Meu Nome é Memória

Meu Nome é Memória Ann Brashares




Resenhas - Meu Nome é Memória


18 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Kari 24/07/2014

Uma história envolvente, encantadora que irá arrebatar o seu coração.. Quem não sonha com um amor que ultrapassa as barrerias da morte e dura eternamente? Com um amor que não é carnal e sim vem da alma? #suspiros


Vivi mais de mil anos. Morri incontáveis vezes.
Esqueço o número exato. Minha memória é uma
Coisa extraordinária, mas não é perfeita. Sou humano.



Ann Brashares me ganhou completamente! Ler Meu nome é memória foi uma experiência fantástica! A história é forte e nos faz refletir sobre diversas questões como amor, consciência, motivações, amizade, ódio, rancor e tantos outras questões que seriam muitas para enumerar nessa resenha. A história encanta com sua forma simples e ao mesmo tempo complexa. Afinal sei que muitos aqui gostariam de saber se existe reencarnação ou mesmo imaginam ou tiveram algum tipo de experiência a esse respeito.. Este livro relata um amor que ultrapassa as lembranças de diversas vidas em corpos diferentes, mas com a mesma alma do começo.. uma alma que fica marcada pelo amor, pela dor e por fatos importantes que vivemos, mesmo que nem todas as almas tenham a capacidade de lembrar-se disso..

"Eu me apaixonei e ela é quem resiste. Eu a
matei uma vez, morri por ela muitas vezes e
ainda não tenho nada para exibir. Sempre a
procuro. Sempre me lembro dela. Carrego a
esperança de que, um dia, ela venha a se
lembrar de mim."
Daniel

Daniel é um personagem que "viveu" preso em todas as suas vidas, pois não consegue simplesmente agarrar o novo e se entregar. Ele guarda marcas profundas de vidas passadas e consegue se lembrar de quase tudo. Ele sempre foi Daniel, mesmo que nasça em outros corpos e formas, sempre se intitula Daniel, é a forma que ele encontra para não se perder ao longo das memórias de suas vidas.
Em um passado distante, no ano de 541 D.C ele viveu na pele de um soldado que acabou tirando a vida de uma jovem, cujo nome nem mesmo chegou a ter conhecimento e essa perda lhe marcou de forma irremediável; levou consigo as marcas dessa tragédia e arrependimento e em vidas seguintes ao perceber que sua memória o fazia lembrar-se de suas vidas anteriores, jurou para si que em algum momento encontraria ela. E encontrou.. tantas e tantas vezes.. assim como se apaixonou e a amou em todas as suas formas que teve o prazer de encontrar. Infelizmente um amor platônico, à distância, já que sempre houveram coisas para separá-los, fosse idade, local de nascimento, ela já ser casada e etc.

"Eu a amo. Preciso dela. Desisti de tudo que
eu tinha por ela. Só queria que ela soubesse
quem eu sou."
Daniel

Nos dias atuais Daniel encontra essa jovem na pele de Lucy e tem em fim a oportunidade de viver seu grande amor, já que nasceram na mesma época, possuem a mesma idade e etc.. Mas ele só consegue enxergar Sophia, a mulher do passado que antes não tinha um nome, mas que encontrou algum tempo depois e se apaixonou, a mesma alma que conheceu no ano 541 D.C. Ele quer que Lucy, lembre-se das vidas passadas e de seu amor por ele, mas Lucy não possui esse dom ou maldição e quando ocorre o encontro entre eles, ela se assusta e se afasta. Porém ela sente que algo sempre a atraiu para aquele estranho garoto no colégio, e através de experiências com uma cartomante e com regressão em um consultório ela de fato passa a crer em reencarnação e segue de encontro com seu passado para entender seu presente.

As coisas não são tão simples como parece; em uma de tantas vidas, Lucy foi Sophia e Sophia era esposa de Joaquim, irmão de Daniel e um homem muito ruim, que destratava a esposa e a agredia, e nessa época Daniel foge com Sophia para protegê-la da ira de seu irmão, mesmo apaixonado por ela, eles não se entregam um ao outro, pois ele não a quer dessa forma, não é certo. Seria dar razão ao ciúmes do irmão e as desconfianças.. e isso ele jamais faria, pois ele mais do que ninguém sabe o quanto uma alma fica marcada por suas ações e atitudes ao longo de suas vidas.. Então o mesmo Joaquim do passado também volta tantas e tantas outras vezes no decorrer dos anos.. As almas que tiveram algum tipo de ligação tendem a encontrar-se novamente, seja um amor, ou um grande inimigo, ou um ente querido ou amigo adorado.. não importa.. em algum momento ao longo das diversas vidas que se seguem, essas almas se cruzam, mesmo que nem todas possuam a capacidade de Daniel, de lembrar-se ou ainda de reconhecer outra alma olhando além do casco que a abriga. Joaquim não possui o dom de reconhecer outra alma, mas ele consegue se lembrar também e além disso desenvolveu um terrível dom de "roubar" corpos. Ele não precisa nascer novamente e viver tudo novamente, ele simplesmente consegue ferir uma alma e expulsá-la de seu casulo tomando o corpo para si.

