Pais Brilhantes, Professores Fascinantes

Pais Brilhantes, Professores Fascinantes Augusto Cury




Resenhas - Pais Brilhantes, Professores Fascinantes


86 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6


Lezinha 17/01/2009

É MUITO LOUVÁVEL A INTENÇÃO DE UM PSICÓLOGO BUSCAR SOLUÇÕES PARA A EDUCAÇÃO NO SENTIDO AMPLO DO TERMO, MAS COMO EDUCADORA, ESTE LIVRO FOGE A REALIDADE DAS ESCOLAS PÚBLICAS, PELO MENOS AS QUE EU TENHO CONHECIMENTO. COMO EDUCADORES, NOS VEMOS BARRADOS POR INÚMEROS OBSTÁCULOS QUE NOS PARALISAM. PRIMEIRAMENTE PELA ESTRUTURA QUE ENCONTRAMOS NAS ESCOLAS PÚBLICAS. SERIA PERFEITO, MAPEAR A SALA DE AULA EM CÍRCULO, MAS SERÁ QUE O ESPAÇO FÍSICO É SUFICIENTE? MUSICA CLASSICA NA SALA, LOUVÁVEL, MAS ATÉ HOJE, NÃO CONHEÇO UMA ESCOLA QUE DISPONHA DE RÁDIO PARA CADA UMA DELAS, E MUSICA CLÁSSICA PARA ADOLESCENTES??? A PROFESSORA SERIA CHAMADA DE QUADRADA PRA PIOR... A INTENÇÃO DO AUTOR, EM MOTIVAR PROFESSORES E PAIS PARA LEVAR OS ALUNOS A AMAR O CONHECIMENTO É SIMPLESMENTE PERFEITA, MAS COMO TUDO NO MUNDO É UM CICLO, QUANDO O ALUNO CHEGA A ESCOLA, ELE JÁ PORTA UMA BAGAGEM (MUITAS VEZES) NEGATIVA DA ESCOLA, TRANSMITE ISSO AOS PROFESSORES QUE ACABAM DESMOTIVADOS, DESVALORIZADOS E DESINTERESSADOS EM RECICLAGEM E DESCOBERTAS. A ESCOLA CONSIDERA EDUCAÇÃO RESPONSABILIDADE DOS PAIS E ESTES, ACHAM QUE A ESCOLA É QUE IMPÕE LIMITES, COITADO DOS ALUNOS!!! QUE CIDADÃO FORMARÍAMOS SE CADA UM (PAIS E PROFESSORES) ASSUMISSEM COM RESPONSABILIDADE SEUS "OFÍCIOS"? AÍ SIM TERÍAMOS PAIS BRILHANTES, PROFESSORES FASCINANTES E FILHOS/ALUNOS CONSCIENTES DA SUA RESPONSABILIDADE COMO CIDADÃO, PRONTOS PARA ENFRENTAR A VIDA, CONTORNAR OS PROBLEMAS E SUPERAR OS OBSTÁCULOS.
Eudi 21/04/2011minha estante
Muito bom seu comentário Lezinha, concordo com vc, pais e professores devem trabalhar, cada qual na sua função para que as crianças transformem-se em seres humanos melhores, conscientes dos seus direitos e responsabilidades.


Celia Costa 14/08/2011minha estante
Lezinha, apesar de eu ainda não estar formada, tenho lido muito sobre o assunto e partilho da sua opinão.Apesar de várias passagens interessantes, acabei por desistir na metade do livro.


