The Hunger Games

The Hunger Games Suzanne Collins




Resenhas - The Hunger Games


114 encontrados | exibindo 61 a 76
1 | 2 | 3 | 5 | 6 | 7 | 8


Nathi 09/12/2015

E os jogos começam.
Resenhar Jogos Vorazes é uma coisa complicada de se fazer, pois todo mundo que vive nesse planeta já ouviu falar e sabe mais ou menos do que se trata a história. Mas enfim, farei uma breve sinopse, e sobre o livro em si, que li em inglês.

Bom, a história se passa num futuro, onde depois de vários transtornos climáticos, os Estados Unidos foram parcialmente destruídos, e para retomar a paz, é criado um novo país, Panem, composto por treze distritos, governados por uma Capital. Porém, uma tensão devido a dominação, fome e pobreza, acaba levando o país a uma guerra. A Capital acaba vencendo essa guerra e destruindo o distrito 13 por terem se rebelado.

Panem depois da guerra, ficou pior, pois além da pobreza, da acentuada concentração de renda na Capital, da fome e da falta de liberdade, ainda precisam lidar com um jogo cruel, o ‘Hunger Games’, posto como forma de lembrar a superioridade da capital e instigar o medo. O jogo tem como participantes um garoto e uma garota entre 12 e 18 anos de cada distrito (sendo 24 jogadores), que são colocados em uma simulação controlada pela capital e obrigados a lutar até restar apenas um sobrevivente. O vencedor ganha melhores condições para seu distrito e uma certa fama, já que os jogos são transmitidos ao vivo pela televisão para toda a população de Panem.

Assim surge Katniss Everdeen, uma garota que apesar de seus poucos dezesseis anos, precisa sustentar a mãe e a irmã. Elas moram no Distrito 12, conhecido pela mineração (trabalho que o pai de Katniss exercia quando morreu), e quando chega o festival, chamado de Colheita, que sorteia os nomes dos próximos participantes do Hunger Games, a tensão e a angústia aumentam. Para Katniss, este ano é o pior de todos, já que sua irmãzinha, quatro anos mais jovem, Primrose, concorrerá pela primeira vez aos jogos.

Quando no festival o nome de Primrose é dito, convocando-a ao Hunger Games, Katniss não vê outra opção, senão a de ir no lugar de sua irmã de apenas doze anos. Ainda estarrecida, Katniss fica sabendo ainda, que o garoto que irá acompanhá-la é Peeta, que tem a sua idade e já a ajudou a não morrer de fome, coisa que ela nunca agradeceu. Cada um precisa então manter uma estratégia para se manter vivo e quanto mais os telespectadores gostarem de você, melhor.

E os jogos começam.

A leitura começa lenta, com os detalhes sobre Panem, a Capital, o distrito 12 e vida de Katniss, mas quando o jogos começam, fica bem frenética e você lê muito rapidamente. As críticas sociais como a concentração de renda, a transformação do sofrimento de uns como meio de entretenimento para outros (muitos jornais sensacionalistas o fazem), a questão de até onde o ser humano pode chegar para garantir sua sobrevivência, são um ponto forte do livro.

Os personagens são muitos bons, a Katniss tem força e determinação muito bacana, o fato de ela saber se proteger e não precisar de garotos lhe dando apoio é muito legal também; o Peeta é muito fofinho e acredito que conquiste a maior parte dos leitores sem problemas; a população da capital também é bem bizarra, mas fácil de ser visualizada; enfim, tudo muito bem construído.

Duas coisas que me incomodaram no livro foram, primeiramente, os dramas que a Katniss faz para tudo: com a mãe/irmã, com o Peeta, quando ela faz o primeiro teste para os Gamemakers etc.... E a outra coisa, foi o final, que achei meio escroto a explicação para a mudança da regra dos vencedores, uma hora é outra não é, WTF?

Eu já tinha assistido ao filme, por isso sabia o enredo, o que facilitou na hora de ler em inglês. Eu particularmente apanhei um pouco no começo, mas depois acostuma. Só não fique parando excessivamente para consultar o dicionário, pois fará você desistir. Outra coisa que me impulsionou ler Hunger Games, é que o livro possui o audiobook disponível na íntegra no YouTube, o que ajuda demais. É claro que é difícil entender 100%, mas você vai pelo contexto e dá sim para ler Hunger Games numa boa.


site: http://feitico-literario.blogspot.com/
comentários(0)comente



Jéssica 24/07/2015

Super recomendo!
No livro nós conhecemos a história de Panem, que um dia foi os Estados Unidos e depois de guerras e desastres naturais, se tornou em uma nação composta por uma capital rodeada por 12 distritos. Depois de uma revolta por parte dos distritos, onde 12 foram derrotados e distrito 13 foi extinto, a capital inventou os Jogos Vorazes onde são recolhidos um menino e uma menina, entre 12 e 18 anos, de cada distrito para serem colocados em uma arena onde precisam matar uns aos outros, deixando apenas um vitorioso no final. O vencedor, além de sobreviver, consegue diversas vantagens para seu distrito como comida extra, já que na maioria dos distritos pessoas morrem de fome constantemente. Tudo isso acontece anualmente como forma da capital mostrar seu poder diante os distritos e ao mesmo tempo, reprimir qualquer tipo de rebeldia, mesmo com todas as necessidades que os distritos podem enfrentar. E é claro, como forma de entretenimento para o estranho e rico povo que vive na capital.

