Um Milagre Chamado Grace

Um Milagre Chamado Grace Kristin von Kreisler




Resenhas - Um Milagre Chamado Grace


22 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Larissa 24/11/2020

Um livro muito fofo e inspirador
O amor pode aparecer em diversas formas para aqueles que se permitem à isso.
O livro traz muitas lições que podemos aplicar em nossas vidas.

“Achar que algo é culpa sua é uma maneira de se enganar e achar que tem controle de tudo. O problema é que não controlamos muita coisa neste universo. A maior parte do que acontece está além de nós."
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Fernanda 22/06/2019

Grace é encantadora...
A protagonista é bem chata, começa a melhorar no final do livro. Mas todo o resto é encantador. Me deu muita paz ler este livro, foi uma leitura leve e agradável. É como se Grace fosse real, e você conseguisse sentir a presença dela, e quisesse abraçá-la. E sentisse a mudança que ela fez na sua vida, enchendo os seus dias de amor.
comentários(0)comente



Mari 30/12/2018

Previsível
Toda a história, que possui um desastre como o ponto inicial e passa pela fase da superação (incluindo Grace nela) é extremamente previsível e é tarefa fácil adivinhar seu rumo. Creio que alguns pontos se perderam no meio do livro e o deixaram um pouco a desejar, portanto, não deixa de ser uma leitura extremamente agradável. Inevitavelmente, Grace prende o leitor a história e nos faz terminar a leitura. Sem dúvida alguma, "Um Milagre Chamado Grace" é aquele clichê de sessão da tarde que preenche o peito se estivermos precisando.
comentários(0)comente



Mayhara 01/02/2018

Enfadonho
Último livro do primeiro mês de 2018, e foi decepcionante!
Eu amo cachorros, inclusive tenha duas garotinhas maravilhosas (uma vira-lata e outra labrador), e como nunca tinha lido nada no estilo, resolvi ler esse.

Achei a história muito arrastada, alguns acontecimentos sem noção, e mesmo o tema central sendo a Grace, não me senti tocada pela história. Eu não li Marley e Eu, mas pelo filme dá pra ver que há um aprofundamento na relação dos dois, o desenvolvimento da relação entre homem e cachorro. Aqui, tudo acontece facilmente e rápido.

Enfim, é fraco. =(
comentários(0)comente



Claudia 02/11/2017

Livro muito fofo, só a personagem 'gente' principal me irritou muito até a metade dele aprox., rssss! Tem tb uma babaquicezinha no final, mas como fiquei lendo até tarde sendo que não deveria ou seja, me prendeu mesmo, dá para relevar.
Gostei!!
comentários(0)comente



Fernanda 07/07/2016

Um Milagre Chamado Grace
Resenha no blog

site: http://www.segredosemlivros.com/2016/07/resenha-um-milagre-chamado-grace.html
comentários(0)comente



Carol Proc 23/03/2016

Otimo Livro.. mas a editora Unica deixou a desejar vieram folhas coladas.. tive de rasgar pra poder ler
comentários(0)comente



Minha Velha Estante 31/12/2015

Um romance apaixonante, sobre os dramas da vida, as incertezas e o amor que chega inesperadamente.


Tenho certeza que todos que já conhecem o bloguinho imaginam o porquê de eu ter lido esse livro, não é? Se é que existe alguém que ainda não sabe, sou apaixonada por cães, eles são parte da minha razão de existir, e também sou protetora de animais, na medida do possível, cuido, alimento, já resgatei, e não sei ver esses seres maravilhosos sofrerem. Nem mesmo em filmes que dirá em livros. Essa tem que ser a premissa para que eu leia um livro sobre animais, ou me recuso a lê-lo.

O nome dela é Grace. Ela é a melhor de todos. A mais preciosa do mundo.

Um milagre chamado Grace é um livro encantador. A principio conhecemos Lila Elliot, que trabalha em um emprego que não a satisfaz, pois o seu sonho é ser pintora, terminou um relacionamento de 5 anos a 6 meses e está sozinha, e tem verdadeiro pavor de cães graças a um incidente acontecido durante a sua infância.