Joonetto 16/02/2012minha estante
Sou educador da rede pública de ensino, e concordo com o fato de não haver sempre situações favoráveis à nossa prática, porém, o PSIQUIATRA, em questão traz uma reflexão, na verdade, para o fato de as coisas atualmente estarem sendo feitas de qualquer jeito. Os pais por muitas vezes perdem o controle sobre suas funções de pais e os professores se encontram muito perdidos em meio a esta situação. O que se conclui da leitura é que educar deve ser feito com toques de afeto, de intenção e motivação. Não vamos colocar os dez passos em prática da maneira como está descrito (seria meio utópico para os mais céticos), porém podemos achar os nossos dez passos pra fazer nosso trabaho melhor. Os passos adequados aos nossos alunos e a nós mesmos. Posso ser acusado de ser utópico em relação a educação e de ter um visão romântica (bem x Mal), mas penso eu que devemos ao menos gostar das nossas funções e demonstrar isso ao por em prática. É sabido que iremos encontrar situações adversas desde a faculdade, portanto, temos tempo de nos preparar pra isto ou até mudar de área se for o caso! Pais e professores já trabalham em suas áreas diariamente, só que seus ofícios convergem para EDUCAR. Cada um com suas responsabilidades de fato, mas educar. Nós, como estudantes e profissionais da área, que somos (nos esforçamos muito e trabalhamos duro pra chegar até aqui) é que temos condições (ou deveríamos) de lidar com estas desventuras e entender que educação é um processo de construção coletiva (aluno, pais, professores, meios de ocmunicação, comunidade). É necessário minimizar a captação da energia e carga negativa que o aluno traz de casa pra escola e em retorno mostrar, através dos MECANISMOS QUE NOS ESFORÇAMOS MUITO PRA APRENDER em nossos cursos, que há outras leituras que os alunos podem fazer do ambiente escolar. Temos vários exemplos de que isto é possível, descritos na literatura, em filmes de cinema (não fictícios), documentados em revistas, representados na televisão aberta. Não há receita pra isto, e nunca vai existir, porque cada momento educacional é único, contudo podemos sim achar maneiras de conduzir o processo e chegar aos nossos objetivos. Se não o tentarmos ao menos, de que adianta fazer? Finalizo, retomando o ponto de concordância, que é amplo, com a Lezinha, apenas tentando passar a mensagem de que a realidade é dura, cruel e triste, mas se deixarmos de acreditar na educação e nas contribuições que, muitas vezes falhas, recebemos direta ou indiretamente de profissionais de outras áreas (exemplo em questão: Dr. Augusto Cury), não fará sentido sermos professores, educadores e/ou facilitadores no processo.


Nani 28/09/2012minha estante
Não acho Utopia, tudo que vem para o bem, para o melhor é valido. É educando a cada dia, tentando passar o melhor de nós mesmos e do nosso conhecimento que formamos cidadãos melhores, pois com toda certeza sempre fica uma fagulha do que tentamos passar para eles, isso sei por experiência própria, pois até hoje não me esqueço de professores que tive no ensino fundamental e no colégio: Vou guardar para sempre seus ensinamentos, ou melhor ainda, vou passá-los adiante, sempre!!!


Nani 28/09/2012minha estante
Parabéns Joonetto! Pelas suas palavras sinto que é de um "professor fascinante" Concordo plenamente com tudo que disse:"É sabido que iremos encontrar situações adversas desde a faculdade, portanto, temos tempo de nos preparar pra isto ou até mudar de área se for o caso!" " Se não o tentarmos ao menos, de que adianta fazer?" Sábias Palavras!
Não precisamos fazer exatamente como está escrito, mas captar a essência,e saber ler nas entrelinhas.


Muriel 13/07/2013minha estante
Bom eu li esse livro como filho e aluno, e não achei utopia coisa nenhuma, claro que a educação vinda de casa salva a vida de um bocado de gente no ring, ops, na sala de aula, mas professores fascinantes simplesmente ignoram as "regras" (aquelas que ditam que todos temos que ser burros), e não tem apenas alunos, e sim fãs!


Mario Pordeus 20/09/2016minha estante
Esse comentário simplesmente ratificou tudo que o autor expôs no livro. Agora sinto, mais ainda, que li teorias embasadas e próximas da realidade.




