A Verdade Sobre Nós

A Verdade Sobre Nós Amanda Grace




Resenhas - A Verdade Sobre Nós


113 encontrados | exibindo 61 a 76
1 | 2 | 3 | 5 | 6 | 7 | 8


spoiler visualizar
comentários(0)comente



BookTherapy 17/05/2016

Que livro lindo!
Posso dizer, sem dúvidas, que foi um dos livros mais intensos e envolventes que já li. Escrito de uma forma nada convencional, por meio de uma carta narrada pela personagem, vemos o desenrolar de uma linda história de amor proibido.

Devorei as páginas como se tivesse um cronômetro rodando e meu tempo curto demais. Mas não pense, nem por um minuto, ser por vontade de acabar, pelo contrário, gostaria de estar lendo até agora. Foi pelo envolvimento que tive com os personagens e a necessidade de um final feliz…

Madelyn é uma garota precoce e com apenas 16 anos já está na faculdade. Com uma média muito acima de seus colegas de escola, ela é pressionada pelos pais a participar de um programa para pular os últimos anos do Ensino Médio e ingressar direto na faculdade. Esse seria um ótimo plano se também fosse o sonho da menina. Ela está cansada de seus pais traçarem seu futuro sem ao menos questionarem suas escolhas. Mesmo não concordando, Maddie começa a frequentar as aulas e, já em seu primeiro dia, conhece Bennet, seu professor de biologia, dez anos mais velho.

Talvez eu ainda fosse aquela garota, já que nunca tinha dado um passo em falso, jamais fizera nada inesperado ou andara fora da linha. Até surgir você, pelo menos.

Logo a bela amizade se torna um amor real. Tão delicado e emocionante.

Porém, como Bennet não tem conhecimento do esquema com relação aos estudos da garota, Maddie aproveita para esconder um grande segredo, sua idade, o que pode, além de destruir esse amor, prejudicar e muito seu amado.

Dez anos não é muito, sabe? Se eu tivesse vinte e você, trinta, será que alguém se importaria? Parece cruel que quatro aninhos sejam tão importantes, capazes de mudar uma vida. Na verdade, só dois importavam. A diferença entre dezesseis e dezoito. A diferença entre o amor que pode durar uma vida e o amor que nunca pode acontecer.

Terminei o livro com o coração apertado, lágrimas nos olhos e uma emoção que não cabia em mim.

Talvez pense que a literatura já esteja saturada de histórias assim, entre professor e sua aluna, mas posso afirmar, com toda a certeza, que essa narrativa vai muito além. Será que o amor é capaz de vencer as barreiras que a vida impõe?

site: https://booktherapy.com.br/2016/05/02/livroterapia-a-verdade-sobre-nos-de-amanda-grace-intrinseca/
comentários(0)comente



Batiz 04/01/2015

Esperava mais
Olha eu esperava mais desse livro! Pra mim parece que veio faltando páginas , eu até que gostei confesso que faltou mais complementação no meio e no fim, mais eu um livro que eu não leria novamente.
comentários(0)comente



Lightwood 21/03/2017

"Todas as cartas de amor são ridículas"
Esse livro me trouxe diferentes sentimentos com o desenrolar de toda a história. Em um momento eu não sabia por que estava lendo e noutro queria saber mais sobre como iria terminar. A escrita da Amanda Grace não é complicada. Não possui tanto detalhamento de ambiente. É uma escrita medíocre, por assim dizer. Recomendaria para pessoas que estão começando a ler ou tomando o hábito da leitura. Os personagens Principais – Madelyn e Bennet – não são um encanto. Eles são bem normais e sem tanto a mostrar. Resumindo, ela tem problemas com os pais controladores e ele só tem bastantes provas para corrigir. Ela, que narra a história a todo momento, é uma típica adolescente. Ela confunde o amor com a paixão. Ela confunde um amor construído por anos com uma paixão forte. Esses momentos me fizeram lembrar de um poema do Fernando Pessoa que dizia que “todas as cartas de amor são ridículas”, pois nós ficamos bobos quando vamos escrever algo do tipo, do mesmo modo que Madelyn é.
Aqui temos um livro mediano e sem muitos impactos. Você tem noção do que vai acontecer no final, então, quando acontece, não te deixe atônito e nem nada do tipo. A história não possui algo que te prenda de fato, mas é bom para quem procura algo para ler num dia de folga. Só para descontrair a mente. Não comprei muito o amor dos dois, embora tenha uns momentos legais. Não foi aquela coisa de “terminem juntos por favor”, foi algo mais para “Como é que isso vai terminar? ”. Li para descontrair a mente e foi só para isso que serviu mesmo. O livro é legal e quebra o galho em momentos de tédio. Achei que o final seria uma coisa meio ‘’méé’’, mas fora algo bom.
comentários(0)comente