Do outro lado está Cristina, sua melhor amiga a 18 anos, casada, mãe de uma menina, protetora de animais, que tenta sempre convencer Lila a adotar um cão. E é assim que Lila conhece Grace, ela foi roubada do seu antigo dono por Adam Spencer por causa dos maus tratos que sofria. Ele não aguentou vê-la dormir na chuva, passar fome e ser espancada por ele.

Vamos encontrar Lila em seu escritório começando o que seria mais um dia normal de trabalho quando, logo após ouvir gritos do lado de fora ela é surpreendida por Makov, o zelador, apontando uma arma e atirando nela. A vida de Lila sofre uma reviravolta e após sair do hospital ela vai morar na casa de Cristina, o que a faz conviver com Grace.

Em uma dessas ironias do destino, Lila se verá sozinha, tendo que tomar conta de Grace, para fazer um grande favor a Cristina. Apesar da promessa de Adam de conseguir logo um novo lar para Grace, elas irão conviver tempo suficiente para que uma seja responsável pela cura dos traumas da outra.

Juro que odiei Lila de cara. Como alguém pode não se apaixonar por um golden retriever? Como alguém pode não se sensibilizar com todo o sofrimento de um animal que sofreu maus tratos? Mas consegui entender o trauma de Lila e seus medos aos poucos.

A diagramação é muito boa com letras de bom tamanho para leitura, a tradução está impecável e a capa é fantástica. A Única está de parabéns!!!

A história é bem dosada, ela tem um quê de policial com Lila tentando entender o porquê de Makov ter atirado nela, tem o toque dose de Grace e um pouco de romance, fala de amizade e de lealdade. O livro não é apenas a história de um cão e como eles são capazes de transformar nossas vidas. O livro fala de traumas, de feridas que são abertas e que apenas nós somos capazes de fechá-las.

Conheça o site da autora: http://kristinvonkreisler.com/

site: http://www.minhavelhaestante.com.br/2014/07/resenha-da-drica-um-milagre-chamado.html
comentários(0)comente



Nat 30/09/2015

Lila trabalha em um escritório de relações públicas. Em um dia que parecia ser tão normal quanto qualquer outro, ela fica entre a vida e a morte quando um funcionário abre fogo, matando vários colegas. Traumatizada e sem poder se virar sozinha, ela se hospeda na casa da amiga Cristina. Com medo de tudo, ela acaba tendo que conviver com Grace, uma golden retriever meiga e carinhosa que passou por abusos. Cristina está hospedando a cachorra temporariamente até Adam, seu salvador, encontrar um lar definitivo para ela. Só que Lila tem pavor de cachorros e quando Cristina viaja, ela não tem como se recusar em cuidar da casa e de Grace, considerando a quantidade de favores que ela deve para a amiga. Ao mesmo tempo, ela tenta entender o que levou o ex-colega a tomar atitudes tão drásticas, mas sua busca não dá em nada. Enquanto tenta achar forças para superar seus traumas, ela também se sente forçada a cuidar de Grace, mesmo reconhecendo os benefícios para ambas da convivência mútua... Após tentar deixar Grace em um abrigo, Lila reconhece que a cachorra lhe pertence, assim como ela pertence a Grace. E uma bela amizade começa a tomar forma, ainda mais com a proximidade de Adam, pronto para mostrar pra Lila que a vida ainda tem coisas boas a serem aproveitadas.

