Nas Alturas

Nas Alturas Camila Gatti Escritora




Resenhas - Nas Alturas (the red book)


22 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Gaby Harket 26/05/2015

Resenha: Nas Alturas
O livro "Nas Alturas" possui narrativa em terceira pessoa, a mesma nos apresenta um "estilo de vida" inadequado, tais coisas estão diretamente relacionadas com a protagonista, a mesma é uma Brasileira nascida no Rio de Janeiro, Marina é uma mulher fisicamente bonita, atraente e sensual, portanto, por onde passa atrair os olhares masculinos e as vezes femininos, ela utiliza esse seu "poder de sedução" para conquistar vários homens, ela é uma pessoa totalmente desapegada e fútil, sinceramente eu não gostei nenhum pouco dela, detestei seus comportamentos absurdos e intragáveis. 
"Uma comissária brasileira que inicia sua trajetória se lançado pelo mundo afora, como as flechas de Quíron e seus centauros, sendo atiradas aos milhões pelo céu, aleatoriamente, iniciando mil caminhos, mas sem percorrer nenhum."
  Marina trabalha literalmente nas "Alturas", pois é uma comissária de bordo, durante um bom tempo ela somente trabalhava em território nacional, entretanto, em breve poderá ser promovida e trabalhará em voos internacionais, ela viajou para França a fim de aperfeiçoar o seu francês, entretanto, a jovem é inteligente e possui fluência em outras línguas, essa sua habilidade contribuir para seus vários relacionamentos, através do seu emprego ela visita muitos países, mas, as paisagens/culturas dos lugares não são as primeiras coisas que ela percebe. Sem dúvida, o seu principal objetivo é conquistar belos homens, essa situação é bastante fácil e acontece sem moderação, na minha opinião ela possui características de pessoas viciadas em sexo/prazer, gosta de sentir-se fortemente desejada e plenamente livre, ou seja, sem ninguém para "pegar no seu pé", portanto, todos os seus relacionamentos são passageiros e rapidamente esquecidos, só são lembrados quando é para seu alto benefício, ela esquece de uns usando outros, ambos são homens completamente entregues a essa intensa paixão. Mas, será que vale a pena?
Bem, é obvio que não, Marina é o tipo de pessoa que não vale a pena se envolver, a menos que o rapaz seja igual, isto é, deseje relação passageira, a protagonista gosta bastante de variar, envolve-se com homens divergentes, cada um com a seu próprio jeito e características, em suas viagens/curtições ela conhece Brasileiros, Franceses, Americanos, Italianos, Israelenses e etc. Os homens sentem-se atraídos e fascinados por ela, a protagonista relaciona-se com a maioria deles ao mesmo tempo, ou seja, possui marido e vários amantes simultaneamente, os mesmos são tão loucos de paixão que acabam concordando, apesar do ciúme, alguns deles sabem dessa absurda situação, porém, chega um momento que tornam-se cansados e insatisfeitos, eles fazem boas propostas de casamento, pois querem construir uma família, mas a bela aeromoça não quer isso, a realidade é que ela não quer compromisso com ninguém, somente casou-se por interesse e vantagens, percebe-se que ela é ambiciosa, quase todos os seus relacionamentos são com pessoas ricas.
"Certa de que o melhor a fazer será buscar novas aventuras, novos amores, novas 'coisas' que a façam se sentir viva, decide ser de todos sem se apegar a nenhum, vivendo rasos amores, em troca de momentos de prazer. Sabia viver assim muito bem. Para Marina, sentir é mais importante do que se entregar. Colecionava paixões, e assim seguia mundo afora, trocando contato como quem troca de roupa.''
    Percebe-se que eu não gostei da Marina, a mesma é uma personagem chata, inconsequente, vulgar e superficial, Marina possui atitudes que mim irrita, ela acha que tudo gira em torno de si, não se importa com os sentimentos dos demais, seduz, utiliza e reutiliza e depois "joga fora", tornou-se egoísta, se relaciona somente por prazer e diversão, aparentemente ela nunca amou de verdade, pois, quando se ama alguém não se deixa levar por desejos vãos, sempre tenta resistir as tentações e se mantém fiel, obvio se o companheiro(a) merecer o mesmo. Marina possui 28 anos de idade, então talvez no seu passado aconteceu algo que motivou essa sua maneira de viver, infelizmente o livro não menciona essa possibilidade, somente acompanhamos as loucuras e "aventuras" da protagonista, a trama possui muitos personagens, mas não conseguimos conhecer melhor os mesmos, pois a história é mais focada na aeromoça. 
"...que ela seria dele, mas seria de todos os outros também." "...tenho minhas vontades, que são saciadas no momento que acontecem... O depois é depois, trazendo novas vontades."
A trama possui poucas coisas para se aproveitar, confesso que eu achava que tratava-se de uma história leve e divertida, porém, não tem partes engraçadas e possui repetitivas cenas de sexo, a trama é ambientada em belos lugares/países, mas eu gostaria que tivessem mais descrições, a leitura não é cansativa, entretanto, tornou-se meio chata e desinteressante, a trama e a protagonista são bastante previsíveis, o enredo possui partes meio confusas e repetitivas, mas a história em si é de fácil entendimento. Bem, fiquei incomodada pela falta de algo proveitoso na história, visto que não possui ensinamentos positivos, não mostrou-me que esse "estilo de vida" pode acarretar problemas, como, por exemplo, doenças sexualmente transmissíveis e gravidez "indesejada", além das consequências do uso e ou vício em drogas. Apesar de tudo a trama também possui partes interessantes, despertou a minha curiosidade, pois eu queria saber o que aconteceria com os personagens, além de querer saber o final. A Marina precisa tornar-se responsável e amadurecer, pois ela só conseguirá ser feliz verdadeiramente quando mudar o seu jeito de ser, além disso, deverá valorizar os outros. Gostei e ao mesmo tempo não gostei desse livro, possui mais pontos negativos que positivos, portanto, eu não recomendo. Mas se você curte livros com essa proposta, com partes "quentes" e com diferentes relacionamentos entre personagens... Esse talvez seja um bom livro. Leia e tire as suas próprias conclusões. 

