Por que os Homens Amam as Mulheres Poderosas?

Por que os Homens Amam as Mulheres Poderosas? Sherry Argov




Resenhas - Por que os Homens Amam as Mulheres Poderosas?


96 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7


Dominique 27/09/2009

Tudo o que uma mulher precisa saber desde o nascimento!
Parece meio clichê o título "Por que os homens amam as mulheres poderosas?" e logo imaginamos executivas, médicas, enfim, mulheres bem-sucedidas profissionalmente e não tem nada a ver. A mulher poderosa é um estado permanente de ser, independente do status social.

Esse livro nos ensina coisas que já sabemos, mas que fechamos os olhos para não enxergar. Faz um paralelo entre a mulher boazinha e a mulher poderosa. A mulher boazinha passa o tempo todo tentando agradar o homem amado, esquecendo dela mesmo. Por outro lado, a mulher poderosa sabe que não precisa ficar 24h em cima para que ele a ame e valorize. Fundamentalmente, ela sabe que deve vir sempre EM PRIMEIRO LUGAR. Pequenas atitudes desastrosas que nós mulheres cometemos todos os dias, é o que marca o fim e o insucesso dos nossos relacionamentos e a autora nos ensina como evitar que isso aconteça.

Enquanto, eu lia esse livro, não sabia se ria ou se chorava. Ora eu me via perfeitamente em diversas situações, ora via alguma amiga. São situações hilárias, que realmente acontecem. Enfim, indico esse livro para todas as mulheres. Depois dele você não permitirá mais que abusem da sua boa vontade.
Pollyana 23/09/2013minha estante
Oi Dominique, vc tem ele em PDF? Se tiver, pode mandar p meu email??


Daniela Tiemi 23/08/2014minha estante
Nossa, Nique... Qdo eu via esse livro realmente pensava q mulher poderosa era a "bem sucedida profissionalmente" e por isso nunca tive vontade de ler. Mas minha amiga me indicou (e me emprestou) o livro e estou adorando. Acho q toda mulher deveria lê-lo. Como vc disse, são coisas q no fundo a gnt sabe... mas temos q colocar em prática e jamais esquecer... =D


drica 22/01/2018minha estante
Eu me senti exatamente assim. Peguei o livro achando que era um apanhado de clichê e terminei o livro me sentindo culpada por ter passado a vida fazendo tudo errado. HAHAHAHA
Ótima resenha.


Rosana 27/03/2019minha estante
Olá! Pra existir um estado permanente do ser, deixaria de existir melhoras. Por isso, muitas mulheres se encontra em estado permanente de adolescente.
Então para aprendermos, é preciso se colocar na posição de que nada sabemos.
A mulher poderosa nada tem haver com status social, pq será que lutamos pela igualdade com os homens?????




LaraF 18/08/2010

esse livro me intriga..não é maravilhoso, não vai mudar a minha vida, porém trata-se de algo q é necessário lembrar às vezes.
é um tratado da mulher bem resolvida e moderna. sem crises emocionais, auto-suficiente sem arrogância, forte e delicada..mas acima de tudo, independente!
o segredo do livro é simplesmente libertar a mulher de esteriótipos ultrapassados e torna-la uma mulher dona do seu nariz, do seu destino, de sua vida!
vale a pena ler, mas acima de tudo, antes de pensar se homens 'amam' ou não 'as mulheres poderosas', ser poderosa pra si mesma, tomando as rédeas da própria vida...arrebetando os grilhões q nos prendem as histórias de contos de fadas e do fardo de ser 'boazinhas',já serve como uma grande lição do livro..se isso garante (ou não) o 'amor' dos homens, já é outra discussão.
Ádila 21/07/2012minha estante
Gostei do trocadilho de se livrar dos contos de "fadas" e do "fardo" de ser a 'boazinha' :) ótima resenha, tmb penso assim!




Vânia 27/07/2009

"Abra suas asas, solte suas feras...." (Frenéticas)
Parece meio patétiso, mas em pleno século XXI ainda há mulheres se fazendo de boazinha pra enredar os homens em suas teias. E o pior: ainda funciona!!!!!!

O livro até é um auto ajuda descarado, mas com certeza vai abrir os olhos de muita mulher que deseja saber um pouco mais sobre como dar um chega pra lá em determinados caras que não atam, nem desatam. Só por isso já valeu a pena a leitura!
comentários(0)comente

Dominique 08/08/2009minha estante
É amiga, ainda existe mulheres boazinhas... contanto que não sejamos elas, está ótimo!