Eu não sabia muito bem o que esperar desse livro. Claro, quando o escolhi para essa categoria do desafio, “Para fazer chorar”, já imaginava que iria chorar, de um jeito ou de outro, porque histórias sobre animais, não importa o final, eu já começo a ler chorando. Este livro, contudo, mesmo falando sobre uma cachorra que já havia sido sofrido maus tratos, confesso que demorei um pouquinho para me emocionar de verdade. Não que falte emoção, mas a infantilidade constante de Lila no que se referia a Adam e Grace deixou a desejar. De qualquer forma, valeu a pena porque mostra o poder que os animas tem de nos transformar e de nos fazer ver que, apesar das cicatrizes que possamos carregar, a vida ainda pode oferecer coisas boas, é só deixar o passado para trás e aproveitar o que vier pela frente. Adorei.

site: http://ofantasticomundodaleitura.blogspot.com.br/2015/08/um-milagre-chamado-grace-de-kristin-von.html
comentários(0)comente



Rafaela 08/07/2015

Quando vi a capa de Um Milagre Chamado Grace nas promoções do Dia Mundial do Livro me apaixonei pela mesma pois amo animais, principalmente cachorros, e minha curiosidade me fez não resistir e acabar comprando-o.

Lila Elliot tem uma vida não muito boa. Apaixonada por pintura, ela morou por alguns anos com quem acreditava ser o homem perfeito para ela, descobrindo depois que ele a traía com outra namorada. Desde então ela mora em um apartamento que está longe de ser perfeito e trabalha em uma empresa de relações públicas, a Weatherby e Associados, local onde ela nunca imaginou trabalhar, pois sempre sonhou em poder seguir a carreira de pintora.

É então que uma tragédia acontece e piora ainda mais a sua vida. Em uma manhã chuvosa, o faxineiro da empresa, Yuri Makov, entra no prédio atirando e matando seus colegas. Apesar de levar um tiro, Lila acaba sendo uma das poucas sobreviventes. Sabendo da incapacidade inicial de Lila devido ao tiro, sua amiga Cristina decide convidá-la para morar um tempo em sua casa.

O que Lila não esperava era precisar conviver com Grace, uma Golden Retriever que foi vítima de maus tratos. O amigo de Cristina, Adam, roubou-a de seu vizinho cruel e, sem ter encontrado um lar onde a cachorra pudesse ficar, pede para que a amiga lhe de abrigo por algum tempo. Cristina aceita apesar de saber da antipatia de Lila por cães, devido a um trauma de infância.

Quando Cristina tem de sair por algum tempo para acompanhar o trabalho do marido, ela pede a amiga que permaneça ali cuidando da casa. Por mais que Lila pense em recusar, já que seria muito difícil continuar vivendo sob o mesmo teto que Grace, ela sabe que deve esse favor a amiga e acaba aceitando.

Inicialmente retraídas, tanto Grace quanto Lila terão de aprender a conviver uma com a outra. Assim, descobrirão que tudo que precisam para superar seus traumas é apenas o amor e confiança uma da outra.

Apesar de ter apreciado a leitura, alguns poréns me fizeram não amá-la da maneira que eu esperava. Pela sinopse já podemos imaginar que haverá um romance, mas a meu ver ele demorou muito para acontecer. Quando os protagonistas se conhecem, é perceptível a tensão e repulsa instantânea que surge entre os dois. Ao decorrer do livro acompanhamos essa relação evoluir negativamente para uma raiva muito grande, e em um momento de ajuda para com Grace, essa raiva se transforma em amor. Para mim, essa mudança de sentimento foi muito rápida e acabou não me convencendo totalmente, apesar de percebermos que o vínculo que se forma é fofo e benéfico a ambos.

Um dos problemas que pude perceber na personalidade de Lila é a falta de desprendimento. Isso é perceptível nas situações em que ela tem pavor de Grace devido ao seu medo de infância, como também em relação a tragédia mais recente em sua vida. Ela acredita que não conseguirá seguir sua vida sem antes descobrir os motivos que levaram Yuri a fazer o que fez, então ela vai atrás de parentes seus para procurar respostas. No final de tudo isso, a autora nos mostra que o importante é o perdão, saber superar determinados acontecimentos e prosseguir.