"Precisava se acalmar antes de prosseguir.
Precisava encontrar sua coragem. Era um
universo alternativo. Agora se encontrava
nele e não podia voltar. Era um mundo onde
era possível se lembrar de coisas que
aconteceram antes de você nascer. Era um
mundo onde era possível se comunicar consigo
muito tempo depois de sua morte e se apaixonar
por um garoto desconhecido seguidas vezes."
Lucy

Quando Lucy já acredita em tudo que Daniel, a cartomante e as descobertas lhe mostraram Joaquim aparece na vida de Lucy, dizendo ser Daniel, ela estranha já que a aparência dele não é a do garoto da escola.. Mas ele conta que morreu e que conseguiu outro corpo saudável quando uma alma muito ferida desistiu do seu corpo.. Ela acaba acreditando, mesmo não sentindo a atração que sentia anteriormente e eles vão se relacionando, Joaquim, sempre tentando forçar para ter sexo e tudo de Lucy, enquanto ela se questiona se deve mesmo se entregar a ele, se realmente ele é capaz de fazê-la feliz como Constance (uma de suas vidas anteriores disse em carta)..


"Havia uma satisfação em estar certa e um
pavor em descobrir tantos indícios de que o
mundo não funciona do jeito que você ou a
maioria das pessoas achava que funcionava."
Lucy.

A história é muito envolvente e nos pegamos torcendo a cada virada de página para que esse casal em fim possa viver seu grande e sonhado amor, mas sempre tem algo que os afasta.. até mesmo eles mesmos. Daniel é um personagem muito maduro, assim como Lucy.. não se trata de um romance adolescente, ou "jovenzinho" é uma história complexa com muitas idas e vindas e que requer bastante atenção do leitor para não se perder no decorrer de tantos relatos de Daniel sobre suas antigas vidas.
Ben, uma alma que assim, como Daniel consegue lembrar-se de tudo, é um personagem muito enigmático e que me deixou bastante intrigada. Suas aparições não foram tantas no decorrer da história, mas todas as vezes que apareceu foi muito importante para direcionar Daniel e ajudá-lo a ver coisas que ele não via. Ben é uma alma muito mais antiga que Daniel e demonstra saber muito mais, porém é um poeta.. não fala nada claramente, apenas o que o outro consegue lidar no momento.. Gostaria muito de ter lido mais sobre Ben e seu passado.. Mas uma coisa é fato, a cada vida de Ben, fosse em um corpo de homem, mulher, criança.. ele se entregava a vida, mesmo com tantas lembranças.. naquele momento ele era quem deveria ser.. e a todo instante ele sempre disse isso a Daniel; que ele precisava viver.. que o amor por Sophia o fazia refém de si mesmo!

"Quando você sabe que é diferente, quando
seu mundo interior não faz sentido para ninguém,
inclusive para você, isso naturalmente lhe afasta das pessoas."
Daniel

Daniel apesar de amar tanto Sophia tem medo de se aproximar e perde inúmeras oportunidades.. Ele afinal de contas é humano e tem receios como todos nós temos. Mas essa covardia por parte dele me deu raiva por Lucy e ele não terem ficado juntos desde que se encontraram.. E o final do livro me deixou muito, mais muito triste e cheia de expectativas; com gostinho de quero mais.. Preciso de mais.. não pode terminar assim!!!!!!!

O livro é fantásticos, um dos melhores romances que eu já li no gênero, se não o melhor!
Meu nome é memória é um desses livros que você se pega pensamento mesmo após o término da leitura.. Se pega criando encontros e desencontros em sua própria mente para matar a saudade dos personagens!
Virei fã de Ann Brashares!

"Meu amor por você é mais verdadeiro do que qualquer coisa que já
conheci nessa vida longa, muito longa.
O amor exige tudo, pelo que dizem. Mas meu amor exige apenas
uma coisa: que, não importa o que aconteça ou o quanto demore, você
continue a acreditar em mim, que se lembre de quem somos e que
você nunca se desespere."
Eternamente seu,
Daniel.
pág.278
Raiza 17/08/2014minha estante
Amei sua resenha. Super explicativa e detalhada! :)




Caro - só troco livro por livro 02/06/2014

Envolvente!
Vale a pena ler? Com certeza!
Nunca li nada parecido.

Daniel se lembra da sua primeira vida por volta de 541 d.C, foi lá que conheceu Sophia.

