Sereia Negra

Sereia Negra Vinícius Grossos




Resenhas - Sereia Negra


25 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Babs Lilás 31/05/2014

Apaixonante!
Escrito de um jeito leve, direto e que prende o leitor até o fim.
Quem era "esquisito" na época da escola, com certeza vai se identificar com a Inês. Mas quem não era assim, também vai torcer por ela, afinal todo mundo passa por um drama chamado adolescência. Drama este que vem com mudanças e infintas perguntas.
Apesar de ser um livro de fantasia, ele também fala de outros temas como preconceito, laços familiares e as variadas formas de amor.
Apesar de ser uma história com personagens mais jovens, o livro pode ser lido por pessoas de qualquer idade, pois Inês e seus amigos são o que se espera que todos esses seres metade humano/metade peixe sejam: encantadores!
Rildo.FAbio 27/04/2017minha estante
Estou louco pra conseguir ele. Se tiver alguém que venda!




Jéssica 11/02/2015

Resenha - Hora da Leitura
Inês está completando quinze anos, porém ela não sente nenhuma vontade de comemorar. Para ela este tipo de evento deveria ser compartilhado com familiares e amigos, coisa que ela não tem. A única pessoa presente em sua vida é o seu avô, Anil. Um velho rabugento e que não deixava nenhuma data comemorativa passar em branco. Inês se sentia deslocada do mundo, e ela atribuía este fato a morte de sua mãe e o desaparecimento de seu pai no mundo. Não fosse por isso a falta de amigos era devido ao fato dela ser negra, e Inês sofria bastante preconceito em seu colégio.

Pensativa sobre como deveria conduzir a sua vida, Inês se depara com o aquário em seu quarto, presente de seus pais, que ela odiava, e decide então, pelo menos, ter o controle do que poderia ficar ou não em seu quarto. Ela pega o aquário com os dois peixinhos dourados e sai de casa - eles moravam na praia - a fim de jogá-los no mar.

"Preciso me libertar em algo.
E eu irei. Irei me libertar do aquário ridículo que meu pai e minha mãe me compraram quando eu ainda era um feto que fingiam amar. Como poderiam saber que eu gostaria do mar?"

Ela não esperava que sue avô a seguisse para a praia, e em uma conversa onde Inês transborda toda a sua raiva em palavras, onde Inês relembra todo o sofrimento por ser excluída por conta de sua cor de pele, seu status social, e por ser órfã, o pequeno aquário se quebra e os peixinhos param de se mexer. Poderia parecer uma briga normal, se depois disto uma enorme tempestade não começasse a surgir do nada. Trovões cortavam o céu e ondas enormes surgiam. A única coisa que Inês pensa em fazer é salvar o seu avô. Até que uma onda a leva para o fundo do mar.

"A cor da minha alma? Não sei. Deve ser preta e arredia; como sinto que meu interior é.Também, como poderia ser diferente? Nunca tive ninguém para acrescentar cor à minha alma".

{O que achei}

Posso começar dizendo que o autor abordou temas que eu não imaginava. Uma das coisas que eu não imaginava que ele iria abordar seria o preconceito. Acho que não imaginei que pudesse ser abordado, mesmo sendo Inês negra, pois eu não me lembro de ter sofrido preconceito na minha vida. E eu achei bacana ler este livro, pois só porque nós não vivenciamos isso quer dizer que ele não exista! E Inês sofreu muito preconceito, e eu pude senti-lo em apenas algumas palavras. Elas ferem, machucam e isolam a pessoa do mundo.
Algo que gostei sobre o mundo de Atlanta criado pelo autor foi sobre os princípios deles. E o maior de todos era o amor! Todo tipo de amor era válido. O simples ato de amar era grandioso, enchia a alma e podia fazer milagres.
O autor teve muita criatividade na criação da lenda de Atlanta e sobre uns seres em particular - não irei falar para não dar spoiler.
Outro ponto positivo que encontrei no livro foi a mudança de Inês. Ela mesma, por conta de tanto preconceito que sofria, não se aceitava. Não imaginava que pudesse ser alguém, que pudesse ser amada, e ser feliz. Aos poucos ela vai entendendo que cada um é belo à sua maneira, que muito tipo de preconceito está associado com a inveja, e pelo simples prazer de tentar diminuir a pessoa. E eu concordo com isso. A cor da pele, não exalta e nem diminui ninguém.
A única coisa que senti falta foi de um lado místico na história, pois em algumas acontecimentos, o modo de agir e de falar de alguns personagens parecia exatamente igual ao que vemos aqui na superfície. Só foi isso senti falta.
Tirando isso, eu recomendo o livro. Acho que vale a pena ler algo que aborde tantas críticas sociais e ao mesmo tempo nos leve para um mundo novo.