Evelyn 23/10/2012

Horrível. Primeiro porque começa dizendo que você tem que ser você mesma e depois, contradizendo-se, diz tudo que você tem de fazer para parecer forte e atraente.
Coloca os homens num pedestal e a mulher tem que ficar o tempo todo se autocontrolando e seguindo dicas de joguinhos pra que o homem se aproxime dela e a deseje, nem tudo no livro é ruim! Diz que a mulher precisa se valorizar e tal, não abrir mão dos seus passatempos, etc.
Mas, enfim, achei o livro muito repetitivo, contraditório e absurdo em alguns pontos, como por exemplo :"mesmo se vc tiver 1,80 peça pro homem pegar algo que esteja no alto pra você" O que é isso?!! Contraditório, tendo em vista que eles dizem pra vc ser indepentende do homem!
Não gostei porque eu ainda acho que o homem é que tem que acordar pra vida e varolizar a mulher que tem ao seu lado, nesse livro, o homem é sempre superior e não gosta de mulher assim ou assado. Mas, "as mulheres tem que aturar certas coisas sem reclamar, pq o homem não escuta reclamação!" Por favor, né?!
Camila 13/07/2014minha estante
Exatamente, Evelyn! Quando eu li a capa, achei que era algum livro que fizesse a mulher ser poderosa e não um capacho do homem... Assim como este trecho "Se o homem perceber o afeto e o cuidado que foram colocados no preparo da refeição, ele vai se sentir um verdadeiro rei..." Ei, calma aí, cara autora, acreditei firmemente que as mulheres poderosas são aquelas que são donas de si, donas de suas vontades e não estamos aqui pra fazer um homem sentir-se um rei. Esse livro é nada mais e nada menos do que um guia de como transformar uma mulher burra em uma mulher fútil e burra.


Tchamilla 28/05/2015minha estante
Concordo muito com a parte sobre não tornar o homem o centro da sua vida. Tem que continuar com seus hobbies, seus sonhos, fazendo o que você gosta e não abrir mão da sua essência por um homem.
Mas esse pedaço de "deixar ele pensar que está mandando", "elogiar qualquer coisa para ele se sentir bem", "esperar o máximo possível para transar porque só assim ele vai te valorizar", ou seja, todos os joguinhos são ridículos. E, como você disse, contraditórios com a primeira imagem de mulher poderosa. Mulher poderosa de verdade não vai elogiar o cara só porque ele lavou uma louça! Pelo amor de Deus!


drica 22/01/2018minha estante
Eu concordo que essa parte de fingir que ele está no comando chega a ser um pouco ridículo. Vou ser sincera que pensei em largar o livro nessa parte (principalmente por também tê-lo achado repetitivo). Mas eu acho que o principal ponto desse livro é saber filtrar o que realmente você precisa fazer POR VOCÊ MESMA, e não pelo homem. Como diz a última página: "a mais atraente qualidade de todas é a dignidade".
No meu caso, o tanto de coisas que fiz errado no meu último relacionamento ficou bem escancarado pra mim depois de ter terminado o livro. No mais, tirando essa parte tosca, é um grande apanhado de "se ame mais e pare de tentar satisfazer o outro como se a sua vida dependesse disso".




Jake 14/02/2011

Recomendo!
Gostaria de recomendar a todas as mulheres que se consideram "boazinhas" e que acabam não conquistando os homens que desejam.

Entendi MTAS coisas que fazia errado em meus relacionamentos e nem me dava conta. Acabava me decepcionando e sempre ficando sem entender pq, isso acontecia comigo, já que eu tinha me esforçado TANTO pra que tivesse dado certo.

Agora, eu compreendo que o problema era justamente esse: me esforçar demais.

Como a autora msmo diz, não é uma questão de ser má e sim de se valorizar.

Leiam e tornem-se mulheres poderosas!

Vendido pelo Estante virtual em Fev/11


comentários(0)comente



Raisa Korovaeff 27/11/2011

No início, achei o livro mágico, fiquei encantada, e não parava de pensar em como faria diferença na minha vida.
Até que um dia eu me revoltei. Juro. Por que, comecei a reparar que não fazia o menor sentido você "seguir regras" para se tornar alguém aprovado pela sociedade. O livro te diz o tempo inteiro como agir, pois se agir de modo diferente, será taxada como "desesperada, sozinha, abandonada e louca".
Fico pensando em como nós mulheres passamos a nos importar tanto com o que o outro pensa. Aonde foi parar aquela coisa de sinceridade, de agir com o sentimento e etc? Neste livro, fiquei com a impressão de sermos máquinas, frias e sem sentimentos. Abandonei e pretendo nunca mais pegar nele.
Juçara 28/08/2012minha estante
Ainda bem que li sua resenha, quase ia comprar este livro, mas no fundo achava meio ditador...no que me parece, lembra o filme "A verdade nua e crua". Onde uma mulher segue um modelo do que é ser poderosa entre os homens e depois ela mesma perde sua personalidade.


