It Ain

It Ain't Me, Babe Tillie Cole




Resenhas - It Ain't Me, Babe


25 encontrados | exibindo 16 a 25
1 | 2


Cris 26/04/2016

River 'Styx' Nash ou 'Hangmen mudo' desde cedo compactuou com o mundo do crime, foi inserindo ao clube de motociclistas 'Hades Hangmen' pelo pai quando criança e assim permaneceu. Hoje, com vinte e seis anos, apenas três coisas são respeitadas e desejadas em sua vida: Uma Harley Davidson, uma Fender e futuramente o amor de uma Old Lady.

Salomé ou Mae vive sob os regulamentos da comuna 'A Ordem' liderada por um homem intitulado Profeta David. Os membros dessa seita pagã rechaçam e punem sexualmente todas as mulheres e crianças a fim de conquistarem uma purificação e libertação espiritual ilusória. E Mae não mais disposta a sofrer maus-tratos e abusos irreversíveis, encontra uma maneira de fugir e assim conhecer o mundo externo tão desconhecido e curioso.

(...) Pela primeira vez na minha vida, eu queria fazer o certo por alguem, e ela já tem uma parte deste clube, uma parte de mim.

Esboçar uma opinião sobre um livro como este é bem difícil, porque querendo ou não, o leitor acaba ficando em cima do muro num determinado momento. Nada é tão certo, nada é tão errado. Confesso minha principiante curiosidade no que diz respeito a "livros Dark", para falar a verdade, pouco entendia do assunto e mesmo assim me via no direito de julgar os adeptos a esse estilo literário. Afinal, o que eu ganharia lendo livros que abordam sequestro, estupro, seitas religiosas, pedofilia, facções criminosas e assim por diante? Pois bem, respondendo a minha pergunta, eu não ganhei nada! Mas... e se eu dissesse que valeu cada capítulo lido? Contraditório, não? É isso mesmo, bem-vindo ao mundo sombrio. Bem-vindo ao mundo Dark de ser.

Iniciei 'I aint't me, babe' da série 'Hades Hangmen' totalmente no escuro e com a certeza que eu não gostaria da leitura. Me enganei, pois desde o início me vi envolvida de alguma forma com a história dos protagonistas e enredo apresentados. Não pude desgrudar os meus olhos das páginas e isso apenas demonstrou que o livro de fato me fisgou. Poderia ressaltar aqui vários atributos negativos a meu ver sobre o livro, entre eles a medíocre tradução, as cenas para lá de descritivas no que se refere a sexo, o alto teor de violência/perversidade presentes do início ao fim. Resumindo, eu tinha tudo para odiar. Mas não, para mim Tillie Cole trouxe um livro interessante, complexo e bem surpreendente.

A construção da história intriga, confronta e choca a todo momento. Nada é bonito e cativante, no entanto, estranhamente os capítulos apenas me impulsionaram a continuar, e, quando soube que o livro era fruto de pesquisa e convivência me prendi ainda mais. Ou seja, parte daquilo que eu estava lendo aconteceu e continua acontecendo. Imaginem quantas e tantas mulheres sofrem como a Mae todos os dias sem parar? E a inocência de nossas crianças? Enfim, não entrarei em detalhes. Este é um tema doloroso e delicadíssimo.
Falar da construção da história e não me emocionar ou até mesmo me entristecer é impossível, por vezes desisti da leitura e horas depois me via curiosa e sedenta por mais. E quando tudo estava sob controle, a autora me surpreendeu. Simplesmente amo reviravoltas, elas trazem um quê a mais para a história. Sempre!

Por se tratar de um livro Dark, pouco esperava de um relacionamento amoroso... novamente me enganei. Styx e Mae se conheceram há anos numa fatídica tarde e nunca mais se esqueceram... esse vínculo inquebrável me fez refém do casal desde a primeira página. Pude ver duas pessoas que viveram mundos totalmente diferentes se abrindo para o amor. Quer sentimento mais verdadeiro?
A princípio o estereótipo anti-herói do protagonista me enojou, mas com o desenrolar dos acontecimentos, Styx, vulgo gaguinho - sim, ele tem um problema na fala - me teve em suas mãos, não mais o enxergava apenas como mafioso, e sim como um justiceiro, um herói.

