A Maldição dos Ancestrais

A Maldição dos Ancestrais Matt de la Peña




Resenhas - A Maldição dos Ancestrais


4 encontrados | exibindo 1 a 4


Natan 12/02/2019

Perfeito o modo em como o autor mescla a cultura maia com os fatos históricos e com a ficção do livro. Totalmente apaixonado pela cultura maia, me vi indo ao google procurar mais sobre os fatos apresentados pelo autor.

Senti uma escrita menos infantil. Fora isso continua a série como já era.

Um dos melhores com certeza.
comentários(0)comente



Nat 22/10/2016

Dak, Sera e Riq, depois de consertarem mais uma fratura no tempo, se encontram agora na época do Império Maia, durante a conquista espanhola (pelo menos é o que Sera acha). Eles chegam na península de Yucatán debaixo de um temporal, e enquanto tentam descobrir o que pode ter dado errado, eles começam a suspeitar que existe algum motivo para eles estarem onde estão, pois o momento é peculiar: os anciões da aldeia estão escrevendo um importante códice sobre os acontecimentos da época. E esse códice pode ser a chave para o conhecimento histórico desse povo. Enquanto Sera se tortura com a visão que teve do cataclismo, Riq se interessa por uma jovem maia e pensa seriamente em abandonar a missão para ficar com ela. Dak continua a sofrer com o sumiço dos pais, mas com a confusão sobre o momento que devem consertar, ele começa a questionar se também não deve melhorar a história do povo maia.

Mais um livro super envolvente da série Infinity Ring. Qualquer hora dessas eu me aventuro no jogo rsrs Esse me deixou um pouco confusa, mas depois que peguei o ritmo da leitura, não consegui largar. O que mais gostei neste livro foram as visões de Sera e me pergunto do que falará o último livro dessa série. Não tenho muito mais o que dizer, só que adorei. A história prende a atenção do início ao fim, e depois que termina, fica na maior ansiedade para saber em que época eles irão se meter da próxima vez. Recomendado.

site: http://ofantasticomundodaleitura.blogspot.com.br/2016/10/maldicao-dos-ancestrais-matt-de-la-pena.html
comentários(0)comente



Carolina Durães 14/07/2014

Após os acontecimentos de "O Alçapão", Sera vem tendo pesadelos relacionados a sua viagem do tempo individual e o cataclismo que poderá acontecer no futuro. Assustada e extremamente sensibilizada, ela irá guardar para si essa informação na tentativa de manter seus amigos seguros.
A próxima missão estava programada para o ano de 1562, onde o trio teria que auxiliar os Maias, mas quando o Anel é programado eles acabam parando no século VII, em Izamal, conhecendo assim os mais liderados por Itchik.
Em "A maldição dos ancestrais" Sera, Dak e Riq vão conhecer os escribas da aldeia: Cocom, Kan Boar e Pacal, as mentes brilhantes que escreveram um códice que pode alterar todo o futuro da humanidade.
A principal lição desse quarto livro é a aceitação de suas origens e o desenvolvimento do orgulho de uma nação.
Os maias são representados por personagens cativantes e inteligentes, com figuras femininas fortes e destemidas como a Kisa e líderes justos como o Itchik. A apresentação de uma sociedade que ajuda a todos, sempre disponível ao seu vizinho é muito bem delineada nessa aldeia. Infelizmente, nem todos os povos pensam igual e teremos assim os homens do rei Yuknoom, de Calakmul representando a força bruta.
Um dos detalhes que se destacam nesse livro é o amadurecimento individual dos protagonistas. Os três, de maneiras diferentes, demonstram imensa preocupação com o próximo como pessoa e não apenas como um fato da história e começam a criar laços com aqueles que vão conhecendo nessa incrível missão.
Outro detalhe que merece uma atenção especial é a capacidade dos autores em manter o perfil dos personagens, mas ao mesmo tempo ir adicionando novas características que vão moldando a personalidade. A inserção de um ou outro "defeito" ou "qualidade" é feita de maneira sutil e o leitor não percebe que cada livro é escrito por uma pessoa diferente.
Uma deliciosa aventura com direito a enigmas e um Dak mais calado.

"Sera concordou com a cabeça, mas era difícil estabelecer um paralelo entre aqueles maias e os que ela conhecera nos livros. Itchik não se achava superior a ninguém, e Sera imaginava que todos os reis faziam isso. Ela ficou comovida ao vê-lo participar dos trabalhos de resgate". (p. 57)


site: http://www.viajenaleitura.com.br/
comentários(0)comente



Dhiego Morais | @liemderry_ 11/07/2016

A MALDIÇÃO DOS ANCESTRAIS
A Maldição dos Ancestrais é o quarto livro da série Infinity Ring (escrita por diversos autores). Seguindo o padrão dos outros volumes, este ultrapassa muito pouco as comuns duzentas páginas, intercaladas entre pistas, ação e mistério; dosados é claro, com humor de sobra.



Talvez algo que os leitores estejam se perguntando, interessados em se aventurar por Infinity Ring, é: “Escrito por tantos autores diferentes, a série não acaba perdendo a sua essência?”. Pois é... Neste caso, não! Não senti muita diferença entre a transição de James Dashner e Carrie Ryan, ou ainda entre Ryan e McMann. As trocas de autores proporcionaram o crescimento de algumas personagens secundárias que antes talvez não tivessem a chance de progredir.

Depois da viagem no tempo que os levou até um EUA escravagista e à beira da guerra civil, restou ao trio de Guardiões da História cair de cabeça na época do Império Maia! Antes de eu me aventurar por essa história, lembro-me de pressupor pela imagem da capa que seria um enredo envolvendo os astecas; no entanto, encontramos desta vez um livro cujo plano de fundo é a reconstrução dos costumes de uma das maiores civilizações da América: os Maias!

Pegos por uma tempestade tropical assustadoramente poderosa, o trio acaba por aprender que nem tudo o que viram na escola, antes de toda a história se iniciar, é verdadeira. Como proceder com uma cultura tão única quanto a do povo maia quando se percebe que os fatos conhecidos dessa nação podem estar completamente errados? E se aquela sociedade tiver sido mal interpretada? Você ousaria interferir na história se a afeição pela cultura se confrontasse com a percepção de que eles seriam dizimados, anos depois?

É com tantos porquês que Dak, Sera e Riq se veem no dilema de corrigir a fratura ou reescrever a história de uma nação.

LEIA NA ÍNTEGRA EM:

site: http://www.intocados.com/index.php/literatura/resenhas/488-a-maldicao-dos-ancestrais-infinity-ring-4-matt-de-la-pena
comentários(0)comente



4 encontrados | exibindo 1 a 4