Geek Girl

Geek Girl Holly Smale




Resenhas - Geek Girl


31 encontrados | exibindo 16 a 31
1 | 2 | 3


Francine 24/07/2015

Uma comédia de agradável leitura, que fluiu mais rápida do que gostaria.
Harriet Manners é uma geek! Isso quer dizer que mal consegue se conter em responder qualquer pergunta de modo inteligente, o que acaba por irritar a maioria das pessoas. Na verdade, quase todas. Com exceção da sua melhor (e única) amiga, Nat, parece que ninguém mais gosta dela.

Harriet está cansada disso. Ela se sente incapaz de socializar e, mesmo quando se esforça, desperta a antipatia e a raiva das pessoas. Sendo uma geek, ela reconhece saber de muitas coisas… O problema é que nunca sabe o que dizer ou como se comportar para mudar sua infeliz situação.

Então, o inusitado acontece e Harriet acaba atraindo a atenção de um olheiro que buscava um novo talento para sua agência de moda. Não, ela não é especialmente bonita. Não, ela nunca se interessou por roupas ou acessórios – aliás, ela sequer tem o mínimo senso de estilo. Não, ela não pensou que um dia se importaria com isso. Para piorar, tornar-se modelo era o sonho de Nat e não dela.

Algo, no entanto, a fez decidir explorar esse novo mundo: Harriet queria deixar de ser ela mesma, queria transformar-se, porque sua própria identidade não estava servindo de grande coisa no momento. Ser ela mesma estava doendo. Para não magoar sua melhor amiga, e também para evitar que sua madrasta a impedisse, Harriet começa a mentir. Ela não se orgulha do que está fazendo, mas é covarde demais para lidar com a verdade.

Preciso lhes dizer que a história parece um grande drama, mas não é. Geek Girl é um livro muito divertido, gente! Uma comédia de agradável leitura, que fluiu mais rápida do que gostaria. Harriet é inteligente e doce demais, apeguei-me imediatamente a ela. Embora suas mentiras fossem reprováveis, não consegui condená-la. Eu a entendi e desejei ajudá-la. Com humor e personagens cômicos, encantei-me com a maravilhosa mensagem desse livro: quão incrível cada um de nós pode ser, sem nunca notar isso.

A narrativa em primeira pessoa nos permite sentir íntimos dos conflitos de Harriet e acompanhamos sua luta para transformar a si mesma em alguém melhor para os outros. Mas será esse o único caminho para alcançar a felicidade: moldar-se para ser aceito? De um jeito divertido, Geek Girl aborda vários temas interessantes: bullying, amizade, família, ideais, estereótipos, honestidade, autoaceitação, perdão, identidade e, o que não poderia faltar em um romance juvenil, a doçura do primeiro amor.

O que mais gostei foi o processo de amadurecimento da Harriet. Adoro quando uma protagonista reconhece os próprios erros e procura corrigi-los da melhor maneira possível. Sinto que é um convite para mantermos a esperança de que sempre podemos agir com humildade, reconciliar, perdoar ou simplesmente tentar de novo. Una esses bons elementos a uma admirável criatividade por parte da autora e você terá, com certeza, um excelente livro. Outra característica que fez de Geek Girl um livro incrível são seus personagens caricatos. Cada um deles era uma figura única e, à sua maneira, muito excêntrico. Isso tornou a história imprevisível, o que me agradou muito! Devo dizer, também, que o estilo da autora possui um equilíbrio adorável entre discurso direto e indireto, com capítulos curtos, o que faz a leitura render bastante.

Vale dizer que Geek Girl, embora seja o primeiro volume de uma série, possui um final definitivo. Você pode ler esse primeiro volume sem receio de que terá de aguardar a continuação da história para que algumas lacunas sejam preenchidas. Não há pontas soltas, o que não quer dizer que você se sentirá menos entusiasmado pela sequência. Na verdade, no meu caso, estou ansiosa para saber mais de Harriet e, claro, garantir minha leitura do segundo volume.

Não tenho indicações de fragilidades, mas aviso que a linguagem é tipicamente adolescente – o que a torna perfeitamente adequada para sua protagonista-narradora, de 15 anos. Se você nunca leu uma obra juvenil, garanto que Geek Girl lhe será um ótimo começo! Recomendo esse livro a todos devido aos valores que transmite.