site: http://my-stories-wonderful-books.blogspot.com.br/2015/05/resenha-livro-nas-alturas-camila-gatti.html
Amanda Medeiros 30/11/2015minha estante
Li resenhas a respeito desse livro muito contraditórias, mas a sua expressou muito bem como anda a minha leitura. Não que seja errado Marina se envolver com vários homens desde que ela seja solteira, porém ela é casada e ainda almeja ter filhos. Marina é incontrolável, insaciável, inconsequente, indecente, vulgar. Estou apenas na metade da leitura e apesar de ser uma leitura muito rápida e leve, a protagonista deixa a desejar. A narrativa é feita de forma resumida, de modo que o leitor não consegue entrar e viver a história junto com Marina. Narrada sempre no presente, a autora narra uma coisa que aconteceu aqui, outra coisa que aconteceu ali, deixando o livro confuso e o leitor mais confuso ainda sobre quando os fatos acontecera, se estão acontecendo simultaneamente ou se é um após o outro.




Rafaela 23/03/2015

Marina é uma bela mulher carioca de 28 anos, bronzeada e com longos cabelos loiros. Iniciou sua carreira de aeromoça fazendo apenas voos domésticos em território brasileiro, mas aos poucos, conforme vai se aperfeiçoando em outros idiomas, ela passa a ser apta a realizar voos internacionais. É através dessas viagens internacionais que Marina irá conhecer grande parte de seus amantes, conquistando os com seu jeito sedutor.

Inicialmente temos Marina se envolvendo romanticamente com o francês Etienne em Paris. Porém, ao retornar ao Brasil, ela volta para os braços de seu namorado fazendeiro Germano, com quem tem um relacionamento ioiô. Há vários desentendimentos nesse triângulo amoroso, até descobrirmos um fato que deveria mudar a vida da protagonista e suas atitudes. Mas ser uma mulher comprometida não modificará em nada sua vida, e as aventuras amorosas em diversos continentes continuarão a arrebatar seu coração e saciar seus desejos.

Apesar de não saber o quanto a história é baseada em fatos reais, Marina revelou-se para mim uma personagem vazia, fazendo sempre os mesmos questionamentos e tomando as mesmas decisões. Uma protagonista egoísta pois não se importa com o sentimento das pessoas que conquista. Todo homem só lhe serve para uma noite, praticando o desapego para poder viver sua vida de aventuras com outro homem na noite seguinte.

''Certa de que o melhor a fazer será buscar novas aventuras, novos amores, novas 'coisas' que a façam se sentir viva, decide ser de todos sem se apegar a nenhum, vivendo rasos amores, em troca de momentos de prazer. Sabia viver assim muito bem. Para Marina, sentir é mais importante do que se entregar. Colecionava paixões, e assim seguia mundo afora, trocando contato como quem troca de roupa.'' Pág. 135

O maior fator que me incomodou durante a leitura e me fez sentir desgosto pela personagem foi esse múltiplo envolvimento com diversos homens ao mesmo tempo. Muitas vezes ela precisar ''usar'' um para poder esquecer outro, ou apenas para satisfazer seus desejos. Com essas atitudes e sem alguém que realmente nos ame ao nosso lado, nossa vida futura será provavelmente de tristeza e solidão, um espaço vazio que não foi devidamente ocupado.

A história em si tornou-se confusa e superficial, já que não somos agraciados por diálogos constantes durante a leitura. Como o livro é narrado em primeira pessoa pela própria Marina, essa falta de falas dos demais protagonistas gerou uma carência de conhecimento das personalidades secundárias para podermos, quem sabe, nos afeiçoar a eles e sentir um maior envolvimento durante a leitura.

O capítulo final da obra me agradou muito. Sem dúvida ele deixa o leitor com a esperança de que talvez Marina irá finalmente repensar suas atitudes e aceitar as mudanças que já tinha imaginado se propor a fazer durante o livro, agora com mais responsabilidades.

O livro tem uma boa diagramação, poucos erros ortográficos e uma fonte pequena, que não atrapalhou minha leitura. Apesar de muito bonita, acredito que a capa com uma moça ruiva não fez muito sentido para mim, já que sabemos que Marina é uma loira bronzeada.

Em suma, Nas Alturas foi uma leitura que me decepcionou bastante. Ainda sim recomendo-o para quem goste de um livro com uma pegada erótica e diversas situações amorosamente pitorescas.

site: http://eterna-leitora.blogspot.com.br/2015/03/resenha-nas-alturas-camila-gatti.html
comentários(0)comente



Maria Bevilaqua 30/04/2015

Incrível!!
Marina é uma mulher que tem coragem de se assumir por inteira: é mulher, é menina, é imatura, é inconsequente, é profissional, é amiga, é romântica, ela é tudo ao mesmo tempo!! Ler essa história me deu a sensação de viajar com ela, viver junto tudo que ela se propôs viver, sem se amarrar no que é certo ou errado para a sociedade. Marina é um espírito livre para ser e fazer o que quiser!! Ler Nas Alturas foi uma experiência única! Ritmo acelerado! Muito bem escrito! É como On The Road do Jack Kerouac! É picante como o 50 Tons de Cinza da E L James!! Recomendo a leitura!! Como a Lolita Pille em Hell, o livro descreve Marina e seu mundo sem rodeios, com muita paixão por viver, mostrando um universo inalcançável e inimaginável para muitos!! você vai odiar e amar a Marina: atire a primeira pedra quem nunca pecou... Quero o Volume 2!!!!!!!!!
comentários(0)comente



Emerson. 19/07/2015

#resenhas Nas alturas
#Resenha Nas Alturas
Quando o amor esta Nas alturas você tem que amar como se nada fosse impossível, e flutuar junto com Marina.