Mari 28/07/2014minha estante
Concordo totalmente, Raisa. Estou relendo pois me lembrei de algumas coisas dele e queria entender alguns pontos. A todo o momento a autora quer te passar que voce não precisa dele pra ser feliz, mas tudo o que voce deve fazer deve ser milimetricamente calculado para que o homem sinta sua falta. Estou odiando. Me sentindo muito burra por ter sentimentos, por ser autentica e sincera, pois a autora diz que voce não deve ser. A todo momento ela manda voce se valorizar e se amar, mas na verdade ela está ditando uma regra pra voce ser ser alguém egoista e narcisista. O homens também tem direito de não sentir nossa falta, de não vir atrás. Nós não somos melhores que eles. Nós só devemos ser nós mesmas, com erros e acertos, defeitos e qualidades. Uma hora ou outra, aparecerá alguém que se encaixará a voce. E sem precisar de regras de conduta para ser dificil.




Kátia 11/12/2011

É um livro, ao mesmo tempo, muito bom e muito ruim.

A autora parte do princípio de que os homens querem se sentir "caçadores", correr atrás das mulheres para sentirem o prazer de conquistá-las (para, depois, é claro, descartá-las e partirem para a próxima conquista). E de que as mulheres que correm atrás deles os afastam, porque uma vez que eles achem que já conquistaram a mulher, deixam de dar valor e vão correr atrás de outra.

Isso realmente é fato, e a autora te ensina a lidar com isso: parando de se humilhar pelos homens, de ficar correndo atrás deles, de ser melosa e sentimentalista, enfim, e passar a estar no controle da situação. Esse é o lado bom.

Mas a grande questão que a autora se propõe a responder, ela não responde. Afinal, por que os homens amam as mulheres poderosas? A resposta que não está no livro é: Porque elas se amam em primeiro lugar! Ao invés de dizer às mulheres "não se desvalorizem implorando pelo parceiro, se valorizem e fiquem com alguém que mostra que sabe o valor que vocês têm", ela dá uma lista de jeitos de as mulheres PARECEREM estar desinteressadas, parecerem que não colocam o parceiro no centro das suas vidas, parecerem não ligar caso ele termine... "não ligue muitas vezes pra ele, não esteja disponível sempre que ele quer sair, etc". Enfim, ela dá a fórmula mas não diz por que motivo ela funciona.

Mais importante que dissimular um comportamento de acordo com o qual a outra pessoa entende que a parceira tem vida própria, que ela não está desesperada atrás de alguém, é REALMENTE ter vida própria e não se desesperar para arranjar um parceiro (qualquer). E isso o livro não vai ensinar.

É uma pena que a autora não problematize o comportamento dos homens.
Afinal, eles não deveriam correr de relacionamento sério. Ela simplesmente parte de "os homens são assim e você lida com isso desse jeito", o que nos cega para as possibilidades de como os homens deveriam ser, e como podemos auxiliá-los a isso.

Recomendo a leitura para mulheres que se fazem a pergunta "mas eu fui tão carinhosa, gentil, romântica, companheira, fiel... o que há de errado comigo? Por que apesar disso minha vida amorosa não está dando certo?"
comentários(0)comente



Herbert 29/04/2011

Homens, leiam!!!!
Quando a mulher se torna por demais poderosa, o homem é que acaba ficando bonzinho. Claro, os que aceitarem!
No meu ponto de vista, o equilíbrio é o segredo de tudo, há momentos de ser poderosa e ser boazinha, mas acima de tudo, ter consciência e controle do papel que está assumindo, dependendo de cada ocasião.
Erika Valentim 29/10/2011minha estante
acredito que cada caso seja diferente, concordo quando você diz que há momentos próprios para cada uma das coisas. Ser formos totalmente poderosas podemos acabar nos tornando prepotente ou mandona.