A capa é belíssima! Amei as cores e os óculos da modelo são em alto relevo. A revisão e diagramação estão impecáveis. Li a segunda edição dessa obra e, garanto, vale a pena o investimento. Geek Girl ingressou para meus livros favoritos.

Essa resenha foi publicada no blog My Queen Side. Acesse para conhecer a série e ler meus quotes favoritos:

site: http://myqueenside.blogspot.com.br/2015/07/resenha-104-geek-girl.html
comentários(0)comente



Livros Encantos 15/07/2015

Geek Girl
Harriet é uma garota de 15 anos, se considerada uma geek, sempre aprende sobre diversos assuntos..., tem uma arqui inimiga na escola Alexa e uma melhor amiga linda .
Mesmo sendo inteligente Harriet sente que muitos não gostam dela, apenas sua amiga e sua família, ao ser obrigada pela amiga a ir uma feira de roupas com ela, sua vida muda completamente .

Harriet se sente perdida na feiram afinal nunca ligou para moda, roupas, enquanto visitava algumas barracas ela esbarrou digamos em alguns itens e várias barracas em efeito dominó ( esse cena é muito engraçada ) nossa protagonista é muito desastrosa .
Ao ser abordada por um olheiro de agencias de modelo, ela diz não estar interessada em seguir essa carreira, em seu esconderijo (debaixo de uma mesa) conhece Nick um modelo lindo .

Alexa em sua maldade e inveja usa do Bullying para humilhar Harriet a fazendo se sentir mal e não aceita por ninguém.
Harriet continua sofrendo Bullying e vê na oportunidade de se tornar modelo ser aceita pelas pessoas, mesmo sabendo que vai magoar sua amiga, e sua madrasta .
Junto com seu pai viaja para tirar suas fotos, ao voltar está estampada em todos os jornais e magoa a todos que ama, as mentiras vão desmoronando e trazendo suas consequências.
Harriet vai resolver suas questões e aprende que ser ela mesma com suas opiniões .

O livro é focado em Harriet, mas os personagens secundários são espetaculares o pai de Harriet me rendeu boas risadas com suas atitudes espontâneas e simples .
Annabel a madrasta de início me pareceu rigorosa demais, porém se mostrou muito sensata e carinhosa.
Toby amigo e perseguidor de Harriet é um geek fofo, assim como sua melhor amiga Nat, que tem uma atitude que comprova o valor de sua amizade .

Nick será uma grande surpresa para Harriet tão lindo esses dois .

O final do livro foi fofo.

A autora tem uma escrita muito leve, e mesmo abordando temas como bullying, mentiras, soube conduzir muito bem sem deixar a leitura pesada, muitas cenas me renderam muitas risadas.
Todos os personagens foram muito bem construídos sendo essenciais para o livro.

O livro me prendeu atenção por ser bem jovial com temas fortes, e atuais que envolvem muitas vezes o dia de muitos, além de nossa protagonista ser desastrosa, rendendo momentos de descontração com risos abertos.

Indicado para todos que gostam de livros leves, engraçados e com temas de suma importância.

A capa está linda, diagramação perfeita, capítulos bem distribuídos, a Editora continua com muito capricho em cada edição.

Quotes
"O que eu quero deixar bem claro agora é que não me importo de ser uma geek." Harriet
"Estou tão cansada de tudo isso. De não me encaixar; de ser deixada de lado; de ser odiada." Harriet
"Não só Nick está aqui quando não deveria, como também está ainda mais bonito do que da última vez que o vi," Harriet
"Precisa parar de se preocupar com que as pessoas insignificantes pensam de você .Seja quem você é, e deixe os outros ser quem são. Diferenças são uma coisa boa." Annabel
"Eu gosto de você. Você é diferente." Nick

site: http://www.livrosencantos.com/2015/06/geek-girl-livro-01-holly-smale.html
comentários(0)comente



ELB 01/07/2015

Eu li algumas críticas não muito boas sobre este livro e fiquei um pouco desencorajada para ler, mas como eu gosto muito dessas coisas nerds e amei muito essa capa (alias, a americana é ainda melhor), eu decidi confiar no meu instinto e li. Primeiro de tudo, vamos entender o estilo literário deste livro. É voltara para o público infanto-juvenil, uma mistura de Chicklit com Young Adult (YA), por isso não vá esperando muito romance nem temas mais maduros. Acho que foi por isso que algumas pessoas resenharam dizendo que o livro é meio bobo e sem uma história interessante. Mas no próprio site da editora é possível encontrara informação de que o público alvo é 11 a 17 anos, então não leia se não gosta de livros mais teens para depois não falar mal, rs.