Livro: Nas Alturas
autor: Camila Gatti
editora: E M P ( Í ) R E O
páginas: 244
Sinopse:Marina é uma bela aeromoça acostumada a conquistar corações por onde passa. Franceses, italianos, israelenses, todas as nacionalidades são vitimas dos seus encantos tipicamente cariocas. Consciente de suas habilidades, ela prefere não se apegar a ninguém e deixa suas marcas em todos os lugares do mundo. A cada nova experiência, Marina se realiza plenamente como mulher, livre para fazer apenas aquilo que seus desejos mandam. Porém, suas escolhas também tem desvantagens, e ela começa a pensar se tanta liberdade vai conseguir preencher os espaços dentro de seu coração.

Você já imaginou ou sonhou em vive varias vidas em uma única só. É também tive esse sonho e as vezes sei que e impossível porém Marina ensinou-me que devemos lutar por nossa liberdade por nossos sonhos e por nossa vida se queremos vive varias vida, vários amores devemos seguir igual marina independente das consequência.

Nas Alturas conhecemos uma carioca Marina de apenas 28 anos que nunca se sentiu pressa a nem uma homem, uma aeromoça chamativa, linda e atraente. Onde passa chama a atenção de muitos homens de vários lugares e sua verdadeira paixão. os personagem secundário são todos bem descrito e também e impressionante saber que a historia e inspirada em fato reais. Marina passa o maior tempo de sua vidas em múltiplos lugares com vários amores diferente, iremos nos apaixona assim como ela.

" eu esperava ainda te ver ainda nessa vida " __ Nas Alturas

conseguir vê uma personagem vazia e fria ate em meio ao inicio e quase fim do livro, até mesmo na hora de uma difícil despedida ela sempre conseguir se desvia da sua dor até mesmo na hora de sua perda, sempre Nas alturas procurando fugi de sua realidade.

Marina e uma simples garotinha o que me faz descreve ela assim é porque ela usar o homem, certo as vezes alguns merece ser usado mas muitas querem um amor,dinheiro e ate mesmo um príncipe isso marina teve de sobra e o que ela só queria era uma curtição até entendo que ela não podia casar com outro homem pois já era casada com o Germano, um homem do qual ela não gostava então, tanto que ela ensinou ao leitor que devemos seguir a vida fazer nossas próprias regras, então por qual motivo ela não fez uma nova regra? e não escolheu o cara do qual ela amava por simples caprichos...

iremos desfrutar de vários cenários frança, Las vegas , Brasil, Portugal entre diversas e em cada um desses lugares iremos reviver e vive cenas maravilhosas

também tinha que falar logico de varias cenas de sexo maravilhosas iremos conhece até um ator porno, como diria tudo que acontece em Las Vegas fica em Vegas então ,não comentarei muito sobre Ele um cara sedutor que deixou qualquer leitor surpresos e excitante.

A leitura fácil é surpreendente da Camila Gatti, ela conseguiu me prende nesse livro que foi descrito em terceira pessoa, me senti vivendo a historia como se fosse algum amigo da Marina e fiquei mega e cheio de perguntas com aquele final que fez refletir sobre a personagem onde conseguir vê uma mudança talvez até mesmo uma parada de aventura e emoção.

Agradecimento total a Editora por te enviado um lindo exemplar dando a oportunidade de conhece tanto o lindo trabalho da camila assim como a dela própria.

http://pensamentogeeks.blogspot.com.br/2015/07/resenha-nas-alturas.html


site: http://pensamentogeeks.blogspot.com.br/2015/07/resenha-nas-alturas.html
Camila Gatti Escritora 14/01/2016minha estante
Emerson,

Você é um leitor (e decifrador) de almas! :)

Amei sua resenha no canal do Youtube, do seu blog Pensamentogeeks: desejo muito sucesso p/ vc, e que continue sendo um blogueiro de opinião própria. :) beijos :* :)

https://www.youtube.com/watch?v=sMz8xZ8LFAE




Irene Moreira 29/07/2015

Uma viagem nas alturas
"Nas Alturas" é como me senti durante a leitura deste livro escrito por Camila Gatti. É a primeira vez que leio algo da autora e sua história conta as aventuras amorosas de Marina, uma aeromoça que com sua beleza e charme vai conquistando corações por este mundo afora.

Como posso não questionar a forma como a nossa protagonista leva sua vida? “ENTÃO É POSSÍVEL VIVER VÁRIAS VIDAS EM UMA SÓ” Marina vive intensamente as suas funções como comissária e, além de gostar muito de viajar e conhecer novos lugares, adora se divertir curtindo baladas, bebidas, homens atraentes, paquerar, sexo e aproveita a cada parada junto com seus amigos a sua liberdade.

“A vida é vivida e apresentada neste livro do jeito de Marina: inteira, intensa, livre, apaixonante e entregue.”


Leia a resenha completa no blog Saleta de Leitura
http://saletadeleitura.blogspot.com.br/2015/07/resenha-nas-alturas-de-camila-gatti_29.html.

comentários(0)comente



Saleitura 29/07/2015

Viver Nas Alturas
"Nas Alturas" é como me senti durante a leitura deste livro escrito por Camila Gatti. É a primeira vez que leio algo da autora e sua história conta as aventuras amorosas de Marina, uma aeromoça que com sua beleza e charme vai conquistando corações por este mundo afora.