Bem, sem mais delongas. Se eu indico? Depende do que você quer ler. Esqueça o conto de fadas, esqueça os mocinhos bonzinhos. Enfim, esqueça tudo que você já leu até agora.
comentários(0)comente



Bekah Abreu 18/03/2016

Tudo que preciso é minha faca, minha guitarra e uma amor de uma 'Old Lady'
Gente bonita (ou não)! O que vocês andam lendo? Se a resposta for ‘It Ain't Me, Babe’, precisamos falar sobre isso!

Como amo demais máfias/gangues, quando vi a sinopse desse livro, realmente fiquei ansiosa. Principalmente por que mistura com uma coisa completamente nova e que pouco é dita que seriam os grupos religiosos que, por vezes, são apenas fachada para abusos.
No começo do livro já ficamos sabendo que o mocinho e a mocinha já tinha tido um momento entre eles. O que foi fofo e estranho.

Sinceramente esse livro revirou um pouco meu estomago com algumas revelações. Fico pensando se aquilo realmente existe ou existiu. É algo para se meditar: ‘como é que podem usar a fé para praticar aquilo?’. Acredito que quem vai ler, vai ficar bem comovido.

Bem, o ‘Styx’ foi uma bela surpresa já que nunca tinha visto um mocinho ‘mudo’. Foi a coisa mais legal! Mesmo sem sua capacidade no total, ele consegue ser sexy e bem perigoso. Adorei suas cenas de ciúme e ficava pensando no quanto a Salome era idiota.

A Salome, no começo, me surpreendeu demais pela sua coragem e determinação. Achei que ela ia ser uma mocinha memorável. Só que do nada, ela virou um pedaço de cristal. Não entendo como ela ficou daquele jeito. Imaginava que ela só iria evoluir, mas isso não ocorreu.

Por fim, o casal valeu a pena por que tinham uma boa química. Só que aquela coisa toda de amor de infância e ‘ te esperei mil anos’ foi muito chato para mim. Me custou a crer que alguém como o ‘Styx’ fosse tão romântico. Acho que a autora forçou a barra, querendo enfiar isso para mim.

Sobre a ‘Hades Hangmen’ que é a gangue do Styx, eu realmente amei. Adorei o lance da mitologia. Achei fantástico esse mundo dos ‘motoqueiros’ onde tem jaquetas e motos turbinadas. Isso a autora está de parabéns.
Também fiquei chocada com o ‘Trio pisco’; tenho uma queda por personagens psicopatas, sociopatas, esquizofrênicos, megalomaníacos...Por isso quero muito logo os livros deles, principalmente do ‘Flame’.
Claro que nesse livro teria o ‘malvado’ das tapiocas. Não vou mentir, eu não descobri de cara. Acabei pensando ser várias pessoas, menos ele. Quando descobri fiquei jogada na BR. Acho que o final realmente é de se chocar. Mais uma vez a Salome foi burra, né.

Enfim, mesmo não sendo o que eu esperava e me deixando no tédio algumas vezes, recomendo o livro só pelo simples mundo do ‘Hades Hangmen’. Acho que os próximos livros vão compensar e arrebatar darks corações.

Um aviso, não leia se você tiver uma mente sensível. Não é nada de horrível demais, mas realmente choca um pouco.
comentários(0)comente



Lili Costa 20/11/2015

Forte, doloroso.
"Eu só preciso de três coisas na vida: minha Harley, meu Fender... e o amor de uma old lady."
Em primeiro lugar, só leia este livro se tiver um coração forte. As cenas descritas neste livro são pesadas, não poupa o leitor. A própria autora explica isso no início do livro. Contém cenas de violência, estupro, pedofilia, palavras de baixo calão.
"It Ain't Me, Babe é o primeiro livro da série intitulada por Hades Hangmen. Pertencendo ao gênero Dark. It ain't me, babe faz jus ao seu gênero. Tudo aqui é escuro.

Salomé ou Mae como chamada por suas irmãs, vive em uma comuna religiosa governada pelo profeta David. Depois de presenciar uma das suas irmãs morrer por causa da "seita", Mae decidi fugir. No entanto seu destino está selado, ela foi prometida para ser a sétima esposa do profeta David.