Pessoalmente, adorei o livro. A Harriet é o maior barato. Sabe aquelas mocinhas mais espertas que todo mundo, desastradas, que não entende nada de moda, que não é a mais bonita da turma e meio ignorada pelo resto da escola? Sim, esta é ela. Harriet tem apenas uma amiga, a Nat, que é uma aficionada por moda e obcecada em se tornar modelo algum dia. Além de Nat, a outra única pessoa que conversa com a Harriet na escola é Toby. Bem, na verdade ele é mais como um perseguidor do que um amigo. Ele é apaixonadinho nela desde sempre e a segue por todos os cantos do mundo, do tipo, segue mesmoooo.

A mãe de Harriet morreu quando ela era uma recém nascida e seu pai (sem noção) acabou se casando com Annabel, sua madrasta advogada, feminista, meio nerd e... ai, eu me apeguei muito à madrasta. Muito mesmo, acho que ela é minha personagem favorita do livro por enquanto, rs.

O plot principal do livro é que Harriet (Ah, falando nisso, a história se passa pelo ponto de vista dela) é totalmente avessa à moda, sem a menor noção mesmo. Ela sai de casa em uma manhã de um dia normal vestida de fantasia de bruxa, apenas porque quer. Haha, sim, ela sai algumas vezes vestida de fantasia (e não é nem Halloween). Nat está tentando impressionar olheiros de uma agência em uma feira de modae arrasta a amiga com ela. Eeeeeeee, o improvável acontece. É a mocinha estranha que chama a atenção dos olheiros, haha.

“Oito anos comprando Vogue e dispensando pudins (Nat, não eu: eu como os dela também) e, finalmente, chegamos às portas do destino de Nat. Eu me sinto um pouco como Sam em O Senhor dos Anéis, logo antes de Frodo jogar o anel no fogo da fenda da Montanha da Perdição. Só que de um jeito mais mágico e positivo. E com pés um pouco menos peludos”.

Aconselho muito a leitura deste livro, achei super engraçado. Ao mesmo tempo, amei a mensagem se amizade e de família que ele passa. Claro, tem situações que deixam muito a desejar, porque Harriet é na verdade bem imatura.

“A mágica vem quando você não está procurando por ela”.



site: http://www.everylittlebook.com.br/2015/04/resenha-geek-girl.html
comentários(0)comente



Dreeh Leal | @dreehleal 30/05/2015

Geek Girl - Geek Girl #1 - Holly Smale
Geek girl é um livro leve e divertido, ótimo para ler durante um final de semana ou entre histórias mais densas.

Narrado em primeira pessoa, mergulhamos na cabeça de Harriet. Ela é inteligente e curiosa, mas no que diz respeito a questões sociais, ela é um desastre. Uma verdadeira geek. Sua única melhor amiga é quase o oposto. Não que Nat seja burra mas ela sonha em ser modelo e é toda patricinha. Se essa amizade não tivesse se conhecido lá nos primórdios da escola, antes daquela época em que os alunos se dividem em grupinhos, elas nunca seriam amigas.

Cansada de ser humilhada diariamente, Harriet já tentou mudar para se adaptar a realidade colegial...
Digamos apenas que não saiu bem como ela esperava. Mas ela vê sua grande chance quando uma agência de modelo decide que ela é exatamente o que eles procuram. O maior problema - além da sua óbvia falta de senso para moda - é que esse é o sonho da Nat! Ela não quer parecer uma traidora, mas a oportunidade é tão boa que tem que ser levada em conta.

Ao longo dessa aventura, o aprendizado adquirido por Harriet vão além do mundo da moda. Aliais, seus conhecimentos nesse quesito continuam praticamente nulos. É engraçado como para ela uma pesquisa sobre moda resulta em saber o porque os casacos tem botões. Aparentemente foi uma ordem de Napoleão anti nariz escorrendo.. Perceberam? Ela encontrou dados históricos, mas nada ligado verdadeiramente a moda.