Como posso não questionar a forma como a nossa protagonista leva sua vida? “ENTÃO É POSSÍVEL VIVER VÁRIAS VIDAS EM UMA SÓ” Marina vive intensamente as suas funções como comissária e, além de gostar muito de viajar e conhecer novos lugares, adora se divertir curtindo baladas, bebidas, homens atraentes, paquerar, sexo e aproveita a cada parada junto com seus amigos a sua liberdade.

“A vida é vivida e apresentada neste livro do jeito de Marina: inteira, intensa, livre, apaixonante e entregue.”

Marina iniciou sua profissão de comissária aos 28 anos atuando em voos domésticos brasileiros. Estando sempre com sua apresentação impecável, linda e elegante com seu uniforme de comissária não tem homem que resista aos seus encantos. Sonhava em voar mais alto e ampliar suas aventuras para novos horizontes. Para aperfeiçoar o seu francês e sendo incentivada pelo seu amigo Mattos ela vai à França para tirar uma certificação no idioma e assim estar habilitada para os voos internacionais.

Marina vai viver uma vida de total liberdade e se apaixonando não só pelos lugares que passa como se encantando com franceses, italianos, israelenses e tantos outros. Vamos conhecer o seu relacionamento com Etienne, um francês que vai se apaixonar por ela e passa a ser seu amante. Sabe que ela quer liberdade e que não pode exigir nenhum compromisso e aceita essa condição. Marina gosta de Etienne a seu jeito e o ter como amante é motivo de alegria, de felicidade.

Viaja tanto que quando chega ao Brasil é que se lembra de sua família e também de Germano, o seu namorado brasileiro que é um fazendeiro rico de Ribeirão Preto. Marina acaba casando com ele que aceita a sua vida de aeromoça e a deixar viver sua vida em liberdade desde que volte para o seu porto seguro.

E vamos acompanhando Marina em sua viagem “nas alturas”, seus amores pelo mundo, paixões loucas durante os voos onde tudo é festa, é diversão, é viver intensamente. Não posso deixar de citar um de seus amores - Ami - um israelense que a ama e ela também mostra que sente algo mais forte por ele, mas muitas coisas vão surgir em seu relacionamento pesando a influencia da família e as tradições da cultura oriental.
“Se Ami não responder positivamente até sábado, está decidido: viajo para Turquia. Vou aproveitar tudo que posso. Vou me jogar na vida, aproveitar todas… Não posso me arrepender em perder oportunidades. Sempre fiz o que queria, por que agora seria diferente? …”

Marina é amada pelos seus amantes e mesmo não abrindo mão de sua liberdade cada um tem um lugar especial no seu coração. E quando se vê pressionada o que mais quer é viajar. Não posso esquecer de falar sobre o italiano - Vincenzo - que pilota sua moto e “a fantasia de um bad boy já inundava suas ideias.”

Como ela se sente em relação ao seu casamento com Germano? E Etienne que a pede em casamento. Será que é sério mesmo ou uma brincadeira? Seria Marina capaz de aceitar, casar na França e assumir uma bigamia?

Essa vida louca de Marina que fim poderá chegar? Confesso que fiquei apaixonada por alguns de seus amantes e quem não gostaria de ser tão amada por esses homens? Uma leitura que nos leva nas alturas e impossível não ficar de boca aberta com tudo que acontece na vida desta mulher corajosa, mas que dentro de si tem um coração e que ele não é de ferro.

A autora soube levar a narrativa de uma forma que o leitor não se perde no meio de tantos cenários e personagens além de descrever os lugares turísticos com seus detalhes enriquecendo a leitura. Uma capa linda e bem criativa que somada ao acabamento e apresentação do livro só tenho a parabenizar a Editora Empíreo.

Resenhado por Irene Moreira
http://www.skoob.com.br/atividades/post/user/55b8edfd99d998990a8b4ac1

site: http://saletadeleitura.blogspot.com.br/2015/07/resenha-nas-alturas-de-camila-gatti_29.html
comentários(0)comente



Andresa 06/08/2015

Resenha exclusiva do blog Cantinho da And
Resenha - Nas alturas - Livro recebido em parceria com a autora Camila Gatti

O livro "Nas Alturas" nos leva a conhecer as aventuras de Marina, uma aeromoça de 28 anos de uma beleza invejável tipicamente carioca... de pele bronzeada e cabelos loiros de deixar qualquer homem de queixo caído. A jovem está prestes a subir mais um degrau da sua carreira profissional, deixando de lado os voos domésticos em território nacional para que possa realizar seu sonho de voar pelos ares internacionais.

Marina era envolvida com Germano, herdeiro do gado no Brasil, mas rompeu o romance quando conhece Etienne, um francês por quem se apaixonou quando passava por Paris. Após um relacionamento bem proveitoso e intenso com o francês, sente que a paixão está morna e meio de lado, resolvendo voltar para o Brasil e reatar com Germano. Que situação!

A jovem chega a casar, e com um bom tempo acaba abrindo o jogo para o marido, que por amor, aceita um relacionamento aberto com a esposa. E mais uma vez Marina dar um passo errado em sua vida quando volta para França e continua o relacionamento com Etienne... Claro, até surgir outros antigos amores.

O enredo é narrado em terceira pessoa bem focado nos passos de Marina. Por ser aeromoça e ter a oportunidade de conhecer diversos países, a moça aproveita cada momento das viagens e não hesita em se aventurar debaixo dos lençóis com algum estrangeiro, cenas muito bem detalhadas no desenrolar do romance. A bela jovem é do tipo que gosta de realizar fantasias amorosas, vive à sua maneira e intensamente. A cada aterrizagem é um caso de amor diferente, sem se apegar, apenas deixando os rastros dos momentos de prazer.