"Há limites para a vontade, naturalmente — como a expressão das vontades de outras pessoas. E é por isso que a minha história seria bem mais curta e alegre se eu simplesmente tivesse amado Sophia desde o começo e achado uma forma de fazê-la me amar. Eu não teria passado mil anos esperando por ela, procurando-a e tentando mantê-la perto o bastante por tempo suficiente para superar o nosso primeiro encontro.
Parte do meu castigo foi que eu não a vi novamente por mais duzentos anos. Mas, quando vi, aquilo determinou o rumo do resto dos meus dias.

O livro alterna com o passado, e todas as vezes que já encontrou Sophia, com o presente, quando Lucy (Sophia) e Daniel são apenas estudantes.
Ele a ama e isso assusta a menina, que após anos tem algumas revelações e vai em busca de seu "passado".
Sinceramente, o livro me envolveu. Li em menos de 8 horas, isso por que estava no trabalho.
O final foi a surpresa do livro, justamente por não ter, ou por não me convencer. Não sei, poderia ter sido maravilhoso... Mas pelo visto tem mais por ai. Mas vendo pelo lado positivo, o amor não acabou!
Aline Ramos 27/06/2014minha estante
Será mesmo que vai ter continuação? tomara, pq me frustei com o final..rs


Caro - só troco livro por livro 20/08/2014minha estante
Aline Ramos, tomara que sim!!!
Ainda não me conformo!
bjo




spoiler visualizar
comentários(0)comente



Rebeca 04/06/2014

É possível se apaixonar por essa história de amor várias vezes!!!
Favoritar esse livro é quase uma obrigação... rs. NOSSA, é difícil arranjar palavras para descrever a emoção ao ler, apenas que estou apaixonada!

Um livro que começa bom, logo envolve e cativa e, quando você já está fisgado, ele consegue ficar ainda melhor. Apesar de não acreditar em outras vidas, acredito que por amor a gente quebras barreiras... E a história de amor desse livro é para se apaixonar mais de uma vez!!!
comentários(0)comente



Raffafust 03/01/2015

Demorei um bocado para ler esse livro, o recebi de parceria com a editora Suma de Letras e apesar de estar ansiosa com a leitura dele, acabei deixando para ser o último livro lido no ano de 2014. Geralmente quando pego um livro do tamanho desses termino no máximo em 2 dias, esse demorei quase 5. Mas vamos a história.
Em Meu Nome é Memória conhecemos Daniel , o protagonista tinha tudo para ser interessante, ele viveu várias vidas e se lembra de quase todas, inclusive de sua relação com a mulher que ama e que já viveu várias encarnações a seu lado : Lucy, ou Sophia , nome que ela tinha no passado.
O presente para nós é 2006 mas a autora faz uma verdadeira viagem ao tempo com explicações cansativas e desnecessárias para seu protagonista. Ok saber que ele viveu no Egito, em muitos outros países e que em todos ele é Daniel e nem sempre bate com a mesma idade de sua amada ou até mesmo tem o azar de vê-la casada com alguém de sua própria família. O que para muitos seria motivo de alegria para ele não parece, por muitas vezes ele gostaria de ser como todos os outros, e para ele o mais importante é conhecer a cada fase de sua vida como está a mulher que ama, por mais que ela não faça a menor ideia de quem ele seja no início. Digo início porque depois ela tem vagas lembranças com ele.
Apesar da narrativa de Daniel e Lucy serem apresentadas e isso se tornar interessante por muitas vezes, o fator " vamos juntar os dois somente no final assim como nas novelas" leva o leitor a bocejar durante muitos capítulos.
Se a parte histórica do livro é gigante e pode interessar a muitos, ela também pode desanimar muitos leitores já que a autora enrola demais para contar o que de fato importa.
Daniel poderia ter sido melhor aproveitado, a mensagem do livro é bacana e o final vai emocionar muitos. Mas eu queria bem mais, e bem menos enrolação da autora.
Nath 03/01/2015minha estante
Raffa eu demorei horrores pra ler esse livro. Peguei ele pra ler depois do Natal e só fui terminar hoje. É um história legal mas é muito enrolada mesmo. E o final foi bonito mas não foi o suficiente pra mim.


Luckas dos Santos Piazzon 05/06/2015minha estante
Só eu que achei essa historia muito parecida com a saga Fallen da Lauren Kate?
Daniel e Lucy? Vidas passadas? Uma maldição?


JANEREINANDO 14/07/2015minha estante
realmente o livro e rico em detalhe tem uma boa historia tinha tudo pra ser uma boa leitura mais a autora exagerou nas narrativas das vidas passadas, ficou extremamente cansativo,só não desistir porque não gosto de deixar livro pela metade,o final me frustou.


Mônica 24/03/2016minha estante
Ai minha nossa, outro livro da série Fallen escrita na visão de Daniel?? Seria isso? Por mais que seja autoras diferentes, a história é a mesma, até os nomes dos personagens são os mesmos...