Os personagens criados por Holly são cativantes, mas não nego que me incomodei um pouco apesar de compreender com a personalidade ingênua, infantil e insegura da protagonista. Na busca desesperada para se encaixar em um modelo pré determinado de sociedade, ela acaba magoa muitas pessoas que a amam e isso expõe, principalmente, sua relação com Nat e Annabel, sua madrasta. Duas personagens que mostram o quanto o amor pode ser incondicional e gratuito. Apesar de não ser o foco da história, há um romance muito fofo no ar. O único personagem que não me agradou foi o agente Wilbur. Achei forçado, caricato e me irritei a cada novo apelido brega que ele deu a Harriet.

A disputa pelo meu coração no quesito capricho gráfico está cada dia mais acirrada. A Fundamento simplesmente arrasou em Geek Girl. A nova edição veio com a capa original, que é bem mais condizente com o clima do livro. Além de linda! A diagramação está simples, mas encontramos vários detalhes que remetem a história. O livro possui páginas amarelas, margem e fonte confortáveis para a leitura.

Holly da um bom ritmo a história e mistura elementos que deixam a trama com cara de filme da seção da tarde. Quem curte histórias no estilo Meg Cabot, também irá se encontrar aqui. Então, se você tem esse livro na estante não faça como eu, que o deixei esperando... corre e lê o quanto antes!

site: http://www.maisquelivros.com/2015/04/resenha-geek-girl-holly-smale.html
comentários(0)comente



Izabela 26/02/2015

Sendo Geek (ou não)...
Eu não sabia muito bem o que esperar do livro, mas fazia um bom tempo que eu não lia um young adult (com o colégio de plano de fundo), então estava bem animada. Foi uma surpresa muito agradável, porque eu simplesmente adorei o livro. Ele ganhou cinco estrelinhas lá no skoob e mereceu muito cada uma delas. É um livro leve, engraçado e que, de uma forma ou de outra, nos ensina muito. Vou falar melhor o que achei sobre ele, em detalhes, aí em baixo, mas o fato é que eu verdadeiramente acho que todas as garotas (e garotos!) deviam ler esse livro. Geek ou não. A história vai bem além de ser ou não um(a) geek e bem além das passarelas de moda também. É um livro que nos lembra que somos únicos no mundo e que isso é algo maravilhoso que devemos abraçar! Se quiser conhecer um pouco melhor essa história adorável é só continuar lendo. =)

O livro conta a história da Harriet e ela é uma geek. Ela tem orgulho disso, mas ao mesmo tempo não entende como que uma coisa que é tão comum para ela, pode virar uma ofença tão grande quando sai da boca das meninas más de sua sala. Ela não entende nada de moda, mas sabe dados inacreditáveis sobre quase tudo que você conseguir imaginar. Desde a vida das baleias até datas e nomes de todas as guerras que o mundo já viu. Por outro lado, a melhor amiga dela, Nat, sabe tudo sobre a moda e, para falar a verdade, respira isso. Desde pequena ela sempre sonhou em ser modelo e, por isso, acabou arrastando Harriet para uma feira de roupas importantíssima, não pelas peças, mas porque o lugar estaria lotado de olheiros (pessoas em busca de novas modelos). O que ninguém esperava, de verdade, é que Harriet, em uma de suas trapalhadas geeks iria acabar roubando todos os olhares para ela, inclusive chamando a atenção de uma das maiores empresas de modelos do mundo.

"É a primeira e única regra. A mágica vem quando você não

está procurando por ela." - Página 30

É aí que a bagunça começa. Afinal, como que uma menina que é a definição da palavra geek (vale comentar que a definição vem escrita logo na primeira página do livro e que a personagem sempre está com um dicionário) pode virar uma modelo? Simples, ué, virando. Harriet decide que quer virar modelo, mesmo tendo que esconder essa escolha de muitas pessoas que ama e mesmo sabendo que isso viraria a vida dela de cabeça para baixo. Se ela achava que as meninas de sua escola eram más, é porque não conhecia as modelos que estavam revoltadas com a escolha surpresa da menina geek para uma grande campanha de moda. O mundo fashion pode ser mil vezes pior que os problemas escolares e Harriet estava apenas começando a descobrir isso. Entre muitas trapalhadas (mesmo), muito drama digno de Hollywood e muitas mudanças, ela vai tentando descobrir quem realmente é no mundo e logo vai percebendo uma coisa (com ajuda, é claro), ela é única.