Espero que tenham gostado :D

site: http://horadaleitur.blogspot.com.br/
Rildo.FAbio 27/04/2017minha estante
Estou louco pra conseguir ele. Se tiver alguém que venda!




Paulo Cesar 27/07/2014

Sereia negra é uma surpresa para ao leitor do começo ao fim. O Autor decidiu trazer mitologia e temas polêmicos para discussão nessa fantasia moderna. Quando comprei o livro e comecei a ler, não imaginava que a leitura pudesse trazer e abordar, desde o racismo ao homossexualismo. Inês a personagem principal é forte, e ao mesmo tempo frágil. À leitura prende o leitor até o fim. Cheio de reviravoltas, nós é apresentado um mundo onde o passado e os momentos atuais se ligam e falam a verdade sobre a realidade da tal "Sereia Negra”. Ao decidir tratar sobre o preconceito, o livro nos ensina que a aceitação sobre que nós somos é o que realmente importa. Vale destacar que nem todo mundo nesse livro é o que parece ser, e que esse livro passa longe do que você imaginava sobre as sereias. Uma desconstrução total do que já conhecemos sobre sereias como as tratadas nos filmes da Disney, e as do no nosso próprio folclore. Arisco dizer que por juntar ficção e temas que deviam ser mais discutidos pelos jovens, merecia estar como literatura obrigatória nas escolas.
Rildo.FAbio 27/04/2017minha estante
Estou louco pra conseguir ele. Se tiver alguém que venda!




spoiler visualizar
Midiã Fontes 29/09/2015minha estante
Que resenha mais fofa adoreiiiiii




Gustavo 23/02/2015

Sereia Negra - Vinícius Grossos [BLOG LEITORES COMPULSIVOS]
Primeiramente gostaria de começar esta resenha me desculpando com o autor Vinícius Grossos, eu tive que fazer uma viagem de última hora e a resenha demorou muito para ser escrita e postada, mas aqui estamos nós: vamos embarcar em mais um maravilhoso livro nacional.

Vamos começar falando um pouco sobre a protagonista principal de Sereia Negra: Inês, uma moça que está completando 15 anos de idade, mas ao invés de comemorar esta data tão alegre Inês se sente sozinha e sem nenhuma vontade de comemorar. Inês não tem família sendo que vive somente com seu avô que sempre gostava de comemorar estas datas importantes.

Inês também não tem muitos amigos e o fato de ser Negra é um ponto crucial para que a mesma sempre sofresse preconceito através das outras pessoas, todos estes fatos juntos deixam Inês extremamente furiosa e ao mesmo tempo triste. Inês se depara com seu aquário com peixinhos dourados e decide em um ato de fúria se livrar do mesmo e consequentemente dos peixes! Com este pensamento em mente Inês vai até o mar com o intuito de se livrar do aquário.