No início foi difícil me acostumar com as ações de Marina, ela não é aquele tipo de mocinha "em perigo ou sofrendo por amor" como estamos acostumadas encontrar em diversos romances por ai. A aeromoça gosta de levar a sua vida pulando de "braços em braços", conhecendo novas bocas, corpos e cheiros.

Há quem diga que a jovem seja uma personagem inconsequente, vulgar, sem sentimentos, que só vive de brincar com o sentimentos alheios e vazia de si. Bem, isso não é mentira! Mas eu prefiro enxergar Marina com outros olhos... Como uma mulher que gosta de novas experiências e da liberdade de um pássaro que voa sem direção. Marina é uma jovem que eu diria: "sem limites", que assim como o título do livro, vive NAS ALTURAS!

Não é de se assustar que em determinados momentos Marina começa a refletir sobre suas atitudes e comportamentos, afinal, todos precisam de um amor fixo e um relacionamento sólido, não é mesmo?! Será que a moça entra nos eixos e busca um novo estilo de vida? Marina conseguirá se prender a um homem só?

O livro "Nas Alturas" é um livro de te deixar literalmente nas alturas. A escrita da autora Camila Gatti é bem tranquila e descontraída. Além de conhecer as altas aventuras da protagonista e seus mais variados relacionamentos amorosos, o livro nos dar a oportunidade de viajar juntamente com a mesma para diferentes locais, conhecer novas culturas, comidas e o que cada lugar tem de mais belo. E para quem não conhece o livro, surpreenda-se: É BASEADO EM FATOS REAIS. Quer dizer Andresa, que essa "Marina" existe ou já existiu?! Sim. E é por essa e outras razões que convido você à decolar nessa história!

comentários(0)comente



Kovas 26/05/2015

A destruidora
Nas Alturas foi o primeiro lançamento da Empíreo esse ano e que livro foi esse? Vou contar pra vocês... Fiquei até com dó (que durou bem pouco) dos personagens masculinos que fantasiavam coisas e mais coisas românticas com a Marina enquanto ela só queria um sexo bom e 'tchau'.



Esse gif acima resume todo meu sentimento pela comissária Marina durante a leitura de Nas Alturas. Marina vive nas alturas (tum tum ds) por trabalhar como comissária de avião, ela é uma carioca que chama atenção por onde passa, principalmente em território gringo, então podem esperar uma Marina que se ela tá com vontade de paquerar... Ela paquera. Quer transar? Ela vai transar.
"Tudo será possível sem julgamento, sem paradigmas ou falsos moralismos."
Marina é uma mulher que não sabe/não quer viver UM único romance, ela é livre e vai continuar sendo (pelo menos em território estrangeiro). A cada capítulo de Nas Alturas vamos conhecendo os caras que vão ficar encantados com Marina e se iludindo no desejo de querer algo mais sério com Marina sendo que ela sempre (s e m p r e) deixa bem claro que ela era livre para vários amores... Tudo bem que ela tentava deixar isso claro pra mim também, como leitora, mas eu toda hora me via torcendo pra algum dos seus pares, me via fazendo a mesma coisa que os caras faziam, torciam pra ela escolher alguém fixo.
"(...) que ela seria dele, mas seria de todos os outros também."
Confesso que foi uma loucura acompanhar a história da Marina, cada capítulo vamos conhecendo os vários homens da nossa personagem, um de cada canto, inclusive um do Brasil e no meio dessa narrativa vamos conhecemos os países desses mocinhos que se atraem pela Marina. Mas também devo confessar que tive vontade durante a leitura de aplaudir Marina e outras eu tinha vontade de gritar "MIGA, APENAS PARE". Meu deuso, ela me deixava confusa sobre os sentimentos dela pelos caras, então tive um pouco de trabalho para entendê-la (e só fui entendê-la realmente da metade pro final lol demorou mas consegui).
"(...) tenho minhas vontades, que são saciadas no momento que acontecem... O depois é depois, trazendo novas vontades."
Nas Alturas foi um livro surpreendente pela questão de "vários amores", é um primeiro romance que leio dessa temática e de quebra é um livro baseado em fatos reais... Então, nossa, minha cara ficava toda hora no chão imaginando algumas cenas calientes (querendo que fosse eu a sortuda lol). Marina era simples ao mesmo tempo que era complicada, ou seja, uma mulher com características reais, pode ser eu futuramente ou você.

Pra finalizar, o trabalho da Editora Empíreo na edição/revisão/capa ficou caprichado como sempre, eu particularmente adorei a capa (e fui fisgada realmente por ela e depois pela sinopse). Já a narrativa da Camila eu gostei também, foi o meu primeiro contato com a escrita da autora e espero que ela venha fazer mais livros :3

site: http://www.livroterapias.com/2015/05/resenha-nas-alturas_99.html
comentários(0)comente



Cathi 28/05/2015

Nas Alturas - Camila Gatti
Marina é uma brasileira que desde sempre teve homens e olhares ao seus pés, trabalha como aeromoça, então, está sempre viajando e conhecendo novos lugares e novas pessoas, tem muitos amigos e gosta do que faz. Porém, em cada país e lugar que passa, sempre tem algum amante, algum carinha que gosta de estar apenas por sexo e para passar o tempo, Marina é assim e sempre foi.

Ao me deparar com esse livro pela primeira vez, nunca imaginei que seria uma leitura tão... louca. Já devo avisar que com certeza a leitura não agradará qualquer pessoa. Olhando assim a capa e a sinopse, parece apenas mais um romance tipico e fofo, mas passa longe disso. É uma leitura que pode ser relaxante mas ao mesmo tempo, nos causar um grande impacto com a forma de viver da protagonista.

