A Coroa Escarlate

A Coroa Escarlate Cinda Williams Chima




Resenhas - A Coroa Escarlate


29 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Laryssa 13/09/2020

Vai deixar saudades
Enfim termino essa série incrível, com personagens maravilhosos. Não vou negar que me apeguei muito a eles, acho tão bem construídos. A série dos sete reinos nos trás questões políticas a serem tratadas, cada diálogo incrível, ao meu ponto de vista. Uma única crítica, é que o final deveria ser melhor trabalhado, algumas questões ainda ficaram no ar, gostaria muito de saber como o Reino ficou depois de tudo . Infelizmente a série não é tão reconhecida, nem mesmo a autora, que tem mais alguns livros porém não traduzidos. Livro favoritado com toda certeza.
comentários(0)comente



Lane 06/09/2020

Ai meu Deus que final, a série toda e ótima e o final foi maravilhoso.
comentários(0)comente



Myllene Felix 15/08/2020

Uma das minhas séries favoritas.
Sei que muita gente considera essa série clichê, acredito que ao julgar pela base da história você também achará de início.
Mas tem todo um sabor especial quando a obra mesmo "boba" é bem escrita e bem ambientada.
Toda a minha gratidão a Cinda Chima, que me trouxe o sabor que eu precisava pra retormar meu hábito de leitura.

Falando especialmente desse livro, senti que ela poderia ter dissociado em +2, mas optou por manter apenas mais esse IV volume.
Ela dobrou o número de capítulos e enxugou bastante a história, de modo que ficou bastante objetiva.
Sinceramente? Eu gostei, pq ela soube ambientar sem ter que se prolongar muito e não me desconectei a história em nenhuma página.
Por outro lado, alguns detalhes que eu queria muito ter o prazer de ler, simplesmente foram descartados para trazer essa dinâmica.
No mais, eu vou guardar com muito carinho essa história que tanto me encantou.
Obrigada, Cinda!!!!
comentários(0)comente



Kelli ( kell_msa) 15/07/2020

Fantasia Teen. Um cliché quando mal escrito? Ou uma boa sacada quando bem escrito?
Apesar de achar que toda essa saga teve seus deslizes, devido a repetição de clichés adolescentes. Achei que de certo modo, ela teve seus momentos, inquestionavelmente. Com certeza, foram mais surpresas boas, de um livro bem escrito e que te prende e te deia ansiosa, do que momentos clichés que te fazem perder a paciência e querer desistir.

Depois de 50-60% já se podia imaginar o final. Mas mesmo no final, trouxe uma pequena reviravolta. Valeu muito a pena ter lido.
comentários(0)comente



JL 23/06/2020

Faltou um toque no final, pois o Rei Demônio continuou sendo o "errado". No geral eu gostei, algumas coisas estavam meio obvias em quem estava matando os magos, nada como uma briga de clãs.
Gostei desse que teve mais partes do Han.
comentários(0)comente



Jean 05/06/2020

De tirar o fôlego
O final perfeito para uma série perfeita. Desde o começo só evoluiu, dramas bem feitos, personagens para amar e para odiar e cada livro impecável.
comentários(0)comente



Juli 27/05/2020

Conclusão impecável
Ainda estou processando o que foi exatamente esse livro. Uma coisa eu sei: virou favorito.
Raisa e Han são protagonistas incríveis, completamente apaixonantes. O arco do romance deles complementa eles ao invés de ofuscar a individualidade deles, o que não são todos os autores que sabem fazer, né? Kk.
Esse livro foi intenso de muitas formas, em um resumo a cada dois capítulos um me deixava COMPLETAMENTE louca, puxando os cabelos para saber o que aconteceria depois (principalmente no final).
Quanto ao final em si, as últimas cem páginas, eu realmente achei meio corrido, além deixar uma enorme ponta solta em relação à um dos maiores conflitos no final, MAS, aí eu fui atrás e foi quando eu descobri que a autora escreveu uma outra série chamada Shattered Seven Realms Series que conta a história dos descendentes de certos personagens deste livro e eu enlouqueci.
Achei realmente uma pena que a Suma não tenha trazido ela para cá, privando uma parte do público brasileiro da conclusão de um dos conflitos finais (que não fica escancaradamente aberto, mas deixa aquele gostinho de quero mais) e do que parece uma expansão enorme desse mundo incrível (aliás, são mais quatro livros, então história é o que não vai faltar).