Seu avô percebe o que a garota está tentando fazer e a segue até a praia, então a garota começa a discutir com o seu avô e de uma hora para outra uma grande tempestade começa a atormentar os céus e os mares, sem entender o que está acontecendo Inês tenta salvar seu avô das inesperadas ondas, mas Inês não imaginava que aquela tempestade mudaria sua vida para sempre. A partir deste acontecimento coisas surpreendentes começam a acontecer, e assim Inês conhece um novo mundo que traz consigo grandes mistérios e inesperadas paixões.

Já escrevi em outras resenhas aqui no blog a minha dificuldade em escrever sobre livros que me encantaram, alguns livros são apenas histórias interessantes e que nos ajudam a passar o tempo, porém existem aqueles livros mágicos e que nos levam para um mundo extremante novo e inusitado e foi isto que aconteceu durante a leitura de Sereia Negra.

Irei comentar sobre alguns pontos extremamente positivos na história: Primeiramente falarei sobre a protagonista principal, desde as primeiras páginas eu me apaixonei pela Inês e seu jeito carismático, Inês nunca teve uma família ou amigos ou um namorado de verdade na sua vida, eu realmente não esperava me apegar tanto a ela como aconteceu durante a leitura. Além de Inês, diversos outros protagonistas secundários nos conquistam durante a leitura, o autor tem uma grande habilidade em criar personagens apaixonantes e carismáticos.

Outro fato muito interessante no livro foi como o autor apresentou questões como preconceito racial, por exemplo. Nunca tinha lido nenhum livro onde a protagonista principal era negra, geralmente nos deparamos com protagonistas brancos, loiros e de olhos claros. Nunca tinha parado para pensar neste fato e achei muito interessante o uso do mesmo dentro da trama de Sereia Negra.

A criatividade do autor também foi outro ponto que muito me chamou atenção, o autor criou um mundo totalmente novo e extremamente rico em personagens e detalhes o que não é muito fácil de se fazer. Não falarei muito sobre alguns pontos para não estragar a surpresa rs. Mas uma coisa eu posso garantir, assim como Inês se surpreendeu com o aparecimento deste novo mundo, eu te garanto que você também se surpreenderá e ficará de queixo caído haha!!!

Com uma escrita incrível, uma história de tirar o fôlego e personagens apaixonantes Sereia Negra é a mistura perfeita de romance com aquela pitada de sobrenatural. Um livro que me surpreendeu bastante e entrou para a minha lista de favoritos de 2015!!!

Outra coisa que gostaria de citar aqui na resenha é a semelhança do tema de Sereia Negra com o meu livro atual; Desde 2013 venho escrevendo um livro que também tem quase a mesma temática de Sereia Negra o que me fez gostar ainda mais da leitura. Por último gostaria de agradecer ao Vinicius pela oportunidade de participar do Book Tour do livro, adorei conhecer e embarcar nesta incrível história.

site: http://vampleitores.blogspot.com.br/2015/02/resenha-sereia-negra-vinicius-grossos.html
Rildo.FAbio 27/04/2017minha estante
Estou louco pra conseguir ele. Se tiver alguém que venda!




Página 394 09/06/2014

"O disfarce mais comum da inveja é o ódio."

Inês está completando 15 anos; anos esses em que viveu sem seu pai ou sua mãe, sendo julgada por sua cor e seu jeito, onde a única família que conhece é seu avô e dois representativos peixinhos dourados que tanto odeia. Até que ao acordar no dia de seu aniversário, ela resolve que precisa de uma mudança em sua vida, começando por se livrar dos peixes que tanto odeia. Porém, de repente começa uma tempestade sobrenatural e o mar se revolta, é então que Inês é levada para seu verdadeiro mundo: o próprio mar. Inês é, na verdade, uma sereia.
Em seu novo mundo Inês descobre a verdade sobre sua vida e porque se sentia tão diferente de todos, mas não se livra do preconceito e dos problemas.

"Me sinto traída. Me sinto solitária. Me sinto morta para o mundo ... Para os dois mundos, aliás."

