A Mulher Enjaulada

A Mulher Enjaulada Jussi Adler-Olsen




Resenhas - A Mulher Enjaulada


29 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Geórgea 08/07/2020

A mulher enjaulada
Em 2002, a jovem Merete Lynggaard está com a carreira política em ascensão. Em meio a cenários políticos de intrigas e mentiras, ela se destaca por ser inteligente, humana e muito diplomática. Por isso, quando ela some de maneira misteriosa em um cruzeiro, muitos suspeitos são cogitados. No entanto, apesar de diversas buscas, ela nunca foi encontrada – viva ou morta.

“Ela se distanciava das pessoas de sua vida, fechando-se em si mesma.”

Uma mulher que levava uma vida misteriosa, sem se envolver com ninguém, mantendo todos afastados. Enquanto sua carreira e vida pessoal são especuladas pelos jornais, sentimos que Merete esconde um segredo. Seria esse segredo o responsável pelo seu sumiço?

Alguns anos após esse caso ser arquivado, o detetive Carl Mørck – que possui diversos problemas familiares e com o trabalho – é designado como responsável pelo recém criado Departamento Q. Essa seção é responsável por reabrir casos não solucionados e descobrir o que de fato aconteceu. Um dos casos que caem em suas mãos é o de Merete, que permanece até o momento sem conclusão. Caberá a ele, com todas as limitações e falta de pistas, descobrir o que aconteceu. Contando com o auxílio de seu assistente Assad, eles descobrirão no passado dessa mulher a resposta para suas dúvidas.

Minha Opinião

Como fã de livros de suspense policial, adoro uma investigação sem solução. Este livro foi indicação de uma amiga que também adora o gênero, por isso, já fui com a certeza que encontraria algo muito interessante. A trama é bem estruturada, escrita e amarrada. No entanto, em 40% do livro, eu já havia “desvendado o mistério”. Para aqueles que estão acostumados com esse tipo de narrativa, não será muito difícil matar a charada depois de algumas pistas. Mesmo assim, a história é uma ótima pedida para os fãs do gênero, principalmente para aqueles que estão começando a se aventurar nesse mundo.

Carl é uma pessoa peculiar. Não consegui me conectar com ele em nenhum momento. Um detetive que já teve muito sucesso e empatia, mas que com o tempo ficou “endurecido” com o trabalho e as situações encontradas. Ele não é bem visto pelos seus colegas e chefes, sua vida familiar é completamente conturbada e, recentemente, ele passou por problemas sérios em um dos seus últimos casos. Por isso, a construção do personagem, durante a narrativa, nos revela um pouquinho mais de humanidade. Embora eu não tenha criado simpatia por ele durante a jornada.

Do lado oposto, Merete é a queridinha da imprensa. Ela tinha um futuro glorioso, cheio de conquistas, mas também despertava inveja e raiva entre as pessoas. Só isso nos faz perceber que muitos poderiam desejar o seu desaparecimento. Desde o começo sabemos que ela esconde um segredo em sua vida pessoal, algo que nem os jornalistas mais empenhados conseguem desvendar. Conforme avançamos no livro, compreendemos seu passado e o que a levou até ali. Suas revelações são bem impactantes, embora não sejam tão originais.

“Seus músculos se contraíram e a pele ficou úmida. Ela teria apenas uma chance de escapar dali.”

O novo departamento criado, nos faz perceber que alguém quer Carl bem longe de certos casos. Além de já estar fadado ao fracasso, com pouca verba, apenas dois funcionários e uma centena de casos sem solução, nos mostrando que a influência de certos personagens pode ser perigosa. Política e polícia andam lado a lado para confundir algumas situações e manter a população alheia a certos fatos.

Esse é outro ponto muito importante. O jogo de poder. Percebemos pelos diálogos grandes críticas e alfinetadas nos políticos, na esquerda e na direita, no que eles fazem para conseguir votos. Salientando, como sempre, o quanto o dinheiro pode comprar tudo. Muitos nomes passarão durante a narrativa, por isso, não se surpreenda se ficar perdido em alguns momentos. Além disso, por serem nomes diferentes do que estamos acostumados, fica mais difícil guardar todas as descrições e fatos importantes.

“Ela sabia que um dia acabaria enlouquecendo. E essa seria a maneira de se libertas dos pensamentos sombrios que povoaram sua cabeça e contra os quais travava uma dura batalha. No entanto, ainda não se sentia preparada para essa realidade inevitável.”

Mas e a mulher enjaulada do título? Essa mulher misteriosa, que vive em condições desumanas e deploráveis aparecerá em diversos momentos da narrativa. Por que ela está lá? Quem ela é? Acho que você já imagina. Aos poucos você juntará os pedaços e entenderá pequenos detalhes que pareciam não fazer sentido até então.