"Diferenças são uma coisa boa. Este seria um mundo terrivelmente

entediante se todos fôssemos iguais." - Página 199

Harriet é uma personagem genial e não, não estou falando isso apenas por ela ser uma geek (o que a torna literalmente genial, rs). O livro, que é contado em primeira pessoa, é como se fosse um diário interativo da personagem e, o tempo todo, a vemos conversando com a gente, mesmo que indiretamente, criando listas, fazendo cálculos e tudo mais. O fato de que ela está vivendo uma coisa completamente nova acaba fazendo com que você se identifique com ela. Não pela parte de modelo, mas porque todos nós já passamos por grandes mudanças (ou estamos passando), sem esquecer que é comum acharmos que não somos bons o bastante e ela está aí para nos ajudar, mesmo que indiretamente, com isso. Nat é uma piada, a amiga dramática da personagem principal rendeu boas risadas e foi a definição de 'melhor amiga'. Os pais de Harriet também são um show a parte, para falar a verdade, todos os personagens são assim. Mesmo os que aparecem em apenas uma página. Naquela única página eles vão fazer você se divertir. Pelo que entendi, a autora colocou muito da vida dela no livro e acho que isso que deu esse gostinho tão bom.

Se você ainda está no colégio esse livro é (tipo assim) uma leitura obrigatória, ok? Seja você uma menina ou um menino e seja você geek ou não. Como disse no começo, estamos falando de um livro young adult e esse livro é realmente perfeito para quem está começando o Colegial ou ainda está terminando o Ensino Fundamental. Isso não quer dizer que só quem está nessa fase vai gostar (afinal eu gostei e estou no último ano da faculdade, rs), mas quem está vai conseguir aproveitar ainda mais e, quem sabe, vai conseguir tirar muita coisa boa da história. O foco não é o romance e muito menos a vida brilhante de uma modelo, mas é sim sobre as descobertas que fazemos enquanto estamos crescendo, as verdadeiras amizades e a importância da família durante toda essa bagunça. Não posso terminar de falar desse livro sem falar da diagramação dele. Normalmente não comento isso, mas esse merece! A editora está de parabéns (até comentei sobre isso no twitter). Todas as páginas têm desenhos na numeração e em algumas folhas temos equações e coisas que combinam muito com o livro e, de certa forma, o deixam ainda mais delicado. Leitura obrigatória, ok? Ok.

site: http://www.brincandodeescritora.com/


Fernanda 04/02/2015

Resenha: Geek Girl
CONFIRA A RESENHA NO SEGREDOS EM LIVROS:

site: http://www.segredosemlivros.com/2015/02/resenha-geek-girl-holly-smale.html
comentários(0)comente



Ju 27/01/2015

[ Resenha ] [Book Tour] : Geek Girl {livro 01} - Holly Smale
Harriet Manners é uma garota inteligente que sofre bullying por "não se encaixar" entre os adolescentes da sua idade. Nat, sua melhor amiga sonha em ser modelo e arrasta a amiga para ajudá-la a realizar o seu sonho. Harriet só não esperava que o jogo mudasse e ela entrasse no meio do caminho e do sonho da melhor amiga. Em pouco tempo, a menina é jogada no meio do mundo da moda sendo vista como uma promessa e tendo que trabalhar com um modelo muito gatinho. Seu pai comemora a novidade enquanto a sua madrasta reluta em aceitar. A relação dos pais dela (sim, a madrasta a criou como filha) rende muitas risadas, os dois são muito engraçados e fogem um pouco do "estereótipo" de pais comuns.

