das vezes eles acabam se aproveitando.

Anne já era apaixonada por Stage Dive desde a adolescência,tinha posters pelo quarto e sua maior paixão sempre foi o baterista,ela já conhecia os discos,adorava as musicas,como não se apaixonar pelo seu ídolo de sempre? Mas Anne e Mal são um pouco diferentes,eles sabem que podem acabar machucando um ao outro e por isso não tratam o amor de forma tão banal.

Mal é fofo mas não do jeito clichê como Dave,ele é fofo de uma forma engraçada,daquele tipo que sempre vai se preocupar em lhe fazer rir. Ele odeia quando se aproveitam de Anne,não por ser um protetor excessivo,e sim por não acha esse tipo de atitude correta.

O livro ainda tem aqueles pontos onde o dialogo parece ter sido escrito por uma criança,e todos aqueles palavrões que se tornam excessivos e tira todo o sentido das frases,ao menos neste livro ficou mais clara que parte disso também vem dá má tradução(pdf...punft --").

Mais uma vez,o livro não vai mudar a sua vida(ao menos não a minha) e nem entrar para a lista dos prediletos,mas talvez tenha ganhado a chance de entrar para a minha prateleira fisica. Ele continua tendo aquele jeito de livro sem compromisso,que você lê em um final de semana por curiosidade ou por já ter esgotado(ou não) sua lista de leitura.
Rúbia 22/10/2015minha estante
Olha, que legal.. Você também avalia os livros que tem vontade de ter fisicamente por ter gostado ou não rs Legal.


Núbia Acioly 23/10/2015minha estante
Claro,minha estante fisica é muito importante uhsuhsuhsuhushusush


Bia 04/04/2016minha estante
Adorei a resenha! Tenho uma opinião bastante parecida!




Gaby 06/01/2016

Gente, que merda de traduçao foi essa? Em que mundo pumpkin pode ser traduzido como moranguinho?
comentários(0)comente



Albertini 20/01/2015

Mal e Anne
Mal Ericson, o baterista da banda de rock mundialmente famoso Stage Dive, precisa limpar sua imagem rápido - pelo menos por um tempo. Ter uma boa garota em seu braço deve fazer o trabalho muito bem. Mas ele não contava com exatamente o quão divertido ele poderia ter de estar com a única garota certa.

Anne Rollins tem problemas de dinheiro. Grandes. Mas sendo pago para jogar a namorada de mentira para um baterista demente nunca ia ser uma boa idéia. Não importa o quão quente ele é. Ela teve os olhos postos em sua melhor amiga do sexo masculino, Reece, durante anos. E agora que ela está supostamente levado, ele finalmente está prestando atenção. Se só a química entre ela e seu astro do rock iria parar de bater um novo patamar
comentários(0)comente



Kelli 19/09/2016

Nunca ri tanto na minha vida!!!
Não achei que fosse gostar tanto do livro do Mal. E o que eu mais gostei foi que a Kylie Scott não mudou sua personalidade. Ele não mudou durante o livro foi ele mesmo do início ao fim e foi demais.
Nunca ri tanto com um livro. O Mal é demais!!! E adorei a Anne tbm. As mocinhas da Kylie são ótimas, são decididas, não dão mole.
A história é leve, o romance é fofo e quente ao mesmo tempo. É um livro pra se divertir. E eu tô adorando essa série! Amando esses roqueiros!!!

Super recomendo
Impossível não rir com o Mal.
comentários(0)comente



Sthef 01/10/2014

Vamos para Vegas sim, Mal.
Principal de torcer a calcinha: Check.
Personagens gostosos de conhecer: Check.
Leitura que flui fácil: Check.
Bem, acho que todos que leram Lick estavam insanos a espera do segundo livro da série porque sentiram a história no primeiro livro e queriam repetir a experiência no segundo. E acho que foi exatamente isso o que frustrou um pouco a minha pessoa. É impossível não fazer algumas comparações entre o primeiro livro e este, que é o segundo, então qual o ponto primordial nessa resenha crítica? A narrativa rápida. Logo na sinopse, nos deparamos com o fato que Mal, como o principal de arrancar suspiros é chamado, está meio "enrolado" com alguns fatos e precisa de uma namorada de mentira e é aí que a Anne, a mocinha que não é tão mocinha assim por ter uma atitude bem firme, entra na história. Eles se conhecem na festa de Ev e David (YEAH, eles aparecem no segundo livro) e de cara já têm uma química palpável, até porque a Anne era fã da banda e adivinha quem era o preferido da moçoila? O Mal. O cara é totalmente insano, isso eu posso vos dizer. Em algumas horas ele já está se mudando pro apartamento e é aí que a história começa a ter uma narrativa muito rápida, eles começam a ter um relacionamento de mentira, que eu particularmente achei meio desnecessário já que estava na cara que o sentimento dela para com ele era recíproco, mas é respeitável a partir do momento que descobrimos as razões dela para tentar levar o relacionamento de forma lenta. O Mal é aquele tipo de cara que te seduz de mil e uma formas, e caramba, sendo o prostituto que for, ele é um amor e tudo o que você precisa (mas em alguns momentos fazia cada merda que você pensava "wtf?"). É definitivamente a junção de tudo que pode te levar ao céu em questão de minutos. A principal é cheia de atitude, porém, sempre quando eles estão em uma DR, ela sempre meio que coloca o rabinho entre as pernas e fica só na egípcia, e foi com isso que eu fiquei meio bolada. Ela era ao mesmo tempo cheia de atitude e ao mesmo tempo sem, me expliquem como isso é possível... E acho que a narrativa deixou um pouco a desejar na parte do desenvolvimento dos sentimentos de cada um, eu senti falta de toda a confusão dela em relação aos próprios sentimentos e não apenas "Ele é o Mal. Ele é o meu preferido de toda a banda. Eu o amo, mas eu não posso ama-lo por causa da visão autodestrutiva de amor." E no final, quando descobrimos a razão do Mal para entrar nessa, a razão não recebe de certa forma um destaque, ela é totalmente esquecida no ápice da situação e gente, é broken, viu.
Mas enfim, recomendaria sim a história, como disse anteriormente, a leitura flui fácil e não tem como não se apaixonar pelos personagens, e a questão da narrativa rápida se torna em alguns casos até imperceptível por causa do quão estamos ligados a este casal.
comentários(0)comente



Sabrina Meire 09/03/2018

O que havia com Bad Boys? Alguém precisava inventar uma cura
Muito amor por esse livro e esses protagonistas...
Amei muito e falo sem medo de errar que Malcolm é o melhor da banda Stage Dive.
Que baterista!
Divertido, debochado, convencido e com um coração enorme. Irradia luz por onde passa.

Anne tem uma leveza e um jeito tão descontraído de cuidar de ti e dos seus.

É um romance clichê, com uma leitura muito fluída, apaixonante, envolvente, leve e engraçado; até evitei ler em público de tanto que sorria ou ria mesmo.

Amei a forma como eles lidam com cada acontecimento, com a facilidade em adaptar-se as mudanças, como se curtem, se cuidam e se amam.
___________________________________________

(...)Mas, por um momento perfeito, era só eu e ele.
Estávamos em nossa pequena bolha e nada bem ninguém existia mais."
comentários(0)comente



78 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6