Acontece que no ano em que se passa a história do livro, uma pequena e amável garota de apenas 12 anos é sorteada para entrar na arena e sua irmã Katniss Everdeen, jamais deixaria isso acontecer e se voluntaria para participar dos jogos no lugar da irmã. Com isso, percebemos quão forte Katniss é, logo de inicio, mesmo que a própria ainda não perceba o quanto ela ainda pode lutar.

Mas mesmo acreditando que aquilo pode ser seu fim, já que não é tão forte como os adolescentes de outros distritos e que o seu próprio distrito (12) só ganhou os jogos uma vez em toda história e o seu vencedor, Haymitch, é apenas um bêbado que não pode ajuda-la.

No decorrer do livro, entretanto percebemos que apesar de a sorte realmente não estar a favor dos dois tributos do distrito 12, Katniss e Peeta, não vão desistir tão facilmente de suas vidas e começam até a criar uma relação entre si, cheia de conflitos, dificuldades e companheirismo ao mesmo tempo.

A história é muito boa, é uma verdadeira critica a sociedade, onde podemos ver muitos detalhes que remetem aos dias de hoje. Mostrando com certos extremos, o abuso de poder e a opressão que podemos viver. Me surpreendi com o tanto que gostei do livro. Sempre que saia do trabalho, já não via a hora de entrar no metrô pra começar a ler de novo.

É até engraçado ver a Katniss, mesmo durona e revoltada com tudo que está sendo obrigada a passar, se preocupando constantemente com as câmeras que estão acompanhando ela durante os jogos e a forma como se apega as pessoas, mesmo em momentos difíceis. E preciso dizer que o final que Suzanne escreveu não tem como não te deixar curioso para o que está por vir no próximo livro.
Recomendo demais a leitura, sério. Além da critica, tem um ótimo romance e uma narrativa eletrizante.

site: http://amentetransborda.blogspot.com/2015/02/resenha-jogos-vorazes-suzanne-collins.html
comentários(0)comente



Serafim 13/03/2015

Proposta interessante
É um livro muito bom, no geral. Com uma proposta bacana que faz uma síntese com os realities show. Eh impossivel nao torcer pra Katniss e Peeta durante oa Games.
Na minha opiniao faltou apenas um final mais completo, um final com cara de final e nao como uma ponte para o próximo livro.
No geral, nota 8,5
comentários(0)comente



Lucas 10/02/2015

Suzanne-fucking-collins
E não entendo o porquê que transformaram essa trilogia numa coisa infantil. Gente, não tem nada de infantil nisso aqui.
comentários(0)comente



Helena 20/10/2014

Direto ao ponto
A primeira palavra que me veio para descrever o livro foi "cru", cru no sentido da estória ser direta, sem rodeios. Por mais obscura que a trilogia vai se tornando até o último livro, Katniss é uma narradora sincera que não deixa os fatos nas entrelinhas.

O último livro deixou um pouco a desejar, tive a impressão que a autora não quis prolongar muito a quantidade de páginas e escreveu o final nas coxas. Apesar disso, a trilogia é absolutamente sensacional e viciante, sem dúvida um dos melhores lançamentos literários dos últimos dez anos.
comentários(0)comente



Fabi 15/03/2014

Um bom livro
Não se trata da supremacia da literatura, mas o livro é bom. A história foi bem conduzida, bem contada, detalhes na medida certa e você tem a sensação de estar participando dos jogos. Os personagens secundários têm papel relevante no desenrolar dos fatos e um quê de mistério ao mesmo tempo. O final é previsível, mas acredito que seja intencional, pois, nos dá vontade de saber o que aconteceu depois, tanto com os personagens principais quanto os secundários. Foi uma boa leitura e o preço foi justo.
comentários(0)comente



Vanice 18/01/2014

Daí surgiu o BBB
Se primeiro lêssemos, 1984, de George Orwell, saberíamos porque ler Jogos vorazes (Suzanne Collins) de uma forma reflexiva e seriamos mais críticos a ponto de não assistir BIG BROTHER BRASIL -BBB
comentários(0)comente



Rita 02/10/2013

Este é o livro:

O livro capaz de nos fazer sentir raiva, amor, ódio, paixão. Capaz de nos fazer rir e chorar, inclusive ao mesmo tempo. Capaz de nos fazer sentir revoltados contra quem nos controla, contra um sistema, contra a vida. Capaz de despoletar em nós o nosso instinto de sobrevivência. Capaz de nos fazer agradecidos pela nossa vida e acima de tudo capaz de nos fazer agarrarmo-nos à leitura e viver cada página como se fossemos uma personagem.