P.S.: ISSO É SPOILER!!!!!
A última cena do Han com o Alger foi absolutamente tudo para mim, e a Hanalea aparecendo. Ai, completamente fofa. Ainda quero saber se o amuleto com o Alger dentro vai ser um segredo herdado de geração à geração, se vai se formar uma "tradição" dos Waterlow/Alister em se transportarem e se eternalizarem no amuleto, fiquei bem curiosa sobre isso.
E, mesmo que eu saiba que o livro é sobre o filho do Han e da Raisa, eu ainda estou louca para ver cenas desses dois e de qualquer outro personagem, os filhos da Cat e do Dançarino, os filhos do Amon, os possíveis irmãos e irmãs desse tal Adrian e a conclusão da vida de Micah Bayar, que embora seja um personagem infernal às vezes, ainda me fez simpatizar em alguns momentos, embora eu ainda espere a competição entre Waterlows/Alisters e Bayars.
comentários(0)comente



Denise 25/04/2020

Finalização perfeita de uma fantasia queridinha. Não deixou nenhuma ponta solta. Realmente muito bom
comentários(0)comente



dulcegdorta 21/04/2020

Essa saga me surpreendeu bastante. Praticamente não consegui parar de ler. Magia, conflitos políticos e romance formam essa aventura maravilhosa.
comentários(0)comente



Guedes 16/04/2020

Que ótima saga
Essa saga foi uma surpresa extremamente agradável, com personagens que colam em você e lhe trazem um sentimento de companheirismo que perdura durante toda a jornada.
Para mim esse sem dúvida foi o melhor da série, mesmo com toda a angústia que ele traz. Você quer que as coisas terminem bem e nem sempre você acha que vai dar certo, mas você torce tanto.
Diga sem sombra de dúvidas que foram um dos melhores protagonistas em fantasia medieval que eu já li, eles fogem do óbvio e esse me encantou em todos os livros.
O final aqui é digno só achei que poderia ter um final um pouco diferente para o maior antagonista, um pouco mais elaborado mas mesmo assim eu gostei.
Fica aqui minha recomendação para esse saga tão querida.
comentários(0)comente



Cinthya 15/11/2019

Final de uma linda história
É o último livro de uma serie que me fez ver lados já aguardados.
É um livro sobre superação de uma menina e um menino, que aos poucos vão se tornando uma história maravilhosa.
Esperava um pouco mais da história, principalmente da evolução da Raisa, pois, o Han evoluiu muito em minha opinião.
Gostei do final.
A história se desenvolve de uma maneira imprevisível.
A jornada acaba com um final adequado para a história e pelo desenvolvimento.
Se você espera uma grande reviravolta na história, um amor incrível, políticas intrigantes e aquele final épico; talvez para mim não tenha rolado.
comentários(0)comente



Luiza Helena (@balaiodebabados) 31/12/2018

Originalmente postada em http://www.oquetemnanossaestante.com.br/
A Coroa Escarlate é o livro que fecha a série Os Sete Reinos. Apesar de alguns detalhes, foi uma ótima conclusão.

Raisa ana’Marianna se tornou uma das minhas personagens favoritas de fantasia jovem-adulto. Quem viu a princesa mimada e birrenta do primeiro livro que só queria saber de beijar garotos nunca iria imaginar que ela viria se tornar uma rainha sensata e justa. O maior objetivo de Raisa é unir todos os povos que vivem em seu reino e ela sabe que não é uma tarefa fácil. Anos e anos de preconceitos e hostilidade os separam, mas aos poucos ela vai conseguindo contornar a situação. Ela aprendeu que a política na corte nada mais é que um jogo de ceder para ganhar futuramente. Não querendo repetir os mesmos erros de sua falecida mãe, ela era resiliente e decidida em suas atitudes, mesmo sabendo que poderia não ser de agrado a outras pessoas.