Beatriz Santos 24/08/2009

[?]
Ahhh muito bom e divertidíssimo! Além uma leitura instrutiva, também é bem humorada!
----------------
Este livro ajuda/ensinam certas mulheres a serem mais seguras em seus relacionamentos, sem desgastá-los... Além de como sair de certas situções desagradáveis no dia-a-dia de um compromisso...
Enfim, indico a todas as mulheres!
comentários(0)comente



Ana 21/11/2010

Interessante, mas machista.
Achei o livro interessante, pois realmente descreve situações típicas de maneira simples e leve, com exemplos reais de situações do cotidiano da relação homem-mulher. Porém teve momentos que só não joguei o livro na parede por que não era meu, por que era puro machismo. Exemplos:

-por que eu tenho que fazer o com que o meu namorado se sinta poderoso? Por que eu tenho que o tempo todo fazer com que ele se sinta no controle da situação e com o ego nas alturas? Por que eu tenho que pedir pra ele realizar alguma tarefa doméstica para mim, sendo que eu mesma sou capaz de fazer, para que ele se sinta viril?

-homens são caçadores? Só se for os dos tempos das cavernas e alguns alienados que existem hoje em dia.

-a mulher poderosa deve ser independente, ter sua vida própria e con tribuir com alguma despesa para que ele se sinta "agradecido" por a mulher estar contribuindo? Onde está a igualdade?

-pagar a conta, abrir a porta do carro, etc são demonstrações de gentilezas. Por que ele não faz isso com a mãe ou com os amigos? Não quero ser tratada de forma diferente por ser mulher.

Enfim,muita gente deve discordar, mas acho que igualdade entre homens e mulheres é igualdade entre homens e mulheres, e nao tratar a mim mesma como trato um homem.
comentários(0)comente



Lima' 12/09/2015

ameeeeei
posso dizer.com todas as letras , APRENDI O QUE PRECISAVA COM ESSE LIVRO!
Confesso que sempre fui a boazinha e sempre me ferrei. Quando comecei a ler esse livro, estava com uma pessoa que não me dava valor e que eu vivia chorando por ele.
Em alguns trechos, tive muita vergonha do papelão que eu ja fiz por homem, e fiquei imaginando o que ele pensava ao meu respeito. Agora sei pq nn era valorizada mas uma coisa eu digo, mudei muito graças a esse livro, e o cara pelo qual eu chorava hoje em dia ta comendo na minha mão! !

Obg: meninas, vocês precisam ler e praticar para as suas atitudes fluírem e não sairem forçadas!!
comentários(0)comente



Thay Gomez 03/06/2012

Surpreendente
Não o julgue pelo título. Apesar de este livro nunca ter estado entre os meus desejados, encontrei POR QUE OS HOMENS AMAM AS MULHERES PODEROSAS? em uma ótima promoção, curti a sinopse e a capa [linda, nota 5]... E, parafraseando Bart "Maccabee", hell, yeah, fiquei curiosa. Afinal, quem nunca se perguntou o que aconteceu de errado em uma ou mais relações para terminar de tal forma - das ruins às desastrosas?

Há um grande preconceito contra livros de autoajuda, que acabaram adquirindo o estigma de bobagem que vende bastante, sobretudo para as pessoas que mais criticam [e, tenho certeza, que leem escondido - uma possível razão para os livros do gênero venderem tanto]. É que, de uma forma ou de outra, há conselhos que a família e os amigos não ousam dar. E você os encontra nos livros. Algumas publicações do gênero prometem entregar uma fórmula pronta para resolver esse ou aquele problema, e acabam, no fim, apenas repetindo os mesmos conselhos e lotando páginas. Gostei de ver que não foi o caso deste livro. Em alguns pontos, Sherry insistiu em uma afirmação mais de uma vez, sim, mas frisando a mensagem, ciente da natureza da mulher.



... um pouco de irreverência é necessário para que se tenha algum nível de autoestima. Não irreverência com as pessoas, mas com o que elas pensam. A mulher poderosa se destaca porque pensa com a própria cabeça em um mundo que ainda ensina as mulheres a olhar ao redor para descobrir qual é a opinião dos outros. (p. 9)



O livro traz algumas ideias já familiares para o público feminino, como a reavaliação da autoconfiança e um comparativo das visões feminina e masculina de uma situação, tão divergentes; por outro lado, ela exprimiu bem o foco do seu livro, as diferenças entre as mulheres "boazinhas" e as "poderosas", e os equívocos ainda existentes na sociedade, como a obsessão pela aprovação do outro e o consequente medo da reprovação alheia. Na obra, Sherry propõe, afirma e exemplifica como as mulheres poderosas conseguem construir relacionamentos, não apenas de qualidade, como duradouros, tomando por base táticas femininas para manter o interesse masculino - não apenas despertá-lo.