Styx é um Prez, ou seja líder de um grupo de motoqueiros do mal. Frio, cruel, mafioso, o verdadeiro badboy que mata sem remorso.

Mae encontrou Styx pela primeira vez quando era ainda uma criança. Uma cerca dividia seus mundos.
Um beijo foi dado.
Um nome pronunciado.
E um olhar ficou gravado na memória do garoto durante anos.

Depois de 15 anos esses dois mundos se reencontram, mas agora o perigoso que os envolve é maior. No entanto a ligação entre ambos é a mesma que quando crianças.
Mae precisará mudar todos os seus conceitos sobre si, o mundo e sua religião.
Enquanto isso, uma parte de Styx tenta se convencer que não é o homem ideal para Mae, outra parte quer tomá-la para ser sua old lady. Em atritos com seus sentimentos (Ele tem!) Styx decide por ora apenas proteger Mae.

Nunca pensei que um livro acabaria tanto comigo. Meu emocional foi nas alturas em vários capítulos. Angústia tomou conta do meu coração, me vi torcendo pela primeira vez na minha vida de leitora pelo carinha mal.
A história de Mae é forte. Muito forte. Torci demais por ela, por um final feliz.
É importante lembrar que aqui não teremos um conto de fadas, mesclado de cenas ilusórias. Infelizmente história como It Ain't Me, Babe existem. É escuro. É sombrio. É cru. É real.
"Nós sempre fomos fadado a ficar juntos. Ele é meu tudo. Ele é meu mundo inteiro. Styx é a minha salvação."




comentários(0)comente



Ninacitt 19/09/2015

Só para os fortes
Livro bem Dark, pesado mesmo, mas muito linda a história e muito bem escrita pela autora. Inclusive baseado em fatos reais. É surpreendente a maldade humana em nome de um Deus, bestas humanas que manipulam para seu bel prazer. Mas claro que há uns motoqueiros super gostosos e fofos para salvarem as mocinhas dessa trágica realidade. Se você tiver estômago vale muito a pena ler.
comentários(0)comente



Jessica A. 09/09/2015

Se isso é pecar, quero pecar pra sempre!
IN LOVE!!! ♥

Nossa, estou sem palavras, eu não estava com nenhuma, sério, nenhuma expectativa perante a esse livro/série, pois já tinha lido um livro dessa autora e não gostei, mas eis que dei uma segunda chance e me apaixonei! AMEEEEEIII DEMAIS!!!! ♥

É a minha primeira série com MC’s, e com certeza já está na minha lista dos queridinhos.

Tillie Cole me surpreendeu completamente, não sabia que eu iria gostar tanto dessa história, adorei a forma que a autora conseguiu trabalhar sem deixar nenhum ponto sem nó, com muitas cenas emocionantes, comoventes, trágicas, bonitas e totalmente intensas.

Aqui temos Styx, um prez do clube Hades Hangmen, ele é um assassino que não tem nenhum remorso de acabar com seus inimigos, porém nunca esqueceu a menina triste dos “olhos de lobo” que encontrou na floresta. E Mae/Salome, uma prisioneira em seu mundo, criada em uma comuna religiosa, sendo maltratada constantemente, deseja escapar definitivamente desse ambiente que chama de lar, porém nem tudo é o que ela espera, sua liberdade pode levar à beira da morte e causar danos às pessoas próximas a ela. Aqui é sobre a história de duas pessoas de mundos completamente diferentes, porém que formam uma conexão inexplicável desde quando eram apenas duas crianças. Mas que, depois de 15 anos se reencontram em situações complicadas, porém a ligação entre eles é inevitável, nenhum dos dois esqueceram um ao outro, que apesar de todos esses anos de sofrimento encontraram finalmente uma ancora de salvação entre eles. Encontramos também Rider, um dos companheiros de Styx no clube Hangmen (ooowwwnnn *-*), ele é o melhor amigo da Mae e sim, fiquei muito apaixonada por ele. Como Styx precisa viajar para negócios, Rider decide ficar para proteger e ajudar Mae a se adaptar no mundo totalmente desconhecido para ela.