O que mais me encantou e se destacou no livro foi Grace. Ela tem seus momentos de temor em que precisa que alguém a conforte, mas apesar dos muitos maus tratos sofridos, não deixa de ser amável e dócil com quem realmente está ao seu lado cuidando dela. É impossível não se apaixonar por Grace e desacreditar os muitos males que alguém pode fazer a um simples animal.

A escrita da autora é envolvente, e a conexão que ela consegue criar na relação de Lila e Grace é muito real. Quem tem um bicho de estimação deve se familiarizar com o sentimento de olhar nos olhos do seu animal e perceber todas as palavras que ele não consegue dizer fluir através do olhar. Esse elo que vai sendo criado é lindo, e vai ajudar ambas a se curarem.

''Sem dúvida Grace estava tentando abraçá-la de novo e fazer as pazes. Estava implorando para que Lila mostrasse que não estava chateada, e deixava claro que ela nunca deixaria de amá-la continuamente. Perdão, como adoração, era uma expressão da natureza de Grace; Lila poderia brigar com ela, mas ela nunca guardaria rancor.'' Pág. 133

O final foi um pouco frustrante para mim, pois acredito que a autora correu um pouco com os acontecimentos quando na verdade eu gostaria que ela tivesse desenvolvido mais sobre como tudo ficou.

Se você assim como eu, é apaixonado por cães, não deixe de conferir Um Milagre Chamado Grace. Ler sobre algo que amamos é sempre um conforto e nos traz mais conhecimento, sendo que eu não poderia deixar de indicar essa obra.

site: http://eterna-leitora.blogspot.com.br/2015/07/resenha-video-um-milagre-chamado-grace.html
comentários(0)comente



Vanessa Meiser 10/04/2015

Com esta Gold fofa na capa não tem como não querer ler o livro não é mesmo?! Eu sou apaixonada por cães e sempre estou procurando livro que trazem estas belezuras na trama, quando vi a capa no catálogo da Editora Única, não hesitei em solicitá-lo e já sabia que iria adorar a leitura. Não estava errada, realmente adorei o livro do início ao fim!!!

Um Milagre Chamado Grace não é focado prioritariamente na história da própria Grace (a Gold) e sim na de Lila, sua futura dona. Lila Elliot é apaixonada por arte, ama pintar quadros e faz isto muito bem porém, trabalha há alguns meses em um escritório de uma empresa conceituada mas, numa função que apesar de não ser a pior do mundo, não lhe traz grandes satisfações até o dia em que seu colega de trabalho, o russo Yuri Makov, zelador do prédio, sai pelos corredores atirando em vários de seus colegas, inclusive em Lila que, por sorte não teve nenhuma lesão mais grave do que um braço imobilizado por alguns meses sendo que outras pessoas não tiveram sua mesma sorte e acabaram falecendo, Yuri foi um destes e que terminou por se suicidar depois do ocorrido.

Lila é órfã há muitos anos e mora sozinha desde o término conturbado com seu último namorado que a traiu e lhe abandonou para ficar com a amante. Ela possui uma grande amiga que faz também o papel de mãe e irmã, Cristina é quem segura as pontas depois do ocorrido. É ela também que tenta lhe convencer a todo custo a adotar um cão, inclusive já sabe qual o cão ideal para Lila, uma Gold Retriever que foi tirada do dono por sofrer maus tratos, Grace. Acontece que Lila tem trauma de cães desde que na infância foi atacada por um, nunca mais ela se arriscou a chegar perto destes bichos que considera perigosíssimos.

Cristina está cuidando de Grace desde que seu amigo Adam, um voluntário da Instituição que protege os animais a 'roubou' do seu antigo dono que a maltratava sem piedade e a escondeu na casa de Cristina até que eles conseguissem um novo lar para ela porém, Cristina fará o possível para que Grace fique com Lila que, acredita precisar tanto da cachorrinha quanto Grace precisa dela.

Não será uma tarefa fácil, mas nada é impossível. Cristina viaja com a filha para encontrar o marido e, deixa Lila responsável pelos cuidados da sua casa e respectivamente pela cachorra que lá se encontra, como Lila está morando temporariamente na casa da amiga, terá que cuidar de Grace, querendo ela ou não...