Se a intenção do projeto era levar os leitores para um novo mundo, porém ainda com elementos do Brasil, esse livro cumpriu sua missão. Admito que minha área não são as sereias, meu conhecimento era pouco antes desse livro, mas o autor me apresentou um mundo que vale a pena conhecer.
O assunto incomum por si só já chama a atenção. Em uma época de vampiros, Vinícius aposta nas sereias, um assunto presente nas lendas conhecidas por nós, brasileiros, porém ignorado pelos próprios.
O livro vem com um toque moderno, mas com um dedinho em lendas antigas; Há partes que consigo imaginar perfeitamente minha avó contando como uma história da cidade em que nasceu, o que dá à leitura um clima gostoso. Quanto a parte moderna, podemos citar a guerra e os personagens, que me fizeram lembrar sagas famosas.

Continue lendo no blog

site: http://pag394.blogspot.com.br/2014/06/resenha-sereia-negra.html
comentários(0)comente



Gaby 20/06/2014

Sereia Negra
Quando comecei a ler admito que gostei muito da história que tem tudo para ser boa, segredos, conflitos, romance. Bom, Inês é uma garota normal e negra que sofre muito com o preconceito racial e que sente muito a ausência dos pais, sempre se sentiu muito desajustada e perdida, muitas vezes com raiva da própria vida. No seu aniversario, Inês descobre que na verdade é uma sereia, e não apenas uma simples sereia, mas sim a Sereia Negra destinada a salvar o mar de um grande mal.
"É como se o mundo não fosse o meu lugar.Como se nada aqui pudesse ser considerado um lar para mim... Mas o pior de tudo é que, como agora, não sei exatamente do que sinto raiva. Talvez de nada ou de tudo ao mesmo tempo. Raiva da minha vida. Raiva do meu aniversario. Raiva do meu avô socando a porta do meu quarto. Raiva da bagunça no meu quarto. Raiva por não ter amigos. [...]"

Resenha completa no blog, junto com uma entrevista com o autor...

site: http://www.everylittlebook.com.br/2014/06/semana-dos-nacionais-sereia-negra.html,
Rildo.FAbio 27/04/2017minha estante
Estou louco pra conseguir ele. Se tiver alguém que venda!




Maah 11/02/2017

Uma linda lição numa história corrida demais
Infelizmente não consegui me fazer gostar do livro. Acredito que, como lição, ele é exemplar. O amor deve prevalecer, sempre. Não importa a sua cor de pele, orientação sexual (doeu um pouco ler "opção sexual", mas acredito que esse ainda seja o termo mais utilizado), classe social, ou qualquer coisa. Você merece ser aceito, cuidado e amado. Isso é fato.
Entretanto, em Sereia negra, somos dragados para um mundo místico e fantasioso para defender essa importante lição. E isso, ao menos para mim, não saiu tão bem quanto o esperado. Inês, sendo arredia do jeito que era, deveria ter causado uma confusão no oceano quando foi obrigada pelo rei a fazer várias coisas das quais desgostava. Pelo contrário, ela é dragada, uma a uma, mal questionando-o. Achei isso completamente oposto a ideia que a personagem passava. Além disso, achei que tudo aconteceu muito rápido, como se os dados da história fossem jogados e batidos em um liquidificador: sereia, casamento, amor, atração, guerra. Parece que o que precisaria de, sei lá, uma trilogia para ser bem desenvolvido, acabou tendo que ser espremido num livro de duzentas páginas. Por conta disso, não consegui me afeiçoar aos personagens e vagamente lembro de seus nomes. Sentia que a história, em geral, estava sendo forçada. Sendo o primeiro livro do autor, talvez isso seja resultado de falta de experiência, ou talvez seja apenas eu e minha opinião. Quem sabe. Algo que atrapalhou um pouco a leitura, também, foram alguns errinhos de português aqui e ali, além de uma ou duas frases (Acho que era só uma) que ficaram sem coerência.
Ademais: Talvez seja por Inês ser tão jovem, mas ela foi extremamente lenta na descoberta das coisas que estavam acontecendo ao seu redor. Isso acabou sendo decepcionante também. Eu só conseguia suspirar e dizer "Claro, Inês, é claro que isso está acontecendo". A "redenção" (é essa a palavra?) de alguns "vilões" também não me convenceu muito. Foi tão depressa que eu mal consegui odiá-los, muito menos perdoá-los.
Acho que perto do final, o livro melhorou um pouco. Mas aí, ele acabou, e ficou por isso mesmo. Gostaria de ter podido ver mais um pouco dos amigos de Inês, para que me afeiçoasse a eles, e que o romance dela tivesse sido melhor desenvolvido, para que eu pudesse torcer pelos dois. Apesar de tudo, ainda acho que foi uma leitura válida. Acredito que o público mais jovem gostaria. E as sereias, sendo minhas criaturas mitológicas favoritas, sempre tem um lugar no meu coração, né? Um beijo para os meus personagens favoritos na história: Grany, Kelsen e o avô de Inês. Definitivamente gostaria de ter visto mais deles.
Larissa Benevides 10/09/2018minha estante
Olá!
Parabéns você escreve muito bem, sua resenha está muito boa!?
Eu gostaria de ler esse livro, por acaso você ainda tem esse exemplar para vender? Qualquer coisa me manda msg, me ajudaria bastante!
Desde já agradeço