Marina não é aquela mocinha que estamos acostumadas nos romances que lemos, pois não liga para o que pensam, só quer saber de curtir a vida com os homens que considera atraente, mas mesmo assim, não deixa de ser uma moça com pensamentos de uma mulher normal, de ser sonhadora ás vezes, e isso me agradou nela, foi muito bom ler um romance descontraído sem acontecimentos clichês onde já sabemos a história toda. Aliás, cada capítulo era uma surpresa, cada página que virava tinha um novo acontecimento na vida amorosa de Marina.

Um livro completamente sem limites. Claro que contém algumas partes mais quentes, porém, não tantas, na verdade, somente nos últimos capítulos senti mais presença de cenas picantes, porém, sem tantos detalhes, mas para quem não gosta, então a leitura não agrada. O enredo é cheio de reviravoltas e cheio de personagens novos que Marina conhece nas viagens, inclusive homens. Em determinado momento, ficava confusa para qual torcer para que Marina ficasse, se bem que ela nunca tinha intenção de ficar com algum verdadeiramente, mas sempre tem algum que mexe.

A capa me chamou muita atenção, muito bonita e bem feita, diferente. A diagramação por dentro está linda, alguns capítulos mais rápidos que outros, não tem muito padrão. A narrativa é em terceira pessoa mas super leve e descontraída e deu um toque a mais na história, pois super combinou com o estilo de Marina.

Por fim, não tenho muito o que pensar do livro, algumas partes melhores que outras. Ás vezes achava a protagonista fútil e outras, dava super apoio por ela curtir a vida, então, não tenho uma opinião oficialmente formada sobre a leitura, foi agradável e diferente.

site: http://realityofbooks.blogspot.com.br/2015/05/resenha-nas-alturas-camila-gatti.html
comentários(0)comente



TeresaAlves 19/03/2015

Intrigante!
A sensação deste livro é de estarmos em constante decolagem em um avião. Uma aventura atrás da outra e que, a princípio, parece loucura, mas totalmente viável de acontecer.
Confesso que fiquei na dúvida se Marina é louca, por permitir tanta liberdade aos seus instintos, ou se é corajosa, por viver perigosamente cada vontade.

Parabenizo a autora, que me fez viajar por cada país e nacionalidade/vontades diferentes nas paixões de Marina. E o italiano hein!?!?!? Rssss.
comentários(0)comente



Fatimaca13 19/03/2015

Que mulher louca! Viva a liberdade feminina!
Confesso que em vários momentos pensei em me aventurar igual a Marina. Que viagem a autora nos faz participar...

É um voo que faz conexão no ar, pois a sensação de não parar é constante... Li o livro em um voo, rs, e cheguei a perguntar à comissária se ela conhecia a dona desta história! Vergonhoso, eu sei, mas a curiosidade foi enorme!

Viva a liberdade feminina! Mas até que ponto? Gente, o que foi Vegas!?!?!??!
comentários(0)comente



Juliana Garcez 26/05/2015

Resenha originalmente publicada no blog Livros e Flores
“Nas alturas” foi escrito por Camila Gatti e publicado em 2015 pela Editora Empíreo. O livro tem 244 páginas divididas em 22 capítulos e é narrado em terceira pessoa. Além disso, a obra é inspirada em fatos reais. O livro foi cedido em parceria com a Editora.
A obra conta a história da bela Marina: uma aeromoça carioca que conquista corações por onde passa. Os encantos de Marina não reconhecem nacionalidade, isto é, seja o homem israelense, italiano, brasileiro ou francês, todos se veem envolvidos sob o charme da carioca. Consciente disso, Marina não se apega a ninguém. Obviamente, suas escolhas também têm desvantagens e ela começa a se indagar se tamanha liberdade conseguirá, um dia, preencher os vazios que existem em seu coração.
Confesso que a leitura não foi uma das melhores que já realizei e hoje explicito a vocês o motivo disso. Porém, querido(a) leitor(a), fique até o final! :) A obra tem muitos pontos positivos e pode acabar te agradando.
Recebi um exemplar de “Nas Alturas” sem saber do que se tratava. Quando vi essa capa linda e a sinopse, empolguei-me demais! Aliás, edições bacanas são sempre um ponto positivo, não é mesmo?! Porém, tudo começou quando iniciei a leitura. Confesso que fiquei um pouco irritada. A autora usa-muitos-hífens entre as palavras. É-um-tanto-quanto-irritante-e-cansativo. A cada-página-que-eu-lia sentia um desespero enorme ao-me-deparar com tantos hífens! Agora imagina passar páginas e páginas esbarrando nisso?! É de enlouquecer qualquer leitor. Até agora não entendi qual foi a intenção da autora com isso.
Passados alguns capítulos, os hifens diminuíram e a leitura fluiu bem a partir disso. Ok até aí. Juliana feliz. Eis que notei que a Marina constantemente se referia as outras nacionalidades no diminutivo, passando a impressão de sentido pejorativo.
Ao ler a sinopse, não é surpresa e nem spoiler revelar a quantidade de homens com quem Marina se envolve. Algumas pessoas podem sentir algum bloqueio em relação a isso, mas comigo não funciona assim. Acredito que essa “opção de vida” é subjetivo, desse modo, não cabe a minha pessoa julgar a vida particular de Marina e nem de ninguém. Cada um se envolve com quem e com quantas pessoas bem entender. Aliás, isso não mede o caráter de ninguém.
Mas o que realmente me deixou triste e desgostosa foi a indiferença com que Marina trata as pessoas que passam em sua vida. Tive a impressão de que ela usava todos como meros objetos. Tipo brinquedo mesmo, sabe? Usava as pessoas até conseguir o que queria e depois, bye bye. Além disso, Marina se revela um tanto quanto irresponsável. Ela não mede o campo de incidência de suas atitudes. Para mim, isso sim mede caráter. Então fiquei bem decepcionada com a Marina e suas escolhas em vários momentos da leitura.
Outro ponto um tanto quanto fraco da obra é a fraca construção da personagem principal. Em nenhum momento é esclarecido porque a carioca é assim. O que aconteceu em seu passado? Quais foram os acontecimentos que levaram a personagem a agir do jeito que age? Talvez se esses pontos tivessem sido explicados, eu seria mais compreensiva com Marina.
Um ponto que me surpreendeu MUITO na narrativa foi o toque erótico que algumas cenas contêm. Eu não esperava MESMO que o livro possuísse esse tipo de conteúdo. Talvez isso seja um ponto positivo pra você. Mas olha, sendo bem sincera, eu me mantenho longe de gêneros do tipo porque me sinto muito desconfortável lendo as intimidades dos outros. Então, isso também influenciou a experiência não tão bacana que tive com a leitura.
Entretanto, é necessário reconhecer os pontos positivos da obra. Vamos começar pela edição: gente, que capa mais linda é essa?! Apesar da mulher da foto não ser a Marina descrita, olha essa combinação de cores que compõem a capa. Perfeição define. Além disso, os capítulos são iniciados de uma maneira que achei muito fofa. E a obra tem páginas amareladas (amo!).
Apesar de seus inúmeros defeitos, Marina não é hipócrita. Não esconde de ninguém quem é e o que faz. Nem mesmo do marido. Ela é assim e ponto final. Não há conversa. Se quiser estar na vida dela essas são as condições e você está ciente disso.
Como Marina é aeromoça, a história se passa em diferentes países. Isso é um ponto MUITO positivo para mim, pois amo viajar e conhecer novos lugares. Eu sou LOUCA pela França, então, o que dizer dos lugares que ela visita lá?! Adorei! Nesse sentido, senti-me muito envolvida.
Além disso, levando em conta vários aspectos do livro, é uma obra divertida. Algumas situações são tão inusitadas que você se pega rindo com as cenas do livro. E outro ponto importantíssimo é que a escrita da Camila Gatti é muito boa. Ela definitivamente escreve bem e consegue fazer com que o leitor fique até o fim. Afinal de contas, levantei vários pontos que me incomodaram durante a leitura e mesmo assim não consegui deixar de ler a obra, pois queria saber quais circunstâncias as escolhas de Marina acarretariam.
Como sempre digo, opiniões não devem ser tidas como absolutas. O que se concretizou como uma leitura pouco agradável a mim pode revelar-se magnífica a você. Lembre-se de que as convicções pessoais de cada um interferem no julgamento de uma obra. Sob esse ponto de vista eu digo a você: se joga, colega! Marina e sua história podem te encantar assim como fez com tantos outros leitores. Infelizmente, eu apenas não fui uma deles.