Sil 26/04/2016

ATRAÇÃO POR CAPAS LINDAS
Olá pessoal,

Ás vezes, eu gosto de ler aquele livro que mais ninguém parece querer ler. Isso aconteceu com meu nome é memória, a capa é meio piegas, mas okay, a sinopse era interessante e o preço na hora de comprar foi melhor ainda (11,90), então resolvi dar uma chance.
A história é contada em partes pela memória. O nosso protagonista Daniel, consegue lembrar-se de suas vidas anteriores. Elas mudam toda vez que ele reencarna, países diferentes, famílias diferentes, problemas diferentes, e diferentes formas de morrer em cada uma, porém sempre uma constante: Lucy.

Daniel e Lucy lutam em todas as vidas, para ficar juntos, porém existe uma força que sempre os separa. Lucy não consegue se lembrar de suas outras vidas, então Daniel tem a tarefa de procurá-la e conquistá-la toda vez. Em algumas vidas funciona, em outras não, pois ás vezes existem empecilhos: Lucy já está casada com outra pessoa, a idade de ambos diverge muito impedindo assim um relacionamento. Mas dessa vez eles tem a mesma idade, estudam na mesma escola, tem tudo para dar certo. Porém Daniel sabe que aquela força nunca desistiu, ela ainda os persegue e com isso acaba com medo de que novamente eles não possam viver o seu amor. Você vai entendendo os fatos, á partir de flashes, que estão intercalados entre passado e presente. Como eles se conheceram, porque nunca conseguem ficar juntos, apesar de obviamente estarem ligados.

Uma coisa que me cansou um pouco foi a parte indecisa que o personagem Daniel viveu: estava em dúvida se lutava por Lucy nessa vida, agora que as coisas pareciam se encaixar, ou se deixava as coisas como estão pois aquilo com certeza iria encontrá-los e poderia acabar com tudo novamente. Confesso que esse dilema foi um tanto desnecessário e cansativo, mas o livro valeu a pena mesmo assim.

Escrito pela norte americana Ann Brashares (autora também do livro Quatro amigas e um jeans viajante), Meu nome é memória trata sobre vidas passadas, almas gêmeas e reencarnação, um tema do qual não havia lido muita coisa até então, mas resolvi arriscar, e simplesmente me apaixonei pelo tema e por esse livro curto, fofo e que diverte muito.

Abraços

site: http://www.colunadovale.com.br/atracao-por-capas-lindas/
comentários(0)comente



Greice Negrini 17/07/2014

Uma memória não tão boa!
Daniel foi um homem que viveu muitas vidas. Sua primeira lembrança é do ano de 541 D.C., onde não sabia muito sobre nada e acreditava que sua existência era meramente bobagem. Naquela época vivia no norte da África e as batalhas para conquistas de território era frequentes.

Nesta época seu irmão já era uma pessoa que gostava de guerrear e se sentia muito influente. Foi ali, naquela primeira vida, após atacarem um povoado erroneamente, que ele descobriu a sua alma gêmea e a forma de como se sentiu culpado em matá-la despropositadamente.

Lucy é uma garota não muito popular na escola. O ano é 2004 e o estado é o da Virgínia nos Estados Unidos. Lucy está no final dos estudos e pronta para a formatura do terceiro ano. Ela sempre tentou ser a menina certinha, pois a marca que sua irmã deixou na vida de seus pais foi a mais dolorida possível.

A única coisa que a perturbava era um garoto na escola: Daniel. Um garoto que quase não conversava com ninguém, que tinha um jeito fechado como se pensasse ou estivesse em outro mundo o tempo inteiro. Isso a intrigava demais. Mas Lucy tinha um plano: conversar com o garoto no dia da festa de formatura.

Chegado o dia da festa de formatura, algo aconteceu. Uma briga entre alunos rivais fez com que Lucy acabasse numa sala, escondida, e lá estava também Daniel. Mas ele falava sobre como a amava, como sempre esperou por ela e como ela prometera encontrá-lo. O problema é que não a chamava pelo nome correto e sim por Sophia.

Não estava certo. Ela não era Sophia! Daniel estava enganado. Estava bêbado? Que conversa era aquela de promessas? Assim, Lucy se sentiu apavorada e correu para fora da festa e para longe de tudo sem entender que no passado, em outras vidas, realmente havia sido Sophia, havia sido Constance e muitas outras e, sim, prometera voltar para ele.

Mas o único que possuía a grande memória, o poder de lembrar-se de tudo era Daniel e mal sabia ele que também seu irmão Joaquim, que estava à procura dos dois para uma doce vingança aguardada há séculos.