Maah 10/09/2018minha estante
Olá!
Muito obrigada :)
Infelizmente ele não está à venda, tenho ele autografado, e foi bem difícil de conseguir encontrá-lo. Sucesso na sua busca


Larissa Benevides 12/09/2018minha estante
Obrigada Maah! :)


Maah 14/09/2018minha estante
Sem problemas ?




Francine 27/10/2014

Criativo e encantador!
Que coisa mais linda! Esse livro, que me encantou com sua capa, ganhou minha admiração por abordar temas muito relevantes. Só tenho agradecimentos ao autor, Vinícius Grossos, pela oportunidade de participar do seu Book Tour.

Narrado em primeira pessoa, em Sereia Negra conhecemos Inês Neves, uma adolescente que mora com o avô materno em Búzios, no Rio de Janeiro. Sua mãe morreu no parto e seu pai, segundo o avô, "sumiu no mar". Inês sente raiva da ausência dos pais e da vida que leva, especialmente por enfrentar dificuldades constantes com o preconceito das pessoas. Por ser negra e vestir-se de preto devido ao seu gosto musical por rock, Inês é alvo de críticas e mal-interpretações.

Apesar de Inês enfrentar a tudo com orgulho e humor ácido, intimamente se sente insegura e triste. O preconceito racial associado à perda dos pais faz com que ela pense não ter valor. Mas isso começa a mudar quando, no seu aniversário, Inês é tragada pelo mar. Ao despertar, está completamente transformada! Substituindo suas pernas, havia uma graciosa cauda negra, que reluzia de tão bela! Inês era uma sereia e, como se isso não fosse suficiente para bagunçar sua vida, ela rapidamente descobriria que não era uma sereia qualquer.

Inês era a Sereia Negra, a única de todo o reino de Atlanta com tal cor, que foi anunciada pelos deuses como quem salvaria os seres marinhos de um grande mal. Os peixes, as baleias, os tubarões e todos os demais seres que habitavam os mares a idolatravam! Ela, a garota negra que sempre fora rejeitada, era adorada e aguardada. O rei Zeyus apresenta sua missão e, embora tudo fosse muito honroso, Inês não consegue controlar o ritmo dos acontecimentos. De repente, ela perdeu sua humanidade e se transformou em um ser mitológico com uma grande responsabilidade. E tudo o que ela mais queria era ter sua vida de volta!