Daih 18/10/2015

linda história!!!
Fiquei encantada e emocionada com a história de "A verdade sobre nós".
Torcia para que eles ficassem juntos no final, por isso o fim me deixou bastante triste.
Com certeza valeu muito a pena ter lido este livro ?
comentários(0)comente



Carol Marculino 21/01/2017

A verdade sobre nós
Madelyn aos 16 anos, sempre foi o exemplo de filha perfeita, sempre tirou A, nunca fez nada para irritar os pais. por ser muito inteligente Madelyn pulou os dois Últimos anos do colegial e foi direto para a faculdade. Lá ela conhece Bennett doce, gentil, e que faz ela se sentir extremamente atraída, só que tem um detalhe Bennett tem 25 anos e é seu professor. esse livro conta a história de um amor impossível e proibido, e que faz você repensar o que é realmente certo ou errado.
comentários(0)comente



Ana Paula FZ1 30/03/2015

"Esta carta não pode fazer nada por nós, porque não existe nós… não mais."
O livro nos conta a historia de uma garota que está tão cansada de ser ¨a perfeita ¨ aos olhos dos pais, que quando entra na faculdade antecipadamente por suas boas notas e por um programa que sua escola no ensino médio proporciona à bons alunos, ela se encanta pelo professor de biologia, nove anos mais velho que ela. Mas uma coisa que gostei muito é que apesar da historia ser contada por uma menina de 16 anos o livro não é uma narrativa bobinha e sem nexo. Madelyn quer mudar sua vida, quer ser vista de uma maneira diferente do que seus pais a veem, então ela relata o que acontece entre ela e Bennett, o professor, a paixão, o respeito, a vontade de que tudo certo, mas no decorrer da narrativa vamos imaginando que as coisas tendem a não sair como ela quer, ou como eles planejaram, ou a não ficarem como Madelyn gostaria que ficassem. Emocionante sim, mas na minha opinião faltou um pouco de inteligência ao professor...rs ( não vou entrar muito em detalhes porque senão entrego o livro né ;) ), La no bloguito escrevi mais sobre minha opinião de leitora ...
So que uma coisa fiquei na cabeça... parece uma historia da vida real sabe, que realmente aconteceu com alguém do convívio da autora, quiçá dela mesma.mas enfim, eu gostei da historia é leve e flui bem

site: http://paixaoporleituras.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



ana paula 26/01/2017

Muito monótono
O livro é todo em primeira pessoa, e isso tornou a história muito chata. Foi uma tortura terminar, a história toda é muito boba
comentários(0)comente



Taynara Lima / @taaynaralima 01/11/2017

A Verdade Sobre Nós
Já queria começar dizendo que eu ODIEI a protagonista, não me identifiquei nem um pouco e ela me irritou quase o livro todo.

A história gira em torno da Madelyn, uma adolescente de 16 anos que é excelente em tudo que faz. Por isso, ela consegue uma bolsa de estudos para cursar a faculdade antes de ir pra Universidade, mesmo ela ainda não terminando o ensino médio (eu não sei como funcionam essas coisas lá nos Eua, mas é isso mesmo). E é lá que ela se apaixona pelo professor de Biologia.