Han Alister também foi um personagem de bastante evolução. De rei da rua, aos poucos e contra a vontade de muita gente, ele se tornou um mago bastante poderoso e influente na corte da rainha. Por ter a inimizade de praticamente todo mundo da corte, Han não tem medo de fazer mais alguns inimigos, se isso significar que Raisa continue viva e venha a fazer um grande reinado futuramente.

Assim como no livro anterior, temos o foco da política e as dificuldades que Raisa tem em confiar nas pessoas que, em tese, deveriam ajudá-la a governar. Com a ajuda de Amon e Han, Raisa começa a se rodear de pessoas de confiança, que acreditam nela e estão sempre prontos a ajudá-la. Junto a isso, há o mistério dos assassinatos de magos. Claramente Han Alister é acusado e todas as provas se voltam a ele, mas quando o verdadeiro assassino é revelado, eu fiquei de queixo caído porque nunca iria desconfiar dessa pessoa.

O romance entre Raisa e Han está bastante interligado com a política do reino de Fells. Ambos vivem uma espécie de amor proibido e sabem que não podem ficar juntos por causa de uma lei antiga que proíbe. É difícil resistir à tentação de correr um pros braços do outro, mas tanto Han quanto Raisa não deixam seus sentimentos influenciarem em suas decisões.

Apesar de ter gostado muito do desfecho, tenho algumas considerações. A história tem muitos personagens secundários, fazendo com que alguns não sejam trabalhados de forma devida. O maior exemplo é Dançarino de Fogo, amigo de Han. Ele é um personagem que tinha bastante potencial a ser explorado, mas que infelizmente estava mais para participações especiais. Outro exemplo é Gavan Bayar. O lorde vinha infernizando a vida de todo mundo desde o primeiro livro e eu queria um destino mais terrível para ele.

Outra consideração é em relação ao tamanho do livro. Chegou um momento que eu tive a impressão da autora estar esticando demais certos assuntos. Se ele tivesse umas cem páginas a menos ainda assim a autora conseguiria fechar todos os pontos da história.

A série Os Sete Reinos foi uma grande surpresa de 2018. Apesar do começo ruim, Cinda desenvolveu e explorou o potencial de sua história. Se você está procurando uma fantasia que envolva política e magia, essa é uma ótima indicação.

site: https://www.oquetemnanossaestante.com.br/2018/12/a-coroa-escarlate-resenha-literaria.html
comentários(0)comente



Stefânia 03/11/2018

Q final!!!
Mtas revelações, reviravoltas, traições e um final surpreendente, seguindo a profecia ditada pelas rainhas Lobo Gris. Sensacional!!!
comentários(0)comente



Tamirez | @resenhandosonhos 23/08/2018

A Coroa Escarlate
Terminar uma série que gostamos bastante é sempre um mix de sentimentos. Queria saber o desfecho da história e ao mesmo tempo sofri por ter acabado, principalmente por desejar algumas páginas a mais para dar uma espiadinha no futuro que nos é ocultado. Comecei essa série despretensiosamente em 2015 e acabei me apaixonando pela história e pelos personagens.

Vi Han e Raísa amadurecerem e mudarem muito ao longo dos livros. O jovem mago está mais astuto, mas não perdeu seu jogo de cintura das ruas, porém sabe que agora lida com peões bem mais perigosos numa situação bem mais complicada. Ele também não quer ser apenas o amante da jovem Rainha, se não for tê-la por completo prefere que nada aconteça e isso o machuca bastante, mas não o tira do seu objetivo principal, que é ajudá-la e consolidar sua posição.

Já Raísa está mais do que nunca no meio do fogo cruzado. Ela quer acreditar que Han está a ajudando, mas tudo aponta para ele, como se ao invés de amigo ele estivesse tramando contra ela. A pressão do casamento e o vislumbre do seu reino sendo atacado não a ajudam a acelerar a decisão, o que vai aos poucos lhe consumindo. Há um jogo muito complicado em andamento e qualquer peça jogada errada pode mudar completamente o futuro de todos.