Todo o livro roda em torno dos Hunger Games que se resume pura e simplesmente a colocar jovens desde os 12 até aos 18 anos numa arena e eles lutarem pela sobrevivência, mas quando digo que se "resume pura e simplesmente" não é em tom depreciativo, os tributos (24 jogadores, um rapaz e uma rapariga de cada distrito) não só vão ter que ser bastante fortes, inteligentes e ardilosos como vão ter que passar os limites pela sobrevivência.

A autora é tão boa que apesar de odiarmos inicialmente os residentes da Capital e todos os que torcem pelo jogo e por estas mortes tão barbaras e sem sentido, damos por nós a fazer aquilo porque os odiamos, ao longo do livro nós queremos saber o que se passa, nós queremos que a personagem mate todos os outros para que sobreviva.
O pior de tudo? No meio destes jogos está uma criança de 12 anos, tão meiga, inteligente, sobrevivente e que é impossível não se adorar. Quem teria coragem de matar um ser tão inocente assim? Se pela minha resenha ficou a pensar que o livro é extremamente violento, engana-se, a Suzanne Collins conseguiu colocar todos os ingredientes numa quantidade certa, mas não espere um final em que os 24 tributos se juntam em torno de uma mesa para festejar as férias que tiveram na arena, os dias que lá vão passar são difíceis. Eu não tenho dúvida nenhuma, se eu fosse um dos tributos a minha melhor defesa seria observar e atacar, por isso eu admiro a “Foxface”, ela é ponderada e bastante matreira, passa despercebida para a maioria dos jogadores porque ela assim o quer, foi das melhores estratégias que vi no jogo, só lhe faltava um pouco de força e coragem.

Eu acho que não preciso de dizer mais nada, se está em dúvida se o livro vale a pena ser lido, não pense mais, compre e leia. Verá que é impossível largá-lo, mesmo depois de o ter terminado. Vou para o 2º, espero que seja tão bom como este.
comentários(0)comente



Tati Munhoz 10/09/2013

Ótimo leitura, crítica e reflexão!
'Ladies and Gentlemens, let the Seventy-fourth Hunger Games Begin!' Pág. 147

Panem era composta pela Capital e seus treze distritos. Até que aconteceu uma rebelião no país e a Capital eliminou tudo e todos do Distrito Treze para provar seu poder. Assim foram criados também os Jogos Vorazes, para que a lembrança desse poder nunca fosse esquecida.

'It's mostly a lot of blather about what we owe the Capitol. I know there must be more than they're telling us, an actual account of what happened during the rebellion. But I don't spend much time thinking about it. Whatever the truth is, I don't see how it will help me get food on the table.' Pág. 42

Todo ano, em Panem, ocorrem os Jogos Vorazes, onde um menino e uma menina de cada Distrito, entre 12 e 18 anos, são sorteados (em alguns - poucos - se voluntariam) para servirem como tributos para os Jogos e lutarem um contra o outro até que seja declarado um único vencedor: a última pessoa viva na arena.

'Taking the kids from our districts, forcing them to kill one another while we watch - this is the Capitol's way of reminding us how totally we are at their mercy.'Pág. 18

O livro é narrado por Katniss, que aos dezesseis anos é quem sustenta a casa, caçando ilegalmente na floresta para tentar trazer um pouco de comida para sua mãe e sua irmã mais nova. Depois que seu pai morreu em uma explosão na mina em que trabalhava, sua mãe se fechou em seu próprio mundo de depressão e a filha mais velha se sentiu na obrigação de sustentar a casa para que as três não morressem de fome.

'Starvation is never the cause of death officially. It's always flu, or exposure, or pneumonia. But that fools no one.' Pág. 28

Confira a resenha completa no blog! :)

site: http://tatimunhoz.blogspot.com.br/2013/08/book-challenge-august-hunger-games-1.html
comentários(0)comente



Jux 06/08/2013

Dystopia for babies.
comentários(0)comente



Paixão 08/07/2013

All i have to say is that i'm in love with katniss, and i can't get myself away of the curiosity for what is coming up in the next trilogy books.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



114 encontrados | exibindo 61 a 76
1 | 2 | 3 | 5 | 6 | 7 | 8