O livro todo é narrado em primeira pessoa (pela Madelyn) e em forma de carta e você já começa o livro sabendo que eles não ficaram juntos. É uma história bem rápida e dá pra ler em uma madrugada. Mas vamos ao pontos que me irritaram:

Madelyn é uma adolescentes e a gente costuma relevar idiotices de adolescentes, ok? Mas eu acho que a partir do momento que isso prejudica outra pessoa, temos um problema.
Ela tinha 16 anos e ele 26, em Washington, que é onde a história se passa, a idade do consentimento é 16 e não haveria crime se ele não exercesse um posição de poder ao dela (no caso ele é o professor).

Ela é muito imatura e isso me irritou, ela mente pra ele e deixa as coisas chegarem ao extremo pra falar alguma coisa. Enfim, é um livro narrado por uma adolescente bem boba, que me irritou e quase destruiu a vida do coitado do Bennet. rs

"Essas mentiras e meias verdades iniciaram algo que o arruinou, e sei que não é capaz de me perdoar, mas quero que se lembre de mim da maneira certa, de como tudo realmente aconteceu, e não da forma feia como tentarão fazer com que pareça. Então, para você, para mim, para eles, aqui está: A verdade sobre nós".

Pág. 7 e 8
comentários(0)comente



Ciça 02/05/2017

Muito mais que um romance adulto
A verdade é que eu não faço a menor ideia de como estou aqui. Faz uma ou duas horas que eu terminei de ler esse livro e ainda estou em choque profundo.

Não é novidade a história, ela até chega a ser clichê se você pensar somente pela sinopse. Uma menina, a aluna, que se apaixona pelo homem, o professor. Isso obviamente indica que tudo vai dar errado. E dá.

A história de Amanda Grace me lembra bastante Cartas de Amor aos Mortos, afinal, os dois livros são contados por meio de cartas feitas pela personagem principal. Mas diferentemente do livro de Ava Dellaira, eu consegui sentir todos os sentimentos de Madelyn e isso acabou comigo quando a história chegou ao fim.

Quando peguei o livro para ler, não estava levando muita fé. Afinal, é uma história que parece completamente óbvia, porém, Amanda soube inovar completamente.

O livro é contado de trás para frente, a "desgraça" toda já aconteceu. Madelyn e Bennet não estão mais juntos e isso só te deixa com mais angústia e com mais vontade de saber como tudo ficou daquele jeito.

Madelyn usa toda a primeira parte para se desculpar e dizer em como ela se arrepende do que aconteceu. Mas ela também deixa claro que não se lamenta do que fez, mas sim se arrepende pelo o que aconteceu com ele. Porém, o que aconteceu com ele? E é essa pergunta que faz você querer terminar o livro mais rápido possível. Você quer descobrir quem são "eles", o motivo dessas cartas serem tão importantes e tentar saber como a história acabou em uma bela catástrofe.

O que importa inicialmente é que eles foram separados, e Madelyn faz de tudo para tentar mudar. Ela quer contar a história do ponto de vista dela, a história de uma perspectiva diferente. Afinal, as pessoas só focavam na diferença da idade e, por ela ser a mais nova, a culpa era -supostamente- dele. Infelizmente, Bennet também vê tudo da mesma maneira quando descobre que na verdade, a menina não tem dezoito, mas sim dezesseis. Ele era tão "certinho", que esperou o semestre acabar para os dois finalmente ficarem juntos, assim, ele não seria mais o professor de Madelyn.

Sempre acreditei em amores com pessoas mais velhas, mesmo nunca tendo vivenciado um. Porém, o fato de Madelyn ter quase a minha idade, fez com que eu pensasse se eu iria me apaixonar por uma pessoa de vinte e cinco. Julguei, julguei mesmo e, não tenho medo de falar isso. Todavia, li a história pelo ponto de vista da garotinha que sempre foi a "boa menina" dos pais, a que sempre foi obrigada a ter as melhores notas e que vivia até mesmo uma competição com o próprio irmão. Conheci a garota que não fazia a menor ideia do que queria fazer em seu futuro, e só tinha certeza que o que os seus pais planejavam estava bem longe de ser sua felicidade. Vi uma menina que se apaixonou, simplesmente sem querer, sem nenhum aviso, que foi atrás do que queria pela primeira vez na vida e, acabou crescendo. Logo, meu julgamento foi embora e no lugar veio uma compreensão.