Os capítulos são curtos, mas a narrativa é rápida. Ficamos indo e voltando de 2002 para 2007. Aos poucos juntamos os pedaços dessa estranha história, no entanto, algumas situações que levaram a descoberta do mistério me deixaram um pouco incomodada. É um livro ruim? Não. Poderia ser melhor? Sim. Entretanto, vale a leitura.

site: https://resenhandosonhos.com/a-mulher-enjaulada-jussi-adler-olsen/
comentários(0)comente



Brubs 14/06/2020

Uma ótima surpresa
Já fazia um tempo que eu queria ler esse livro, mas fiquei enrolando porque estava em uma ressaca literária sem fim.
Felizmente resolvi começar e que surpresa maravilhosa. A narrativa é fluida, você sente a angústia e a ansiedade pra que o caso seja resolvido e realmente se envolve na história. Nos momentos que eu não estava lendo me pegava pensando que precisava terminar pra saber logo o que iria acontecer.
Esperava que a história de um dos personagens fosse mais explorada, já que é bastante cativante, mas no geral não deixa a desejar.
Com certeza ele entrou pra minha listinha de livros que vivo indicando.
comentários(0)comente



Giovanna 13/06/2020

Poderia ter sido cinco estrelas, mas deixo três (e meia)
Comecei a ler sem saber muito sobre o que aconteceia no livro e, por mais que eu tenha sofrido um pouco com os nomes das pessoas e das cidades dinamarquesas, logo a trama me prendeu e eu não queria deixar o livro de lado, extremamente ansiosa para descobrir a grande motivação de quem deixou Merete enjaulada. Gostei do Carl e do Assad, achei que a dupla funcionou muito bem e achei o modo como Merete ficou presa totalmente perturbador (o que me deixou ainda mais curiosa). Tinha tudo pra ser a grande leitura do meu ano, finalmente um livro de mistério que eu poderia dizer que adorei do começo ao fim, até que... chegou a resolução do caso. Achei a motivação do vilão da história MUITO fraca e nada proporcional ao sofrimento causado à mulher enjaulada. O confronto final foi mais do mesmo, a mesma ladaia que acontece em toda história de mistério e eu me decepcionei por ter começado a esperar algo diferente.
Para quem não se importa com essas coisas, é uma ótima leitura, gostei da escrita do autor e do desenrolar da história, só tive uma grande decepção com o que considero ser o principal.
comentários(0)comente



Erick 06/06/2020

Um dos melhores trilhers que li esse ano.
comentários(0)comente



Suka - Pensamentos & Opiniões 21/04/2020

Primeiro livro da série do Departamento Q, uma série de 7 livros com apenas 2 publicados no Brasil (infelizmente). Nesse primeiro livro conheceremos Carl Mørck, um investigador criminal que volta a atuar após um incidente que resultou na morte de um de seus companheiros e o outro paraplégico num hospital, ainda traumatizado ele é colocado nesse novo departamento, o departamento Q, que terá como objetivo tentar solucionar casos passados que foram arquivados.
E ele irá escolher o caso de Merete Lynggaard, vice presidente do partido democrático, bem sucedida, que sumiu quando ia viaja com seu irmão.
A história irá ser intercalada entre 2007 enquanto Carl busca solucionar o caso e o passado de 2002 contando a história de Merete.
Não vou prossegui contando mais sobre a história, pois possa acabar soltando spolier, o que digo é que esse livro me prendeu do início ao fim, o prólogo é uma faísca para continuar a leitura, ele me instigou a prossegui, durante a leitura e toda a investigação, acabei deduzindo muitas coisas, o que fez com que a leitura fluísse para mim, pois fico instigada a continuar quando acho que descobrir muito da história. E de fato acabei acertando, outro ponto que eu gostei bastante é o livro ser ambientando na Dinamarca, fugindo assim do que já estou acostumada a ler, conheci esse livro através de uma leitura coletiva, para algumas meninas o livro demorou a andar, para mim foi maravilhoso e uma escolha excelente.
Gostaria de poder ler toda a série mais infelizmente não temos todos os livros lançados aqui no Brasil e isso é bem frustrante, quando a editora não lança as continuações.

site: http://www.pensamentosopinioes.com
comentários(0)comente



Liih 09/04/2020

Intrigante
Uma mulher some misteriosamente e sem deixar rastros, e durante 5 anos as pessoas acreditam que ela esteja morta, porém Carl um detetive não muito entusiasmado e que acaba de passar por uma situacao dificil recebe uma promoção e passa a trabalhar apenas com casos arquivados e acaba se deparando com o misterioso sumisso, e vai fundo nas investigações para solucionar isso.
O livro intercala a narrativa entre os dois, com Carl descobrindo pistas que podem levar ele a saber o que realmente aconteceu, e ela contando como é viver em seu cativeiro e ver a morte dia após dia.