Wendel 28/04/2012

Augusto Cury, convoca as pessoas que trabalham com educação e também os pais a descobrir seus alunos e filhos:

"Há um mundo a ser descoberto dentro de cada criança e de cada jovem. Só não consegue descobri-lo quem está encarcerado dentro do seu próprio mundo".Provoca os leitores a procurar seus filhos e alunos, quebrando as barreiras que nos "ilharam", separando nossos caminhos, frustrando nossos sonhos e promovendo a desestabilização de nossas casas e salas de aula.O autor afirma que tanto os educadores quanto os pais são propensos à falhas no encaminhamento da educação de suas crianças e adolescentes, entretanto, firma que a maior de nossas falhas se refere ao fato de termos "esvaziado" as relações com nossos filhos e alunos e perdido a sensibilidade.Neste livro o autor mostra que é preciso cultivar a emoção e expandir a inteligência dos jovens.

E para isso, os pais e professores precisam de ferramentas para estimular as crianças e os adolescentes.Formar crianças e adolescentes sociáveis, felizes, livres e empreendedores é um belo desafio nos dias de hoje. A solidão nunca foi tão intensa: os pais escondem seus sentimentos dos filhos, os filhos escondem suas lágrimas dos pais, os professores se ocultam . Entende-se que para fazer a diferença temos de adquirir os sete hábitos dos pais brilhantes e dos professores fascinantes. Além disso, o autor chama a atenção para os sete pecados capitais dos educadores e ensina dez técnicas pedagógicas que podem revolucionar tanto a sala de aula quanto a de casa.Pais e professores brilhantes são semeadores de idéias e não controladores dos filhos.

Ninguém se diploma na tarefa de educar , aprende educando. A vida é uma grande escola que pouco ensina aos que não sabem ler a realidade que os cerca. O professor fascinante é um artesão da personalidade , um poeta da inteligência , um semeador de idéias. Professores fascinantes devem formar pensadores que são autores da sua história. Devem multiplicar homens que pensam em nossa realidade. Eles transformam a informação em conhecimento e o conhecimento em experiências. Professores fascinantes usam a memória como suporte da arte de pensar , o que contribui para desenvolver nos alunos: o pensar antes de agir , expor e não impor idéias , consciência crítica, a capacidade de debater , de questionar , de trabalhar em equipe.

A memória humana é um canteiro de informações e experiências para que cada um de nós produza um fantástico mundo das idéias. Os professores fascinantes resolvem os conflitos em sala de aula. Este hábito contribui para desenvolver nos alunos: a capacidade de resolver e superar a ansiedade , resolução de crises interpessoais , socialização , resgate de liderança do EU nos focos de tensão. Professores fascinantes , educam para a vida promovendo a auto- estima. Professores e pais fascinantes devem cumprir com a palavra dada. A confiança é um edifício difícil de ser construído , porém fácil de ser demolido e muito mais difícil ainda de ser reconstruído. Não importa o tamanho de seus obstáculos , mas o tamanho da sua motivação para superá-los.

Cury aponta também neste livro, o excesso de estímulo da TV, de conhecimento como a nova mudança nos paradigmas educacionais.
A paranóia do consumo e da estética estimula os fenômenos RAM. “São eles que lêem a memória e constroem cadeias de pensamentos, produzindo uma nova síndrome chamada Síndrome do Pensamento Acelerado (SPA)”, que é caracterizado por baixa concentração, dificuldade em lidar com estímulos da rotina diária, irritabilidade, esquecimento, ansiedade intensa”.Sabe-se que a forma como acontece a educação escolar é equivocada. “Na vida toda, a educação escolar gera servos e não pensadores, por isso, preconiza-se que as crianças sentem em círculos ou duplo círculos, que haja música ambiente em sala de aula, preferencialmente música clássica, para que a emoção cruze com a informação lógica do professor e seja registrada de maneira privilegiada”, .