Madelyn é toda errada. Ela escondeu sua idade para o cara que amava e simplesmente deixou tudo a perder. Mas isso deixou a história com um toque especial, deixou minha leitura com vários questionamentos. Será que se ela tivesse falado a verdade, nada disso teria acontecido?

Depois de tantos acontecimentos, um pequeno amor por Bennet, um grande amor por Madelyn. Descobri tudo o que houve e fiquei chocada. Fiquei chocada, por ter me apaixonado tanto pela história, por ter ficado tão curiosa, que quando chegou a hora de finalmente aparecer o "felizes para sempre", só soube olhar para a última página e surtar com um final tão tocante.

O livro me surpreendeu tanto, que nem eu consigo entender o real motivo para tal. A autora mostrou os conflitos internos da protagonista, mostrou esse romance todo errado e, me deixou com o coração na mão. Quando cheguei na parte em que finalmente saberia o motivo de tudo aquilo estar daquele jeito, não quis ler. Eu estava com medo, mas também estava eufórica. Foi um sentimento que eu nunca conseguiria descrever.

Madelyn me deixou orgulhosa, no final das contas. Amanda me fez querer ler mais obras de sua autoria. Bennet me fez querer dar uns abraços e falar que tudo ficaria bem.

Não superei a história e, não acho que vou superar, principalmente por Madelyn ser tão eu em boa parte do livro, o que deixou tudo mais aconchegante. Gostaria de uma continuação, um novo livro aonde tudo o que eu quisesse acontecesse. Infelizmente, a vida não é exatamente como a gente quer e, boa parte do tempo, aquilo que almejamos não vai acontecer, mas felizmente, talvez algo melhor possa aparecer e, é assim que aceitamos toda a situação da história, é assim que Amanda termina seu livro. Fazendo-nos pensar sobre as coisas que acontecem e, que elas não são tão ruins quanto parecem ser.

(Leia mais no meu blog - As 365 Cores do Universo)

site: http://365coresdouniverso.blogspot.com.br/2017/02/a-verdade-sobre-nos-resenha.html
comentários(0)comente



primeira viagem 19/03/2019

A verdade sobre nós
Livro: A verdade sobre nós
Autora: Amanda Grace
Editora: Intrínseca
Gênero: Romance
Li a 1 edição
Ano de lançamento 2014
Páginas 208

Será que a diferença de idade pode ser mais importante que os sentimentos? Infelizmente Amanda Grace nos mostra que sim. Essa é uma linda e triste história de amor.
A pedido de seus pais Madelyne participa de um programa para jovens talentos, consegue pular dois anos do Ensino Médio e começa a faculdade cursando algumas matérias. No primeiro dia de aula ela conhece Bennet, seu professor de Biologia e a atração entre eles é mútua.
Maddie está cansada de ser a menina obediente e perfeita, talvez por isso e por sua paixão ela decide se relacionar com Bennet mesmo sabendo da diferença de idade entre eles (ela tinha 16 e ele 25 anos).
Por várias vezes ela pensa em falar a verdade para ele, falar do programa e que ela não era a pessoa que ele pensava, mas, o medo de perder seu amor sempre a impediu. Até o dia em que tudo é descoberto, vemos as consequências surgirem e Maddie resolve escrever cartas a fim de provar que Bennet é inocente e na esperança que ele possa lhe perdoar.
O livro é narrado por essas cartas e assim podemos conhecer profundamente os sentimentos envolvidos, seu arrependimento por ter escondido a verdade e por ter causado tanta dor.

Comentário: Esse foi o primeiro livro com o final triste que li, mesmo já sabendo que era sobre um relacionamento que não deu certo fiquei em muitos momentos aflita e torcendo para que os acontecimentos mudassem.
Adorei o fato de o livro ser narrado em primeira pessoa e por cartas, me senti mais próximo da personagem e pude conhecer melhor seus sentimentos.
Entendo toda a raiva de Bennet pela mentira no primeiro momento, em minha opinião se realmente ele gostasse de Maddie teria esperado ela completar 18 anos (só faltava dois anos) para ficar com seu amor.
Hillary 10/07/2019minha estante
Li esse livro recentemente, e também penso da mesma forma com relação aos sentimentos dele por ela. Não acho que ele estivera tão envolvido quanto ela.


primeira viagem 10/07/2019minha estante
Depois de anos aparecer para falar que estava com outra, aquilo me deixou mal.