Não sou muito fã desse tipo de leitura, porém eu gostei, tive algumas dificuldades durante, mas nada que tornasse ruim.
Achei o final muito rápido e se senti falta de mais falas de Merete.
comentários(0)comente



Patricia.Povoa (PT) 01/04/2020

Bom mas de evolução lenta
comentários(0)comente



Carol Nery 31/03/2020

Realmente o que falam dele
Uma história que espera há mais de um ano na minha TBR, e minha expectativa sempre teve lá em cima por causa das recomendações de gente que entende do assunto.
Ok! Ansiosa estava e finalmente chegou o momento onde conheci a história que, não tinha nada do que eu supôs inicialmente só olhando a capa.
Adorei o desenvolvimento das personagens principais. Gostei das histórias entrelaçadas e do resultado disso tudo quando chegou o grande final.
Emocionante é o que tenho pra hoje.
Leiam! E que venha o próximo.
Lucia.Ferreira 18/05/2020minha estante
Esse livro pra mim é perfeito. Personagens bem desenhados, a trama bem amarrada, que vai crescendo, crescendo e o final chega da agonia na gente. Uma escrita crua, sem enrolação. Vc percebe que o autor vai tirando leite de pedra. Qdo a gente vê uma porta fechada, aparece uma fresta de janela. É demais esse livro. Eu amei.


Carol Nery 18/05/2020minha estante
Ah, Ana querida. Falei de você ali na Mini resenha. Você é o alguém que entende do assunto. hahahhaa Amo suas indicações. Sempre valem à pena.




Valéria Cristina 23/03/2020

Excelente
A história é muito bem conduzida e prende o leitor do começo ao fim.
comentários(0)comente



Marcos.Melo 21/02/2020

Surpreendente!
Merete Lynggaard é uma mulher respeitada no cenário político da Dinamarca, cuja carreira encontra-se em franca ascensão e seu nome está sendo cogitado para os cargos mais elevados dentro do seu partido. No entanto, durante uma viagem de lazer, ela desaparece misteriosamente e a única possível testemunha é o seu irmão que possuem diversas limitações. No fim, como as investigações não avançam Merete é considerada morta.

Na outra ponta da história segue o detetive Carl Mørck desacreditado e recentemente "promovido" a um novo setor da polícia dinamarquesa, após uma operação fracassada que gerou sérios traumas para o detetive. O objetivo desse novo setor é cuidar de antigos casos não solucionados.

Perturbado e desorientado recebe ajuda do seu novo e fiel assistente Assad para iniciar este novo trabalho e, ao investigar o estranho desaparecimento de Marete, o detetive Carl encontra diversas inconsistências na investigação e resolve reabrir o caso.

Para quem é fã de um bom thriller psicológico este livro é uma ótima pedida.

A narrativa oscila entre o passado (2002) e o presente (2007) e aos poucos a trama vai aproximando estas duas datas narrando todos os acontecimentos,ano a ano, em um ritmo frenético.

Alguns trechos são bem pesados e angustiantes, mas, de fato, prende a atenção.

A história transcorre no mesmo ritmo do início ao fim sem poupar detalhes. No final o autor demonstra extrema habilidade em amarrar a trama e nenhuma ponta fica solta...tudo é explicado.

Recomendo!
comentários(0)comente



Kelly.duarte 08/02/2020

Surpreendeu
Iniciei o livro sem muitas expectativas, pois não conhecia a autora, ou autor, no início me senti confusa por conta dos nomes dos personagens, porém com o passar das páginas, confesso que minha curiosidade só foi aumentando e não consegui mais largar, amei o livro, o enredo e o desfecho. Por algum momento imaginei quem poderia ser o vilão, e mesmo acertando, tudo no livro me surpreendeu, com certeza vou ler os próximos livro da série.
comentários(0)comente



mirna 16/12/2019

A Mulher Enjaulada
Terminei o livro A MULHER ENJAULADA.
????