Confesso que durante a leitura fiquei muito na dúvida em qual escolher, se era Styx ou Rider, sim, em certos momentos queria que a Mae escolhesse Styx, porém queria tanto, tanto, pra ela ficar com o Rider, e mal posso esperar pra ler a história dele! Pra mim, é o mais aguardado! ♥

Se recomendo?! SIM! Se você ainda não leu essa série, vai fundo!
Nota: 5 ♥
Lizzy 09/09/2015minha estante
O Rider!!!! Se prepara para saber dele no segundo livro, vc vai ter uma grande surpresa!!! Eu fiquei em choque!!!


Jessica A. 09/09/2015minha estante
Aiiiii Lizzy! Eu já comecei o livro, não tô me aguentando! Já sei que hj não dormirei...


Lizzy 09/09/2015minha estante
kkkkk, Aconteceu o mesmo comigo!!! Não posso contar nada, não leia outras resenhas senão vai estragar a surpresa! Boa leitura


Jessica A. 09/09/2015minha estante
kkkkkkkk ta bem, pode deixar! Uma pena que a autora ainda não publicou o livro do Rider, o próximo é do Flame, tomara que ela publique ainda esse ano! :/


Lizzy 09/09/2015minha estante
=)


Carol 10/09/2015minha estante
O do Rider previsão so em 2016 :( Eu estou ansiosa também. Jessica você vai amar o livro do Flame é tenso mas ao mesmo tempo lindo


Jessica A. 10/09/2015minha estante
Sério??????!!!!!!! Poxaaaaaaa, acho que vou fazer uma campanha no facebook da Tillie pra ela liberar logo o livro do Rider! Já estou me preparando psicologicamente pro livro do Flame, altas emoções nessa série!


P@ty 10/09/2015minha estante
E tanta resenha desse livro que não tive como resistir vou ler.


Lizzy 10/09/2015minha estante
Eu não recomendo ler, muito spoiler




Leticia 22/08/2015

Amor de dois mundos diferentes.
Eu tenho um estranho bloqueio em escrever sobre livros que eu gosto muito.
Talvez porque eu nunca acho que a resenha consegue transmitir o tamanho da beleza da historia.
E com It Ain't Me, Babe não foi diferente, acho que só lendo pra entender.

Nesse primeiro volume da série Hades Hangmen, temos Salome (ou Mae), uma jovem criada desde sempre sobre os ensinamentos e sobre uma redoma religiosa governada pelo Profeta David. Após testemunhar a capacidade dos aciãos dessa ceita, ela decide fugir.
O que ela menos esperava era que seu passado fosse se reencontrar com ela e que o destino lhe trouxesse aquele que ja tinha salvo sua vida uma vez, apenas por mostrar que existe o bem fora das cercas da Comuna.
Era Styx.
River.
Prez.
O Hangmen mudo.
Seu homem.

Eu juro que não sei nem como transmitir tantas coisas que senti lendo esse livro. Eu tinha vontade de entrar ali e poder experimentar a vida ao lado de Styx, ao lado dos Hangmen. Meu amor por motoqueiros, recentemente descoberto cresceu ainda mais.

A escrita da autora é maravilhosa, certas cenas faziam eu me sentir livre apenas lendo, me faziam sentir como se eu fosse Mae.
Inclusive recomendo a leitura usando Lana Del Rey como trilha sonora.
Na verdade acho que Ride e Gods and Monsters foram feitas para essa história. Para o amor de Styx e sua old lady.

Mais um livro adicionado aos favoritos.
E que venham os livros de Ky e Flame :)

5 estrelas!!!!!
comentários(0)comente



Taisa 12/08/2015

O Dark é a nova modinha. Anti-heróis, realmente BADboys, bandidos, mafiosos e gangsman são os caras da vez. Eu sinceramente estou gostando do politicamente incorreto. Apesar de quando aparece um par de belas pernas, esse cara durão fica tão pau-mandado quanto o almofadinha. Mas abafa, que quando isso não acontece somos as primeiras a tacar pedra...mulheres....