Agora Daniel não só precisará fazer Lucy lembrar-se, como também a proteger das dores que lhe serão causadas caso seja encontrada. O tempo será seu grande inimigo.

O que falo sobre o livro:

Pois bem, não sei ao certo o que esperava do livro, mas posso garantir que era realmente o que li. A sinopse e a premissa me encantaram desde o início, sem falar que a capa me fez imaginar um romance de diversas vidas. E não fica muito fora disto, porém considero que a história deste livro está mais voltada para uma questão de auto-ajuda pelas belas palavras. Como assim?

Certo. O livro é dividido e intercalado em capítulos entre os personagens de Daniel e Lucy. Em momentos conta a vida atual de Lucy e Daniel se encontrando e vivendo normalmente suas vidas e outros capítulos, (que considero os melhores), conta as vidas que Daniel teve e, nestes capítulos tem diversos momentos de reflexões sobre vida, morte, arrependimentos, escolhas, etc.

Contando as vidas de Daniel, a autora usa contrastes da história que deixam o livro mais interessante, mas quando tenta passar para o romance parece que a mesma desmorona a ideia principal e a narrativa não engrena.

Mas o que mais me entristeceu realmente foi o final. Eu realmente não o entendi. Sim, não entendi! Quando estava terminando, eu virei a última página e vi que a história tinha terminado eu pensei: "O quê?", porque não conseguia acreditar que o final tinha sido aquele depois de todo o enredo. Fiquei imaginando se talvez tivessem esquecido de colocar mais folhas com o final da história, mas terminar assim? Se a autora pensa em concluir ela com outro livro, não vou entrar nesta. A não ser que seja um livro somente com a vida de Daniel.


site: www.amigasemulheres.com
comentários(0)comente



Caro - só troco livro por livro 02/06/2014

Envolvente!
Vale a pena ler? Com certeza!
Nunca li nada parecido.

Daniel se lembra da sua primeira vida por volta de 541 d.C, foi lá que conheceu Sophia.

"Há limites para a vontade, naturalmente — como a expressão das vontades de outras pessoas. E é por isso que a minha história seria bem mais curta e alegre se eu simplesmente tivesse amado Sophia desde o começo e achado uma forma de fazê-la me amar. Eu não teria passado mil anos esperando por ela, procurando-a e tentando mantê-la perto o bastante por tempo suficiente para superar o nosso primeiro encontro.
Parte do meu castigo foi que eu não a vi novamente por mais duzentos anos. Mas, quando vi, aquilo determinou o rumo do resto dos meus dias.

O livro alterna com o passado, e todas as vezes que já encontrou Sophia, com o presente, quando Lucy (Sophia) e Daniel são apenas estudantes.
Ele a ama e isso assusta a menina, que após anos tem algumas revelações e vai em busca de seu "passado".
Sinceramente, o livro me envolveu. Li em menos de 8 horas, isso por que estava no trabalho.
O final foi a surpresa do livro, justamente por não ter, ou por não me convencer. Não sei, poderia ter sido maravilhoso... Mas pelo visto tem mais por ai. Mas vendo pelo lado positivo, o amor não acabou!

Eve 03/06/2014minha estante
Pelo que eu sei será uma trilogia.
;D


Caro - só troco livro por livro 03/06/2014minha estante
Evelyn, Deus abençoe que seja mesmo! Por que o livro é muito bom, pra ter aquele final!


Eve 03/06/2014minha estante
Quando perguntaram isso para a Ann, durante o lançamento do novo livro dela, olha o que respondeu:
"I always intended to write more MNIM. I have a lot more to say. I'm hoping to get the chance in the next year."

Vamos torcer!!! \o/



Caro - só troco livro por livro 03/06/2014minha estante
Esse livro merece sempre! Se tiver um final descente e que não me mate do coração, será um dos meus preferidos! Subo até a pontuação! Por que a história em si, a temática, os pontos históricos, são de uma riqueza de detalhes incrível!




Thayanne 11/04/2017

Final...?
A história é maravilhosa, muito profunda, o casal muito carismático mas o final me intrigou. Parece que abriu espaço pra uma continuação (é o que eu espero).
comentários(0)comente



ELB 02/10/2014

Every Little Book
Ok. Sem querer começar a resenha sendo tendenciosa, preciso dizer que este foi definitivamente O MELHOR LIVRO do ano pra mim (até agora, claro). Ele me agradou até nas coisas que eu não gostei, nem costumo gostar nos demais livros. E é por isso que sou incapaz de graduar corações pra ele, desculpem. Ah. E também não teremos sinopse porque eu achei ela grande demais e detalhista em excesso. Acreditem, quanto mais surpresas, melhor!

(...) Leia mais no blog!