O título em inglês é realmente um pouco forte (Why Men Love Bitches), uma vez que sempre ouvimos o termo "bitch" designando mulheres arrogantes e que fazem de tudo pelo que querem alcançar. Mas não é como ela as aponta neste livro. Toda mulher tem seu lado boazinha e seu lado "bitch", na verdade, isso se aplica a todo ser humano. Fato. O importante é saber equilibrar seus pontos fortes e fracos, e nunca se deixar prejudicar por querer agradar demais o outro. Especialmente porque há coisas que os homens nunca revelam às parceiras.

Você acha que eles mentem muito? Experimente pensar naquilo que eles apenas não acham necessário contar-lhes. Homens e mulheres lidam com os próprios sentimentos de formas diferentes [eles, com mais orgulho e reserva, elas com sinceridade e entrega]: e se encontrarmos aquela pessoa diferente, ela é a exceção.



É mais fácil criar maus hábitos, porque os bons hábitos exigem um esforço consciente. (P. 57)


Há, apenas dois pontos de que realmente não gostei:

- A adaptação de dólares para reais, no texto, quando ficou muito claro que o ambiente narrado é americano;
- A afinidade com o modelo de homem norte-americano [aquele que nasceu para ser um lutador, que sobrevive na selva, que briga pelo que quer] e a gente sabe que há brasileiros que não são assim.

O livro traz os 100 princípios da atração, alguns testes, quotes bacanas e quadros comparativos, muitos deles divertidíssimos. Também, dicas para perceber quando está se deixando desvalorizar e coibir isto; os embates entre a espontaneidade e o fingimento, e entre o poder natural dela e sua mudança comportamental enquanto desenvolve um conhecimento quase "empírico".

Ela expõe tudo isso de forma divertida e engraçada, mas no fim, eu me senti cansada só de imaginar no trabalho e na responsabilidade feminina em manter algo funcionando, a necessidade óbvia da autossuficiência e da dignidade como fatores decisivos para o sucesso dessa empreitada, seja uma garçonete assalariada, seja uma empresária milionária; ao mesmo tempo, é divertido imaginar que os homens devem passar longe deste livro, ou acabarão descobrindo alguns condicionamentos a que são submetidos inconscientemente, desde a infância.

Apesar de dar várias dicas de convivência harmoniosa que cruzam a fronteira das relações amorosas e se estende às relações com amigos e família, em dados momentos, senti um certo desequilíbrio entre os dois lados. Como se os homens fossem facilmente manipuláveis, e recaísse sobre a mulher o sucesso ou fracasso da relação amorosa, dependendo do quanto ela muda o próprio comportamento [e condiciona o do parceiro] para fazer dar certo. Entendi a mensagem geral, no entanto: a harmonia deve estar presente dos dois lados. Ninguém manda em ninguém, não há lado submisso e ambos se respeitam - embora soe um pouco utópico.

Ri mais nos três dias em que li este livro do que em uma semana [a semana do terror que terminara quando o comprei], e recomendo sim, ao público feminino. Você pode encontrar algumas dicas bem-humoradas de como melhorar sua autoestima, mas indo além do foco do livro, que é manter o interesse masculino; aproveite as dicas da autora e use-as em sua vida pessoal e profissional. Afinal, você sabe bem do respeito que merece, não faz mal afirmá-lo ao mundo.



'Ninguém pode fazer você se sentir inferior sem o seu consentimento.' (Citação de Eleanor Roosevelt, p. 180)



Resenha no Canto e Conto:
http://canto-e-conto.blogspot.com/2012/06/resenha-por-que-os-homens-amam-as.html
comentários(0)comente



Déia 10/09/2011

Critica, Porque os homens amam as mulheres poderosas?
Oi, sou formada em jornalismo e fiz a critica para um antigo trabalho da faculdade. Ao utilizar o texto, credite! Texto: Andréia Rocha

Porque os homens amam as mulheres poderosas?