Segundo o autor a disposição de fileiras nas salas de aula limitam o aluno. Sentar em círculo ou duplo círculo e música ambiente; somente estas duas técnicas já reduzem em 40% a 50% o estresse dos professores e alunos. “Melhora a concentração dos estudantes, o rendimento intelectual e possibilita a vivência do que Platão já preconizava há dois mil anos - o deleite do prazer de aprender”.Além disso , o autor enfatiza que, os professores não espalhem conhecimentos enlatados. “Que eles não dêem conhecimento pronto como um Mac Donald que produz um sanduíche pronto. Conhecimento pronto marca a capacidade criativa, destrói a ousadia, a aventura do conhecimento”.Aos professores ele recomenda o desenvolvimento da dúvida. “No momento que expõem o conhecimento questionando, é necessário ensinar debatendo as idéias, perguntando, assim gerarão pensadores e não repetidores de informação”. Outro ponto é que o professor cruze sua história com a dos alunos, de vez em quando, uma vez por semana, durante alguns minutos.

Que ele possa falar sobre um período da sua vida, das suas tristezas, angústias, sonhos, aventuras, golpes de audácia. “Enfim, o professor fascinante é aquele que não ensina apenas matéria, mas que ensina a vida e fale de si mesmo”.Aos pais, cabe a participação. “Os pais devem deixar de ser manuais de regras e de críticas”.
“Pais brilhantes são também aqueles que cruzam suas histórias, que têm coragem de perguntar a seus filhos quais os seus dias mais tristes, quais foram as suas frustrações mais importantes”. Os pais devem questionar os seus erros aos filhos, e perguntar a eles o que pode ser feito para melhorar a relação em família, de forma a torná-la mais feliz.Segundo o autor, os pais cultos - que tem uma ou duas faculdades -, às vezes mestrado ou doutorado, que têm sucesso financeiro, são grandes empresários que possuem alto status social estão gerando filhos doentes.

“Isto porque não basta dar apenas o conhecimento lógico, uma boa escola, comprar brinquedos, excelentes roupas; os filhos precisam da história dos próprios pais, das lágrimas destes, do coração emocional, muito mais que do dinheiro deles”.Coloca-se aqui que no mundo todo assiste-se a um processo de solidão. “As pessoas moram na mesma casa, comem da mesma comida, respiram o mesmo ar, mas estão distantes uns dos outros”.Neste livro, o autor grita a dezenas de países, onde a obra está sendo publicada, que a sociedade moderna comete um grave crime contra a juventude mundial.“Temos que reinventar a educação”!


Conclusão
"Pais Brilhantes, Professores Fascinantes" nos faz refletir e nos permite perceber como atitudes verdadeiramente simples e posturas corajosas diante da vida podem transformar a educação e ajudar nossas crianças e jovens a crescer com melhores perspectivas.Como é importante os professores desengessarem-se e assumir que podem caminhar de mãos dadas com seus alunos, assim como os pais deixarem a emoção fluir com verdade, transmitindo segurança e principalmente confiança aos seus filhos."Pais Brilhantes, Professores Fascinantes" surpreende pela facilidade de leitura e pelas orientações de valor. A leitura desse livro me fez repensar atitudes e posturas perante meus filhos e vislumbrar comportamentos felizes e pertinentes como futuro educador.
comentários(0)comente



Luciana Cople 09/08/2010

Me impressionou mais quando li pela primeira vez. Tornei a ler agora depois de alguns anos e confesso que achei o autor muito repetitivo. Pra quem já leu outros livros dele talvez me entenda melhor, se juntar tudo parece que é um livro só. =) Realmente auto-ajuda não é minha praia!
Mas, no geral é interessante, vejo como uma injeção de ânimo e esperança pra professores que estão desmotivados.
Ale 19/08/2010minha estante
é verdade luciana, já tentei ler outros livros do autor não segui leitura pq achei repetitivo, se juntar dá um só mesmo (hehe) mas esse realmente é uma injeção de ânimo aos profs. desmotivados.




Valeria 25/04/2014

MARAVILHOSO
Amei este livro , um livro muito bom , emocionante , um livro que te faz resgatar o amor aos professores.
Priscilla.Reis 10/05/2015minha estante
Essa estória de "palco da vida" cansa.