“A esperança é uma coisa perigosa. Quando acende, é difícil de ser apagada. Transforma pessoas sábias em tolas.”

Micah começa o livro como sempre, tentando passar pelo bonzinho, mas ao fim parece que ele realmente mostra quem ele pode ser de verdade, o que foi interessante. Ammon tem pouco destaque aqui, mas cumpre seu papel junto à guarda e questiona a Rainha sobre a segurança do reino como é o seu trabalho fazer.

Acho que o que mais me incomodou foi ver tudo se voltando contra Han enquanto ele prestava atenção em outra coisa e não dava satisfações ao leitor. Chega um momento onde começamos a acreditar que ele realmente pode estar encrencado e se isso fosse adiante não haveria mais volta ou chance de algo entre ele e Raísa dar certo. O papel da jovem nesse livro é basicamente esperar e tentar contornar todos que a pressionam até que uma solução melhor apareça.

Quem também ganha explicações é Dançarino. Descobrimos quem é seu verdadeiro pai e toda a história que Willo vinha guardando dele. A avó de Raísa e o pai também explicações a dar sobre suas ações e as cartas vão aos poucos sendo viradas na mesa.

Pareceu que o final não chegaria nunca, tudo demorou muito para se desenrolar enquanto as páginas iam acabando rapidamente. E o fim não foi surpreendente ou espetacular, mas pra mim que acompanhei a série e adorei os personagens, chegar ao desfecho que alcançamos foi um alívio. Tanta coisa poderia ter dado errado. E o verdadeiro gran finale nem é de Han e de Raísa, mas do Corvo, de Alger Waterlow e Hanalea. É como um grande ciclo de lendas e sofrimento se fechando.

“O problema de ter amigos, é que eles tendem a se juntar contra você. Normalmente com a desculpa de que é para o seu próprio bem.”

Essa é uma série de pouco destaque aqui no Brasil. Ela é simples, sem grandes floreios, mas traz uma história YA medieval muito bacana. Os personagens são jovens mas não são bobos e isso é algo muito importante pra mim. As lendas, as crenças e o jogo político, por mais que sempre estivessem interligados com o romance, sempre tiveram o protagonismo, e a relação de Han e Raísa era um background da confusão que ia se formando no palco principal dessa história.

O Algemas do primeiro livro caminhou um longo caminho do ladrão da Rua dos Trapilhos até se tornar um mago conhecido e influente. Sua jornada não foi marcada pelo romance, mas pela influência de seus atos. Assim como Raísa só se ergueu Rainha porque foi forte e soube por de lado seus sentimentos pelo peso do nome e da linhagem que carregava. O destino dos dois se uniu por um acaso, mas os dois jovens que se conheceram no começo dessa história estão longe de ser os mesmos jovens que terminam este livro. A carga que cada um carrega os mudou, e lhes moldou para serem exatamente o melhor que poderia ser.

Me despeço de Cinda Williams Chima e de sua história com um gostinho de quero mais e o desejo de ter a oportunidade de ler mais coisas da autora. E, se você procura uma série para apostar, fica aqui a recomendação de Os Sete Reinos, uma quadrilogia que já está toda disponível no Brasil e que pode conquistar você.

site: http://resenhandosonhos.com/coroa-escarlate-cinda-williams-chima/
comentários(0)comente



Lauraa Machado 18/06/2018

Mais do que excelente
Não existem palavras para explicar o quanto eu amei esse livro. Cinco estrelas não são suficientes. Eu adorei todos os livros da série, cheguei até a julgá-los um pouco mais do que o normal, a exigir mais do que costumo exigir, só porque o nível deles estava tão alto, mas tenho que admitir que esse último é de longe o melhor. Se ele existisse sozinho, já seria excelente. Se todos os outros três fossem péssimos, a série já valeria a pena por ele. Isso é que eu chamo de obra prima.

Antes de mais nada, vou ter que perguntar de novo. Por que essa saga Sete Reinos não é mais famosa e não virou ainda uma série de televisão? Por que as pessoas idolatram e divulgam tanto livros como os das Crônicas do Amor e Ódio e não prestam atenção a uma série maravilhosa como Sete Reinos, que tem todos os melhores elementos da outra, mas que é muito melhor escrita em todos os sentidos? Será que o mundo realmente gosta de livro ruim e despreza os bons?