A velocidade dos acontecimentos é um dos pontos altos do livro. Tudo é mito ágil, mas sem atropelamentos, o que facilita ao leitor sentir o desespero da protagonista. Não há tempo para Inês se acostumar com sua nova condição, pois o mal se aproxima enquanto ela ainda está tentando entender no que implica ser uma sereia. O dinamismo da leitura faz com que as páginas passem rapidamente e, entre conflitos e descobertas, sentimos a hesitação de Inês. A Sereia Negra tem uma missão a cumprir, mas a garota Inês não se sente pronta e apenas deseja ser feliz.

O fato de Inês ter sido empurrada pelas circunstâncias faz com que se questione sobre como deve agir, o que permite ao leitor acompanhar o seu processo de escolhas. Isso torna impossível condenar Inês pelos seus erros ou sentimentos. Eu a entendi tão profundamente que desejei consolá-la ou orientá-la em vários momentos. Eis aqui outro aspecto positivo: em Sereia Negra, os personagens revelam várias faces, desde as mais egoístas até as mais nobres. É uma narrativa que humaniza o juízo do leitor.

O livro apresenta uma história criativa, envolvendo até mesmo o mito brasileiro da sereia Iara! Gostei muito dessa diversidade. Em Sereia Negra, é possível refletir o romance homossexual, o primeiro amor, a vingança, a amizade, a justiça, o perdão e o preconceito. É um livro que vale a pena ser presenteado para adolescentes ou, até mesmo, incluído nas bibliotecas escolares.

Apesar de todas essas qualidades, em vários momentos a história foi previsível e o preconceito abordado apenas sob uma perspectiva:

" Lembre-se, que toda vez que alguém quiser te fazer se sentir diminuída ou mal, por ser quem você realmente é, é porque essa pessoa que não consegue se aceitar, assim como você faz, ou ela tem inveja de você, pois queria ser o que você é, ou ela quer te diminuir para tentar se sentir superior, porque sabe que você que é superior!" (p. 188-189)

Talvez seja pela minha formação em Psicologia, mas acredito que o livro poderia ter se aprofundado um pouco mais na definição do preconceito, sendo este o enfoque principal do autor. No entanto, isso não diminui em nada a importância da obra e o quão proveitoso seria usá-la para explorar esse tema com os adolescentes! Ouso dizer, também, que o livro possui uma narrativa melhor direcionada a eles do que ao público adulto.

A capa é deslumbrante! A diagramação está ótima, mas a revisão da editora deixou a desejar, infelizmente. Por tudo isso, avalio Sereia Negra como um ótimo livro e o recomendo para vocês.

Confira os meus quotes favoritos no blog:

site: http://myqueenside.blogspot.com.br/2014/10/resenha-51-sereia-negra.html
Rildo.FAbio 27/04/2017minha estante
Estou louco pra conseguir ele. Se tiver alguém que venda!




Nat 12/12/2017

A vida de Inês nunca foi fácil. Sua mãe morreu no seu parto, seu pai abandonou sua mãe quando ela estava grávida, ela nunca teve amigos nem namorados. No dia do seu aniversário de 15 anos, toda a sua revolta vem a tona. Uma tempestade estranha e repentina, sua vida muda de cabeça para baixo. Inês é tragada pelo mar e quando toma conta de si, descobre que é uma sereia, aliás, muito mais do que isso, Inês é uma sereia negra, uma lenda viva para o povo que habita o fundo do oceano. Jogada sem entender nada, num mundo que ela supostamente deve salvar, de inimigos que ela desconhece, a jovem se vê as voltas com tanto novo conhecimento, e acaba descobrindo a verdadeira história de seus pais.