Esse é o titulo do livro de Sherry Argov que está chamando a atenção de várias mulheres, e homens também. Ao dar de cara com esse titulo, pensei: “um livro de leitura fácil, rápida, que pra mim é melhor ser chamado de ‘produto’ do que de 'livro'." Pois bem, na realidade o livro não fugiu da minha idéia inicial, mas, mesmo assim, li. Sabe como é... Estava na minha casa, precisava correr pra ler um livro, já que não tinha lido nada no mês. Deixando de lado essa parte, vou falar um pouco do livro em si. Sim, ele tem lá suas qualidades.
O livro é um produto, tudo bem. O titulo é “Me compre, eu estou chamando atenção, já estou gritando: Você precisa saber, vou mudar sua vida . "Eu sou um 'guia', você vai ser outra pessoa agora".
O conteúdo do livro é mesmo bem o tipo dos outros de nomes parecidos, apelativos. Mas como pra mim tudo tem seu lado bom, lá vai ele: O livro serve para as mulheres desesperadas abrirem o olho, se valorizarem. Serve para indicar que tipo de comportamento você está tendo, ou sempre teve. É sempre válido esse alerta, porque afinal a maioria das mulheres estão desesperadas mesmo, ou então como diz no livro, estão “boazinhas demais”.
O livro serve de alerta para aquelas que dão valor a qualquer ossinho do dono que veem na rua e, caridosamente, lhe amparam. Aqueles homens sem qualidade nenhuma que fazem o que querem com aquelas mulheres que permitem isso. Não adianta culpar o cara, tudo bem, tem uns que enganam super bem. Tem aqueles em que já está estampado na cara: "Você só serve para eu ter o controle da situação; você me serve para aceitar minhas desculpas esfarrapadas; você sempre vai perdoar as minhas canalhices".
Bom, é isso aí, o livro serve sim para quem precisa de um toque sobre o mau comportamento que andam tendo com seus parceiros, sobre o desespero em acertar dessa vez. O livro também serve para você dar umas risadas, tem uns comentários cômicos. E tem também a opinião dos homens. O livro fala dessas mudanças todas e tal, para você ser “difícil” no começo, de dizer uns "nãos” quando não vale a pena dizer “sim” por desespero e falta de valorização própria. Tem aquelas frases feitas também, e diagnósticos. E fala também em dignidade. E nessa parte eu concordo, “melhor só do que mal acompanhada”. Fala daquela dignidade que adormeceu por cansaço, mas que tem que voltar, não porque você “precisa ser difícil”, mas porque é preciso fazer isso por si mesmo. A pessoa que mais se conhece, e a que mais sofre pelos tapas na cara da vida, e de si mesma.
Por que os homens amam as mulheres poderosas?
Porque elas se amam também!


Por: Andréia Rocha
comentários(0)comente



Viih 12/07/2010

Altamente recomendado, com dicas muito úteis, não só para relacionamentos amorosos, mas para qualquer tipo de relacionamento (familia/amigos/colegas de trabalho)!
A autora nos explica que existem dois tipos de mulher:
-> A Boazinha
É aquela q acha que o mundo gira em torno do namorado, que acredita que o namorado é a razão para sua existência, e que é afetada por qualquer coisa que o namorado faz agindo quase sempre como um cãozinho amestrado, se desdobrando para faze-lo feliz mesmo tendo q abdicar de suas necessidades
-> E a Poderosa
A poderosa sabe que suas necessidades tem prioridade, sabe que sua vida continua mesmo sem o namorado, e preza acima de tudo o respeito num relacionamento. Ela não tolera ser usada como capacho, ela não vai pra cama com o rapaz no primeiro encontro, ela não está todas as vezes disponível para sair, ela não desmarca de sair com as amigas só pra sair com o namorado, ela tem sua independência e dignidade. É essa independência que os homens admiram, esse 'desafio mental' os exita, porque a poderosa nunca está completamente conquistada, e se o homem realmente gosta dela ele fica alerta e pensa 'o que há de errado?': é aí que ele vai atrás dela. Os homens não dão atenção para palavras, e sim para atitudes.
Vale a pena ler, já que é uma leitura super leve e rápida. Eu mesmo levei três dias para ler o livro inteiro.
comentários(0)comente



L. 03/01/2011

Até onde li, me passou a mensagem de mulheres desesperados procurando como amarrar um homem a qualquer custo. Um livro de auto-ajuda, de ensinamentos grotescos e de um senso de humor que não me agradou.
A autora descreve a ideia de conseguir um homem como uma regra, como se todos os homens fossem iguais, gostassem das mesmas coisas e se apaixonassem por mulheres que seguissem regras para conquistá-los.
Resumidamente, não aconselho ninguém a ler, a menos que faça parte dessas mulheres desesperadas!
Mari 28/07/2014minha estante
exatamente, muito bem apontado.




96 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7