Eu até entenderia se essa série fosse mais difícil de ler, se fosse mais adulta, mas ela é do mesmo gênero e estilo que as Crônicas do Amor e Ódio, só bem melhor. Ela tem todos os apelos necessários e interessantes do gênero, tem amor proibido, tem casamentos de realeza (e princesa que quer mais do que isso), tem guerras, tem magia, tem uma cultura muito bem criada pela autora, tem aventura e cenas de ação, tem romance trabalhado com cuidado e protagonistas incrivelmente humanos e que se desenvolvem pela série de um jeito formidável. Essa série tem tudo, além de ser viciante e maravilhosa.

Eu ia ler só o primeiro livro. Cada um tem pelo menos 500 páginas e esse último, o maior deles, tem 600. Tinham até me falado que o primeiro era o mais sem graça, então tinha decidido só ler ele mesmo e depois ir ler algo mais leve, deixando o resto da série para mais tarde. Juro que ia só ler o primeiro, minhas expectativas estavam tão baixas. Mas acabei amando ele, então me convenci a ler o segundo. Caí de amores mais uma vez, então resolvi arriscar ler o terceiro. Andei sofrendo tanto com livros nesse gênero ultimamente, achando-os todos bem arrastados e, quando não eram, ainda tinham algo que me incomodava. Só por isso, eu quase nunca andava conseguindo ler dois livros de alta fantasia seguidos. O terceiro livro dessa série não foi meu favorito, mas eu ainda o amei o suficiente para não conseguir imaginar ler outro antes desse.

E esse quarto e último é o melhor de todos. Eu realmente não tenho palavras para descrever o quanto fiquei impressionada com o enredo, com os conflitos políticos e românticos, com o desenvolvimento dos personagens e todas as ramificações da história que a autora criou. Esses livros são simplesmente inteligentes demais, o que é bem raro em literatura YA, infelizmente. Sabe aquele tipo de livro que dá vontade de se levantar várias vezes no meio dele e bater palmas? Então. Minha vontade agora, honestamente, é de começar ele de novo logo que eu terminar essa resenha. Não sei o que vou conseguir ler depois dele - tenho medo de desanimar de todos os livros daqui para a frente por causa dessa série.

É raro ver uma história e principalmente personagens com tanto potencial como nessa série. É mais raro ainda ver todo esse potencial sendo utilizado de uma forma tão inteligente e interessante. Essa série é única e recomendo para todo mundo que gosta de alta fantasia ou histórias com protagonistas bem construídos, de personalidade forte e inteligentes. Não consigo escolher meu favorito entre Han e Raisa. Só sei que não vou demorar para ler a outra série da autora nesse mesmo universo e exijo que eles façam uma aparição, nem que pequena ou só por menção!

E, caso não tenha ficado claro, todo mundo deveria ler essa série!
Andréa Araújo 18/06/2018minha estante
Só para deixar claro, estou surtando com essas resenhas. Quero muito ler essa série!


DESATIVADO 18/06/2018minha estante
acho que o marketing q a editora faz dessa serie é que prejudica, pois as pessoas só leem pela indicação mesmo. E já estou mega animada para ler


K. 18/06/2018minha estante
Eu meio que deixei de lado o primeiro mas lendo as suas resenhas da saga, deu vontade de voltar a ler. Vou dar mais uma chance!


Lauraa Machado 18/06/2018minha estante
Dê! A maioria das pessoas dizem que o primeiro é o mais parado, mas eu gostei bastante dele também! Só que esse último é o melhor de longe! Haha


K. 18/06/2018minha estante
Eu li os quatro primeiros capítulos só. Dai não me empolgou muito e eu acabei deixando de lado e pegando outro.
Vou terminar o atual e voltar pra ele. :3


Lauraa Machado 19/06/2018minha estante
A primeira metade de O Rei Demônio é mesmo um pouco lenta, porque a autora ainda está construindo a história. Mas o final vale muito a pena!




29 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2