Esses escritores Dinamarqueses, Suecos... arrasam na escrita de suspense. Sou fã de Jo Nesbø, Stieg Larsson e outros que lembro agora. Nesse livro, fiquei angustiada, sufocada e chocada com a descrição do sofrimento de Merete em uma jaula durante tanto tempo. Carl e seu companheiro Assad (por sinal um personagem bem interessante, às vezes cômico) são designados para um novo departamento para resolver casos que não foram solucionados por outros policiais e se deparam com o possível suicídio de Merete, ou seja, um caso nunca solucionado pq nunca apareceu um corpo. 5 anos se passam e Carl é colocado como chefe desse departamento para tentar desvendar o caso. Um livro bem interessante e pelo que vi, esse é o primeiro de uma série que se chama "Departamento Q."
comentários(0)comente



Thais.Justino 06/08/2019

A Mulher Enjaulada
Como eu amo um bom thriller! ♥ Pelo mistério, correria, passo a passo da investigação policial. Em A Mulher Enjaulada a criação de um setor especial administrado pela divisão de homicídios da polícia de Copenhague é o último recurso para a solução de vários casos importantes ainda em aberto. O pouco estimado Departamento Q fica nas mãos do carrancudo detetive de polícia Carl Morck, policial veterano em crise de consciência, recém recuperado de uma tentativa de homicídio que custou a vida de um de seus parceiros.

O primeiro caso que desperta o interesse de Carl e seu fiel escudeiro assistente Assad é o misterioso desaparecimento de Merete Lynggaard, famosa política em ascensão até desaparecer do mapa em meados de 2002, cinco anos antes. Só que o mais legal é que NÓS sabemos o que aconteceu com Merete e acompanhamos sua agonia sem fim em capítulos alternados. A moça está enjaulada numa terrível câmara, sem qualquer contato humano, sofrendo uma das piores torturas psicológicas possíveis.

Diferente de outros casos, desta vez acabei solucionando o crime bem antes do final do livro (geralmente fico boiando). Não que tenha perdido a graça por causa disso, foi o tipo de previsibilidade que me fez sentir parte da investigação com palpites e suposições. Fiquei naquela agonia gostosa para conferir o desenrolar dos acontecimentos.

Por um lado, temos uma investigação em que apenas dois caras dão atenção ao desaparecimento de uma mulher quando todos já a deram como morta. Por outro, visualizamos tudo que a pobre está passando, ainda que anos no passado, até o tempo convergir para um clímax conjunto em 2007, ano corrente. A investigação bem conduzida com idas e vindas entre passado/presente, junto à procura de pistas perdidas com seus caminhos e desvios foram suficientes para minha completa imersão.

Carl não é particularmente carismático, mas conquistou minha simpatia nos seus defeitos e virtudes, principalmente ao lado de Assad, seu misterioso e simpático assistente muçulmano com suas atrapalhadas divergências culturais. Aos poucos os dois vão se envolvendo mais profundamente no caso e começam a descobrir diversos furos que a polícia deixou passar anos antes, cobrindo todos os rastros possíveis na procura de respostas.

Ainda que tenhamos vislumbres dos anos de Merete na câmara de terror, não nos é passado motivos ou algozes, é algo que vamos descobrindo durante a investigação, onde poderemos exercitar o raciocínio analítico e tirar nossas próprias conclusões. O legal é que o autor nos dá material para tornar isso possível. Não é aquele negócio impossível e mirabolante que a gente fica se sentindo tapado quando termina por não ter cogitado a solução, ou tão improvável a ponto de só funcionar na ficção. Tem doido pra tudo, particularmente, achei possível.

Apesar de algumas cenas pesadas e todo terror psicológico alheio, o livro é uma delícia de ler. Só na literatura, ok? Não venham me chamar de psicopata depois kkkk. A trama é bem conduzida, os personagens são bem construídos e o emaranhado de pistas irá convergir para a solução do mistério, ainda que tenha me parecido meio óbvio tão longo tomei conhecimento de certo fato. Vale ressaltar (com felicidade) que este é o primeiro volume da série Departamento Q (cada livro é um caso).
comentários(0)comente



Rosângela 05/08/2019

climatizaçao
Como ja temos muitas resenhas feitas sobre o livro, vou resumir em pontos fracos e fortes:

Fracos: Erros de digitaçao, tem trechos que perdem o significado porq faltam palavras, existem palavras que faltam letras etc. Segundo, muita referencia geografica e politica, nao impedem a leitura, mas sao grande parte do livro. Terceiro, protagonista diminuido pra favorecer biscoitagem de Assad.

Fortes: Boa apresentaçao dos personagens, sem militar minorias, uma raridade numa era de vendidos, segundo, enredo original em alguns aspectos e terceiro final razoavel.
comentários(0)comente



Anderson 29/05/2019

A história é até interessante, porém não curti a escrita desse autor , é tanto que demorei muito pra finalizar a leitura.
comentários(0)comente



29 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2