O Coração das Trevas

O Coração das Trevas
3.85888 783




Resenhas - O Coração das Trevas


45 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3


Raíssa 06/09/2016

Profundamente significativo...
Apesar das fortes críticas obtidas e da leitura um tanto morosa, se nos atermos um pouco a época, aos pensamentos, de repente as reflexões certas ou o erradas feitas por Marlow nos atravessam de todas as formas.
"Haviam sido chamados de inimigos, criminosos, trabalhadores... e esses eram rebeldes. Aquelas cabeças revoltosas pareceram-me muito submissas em suas estacas."
Entre os devaneios de Marlow e suas opiniões de variadas faces conseguimos perceber alguém racional e emotivo, analisando todas as perspectivas no meio de mera 'força bruta' das atitudes coloniais.
comentários(0)comente



Rafa Ghacham 21/08/2016

Me Arrastei
Livro curto, porém me arrastei para conseguir ler. A história e a profundidade prometida por resenhas e premissas não foram atingidas por mim enquanto leitora. Fiquei alheia sem conseguir adentrar esse coração de trevas proposto pelo autor. Pretendo ver o filme "Apocalypse Now" que se baseou nessa história para tentar mergulhar um pouco mais nessa profundidade e contexto de exploração prometidos.
comentários(0)comente



Jéssica Santos 22/06/2016

Lançado em 1902, e considerada uma importante obra da literatura inglesa. O livro conta a história de Charles Marlow e suas viagens marítimas, as dificuldades do Congo e do resgate do Sr. Kurtz. Além de uma grande reflexão moral de tudo o que acontece entre a beleza da mata e a ambição do homem.
O livro inspirou o filme Apocalypse Now, mas sinceramente não gostei, foi uma das leituras mais arrastadas da minha vida, levei um mês para ler 127 páginas kkkkkkkkk. Muito entediante, o livro é basicamente um monólogo, sem emoção e chato. Kkkkkkk Não pretendo relê-lo no futuro meeeesmo, mas tentarei assistir a adaptação cinematográfica
comentários(0)comente



Gláucia 09/04/2016

O Coração das Trevas - Joseph Conrad
Novela publicada originalmente em 1899 sob a forma de folhetim, é narrada em primeira pessoas por Charlie Marlow, marinheiro que se torna capitão de uma pequena embarcação com o objetivo de adentrar, por via fluvial, uma densa e selvagem floresta no Congo, na época explorado pela Bélgica. Ele precisa encontrar (e trazer de volta)o enigmático Kurtz, principal responsável pela exploração do marfim na região e que por algum motivo não quer retornar.
À medida que Marlow avança vai sendo criada uma atmosfera sombria composta pelos perigos de um lugar desconhecido por eles, repleto de selvagens canibais, na verdade, os verdadeiros donos do local.
Assim como aconteceu com minha leitura de Lord Jim, tive certa dificuldade em entrar na história, por não estar entendendo sobre o que falava o livro. A narrativa de Conrad não é tão fácil. Li algumas resenhas que me ajudaram e foi triste constatar que sem a ajuda dos universitários não teria compreendido de que se tratava o tal "Horror, horror!", as emblemáticas palavras proferidas num tom sinistro por Marlow.
comentários(0)comente



bells 11/12/2015

O horror...
Conrad conduz uma narrativa dupla. O primeiro narrador está a bordo de um "iate de cruzeiro' sob o rio Tâmisa, quando principia a acompanhar a história contada por um marinheiro, Marlow.
'A história aborda o choque entre o mundo civilizado e o mundo selvagem, sendo destruído e escravizado pelos interesses comerciais, que se colocam acima de tudo - acima de toda ética.'
comentários(0)comente



Luiza 07/10/2015

O Coração das Trevas
A história é um relato do marinheiro Maslow narrado por um de seus companheiros de bordo. Ele descreve quase em detalhes sua viagem ao continente africano, quando a exploração de homens, de marfim e de outras riquezas ocorriam a pleno vapor.

Ao longo de todo o relato, um personagem consegue ganhar destaque sem nem ao menos aparecer a não ser em boatos: o sr. Kurtz é sempre descrito como um homem de grande talento na administração de um dos postos, sagaz na obtenção do precioso marfim e muito eloquente em seus textos e em suas falas. Carismático, Kurtz se torna, para Maslow, o tipo de pessoa por quem vale a pena atravessar uma selva de trevas e horrores para conhecer e e escutar. Mesmo que somente por um breve momento.

Uma coisa que reparei (e que me surpreendi por ter reparado) é que em algum momento eu parei de reparar no tamanho longo dos parágrafos. Eu simplesmente comecei a ignorá-los sabe? Isso realmente não importou muito para o ritmo de leitura (pelo menos não para o meu).

site: http://www.oslivrosdebela.com/2014/06/o-coracao-das-trevas-joseph-conrad.html
comentários(0)comente



Taverneiro 21/08/2015

Uma Jornada as Trevas Humanas.
Nesse livro, acompanhamos uma história contada pelo marinheiro Charles Marlow, que teve a missão de ir resgatar o comerciante Kurtz no meio de uma densa floresta no Congo.

Um livro curto, mas de uma incrível profundidade. Conforme avança na selvageria da floresta, Marlow vai presenciando um cenário cada vez mais hostil e angustiante, onde a natureza não é pacífica e reconfortante, e sim pesada e sufocante. Ele presencia todo o horror da ganancia humana, cada vez se aprofundando mais na loucura febril da floresta.