Resenha feita pela Nathy, postada no ELB!

site: http://www.everylittlebook.com.br/2014/09/resenha-meu-nome-e-memoria.html
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Sara. 03/08/2016

Meu nome é memória -
O livro começa de tal maneira que você pensa em desistir da leitura, e partir para outro livro mais interessante!!! Mas aí você percebe os nomes dos personagens e claramente só pensa em Fallen, porque os nomes são iguais... O enredo é praticamente igual e aí você fica com uma pulga atrás da orelha para saber mais da história e descobrir mesmo se é a copia de Fallen!! Sem contar que também é o mesmo enredo da série Os Imortais!!! Passado o espanto dos mesmos nomes dos personagens o livro dá um sono Zzzzz
Não desista ainda! Aí lá pela página 70 começa a ficar interessante!
Mas tem muitas partes confusas e desencontros desnecessários e parece até falta de interesse mesmo deles!!
E então quando você pensa que finalmente vai ter lá o final feliz...
Não tem final! Fica uma coisa totalmente em aberto e você se sente uma tonta por ter lido até o fim e nada ter se resolvido da maneira certa!
Li por aí que deveria ser uma trilogia, não sei ao certo se realmente a Ann vai fazer algo! Entretanto, de não houver uma continuação não vai ter sentido nenhum!
Estou suuuuuuuuuper frustrada neste momento!!
comentários(0)comente



Vanessa Vieira 25/01/2015

Meu Nome é Memória_Ann Brashares
O livro Meu Nome é Memória, da americana Ann Brashares - conhecida pela série de livros Quatro Amigas e um Jeans Viajante -, nos traz um romance intenso e tocante, envolvendo vidas passadas e almas gêmeas, escrito com originalidade e precisão. Talvez, devido aos inúmeros elogios acerca da obra, eu tenha nutrido expectativas demais, e o fato é que nem todas elas foram supridas como eu gostaria. Apesar de ter gostado muito da história, achei que a autora acabou cometendo alguns tropeços no desfecho final do livro.

Ao longo dos séculos, Daniel sempre se apaixonou pela mesma garota. Percorrendo continentes e dinastias diferentes, vida após vida, ele sempre se reencontrou com Sophia, mesmo com ela possuindo nomes e aparências totalmente diferentes. Ele consegue guardar todos os detalhes de seus encontros e desencontros com a moça, porém Sophia não. Todas as vezes que eles se reuniram, acabaram sendo separados das maneiras mais atrozes e rudes possíveis.

Agora, nos dias atuais, Sophia se chama Lucy e pela primeira vez na história dos dois, consegue tomar ciência das vidas passadas que eles tiveram, fazendo com que, assim, o sentimento que os une se torne mais forte e intenso. Eles conhecerão o amor em toda a sua plenitude, bem como as adversidades que sempre os nortearam, fazendo com que permaneçam (ou não) juntos...

"Vivi mais de mil anos. Morri incontáveis vezes. Esqueço o número exato. Minha memória é uma coisa extraordinária, mas não é perfeita. Sou humano."

Meu Nome é Memória nos traz uma história de amor atemporal e envolvente. Mesmo com todos os obstáculos e percalços que Daniel enfrenta, ele nunca desistiu de procurar por Sophia por um segundo que seja. Ele a ama de uma forma tão genuína e intensa, tal como se ela fosse o ar que ele respirasse e isso, por si só, consegue encantar o leitor. O romance é perfeito, bem como o pano de fundo da trama e as descrições históricas de suas vidas passadas, porém a autora acabou pecando em alguns detalhes. Desde o começo do livro, identificamos que o casal tem um inimigo cruel e perigoso e, logicamente, ficamos no aguardo do tão esperado embate entre o trio. Quando o mesmo acontece - que deveria ser um dos momentos mais eletrizantes do enredo - surge de uma forma tão rasa e supérflua que acaba não convencendo. O final também acabou não sendo tão bem desenvolvido, terminando de um modo bem aberto e inconclusivo para um livro que se trata de volume único. Narrado em primeira e terceira pessoa, de forma alternada e ricamente descritiva, Meu Nome é Memória é um livro muito bom, mas que poderia ter sido melhor.

Daniel é um personagem encantador, tanto pelas suas divagações a respeito da vida quanto pela uniformidade de seu caráter. Seu amor por Sophia não só rompe as barreiras do tempo como permanece ainda mais intenso e voraz ao longo dos anos e de suas tentativas de vivenciá-lo. Os seus sentimentos pela mulher amada são pungentes, sinceros e abnegados, afeiçoando o leitor de uma forma terna e sublime, tal como a mais doce das melodias.

"Sendo o que eu sou, o guardião dessa longa e estranha memória e uma das poucas pessoas sobre a Terra que pode morrer e voltar para contar a história, passei a sentir certa responsabilidade de registrar como esse processo funciona e tentá-lo entendê-lo melhor. Não sei bem quem vai se beneficiar deste meu longo estudo ou mesmo se ele vai trazer algum benefício, mas é o que eu faço."