Marcela 07/06/2015

Repetições
Bem, Augusto Cury é um psiquiatra renomado mas quando se trata dos seus livros eu confesso que tenho uma certa preguiça dele, os que já li parecem todos dizer a mesma coisa, muitas repetições desnecessárias.
comentários(0)comente



Ju 20/01/2016

Pais brilhantes, professores fascinantes.
Um dos mais diretos que eu já li e que nos mostra que o diálogo, a educação da emoção, entre outros fatores são a chave fundamental para uma educação boa e bem valorizada. Cury está de parabéns.
comentários(0)comente



Máàh 08/05/2010

Muito bom
Um livro que gostaria de ter lido quando meus bebes ainda eram "bebes" rsss.. Muiito bom esse livro para nós pais, mães e educadores. Temos tudo para tornar nossos filhos pessoas felizes, alegres, eticas e emocionalmente equilibras e muitas vezes pecamos sem perceber e afetamos a educação deles de tal forma que acabamos por torna-los escravos da rotina, da repetição, arrogantes, individualistas e refens de todo o lixo que a midia (TV) transmite. Tenho certeza que muitas coisas boas vc pode e deve fazer pela educação dos seus filhos e se forem professores ajudar nossas crianças e adolescente a serem melhores como pessoas. Livro recomendadíssimo.
comentários(0)comente



Lu 11/08/2010

Uma vida por excelência
Esse livro fala da busca pela excelência: não da perfeição que sufoca, exige e maltrata! Mas da motivação interior em se fazer tudo com um toque de amor! Educar é assim: não basta falar o que é certo ou errado! Lembremo-nos do Mestre dos mestres: Contemos histórias!
comentários(0)comente



Virginia 23/07/2010

O correto de ser pai.
Neste livro trata a diferença de ser um pai brilhante. Pois no mundo de hoje estamos mais preocupados com trabalho e sem tempo para os nossos filhos. Com isso achamos melhor compensar com tudo que eles desejam e que muitas vezes não é o correto. Pois na verdade o que importa e tirar um tempo para a familia.
comentários(0)comente



Geh 05/10/2017

Os pais necessitam ler
Esse livro merece ser lido por todos pai e professores. Excelentes reflexões.
comentários(0)comente



Ioná 17/03/2009

Recomendo
Mto bom para pais, ótimo para professores e melhor ainda para professores q tb são pais.
Uma leitura fácil, técnicas simples de serem aplicadas, esclarecedor, enfim... um livro q não pode faltar na estante de todo e qq educador.
comentários(0)comente



Rui Alencar 25/03/2012

Dos melhores livros de auto-ajuda que já li: EXCELENTE !

Pag. 76...Diante de qualquer atrito, ofensa ou crise entre os alunos ou dos alunos com o professor, a melhor resposta é não dar resposta alguma. Nos primeiros trinta segundos em que estamos tensos, cometemos nossos piores erros, nossas piores atrocidades. NO calor da tensão, seja amigo do silêncio, respire fundo.
Por que usar a ferramenta do silêncio ? Porque emoção tensa fecha o território de leitura da memória, obstruindo a cadeia de pensamentos. Deste modo, reagimos por instinto, como os animais, e não como a inteligência.

Pag. 81...Se não reconstruirmos a educação, as sociedades modernas se tornarão um grande hospital psiquiátrico. As estatísticas estão demostrando que o normal é ser estressado, e o anormal é ser saudável.

Pag. 85...Corrigir publicamente uma pessoa é o primeiro pecado capital da educação. Um educador jamais deveria expor o defeito de uma pessoa, por pior que ele seja, diante dos outros. A exposição pública produz humilhação e traumas complexos difíceis de serem superados. Um educador deve valorizar mais a pessoa que erra do que o erro da pessoa.