E o que poderia vir desta nova e forçada convivência? O que uma cadelinha tão fofa, dócil e carente poderia despertar em Lila que nem mesmo ela sabia que existia? Ao mesmo tempo em que Lila tenta superar o ocorrido no seu trabalho e buscar respostas ao porquê de Yuri ter feito o que fez, Grace precisa desesperadamente de alguém que lhe ame e lhe dê o carinho que não teve e não vai poupar esforços para que Lila seja esta pessoa que lhe amará acima de qualquer coisa.

Então, temos aqui uma trama de superação, de aprendizado e de descobertas. Lila precisava de Grace e Grace precisava de Lila, isto é fato. Foi lindo poder acompanhar a trajetória deste novo relacionamento entre um cão e sua dona e perceber o benefício que um cãozinho pode trazer à vida das pessoas. Eu, que tenho em casa três cadelas e as amo como se fossem minhas filhas, sei bem a falta que me fariam e a felicidade que me trazem no dia a dia.

Grace é tão dócil que a gente tem vontade de abraçar a capa do livro!!!


site: http://balaiodelivros.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Lê Golz 02/01/2015

Grace é encantadora!
Este livro é um dos lançamentos da Editora Gente (selo Única Editora) deste ano, e logo me atrai´por ele, pois adoro livros com animais, principalmente cachorros. Criei muita expectativa com este livro, e posso dizer que não me arrependi da leitura.

Lila Elliot tem uma vida normal, mora sozinha, e possui um trauma de cachorros, por causa de um episódio que aconteceu na sua infância. Ela trabalha em um escritório de relações públicas, e chega para um dia normal de expediente, mas neste dia o zelador do prédio, Yuri Makov, surta e atira em todos os empregados do local, inclusive em Lila. Apesar de muitos amigos seus, morrerem na tragédia, o tiro que levou não compromete sua saúde, deixando-a apenas debilitada de um braço.

Sua vida muda completamente depois desse episódio, e tudo que Lila consegue visualizar em sua mente é Yuri Makov. Ela tenta desesperadamente encontrar respostas para o que aconteceu, e o que fez uma pessoa que aparentava ser tão tímida e gentil, sair atirando em todos os seus colegas de trabalho. Lila entra em um enorme estresse, e não consegue se libertar do que aconteceu no escritório.


"Os olhos lúgubres de Grace fixavam Lila e imploravam uma tigela de ração e um abraço reconfortante. A testa de Grace estava franzida, como se estivesse preocupada, e ela estava tão magrinha que suas costelas se sobressaíam como um telhado ondulado. Cristina obviamente amarrara uma bandana vermelha em volta do pescoço de Grace para dar um ar alegre e festivo, mas não funcionou." (p. 11)

Sua melhor amiga Cristina, é uma assumida protetora de animais, e a anos insisti para que Lila perca o trauma de infância e adote um cachorro. É onde somos apresentados a fofa da Grace, um golden retriever, que sofria maus tratos com o antigo dono, e foi resgatada por Adam, amigo de Cristina e apaixonado por cães.

Por circunstâncias do destino, Lila acaba tendo que tomar conta de Grace por algum tempo, sem sua vontade é claro! Ela faz de tudo para manter a cachorra longe a maior parte do dia, e até faz umas irresponsabilidades, só para não ter que cuidar da coitada por mais tempo.


"Sem dúvidas Grace estava tentando abraçá-la de novo e fazer as pazes. Estava implorando para que Lila mostrasse que não estava chateada, e deixava claro que ela nunca deixaria de amá-la continuamente. Perdão, como adoração, era uma expressão da natureza de Grace; Lila poderia brigar com ela, mas ela nunca guardaria rancor." (p. 133)

Grace é uma fofa e me conquistou logo de cara. Apesar dos maus tratos que sofreu, que por sinal foram horríveis, ela não perdeu o brilho no olhar e a vontade de ser feliz. A cada dificuldade, Lila percebia que Grace se permitia seguir em frente, sempre perdoando o que fosse preciso. Se encantar com Grace, é inevitável e é só uma questão de tempo para amolecer o coração de Lila, que tenta tirar lições para si mesma através da cachorra, que tanto tem a ensinar aos humanos.