Hillary 10/07/2019minha estante
Sim, também senti a mesma coisa. Fiquei numa ressaca literária pesada. Rsrsr




Parolinda 24/09/2014

A verdade sobre a verdade sobre nós
A verdade sobre nós acabou por ser um livro surpreende para mim. Eu comprei mas não esperava nada demais.
No começo eu gostava e não gostava, depois eu gostava do Bennet e não gostava da Maddie, e depois eu gostava da Maddie mas não gostava das coisas que ela fazia.. era tudo muito confuso.
Acabei por entender o que levou a Maddie a não contar logo de cara pra ele, mesmo assim não achei certo, acabei achando a personagem muito imatura e ingênua, e não sei se foi essa a intenção da autora, por isso o livro perdeu uma estrela pra mim.
Mas a história é apaixonante, os relatos são reais, os personagens tem características fortes e o enredo é sensacional, não é mais do mesmo.
Super recomendo o livro.
comentários(0)comente



Amanda 14/10/2014

A história que você não pode perder
Engraçado como uma mentira, omissão, seja lá como chamamos, pode arruinar uma vida, pode acabar com o que era tão bonito, pode nos fazer perder um amor.

O livro conta a história de uma garota que está cansada de ser "a filha perfeita", que tira as melhores notas, que não faz nada que possa desapontar ninguém e vive uma vida que parece não pertencer a ela.

Participando de um programa para concluir o ensino médio cursando disciplinas na faculdade, Madelyn não imaginava conhecer alguém tão interessante como Bennet, seu professor de biologia. A atração é mútua e eles iniciam uma amizade, que poderia ser o início de uma grande história de amor, não fosse por um detalhe: Madelyn tem apenas 16 anos. Temendo afastar Bennet, Madelyn toma a pior das decisões, omitir essa informação.

Narrado de forma leve, mas muito envolvente, "A história de nós dois" é uma leitura que agrada a todas as idades, pois é algo que mostra como uma decisão errada pode causar tantos problemas. É uma história muito realística, ou seja, nada que está contida nela é impossível de acontecer!

Eu, que não sou fã de livros românticos, amei muito e recomendo demais!
comentários(0)comente



Laura Brand 26/08/2014


Estava precisando ler um livro mais leve, algo para passar o tempo. No meio de tanta confusão e falta de tempo buscava um bom livro que pudesse tirar minha mente do cotidiano. Apesar da história de “A verdade sobre nós” não ser o tipo que escolho assim de primeira, decidi arriscar justamente por isso. Me surpreendi.

“Madelyn Hawkins está cansada. Cansada de ser sempre perfeita. Cansada de tirar A em tudo. Cansada de seguir à risca os planos que os pais fizeram para ela. Madelyn Hawkins está cansada de ser algo que não é, algo que não quer ser. E então ela conhece Bennet Cartwright. Inteligente, sensível, engraçado. A seu lado, ela se sente livre e independente. Uma história que poderia muito bem ter um final feliz, não fosse por um detalhe: Maddie tem apenas 16 anos, e Bennet, além de ter 25 anos, é seu professor. Pressionada pelos pais a participar de um programa para jovens talentos, Maddie pula dois anos do Ensino Médio e vai direto para a faculdade, onde conhece e se apaixona pelo professor de biologia. O sentimento é recíproco, e para dar uma chance àquele novo relacionamento que lhe faz tão bem, ela decide não contar para Bennet sua idade. Não demora muito para que as coisas comecem a dar errado, e as consequências da farsa de Maddie ganham contornos devastadores quando a verdade vem à tona.”