Styx e Salome tem o destino cruzado. Aos 8 anos os dois têm um encontro inusitado, por trás de uma cerca e com poucas palavras esse diálogo reverberou mais do que qualquer outra coisa. Mas a vida oposta que os dois vivem impediu um novo encontro. Ela faz parte de uma ceita religiosa radical, ele é o Líder de uma gang de motoqueiros do mal do EUA. (Sentiu o choque.) Até que um dia Salome decide tentar dar um fim nesse ciclo e como consequência, juntamente com uma matemática incalculável e incompreensível do destino, os dois voltam a se esbarrar.

Eu achei legalzinho o livro, na verdade a minha nota seria 3,5 mas arredondo para mais porque quero sempre incentivar uma pessoa que esta em duvida se deve ou não ir em frente. A autora escreve muito bem, tive um pouco de problema com algumas "girias" deles, devo dizer que achei um pouco brochante esse lance de old ladies (como chamam as esposas) e vadias (acreditem, apelido carinhoso). Mas, tá na chuva é para se molhar, se quiser entrar na história tem que se entregar mesmo.

No início a autora explica que muitas das cenas descritas na ceita são reais, de relatos que ela ouviu de meninas que sofreram os abusos e conseguiram se libertar de outras ceitas similares, então só esse fato dá um outro peso para a análise.

Achei MUITO parecido com a Irmandade da Adaga Negra. Diversos elementos são completamente iguais, seriam eles a versão humana da IAN. Os personagens secundários também são interessantes, com destaque para o River, que nem é tão secundário assim, mas adorei quero muito que aconteça alguma coisa boa com ele, entendi todas as cagadas e para mim está mais do que perdoado.

Eu pretendo ler as continuações, principalmente da tão aguardada do Flame (o louco psicótico da turma), mas sinceramente não estou com expectativas muito altas, acho que vai ser mais do mesmo. Espero ser surpreendida.

Ele possui cenas de violência, estupro e abuso, mas não chega a ser uma coisa que te tira o sono, eu diria que é um New Adult hot pesadinho (se é que isso é uma classificação). Eu indico para quem já gosta de NA mas quer alguma coisa diferente, mais selvagem e ao mesmo tempo romântica.
- See more at: http://leiturasdataisa.blogspot.com.br/2015/08/leitura-it-aint-me-babe.html#sthash.JoAs84xo.dpuf

site: leiturasdataisa.blogspot.com.br
comentários(0)comente



Clelma 31/07/2015

... Styx é a minha salvação. "
Seriamente. Foi intenso, trágico, emocionante, emocional, comovente e bonita. It Ain't Me, Babe é uma história sobre duas pessoas de mundos completamente diferentes que formaram uma conexão a primeira vez que eles se conheceram quando eram apenas crianças. Agora, 15 anos depois eles se reencontram em circunstâncias extremamente tensas, mas a sua ligação nunca se desvaneceu ... a beleza com os olhos de lobo nunca saiu mente de Styx todos estes anos e quando ela mostra-se golpeado e ferido no complexo Hades Hangmen MC, ele decide para fazer o que for preciso para mantê-la segura.


"Nós sempre fadado a ficar juntos. Ele é meu tudo. Ele é meu mundo inteiro ...
... Styx é a minha salvação. "


Mae e Styx eram personagens incrivelmente complexos e eu cresci para amá-los ao longo da história. Eles passaram por tantos problemas e miséria e eu estava torcendo o tempo todo para o seu final feliz. No entanto, nenhum deles eram perfeitos e Styx fez alguns erros enormes .... felizmente, ele se redimiu embora. No geral, esta foi uma leitura inesquecível e eu já estou ansioso ansioso para a próxima parte desta série!
Jan 14/03/2016minha estante
Fantastica resenha!




Cris 31/07/2015

Inundada por sentimentos contraditórios...
Foi como me senti ao terminar esse livro, foi uma leitura difícil, mas intensa e teve momentos que amei a narrativa e outros que detestei o que estava lendo. A trama trabalha com alguns elementos bem indigestos como abuso, estupro e pedofilia e nessas partes tinha meu estômago completamente revirado. E esses fatos eram detestáveis e não tem o que questionar. Porém, o que me incomodou além do óbvio era que esse MC fosse extremamente violento e os motoqueiros muito cruéis para acreditar que o amor os transformariam em fofos apaixonados.