site: http://www.livroseflores.com/2015/05/resenha-nas-alturas-camila-gatti.html
comentários(0)comente



Fernanda 02/07/2015

“Então é possível viver várias vidas em uma só? Sim, é possível. (...) A intensidade em viver várias vidas só encontra sua grande aliada: a liberdade. A escolha do que fazer da vida, medindo o grau de envolvimento com seus amores, e até onde ir quando a curiosidade encontra o desconhecido é uma decisão – pura e simples – de Marina.”

“Nas alturas” me surpreendeu muito positivamente. Primeiramente, achei que ele era um chick-lit, no entanto, ele fugiu um pouco do que se espera do gênero. Com um narrador onisciente em 3ª pessoa, o livro traz as experiências vividas por Marina, uma mulher inteiramente livre em todos os aspectos da vida. Como aeromoça, ela conhece diversos lugares pelo mundo e aproveita a vida plenamente com homens de diversas nacionalidades. Marina faz o que quer e como quer, pois está muito confortável consigo mesma. Talvez olhando de uma perspectiva mais fechada, não a veríamos com bons olhos, porém o que nos é exposto é um horizonte amplo de possibilidades que Marina simplesmente aproveita, sempre sendo honesta com quem importa.

No decorrer do livro, ela se depara com situações adversas e dúvidas a respeito de amor, plenitude, felicidade e Marina vai ter que se posicionar a respeito dessas situações. Suas decisões são tão humanas (ou seja, há acertos e erros. Sobretudo erros) que chega a ser palpável.

A linha do tempo do livro corresponde a vários anos e muitas coisas mudam do começo para o fim; o que fica é a determinação de Marina de ser feliz e de ser completa. Marina tem prazeres, sofrimentos de cunho românticos, diversões aleatórias, rompantes de determinação e amores inconvenientes... ou seja, Marina é gente como a gente.

“Mesmo parecendo fria, Marina era romântica, daquelas mulheres que acreditam em príncipes, que só ficam com um cara se sentir química... Por isso rolavam tantos flashbacks com ex-amores; ter uma história envolvida, sem ficar só por ficar.”

Como leitora, eventualmente me aborreço/apaixono com as atitudes de personagens, mas Marina é uma personagem tão verossímil em sua complexidade que simplesmente não consigo assumir a responsabilidade de julgá-la. Então simplesmente me posiciono de modo a concordar ou não com certas atitudes, mas não julgar. (É o que procuro fazer com as pessoas na vida real.)

A narrativa de Camila Gatti é muito agradável. Na leitura, senti como se uma amiga estivesse me contando toda a história. Sabe quando alguém fala tanto de uma certa pessoa e você sente como se a conhecesse, mesmo sem nunca tê-la visto? É essa a sensação. A única coisa que me incomodou é o fato de os diálogos serem através de “aspas”, mas isso é completamente subjetivo.

O livro contém algumas cenas de sexo e sugestões de sacanagens aos sussurros em diversos idiomas. Como obra de ficção que é, há muitas situações irreais, claro (a não ser que comissárias de bordo ganhem extremamente bem!), mas as complexidades da pessoa humana e os limites da liberdade foram muito bem ilustradas.