Apesar de não ter sido nerd durante a adolescência, me identifiquei muito com a Harriet. Ela é uma jovem ingênua, simples e fiel aos seus amigos e família que quer viver a sua vida comum, mas é contagiada pelo "E se..." e decide apostar em um futuro diferente. O livro é muito divertido e tem uma narrativa gostosa. É um daqueles livros que perdemos a noção do tempo e só notamos quando chegamos ao fim. E bate uma saudadezinha da história *--*
Bem escrito, o livro Geek Girl (o primeiro da série que leva o mesmo nome do título), escrito por Holly Smale e publicado pela Editora Fundamento é cheio de reviravoltas e super indicado para o público infantojuvenil que gosta de histórias repletas de aventuras e muitas confusões. O livro também aborda questões importantes como amizade, família e identidade. GG foi um livro que deixou um gostinho de quero mais e que estou doida pra ler a continuação e saber o que acontece com Harriet e cia. Leiam, pois é diversão garantida ♥ Para quem não sabe, tive a oportunidade de ler Geek Girl graças ao Book Tour organizado pelo "Estante das Fadas".



site: http://novosescritores.com/profiles/blogs/resenha-book-tour-geek-girl-livro-01-holly-smale
comentários(0)comente



Gabi 07/01/2015

Eu
Esse livro é bem minha cara, tipo, eu era do jeito da Harriet (mentira) sempre tive uns parafusos a menos, (Se quiser saber do livro e pular o meu blá blá blá, vá direto as palavras em caps lock) mas me importava com que as outras pessoas achavam de mim e detestava quando falavam que eu era chata ou que eu falava muito. Mas acho que com o tempo todo mundo aprende a lidar com sigo mesmo, eu aprendi, e quando falam que eu sou chata eu sempre respondo um obrigada, e quando reclamam da minha falação eu apenas digo: eu sei que falo muito e, claro, tento reduzir, mas isso não tem nada a ver com o livro, na verdade um pouco. PRA RESUMIR: esse livro fala de como devemos ser quem somos, independente da situação que nos encontramos!
comentários(0)comente



Julia Ellen 25/12/2014


Eu amei o modo como a escritora brinca com as informações inteligentes! Não são todas as pessoas que irão gostar do livro, mas pra quem é um pouco tímido, pode se identificar com a Harriet!
comentários(0)comente



Laura 23/12/2014

Gostei
Realmente eu esperava um pouco mais do livro, porém é uma leitura agradável, leve e divertido, e realmente recomendo para as pessoas que querem ler um livro leve, o lado ruim é que não me apeguei a personagem principal.
comentários(0)comente



Michele Bowkunowicz 10/12/2014

recomendo!
Geek Girl segue a história de Harriet Manners, uma adolescente de 15 anos, que, por definição, de acordo com o Dicionário de Inglês Oxford, é uma geek. Ela tem conhecimento profundo sobre qualquer assunto, está sempre lendo, mas não tem habilidades sociais. Ela tem uma amiga de infância, Nat, que tem o sonho de ser modelo desde que ela era pequena. Na escola, ela é intimidada pelos colegas, e em especial, Alexa, que sempre faz do seu dia um inferno.....

Leia mais em meu blog Lost Girly Girl

site: http://www.lostgirlygirl.com/2014/10/resenha-464-geek-girl-holly-smale.html
comentários(0)comente



@EqualizeLeitura 30/11/2014

[RESENHA] Geek Girl
Eu fui convidada pela Carol do Estante das Fadas a participar do Book Tour do livro Geek Girl. Confiram, então, a minha resenha.

Harriet é uma super geek de 15 anos. Sofre bullying na escola por ser inteligente demais e desajeitadamente sociável e, claro, não possuir a beleza que é estampada nas capas de revistas e das meninas que desfilam na sua própria escola. Nat é a sua melhor amiga e desesperadamente apaixonada por moda e sonha em ser uma modelo reconhecida e popular. A oportunidade de Nat vai acontecer na feira Téxtil de Birmighan, que é onde todos os olheiros vão à caça. O que Harriet não esperava é que fosse ser obrigada a ir e que sua vida mudasse completamente quando é escolhida por um olheiro para lá de excêntrico. Como vai explicar para a melhor amiga que ela nunca quis o lugar dela, que está indo viajar para a Rússia, explicar para sua mãedrasta que pessoas querem que ela desfile e controlar a euforia do pai maluco?

Talvez isso seja uma questão de pensar positivamente. De acreditar que todos nós podemos mudar, se nos esforçarmos o suficiente.


Fazia muito tempo que eu não lia nenhum livro infantojuvenil - e confesso, hoje em dia não é o meu gênero super favorito do mundo, depende muito da história -, e talvez, por isso, acabei achando a história um pouco surreal e chatinha. É tão clichê (e verdadeiro) terem pessoas que nos odeia sem motivo aparente na escola, todas as confusões que nos metemos sem perceber. Achei um pouco fora da realidade a história, mas se você for ler a orelha do livro você descobre que a autora reescreveu tudo o que viveu.