Tinha uma ideia formada quando comecei a ler o livro e me enganei completamente. Pensei que seria mais um clichê de romance entre aluna e professor e que seria tudo muito fofinho e água com açúcar. Só o modo como a história é narrada já mudou tudo.
O livro não é narrado em terceira pessoa. A história é toda contada através da personagem principal, Madelyn. Mas não é só isso. O livro é uma carta que ela escreve para Bennet contando sua versão da história deles, explicando seu ponto de vista e demonstrando seus sentimentos mais profundos em relação ao relacionamento deles. O livro conseguiu me prender desde a primeira página justamente por ser um método novo de narrar uma história. É muito comum lermos por aí livros que têm algumas cartas no meio da narrativa ou troca de e-mails, mas eu nunca tinha lido um que é um pedido de desculpas direto para o herói da história.
Madelyn também me surpreendeu. Tinha em mente que ela seria uma adolescente um pouco imatura e ingênua, mas ela se mostrou o contrário disso. A maneira como ela se comportou com Bennet e lidou com a situação em alguns momentos mostrou que ela realmente parecia mais velha do que realmente era. Em alguns momentos, por outro lado, Madelyn se mostrou inocente. Ela deveria saber que a honestidade é o melhor caminho em um relacionamento e que um relacionamento entre aluna e professor pode ter consequências indesejadas.
Bennet também foi uma surpresa boa. A maneira inteligente e educada com que ele lidou com a situação me cativou. Ele se provou muito responsável e respeitoso com Madelyn, mesmo não sabendo de sua idade. Mesmo depois disso, penso que ele agiu corretamente. Sempre impondo limites quando necessário, Bennet é um homem gentil e honesto que não merecia ter sido enganado pela garota que ele se apaixonou.
A história se desenvolveu de maneira bem fácil e rápida. Comecei a ler “A verdade sobre nós” de noite e terminei logo na manhã seguinte. A leitura flui da maneira bem leve e envolvente, uma vez que Madelyn conta a história apenas com os detalhes necessários e relevantes. A história é mais voltada para o ponto de vista de Madelyn do que para a narrativa dos acontecimentos em si. Isso também ajudou a fazer a leitura se desenvolver rapidamente.
O final me agradou; não foi nada clichê. A autora soube como criar uma expectativa A e escrever um final B que surpreendeu a todos. Gostei de ver a paixão de Madelyn por Bennet até a última página do livro sem se submeter a um linguajar infantil ou recheado de fórmulas prontas. O final fez todo o livro valer a pena apesar de ser surpreendente em vários aspectos – sem spoilers.

A verdade sobre nós é um livro pequeno (tem pouco menos de 200 páginas), fácil de ser lido, rápido e envolvente. Você vai virar página por página querendo saber o que vai acontecer em seguida com o relacionamento de Madelyn e Bennet. É um livro perfeito para tirar a mente da rotina um pouco e se encantar por uma paixão proibida.

site: http://nostalgiacinza.blogspot.com.br/2014/08/resenha-verdade-sobre-nos.html
comentários(0)comente



Erika 26/09/2015

A mentira tem seu preço!
O livro apesar de ter um ritmo lento e ser narrado de uma forma diferente é bom.
O livro todo é narrado como uma extensa carta de Maddie para Bennet. Ali ela conta como conheceu, se apaixonou e o desfecho do relacionamento deles. Foi diferente de tudo que já li.
A lição que fica é que ficamos vulneráveis quando omitimos coisas, e assim, corremos nossos riscos, que talvez se tornem irreversíveis. Gostei do final. Foi doído, mas foi real. Nem sempre os relacionamentos tem os esperados finais felizes. Foi bom.
Dynhofran 27/09/2015minha estante
Eubtenho um carinho grande por essa história.


Erika 28/09/2015minha estante
É. Gostei tb. Não é um final óbvio. Achei diferente de tudo que já li. Bjs


Dynhofran 28/10/2015minha estante
Simmmm. Jurava que seria "aquele final" de sempre.Só que não! Me deu até um aperto no coração rs.


Erika 28/10/2015minha estante
Verdade! O final não foi o óbvio. E quem disse que um livro para ser bom, tem sempre que ter final feliz, não é mesmo? rs... Bjs.




113 encontrados | exibindo 61 a 76
1 | 2 | 3 | 5 | 6 | 7 | 8