A diagramação está perfeita, com alguns detalhes em cada capítulo. As páginas são amareladas e a letra em um tamanho confortável, que ajudou muito na leitura. Os capítulos não eram muito longos e a leitura fluiu rapidamente. Só algo me incomodou, que foram os diálogos, que estavam entre aspas. Ao longo da leitura você vai acostumando, mas prefiro os travessões. A narrativa é em terceira pessoas, e a escrita de Kristin é muito gostosa e você lê muito rápido.


"Você acha que Grace nos perdoou por termos deixado ela na varanda?, perguntou Lila. "Tenho certeza que sim." "Ela deveria estar ressentida." "Cães não fazem isso." "Pessoas precisam ser mais como cães." (p. 270)

Confesso que a personagem Lila não me conquistou tanto. Tudo bem, ela levou um tiro e muitos amigos seus morreram. Mas a maneira dramática que ela se fazia de vítima, por vezes me irritava demais, afinal, ela estava viva, poderia ao menos agradecer por isso. Mas como ninguém é perfeito, entendi o trauma dela, e acompanhei seu amadurecimento ao longo do livro.

Nem preciso dizer o quanto Grace me conquistou. A autora conseguiu passar todos os comportamentos de um cachorro, e todo o amor que eles demonstram, que com certeza quem tem um cão em casa, notou. De mansinho e com um jeitinho doce, Grace conquistava o coração de qualquer um. Mesmo sofrendo com a crueldade humana, seu coração consegue perdoar e ela consegue seguir em frente, um dia de cada vez. Impossível não ter amado esse livro, ainda mais sendo uma apaixonada por cães como sou. Uma história que fala de muito amor, perdão, superação e amadurecimento, e o quanto podemos aprender com esses anjinhos de quatro patas. Mais que recomendado!

site: http://livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br/2014/12/resenha-um-milagre-chamado-grace.html
comentários(0)comente



Bru | @umoceanodehistorias_ 26/12/2014

"O amor pode aparecer em diversas formas"
Um milagre chamado Grace nos apresenta a história de Lila Elliot, uma mulher sonhadora, determinada, insegura, medrosa, uma mulher em busca de uma resposta e uma razão para sua vida e que, acima de tudo, precisa superar traumas.

Lila tem um grande sonho de tornar-se uma artista plástica e consagrar-se dessa forma, por isso sacrifica seus momentos de lazer e descanso, uma vida estabilizada que seus pais poderiam lhe dar, em nome de seu sonho. Como tornar-se uma artista é algo difícil e Lila não quer depender de seus pais, ela começa a trabalhar em um escritório de relações públicas que ela não gosta, mas, para atingir seus sonhos, é preciso algum sacrifício. O fim de seu relacionamento do Reed foi muito conturbado e Lila precisa superar mais essa, mas, esse não é seu pior momento. Ela precisa superar um trauma que jamais imaginou passar, algo que irá mudar sua vida para sempre.

“Frustração tinha virado uma acompanhante, como se planejasse ser uma convidada permanente na mesa de jantar, sem deixar espaço para mais ninguém. Com a mão boa, Lila apertou parte do lençol em uma bola frustrada.”

Praticamente a beira da morte, Lila encontra o apoio que precisa em sua melhor amiga Cristina, que é uma amiga de verdade, daquelas que podemos chamar de irmã sem nenhum arrependimento. A única diferença entre as amigas é que Cristina é apaixonada por cachorros e Lila tem um trauma de infância e não pode ver cachorros em sua frente.