A narrativa do livro é bem divertida, já que Harriet possui um humor bem inteligente, o que é interessante de acompanhar, principalmente quando a autora aborda outros temas como o bullying, o novo formato de família que vem se formando e como nos importamos tanto com a opinião alheia, além, é claro, da amizade. Ela vai descobrindo que para viver bem e tomar qualquer outra atitude na vida é necessário que saiba se aceitar, e aceitando isso, tudo vai mudar ao seu redor, incluindo a própria família do modo de enxergar quem você se tornou. O pai é um publicitário que fala o que quer para o cliente, mesmo quando não deve. A mãedrasta é uma advogada que está acostumada a ter tudo sob controle. Eles formam um par um tanto estranho e que, inacreditavelmente, funciona. Achei fofo o modo como a família foi representada.

Em Geek Girl vamos acompanhar o crescimento da Harriet de maneira divertida. Todos os diálogos são dosados com alguma palavra divertida, uma frase completa que vai fazer você rir ou uma cena na qual você vai se identificar ou fazê-lo lembrar de algo da própria adolescência. Tem personagens bem marcantes, que se destacam quando tem que aparecer, mas ainda senti um quê de roteiro de filme, que faz com que a história não se encaixe como real na minha cabeça.

O universo tem me mostrado repetidamente que não tem nenhum respeito por marcadores, indicadores, listas ou tabelas. [...] Pela primeira vez na vida, vou apenas tentar ir de um momento para o outro e ver onde acabo. Como um ser humano normal.


Para um livro adolescente, essa capa não funciona. Eu, particularmente, não gosto de capas com fotos de banco de imagens. E me incomoda de um tanto que o título do livro esteja escrito em cima do olho da modelo, não parece certo ele está ali. Eu teria optado por algo mais jovem e chamativo, atraente e criativo para essa capa, deixando bem claro qual é o público-alvo e atraindo a atenção. Enquanto essa modelo parece trabalhar o dia todo em um escritório, a Harriet é divertida e uma geek. Ela não está representada ali.

site: http://www.equalizedaleitura.com.br/2014/11/resenha-geek-girl.html
comentários(0)comente



Uly Santos 25/08/2014

Geek Model
Lançado pela editora fundamento, Geek Girl é o primeiro livro da trilogia que conta a estória de Harriet Manners.

Quando li a sinopse a primeira vez não me chamou muito a atenção. Mas, após pesquisar mais sobre o livro fiquei curiosa.

Harriet é uma geek, geek de verdade. Ela é inteligente e se diverte estudando(bastante). Ela não tem nenhum senso de moda, na verdade ela odeia moda. Mas, quem diria que a moda iria ama-la?

Você sabia que, antigamente, a palavra “geek” era usada para descrever um daqueles artistas de parque de diversão que arrancavam a cabeça de uma galinha, cobra ou morcego vivo com os dentes, como ponto alto de seus shows?...

Leia a resenha completa no blog.

site: http://itgeekgirls.wordpress.com/2014/08/22/resenha-geek-girl-holly-smale/
comentários(0)comente



Jessica Oliveira 03/06/2014

Resenha para o blog Books and Movies
Geek Girl é o primeiro livro da série homônima, conta a história de Harriet Manners uma garota nenhum pouco popular que sofre duras penas por ser inteligente demais, não possuir habilidades sociais e ainda por cima não ter uma beleza clássica. Mas nem tudo está perdido, Harriet pode sempre contar com a ajuda de Nat, uma garota completamente diferente de Harriet, ela gosta de moda e seu maior sonho é se tornar modelo.

Todos os anos acontece a feira Téxtil de Birmighan, é lá que os olheiros da moda escolhem as próximas modelos para suas campanhas e Nat está disposta a ser uma das escolhidas. Já Harriet se contentaria em terminar o dia sem nenhum tipo de acidente, algo que infelizmente não acontece. A garota é um desastre ambulante e por onde passa, o caos a acompanha.