E vi muitas criticas positiva e pessoas completamente apaixonadas pela historia entretanto, minha mente critica não conseguia acreditar que alguém que passou a vida inteira sendo abusada de toda e qualquer maneira desde os 8 anos de idade e nunca viu nada fora do culto se adaptaria tão bem ao mundo exterior. Ainda mais esse mundo sendo de motoqueiros que fazem orgias como a gente escova os dentes. Outra parte que me incomodou também foi como a Mae depois de anos de abuso começou a fazer sexo louco e intenso com Styx sem grandes problemas, só não era crível.

E o Styx era um doido possessivo, tem uma cena que ele fica gruindo –minha- tantas vezes que cheguei a pensar que a Mae era um objeto para ele possuir. Talvez alguns achem fofo e que isso demonstre o quanto ele é apaixonado, mas não para mim. E ficar chamando as mulheres de cadelas era tão degradante. Que ele era protetor e maluco pela Mae não resta dúvida, mas existia tanto machismo na narrativa que não me permitia apreciar isso. Senti falta de uma parceria entre os protagonistas era mais um coisa de eu mando você obedece sorrindo e somos felizes para sempre. Tão retrógrado!

A Mae era muito sem noção em algumas partes. O fato dela insistir que o Rider fosse seu amigo quando era óbvio que o cara estava apaixonada era ridículo além de egoísta. Mas dou um desconto porque viver naquele culto de dementes deixa qualquer um fora da casinha kkkk. Agora ela invadir o quarto do cara e impedir a foda dele foi muito surreal e ficar tendo um papo de coração para coração com o cara nu e duro era ainda mais muito além da imaginação. E apesar do texto não ser engraçado ou meramente divertido me peguei rindo em uma parte que uma das old ladys diz que a Mae tem que ser forte e apoiar seu homem. E Mae pergunta o que ela deve fazer e a outra diz –agora a gente senta e espera para nossos homens voltarem vivos-. PQP! Isso é ser forte e apoiar seu homem, fala sério né!

Outro fato que me incomodou foi o fato do Styx ter uma tara de pegar a Mae depois que ele bateu/matou/mutilou alguém ainda todo sujo de sangue e suado, ecaaaaaaaaa!!! E a Mae amava e pedia bis. Sójesusnacausa para explicar tamanha porquice kkkkk. E fiquei com impressão que esses motoqueiros eram sujos e molambentos e nem sei explicar de onde vem esse sentimento, mas sei que não fui a única. E se não bastasse isso ainda me passaram a vibe que eram mentalmente instáveis e fica difícil achar fofo um psicopata. Eles sentiam prazer em causar dor e mutilar os inimigos ou quem eles achavam que era inimigo. E a parte de assassinar um inocente realmente não me desceu bem, não que matar me pareça correto. Mas nesses livros de MCs eles matam sem um segundo pensamento os considerados inimigos, mas geralmente são bandidos degenerados e você não fica muito triste com o fim trágico dos patifes.

E o Ky apesar de me ser um idiota na maior parte do livro e ter alguns gostos bem pervertidos era o que me parecia mais normal na trama. Agora veja meu dilema se esse era o normal imagina como o restante não era?! Kkkk Ele foi muito babaca com a Mae constantemente querendo afasta-la. Ele também estava sempre questionando o Styx e cobrando que o clube vinha antes de qualquer cadela e só não me descia direito.

E o que era esse Rider gente! O cara emitia uma vibe ruim desde o início e ele mostra suas verdadeiras cores no final. E a relação dele com a Mae era muito disfuncional. Mas quando se tem a visão geral entendemos melhor porque os dois tinham aquela dinâmica estranha.

Enfim, a narrativa te prende porque a autora escreve bem mesmo que você esteja com o estômago embrulhado na maior parte do livro. E apesar de não acreditar que alguém tão frio quanto o Styx e alguém tão abusado quanto a Mae possam desenvolver aquela conexão forte tão rapidamente o livro não é um desperdício e termina com um grande gancho que você fica querendo saber o que vem a seguir. Se vou me aventurar a descobrir é outra história :)
Denise 07/08/2015minha estante
Adorei a resenha,me identifiquei total com a tua opinião.