Desde que achei por acaso este livro no skoob, fiz de tudo para consegui-lo. Não achava onde vendia, mas não demorou eu consegui em uma troca. Sabe quando você pega um livro cheia de expectativa, e até o meio da história ele consegue te satisfazer, mas depois fica tudo muito cansativo? Foi isso que senti quando terminei a leitura. Não que a história seja ruim, longe disso, ela até consegue prender a atenção, mas tem um momento em que a personagem principal se torna dramática demais. Algumas descrições de momentos e sentimentos também estavam um pouco repetitivas, e isso me cansou muito. De qualquer forma, eu gostei dessa nova visão apresentada sobre as sereias que o autor fez, misturando lendas gregas com o folclore brasileiro, além da forma como ele fala sobre magia. Recomendo para quem gosta do tema.

site: http://ofantasticomundodaleitura.blogspot.com.br/2017/12/sereia-negra-vinicius-grossos-52-weeks.html
Cíntia 09/08/2019minha estante
Ooi, tudo bem? Você tem interesse em vender este livro?


Cíntia 04/09/2019minha estante
Oi, tudo bem? Você se interessa em vender ou trocar esse livro? Quero muito ele e não encontro em lugar nenhum.




Cynthya 02/08/2014

Resenha: Sereia Negra
Sereia Negra, livro de estreia do autor Vinícius Grossos, pessoa incrível que tive a oportunidade de conhecer, conta a história de Inês, uma jovem que órfã que mora com o avô em Búzios, no Rio de Janeiro. Desde pequena, a garota sofre diversas formas de preconceito, principalmente por sua cor, por seus cabelos rebeldes e pelo gosto musical peculiar.
Em seu aniversário de 15 anos, Inês vê-se irritada com o ritmo de sua vida e pelo ódio nutrido pelos pais - a mãe que morreu no parto e o pai que sumiu no mundo. Então, Inês corre para praia na tentativa de livrar-se de seu aquário, maior "lembrança" do passado, primeira tentativa de mudar sua vida. É nesse momento que ocorre a tempestade mais rigorosa que Inês já presenciou e assim, ela é tragada pelos mares, para tomar conhecimento de sua verdadeira identidade.
A realidade é que Inês é uma sereia, mais especificamente a Sereia Negra, a única sereia de cor negra que já existiu. Ela está destinada a ser a salvadora do Reino de Atlanta, um reino mágico do fundo do mar, repleto de tritões e sereias. Atordoada, Inês vê-se rodeada por seres completamente diferentes, que confiam nela suas vidas; tanta responsabilidade une-se ao medo, rancor e mais uma série de preconceitos que a personagem sofre em seu novo mundo.
Envolvendo fantasia e trazendo à tona o universo das sereias, que é pouco conhecido, o autor mistura lendas brasileiras com o lúdico, que atrai infinitos leitores. Somos apresentados a personagens incríveis, como Kelsen e Grany, o casal de tritões que recebe total apoio de Inês; temáticas como preconceito racial e homofobia são muito bem retratadas, fator que concede engajamento e originalidade à obra. É uma obra de fantasia, mas capaz de nos levar à reflexão sobre temas tão delicados e importantes.
O amadurecimento da protagonista é claro; vemos Inês passar de uma garota revoltada para uma mulher consciente e bondosa. Durante a história embarcamos no romance da Sereia Negra com Patrick, o pescador, uma relação proibida, pois envolve sereias e humanos. É o desenvolvimento das relações que vejo como o maior pecado da obra; o casal principal é pouco desenvolvido, assim como a personalidade de outros personagens importantes.
O confronto principal é totalmente imprevisível e maravilhoso, deixando os leitores sedentos por uma solução. Inês tem mil motivos para mostrar-se vingativa, mas sua bondade é explorada, decidindo o futuro de todos. O final é maravilhoso, explicando o grande motivo de Inês ser apresentada a sua verdadeira forma; a personagem tem seu final feliz, como uma espécie de segunda oportunidade. Uma maravilhosa história de amor, relações familiares, fantasia, folclore e relevantes temas sociais. É um livro com leitura fácil de rápida, tão gostoso que mal percebemos quando já estamos próximos ao fim.

site: http://ograndetalvez.blogspot.com.br/2014/08/resenha-sereia-negra.html
comentários(0)comente



Vinicius 16/06/2014

Li o livro em bem pouco tempo. É escrito de forma leve, fazendo a leitura fluir rápida e naturalmente. A ideia de uma Sereia Negra salvadora é original e brilhante. Além de uma história de fantasia, a obra nos traz lições importantes que mostram que o preconceito não leva à nada. Vale a leitura! Recomendo.
Rildo.FAbio 27/04/2017minha estante
Estou louco pra conseguir ele. Se tiver alguém que venda!