Cristina vê que sua amiga não tem a menor condição de ficar sozinha em casa e a convida para morar em sua casa enquanto ela se recupera. Lila fica receosa de aceitar, afinal, terá que conviver com Grace uma Golden Retriever que passou por muitos maus tratos com o ex dono. Logo após a mudança, Cristina pede um favor para Lila: que ela fique com Grace por um tempo até Adam – o homem que tirou Grace dos maus tratos – encontre um lar para ela. Como Lila julga dever muito para a amiga, aceita a proposta. A partir daí, Lila se vê enfrentando mais um trauma de sua vida.

“ás vezes, coisas ruins acontecem a pessoas boas, não importa o que façam ou digam. Não dá para explicar. Não adianta tentar.”

Essa foi uma das melhores leituras do ano. Ver a superação de vida no decorrer das páginas foi fascinante. Lila se desenvolveu de uma forma natural e envolvente e seu amor e carinho por Grace é tão grande que me senti apaixonada por essa Golden!

Aprendi que o perdão é a única coisa que nos libertará para o próximo passo e que precisamos seguir em frente e continuar nossa vida independente de qualquer coisa, ainda seremos importantes para alguém. Acredito que a intenção desse livro não era ser de autoajuda, mas ele nos faz refletir demais e aprendermos a dar valor àquilo que realmente importa.

“há muita coisa que não podemos esquecer, mas podemos perdoar quem nos machucou.”

Um milagre chamado Grace te fará chorar, sorrir, sofrer e, acima de tudo, amar, pura e simplesmente, teu próximo e te ajudará a superar seus traumas, sejam eles quais forem.

“Perdão, como adoração, era uma expressão da natureza de Grace; Lila poderia brigar com ela, mas ela nunca guardaria rancor.”

site: http://mileumdiasparaler.blogspot.com.br/2014/12/um-milagre-chamado-grace-kristin-von.html
comentários(0)comente



Carlinha 01/09/2014

"O amor pode aparecer em diversas formas"

Logo que comecei a leitura percebi que a autora Kristin Von Kreisler iria me envolver com muita facilidade fora do comum. Nas primeiras paginas a minha curiosidade só aumentava. Lembrando que essa foi minha segunda leitura, onde o personagem principal é um animal. Mas a impressão que ficou foram as melhores possíveis. Me emocionei, rir e aprendi muito com essa leitura.

A primícia da história se passa na bela cidade de São Francisco. Lila Elliot é uma mulher sonhadora, determinada em alguns momentos e em outros, insegura, medrosa. Ela tenta apagar de sua memória alguns traumas vividos, ela busca respostas pra quase tudo que se passa em sua vida, vive na corda bamba entre a realização profissional e o sonho de se consagrar uma grande artista plástica – sonho antigo – pra isso ela sacrificou momentos de lazer, uma vida estabilizada que seus pais queriam lhe proporcionar, tudo em nome do seu sonho, mas ela precisava escolher ou viver sendo sustentada por seus pais ou escolher viver uma vida simples, ela escolheu a segunda opção. Para se sustentar Lila teve que trabalhar em um lugar que ela não gostava no escritório de relações publica. Afinal para conseguir viver um sonho é preciso sacrifícios, e mesmo que isso signifique viver sozinha triste e refugiada na sua bolha. Além disso, ela acabará de sair de um relacionamento fracassado com Reed seu ex-namorado (mais um trauma a se colecionar na vida de Lila), ok, ela provavelmente teria que superar mais esse obstáculo. O fim do relacionamento não foi o seu pior momento, Lila teria que superar um ainda pior, o trauma mais difícil que ela já vivenciou. Quase a beira da morte, Lila encontra o todo o apoio que precisa em sua amiga Cristina, uma amiga presente,carinhosa, e quase extinta nos dias de hoje (minha modesta opinião), Lila a tem como irmã, uma amizade intensa que vai além do tempo e das diferenças. Cristina é amante dos bichos, enquanto Lila tem eterno pavor deles.