Cris 11/08/2015minha estante
Obrigada :)


*Janne* 30/01/2016minha estante
Pois é, ainda tô no meio da leitura, mas tô me sentindo exatamente como você. Não que o livro seja ruim, mas tem coisa que sinceramente, foge do limite do racional, principalmente em relação a Mae. Outras coisas, contudo, se tornam fofinhas se você simplesmente abstrair a canalhice geral.
Espero não acabar detestando o livro no final. E vem cá, só eu que senti uma ligeira semelhança com a Irmandade da Adaga Negra???


Cris 06/02/2016minha estante
Oi Janne,

Sobre a semelhança com A Irmandade da Adaga Negra já li comentários semelhantes, mas não posso afirmar porque nunca consegui avançar na leitura dessa série.

Mas apesar de algumas coisas não serem críveis para mim, gostei do livro e da série no geral. Ainda estou arrumando coragem para ler o terceiro kkk. Os livros são muito intensos e preciso de uma pausa e ler umas coisas fofos entre um e outro :D.


Angélica 04/08/2016minha estante
Adorei sua resenha, mas não consegui seguir adiante no livro. Muito machismo, não aguentei a forma como chamam as mulheres e vi pela sua resenha que não aguentaria o restante.


Cris 31/08/2016minha estante
Oi Angélica,

Esse é um livro que mexe com seus valores e te tira fora da sua zona de conforto. Confesso que parei no segundo e nem sei se vou ter estomago para ler o resto. A vida já é muito dura para ficar lendo sobre merdas, atrocidades e gente doida, pra isso é só assistir jornal :D




SakuraUchiha 25/07/2015

"Se isso fez de mim uma pecadora, então eu estava feliz por ser uma caída."
♥ Personagens fantásticos ✓
♥ História surpreendente ✓
♥ Quase nada de tédio ✓
♥ Lindo romance ✓
♥ Me fez chorar ✓
♥ Me fez rir ✓
♥ Me fez contorcer-me ✓
♥ Maldito motociclista fodão e quente! ✓
♥ UM COMEÇO HOT E DARK PARA UM EXPLOSIVO ROMANCE ✓

É isso e muito mais o que você vai encontrar na nova série da Tillie Cole. Essa autora como sempre excedeu minhas expectativas com 'Hades Hangmen'.
"It Ain't Me, Babe" é a estória de uma garota que foge de um culto religioso e encontra abrigo com um MC.
Styx, nosso herói, é simplesmente um personagem de tirar o fôlego. Intenso em todos os sentidos e com problema de falas. Você pensa que o cara vai ser um miserável e sofrer por isso... doce engano. Ele simplesmente se faz presente em cada frase do livro. E Mae (Salome), nossa heroína, eu realmente pensei que ia torcer o nariz pra infeliz, mas ela se mostrou completamente o oposto do que eu imaginava que seria. Ela foi tudo, menos chata e sem emoção. Tem que ler pra comprovar o que falo.
A estória é ótima, os personagens dá vida e emoção nos enredos, até os antagonistas chama a atenção. A autora não enfeita nada aqui, é tudo muito palpável e honesta. Tillie deixa a mente da gente cambaleando.
O aviso é muito claro: o livro é sombrio e cheio de temas quase considerados tabus. Se não tem coração forte não leia, é tudo muito brutal.

Sobre a Série Hades Hangmen:
01. It Ain't Me, Babe - Styx e Mae
02. Heart Recaptured - Livro do Ky
2.5 Top Secret Project - Conto solto
03. Souls Unfractured - Livro do Flame (muito ansiosa)
04. Deep Redemption - Livro do Rider.
05. Damnable Grace (Não publicado)
06. Crux Untamed (Não publicado)
07. Darkness Embraced (Não publicado)
08. Untitled- Livro do Viking (Não publicado)
Renata 14/09/2015minha estante
Começo hoje!!!


SakuraUchiha 26/09/2015minha estante
Tu vai amar essa série Renata, se prepara para um verdadeiro passeio selvagem com os melhores motociclistas literários rsrsrsr




25 encontrados | exibindo 16 a 25
1 | 2