A Editora Empíreo fez um trabalho excelente na estética do livro. Ele é compacto com uma diagramação confortável e com uma capa adorável."Nas alturas" é uma leitura interessante e muito agradável de mais uma autora nacional que eu não conhecia. Vocês também não amam conhecer autores nacionais?! ♥


site: http://www.garotapaidegua.com.br/2015/06/eu-li-nas-alturas-camila-gatti.html
comentários(0)comente



Silvana 29/05/2015

Nas Alturas, conta a história de Marina, uma carioca que vive literalmente nas nuvens. Ela é aeromoça. Ela é veterana em voos domésticos, mas ela quer mais e decide que vai trocar os voos domésticos pelo internacionais. Para isso ela vai para a França com seu amigo Mattos. Ela já estuda francês no Brasil, mas uma certificação na própria França, vai tornar seu sonho em realidade muito mais rápido. Marina é elegante, muito bonita e esta sempre impecável. Onde chega ela chama a atenção dos homens. Mas Marina é da seguinte opinião, viver o momento, o agora, por isso ela não se apega a ninguém.

Quando está na França, ela conhece Etienne e como tem muita vontade de conhecer Paris, ela acaba aceitando o convite dele para passar um tempo na sua casa. Ele logo se apaixona e faz mil juras de amor, mas Marina lembra que tem uma vida real no Brasil e decide voltar. Mas Etienne vai atrás dela, ainda acreditando que existe alguma coisa entre eles. Só que Marina esqueceu de avisar que tem um namorado no Brasil. Um namoro que entre idas e vindas, já dura três anos. Mas Marina tão pouco ama Germano, seu namorado, o que ela acha mais atraente nele é seu dinheiro e sua posição social.

Mas no fim, ela acaba casada com Germano e Etienne vira seu amante oficial. Anos depois eles se encontram nessa mesma situação. Só que não existe apenas os dois na vida de Marina. Ela não se apega a ninguém e deixa amores por todos os lugares onde viaja. Ela obedece apenas a seus desejos e sua vontade momentânea. Ela é tão fiel a seus princípios que até mesmo com sua família ela age assim. Mas até quando esse modo de vida vai satisfazê- la? Quando deixa os pedaços de seu coração espalhado por todos os lugares onde passa, como fará para ter seu coração inteiro novamente e totalmente preenchido?

Livro da Editora Empíreo, como sempre é um desafio, tanto na leitura como na construção da resenha. E digo isso como um elogio. Tantos livros sendo lançados e tanto mais do mesmo, que quando me deparo com algo diferente, que me tira da minha zona de conforto, só tenho a agradecer a editora por isso. Nas Alturas é um romance um tanto quanto diferente. Aqui não temos aquela protagonista romântica que vive esperando encontrar o homem da sua vida, se apaixonar e ser feliz para sempre. Marina é o oposto disso. Ela que ser feliz sim, mas tem certeza de que essa felicidade não está ligada à amar alguém e ser fiel a essa pessoa. Esse jeito dela ser pode ter suas vantagens, mas também tem suas desvantagens e Marina vai aprender isso ao longo da história.

Achei muito interessante a questão levantada pela autora. Quando conhecemos Marina e vemos esse jeito dela encarar a vida e os homens, os relacionamentos em si, já vem aquele velho machismo na cabeça, como uma mulher age assim? Mas se fosse um homem, alguém teria pensado nessa questão em algum instante? Mas não foi esse o motivo que me levou a não gostar de Marina. Achei ela mimada demais. Tudo tinha que ser do jeito que ela queria. Até gostei quando ela percebeu que não ia ser sempre assim. Achei ela meio desnaturada em relação a sua família também. Agora a cereja do bolo foi o final. Dei até uma gargalhada quando vi o que a autora aprontou com a Marina no último capítulo. Se recomendo essa história? É claro que sim. Além de tudo, você vai viajar e conhecer diversos países junto com Marina.


site: http://blogprefacio.blogspot.com.br/2015/05/resenha-nas-alturas-camila-gatti.html
comentários(0)comente



paraíso do livro 24/07/2015

Marina a indomável
Viver sem preocupação, viajar para diferentes lugares no mundo, conhecer pessoas das mais diferentes culturas é sonho de qualquer pessoa e o sonho de Marina não é diferente. Uma jovem e bela aeromoça, a típica mulher carioca, que por onde passa deixa um coração dilacerado, seja um coração americano, português ou francês. Desde que seus prazeres sejam atendidos os corações dilacerados são o de menos.
Marian sempre fez voos domésticos (RJ-SP) e estava prestes a mudar isso, concluindo um curso de uma outra língua para conseguir realizar voos internacionais, e consegue. A cada voo seja ele nacional ou internacional marina não perde a chance de flerta com um homem para satisfazê-la.
E é nesse cenário que a vida de marina passa no livro nas alturas, a cada voo, a cada destino, marina ver uma única oportunidade: SATISFAZER SEUS DESEJOS. o que não passa de apenas (rolos) já que depois de uma noite intensa de amor e explosões de prazer, marina some da vida de seus ficantes. Pois não é fácil levar uma vida dupla, SIM!!!! MARINA tem um namorado no Brasil, e um amante oficial francês e um amor em israel ufaaaa!!! É quase uma vida tripla. Marina é indomável e insaciável.
Mesmo com uma vida repleta de acontecimentos, Marina sente que há um espaço a ser preenchido, talvez um amor para chamar de seu.
A autora Camila ousou de uma forma brilhante, construir uma personagem com marina: independente, livre e fora da submissão dos homens. Marina pode ser considerada uma personagem revolucionaria no mundo literário.
E eu convido todos vocês a lerem esta incrível história picante com todos os detalhes que são puro prazer.
comentários(0)comente



22 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2