Após o fato que quase tira a vida de Lila, Cristina se oferece a cuidar dela em sua casa. Antes do acidente de Lila, Cristina conta a ela que está cuidando temporariamente de um golden retriver, chamada Grace, que sofreu maus tratos pelo seu ex dono irresponsável e cruel. Logo Cristina pede a Lila para que fique com o cão por um tempo, só até enquanto ela e seu amigo Adam (quem resgatou a Grace) achem um lar para ela. Mas Lila parece ficar indiferente com já que ela tem um serio trauma de cães, sua reação já era prevista por Cristina que mesmo assim insiste para amiga superar mais esse trauma...
Se vendo “sem saída” Lila vai ficar com Cristina, e lá ela terá que conviver com Grace, pelo menos até se recuperar totalmente do acidente. E assim a história vai se desenrolando, entre um cão que viveu maus tratos por muito tempo, e uma moça sonhadora, insegura e traumatiza as duas terão que aprender a conviver juntas no mesmo espaço sem serem cruéis uma com a outra. Ambas tem um desafio, precisam curar suas feridas e seguirem em frente.

Também vamos conhecer o Adam, um homem encantador, aparentemente ele parece neutro na história, mas logo vai crescendo já que ele tem um forte laço de afeto com Grace e ela com ele, e assim a história vai envolvendo os três: Lila, Adam e Grace que juntos irão protagonizar momentos inesquecíveis de aventura, força, amor, coragem e o maior de todos os sentimentos o perdão.

Eu realmente fiquei impressionada com a história, porque quando eu li a sinopse vi que a história tinha tudo para ser boa, mas jamais imaginei que pudesse me surpreender tanto assim. Foram tantos os ensinamentos e lições de vida protagonizada pelos personagens envolvidos. Essa história poderia facilmente ser tão boa quanto foi com o livro e filme “Marley e Eu”. Conforme eu lia, eu ia montando os cenários em minha mente, essa história, sem duvida, daria um belo filme, daqueles de te fazer chorar por um bom tempo.

Vale ressaltar que o livro é carregado de citações reflexivas, parecia está falando comigo tudo a ver com o momento em que eu estava passando. E quando isso acontece em uma leitura só serve para te mostra o quanto você é pequeno perto de tudo que a vida representa.

Em suma, a história merece dez estrelas, a autora foi feliz em escrever uma ficção tão real quanto se pode supor. Gostei do começo, meio e fim, esse é definitivamente um livro encantador.
Sobre a diagramação: eu achei uns quatro errinhos de digitação, nada que possa atrapalhar a leitura. A capa é fofa com a imagem da Grace (confesso, teve momentos na leitura em que eu voltava pra capa só pra tentar imaginar a Grace mais presente no meu imaginário).
E é inevitável, você realmente terá aquela sensação de que seu cão é mais que um animal, ele tem sentimentos a todo tempo e pede seu carinho seja com o olhar, seja em simples gestos. Ótimas experiências com esse livro. Recomendo principalmente para quem tem trauma de algum animal ou a você que simplesmente ama os bichos.

“Frustração tinha virado uma acompanhante, como se planejasse ser uma convidada permanente na mesa de jantar, sem deixar espaço para mais ninguém. Com a mão boa, Lila apertou parte do lençol em uma bola frustrada.” Página 104

“Perdão, como adoração, era uma expressão da natureza de Grace; Lila poderia brigar com ela, mas ela nunca guardaria rancor.” Pagina 133

“Lila, seu cérebro só ajuda ate certo ponto. Não é o único lugar para encontrar respostas. Você tem que se soltar e pensar com coração.” Página 185

“ás vezes, coisas ruins acontecem a pessoas boas, não importa o que façam ou digam. Não dá para explicar. Não adianta tentar.” Página 231
“há muita coisa que não podemos esquecer, mas podemos perdoar quem nos machucou.” Página 244

"Tempos difíceis podem ser presentes. Eles nos forçam a mudar e nos guiam para onde devemos ir." Página 263


site: www.depoisqueeumudei.com
comentários(0)comente



22 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2