Após destruir diversas bancas de expositores e ficar devendo uma quantia exorbitante para os seus donos, Harriet é "marcada" por um olheiro de uma grife de roupas muito famosa, ele a acha perfeita, um sopro de ar refrescante no meio de um mar de rostos belos e perfeitos. Ela sabe que esse é o sonho de Nat e que, ela como melhor amiga deve dizer um sonoro NÃO e virar as costas. Mas ela também sabe que essa é a sua única oportunidade de deixar de ser a Geek que todos odeiam e, se torne uma garota confiante, bela e que todos admiram.

Harriet é aquele tipo de personagem que consegue arrancar um sorriso do leitor quando você menos espera, carismática e um caos ambulante, a garota consegue ser charmosa na sua essência geek. Não tem como não se apiedar das piadas e brincadeiras de mau gosto que fazem com ela, acredito que todos que já foram jovens e sofreram bullyng irão se sentir muito próximos de Harriet.

Mas não é apenas a personagem principal que consegue encantar o leitor, Anabel madrasta de Harriet e uma advogada que entre a família é conhecida como Lobmulher, pelo seu temperamento explosivo, é uma personagem que apesar de sua aparência de durona no fundo é uma pessoa que ama muito a enteada e que faz de tudo para que ela se aceite como é. Outro personagem que merece destaque é o pai da Harriet, um homem de meia-idade que adora se comportar como um adolescente, acredito que não foi somente os cabelos vermelhos que Harrie herdou do pai, a falta de aptidão social também.

Em suma, só posso dizer que Geek Girl é um ótimo livro que traz uma bela mensagem de aceitação e risadas garantidas. Para quem curte um bom livro adolescente acredito que Geek Girl é um prato cheio, estou completamente ansiosa pelos próximos livros da série.

site: www.booksandmovies.com.br/
comentários(0)comente



Carol Rodrigues 28/05/2014

Geek Girl - Holly Smale
"Talvez isso seja uma questão de pensar positivamente. De acreditar que todos nós podemos mudar, se nos esforçarmos o suficiente."

Como eu estava precisando desse livro! Sei que o começo da minha resenha parece um pouco pessoal demais, mas sinceramente? Não tem livro mais gostoso de se ler. Geek Girl é bem humorado, inteligente, possui uma história cativante e acima de tudo, é completamente único.

Harriet Manners tem quinze anos de idade e é intitulada como "geek". No seu mundo, ser uma geek é um pesadelo completo! Nenhum menino, inimizades, só uma amiga, um outro geek maluco-perseguidor-de outras-geeks e por aí vai... Sua melhor amiga é Nat, uma garota linda e que sonha em ser modelo. Quando tudo parece normal no mais estilo nerd possível, Harriet é achada por um olheiro maluco-doido cheio de purpurina que não se cansa de dizer: Você é a nova moda! A partir daí, agenciada na Infinity Models, a vida de Harriet vira do avesso.

Sua melhor amiga acha que a mesma está roubando seu maior sonho, sua madastra, Annabel, alega que ser modelo não é uma profissão digna, e a própria Harriet não tem conhecimento nenhum sobre moda. Afinal, segunda a mesma: São só roupas! No desenrolar de tudo isso ainda somos apresentados a Nick, um supermodelo lindo de doer que está cada vez mais presente na vida da jovem.

Por mais complicado que tudo isso pareça ser, a nossa geek preferida chamada Harriet consegue ministrar muito bem com seu bom humor e conhecimento pra lá de estranho! É um livro com capítulos curtos, de leitura muito rápida e prazerosa. Acabei de ler querendo muito mais! E também admito que me identifique com Harriet em alguns pontos e acredito que todo leitor meio nerd também vai... Eu recomendo esse livro para todos que querem (ou precisam) de uma história fascinante, completa e bem construída sobre aceitação de si mesmo. Ser geek, por exemplo, pode não ser tão ruim assim.

"O universo tem me mostrado repetidamente que não tem nenhum respeito por marcadores, indicadores, listas ou tabelas. Planos não funcionam e, mesmo quando poderiam funcionar, ou deveriam funcionar, as pessoas os ignoram. Pela primeira vez na vida, vou apenas tentar ir de um momento para o outro e ver onde acabo. Como um ser humano normal. Ou, você sabe, uma abelha."

Site: www.estantedasfadas.com.br

site: http://www.estantedasfadas.com.br/2014/05/resenha-geek-girl-holly-smale.html
comentários(0)comente



31 encontrados | exibindo 16 a 31
1 | 2 | 3