Sophia, ou melhor dizendo, Lucy, é uma moça bem convencional, que acabou enfrentando uma perda dilacerante em sua família. Vivendo constantemente na companhia de Marnie - sua melhor amiga - é uma jovem cheia de sonhos e projetos. Quando Daniel lhe revela a verdadeira história dos dois, logicamente ela se nega a acreditar, afinal, é algo um tanto quanto surreal. Mas, quando começa a juntar todos os detalhes e elucidar algumas pontas soltas, percebe que há muita lógica por detrás de tudo que ele lhe falou. Não a achei uma personagem tão envolvente quanto Daniel, mas ela tem uma importância fundamental na trama e se mostra bem corajosa ao enfrentar o seu caminho.

"Quantas vezes era possível desistir de alguém a quem se ama?"

Em síntese, Meu Nome é Memória é um ótimo livro e dotado de um sentimentalismo ímpar. Os personagens foram bem construídos - principalmente Daniel - e a trama é incrivelmente atraente e intensa. Porém, a autora acabou cometendo alguns tropeços no que concerne ao desfecho final do livro e isso acabou tirando um pouco do brilho da obra. A capa é bem terna e sublime - tal como o seu enredo - e a diagramação está excelente, com fonte em bom tamanho e revisão de qualidade. Vale a pena conferir!

site: http://www.newsnessa.com/2015/01/resenha-meu-nome-e-memoria-ann-brashares.html
comentários(0)comente



Camila Márcia 15/10/2014

Que final angústiante é esse? Cadê continuação?????
Sou suspeita para falar de Ann Brashares, pois tive uma experiência incomparável quando li Nosso Último Verão e como dizem: a primeira impressão deixa marcas profundas, então eu leria qualquer coisa que a autora escrevesse, portanto, ao saber do lançamento deste livro, não titubeei ao comprá-lo e lê-lo.
Para minha surpresa e desespero a narrativa começa arrastada e minuciosa ao excesso a autora quis explicar demais (o que é bom, mas às vezes se torna cansativo e enfadonho), entretanto depois de passadas 125 páginas, mais ou menos, a narrativa fica maravilhosa e não tive mais vontade de soltar o exemplar, novamente Ann Brashares me encantou com mais um de seus livros.
Meu Nome é Memória conta a história de Daniel, que é um personagem peculiar, pois ele já teve muitas vidas e sempre guarda em sua memória todas as lembranças de suas vidas passadas. A primeira vida de quem tem memória foi a que viveu no ano de 541 na África, desde então quando morre, volta a vida, cresce, recorda-se de suas vidas passadas e escolhe sempre o mesmo nome: Daniel.
Em sua primeira vida ele tem o destino cruzado de uma forma trágica com uma garota desconhecida e que se torna seu grande amor, mas ele só vem a encontrá-la muitas vidas depois com o nome de Sophia, esposa de seu irmão Joaquim. A tragédia não poderia ser pior nesta vida também. Dessa forma, Ann Brashares, vai contando as vidas de Daniel e todas as vezes que ele teve a sorte de encontrar-se com seu grande amor e os motivos da ira que o irmão de Daniel, Joaquim, vai guardando e se transformando em algo tenebroso.
Daniel, em uma de suas vidas conhece Bem, que lhe conta e lhe fala sobre o poder de suas memórias dom ou maldição? de fato os anos vão passando e a história das aventuras e desventuras de Daniel vão parar no ano de 2004 quando ele volta a encontrar o amor de sua vida na pele de Lucy, no entanto, ele a assusta ao tentar explicar suas ligações através do tempo e ela foge.
Lucy sempre se sentiu obcecada por Daniel e nunca soube explicar essa obsessão até ter umas visões que na realidade eram lembranças de sua vida passada como Constance e passa a buscar por Daniel, só que se encontra com Joaquim que se passa por Daniel dizendo que teve que mudar de corpo, assim, o pior acontece, porque Joaquim está em busca de vingança e sofrimento. O que Daniel pode fazer? Ele tentará fazer algo, não esperou diversas vidas para ver sua amada sofrer novamente, então em 2009 os dois se reencontram. Algo decisivo está para acontecer e mudar toda a história.
Se não fosse o fato do começo do livro ter sido tão arrastado e maçante, cheio de informações desnecessárias ainda acho que a escritora tentou explicar muitas vidas e poderia ter só contado as mais importantes. Objetividade às vezes é bom Meu Nome é Memória teria sido um livro ótimo, mas mesmo com os pontos negativos admito que é um livro fabuloso e que o final é surpreendente demais, fantástico e de tirar o fôlego, na verdade, nos deixa mil possibilidades. Preciso de uma continuação urgente! Ai meu Deus, não sei se esse livro terá continuação, mas já li na web [fontes não confiáveis] de que esse livro faria parte de uma série, será? Acho bem provável.
Acredito que Meu Nome é Memória é uma história de amor linda e encantadora que atravessa tempos e tem os mais variados planos de fundo: Inglaterra, Antioquia, Congo Belga, Constantinopla, Georgia, México, enfim, todos os apaixonados por um romance encantador e surreal poderão se encantar com este livro, além do mais Ann Brashares escreve muito bem, sempre considero uma proeza pegar um livro realmente bem escrito, ou seja, não é só o enredo que é bom, mas a escrita é boa e coerente, no entanto, tentem superar as primeiras 125 páginas, prometo que depois disso tudo fica bem melhor!

