A Parte Que Falta Encontra o Grande O

A Parte Que Falta Encontra o Grande O Shel Silverstein




Resenhas - A Parte Que Falta Encontra o Grande O


18 encontrados | exibindo 16 a 18
1 | 2


Sugada Por Um Livro 01/11/2018

Uma obra que ultrapassa o tempo.
O livro “A Parte Que Falta Encontra o Grande O”, do saudoso escritor Shel Silverstein, publicado pela @companhiadasletras com o selo da @companhiadasletrinhas

Ele é a continuação do livro “A Parte Que Falta”, em que continuamos na eterna busca de uma parte que nos falta.

Um livro infantil que ultrapassa a barreira do tempo atingindo todas as idades, uma vez que estimula o leitor a fazer uma autorreflexão sobre sua jornada, seja ela na vida profissional ou pessoal ou amorosa. É um verdadeiro ensinamento.

O autor ressalta, em cada livro, a busca do amor-próprio para no fim encontrar a felicidade que tanto buscava.

Será que a parte que falta na sua vida não estava com você esse tempo todo?
Passamos a vida procurando algo que nos falta e muitas vezes estavam na nossa frente. Você está pronto para esta jornada?

Curiosidade: 1. Shel Silverstein (1932 – 1999) começou a desenhar e a escrever aos 12 anos; 2. Estudou arte, porém nunca completou o curso devido às notas baixas; 3. Suas primeiras histórias foram publicadas em um jornal militar, enquanto servia o exército na Coreia; 4. Ele foi poeta, compositor, músico, cartunista e autor de livros de infantis;

Ps. 1. É um livro de fácil leitura que no máximo em cinco minutos você é capaz de ler; 2. Se você não sabe que livro dar de presente para um amigo ou colega, eu indico este livro ou o primeiro “A Parte Que Falta”; 3. Você não precisa ler o primeiro livro para ler o segundo; 4. Já li este livro umas cinco vezes e sempre tenho uma nova interpretação e posso ressaltar que ele é profundo; 5. Você já leu?; 6. Qual o livro que você indica?
Fonte de pesquisa: O próprio livro e Wikipedia

site: https://www.instagram.com/sugadaporumlivro/
comentários(0)comente



Felipe Miranda 09/08/2018

A Parte Que Falta Encontra o Grande O - por @ohmydogestolcombigods
A gente bem sabe que um bom livro infantil é aquele que ensina sem recorrer ao sermão, certo? Uma história infanto-juvenil, no fim das contas, usa dos recursos mais lúdicos possíveis para entreter uma criança e fixar uma mensagem para o resto de sua vida. Certo, talvez algumas histórias sejam apenas entretenimento, mas o caminho mais responsável é aliar diversão com conhecimento nesses primeiros contatos literários.

Na sequência de “A Grande Parte que Falta”, que assim como milhares de pessoas eu li apenas no Youtube juntamente com a Jout Jout, o autor Shel Silverstein segue com seu discurso sobre amor próprio fazendo o uso de pouquíssimos recursos. Traços simples e até grosseiros contam a história da nossa vida. Te todos nós sem tirar nem por. É realmente chocante como pode caber tanto numa construção tão simples e voltada para o público mais jovem.

Eu não chorei ou me comovi profundamente, mas não sou burro em negar: há uma mensagem importante nessas páginas quase em branco. Há uma verdade nas entrelinhas desse círculo saltitante que está sempre em busca de alguém para completá-lo.

A vida é essa série de encontros intermináveis. Esse conjunto de experiências intensas que parecem ser para sempre e na maioria das vezes não será. O que eu levo para vida pós-leitura é algo sobre autossuficiência. É possível habitar o mundo sozinho porque no fim das contas sua presença nele pode mudar o curso de muitas coisas. Eu e você somos partes inteiras antes de ser parte do todo, do outro. Se amar é o primeiro passa para multiplicar e dividir esse sentimento, esse estado de espírito.

E no mais, é bem injusto resenhar um livro tão pequeno que você lerá em 30 minutos, né? Tenha sua experiência por completo!

site: http://www.ohmydogestolcombigods.com.br/2018/07/resenha-a-parte-que-falta-encontra-o-grande-o-shel-silverstein.html
Priscilla 20/02/2020minha estante
De fato, "é realmente chocante como pode caber tanto numa construção tão simples!".




Marcela Nogueira 29/03/2018

Leitura rápida porém profunda
Com poucas palavras, trás um retrato de relacionamentos e do vazio interior em uma sociedade que prega a necessidade de coisas e pessoas para a completude.
O final traz a conclusão que ficou faltando no livro "A Parte que Falta".
Por ser ilustrado pode ser confundido com um livro infantil.
Mas não é.
comentários(0)comente



18 encontrados | exibindo 16 a 18
1 | 2