Um livro com uma leitura mais difícil, sendo pouco tempo gasto com narração e mais com a psique dos personagens, mas, por ter poucas páginas, acaba saindo na medida certa. Recomendado para quem quer se aprofundar nas florestas sombrias do Congo e na "beleza" da escuridão dos homens.
comentários(0)comente



Marcel Aoki 10/08/2015

Não gostei.
O Coração das Trevas escrito por Joseph Conrad. Publicado em forma de livro em 1902, Coração das trevas é um dos grandes clássicos da literatura do século XX, conhecido também por ter servido de base para o filme Apocalypse now!, obra-prima de Francis Ford Coppola.
Marlowe, o protagonista, é enviado à selva africana para resgatar o enigmático Kurtz, comprador de marfim cujos métodos civilizatórios põem a nu a selvageria da exploração colonial.


Personagens

Charles Marlow: O protagonista no romance. É um alter ego de Conrad; ambos são marinheiros do Império Britânico durante o final do século XIX e início do século XX, durante o auge do imperialismo britânico.
Sr. Kurtz: O personagem onde a história é centrada. Um comerciante de marfim na África e comandante de um posto de troca, ele monopoliza sua posição como um semideus entre os africanos nativos. Kurtz reúne-se com o protagonista do romance, Charles Marlow, que o devolve à costa via barco a vapor. Kurtz, cuja reputação o precede, impressiona Marlow fortemente e, durante a viagem de regresso é testemunha dos seus momentos finais.


Minha opinião:
Serei direto, não gostei. Esperava muito mais do livro que originou o magnífico apocalypse now do Coppola. Basicamente o livro são os devaneios de Marlow e sua ansiedade em conhecer o enigmático e lendário Sr. Kurtz. Não existe ápice e o encontro dos dois é decepcionante. Não existem diálogos, emoção ou algo que empolgue nesse livro.
comentários(0)comente



Letícia 03/08/2015

Resenha crítica de O Coração das Treva
Minha primeira resenha critíca entregue na UFPR, curso de Letras. Postada como colaboradora no blog Diário dos Treze *-*

site: http://diariodostreze.blogspot.com.br/2015/07/livro-resenha-critica-de-o-coracao-das_30.html?m=1
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Endi 11/11/2014

Essencial.
Se Deus fosse Kurtz, Marlowe seria sua imagem e semelhança! O coração da selva africana, sombrio e insólito, jamais foi tão bem retratado quanto na prosa de Conrad, tampouco a natureza obscura do homem, foi tão bem descrita.
Juh Verde 10/06/2015minha estante
E, talvez, os dois seriam imagem e semelhança de Conrad.




Tizo 11/08/2014

Dor e sofrimento.
A obra de Conrad trata dos limites da perversidade humana e da sua capacidade de produzir aberrações comportamentais submetendo seus semelhantes as mais degradantes situações, incluindo trabalho escravo, mutilações e até a morte. Usa como pano de fundo a predadora colonização européia à África, mais especificamente o Congo, que através de acertos políticos tornou-se oficialmente propriedade do rei belga em 1885. A partir disso temos a velha relação conquistador versus conquistados, destruição da cultura e costumes locais com a desculpa de trazer evolução e civilidade aos selvagens. A obra foi adaptada para o cinema através do filme Apocalipse now, com a mudança de cenário feita para o Vietnã então em guerra com os EUA.
comentários(0)comente



Maitê 12/07/2014

Leitura curta e fácil, mas um pouco entediante.
comentários(0)comente



IvaldoRocha 24/04/2014

Para se ler Lentamente.
Impressionante como acaba nos provocando uma certa estranheza, a narrativa que se arrasta de uma maneira densa, lenta e sufocante. Você se sente como se estivesse na selva, não tem como ter pressa, você não luta você se adapta, você tenta sobreviver sem nenhum sinal de desespero e com até um certo conformismo. Este trecho talvez descreve por si só o que estou tentando passar "... com nada em torno, sem espectadores, sem um clamor, sem glória, sem o grande desejo da vitória, sem o grande temor da derrota,,,,,".
Enfim o que mais me chamou a atenção não foi a história em si, mas a maneira de contá-la, uma sutileza e talento que faz a diferença entre um texto chato e algo que te obriga a continuar a lendo, lentamente...
comentários(0)comente



Doney 23/12/2013

Lista de Livros: O Coração das Trevas - Joseph Conrad
“Coisa engraçada é a vida – misterioso arranjo de lógica implacável para um propósito fútil. O máximo que você pode esperar dela é algum conhecimento de si próprio... que chega tarde demais... uma colheita de inesgotáveis arrependimentos. Eu havia lutado com a morte. É o combate mais desinteressante que se pode imaginar. Acontece numa impalpável zona cinzenta, com nada sob os pés, nada ao redor, sem espectadores, sem clamor, sem glória, sem o grande desejo de vitória, sem o grande medo da derrota, numa atmosfera doentia de tépido ceticismo, sem muita fé em nossos próprios direitos, e menos ainda nos do seu adversário. Se tal é a forma da última e definitiva sabedoria, então a vida é um quebra-cabeça maior do que alguns de nós supõem que seja. Eu estava a milímetros da minha última oportunidade para fazer um pronunciamento, e descobri, com humilhação, que provavelmente não teria nada para dizer.”
*
Mais em:

site: http://listadelivros-doney.blogspot.com.br/2007/10/o-corao-das-trevas-joseph-conrad.html
comentários(0)comente



45 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3