Carlos 15/07/2014

O que esperar de um livro de sereia?
Flores, corações, arco-íris e todos essas coisas de meninas?
Se qualquer uma dessas coisa vem a sua cabeça pode ter certeza que não chega nem perto das surpresas, reviravoltas, mistérios e lições que essa história trás.
Inês poderia ser qualquer garota negra dentre tantas que temos no nosso país, mas o que ela não sabia, e só descobriu aos 15 anos, é que na verdade ela era uma lenda viva, a salvadora do mundo marinho, a Sereia Negra.
E é nesse contexto de magia, mundo marinho e folclore que Inês mergulha para se descobrir, tendo de enfrentar diversos dilemas como o racismo, família, o bem e o mal.
Se permita mergulhar nessas paginas e acrescente um pouco de cor a sua alma. Garanto que não será apenas uma viagem a um mundo mágico, mas uma viagem interior de reflexão sobre temas sociais.
Rildo.FAbio 27/04/2017minha estante
Estou louco pra conseguir ele. Se tiver alguém que venda!




Camila Alves 21/07/2014

Encantador!!
Inês é uma adolescente prestes a completar 15 anos e além dos dramas e angustias que essa fase da vida nos provoca é obrigada a enfrentar problemas muito mais sérios como a falta dos pais e o preconceito racial. Após uma tempestade, Inês tem sua vida transformada, ela descobre que é a única sereia negra da história e está destinada a salvar um reino.

A leitura é extremamente agradável e prende o leitor até o fim. Junto com as reviravoltas que acontecem na vida de Inês, nos é apresentado um universo onde passado e presente se encontram, lendas que ouvíamos quando crianças sendo apresentadas de uma forma inesperada.
Além da fantasia, o livro explora questões como relações familiares, bullying, preconceito racial e homossexualismo, deixando claro desde o início que o preconceito de um modo geral não está com nada.
Rildo.FAbio 27/04/2017minha estante
Estou louco pra conseguir ele. Se tiver alguém que venda!




Leonardo 23/07/2014

A leitura de Sereia Negra foi estimulada depois de um bom tempo de curiosidade e expectativas, que felizmente foram bem satisfeitas. Através de uma escrita intimista e suave, o autor apresenta a protagonista Inês, uma simples garota brasileira que vive a beira do mar, ao amparo de seu avô.

O ritmo da história é muito interessante, ainda mais se for acompanhado por músicas do Maroon 5 no aleatório. Enquanto somos introduzidos no mundo da protagonista, e desvendamos um pouco do caráter e sentimentos dela, o enredo se desenrola aos poucos, e com muitas surpresas. Apesar de se passar em um universo aparentemente fantasioso, algumas questões sociais como racismo e homofobia são introduzidas criando terreno para uma espécie de jogo psicológico que é desvendado ao longo dos capítulos.

As personagens são desconstruídas ao longo das três partes da obra e se mostram individualmente importantes em um grande conflito que toma conta do Reino de Atlanta, onde elementos mitológicos se unem e criam um ambiente criativo e ousado, que chega a fugir do óbvio e de conceitos previsíveis.
Sendo uma leitura muito coesa e coerente – mesmo que um pouco rápida, todos os mistérios abordados são resolvidos e interligados em um final incrível e até genial, completamente surpreendente e satisfatório.
comentários(0)comente



25 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2