Camila Márcia


site: www.delivroemlivro.com.br
comentários(0)comente



Chrys 07/08/2015

Ann Brashares é uma autora norte americana, mais conhecida mundialmente pela série "Quatro amigas e um Jeans Viajante". "Meu nome é Memória" me chamou a atenção por se tratar de um livro que fala de amor de vidas passadas e almas gêmeas, um tema que eu gosto muito.

Em "Meu nome é memória", a autora nos apresenta Daniel, um personagem que já viveu muitas vidas e devido a um dom/maldição, se lembra de todas elas. Por mais que ele morra, nasça e cresça, ele se lembra de tudo e está sempre em busca do amor de sua vida.

Logo em sua primeira vida, no ano de 541 d. C, Daniel tem uma experiência trágica que justifica a busca incessante dele por uma garota a quem ele fez muito mal. Assim, após muitas vidas, o destino de ambos continuam se cruzando. Ela agora é Sophia, eles estão em 773 d. C, mas como em muitas outras vidas, existem empecilhos que os afastam, nesta vida, ela é sua cunhada, casada com seu irmão Joaquim.

Joaquim já viveu outras vidas ao lado de Daniel, sendo inclusive membro de sua família em alguma delas, todavia, em todas elas ele é uma pessoa ruim, de alma negra. Muitas vidas vão passando e a história vai narrando os encontros de Daniel, seu grande amor e o ódio de seu irmão que vai a cada vida, aumentando.

Em 2004, Daniel encontra novamente seu grande amor, que se chama Lucy. A garota não consegue explicar a atração que sente por Daniel até que com ajuda de uma cartomante e de sessões de regressão ela tem a sua primeira lembrança da vida passada. Contudo, seguindo a lei da atração das almas afins, ela acaba encontrando Joaquim que em busca de vingança por uma vida passada diz ser Daniel, alegando que precisou trocar de corpo. Muito embora Joaquim não reconheça as almas afins, ele também tem a memória de suas vidas passadas e "rouba corpos" de forma que o tempo o auxilia em seu plano de vingança, uma vez que ele não precisa voltar, nascer e crescer, basta expulsar a alma do casulo e usá-lo.

Daniel decide que não sobreviveu a diversas vidas para ver seu amor sofrer.

Para mim, o início foi excessivamente arrastado, a autora foi detalhista demais e contou diversas vidas de Daniel e Lucy para poder ambientar o presente. Quando cheguei ao final, entendi que cada riqueza de detalhe foi necessária para nos ambientar à época quem que Daniel estava vivendo, dando uma base histórica para a narrativa de modo a dar um senso de realidade a cada vida. Ainda assim, da metade para a frente a coisa flui freneticamente e acaba de um jeito desesperador, dilacerante.

Os personagens são extremamente bem escritos, seus sentimentos à flor da pele são capazer de fazer com que você sinta culpa, dor e amor junto com eles.

Um dos pontos mais positivos e uma característica louvável foi a conduta de Daniel que mesmo amando a esposa do irmão não a tem. Isso foi muito digno, de muita honratez pois ele sabe que todas as atitudes acabam por marcar a alma para sempre e Sophia é mais do que isso para ele. Daniel nos cativa porque nos mostra que o amor de verdade sobrevive a milhares de anos, à muitas barreiras e a todo ódio.

Indico a leitura mesmo para quem não acredita em reencarnação, para quem não é espírita, acredito que a história de amor contada aqui valha a pena, ainda que com esse detalhe. Vou mais além, encarem esse fato como sendo uma característica fantástica do livro, pois mesmo sabendo que vampiros, lobisomens e bruxos não existem, lemos suas histórias.

O final foi um pouco decepcionante sim, porque você espera um desfecho que não acontece e isso se deve ao fato de que originalmente o livro foi escrito para ser uma trilogia, contudo, somente o primeiro foi publicado (mesmo lá fora). "Meu nome é memória" precisa ter uma continuação, é a verdadeira história do amor que supera o tempo.

site: www.todasascoisasdomeumundo.com.br
comentários(0)comente



18 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2