Pag. 98...Quem não aprende a lidar com perdas e frustrações nunca irá amadurecer... As relações sociais são um contrato assinado no palco da vida. Não o quebre. Não dissimule suas reações... Cumpra o que prometer. Se não puder, diga “não” sem medo, mesmo que seu filho esperneie. E se você errar nesta área, volte atrás e peça desculpas. A confiança é um edifício difícil de ser construído, fácil de ser demolido e muito difícil de ser reconstruído.

Pag. 101... Todos temos tendência a ferir as pessoas que mais amamos. Mas não podemos concordar com isso. Caso contrário, corremos o risco de destruir os sonhos e a esperança das pessoas que mais nos são caras.

Pag. 105...A memória é a caixa de segredos da personalidade. Tudo o que somos, o mundo dos pensamentos e o universo de nossas emoções são produzidos a partir dela.

Pag. 125...Guardem esta frase. A sala de aula não é um exército de pessoas caladas nem um teatro onde o professor é o único ator e os alunos, espectadores passivos. Todos são atores da educação...peço aos mestres para darem atenção especial aos alunos tímidos. Eles tem diversos graus de fobia social, de expressar suas ideias em público. Os tímidos falam pouco, mas pensam muito.
comentários(0)comente



Rangel Chan 06/05/2009

UTOPIA
Embora muitas pessoas falam deste livro... é muito utópico, completamente fora da realidade. Mas se existe algum novo professor por ai... LEIA e sonhe...
ELAINE 19/02/2012minha estante
Honestamente, ODIEI esse livro, acho q pessoas q escrevem esse tipo de livro deveriam ser obrigadas a ministrar 60 aulas por semana em classes superlotadas e nas condições precárias que nós professores o fazemos


ELAINE 19/02/2012minha estante
ah, e ganhando a mixaria que nós ganhamos...


Nani 28/09/2012minha estante
Não acho Utopia, tudo que vem para o bem, para o melhor é valido. É educando a cada dia, tentando passar o melhor de nós mesmos e do nosso conhecimento que formamos cidadãos melhores, pois com toda certeza sempre fica uma fagulha do que tentamos passar para eles, isso sei por experiência própria, pois até hoje não me esqueço de professores que tive no ensino fundamental e no colégio: Vou guardar para sempre seus ensinamentos, ou melhor ainda, vou passá-los adiante, sempre!!!




Allan 09/05/2014

Ganhei esse livro de uma amiga no aniversário, confesso que sempre olhei torto pra autores que escrevem livros de auto-ajuda, com esse livro confirmei só o que já esperava..., os temas são tratados como um manual de regras da maneira mais simplória possível, acho que o autor acredita que está trazendo uma grande reflexão mas no fundo não traz nada de novo,e sua falta de modéstia megalomaníaca faz me rir ,não consigo acreditar que ele tenha tantos fãs e seja tão famoso, espero nunca mais ler um livro de Augusto Cury novamente.
Enzo Filipe 09/10/2014minha estante
Imagine a seguinte situação: você é um ótimo autor e já publicou 100 livros. Desse total, 99 foram avaliados positivamente e apenas 1 negativamente. Só que, por ironia do destino, uma pessoa leu justamente esse que foi tachado como ruim. Resultado: a pessoa diz que nunca mais lerá um livro seu. Injusto, né? Como essa pessoa foi preconceituosa! Julgar toda uma obra de um escritor renomado só porque não gostou de apenas 1 livro dele. É... A vida é assim!
Só uma dica: leia "O Futuro da Humanidade" e descubra porque o Augusto Cury é tão aclamado.
Conselho de um bibliófilo pra outro! :D




Bianca 03/09/2017

Nos tornando brilhantes
Essa leitura para mim foi algo encantador. Eu realmente me apaixonei por esse livro e pela forma como o autor escreve.
Dentro dele encontramos informações que enquanto estudantes, professores ou pais nos ajudarão a agir de formas diferentes e cada vez melhores, a fim de que sejamos brilhantes.
Deveria ser um daqueles livros que o mundo todo precisa ler.
comentários(0)comente



86 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6